: Meire

LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO:
TENDÊNCIAS EM
TRANSPORTES INTERMODAIS

cle

rM

ieto

Equipe
Dayanne C. L. da Silva
Da...
MODAL DE TRANSPORTE:

HIDROVIÁRIO

GRANEL SÓLIDO
REGIÕES
COBERTAS
• O Brasil dispõe de
uma vasta rede
hidroviária inserida
nas doze regiões
hidrográficas
estabelecidas para...
REGIÕES COBERTAS

• Soma-se aproximadamente 42.000 km de
extensão hidrográfica.
Plano Nacional de Vias Navegáveis Interior...
REGIÕES COBERTAS
• 28.000 km de vias navegáveis
Rede Hidroviária Brasileira – Extensões Navegáveis
VOLUME DE CARGAS OPERADAS

Anuário Estatístico Aquaviário 2011
3.2.2 - Transporte de cargas na navegação interior por grup...
VOLUME DE CARGAS OPERADAS

Anuário Estatístico Aquaviário 2011
3.2.1 - Transporte de cargas em vias interiores por tipo de...
VOLUME DE CARGAS OPERADAS
Anuário Estatístico Aquaviário 2011
3.2.3 - Transporte de cargas na navegação interior por grupo...
VOLUME DE CARGAS OPERADAS

Anuário Estatístico Aquaviário 2011
3.2.6 - Transporte de cargas na navegação de longo curso em...
CONDIÇÕES ESTRUTURAIS
ASPECTO garantir uma prestação de serviço
LEGAL
A ANTAQ tem a missão de

adequado, lhe cabendo regul...
CONDIÇÕES ESTRUTURAIS
ASPECTO LEGAL
CONDIÇÕES ESTRUTURAIS
ASPECTO OPERACIONAL
O Brasil apresenta um imenso potencial para utilização da
navegação fluvial, com...
ESTUDO DE CASO
Transportes Bertolini Ltda.
Composições Fluviais da Bertolini:
-Empurradores e Balsas: (Carreteiras Granele...
ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)
FROTA:
Empurradores: Os empurradores fluviais são diversificados quanto a sua
forma de construçã...
ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)

A frota hidroviária que compõe os comboios BERTOLINI são construídas no
estaleiro BECONAL - Ber...
ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)
• Porto de Belém-PA
ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)
- Processos:
Cada projeto de empurrador ou balsa tem origem nas necessidades
da Bertolini, de on...
ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)
- Processos:
O ritmo de viagem entre os portos, são
medidos em horas, possuem grande
diferenciaç...
ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)
INVESTIMENTOS ATUAIS
TRANSPORTE HIDROVIÁRIO EXPANDE E DEMANDA
MAIORES INVESTIMENTOS
A economia do Brasil teve um desenvolv...
INVESTIMENTOS FUTUROS
Os esforços conjuntos do governo federal e do estado de São Paulo
garantirão um investimento de R$ 1...
INVESTIMENTOS(FUTUROS)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação - Modal Hidroviário - Granel Sólido - LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO TENDÊNCIAS EM TRANSPORTES INTERMODAIS

1.315 visualizações

Publicada em

O Brasil dispõe de uma vasta rede hidroviária inserida nas doze regiões hidrográficas estabelecidas para a realização do Plano Nacional de Recursos Hídricos, somando aproximadamente 42.000 km de extensão.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação - Modal Hidroviário - Granel Sólido - LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO TENDÊNCIAS EM TRANSPORTES INTERMODAIS

  1. 1. : Meire LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO: TENDÊNCIAS EM TRANSPORTES INTERMODAIS cle rM ieto Equipe Dayanne C. L. da Silva Daniele Regina Lameiro Jaqueline R. R. Silva Alex F. Nepomuceno Valdecir B. de Godoi
  2. 2. MODAL DE TRANSPORTE: HIDROVIÁRIO GRANEL SÓLIDO
  3. 3. REGIÕES COBERTAS • O Brasil dispõe de uma vasta rede hidroviária inserida nas doze regiões hidrográficas estabelecidas para a realização do Plano Nacional de Recursos Hídricos
  4. 4. REGIÕES COBERTAS • Soma-se aproximadamente 42.000 km de extensão hidrográfica. Plano Nacional de Vias Navegáveis Interiores
  5. 5. REGIÕES COBERTAS • 28.000 km de vias navegáveis Rede Hidroviária Brasileira – Extensões Navegáveis
  6. 6. VOLUME DE CARGAS OPERADAS Anuário Estatístico Aquaviário 2011 3.2.2 - Transporte de cargas na navegação interior por grupo de mercadoria – Região Hidrográfica Amazônica. Mercadoria SOJA SEMI-REBOQUE BAÚ PRODUTOS QUÍMICOS ORGÂNICOS COMBUSTÍVEIS E ÓLEOS MINERAIS E PRODUTOS MILHO CONTÊINERES VEIC. TERRESTRES PARTES ACESSOR CIMENTO CARGAS DIVERSAS CAMINHÃO OUTROS GRUPOS DE MERCADORIA T O T A L Fonte: ANTAQ. 2010 Quantidade Transportada (t) 2.554.790 2.641.714 180.678 2.390.052 496.821 210.413 224.346 2.517 19.739 98.353 301.912 9.121.335 % 28,01 28,96 1,98 26,2 5,45 2,31 2,46 0,03 0,22 1,08 3,55 100,00 2011 Quantidade Transportada (t) 2.498.212 2.497.250 1.915.315 1.369.190 802.729 10.799 237.866 176.973 98.197 95.154 107.651 9.809.336 % 25,47 25,46 19,53 13,96 8,18 0,11 2,42 1,80 1,00 0,97 1,10 100,00
  7. 7. VOLUME DE CARGAS OPERADAS Anuário Estatístico Aquaviário 2011 3.2.1 - Transporte de cargas em vias interiores por tipo de navegação e acondicionamento da carga – Região Hidrográfica Amazônica. Ano Tipo de Navegação Navegação Interior Classificação Estadual Interestadual Internacional Percurso Não Identificado 2011 Cabotagem em vias interiores Longo Curso em vias interiores Navegação Interior Estadual Interestadual Internacional Percurso Não Identificado 2010 Cabotagem em vias interiores Longo Curso em vias interiores Fonte: ANTAQ. Sinais convencionais utilizados … Dado numérico não disponível. – Dado não existente ou não se aplica. Carga Geral Carga Geral Solta (t) Conteinerizada (t) 3.086.455 10.799 104.100 4 2.956.153 10.795 ... ... 26.202 ... 855 2.283.360 346.969 3.706.721 3.094.878 210.413 128.334 ... 2.906.135 210.413 ... ... 60.410 ... 287 1.943.772 378.512 2.859.945 Granel Líquido 3.286.324 2.429.436 820.382 ... 36.507 2.811.846 123.185 2.609.208 1.854.508 682.513 ... 72.186 4.066.701 111.673 Granel Sólido 3.425.758 11.824 3.410.901 3.033 ... 14.320.685 15.829.100 3.206.836 1 3.206.835 ... ... 13.709.684 13.686.786 Total 9.809.336 2.545.363 7.198.231 3.033 62.708 19.416.746 20.005.976 9.121.335 1.982.843 7.005.896 ... 132.596 19.720.444 17.036.916
  8. 8. VOLUME DE CARGAS OPERADAS Anuário Estatístico Aquaviário 2011 3.2.3 - Transporte de cargas na navegação interior por grupo de mercadorias selecionados, jan-dez – Região Hidrográfica Amazônica. ANO 2011 ANO 2010 Fonte: ANTAQ. MÊS JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO T O T A L MÊS JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO T O T A L SOJA 145.256 108.978 312.328 377.839 380.011 307.738 263.244 176.379 39.317 110.046 129.620 147.456 2.498.212 SEMI-REBOQUE BAÚ 198.676 205.442 229.887 217.811 222.270 198.096 206.424 220.355 217.391 237.279 252.627 235.456 2.641.714 SEMI-REBOQUE BAÚ 168.582 174.639 192.285 198.993 223.362 224.246 215.194 215.770 201.515 242.845 223.787 216.032 2.497.250 SOJA 105.109 329.363 371.023 398.716 355.110 241.817 313.708 118.000 38.706 35.667 103.537 144.034 2.554.790 PRODUTOS QUÍMICOS ORGÂNICOS 154.860 137.897 158.138 150.778 163.332 153.589 167.559 161.720 180.891 162.633 155.975 167.941 1.915.315 COMBUSTÍVEIS E ÓLEOS MINERAIS E PRODUTOS 183.207 170.022 193.064 182.417 215.749 194.795 200.870 183.049 178.965 256.990 220.944 209.980 2.390.052
  9. 9. VOLUME DE CARGAS OPERADAS Anuário Estatístico Aquaviário 2011 3.2.6 - Transporte de cargas na navegação de longo curso em vias interiores por grupo de mercadoria – Região Hidrográfica Amazônica. Mercadoria BAUXITA MINÉRIO DE FERRO CONTÊINERES SOJA MILHO FARELO DE SOJA CIMENTO CAULIM CELULOSE OUTROS GRUPOS DE MERCADORIA T O T A L Fonte: ANTAQ. 2010 Quantidade Transportada (t) 6.191.718 4.101.121 2.859.945 1.922.601 429.314 345.260 97.272 350.057 330.729 408.899 17.036.916 % 36,34 24,07 16,79 11,28 2,52 2,03 0,57 2,05 1,94 2,40 100,00 2011 Quantidade Transportada (t) % 6.518.796 32,58 5.295.086 26,47 3.706.721 18,53 1.853.104 9,26 759.265 3,80 444.678 2,22 442.073 2,21 334.869 1,67 294.086 1,47 357.298 1,79 20.005.976 100,00
  10. 10. CONDIÇÕES ESTRUTURAIS ASPECTO garantir uma prestação de serviço LEGAL A ANTAQ tem a missão de adequado, lhe cabendo regular e supervisionar os serviços, para que passem a ser executados apenas por empresas devidamente autorizadas, promovendo assim a regularização, em diversas esferas, de todas as empresas que pretendam atuar nesta atividade. É isto que a SNI faz como contribuição para o fortalecimento institucional da ANTAQ. No Planejamento Estratégico da ANTAQ, o projeto P1 - Programa de Incentivo à Regularização dos Prestadores de Serviços, liderado pelo Superintendente de Navegação Interior, tem como objetivos a redução do número de empresas que operam irregularmente, o fortalecimento e o aumento da efetividade da atuação da agência para a sociedade, e a fidelidade aos valores da ANTAQ: comprometimento, pró-atividade, transparência, responsabilidade social e imparcialidade.
  11. 11. CONDIÇÕES ESTRUTURAIS ASPECTO LEGAL
  12. 12. CONDIÇÕES ESTRUTURAIS ASPECTO OPERACIONAL O Brasil apresenta um imenso potencial para utilização da navegação fluvial, com 63 mil km de rios e lagos/lagoas, distribuídos em todo o território nacional. Deste total, mais de 40 mil km são potencialmente navegáveis. No entanto, a navegação comercial ocorre em cerca de 20 mil km, com significativa concentração na Amazônia, onde os rios não carecem de maiores investimentos e as populações não dispõem de muitas opções de modais terrestres. http://www.antaq.gov.br/Portal/pdf/InformativoSNI2trim2012.pdf
  13. 13. ESTUDO DE CASO Transportes Bertolini Ltda. Composições Fluviais da Bertolini: -Empurradores e Balsas: (Carreteiras Graneleiras e Petroleiras) -Transporte de Semirreboques: Motocicletas, Eletrônicos e Linha Branca - Balsas Graneleiras: Transporte de Grãos (SOJA e milho)
  14. 14. ESTUDO DE CASO(BERTOLINI) FROTA: Empurradores: Os empurradores fluviais são diversificados quanto a sua forma de construção e potência, para se adaptarem aos rios aonde navegam. Balsas: Balsas carreteiras, balsas SW (armazens flutuantes), balsas petroleiras, graneleiras e para outras finalidades são itens produzidos no estaleiro BECONAL.
  15. 15. ESTUDO DE CASO(BERTOLINI) A frota hidroviária que compõe os comboios BERTOLINI são construídas no estaleiro BECONAL - Bertolini Construção Naval da Amazônia Ltda, o maior instalado na região Norte do Brasil. Os Comboios para transporte fluvial de granéis sólidos (soja, milho, minério...) são formados por balsas tipo 'box' (formam a parte central) e 'racked' (formam proa e popa do comboio).
  16. 16. ESTUDO DE CASO(BERTOLINI) • Porto de Belém-PA
  17. 17. ESTUDO DE CASO(BERTOLINI) - Processos: Cada projeto de empurrador ou balsa tem origem nas necessidades da Bertolini, de onde resultam como espicificações de autonomia, potência dos motores, velocidade um ser atingida, consumo de combustível, dependendo dos rios por onde o empurrador irá operar, e da carga que irá transportar.
  18. 18. ESTUDO DE CASO(BERTOLINI) - Processos: O ritmo de viagem entre os portos, são medidos em horas, possuem grande diferenciação entre percurso de ida e de volta em função de uma navegação estar a favor ou contra a correnteza.
  19. 19. ESTUDO DE CASO(BERTOLINI)
  20. 20. INVESTIMENTOS ATUAIS TRANSPORTE HIDROVIÁRIO EXPANDE E DEMANDA MAIORES INVESTIMENTOS A economia do Brasil teve um desenvolvimento considerável nos últimos anos, e isto teve reflexo em todos os setores. Exemplo disso é a expansão nos transportes aquaviários, que em 2011 transportou 79.814.082 toneladas de produtos em vias interiores. O potencial hidroviário, entretanto, é bem maior. A navegação interior no Brasil precisa de muito mais investimentos. Os investimentos atuais ainda são poucos, mas, mesmo assim, vêm crescendo, principalmente no Norte. http://www.antaq.gov.br/Portal/pdf/InformativoSNI2trim2012.pdf
  21. 21. INVESTIMENTOS FUTUROS Os esforços conjuntos do governo federal e do estado de São Paulo garantirão um investimento de R$ 1,7 bilhão na hidrovia Tietê-Paraná. As obras estenderão o trajeto em 55 quilômetros pelo Rio Piracicaba e 200 quilômetros pelo Rio Tietê, atingindo novas localidades em direção às regiões metropolitanas de Campinas e São Paulo. A rota, de mais de 2.400 quilômetros, vai de São Paulo até a divisa com o Mato Grosso, seguindo pelo Rio Paraná até a divisa brasileira com Uruguai e Argentina – com previsão de término ao final de 2015. http://veja.abril.com.br/170299/p_032.html
  22. 22. INVESTIMENTOS(FUTUROS)

×