MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO

40.848 visualizações

Publicada em

Psicologia B - 12ºAno
2010/2011 - 12ºC - Escola Secundária D. Dinis - Professora Isabela Teixeira

1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
40.848
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
677
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO

  1. 1. MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
  2. 2. <ul><li>O desenvolvimento do ser humano depende, não só das características biopsicológicas, mas também das características dos contextos; a isto se chama perspectiva ecológica do desenvolvimento. </li></ul><ul><li>O responsável por esta teoria foi Urie Bronfenbrenner. </li></ul>
  3. 3. MICROSSISTEMA <ul><li>Os microssistemas são os contextos mais imediatos e de maior proximidade em que os indivíduos participam directamente. </li></ul><ul><li>Daí o serem os mais importantes no desenvolvimento do indivíduo. Fazem parte dos microssistemas a família, os colegas, a escola, o grupo religioso, a vizinhança próxima… </li></ul>
  4. 4. MESOSSISTEMA <ul><li>O mesossistema não tem existência própria, isolada. É constituído pelas interacções entre os microssistemas. Pode dizer-se que é um sistema de microssistemas. </li></ul><ul><li>As possibilidades de relação entre contextos são inúmeras para cada pessoa, e conduzem ao estabelecimento de relações e comunicações. </li></ul>
  5. 5. EXOSSISTEMA <ul><li>No exossistema reporta-se a contextos que não implicam a participação activa do sujeito mas que o afectam. A acção do exossistema pode ser decisiva quando as pessoas vivem situações difíceis </li></ul><ul><li>(ex: subsídios…). </li></ul><ul><li>Podem fazer parte do exossistema as autarquias, a assistência social, os serviços jurídicos, </li></ul><ul><li>o local de trabalho… </li></ul>
  6. 6. MACROSSISTEMA <ul><li>O macrossistema constitui o sistema mais alargado. Dele fazem parte os padrões socioculturais, instituições políticas e sociais, os valores, as crenças e os estilos de vida. </li></ul><ul><li>Todos estes aspectos têm influência no macrossistema e influenciam-nos. </li></ul>
  7. 7. CRONOSSISTEMA <ul><li>O cronossistema permite incorporar no contexto da vida uma dimensão temporal. Dada a passagem do tempo, e as mudanças que nesse tempo ocorrem, a configuração dos diversos sistemas, as suas relações e influências podem ser alteradas. </li></ul><ul><li>Ex: a influência do microssistema família não é a mesma para uma criança ou para um adolescente. </li></ul>
  8. 8. O CONTEXTO DE CADA UM <ul><li>O contexto de cada um é um sistema muito amplo, afectado pelo que se passa em cada um dos seus lugares, elementos e subsistemas. As mudanças que ocorrem influenciam continuamente o que se passa. As influências que o contexto tem em cada um de nós são profundamente dinâmicas. </li></ul><ul><li>As acções e reacções das pessoas são uma consequência de uma configuração de influências mútuas que vão determinar as características de cada um. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Para Bronfenbrenner o desenvolvimento é “o conjunto de processos através dos quais as propriedades das pessoas e o ambiente interagem para produzir continuidade e mudanças nas caracte-rísticas da pessoa no decurso da vida”. </li></ul>Sugestão de Trabalho: FICHA Nº23 Dossier do Aluno
  10. 10. REDES SOCIAIS <ul><li>Uma rede social é o conjunto de ligações de uma ou mais redes pessoais. </li></ul><ul><li>Nas redes estão presentes três elementos: </li></ul><ul><li>As pessoas que as constituem. </li></ul><ul><li>As funções que elas exercem. </li></ul><ul><li>As situações em que as funções são desempenhadas. </li></ul>
  11. 11. REDES SOCIAIS <ul><li>Os apoios das redes podem ser: </li></ul><ul><li>Instrumentais/materiais: ajuda financeira, partilha de responsabilidades, execução de tarefas. </li></ul><ul><li>Apoio afectivo/emocional: compreensão, empatia, disponibilidade com que se é acolhido. </li></ul>
  12. 12. O PAPEL DOS CONTEXTOS NO COMPORTAMENTO DOS INDIVÍDUOS <ul><li>Bronfenbrenner, posteriormente, vai sublinhar o papel do indivíduo nos contextos e a importância no desenvolvimento dos processos proximais. </li></ul><ul><li>PROCESSOS PROXIMAIS : “formas particulares de interacção entre os organismos e o ambiente que operam ao longo do tempo e compreendem os primeiros mecanismos que produzem o desenvolvimento humano”. </li></ul><ul><li>Em conclusão, o indivíduo tem um papel central no seu processo de desenvolvimento. </li></ul>
  13. 13. O PAPEL DOS CONTEXTOS NO COMPORTAMENTO DOS INDIVÍDUOS <ul><li>A influência efectiva dos processos proximais implica, entre outras coisas, que: </li></ul><ul><li>Os indivíduos se comprometam com empenho em actividades. </li></ul><ul><li>As relações entre indivíduos e contextos sejam regulares. </li></ul><ul><li>Haja reciprocidade nas relações interpessoais. </li></ul>
  14. 14. A relação entre indivíduo e contexto é dinâmica, estando dependente da forma como as suas características interagem. Este ajuste dinâmico é algo que se deve ter em conta quando se procura compreender como somos. Assim, cada um de nós realiza um caminho único através dos vários lugares, participando nas relações e interacções que propiciam, das oportunidades e recursos, sempre com referência a valores e normas. É assim que cada um de nós se vai encontrando e vai construindo enquanto ser humano situado e singular.
  15. 15. RESILÊNCIA RESILÊNCIA : capacidade encontrada por algumas pessoas de encontrarem forças e recursos no seu mundo pessoal que lhes permitem enveredar por caminhos positivos, mesmo em condições adversas de privação e de risco. O fenómeno da resiliência é um processo activo; são pessoas que conseguem agir nos e sobre os contextos de forma a protegerem-se das conse-quências adversas que certos factores poderiam conter. Sugestão de Trabalho: FICHA Nº16 Dossier do Aluno

×