Entendendo a espondilite

7.872 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.872
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.886
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
72
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Entendendo a espondilite

  1. 1. Espondilite Anquilosante Thiago Bitar Moraes Barros Reumatologista
  2. 2. O Que é Espondilite Anquilosante? • A espondilite anquilosante (EA), é uma doença auto imune que acomete principalmente homens (mas também pode acometer mulheres) em idade jovem – 2a a 3a década de vidas. • Ainda não sabemos o que desencadeia a doença, mas sabemos que algumas pessoas tem maior propensão (genética) a desenvovê- la no decorrer da sua vida.
  3. 3. • A espondilite anquilosante (EA), é uma doença auto imune que acomete principalmente homens (mas também pode acometer mulheres) em idade jovem – 2a a 3a década de vidas. • Ainda não sabemos o que desencadeia a doença, mas sabemos que algumas pessoas tem maior propensão (genética) a desenvovê- la no decorrer da sua vida.
  4. 4. A quais sintomas devemos ficar atentos? • A doença se apresenta na maioria das vezes com dor lombar inflamatória. • Essa dor se caracteriza da seguinte maneira:  Dor em região baixa da coluna – muitas vezes em região de glúteos.  Principalmente no período da manhã! A pessoa acorda com muita dor mas no decorrer do dia ela vai melhorando, conforme ela caminha, se alonga e se exercita.
  5. 5. Posso ter outros sintomas? • Sim! O paciente portador de EA também pode apresentar: Dor no pescoço (região cervical). Dor no quadril. Dor na região do peito, próximo ao osso esterno. Inchaço e dor das articulações (artrite) Principalmente em joelhos e tornozelos. Tendinites. Olho vermelho e doloroso (uveíte).
  6. 6. Artrite de Joelho
  7. 7. Tendinite
  8. 8. Uveíte
  9. 9. Como é feito o diagnóstico? A parte fundamental é a história que você conta ao seu médico. Ele também ira te examinar, muitas vezes usando fitas métricas e réguas específicas. Após esses passos ele deverá recorrer a alguns exames que o auxiliarão no diagnóstico.
  10. 10. Teste de Schober Modificado
  11. 11. Teste da Rotação Cervical
  12. 12. Quais exames? Ele poderá solicitar tanto o raio-x quanto a ressonância magnética das articulações sacroilícas (bacia) e de toda a coluna (lombar, dorsal e cervical).  A ressonância magnética tem um papel bastante importante pois pode ajudar a fazer o diagnóstico de maneira mais precoce que o raio-x.
  13. 13. Raio X das articulações sacroilíacas
  14. 14. Ressonância Magnética com inflamação nas articulações sacroilíacas
  15. 15. Os exames de sangue devem sempre incluir: - Hemograma completo - VHS (mede a inflamação no organismo) - PCR (mede a inflamação no organismo) - Pesquisa do gene HLA B27 (gene que favorece o surgimento da doença! Nem sempre ele é positivo em pacientes portadores de EA!)
  16. 16. • O seu médico, em posse da sua história clínica, do seu exame físico e dos exames solicitados deverá concluir se você é ou não portador da EA e iniciar o tratamento da maneira mais rápida possível. • Quanto mais precoce o tratamento, menor a chance de sequelas.
  17. 17. E se eu não tratar ou demorar muito para iniciar o tratamento? • A EA não tratada é muito perigosa pois pode causar deformidades em toda a coluna, reduzindo sua qualidade de vida e dificultando por exemplo, seu trabalho e sua vida familiar. • Também pode ocorrer uma artrose grave na articulação do quadril, inclusive com necessidade de colocação de prótese. • Os quadros de inflamação do olho (uveíte), são muito comuns e podem reduzir a acuidade visual.
  18. 18. Deformidades na EA não tratada
  19. 19. • Os pacientes portadores de EA também tem mais chance de apresentar: Osteoporose AVC Infarto Agudo do Miocárdio
  20. 20. Qual é o tratamento? • Inicialmente começamos com um anti inflamatório. Pode ser qualquer um, contanto que seja utilizado em dose máxima. • Usar sempre com remédios protetores do estômago para evitar o surgimento de gastrite e úlceras do estômago. • Sempre verificamos se o paciente tem alguma contra indicação ao uso desses medicamentos (problemas renais, problemas gástricos, etc…)
  21. 21. • Temos como opção ainda utilizar uma droga como a Sulfassalazina (junto com o anti inflamatório) principalmente quando o paciente tiver, além do acometimento da espondilte na coluna, artrite das articulações citadas anteriormente.
  22. 22. E se eu não melhorar? • Se você não notar melhora, o seu médico ainda poderá tentar trocar o anti inflamatório. • Se mesmo após algum tempo, ou seja, depois de ter usado dois anti inflamatórios diferentes por um determinado tempo, você ainda estiver com sintomas, poderá ser tentado a terapia biológica.
  23. 23. O Que é terapia biológica? • São as medicações mais modernas, sintetizadas em laboratório, bastante empregadas nos pacientes com EA refratária (que não responderam ao tratamento inicial). • Na EA, o tipo de medicação se chama anti- TNF e temos vários remédios aprovados pela ANVISA.
  24. 24. • Essas medicações podem ser feitas por via endovenosa (na veia) ou subcutânea, com injeções que podem ser aplicadas por você mesmo. • Dentre elas: - Infliximabe - Etanercepte - Golimumabe - Adalimumabe - Certolizumabe
  25. 25. IMPORTANTE! • Antes de prescrever o tratamento biológico o seu médico deverá pesquisar se você tem alguma das doenças abaixo: - Tuberculose - Hepatite B - Hepatite C - Infecção ativa de fungos e bactérias - Problemas cardíacos graves
  26. 26. Posso praticar atividade física? • Pode e deve! • Todos pacientes com EA devem ser encorajados a praticar atividade física de forma regular, no mínimo 3x/semama. • Pode ser a atividade que você preferir, evitando apenas atividades que envolvam muito impacto.
  27. 27. O que mais posso fazer para melhorar? • Manter sempre um peso adequado, ou seja, evite engordar e se estiver acima do peso, tente emagrecer. • Uma alimentação saudável, sem corantes, conservantes,frituras e com pouco açúcar, também deve ser levada em consideração.
  28. 28. • Recebendo um diagnóstico rápido, iniciando o tratamento correto e mudando seu estilo de vida, você terá uma vida normal e produtiva, sem dores e sem limitações. • Faça a sua parte!

×