Síndrome de Guillain-Barré

6.290 visualizações

Publicada em

Guideline sobre a síndrome de Guillain-Barré. Aborda as melhores práticas de diagnóstico e tratamento da doença. Informações extremamente úteis para a prática clínica.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
124
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Síndrome de Guillain-Barré

  1. 1. Série Artigos Comentados
  2. 2. Série Artigos ComentadosSíndrome de Guillain-BarréConsultorDr. Renato AnghinahProdução e ediçãoAnkol Educação ContinuadaImagem de abertura do artigoFreeDigitalPhotos.netO artigo aqui apresentado é de propriedade e autoria de suas respectivaseditoras e autores.Ankol © Copyrigth 2012 - Todos os direitos reservados
  3. 3. Protocolo Clínico e Diretrizes TerapêuticasConsultores: Schestatsky P,Torres VF, Moreira LB, Krug BC e Amaral KMBaseado na Portaria SAS do Ministério da Saúde. Dez. de 2009Síndrome de Guillain-BarréAnkol – www.ankol.com.br
  4. 4. • Maior causa de paralisia flácidageneralizada do mundo;• Incidência anual: 1-4 por 100.000habitantes;• Pico: 20 a 40 anos de idade.Síndrome deGuillain-BarréAnkol – www.ankol.com.br
  5. 5. Doença de caráter autoimuneAcomete principalmente aMielinaPredomínio na porção proximaldos nervos periféricosForma aguda e subagudaAnkol – www.ankol.com.br
  6. 6. 60 a 70 % dos pacientesapresentam algumadoença aguda precedente( 1 a 3 semanas antes).Ankol – www.ankol.com.br
  7. 7. • Campylobacter jejuni (32%), Citomegalovirus(13%), Epstein Barr (10%) e outras infecções virais( hepatite, influenza, HIV).• Cirurgias, imunização e gravidez.InfecçõesmaisfrequentesAnkol – www.ankol.com.br
  8. 8. • Queixa de parestesias nas extremidades distais de MMII.Dor neuropática lombar ou em MMII (50%).• Fraqueza progressiva ascendente (MMII; MMSS,Tronco,cabeça e pescoço).• Intensidade dos sintomas  leve até tetraparesia comnecessidade de ventilação mecânica.ApresentaçãoclínicaAnkol – www.ankol.com.br
  9. 9. • Distúrbio autonômico podem ocorrer arritmias cardíacas;• Monitoramento da frequência cardíaca.Apresentação clínicaAnkol – www.ankol.com.br
  10. 10. 94% - até 4 semanas80 a 92% - até 3 semanas50 a 70% - até 2 semanasA progressão do quadroclínico ocorre geralmenteem 2 a 4 semanas:Ankol – www.ankol.com.br
  11. 11. • Aproximadamente 30% dos pacientes  necessidade deventilação mecânica.• Taxa de morte ( muitas vezes por falta de suporteadequado)  5 a 7%.• Piora evolutiva dos sintomas por mais de 8 semanas EXCLUI o diagnóstico de Guillain-Barré.Atenção!Ankol – www.ankol.com.br
  12. 12. • Fase de estabilização (dias, semanas)  após atingir o topo depiora do quadro.• Recuperação gradual da motricidade  pode levar meses.Ankol – www.ankol.com.br
  13. 13. • Apenas cerca de 15% dos pacientes tem melhora total;• 5 - 10%  sequelas sensitivas e/ou motoras incapacitantes.Ankol – www.ankol.com.br
  14. 14. • Idade > 50 anos;• Diarreia precedendo o quadro;• Evolução rápida ( menos de 7 dias).• O prognóstico é melhor nas crianças• Repetição do quadro ocorre em apenas 3% dos casosFatores demalprognósticoAnkol – www.ankol.com.br
  15. 15. Diagnóstico Laboratorial• Aumenta a proteinorraquia sem termospleiocitose ou pequeno número de célulasmononucleares.• Este achado é mais evidente após a 2ª semana (80% doscasos)• Na primeira semana podemos ter um maior número depacientes com líquor normalLíquor :dissociaçãoproteíno-citológicaAnkol – www.ankol.com.br
  16. 16. • Pode ser normal ou após a segunda semana  aumentode latências distais, diminuição de velocidade decondução, onda-F prolongada e bloqueios de condução.• O importante nestes achados é que geralmente são simétricos emultifocais.ENMGAnkol – www.ankol.com.br
  17. 17. Tratamento• 1- Antecipação e manejo das comorbidades associadas.• 2- Tratamento da progressão dos sinais e sintomas.Não é necessário tratamento de manutenção fora da fase agudaAnkol – www.ankol.com.br
  18. 18. Tratamento específico• Para correta indicação precisamos saber o nível de gravidade dadoença.• Utilizamos a classificação proposta por Hughes (Lancet1978:750-3).Ankol – www.ankol.com.br
  19. 19. Classificação proposta por Hughes0- Saudável1- Sinais e sintomas menores de neuropatia, mas capaz de realizar tarefas manuais2- Apto a caminhar sem auxílio da bengala, mas incapaz de realizar tarefas manuais3-Capaz de caminhar somente com bengala ou suporte4- Confinado a cama ou cadeira de rodas5- Necessita de ventilação assistida6- MorteAnkol – www.ankol.com.br
  20. 20. Tratamento específicoGlicocorticoides- não está indicadoImunoglobulina humana (IGIV) – tratamento de escolha. Tem eficácia semelhante aplasmaférese, com menores complicações.Plasmaférese – indicado para casos moderados a grave ( Hughes 3 a 6), principalmentenos 7 primeiros dias . Há melhora na capacidade de deambular.Ankol – www.ankol.com.br

×