1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.

1.800 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.800
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
134
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.

  1. 1. 1º ENCONTRO DE COORDENADORES PEDAGÓGICOS DE SEROPÉDICA 2013 EQUIPE PEDAGÓGICA S.M.E.C.E.
  2. 2. FUNÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO (REGIMENTO ESCOLAR)  Seção IV – DA COORDENAÇÃO ESCOLAR:  Art. 26- as atividades do Coordenador Escolar são exercidas por profissionais devidamente habilitados, concursados ou enquadrados na legislação vigente.  Art. 27- o Coordenador Pedagógico é responsável pelo trabalho técnico-pedagógico relacionado ao estabelecimento de ensino, atuando como elemento de ligação entre a secretaria de educação e a escola.
  3. 3. ART. 28- AO COORDENADOR ESCOLAR COMPETE:  I- planejar e coordenar, junto com toda a equipe técnico-administrativa-pedagógica, o conselho de classe e reuniões pedagógicas, objetivando a avaliação e tomadas de decisões relativas ao processo pedagógico;  II – analisar, junto com toda a equipe técnico- administrativa-pedagógica, a situação de alunos egressos de outros estabelecimentos e/ou outros sistemas de ensino, visando à sua adaptação à série em que sejam matriculados ou pleiteiam a matrícula;
  4. 4.  III – articular e acompanhara elaboração de atividades referentes ao regime de progressão parcial, junto com toda a equipe técnico-administrativa-pedagógica e aos professores de sua unidade escolar.  IV – analisar e acompanhar, de forma articulada com os demais membros da equipe técnico-administrativa- pedagógica, a execução das estratégias a serem utilizadas pelos professores nos estudos de recuperação e progressão parcial;  V- orientar e acompanhar os processos de classificação e reclassificação de alunos no ensino fundamental;  VI – avaliar continuamente o processo de ensino- aprendizagem vistoriando e assinando os relatórios de avaliação e encaminhando, sempre que necessário, o resultado a direção da escola com vistas à reavaliação e tomada de decisão pela mesma.
  5. 5. AVISOS IMPORTANTES: Planos de aula: Sempre atualizados; Evitar rasuras e atenção aos erros de ortográficos. Atenção aos prazos!
  6. 6. Projetos semestrais: São para serem trabalhados durante todo o semestre. Temas transversais: P.C.N. D.C.N. para o ensino fundamental Deverão ser trabalhados de duas a três vezes por semana.
  7. 7. INTERDISCIPLINARIDADE: O QUE É?COMO FAZER? ;
  8. 8. CONTEXTUALIZAÇÃO: O QUE É? COMO FAZER?  Segundo orientação do Ministério da Educação (MEC), está estruturado sobre os eixos da interdisciplinaridade e da contextualização, sendo que esta última vai exigir que “todo conhecimento tenha como ponto de partida a experiência do estudante, o contexto onde está inserido e onde ele vai atuar como trabalhador, cidadão, um agente ativo de sua comunidade”.  A contextualização também pode ser entendida como um tipo de interdisciplinaridade, na medida em que aponta para o tratamento de certos conteúdos como contexto de outros.
  9. 9.  A idéia da contextualização requer a intervenção ao estudante em todo o processo de aprendizagem, fazendo as conexões entre os conhecimentos. De acordo com o MEC, “esse aluno que estará na vanguarda não será nunca um expectador, um acumulador de conhecimentos, mas um agente transformador de si mesmo e do mundo”.  Trabalhando contextos que tenham significado para o aluno e possam mobilizá-lo a aprender, num processo ativo, em que ele é protagonista, acredita-se que o aluno tenha um envolvimento não só intelectual mas também afetivo. Isso, de acordo com o novo currículo, seria educar para a vida. FONTE: www.educabrasil.com.br
  10. 10. LIVROS DIDÁTICOS:  DEVEM SER USADOS DIARIAMENTE;  NÃO É NECESSÁRIO COPIAR TEXTOS E EXERCÍCIOS NOS PLANOS DE AULA E NO CADERNO DO ALUNO;  AQUELAS UNIDADES QUE AINDA NÃO RECEBERAM OS LIVROS, DEVERÃO ENTRAR EM CONTATO COM A S.M.E.C.E., VIA OFÍCIO;  NÃO PODE ESCREVER NO LIVRO DIDÁTICO, Pois o livro é parte do programa (PNLD) e será usado por 3 anos nas unidades escolares.
  11. 11. RECUPERAÇÃO PARALELA: Recuperação paralela: art. 24, inciso IV, alínea e: “Obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituições de ensino em seus regimentos”; (L.D.B.N. 9394/96);
  12. 12. I.D.E.B.  OS SIMULADOS DEVEM SER APLICADOS CONSTANTEMENTE;  AS AVALIAÇÕES BIMESTRAIS DEVEM SER FEITAS, PREFERENCIALMENTE, COM CARTÃO RESPOSTA;  A PROVA BRASIL É UMA PROPOSTA CONTEXTUALIZADA FOCADA NOS DESCRITORES.  NOSSA META para 2013: É 5.0
  13. 13.  OS DESCRITORES, BEM COMO AS SUGESTÕES RELACIONADAS AOS MESMOS , JÁ ENCONTRAM-SE DISPONÍVEIS NO BLOG DO 4º E 5º ANO.  Será disponibilizado pela S.M.E.C.E. um SIMULADÃO para todas as escolas, deverá ser aplicado na semana de 12 a 16 de agosto  OBSERVAÇÃO:  TODOS OS SIMULADOS, TESTES, PROVAS, TRABALHOS, ENTRE OUTROS, DEVEM SER REVISADOS PELO COORDENADOR ANTES DE SEREM APLICADOS AOS ALUNOS
  14. 14.  MENSAGEM FINAL  AGRADECIMENTOS  Coordenadoras do 4º e 5º ano:  Maria Aparecida, Marinete Santana e Taynara Souto

×