SlideShare uma empresa Scribd logo
Vôlei sentado
APRESENTAÇÃO
Discentes:
Jason Levy Reis de Souza
Mateus Barbosa Machado
Victor Said dos S. Sousa
Victória Benvenuto S. Cabral
Docente: Enobaldo Ataíde
Disciplina: Educação Física II
Tema Geral: Atletismo Inclusivo
Tema Específico: Vôlei Sentado
Turma: 5822 – Unidade II
Curso: Automação Industrial
INTRODUÇÃO
VÔLEI SENTADO
HISTÓRICO
PARAOLIMPÍADAS
ABVP – ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE VÔLEI
SENTADO
CLASSIFICAÇÕES
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL
LES AUTRES
REGRAS
JOGADAS E MOVIMENTOS
CONCLUSÃO
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO
A inclusão de pessoas deficientes na prática de
esporte traz diversos benefícios. O vôlei sentado é um
esporte que possibilita isso, incluindo pessoas com
deficiências diversas na vida esportiva.
OBJETIVO
Serão apresentados as características do Vôlei Sentado,
mostrando como são importantes para o psicológico dessas
pessoas.
O vôlei sentado é uma
adaptação do vôlei
convencional para pessoas
com necessidades especiais.
VÔLEI SENTADO
O Voleibol Sentado surge na Holanda em 1950, sendo
ele uma combinação entre o vôlei tradicional e o
sitzball.
HISTÓRICO
No Brasil o vôlei sentado foi introduzido em 2002 pelo
professor Ronaldo Gonçalves de Oliveira.
HISTÓRICO
Vôlei sentado
ABVP
Incentivador e desenvolvedor do
Vôlei Sentado
Em 2002 é realizada uma
competição
Primeira participação do Brasil
2008
Criado em 2003
Incentivo do Vôlei e seus jogos
Criador :João Batista Carvalho e Silva
Primeira participação do Brasil 2008
ABVP
ABVP
Em 2003 é realizado o Iº Campeonato
Recebe apoio da Tradef e CPB
Equipes Participantes:
ADDESOVI (São Vicente-SP), AMDEFUVE (União da Vitória-PR),
ANDEF (Niterói-RJ), APARU (Uberlândia-MG), CPSP (São Paulo-
SP) e TRADEF (Mogi das Cruzes-SP).
ABVP - Modalidades
Paraolimpíada e o Vôlei Sentado no
Brasil
Primeiros jogos realizados em Roma 1959
Decada de 1960: surgimento de interesses
1976 ocorre o mesmo evento, porém com 1600
atletas com diversas deficiências.
Paraolimpíada e o Vôlei Sentado no
Brasil
Em 1956 o comitê da Holanda cria o voleibol sentado
Em 1967 é criada competições, porém é em 1978 que é
considerado como jogo paraolímpico.
Voleibol Sitzball Vôlei Sentado
Paraolimpíada e o Vôlei Sentado no
Brasil
No Brasil a criação do Volei sentado é recente e com a
formação da ABPV em 2003 foi possivel montar uma equipe
para a primeira participação brasileira no voleibol em 2008,
apenas a equipe masculina.
Vôlei sentado
O Vôlei Paraolímpico agrega uma série de atletas com
diversas necessidades especiais, de modo que, de forma geral,
há duas classificações principais:
CLASSIFICAÇÕES
Amputados
Les Autres
AMPUTADOS
Classe A2
Classe A3
Classe A4
Classe A5
Classe A6
Classe A7
Classe A8
Classe A9
Classe A1 Duplo AK
AK Simples
Duplo BK
BK Simples
Duplo AE
AE Simples
Duplo BE
BE Simples
ACMIS
AK = Acima do Joelho
BK = Abaixo do Joelho
AE = Acima do cotovelo
BE = Abaixo do cotovelo
ADC =
Amputações
combinadas de
membros inferiores e
superiores
Segundo o CPB (2013):
Lesões na medula espinhal;
LES AUTRES
Paralisia cerebral;
Lesões cerebrais;
Acidente vascular cerebral;
De acordo com o CPB (2013) “Em les autres são enquadradas pessoas com
alguma deficiência locomotora”
I. Baseiam-se regras oficiais da Federação Internacional de
Voleibol (FIVB) adotadas pela Confederação Brasileira de Voleibol
(CBV).
II. Praticado sentado,
III. Quadra: 6x10m (zona de ataque 2m),
IV. Altura da Rede: 1,15m masculino e 1,05m feminino (nos Jogos
Escolares TV Sergipe será a altura de rede do masculino)
V. É permitido bloquear e atacar o saque,
REGRAS GERAIS
Segundo o TV SERGIPE (2013):
VI. É proibido o atleta perder o contato dos glúteos no momento
da execução do saque, passe, bloqueio e ataque, salvo exceções
a defesa.
VII. As equipes serão formadas por pessoas de ambos os sexos
independentes do quantitativo.
VIII. QUADRA DE JOGO
REGRAS GERAIS
Os movimentos devem ser feito com o
glúteo fixo ao chão, exceto na defesa.
SAQUE: Inicio da disputa de pontos e os
glúteos não devem tocar na linha de
fundo.
RECEPÇÃO: 1º contato com a Bola, deve
impedir que ela toque o chão.
PASSES E MOVIMENTOS
TOQUE: manipular a bola com
os dedos para passa-la.
MANCHETE: forma de receber a
bola.
LEVANTAMENTO: o objetivo é
posicionar a bola em posição
estratégica para o ataque.
Pode ser feito de 2 formas.
PASSES E MOVIMENTOS
ATAQUE: É o terceiro
contato do time na bola e
consiste em lançar a bola
na quadra adversária e
marcar o ponto.
O movimento Fundamental
de ataque no Vôlei sentado
é a Cortada.
PASSES E MOVIMENTOS
BLOQUEIO: É feito pelos
jogadores de frente.
No voleibol sentado pode -se
bloquear o saque.
Consiste em estender os braços
com o objetivo de mudar a
trajetória da Bola.
DEFESA: Impedir que a bola do
ataque adversário toque na
quadra.
PASSES E MOVIMENTOS
O vôlei sentado, possibilita um mundo de oportunidades
para pessoas com deficiências, contribuindo para sua
independência social. A presença do Professor é
importante, mas padrões estéticos da sociedade
os atrapalham.
CONCLUSÃO
CPB – Comitê Brasileiro Paraolímpico. Voleibol Sentado.
Disponível em: <http://goo.gl/qg2CzI>. Acesso em: 31 de ago de
2013.
TV SERGIPE. Regulamento de voleibol sentado. Sergipe, 1994.
GIOIA, F. M.; SILVA, P. F. R.; PEREIRA, E. G. B. O voleibol
sentado: uma reflexão bibliográfica e histórica. Revista Digital -
Buenos Aires , Ano 13, N° 125, Out de 2008.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
seminariodeficiencia
 
História do Futsal
História do FutsalHistória do Futsal
História do Futsal
Argentino Uebas
 
Atletismo na escola
Atletismo na escolaAtletismo na escola
Atletismo na escola
evandrolhp
 
Lutas
LutasLutas
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasAtletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Prof. Saulo Bezerra
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Jogos pre desportivos na escola
Jogos pre desportivos na escolaJogos pre desportivos na escola
Jogos pre desportivos na escola
evandrolhp
 
Atividade física adaptada
Atividade física adaptadaAtividade física adaptada
Atividade física adaptada
Annalethycia Siqueira
 
Jogos e brincadeiras
Jogos e brincadeirasJogos e brincadeiras
Jogos e brincadeiras
Silvia Arrelaro
 
Jogos paralimpicos
Jogos paralimpicosJogos paralimpicos
Jogos paralimpicos
Professora Fabiana Castro
 
Slides ginástica
Slides ginásticaSlides ginástica
Slides ginástica
Ana Lucia Costa
 
Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
Bruna Telles
 
Cultura corporal
Cultura corporalCultura corporal
Cultura corporal
waldeck
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
Fatima Costa
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
Hugo Ferreira
 
Esportes de aventura e radicais 2º A
Esportes de aventura e radicais 2º AEsportes de aventura e radicais 2º A
Esportes de aventura e radicais 2º A
Abmael Rocha Junior
 
Tênis de mesa na escola
Tênis de mesa na escolaTênis de mesa na escola
Tênis de mesa na escola
evandrolhp
 
Historia da Educação Física
Historia da Educação FísicaHistoria da Educação Física
Historia da Educação Física
Prof. Saulo Bezerra
 
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Joemille Leal
 
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação   Educação Física - primeiro dia de aulaApresentação   Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
Gilson Silva
 

Mais procurados (20)

Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
História do Futsal
História do FutsalHistória do Futsal
História do Futsal
 
Atletismo na escola
Atletismo na escolaAtletismo na escola
Atletismo na escola
 
Lutas
LutasLutas
Lutas
 
Atletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e RegrasAtletismo: História, Modalidades e Regras
Atletismo: História, Modalidades e Regras
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Jogos pre desportivos na escola
Jogos pre desportivos na escolaJogos pre desportivos na escola
Jogos pre desportivos na escola
 
Atividade física adaptada
Atividade física adaptadaAtividade física adaptada
Atividade física adaptada
 
Jogos e brincadeiras
Jogos e brincadeirasJogos e brincadeiras
Jogos e brincadeiras
 
Jogos paralimpicos
Jogos paralimpicosJogos paralimpicos
Jogos paralimpicos
 
Slides ginástica
Slides ginásticaSlides ginástica
Slides ginástica
 
Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
 
Cultura corporal
Cultura corporalCultura corporal
Cultura corporal
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Esportes de aventura e radicais 2º A
Esportes de aventura e radicais 2º AEsportes de aventura e radicais 2º A
Esportes de aventura e radicais 2º A
 
Tênis de mesa na escola
Tênis de mesa na escolaTênis de mesa na escola
Tênis de mesa na escola
 
Historia da Educação Física
Historia da Educação FísicaHistoria da Educação Física
Historia da Educação Física
 
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!
 
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação   Educação Física - primeiro dia de aulaApresentação   Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
 

Semelhante a Vôlei sentado

Educação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptx
Educação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptxEducação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptx
Educação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptx
RomarioCabral1
 
Vôlei sentado
Vôlei sentadoVôlei sentado
Vôlei sentado
Victor Said
 
Voleibol ii
Voleibol iiVoleibol ii
Voleibol ii
Hiderson Marciano
 
voleibolsentado-1.pptx
voleibolsentado-1.pptxvoleibolsentado-1.pptx
voleibolsentado-1.pptx
JooHenrique224
 
Voleibol_20230926_194248_0000.pdf
Voleibol_20230926_194248_0000.pdfVoleibol_20230926_194248_0000.pdf
Voleibol_20230926_194248_0000.pdf
TallytaTelesNunes
 
Histórico e evolução do voleibol
Histórico e evolução do voleibolHistórico e evolução do voleibol
Histórico e evolução do voleibol
Messias Q. França Jr.
 
Educ Física_ Esporte Paraolímpico.pdf
Educ Física_ Esporte Paraolímpico.pdfEduc Física_ Esporte Paraolímpico.pdf
Educ Física_ Esporte Paraolímpico.pdf
JasmimFlor
 
impulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdf
impulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdfimpulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdf
impulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdf
AnaVirgnia14
 
Desporto paraolímpico
Desporto paraolímpicoDesporto paraolímpico
Desporto paraolímpico
Joaorib
 
TRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDE
TRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDETRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDE
TRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDE
Carla Fernandes
 
Ginastica de Solo - UFAC
Ginastica de Solo - UFACGinastica de Solo - UFAC
Ginastica de Solo - UFAC
Eridhonson Oliveira
 
Trabalho Desporto Para Deficientes Ana Filipa Paradelo
Trabalho Desporto Para Deficientes   Ana Filipa ParadeloTrabalho Desporto Para Deficientes   Ana Filipa Paradelo
Trabalho Desporto Para Deficientes Ana Filipa Paradelo
fibutterfly
 
Jogos paraolimpico
Jogos paraolimpicoJogos paraolimpico
Jogos paraolimpico
Esther suelem
 
1º Ano E.M
1º Ano E.M1º Ano E.M
1º Ano E.M
labuique
 
CURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptx
CURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptxCURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptx
CURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptx
EveraldoSantos49
 
Voleibol.docx
Voleibol.docxVoleibol.docx
Voleibol.docx
Sílvio Cardoso
 
1simulado educacao fisica
1simulado educacao fisica1simulado educacao fisica
1simulado educacao fisica
vinicius_lyma
 
Articulação vertical e horizontal ef (1)
Articulação vertical e horizontal   ef (1)Articulação vertical e horizontal   ef (1)
Articulação vertical e horizontal ef (1)
AMG Sobrenome
 
Trabalho(1)
Trabalho(1)Trabalho(1)
Trabalho(1)
ginasticapne
 
Trabalho(1)
Trabalho(1)Trabalho(1)
Trabalho(1)
ginasticapne
 

Semelhante a Vôlei sentado (20)

Educação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptx
Educação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptxEducação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptx
Educação-física-apostila-de-voleibol-CBP.pptx
 
Vôlei sentado
Vôlei sentadoVôlei sentado
Vôlei sentado
 
Voleibol ii
Voleibol iiVoleibol ii
Voleibol ii
 
voleibolsentado-1.pptx
voleibolsentado-1.pptxvoleibolsentado-1.pptx
voleibolsentado-1.pptx
 
Voleibol_20230926_194248_0000.pdf
Voleibol_20230926_194248_0000.pdfVoleibol_20230926_194248_0000.pdf
Voleibol_20230926_194248_0000.pdf
 
Histórico e evolução do voleibol
Histórico e evolução do voleibolHistórico e evolução do voleibol
Histórico e evolução do voleibol
 
Educ Física_ Esporte Paraolímpico.pdf
Educ Física_ Esporte Paraolímpico.pdfEduc Física_ Esporte Paraolímpico.pdf
Educ Física_ Esporte Paraolímpico.pdf
 
impulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdf
impulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdfimpulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdf
impulsiona-2018.12-voleibolsentado-1.pdf
 
Desporto paraolímpico
Desporto paraolímpicoDesporto paraolímpico
Desporto paraolímpico
 
TRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDE
TRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDETRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDE
TRABALHO COLABORATIVO AUTORAL SOBRE ESPORTES E SAÚDE
 
Ginastica de Solo - UFAC
Ginastica de Solo - UFACGinastica de Solo - UFAC
Ginastica de Solo - UFAC
 
Trabalho Desporto Para Deficientes Ana Filipa Paradelo
Trabalho Desporto Para Deficientes   Ana Filipa ParadeloTrabalho Desporto Para Deficientes   Ana Filipa Paradelo
Trabalho Desporto Para Deficientes Ana Filipa Paradelo
 
Jogos paraolimpico
Jogos paraolimpicoJogos paraolimpico
Jogos paraolimpico
 
1º Ano E.M
1º Ano E.M1º Ano E.M
1º Ano E.M
 
CURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptx
CURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptxCURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptx
CURSO DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL - SOUSA - 2020 - Cópia.pptx
 
Voleibol.docx
Voleibol.docxVoleibol.docx
Voleibol.docx
 
1simulado educacao fisica
1simulado educacao fisica1simulado educacao fisica
1simulado educacao fisica
 
Articulação vertical e horizontal ef (1)
Articulação vertical e horizontal   ef (1)Articulação vertical e horizontal   ef (1)
Articulação vertical e horizontal ef (1)
 
Trabalho(1)
Trabalho(1)Trabalho(1)
Trabalho(1)
 
Trabalho(1)
Trabalho(1)Trabalho(1)
Trabalho(1)
 

Mais de Victor Said

Relatório sistema nervoso
Relatório sistema nervoso Relatório sistema nervoso
Relatório sistema nervoso
Victor Said
 
História das pilhas
História das pilhasHistória das pilhas
História das pilhas
Victor Said
 
Análise da obra Capitães de Areia
Análise da obra Capitães de AreiaAnálise da obra Capitães de Areia
Análise da obra Capitães de Areia
Victor Said
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
Victor Said
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Victor Said
 
A revolução de 30 no Brasil
A revolução de 30 no BrasilA revolução de 30 no Brasil
A revolução de 30 no Brasil
Victor Said
 
A revolução do cangaço
A revolução do cangaçoA revolução do cangaço
A revolução do cangaço
Victor Said
 
Camponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDO
Camponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDOCamponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDO
Camponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDO
Victor Said
 
Teorema de Nernst - terceira lei da termodinâmica
Teorema de Nernst - terceira lei da termodinâmicaTeorema de Nernst - terceira lei da termodinâmica
Teorema de Nernst - terceira lei da termodinâmica
Victor Said
 
Relatório termometria
Relatório termometriaRelatório termometria
Relatório termometria
Victor Said
 
Relatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicosRelatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicos
Victor Said
 
Relatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicosRelatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicos
Victor Said
 
Relatório ensaios em transformadores
Relatório ensaios em transformadoresRelatório ensaios em transformadores
Relatório ensaios em transformadores
Victor Said
 
Relatório tipos de geração de energia
Relatório tipos de geração de energiaRelatório tipos de geração de energia
Relatório tipos de geração de energia
Victor Said
 
Relatório diodos
Relatório diodos Relatório diodos
Relatório diodos
Victor Said
 
Relatório transformadores elétricos
Relatório transformadores elétricosRelatório transformadores elétricos
Relatório transformadores elétricos
Victor Said
 
Relatório Visita técnica a Xingó
Relatório Visita técnica a XingóRelatório Visita técnica a Xingó
Relatório Visita técnica a Xingó
Victor Said
 
Relatório calibragem de válvulas
Relatório calibragem de válvulasRelatório calibragem de válvulas
Relatório calibragem de válvulas
Victor Said
 
Relatório calibragem de posicionador
Relatório calibragem de posicionadorRelatório calibragem de posicionador
Relatório calibragem de posicionador
Victor Said
 
Desastre de Bhopal
Desastre de BhopalDesastre de Bhopal
Desastre de Bhopal
Victor Said
 

Mais de Victor Said (20)

Relatório sistema nervoso
Relatório sistema nervoso Relatório sistema nervoso
Relatório sistema nervoso
 
História das pilhas
História das pilhasHistória das pilhas
História das pilhas
 
Análise da obra Capitães de Areia
Análise da obra Capitães de AreiaAnálise da obra Capitães de Areia
Análise da obra Capitães de Areia
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
A revolução de 30 no Brasil
A revolução de 30 no BrasilA revolução de 30 no Brasil
A revolução de 30 no Brasil
 
A revolução do cangaço
A revolução do cangaçoA revolução do cangaço
A revolução do cangaço
 
Camponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDO
Camponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDOCamponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDO
Camponeses: A QUESTÃO DA AGRICULTURA NO BRASIL E NO MUNDO
 
Teorema de Nernst - terceira lei da termodinâmica
Teorema de Nernst - terceira lei da termodinâmicaTeorema de Nernst - terceira lei da termodinâmica
Teorema de Nernst - terceira lei da termodinâmica
 
Relatório termometria
Relatório termometriaRelatório termometria
Relatório termometria
 
Relatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicosRelatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicos
 
Relatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicosRelatório motores monofásicos
Relatório motores monofásicos
 
Relatório ensaios em transformadores
Relatório ensaios em transformadoresRelatório ensaios em transformadores
Relatório ensaios em transformadores
 
Relatório tipos de geração de energia
Relatório tipos de geração de energiaRelatório tipos de geração de energia
Relatório tipos de geração de energia
 
Relatório diodos
Relatório diodos Relatório diodos
Relatório diodos
 
Relatório transformadores elétricos
Relatório transformadores elétricosRelatório transformadores elétricos
Relatório transformadores elétricos
 
Relatório Visita técnica a Xingó
Relatório Visita técnica a XingóRelatório Visita técnica a Xingó
Relatório Visita técnica a Xingó
 
Relatório calibragem de válvulas
Relatório calibragem de válvulasRelatório calibragem de válvulas
Relatório calibragem de válvulas
 
Relatório calibragem de posicionador
Relatório calibragem de posicionadorRelatório calibragem de posicionador
Relatório calibragem de posicionador
 
Desastre de Bhopal
Desastre de BhopalDesastre de Bhopal
Desastre de Bhopal
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

Vôlei sentado

  • 2. APRESENTAÇÃO Discentes: Jason Levy Reis de Souza Mateus Barbosa Machado Victor Said dos S. Sousa Victória Benvenuto S. Cabral Docente: Enobaldo Ataíde Disciplina: Educação Física II Tema Geral: Atletismo Inclusivo Tema Específico: Vôlei Sentado Turma: 5822 – Unidade II Curso: Automação Industrial
  • 3. INTRODUÇÃO VÔLEI SENTADO HISTÓRICO PARAOLIMPÍADAS ABVP – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE VÔLEI SENTADO CLASSIFICAÇÕES CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL LES AUTRES REGRAS JOGADAS E MOVIMENTOS CONCLUSÃO SUMÁRIO
  • 4. INTRODUÇÃO A inclusão de pessoas deficientes na prática de esporte traz diversos benefícios. O vôlei sentado é um esporte que possibilita isso, incluindo pessoas com deficiências diversas na vida esportiva. OBJETIVO Serão apresentados as características do Vôlei Sentado, mostrando como são importantes para o psicológico dessas pessoas.
  • 5. O vôlei sentado é uma adaptação do vôlei convencional para pessoas com necessidades especiais. VÔLEI SENTADO
  • 6. O Voleibol Sentado surge na Holanda em 1950, sendo ele uma combinação entre o vôlei tradicional e o sitzball. HISTÓRICO
  • 7. No Brasil o vôlei sentado foi introduzido em 2002 pelo professor Ronaldo Gonçalves de Oliveira. HISTÓRICO
  • 9. ABVP Incentivador e desenvolvedor do Vôlei Sentado Em 2002 é realizada uma competição Primeira participação do Brasil 2008
  • 10. Criado em 2003 Incentivo do Vôlei e seus jogos Criador :João Batista Carvalho e Silva Primeira participação do Brasil 2008 ABVP
  • 11. ABVP Em 2003 é realizado o Iº Campeonato Recebe apoio da Tradef e CPB Equipes Participantes: ADDESOVI (São Vicente-SP), AMDEFUVE (União da Vitória-PR), ANDEF (Niterói-RJ), APARU (Uberlândia-MG), CPSP (São Paulo- SP) e TRADEF (Mogi das Cruzes-SP).
  • 13. Paraolimpíada e o Vôlei Sentado no Brasil Primeiros jogos realizados em Roma 1959 Decada de 1960: surgimento de interesses 1976 ocorre o mesmo evento, porém com 1600 atletas com diversas deficiências.
  • 14. Paraolimpíada e o Vôlei Sentado no Brasil Em 1956 o comitê da Holanda cria o voleibol sentado Em 1967 é criada competições, porém é em 1978 que é considerado como jogo paraolímpico. Voleibol Sitzball Vôlei Sentado
  • 15. Paraolimpíada e o Vôlei Sentado no Brasil No Brasil a criação do Volei sentado é recente e com a formação da ABPV em 2003 foi possivel montar uma equipe para a primeira participação brasileira no voleibol em 2008, apenas a equipe masculina.
  • 17. O Vôlei Paraolímpico agrega uma série de atletas com diversas necessidades especiais, de modo que, de forma geral, há duas classificações principais: CLASSIFICAÇÕES Amputados Les Autres
  • 18. AMPUTADOS Classe A2 Classe A3 Classe A4 Classe A5 Classe A6 Classe A7 Classe A8 Classe A9 Classe A1 Duplo AK AK Simples Duplo BK BK Simples Duplo AE AE Simples Duplo BE BE Simples ACMIS AK = Acima do Joelho BK = Abaixo do Joelho AE = Acima do cotovelo BE = Abaixo do cotovelo ADC = Amputações combinadas de membros inferiores e superiores Segundo o CPB (2013):
  • 19. Lesões na medula espinhal; LES AUTRES Paralisia cerebral; Lesões cerebrais; Acidente vascular cerebral; De acordo com o CPB (2013) “Em les autres são enquadradas pessoas com alguma deficiência locomotora”
  • 20. I. Baseiam-se regras oficiais da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) adotadas pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). II. Praticado sentado, III. Quadra: 6x10m (zona de ataque 2m), IV. Altura da Rede: 1,15m masculino e 1,05m feminino (nos Jogos Escolares TV Sergipe será a altura de rede do masculino) V. É permitido bloquear e atacar o saque, REGRAS GERAIS Segundo o TV SERGIPE (2013):
  • 21. VI. É proibido o atleta perder o contato dos glúteos no momento da execução do saque, passe, bloqueio e ataque, salvo exceções a defesa. VII. As equipes serão formadas por pessoas de ambos os sexos independentes do quantitativo. VIII. QUADRA DE JOGO REGRAS GERAIS
  • 22. Os movimentos devem ser feito com o glúteo fixo ao chão, exceto na defesa. SAQUE: Inicio da disputa de pontos e os glúteos não devem tocar na linha de fundo. RECEPÇÃO: 1º contato com a Bola, deve impedir que ela toque o chão. PASSES E MOVIMENTOS
  • 23. TOQUE: manipular a bola com os dedos para passa-la. MANCHETE: forma de receber a bola. LEVANTAMENTO: o objetivo é posicionar a bola em posição estratégica para o ataque. Pode ser feito de 2 formas. PASSES E MOVIMENTOS
  • 24. ATAQUE: É o terceiro contato do time na bola e consiste em lançar a bola na quadra adversária e marcar o ponto. O movimento Fundamental de ataque no Vôlei sentado é a Cortada. PASSES E MOVIMENTOS
  • 25. BLOQUEIO: É feito pelos jogadores de frente. No voleibol sentado pode -se bloquear o saque. Consiste em estender os braços com o objetivo de mudar a trajetória da Bola. DEFESA: Impedir que a bola do ataque adversário toque na quadra. PASSES E MOVIMENTOS
  • 26. O vôlei sentado, possibilita um mundo de oportunidades para pessoas com deficiências, contribuindo para sua independência social. A presença do Professor é importante, mas padrões estéticos da sociedade os atrapalham. CONCLUSÃO
  • 27. CPB – Comitê Brasileiro Paraolímpico. Voleibol Sentado. Disponível em: <http://goo.gl/qg2CzI>. Acesso em: 31 de ago de 2013. TV SERGIPE. Regulamento de voleibol sentado. Sergipe, 1994. GIOIA, F. M.; SILVA, P. F. R.; PEREIRA, E. G. B. O voleibol sentado: uma reflexão bibliográfica e histórica. Revista Digital - Buenos Aires , Ano 13, N° 125, Out de 2008. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS