SlideShare uma empresa Scribd logo
Uso de Bioindicadores de
Qualidade Ambiental
Prof. William Costa Rodrigues
Dr. Agronomia / Editor-Chefe da EntomoBrasilis
Aspectos Gerais
• Biomonitoramento
– Uso de métodos biológicos para a avaliação da
ação antropogênica sobre o ambiente visando
avaliar a qualidade ambiental.
• Bioindicadores
– Espécie ou grupo de espécies com requerimentos
ambientais conhecidos e que respondem a
alterações em seu habitat com mudanças em sua
abundância, morfologia, fisiologia, ou
comportamento.
Aspectos Gerais
• Indicadoras de saúde ambiental: apontam
efeitos poluentes ou efeitos ambientais que
afetam a saúde. Exemplo: Plantas filtradores
capazes de acumular poluentes.
Contaminação das Águas
• Despejo de Esgoto Doméstico;
• Despejo Industrial (Não tratado);
• Emissões Atmosféricas:
– Automóveis de passeio;
– Transporte coletivo;
– Transporte aéreo;
– Transporte de carga.
Solo
Leito Rochoso
Lençol Freático
Fonte de Contaminação
Contaminação Ambiental
Contaminação do Ar
• Emissões Atmosféricas:
– Automóveis de passeio;
– Transporte coletivo;
– Transporte aéreo;
– Transporte de carga;
• Indústria
POLUIÇÃO QUE NINGUÉM VÊ
A Poluição Que Ninguém Vê
• Suspeita-se que o contato com a água com excesso de
hormônios esteja antecipando a menstruação das
meninas;
• Poderia deixar os homens mais femininos e até causar
câncer;
• Modificações anatômicas sérias em animais que vivem
em regiões com água contaminada;
• Cetáceos como golfinhos e baleias estão contaminados
e foram descritas mutações em moluscos e crustáceos;
• São modificações que podem comprometer a
reprodução de uma espécie e causar até mesmo sua
extinção.
A Poluição Que Ninguém Vê
• Poluição transforma rãs machos em fêmeas
(Environmental Toxicology and Chemistry)
– Hormônios femininos sintéticos encontrados em
pesticida.
– Duas espécies diferentes de rãs foram expostas a
níveis de estrogênio semelhantes aos encontrados
em águas da Europa, Estados Unidos e Canadá, no
laboratório da Universidade de Uppsala, na
Suécia.
A Poluição Que Ninguém Vê
– As fêmeas representavam menos de 50% da
população de cada uma das espécies, mas a
proporção mudou de forma significativa nas rãs,
separadas em três grupos e expostas a diferentes
níveis de estrogênio.
– O número de girinos a se transformar em fêmeas
entre os que foram expostos à menor concentração
de hormônio em um dos três grupos foi duas vezes
maior.
– Nos outros dois grupos, expostos a níveis mais altos
de estrogênio, as rãs viraram fêmeas em 95% no
primeiro grupo e em 100% no outro.
BIOINDICADORES
Bioindicadores
• Plantas;
– Cebola;
– Tabaco;
– Trapoeraba e etc
• Animais
– Insetos;
– Crustáceos;
– Oligoquetos (minhocas) e etc.
Plantas Bioindicadoras
• Plantas como bioindicadores
– Bioindicadoras – plantas que apresentam sintomas visíveis como
necroses, cloroses e distúrbios fisiológicos, tais como redução no
crescimento, redução no número e diâmetro das flores.
A
B
A. Nicotiana tabacum ‘Bel W3’ e B. Ipomea tricolor apresentam sintomas visíveis e são
consideradas bioindicadoras de O3.
Plantas Bioindicadoras
• Plantas como bioindicadores
– Biosensoras – plantas que reagem aos efeitos dos poluentes aéreos
com efeitos não visíveis, apresentando alterações moleculares,
celulares, fisiológicas e bioquímicas.
Plantas Bioindicadoras
• Plantas como bioindicadores
– Bioacumuladoras – plantas que também não apresentam sintomas
visíveis, e são menos sensíveis aos poluentes aéreos, porém
acumulam partículas de poeira e gases dentro dos seus tecidos
Plantas Bioindicadoras
• Plantas como bioindicadores
– Biointegradoras – aquelas que indicam o impacto da poluição por
intermédio do aparecimento, desaparecimento ou mudança na
densidade da população ou até de comunidades
Plantas Bioindicadoras
• Plantas como bioindicadores
– Diferentes tipos de sintomas
visíveis nas folhas de plantas
submetidas ao ozônio. A.
Clematis spp. – manchas
rosadas na superfície
superior. B. Philadelphus
coronarius (Celinda) –
necroses na superfície
superior. C. Fraxinus excelsior
(Feixo) – manchas bronzeadas
na superfície inferior. D. Pinus
halepensis (pinheiro-do-
alepo) – clorose na superfície
superior.
Clorose
Alguns Bioindicadores
Alguns Bioindicadores
CEBOLA COMO BIOINDICADOR
AMBIENTAL
Cebola como Bioindicador
Cebola como Bioindicador
Cebola como Bioindicador
Cebola como Bioindicador
Água Potável Água Contaminada
Cebola como Bioindicador
Água Potável Água Contaminada
Cebolas como Bioindicadores
• Indica:
– Alteração da qualidade da água;
– Presença de substância carcinogênicas;
– Presença de metais pesados.
• De que forma:
– Presença de distúrbio no crescimento radicular;
– Presença de células neoplásica;
– Presença de alteração fisiológica e morfológica.
Obrigado!!!
wcrodrigues@ebras.bio.br
www.periodico.ebras.bio.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ciclo do Nitrogênio
Ciclo do NitrogênioCiclo do Nitrogênio
Ciclo do Nitrogênio
Hortencia Souza
 
Microrganismos bioindicadores
Microrganismos bioindicadoresMicrorganismos bioindicadores
Microrganismos bioindicadores
Érica Alves
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
Gov. Estado do Paraná
 
Quimica ambiental
Quimica ambientalQuimica ambiental
Quimica ambiental
Paulo Vaz
 
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOSCLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
Mayke Jhonatha
 
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e sementeV.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
Rebeca Vale
 
Aula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMCAula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMC
proftstsergioetm
 
Gerenciamento de Resíduos
Gerenciamento de ResíduosGerenciamento de Resíduos
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)
Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)
Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)
lenilson marinho barbosa
 
Botanica geral i grupos vegetais ppt
Botanica geral i  grupos vegetais pptBotanica geral i  grupos vegetais ppt
Botanica geral i grupos vegetais ppt
Andre Luiz Nascimento
 
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Ibá – Indústria Brasileira de Árvores
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 
Bioindicadores de qualidade ambiental ii
Bioindicadores de qualidade ambiental iiBioindicadores de qualidade ambiental ii
Bioindicadores de qualidade ambiental ii
Filgueira Nogueira
 
Bacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elasBacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elas
Evandro Batista
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
Ronaldo Professorr
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007
Giovani de Oliveira Arieira
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 

Mais procurados (20)

Ciclo do Nitrogênio
Ciclo do NitrogênioCiclo do Nitrogênio
Ciclo do Nitrogênio
 
Microrganismos bioindicadores
Microrganismos bioindicadoresMicrorganismos bioindicadores
Microrganismos bioindicadores
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Quimica ambiental
Quimica ambientalQuimica ambiental
Quimica ambiental
 
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOSCLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
 
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e sementeV.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
 
Aula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMCAula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMC
 
Gerenciamento de Resíduos
Gerenciamento de ResíduosGerenciamento de Resíduos
Gerenciamento de Resíduos
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)
Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)
Microrganismos e o tratamento de efluentes (1) (2)
 
Botanica geral i grupos vegetais ppt
Botanica geral i  grupos vegetais pptBotanica geral i  grupos vegetais ppt
Botanica geral i grupos vegetais ppt
 
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
Bioindicadores de qualidade ambiental ii
Bioindicadores de qualidade ambiental iiBioindicadores de qualidade ambiental ii
Bioindicadores de qualidade ambiental ii
 
Bacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elasBacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elas
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 007
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 

Destaque

Biomarcadores y bioindicadores
Biomarcadores y bioindicadoresBiomarcadores y bioindicadores
Biomarcadores y bioindicadores
ANIBAL1987
 
Bioindicadores
BioindicadoresBioindicadores
Bioindicadores
Myris Silva
 
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental ivBioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
Filgueira Nogueira
 
Bioindicadores
BioindicadoresBioindicadores
Bioindicadores
colegiomb
 
10. índices e indicadores ambientais
10. índices e indicadores ambientais10. índices e indicadores ambientais
10. índices e indicadores ambientais
Virna Salgado Barra
 
Bioindicadores del Agua
Bioindicadores del AguaBioindicadores del Agua
Bioindicadores del Agua
David Aguilera
 
Indicadores ambientais
Indicadores ambientaisIndicadores ambientais
Indicadores ambientais
Caetana Coevas
 
Bioindicadores de la calidad del agua
Bioindicadores de la calidad del aguaBioindicadores de la calidad del agua
Bioindicadores de la calidad del agua
Nieves Sepulveda
 
Indicadores de qualidade ambiental e produtividade
Indicadores de qualidade ambiental e produtividadeIndicadores de qualidade ambiental e produtividade
Indicadores de qualidade ambiental e produtividade
Marcelo Venturi
 
Especies bioindicadoras
Especies bioindicadorasEspecies bioindicadoras
Especies bioindicadoras
delmaliceo3
 
Bioindicadores de qualidade ambiental v
Bioindicadores de qualidade ambiental vBioindicadores de qualidade ambiental v
Bioindicadores de qualidade ambiental v
Filgueira Nogueira
 
4 medición de la calidad biótica de las aguas
4 medición de la calidad biótica de las aguas4 medición de la calidad biótica de las aguas
4 medición de la calidad biótica de las aguas
llica
 
Microrganismos indicadores da qualidade da água
Microrganismos indicadores da qualidade da águaMicrorganismos indicadores da qualidade da água
Microrganismos indicadores da qualidade da água
João Marcos Galúcio
 
Bioindicadores de qualidade ambiental iii
Bioindicadores de qualidade ambiental iiiBioindicadores de qualidade ambiental iii
Bioindicadores de qualidade ambiental iii
Filgueira Nogueira
 
Indicadores Biológicos da qualidade da água
Indicadores Biológicos da qualidade da águaIndicadores Biológicos da qualidade da água
Indicadores Biológicos da qualidade da água
Pedro Phalesia
 
Líquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanos
Líquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanosLíquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanos
Líquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanos
Adriana Heloisa
 
Trabajo colectivo ecologia bioindicadores
Trabajo colectivo ecologia bioindicadoresTrabajo colectivo ecologia bioindicadores
Trabajo colectivo ecologia bioindicadores
Silvia Gomez
 
Insetos como indicadores de qualidade ambiental
Insetos como indicadores de qualidade ambientalInsetos como indicadores de qualidade ambiental
Insetos como indicadores de qualidade ambiental
William Rodrigues
 
Projeto seminarios
Projeto seminarios Projeto seminarios
Projeto seminarios
Adriana Costa
 
Poluição no douro muda sexo dos peixes
Poluição no douro muda sexo dos peixesPoluição no douro muda sexo dos peixes
Poluição no douro muda sexo dos peixes
Carina Ventura
 

Destaque (20)

Biomarcadores y bioindicadores
Biomarcadores y bioindicadoresBiomarcadores y bioindicadores
Biomarcadores y bioindicadores
 
Bioindicadores
BioindicadoresBioindicadores
Bioindicadores
 
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental ivBioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
 
Bioindicadores
BioindicadoresBioindicadores
Bioindicadores
 
10. índices e indicadores ambientais
10. índices e indicadores ambientais10. índices e indicadores ambientais
10. índices e indicadores ambientais
 
Bioindicadores del Agua
Bioindicadores del AguaBioindicadores del Agua
Bioindicadores del Agua
 
Indicadores ambientais
Indicadores ambientaisIndicadores ambientais
Indicadores ambientais
 
Bioindicadores de la calidad del agua
Bioindicadores de la calidad del aguaBioindicadores de la calidad del agua
Bioindicadores de la calidad del agua
 
Indicadores de qualidade ambiental e produtividade
Indicadores de qualidade ambiental e produtividadeIndicadores de qualidade ambiental e produtividade
Indicadores de qualidade ambiental e produtividade
 
Especies bioindicadoras
Especies bioindicadorasEspecies bioindicadoras
Especies bioindicadoras
 
Bioindicadores de qualidade ambiental v
Bioindicadores de qualidade ambiental vBioindicadores de qualidade ambiental v
Bioindicadores de qualidade ambiental v
 
4 medición de la calidad biótica de las aguas
4 medición de la calidad biótica de las aguas4 medición de la calidad biótica de las aguas
4 medición de la calidad biótica de las aguas
 
Microrganismos indicadores da qualidade da água
Microrganismos indicadores da qualidade da águaMicrorganismos indicadores da qualidade da água
Microrganismos indicadores da qualidade da água
 
Bioindicadores de qualidade ambiental iii
Bioindicadores de qualidade ambiental iiiBioindicadores de qualidade ambiental iii
Bioindicadores de qualidade ambiental iii
 
Indicadores Biológicos da qualidade da água
Indicadores Biológicos da qualidade da águaIndicadores Biológicos da qualidade da água
Indicadores Biológicos da qualidade da água
 
Líquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanos
Líquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanosLíquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanos
Líquens como bioindicadores qualidade do ar em centros urbanos
 
Trabajo colectivo ecologia bioindicadores
Trabajo colectivo ecologia bioindicadoresTrabajo colectivo ecologia bioindicadores
Trabajo colectivo ecologia bioindicadores
 
Insetos como indicadores de qualidade ambiental
Insetos como indicadores de qualidade ambientalInsetos como indicadores de qualidade ambiental
Insetos como indicadores de qualidade ambiental
 
Projeto seminarios
Projeto seminarios Projeto seminarios
Projeto seminarios
 
Poluição no douro muda sexo dos peixes
Poluição no douro muda sexo dos peixesPoluição no douro muda sexo dos peixes
Poluição no douro muda sexo dos peixes
 

Semelhante a Uso de Bioindicadores de Qualidade Ambiental

Gestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptx
Gestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptxGestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptx
Gestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptx
Leonardo Maciel
 
Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuáriasTratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias
Ana Carolina
 
Microbiologia de Alimentos
Microbiologia de AlimentosMicrobiologia de Alimentos
Microbiologia de Alimentos
LORRANE BRANDÃO
 
Toxicologia e compostos orgânicos
Toxicologia e compostos orgânicosToxicologia e compostos orgânicos
Toxicologia e compostos orgânicos
Priscila Oliveira Boralho
 
Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)
Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)
Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)
Cleberton Correia Santos
 
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetaisFitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
FREDY TELLO
 
Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza
Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza  Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza
Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza
Viviane Bernardes dos Santos Miranda
 
Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose
Raví Emanoel de Melo
 
Aula ecologia
Aula ecologiaAula ecologia
Aula ecologia
Michele Moreira
 
Ppt -os_reinos_da_vida
Ppt  -os_reinos_da_vidaPpt  -os_reinos_da_vida
Ppt -os_reinos_da_vida
silvia_lfr
 
Seminario ecologia
Seminario ecologiaSeminario ecologia
Seminario ecologia
Railson Bulcão
 
Biodiversidade & Consumo
Biodiversidade & ConsumoBiodiversidade & Consumo
Biodiversidade & Consumo
Paula Lopes da Silva
 
Agrotóxicos cópia
Agrotóxicos   cópiaAgrotóxicos   cópia
Agrotóxicos cópia
Camilly Isabel
 
Perguntem aos líquenes.pdf
Perguntem aos líquenes.pdfPerguntem aos líquenes.pdf
Perguntem aos líquenes.pdf
claudiaromao4
 
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
Leonor Vaz Pereira
 
Silvia Puc Salvador Microoganismos
Silvia Puc Salvador MicrooganismosSilvia Puc Salvador Microoganismos
Silvia Puc Salvador Microoganismos
PEDRO PACHECO
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Apres a1 abes-es
Apres a1  abes-esApres a1  abes-es
Apres a1 abes-es
SERVIO TULIO CASSINI
 
Apostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantasApostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantas
Instituto Superior Politecnico de Manica
 
Apostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantasApostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantas
Instituto Superior Politecnico de Manica (ISPM)
 

Semelhante a Uso de Bioindicadores de Qualidade Ambiental (20)

Gestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptx
Gestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptxGestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptx
Gestão Ambiental Aula_Bioindicadores_IFPE.pptx
 
Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuáriasTratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias
 
Microbiologia de Alimentos
Microbiologia de AlimentosMicrobiologia de Alimentos
Microbiologia de Alimentos
 
Toxicologia e compostos orgânicos
Toxicologia e compostos orgânicosToxicologia e compostos orgânicos
Toxicologia e compostos orgânicos
 
Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)
Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)
Ecotoxicolgia 05.10.2009 (neide)
 
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetaisFitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
 
Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza
Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza  Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza
Aula toxicologia aplicada a conservação da natureza
 
Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose
 
Aula ecologia
Aula ecologiaAula ecologia
Aula ecologia
 
Ppt -os_reinos_da_vida
Ppt  -os_reinos_da_vidaPpt  -os_reinos_da_vida
Ppt -os_reinos_da_vida
 
Seminario ecologia
Seminario ecologiaSeminario ecologia
Seminario ecologia
 
Biodiversidade & Consumo
Biodiversidade & ConsumoBiodiversidade & Consumo
Biodiversidade & Consumo
 
Agrotóxicos cópia
Agrotóxicos   cópiaAgrotóxicos   cópia
Agrotóxicos cópia
 
Perguntem aos líquenes.pdf
Perguntem aos líquenes.pdfPerguntem aos líquenes.pdf
Perguntem aos líquenes.pdf
 
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
 
Silvia Puc Salvador Microoganismos
Silvia Puc Salvador MicrooganismosSilvia Puc Salvador Microoganismos
Silvia Puc Salvador Microoganismos
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Apres a1 abes-es
Apres a1  abes-esApres a1  abes-es
Apres a1 abes-es
 
Apostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantasApostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantas
 
Apostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantasApostila inventario de plantas
Apostila inventario de plantas
 

Uso de Bioindicadores de Qualidade Ambiental

  • 1. Uso de Bioindicadores de Qualidade Ambiental Prof. William Costa Rodrigues Dr. Agronomia / Editor-Chefe da EntomoBrasilis
  • 2. Aspectos Gerais • Biomonitoramento – Uso de métodos biológicos para a avaliação da ação antropogênica sobre o ambiente visando avaliar a qualidade ambiental. • Bioindicadores – Espécie ou grupo de espécies com requerimentos ambientais conhecidos e que respondem a alterações em seu habitat com mudanças em sua abundância, morfologia, fisiologia, ou comportamento.
  • 3. Aspectos Gerais • Indicadoras de saúde ambiental: apontam efeitos poluentes ou efeitos ambientais que afetam a saúde. Exemplo: Plantas filtradores capazes de acumular poluentes.
  • 4. Contaminação das Águas • Despejo de Esgoto Doméstico; • Despejo Industrial (Não tratado); • Emissões Atmosféricas: – Automóveis de passeio; – Transporte coletivo; – Transporte aéreo; – Transporte de carga.
  • 6.
  • 8. Contaminação do Ar • Emissões Atmosféricas: – Automóveis de passeio; – Transporte coletivo; – Transporte aéreo; – Transporte de carga; • Indústria
  • 10.
  • 11. A Poluição Que Ninguém Vê • Suspeita-se que o contato com a água com excesso de hormônios esteja antecipando a menstruação das meninas; • Poderia deixar os homens mais femininos e até causar câncer; • Modificações anatômicas sérias em animais que vivem em regiões com água contaminada; • Cetáceos como golfinhos e baleias estão contaminados e foram descritas mutações em moluscos e crustáceos; • São modificações que podem comprometer a reprodução de uma espécie e causar até mesmo sua extinção.
  • 12. A Poluição Que Ninguém Vê • Poluição transforma rãs machos em fêmeas (Environmental Toxicology and Chemistry) – Hormônios femininos sintéticos encontrados em pesticida. – Duas espécies diferentes de rãs foram expostas a níveis de estrogênio semelhantes aos encontrados em águas da Europa, Estados Unidos e Canadá, no laboratório da Universidade de Uppsala, na Suécia.
  • 13. A Poluição Que Ninguém Vê – As fêmeas representavam menos de 50% da população de cada uma das espécies, mas a proporção mudou de forma significativa nas rãs, separadas em três grupos e expostas a diferentes níveis de estrogênio. – O número de girinos a se transformar em fêmeas entre os que foram expostos à menor concentração de hormônio em um dos três grupos foi duas vezes maior. – Nos outros dois grupos, expostos a níveis mais altos de estrogênio, as rãs viraram fêmeas em 95% no primeiro grupo e em 100% no outro.
  • 15. Bioindicadores • Plantas; – Cebola; – Tabaco; – Trapoeraba e etc • Animais – Insetos; – Crustáceos; – Oligoquetos (minhocas) e etc.
  • 16. Plantas Bioindicadoras • Plantas como bioindicadores – Bioindicadoras – plantas que apresentam sintomas visíveis como necroses, cloroses e distúrbios fisiológicos, tais como redução no crescimento, redução no número e diâmetro das flores. A B A. Nicotiana tabacum ‘Bel W3’ e B. Ipomea tricolor apresentam sintomas visíveis e são consideradas bioindicadoras de O3.
  • 17. Plantas Bioindicadoras • Plantas como bioindicadores – Biosensoras – plantas que reagem aos efeitos dos poluentes aéreos com efeitos não visíveis, apresentando alterações moleculares, celulares, fisiológicas e bioquímicas.
  • 18. Plantas Bioindicadoras • Plantas como bioindicadores – Bioacumuladoras – plantas que também não apresentam sintomas visíveis, e são menos sensíveis aos poluentes aéreos, porém acumulam partículas de poeira e gases dentro dos seus tecidos
  • 19. Plantas Bioindicadoras • Plantas como bioindicadores – Biointegradoras – aquelas que indicam o impacto da poluição por intermédio do aparecimento, desaparecimento ou mudança na densidade da população ou até de comunidades
  • 20. Plantas Bioindicadoras • Plantas como bioindicadores – Diferentes tipos de sintomas visíveis nas folhas de plantas submetidas ao ozônio. A. Clematis spp. – manchas rosadas na superfície superior. B. Philadelphus coronarius (Celinda) – necroses na superfície superior. C. Fraxinus excelsior (Feixo) – manchas bronzeadas na superfície inferior. D. Pinus halepensis (pinheiro-do- alepo) – clorose na superfície superior.
  • 28. Cebola como Bioindicador Água Potável Água Contaminada
  • 29. Cebola como Bioindicador Água Potável Água Contaminada
  • 30. Cebolas como Bioindicadores • Indica: – Alteração da qualidade da água; – Presença de substância carcinogênicas; – Presença de metais pesados. • De que forma: – Presença de distúrbio no crescimento radicular; – Presença de células neoplásica; – Presença de alteração fisiológica e morfológica.
  • 31.