SlideShare uma empresa Scribd logo
Ecologia
Professora Raquel
 O termo ECOLOGIA foi empregado pela 1ª
vez por E. Haeckel, em 1866.
gr. OIKOS ESTUDO
CASA, AMBIENTE
 Ecologia é o estudo das interações dos
seres vivos entre si e com o meio ambiente.
Níveis de organização dos seres vivos
Indivíduo – qualquer espécie
• Espécie : é o conjunto de indivíduos muito
semelhantes e que, na natureza, podem se
intercruzar, originando descendentes férteis.
Ramphocelus bresilius (tiê-sangue)
População
• É um conjunto de indivíduos da mesma espécie
Comunidade ou Biocenose ou Biota
conjunto de populações (seres vivos de várias espécies)
que habitam uma mesma região.
Fatores abióticos e bióticos
Biótopo
• porção não-viva do ambiente
• Salinidade, unidade, altitude,
• fatores abióticos de um ecossistema.
Ecossistema: seres vivos + biótopo
Biosfera
• É o conjunto de todos os
ecossistemas existentes no planeta.
• É a porção da Terra onde existe vida.
• A biosfera da Terra
seria a soma de
todas as áreas que
contêm vida no
planeta.
Habitat
• Compreende o lugar
ou espaço físico
onde vive uma
determinada espécie.
• É a localização mais
precisa de uma
espécie em seu
ambiente.
• Determina a
sobrevivência e
reprodução do grupo.
• Local de abrigo,
alimentação e
reprodução.
Nicho Ecológico
• Representa o papel desempenhado
por uma espécie dentro de seu
habitat.
• tipo de alimentação, hábitos
comportamentais, período de
reprodução,...
Ecossistema = Biótopo (características do
ambiente) + Biocenose
Fonte: (Odum, 1988)
Os Limites do Ecossistema: ECÓTONE OU ECÓTONO
LINHA DE TRANSIÇÃO ENTRE DOIS ECOSSISTEMAS
ECÓTONO
Ecossistema 1 Ecossistema 2
Definindo o Ecossistema
Componentes:
• Biótopo (fatores abióticos);
• Biocenose (comunidades) atuando reciprocamente
com o meio físico;
• Fluxo de energia;
• Ciclagem de materiais.
Estrutura Básica de um EcossistemaEstrutura Básica de um Ecossistema
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
Relações de alimentação entre os organismos de
uma comunidade, iniciando-se nos produtores e
passando pelos herbívoros, predadores e
decompositores, por esta ordem.
Ecossistema terrestre
Ecossistemas aquático
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
PRODUTORES: capazes de fixar a energia luminosa
sob a forma de energia química. São chamados
autótrofos.
 Dividem-se em:
* Produtores fotossintetizantes;
* Produtores químiossintetizantes.
PRODUTORES FOTOSSINTETIZANTES:
* Equação geral da fotossíntese:
12 H2O + 6 CO2 + energia → C6H12O6 + 6 H2O + 6 O2
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
PRODUTORES FOTOSSINTETIZANTES:
* São as plantas verdes, algas e cianobactérias (fitoplâncton.)
PRODUTORES QUIMIOSSINTÉTICOS:
* A matéria orgânica é proveniente da oxidação
de compostos inorgânicos; *certas bactérias.
Ex: gás sulfídrico (H2S), carbonato de ferro (FeCO3) e
amônia (NH3)
Precursor da
glicose
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
CONSUMIDORES: são organismos que não
produzem seu alimento (heterótrofos) e nutrem-se
dos produtores (direta ou indiretamente).
* Consumidores primários (C1): são os
herbívoros e parasitas de plantas verdes.
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
* Consumidores secundários (C2): são os
carnívoros que se alimentam de herbívoros.
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
* Consumidores terciários (C3): são os carnívoros
que se alimentam de carnívoros.
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
*Decompositores: decompõe matéria orgânica morta
em inorgânica, num processo natural de reciclagem
de matéria.
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
Numa CADEIA ALIMENTAR o NÍVEL TRÓFICO é a
posição do organismo na cadeia.
PLANTA > HERBÍVORO > CARNÍVORO
1º Nível Trófico 2º Nível Trófico 3º Nível Trófico
Classificação dos seres vivos nas cadeias alimentaresClassificação dos seres vivos nas cadeias alimentares
Capim Grilo Sapo Cobra Seriema
Fungos e bactérias
Hábito alimentar
Grau de consumo
Nível trófico (NT)
Produtor
Produtor
Herbívoro Carnívoros
Consumidor
primário
Consumidor
secundário
Consumidor
terciário
Consumidor
quaternário
1° NT 2° NT 3° NT 4° NT 5° NT
São classificados
como decompositores
A classificação de onívoro não aparece, no hábito alimentar, para os animais representados emA classificação de onívoro não aparece, no hábito alimentar, para os animais representados em
cadeias, mas somente em teias alimentares.cadeias, mas somente em teias alimentares.
CADEIA ALIMENTAR (Cadeia Trófica)
Quando se constrói uma cadeia alimentar, as setas
indicam sempre o trajeto do alimento.
Níveis tróficos em uma cadeia alimentar
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
Rede alimentar – conjunto de cadeias
alimentares que um animal participa
Teia alimentar conjunto de todas as redes
alimentares
É um conjunto de cadeias alimentares interconectadas (rede),
geralmente representado como um diagrama das relações entre
os diversos organismos de um ecossistema. Nas teias aparecem
os organismos onívoros.
EXEMPLO DE UMA TEIA ALIMENTAR DO PANTANAL
Fluxo de energia nas cadeias alimentaresFluxo de energia nas cadeias alimentares
Aumentodoníveltrófico
Diminuiçãodaenergiadisponível
Cadeias e teias alimentares
DDT: acumulação nos consumidores de último nívelDDT: acumulação nos consumidores de último nível
O equilíbrio da natureza
Parte 2
Ciclos da matéria. sucessão ecológica
e desequilíbrios ambientais
Ciclos Biosfera / Biogeoquímicos
A matéria pode ser reciclada.
Ciclos Biogeoquímicos
1.Oxigênio 2. Carbono
3. Nitrogênio 4.Água
Imagem extraída do livro Biologia: ecologia, origem da vida e biologia celular,
embriologia e histologia: volume 1 Vivian L. Mendonça ed. AJS
Ciclo da
água
Imagem extraída do livro Biologia: ecologia, origem da vida e biologia celular,
embriologia e histologia: volume 1 Vivian L. Mendonça ed. AJS
Imagem extraída do livro Biologia: ecologia, origem da vida e biologia celular,
embriologia e histologia: volume 1 Vivian L. Mendonça ed. AJS
Imagem extraída do livro Biologia: ecologia, origem da vida e biologia celular,
embriologia e histologia: volume 1 Vivian L. Mendonça ed. AJS
Ciclo do
carbono
Efeito Estufa – retenção de raios infravermelhos
Imagem extraída do livro Biologia: ecologia, origem da vida e biologia celular,
embriologia e histologia: volume 1 Vivian L. Mendonça ed. AJS
ImagemextraídadolivroBiologia:ecologia,origemdavidae
biologiacelular,
embriologiaehistologia:volume1VivianL.Mendonçaed.AJS
ImagemextraídadolivroBiologia:ecologia,origemdavidae
biologiacelular,
embriologiaehistologia:volume1VivianL.Mendonçaed.AJS
Ciclo do Oxigênio
Participa de outros ciclos
Água
Gás carbônico
Certos compostos de nitrogênio
Livre na atmosfera e dissolvido na
água
Participa da formação do OZONIO
Camada de ozônio forma-se por volta
dos 30km (pode mudar) da superfície
terrestre.
Bloqueia grande parte de radiação UV
Em grande quantidade provocam
mutações
onhecer para se
uidar: câncer de pele
Glaucoma
Buraco na camada
de ozônio
ImagensextraídadolivroBiologia:ecologia,origemdavidae
biologiacelular,
embriologiaehistologia:volume1VivianL.Mendonçaed.AJS
CFC + O3 = O2
Refrigeradores
Aerossol
DÉCADAS
Espectro Eletromagnético
Luz visível
Ciclo do nitrogênio
bacteriorrizas
70% do ar é Nitrogênio
Síntese de proteínas e de ácidos nucleicos
Algumas bactérias e cianobactérias
transformam o N2 em amônia (NH3) e esta em íons
amônio (NH4
+
) que são utilizados pelas plantas
Ciclo do nitrogênio
Bactérias Nitrossomonas encontradas no solo,
são quimiossintetizantes aeróbias
Ciclo do nitrogênio
Bactérias Nitrobacter são quimiossintetizantes
aeróbias
Eliminação de
excretas nitrogenados
Ciclo do nitrogênio
Fixação por meios não biológicos
Adubação verde –
plantio alternado de leguminosas
Adubação fertilizantes e estrume
Metaemoglobinemia
Cânceres
Eutrofização
Eutrofização
Parte 3
Sucessão ecológica
Sucessão ecológica primária–
colonização de áreas nunca
habitadas
SucessãoSucessão EcológicaEcológica
DefiniçãoDefinição
• Sucessão é o processo ordenado
de mudanças no ecossistema,
resultante da modificação do
ambiente físico pela comunidade
biológica, culminante em um tipo
de ecossistema persistente – o
clímax;
• Sucessão é parte natural da
dinâmica da comunidade;
SucessãoSucessão EcológicaEcológica
ProcessosProcessos
Várias características podem ser
abordadas no processo de sucessão
ecológica como:
• Biomassa total
• Diversidade em espécies
• Teia alimentar
• Nichos ecológicos
• Energia
SUCESSÃO ECOLÓGICA PRIMÁRIA
• A PARTIR DE ROCHA NUA
• ESPÉCIE PIONEIRA – LÍQUENS
• MUITO TEMPO
SucessãoSucessão EcológicaEcológica
Dois tiposDois tipos
SUCESSÃO ECOLÓGICA SECUNDÁRIA
• A PARTIR DE TERRENO ABANDONADO
• ESPÉCIE PIONEIRA - AUTÓTROFOS
• POUCO TEMPO
SucessãoSucessão EcológicaEcológica
FasesFases
Ecese Sere Clímax
SucessãoSucessão EcológicaEcológica
FasesFases
• Ecese:Ecese: comunidade pioneira onde os
primeiros organismos a se instalarem
no ambiente são: liquens, musgos,
gramíneas e insetos;
• Sere:Sere: comunidade intermediária é
representada por vegetação arbustiva e
herbácea. Nessa etapa ocorrem
profundas alterações no ambiente e na
diversidade das espécies;
• Clímax:Clímax: comunidade estabilizadora.
Nessa fase, a comunidade atinge a
estabilidade, com elevado número de
espécies e de nichos ecológicos e
apresenta grande biomassa.
Ocorre ao longo de uma sucessão ecológica:
• Aumento da produtividade bruta
• Aumento do consumo
• Diminuição da produtividade líquida
• Aumento da biomassa
• Aumento da diversidade de espécies
• extinção de algumas espécies e surgimento de outras
Fotossíntese (F)
Respiração (R)
Clímax (F = R)
Comunidade em crescimento (F ˃ R)
Sucessão ecológica secundáriaSucessão ecológica secundária
Interferência humana no processo deInterferência humana no processo de
sucessão ecológicasucessão ecológica
Desafios para o futuroDesafios para o futuro
Não herdamos a terra de nossos antepassados,
mas a tomamos emprestada de nossos
descendentes futuros
Antigo provérbio indígena
Sustentabilidade
Consumo consciente
Relações entre seres vivos
Harmônicas Interespecíficas
Mutualismo Protocooperação Comensalismo Observações
+/+ +/+ +/0
Ex:
•
ruminantes/bactéri
as;
• líquens
(algas+fungos/cian
obactérias);
•Micorrizas (fungos
+raízes);
•Cupins
(térmitas)
/protozoários;
Não-obrigatória:
• caranguejo
paguro
(ermitão)/anêmona
s;
• boi/anu;
•Jacaré/pássaros;
•Girafa/pássaros;
Ex:
• Tubarão/rêmora
(comensal);
• EPIFITISMO:
Bromélias ,
orquídeas
(epífitas)/árvores;
•INQUILISMO:
Bactérias
(Escherichia coli) /
homem;
•Ave/árvore;
Simbiose:
sinônimo de
mutualismo
OU
 qualquer
interação entre
seres vivos
Beneficio apenas
para o comensal
Desarmônicas Interespecíficas
Predatismo Parasitismo Competição Amensalismo Esclavagismo
+/- +/- -/- 0/- +/-
•Tipo
predominante da
teia alimentar,
garante a
transferência de
M.O. para os
níveis tróficos
mais elevados;
•Zebra/leão;
•Peixe/gato;
• presa/predador;
•Exploração do
hospedeiro pelo
parasita;
•Parasita/hospede
iro;
•ENDOPARASITIS
MO: lombriga,
tênia, plasmódios
malária/homem;
•ECTOPARASITIS
MO: insetos
hematófagos/ho
mem;
•Disputa por
alimento,
espaço, luz, etc.
•Disputa pelo
mesmo nível
trófico.
= antibiose;
•espécie inibe
crescimento de
outra através
de de
substâncias
antibióticas;
•Penicilina:
inibição de
bactérias por
compostos de
fungos;
•Espécie se
aproveita do
trabalho de
outra;
•Formigas
(ovos);
•chopim-/tico-
tico;
Desarmônicas intraespecíficas
Competição
-/-
•Demarcação de território;
•Canibalismo;
•Aranha-caranguejeira;
Relações Ecológicas
Colônia x Sociedade
• Divisão de trabalho
• União Física
Colônia (+,+)
• Associações entre indivíduos da mesma
espécie que formam um conjunto funcional
integrado, onde todos os indivíduos estão
unidos anatomicamente.
• Ex: algas, bactérias, caravelas.
Colônias
Sociedade (+,+)
• Grupos de organismos de mesma espécie
onde pode-ser observar nítida divisão de
trabalho.
• Os indivíduos são unidos anatomicamente
e apresentam diferenças morfológicas
nítidas.
• Ex.: formigas, abelhas, vespas, cupins
Sociedade
Sociedade
Relações Ecológicas
Mutualismo x Protocooperação
• Obrigatoriedade
Protocooperação (+,+)
• Traz benefícios para ambas as espécies.
• É uma relação não obrigatória.
• Ex.: caranguejo e anêmona, gado e anu.
Mutualismo (+,+)
• Traz benefícios para ambas as espécies.
• É uma relação obrigatória, caso os indivíduos
sejam separados, ambos morrem.
• Ex.: liquens, micorrizas, ruminantes e
bactérias que degradam celulose.
Mutualismo
Protocooperação
Comensalismo (+,0)
• Apenas um dos indivíduos se beneficia e o
outro nem se prejudica, nem se beneficia.
• O comensalismo é dividido em:
• Comensalismo típico  quando uma
espécie se alimenta dos restos alimentares
deixados por um individuo de outra
espécie.
• Ex.: leão e hiena
Comensalismo (+,0)
• Inquilinismo (epifitismo): quando uma
espécie usa outra como moradia.
• Ex.: bromélias, orquídeas e “plantas
suporte”.
• Forésia: quando uma espécie usa outra
como meio de transporte.
• Ex.: rêmora e tubarão.
Relações Ecológicas
 Comensalismo
Inquilinismo - epifitismo
Mutualismo
Relações Ecológicas
 Comensalismo
Competição intra-específica
• Indivíduos de mesma espécie precisam dos
mesmos recursos (água, alimento,
território, acasalamento) do meio. Isso gera
uma competição intra-específica.
Competição Interespecífica
• Indivíduos de espécies diferentes precisam
dos mesmos recursos (água, alimento,
território) do meio. Isso gera uma competição
interespecífica.
• Ex.: duas espécies de pássaros que usem o
mesmo tipo de local para fazer seus ninhos
competem no aspecto reprodutivo.
Relações Ecológicas
• Competição
• Competição
 Sobreposição de Nichos Ecológicos
Relações Ecológicas
Competição
Indireta Direta
PARASITA PARASITÓIDE
Pastadores /
Consumidores
de partes
Predador
Proximidadeentreosindivíduoseminteraçã Grande
AltaBaixa
Pequena
Probabilidade de morte da espécie
Predatismo (+,-)
• Quando um indivíduo de uma espécie mata
e se alimenta de um individuo de outra
espécie.
• Predador  quem mata para se alimentar
• Presa  que morre
• Ex.: leão e veado.
Predatismo
Canibalismo (+,-)
• Quando um indivíduo de uma espécie mata e
se alimenta de um individuo da mesma
espécie.
• Ex.: viúva negra.
Parasitismo (+,-)
• Quando um indivíduo de uma espécie se
alimenta de um individuo de outra espécie
sem mata-lo (pelo menos essa não é sua
intenção, uma vez que se o hospedeiro
morre o parasita geralmente morre
também.
• Parasita  quem se alimenta
• Hospedeiro  quem serve de alimento
Parasitismo
Parasitismo (+,-)
• Ectoparasitas  vivem na superfície
externa do corpo do hospedeiro.
• Ex.: piolhos, carrapatos.
• Endoparasitas  vivem no interior do
hospedeiro.
• Ex.: lombriga, solitária
Amensalismo (+,-)
• Os indivíduos de uma espécie eliminam
para o meio substancias que prejudicam o
crescimento ou a reprodução de outras
espécies do habitat.
• Ex.: alguns fungos eliminam substancias
(antibióticos) que matam bactérias. O
eucalipto libera pelas raízes substancias
que impedem a germinação de sementes
ao redor.
Amensalismo
Esclavagismo (Sinfilia)
Gregarismo
Gregarismo
Mimetismo
Mimetismo
Camuflagem
Camuflagem
Homocromia e Homotipia
Camuflagem
Cão-muflagem : )
Biomas, ecossistemas e
população
Professora Raquel Melo
Biomas Terrestres
• Tundra
• Taiga
• Floresta Temperada (Descíduas)
• Florestas Pluviais
• Formações Herbáceas
• Desertos
Biomas Brasileiros
• Pampas
• Mata de Araucária
• Manguezais
• Cerrado
• Floresta Amazônica
• Mata Atlântica
• Caatinga
• Mata dos Cocais
• Pantanal
Biomas Brasileiros
• Floresta Amazônica (Hiléia)
Altos índices pluviométricos
Temperatura constante (latitude)
Folhas com grande área foliar (latifoliadas)
Pluriestratificada
Solo pobre, mas M.O. elevada.
Alta diversidade
Biomas Brasileiros
• Floresta Atlântica
Umidade alta(chuva orográfica)
Temperatura constante (maritimidade)
Folhas com grande área foliar (latifoliadas)
Maior densidade no andar arbustivo e
presença de epífitas
Biomas Brasileiros
• Floresta de Araucária
 “Taiga brasileira”: Coníferas
 3 andares vegetais
 Andar arbustivo: Samambaias
Biomas Brasileiros
• Cerrado
Amplitude térmica alta
Folhas coriáceas
 Troncos retorcidos, casca espessa
Regime de queimadas
Árvores espassadas
Biomas Brasileiros
• Caatinga
Baixa pluviosidade
Folhas coriáceas, ou modificadas em espinhos
Caule armazena água
Vegetação cactácea (xeromórfica)
Biomas Brasileiros
• Manguezais
Latitude não interfere
Fatores edáficos (solo)
Salinidade e solo argiloso
Pneumatóforos, árvores risóforas.
Viviparidade (semente germina no fruto)
 “Berço do mar”
Biomas Brasileiros
• Pantanal
Alta pluviosidade na época de chuva
Alta biodiversidade
• Cocais
Babaçu, alta pluviosidade e lençóis freáticos
rasos (umidade)
Ecossistemas Aquáticos
• Lênticos (Lagoas)
 Litoral
 Limnética
 Profunda
• Lóticos (Rios, corredeiras)
Água Doce

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
Ilsoflavio
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
Suely namaste
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Cleonice Lima
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Antonio Fernandes
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
Estude Mais
 
Ecossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileirosEcossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileiros
Edna Uliana
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
Fernanda Reis Dias
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
DeaaSouza
 
Conceitos em ecologia e ecossistemas
Conceitos em ecologia e ecossistemasConceitos em ecologia e ecossistemas
Conceitos em ecologia e ecossistemas
Marcos Santos
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max
 
Biodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicosBiodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicos
Gabriela Cristina Sganzerla
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
CPM
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Silvana Sanches
 
Ecologia geral
Ecologia geralEcologia geral
Ecologia geral
terceirob
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
Turma Olímpica
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Ronaldo Santana
 
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Ronaldo Santana
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
Gov. Estado do Paraná
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
Nataliana Cabral
 

Mais procurados (20)

Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
 
Ecossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileirosEcossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileiros
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Conceitos em ecologia e ecossistemas
Conceitos em ecologia e ecossistemasConceitos em ecologia e ecossistemas
Conceitos em ecologia e ecossistemas
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Biodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicosBiodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicos
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
 
Ecologia geral
Ecologia geralEcologia geral
Ecologia geral
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
 
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
 

Destaque

Ecologia com exercícios
Ecologia com exercíciosEcologia com exercícios
Ecologia com exercícios
helder raposo
 
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
s1lv1alouro
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria iiFluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Cristina Vitória
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
FRANCISCO COSTA
 
Relacoes ecologicas 3_
Relacoes ecologicas 3_Relacoes ecologicas 3_
Relacoes ecologicas 3_
Altair Hoepers
 
Gestao Ambiental
Gestao AmbientalGestao Ambiental
Gestao Ambiental
lilianhaber
 
Aula 1 ecologia site
Aula 1 ecologia siteAula 1 ecologia site
Aula 1 ecologia site
Izabela Badaró
 
Trabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologiaTrabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologia
Jorgelgl
 
Aulaecologia 121128165216-phpapp01
Aulaecologia 121128165216-phpapp01Aulaecologia 121128165216-phpapp01
Aulaecologia 121128165216-phpapp01
CLEBER Torres
 
Planejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barrosoPlanejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barroso
Antonio Carneiro
 
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
agendab
 
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
Aula 3   cadeia, teia e piramedesAula 3   cadeia, teia e piramedes
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
Grupo UNIASSELVI
 
SaúDe. Jr Cordeiro.
SaúDe. Jr Cordeiro.SaúDe. Jr Cordeiro.
SaúDe. Jr Cordeiro.
José Roberto Cordeiro
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Leandro Amorim
 
GESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIA
GESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIAGESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIA
GESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIA
Multi - Engenharias
 
Ricklefs cap 1
Ricklefs cap 1Ricklefs cap 1
Ricklefs cap 1
CAMPUS XIX
 
Ecologia geral parte 1
Ecologia geral parte 1Ecologia geral parte 1
Ecologia geral parte 1
Marcos Albuquerque
 
Cadeia alimenta
Cadeia alimentaCadeia alimenta
Cadeia alimenta
Escola Vilanir
 
Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...
Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...
Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...
Secretaria Municipal de Educação de Santo Antônio de Jesus - Ba
 

Destaque (20)

Ecologia com exercícios
Ecologia com exercíciosEcologia com exercícios
Ecologia com exercícios
 
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria iiFluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Relacoes ecologicas 3_
Relacoes ecologicas 3_Relacoes ecologicas 3_
Relacoes ecologicas 3_
 
Gestao Ambiental
Gestao AmbientalGestao Ambiental
Gestao Ambiental
 
Aula 1 ecologia site
Aula 1 ecologia siteAula 1 ecologia site
Aula 1 ecologia site
 
Trabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologiaTrabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologia
 
Aulaecologia 121128165216-phpapp01
Aulaecologia 121128165216-phpapp01Aulaecologia 121128165216-phpapp01
Aulaecologia 121128165216-phpapp01
 
Planejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barrosoPlanejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 1º ano antonio carlos carneiro barroso
 
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
 
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
Aula 3   cadeia, teia e piramedesAula 3   cadeia, teia e piramedes
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
 
SaúDe. Jr Cordeiro.
SaúDe. Jr Cordeiro.SaúDe. Jr Cordeiro.
SaúDe. Jr Cordeiro.
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
GESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIA
GESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIAGESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIA
GESTÃO AMBIENTAL PARA ENGENHARIA
 
Ricklefs cap 1
Ricklefs cap 1Ricklefs cap 1
Ricklefs cap 1
 
Ecologia geral parte 1
Ecologia geral parte 1Ecologia geral parte 1
Ecologia geral parte 1
 
Cadeia alimenta
Cadeia alimentaCadeia alimenta
Cadeia alimenta
 
Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...
Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...
Pcasd uploads-vinicius2-listas de ecologia-lista 11 - fluxo de energia e pirâ...
 

Semelhante a Ecologia

Biologia - Luciana.pdf
Biologia - Luciana.pdfBiologia - Luciana.pdf
Biologia - Luciana.pdf
RogrioArajo31
 
Ed amb aula-ecologia-aula-03
Ed amb aula-ecologia-aula-03Ed amb aula-ecologia-aula-03
Ed amb aula-ecologia-aula-03
Lunna01
 
Aula ecologia
Aula ecologiaAula ecologia
Aula ecologia
Michele Moreira
 
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Renata Lemos Garcia
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
Flávia Fernandes
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Magali Feldmann
 
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
igor-oliveira
 
conceitos em ecologia
conceitos em ecologiaconceitos em ecologia
conceitos em ecologia
Chiara Lubich
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
alessandraoliveira324
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Magali Feldmann
 
Biologia 6 mais ecologia.ppt
Biologia 6 mais ecologia.pptBiologia 6 mais ecologia.ppt
Biologia 6 mais ecologia.ppt
RomaldeDanielRomalde
 
3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia
professorfabiovalente
 
Aula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.pptAula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.ppt
celembio
 
Aula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os anoAula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os ano
TainTeixeiraBiolouka
 
6 ano a b -c
6 ano a   b -c6 ano a   b -c
6 ano a b -c
profluiza
 
Ecologia 111022083246-phpapp02
Ecologia 111022083246-phpapp02Ecologia 111022083246-phpapp02
Ecologia 111022083246-phpapp02
Andreia Maria
 
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
Allef B. Santos
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Alinehl
 
1 biodiversidade
1   biodiversidade1   biodiversidade
1 biodiversidade
margaridabt
 
Ecologia
Ecologia Ecologia

Semelhante a Ecologia (20)

Biologia - Luciana.pdf
Biologia - Luciana.pdfBiologia - Luciana.pdf
Biologia - Luciana.pdf
 
Ed amb aula-ecologia-aula-03
Ed amb aula-ecologia-aula-03Ed amb aula-ecologia-aula-03
Ed amb aula-ecologia-aula-03
 
Aula ecologia
Aula ecologiaAula ecologia
Aula ecologia
 
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
 
conceitos em ecologia
conceitos em ecologiaconceitos em ecologia
conceitos em ecologia
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Biologia 6 mais ecologia.ppt
Biologia 6 mais ecologia.pptBiologia 6 mais ecologia.ppt
Biologia 6 mais ecologia.ppt
 
3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia3 4 intro ecologia
3 4 intro ecologia
 
Aula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.pptAula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.ppt
 
Aula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os anoAula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os ano
 
6 ano a b -c
6 ano a   b -c6 ano a   b -c
6 ano a b -c
 
Ecologia 111022083246-phpapp02
Ecologia 111022083246-phpapp02Ecologia 111022083246-phpapp02
Ecologia 111022083246-phpapp02
 
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
1 biodiversidade
1   biodiversidade1   biodiversidade
1 biodiversidade
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 

Mais de Professora Raquel

Tipos de ovos
Tipos de ovosTipos de ovos
Tipos de ovos
Professora Raquel
 
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
Professora Raquel
 
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
Professora Raquel
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
Professora Raquel
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
Professora Raquel
 
Núcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomoNúcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomo
Professora Raquel
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
Professora Raquel
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
Professora Raquel
 
Platyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematodaPlatyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematoda
Professora Raquel
 
Introdução ao reino animal
Introdução ao reino animalIntrodução ao reino animal
Introdução ao reino animal
Professora Raquel
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
Professora Raquel
 
Respiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoRespiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentação
Professora Raquel
 
Parte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismoParte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismo
Professora Raquel
 
Ferramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismoFerramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismo
Professora Raquel
 
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitariasHorta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Professora Raquel
 
Educando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomiaEducando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomia
Professora Raquel
 
Capítulo 9
Capítulo 9Capítulo 9
Capítulo 9
Professora Raquel
 
Cap 8
Cap 8Cap 8

Mais de Professora Raquel (20)

Tipos de ovos
Tipos de ovosTipos de ovos
Tipos de ovos
 
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
 
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Cap 13
 
Duplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e traduçãoDuplicação, transcrição e tradução
Duplicação, transcrição e tradução
 
Cap 13
Cap 13Cap 13
Cap 13
 
Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016Alterações cromossomiais 2016
Alterações cromossomiais 2016
 
Núcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomoNúcleo cromatina e cromossomo
Núcleo cromatina e cromossomo
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Platyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematodaPlatyhelminthes e nematoda
Platyhelminthes e nematoda
 
Introdução ao reino animal
Introdução ao reino animalIntrodução ao reino animal
Introdução ao reino animal
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
 
Respiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoRespiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentação
 
Parte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismoParte escrita metabolismo
Parte escrita metabolismo
 
Ferramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismoFerramentas do metabolismo
Ferramentas do metabolismo
 
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitariasHorta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
Horta escolar eixo_gerador_dinamicas_comunitarias
 
Educando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomiaEducando horta escolas_gastronomia
Educando horta escolas_gastronomia
 
Capítulo 9
Capítulo 9Capítulo 9
Capítulo 9
 
Cap 8
Cap 8Cap 8
Cap 8
 

Último

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

Ecologia