SlideShare uma empresa Scribd logo
GUIA DETURISMO
Por Adm.Esp. Karlla Costa
Guia deTurismo Regional BA
Nacional e Mercosul
TEORIA E TÉCNICA PROFISSIONAL
KARLLA MIRANDA
Graduada em Administração –FTC
Especialista em Gestão para Inovação e Sustentabilidade –
UESC
Guia de Turismo Regional BA, Nacional e América do Sul –
SENAC
Mestranda em Educação FATEFFIR
CONCEITO- TEORIA
CONJUNTO DE REGRAS SISTEMATIZADAS QUE
FUNDAMENTAM UMA CIÊNCIA
CONHECIMENTO ESPECULATIVO SOBRE
DETERMINADO ASSUNTO
Fonte : Houaiss-Dicionário
CONCEITO- TÉCNICA
• CONJUNTO DE PROCEDIMENTOS LIGADOS A UMA
ARTE OU CIÊNCIA
• MANEIRA PRÓPRIA DE REALIZAR UMA TAREFA
• Fonte: Houaiss - dicionário
RECOMENDAÇÕES
VOCÊ É O MAIOR RESPONSÁVEL PELO SEU PRÓPRIO
SUCESSO E EMPREGABILIDADE, ISTO SE DARÁ
ATRAVÉS DO APRIMORAMENTO, DA
COMPETÊNCIA, MOTIVAÇÃO,
COMPROMETIMENTO, DISCIPLINA, BOA FÉ E
DEDICAÇÃO, ATRIBUTOS QUE SÃO CONDIÇÕES NA
OBTENÇÃO DE MERECIDO RECONHECIMENTO,
NESTE TÃO COMPETITIVO E POUCO RECONHECIDO
MERCADO!
Teoria e técnica profissional
TÉCNICAS DE GUIAMENTO
OBJETIVO
Incorporar e aprofundar os
conhecimentos mais relevantes das
técnicas de guiamento, levando em
conta aspectos técnicos , práticos e
experiências entre outros.
RESULTADOS ESPERADOS
Que os futuros guias adquiram e reforçam conhecimentos
acerca de diferentes técnicas para o desenvolvimento prático
da profissão
DESENVOLVIMENTO DAS TEMÁTICAS
TÉCNICAS DE GUIAMENTO
O Guiamento em Turismo é uma profissão antiga que
adquire desenvolvimento com o turismo atual:
EX. Cicerones Italianos do Séc. XIX
CICERONE:
DESENVOLVIMENTO DAS TEMÁTICAS
TÉCNICAS DE GUIAMENTO
É uma profissão vocacional e espontânea, a regulamentação
da profissão no Brasil se deu através da Lei
ATITUDES, APTIDÃO E HABILIDADE
ATITUDE
APTIDÃO
HABILIDADE
PERFIL PROFISSIONAL
O trabalhar em turismo espírito para o serviço que se mostra
conforme o gosto pelo trabalho, se sente cômodo resolvendo
os problemas dos turistas, atendendo e realizando o melhor
para eles, mostra simpatia e inspira confiança ; permite
diferenciar o serviço com detalhes pessoais e intangíveis que
agrega o valor ao serviço em si.
OS 10 MANDAMENTOS DO TURISMO
VÍDEO ILUSTRATIVO
O GUIA E SUAS CIRCUNSTÂNCIAS
O GUIA DEVE :
SERINTERDISCIPLINAR
ANTECEDER AS NECESSIDADES
 TER MUITA PREPARAÇÃO, LEITURA: ÉTICA,
ANTROPOLOGIA, LÓGICA, HISTÓRIA ETC.
PRODUZIR ENCANTAMENTO;
SABER LIDAR COM PESSOAS DE DIFERENTES
HÁBITOS ;
O GUIA E SUAS CIRCUNSTÂNCIAS
DEVE USAR ROUPA ADEQUADA;
SER GENTIL: POR FAVOR, OBRIGADO ETC
O GUIA É O DIÁLOGO ENTRE SUA REALIDADE E O
COTIDIANO DO OUTRO;
DEVE TRANSMITIR INFORMAÇÕES SIGNIFICANTES
DA SOCIEDADE DE ORIGEM E OU VISITADA.
O GUIA E SUAS CIRCUNSTÂNCIAS
DEVE CONHECER O TERRITÓRIO E TAMBÉM
IDENTIFICAR RISCOS E ASSIM EVITAR OU MINIMIZAR
AS POSSIBILIDADES DE EVENTOS DESAGRADÁVEIS.
DEVE TORNAR A VIAGEM DO SEU CLIENTE,
CONFORTÁVEL, AGRADÁVEL, INFORMANDO ( O
PERCURSO, HISTÓRICO ETC) .
ORIENTAR O TURISTA E ENTRETÊ-LO , ALÉM DE
ACOMPANHÁ-LO .
TIPOS DE GUIA DE TURISMO
GUIA REGIONAL
TIPOS DE GUIA DE TURISMO
GUIA NACIONAL
TIPOS DE GUIA DE TURISMO
GUIA INTERNACIONAL
ATRIBUIÇÕES DO GUIA
O GUIA DEVE SABER LIDAR CO TRÂMITES
BUROCRÁTICOS
ORDEM DE SERVIÇO ( OS) :
GUIA LOCAL
DEVERÁ CONHECER O PERCURSO ATÉ O LOCAL
DA HOSPEDAGEM DO GRUPO, DEVE CONHECER A
PROGRAMAÇÃO DAS FESTIVIDADES E EVENTOS DA
REGIÃO.
A IMPORTÂNCIA DO GUIA
É O EMBAIXADOR DE SUA CIDADE, SEU ESTADO ,
SEU PÁIS ; É O CARTÃO DE VISITAS , É O ÓCULO DO
TURISTA.
GUIA DE TURISmO X GUIA TURÍSTICO
HISTÓRICO – AGÊNCIA VIAGENS
Thomas Cook
TÉCNICA DE TRABALHO
Conheça, envolva-se e aprenda a amar o país, cidade ou
localidade onde você vive e/ou trabalha. Tornar-se-á assim,
bem mais fácil transmitir a sua real apreciação ao outro.
O turismo por si só é algo muitas vezes resultado de um
olhar superficial .
Ex: moradores de ilhéus x Turista
Foto teatro de ilhéus
PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES
CONCERNENTES AO ROTEIRO
OS( Ordem de Serviço) –documento que oficializa , explica o
contrato de determinado serviço.
Material informativo
RoomingList( lisa com nomes e número de clientes);
Meio de transporte ( avião, trem , ônibus...)
Pontos de encontro, tempo de duração...
PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES
CONCERNENTES AO ROTEIRO
Voucher e/ou dinheiro para pagamento de
despesas inesperadas ou para pagamento de
museus, espetáculos, guias locais etc.
( sempre peça recibo)
ORDEM DE SERVIÇODeve conter todos os dados e informações pertinentes aos
serviços exigidos, ratifica o compromisso guia/agência no que
diz respeito à prestação de serviços demandados.
DEVE CONSTAR NA
ORDEM DE SERVIÇO
Nome e dados da agência contratante
Nome do guia contratado
Data e hora com início e término do serviço
Local de origem do grupo, número vôo, ônibus..
Número e nome completo dos passageiros ( Pax) e ou nome do
grupo .
Empresa transportadora que executará o serviço.
DEVE CONSTAR NA
ORDEM DE SERVIÇO
O idioma a ser utilizado;
Passageiros com necessidades especiais principalmente
deficiente físico ( cadeira de rodas, carro especial);
TC= Guia Local
Especificação dos serviços : localidades, hotéis, restaurantes
etc( fazer pesquisa auxiliar)
Ao receber a OS o guia deve verificar :
crachá e/ou uniforme a ser utilizado.
Material de animação, serviço de bordo ou brinde
promocionais
Informações sobre o perfil do grupo
Localizador: placa com nome do grupo e/ou indivíduo –
guia local;
Room/bus list
Voucher
Ao receber a OS o guia deve verificar :
Dinheiro para despesas imediatas....
Etiquetas de bagagens suficientes para todos ( se possível
personalizadas).
Opinário, Confidencial, TourComment
Preços e possibilidades de Opcionais
* reunião prévia antes da viagem para tirar dúvidas.
BUSCA DE INFORMAÇÕES
O guia deve pesquisar sempre, conhecer a bibliografia da
localidade , ter conhecimento teórico ex almanaque abril ,
sites.
Dossiê de “Press” – seleção de reportagens sobre a região
interessada.
Fichas Turísticas de Circuito
O guia deve atentar
Forma física do turista: pessoas com problemas cardíacos,
hipertensos, longas caminhadas sob sol escaldante, áreas
descampadas, prolongado percursos de barco, bicicleta etc.
Afinal de contas tudo pode acontecer.
Cada turista deve levar seus medicamentos de uso contínuo
acompanhado de receita
Dinheiro: em viagens internacionais , levar se possível a moeda
do país a ser visitado em espécie e ou TravelCheck, doláres
americanos, euro, cartão de crédito internacional.
Valores acima de 10 mil reais devem ser declarados a Receita
Federal , em viagens internacionais ter o endereço de instituições
consulares, tirar cópia do passaporte.
Vestimentas : se fizer frio ou calor, roupas práticas e confortável,
sapatos folgados para longas viagens, levar sempre um casaco em
caso de transporte com ar condicionado .
Vida em grupo: grupos heterogêneos podem vir a causar
transtorno, o sujeito em grupo costuma fazer coisas estranhas
que normalmente não faria se tivesse sozinho.
DICAS ÚTEIS AO PASSAGEIRO
Reservar a viagem ( agência séria e credenciada) com
antecipação para escolher os melhores assentos.
Conhecer o roteiro ( e o contrato) com antecedência,
tempo, datas, hotéis, o que está ou não incluso, conhecer
normas e condições ( direitos e deveres) .
Estar disposto a longo período de “confinamento”
O ideal é viajar fora da alta temporada:
Brasil : dezembro, janeiro, fevereiro e julho
Europa: Julho e Agosto
Estar disposto a “ fazer” parte de um grupo
Ser participativo nas atividades propostas
Bagagem prática e de fácil arrumação e bem identificada.
Aproveite as paradas técnicas para satisfazer as necessidades
fisiológicas.
Respeitar os horários , para impedir atrasados e prejuízos para o
andamento da viagem
Ouvir as orientações do guia , solicitando-o quando necessário .
Ter consigo fotocópias dos documentos
Não fumar no ônibus
NAVIO
Conhecer o croqui para escolher uma boa cabine
O roteiro, o local e horário do embarque
A bordo é mais comum o uso de Dólar U$ para serviços não
inclusos no pacote: lavanderia, fotos, telefonemas, cabeleireiro,
compras, excursões opcionais
Cassinos e bingos são pagos na hora;
Alguns navios possuem caixa eletrônico.
Exige-se passaporte com pelo meses de validade para eventuais
países do percurso e que assim demandam RG com menos de 10
anos de validade para países do mercosul .
Em cruzeiros no Brasil : RG e certidão de nascimento para
menores de 12 anos.
Comprovante de vacina;
Gestantes até 27 semanas só viagem com atestado médico, com 7
meses não viaja
As bagagens só chegam na cabine após o check in , por isso tenha
o necessário em mãos .
Cabines com decks mais altos são mais caros
Sem vista pro mar é mais barato ;
As cabines do centro balançam menos ;
Levem remédios para enjôo e evite viajar para lugares com
tufões, furação; prefira viajar no verão .
Há também um pequeno hospital mas é necessário pagar seguro
saúde, funciona 24 horas.
Normalmente há de 3 a 5 refeições diárias, bebida a parte ,
exceto em serviços all inclusive
Informações de bordo, horários locais e indumentária
Regras de etiqueta
A voltagem é 220v
Gorjetas de 1,50 U$ a 3,00 U$
Não é permitido receber visitas, nem trazer alimentos e bebidas
de fora do navio.
Bagagem : bom senso, cabine pequena
Biblioteca, shows, sala de ginástica, lojinhas, piscinas;
Ligação telefônica mais caras – via satélite.
Emergência – Salvamento e abandono da embarcação –
treinamento- Convenção Internacional –SOLAS
7 Apitos curtos: emergência
1 apito longo abandonar navio
MODELO BILHETE NAVIO
BAGAGENS
Levar roupas e acessórios adequados para cada tipo de
viagem:
boné ou chapéu, tênis confortável e antiderrapante, protetor
solar, cantil , lanterna, mochila pequena, roupas de banho,
roupas jeans , camisa de mana comprida para pessoas
alérgicas a picadas de inseto, agasalho leve e com
capuz( chuva), canivete ou faca pequena, máscara de
mergulho ( opcional) ;
Papel higiênico, moletom completo, repelentes( se alérgico óleo
de amêndoas) ; Nas mochilas/malas produtos cremosos e
líquidos devem ser acondicionados em sacos plásticos, estojo
para pequenos utensílios;
Sapatos , chinelos devem ficar por baixo de tudo com meias e
cuecas/calcinhas dentro .
Pasta, escova de dente, sabonete, desodorante, esparadrapo
largo, medicamentos de uso pessoal, óculos esporte, máquina
fotográfica, lanterna, relógio;
Lanche: frutas secas, granola , banana passa...
Farmácia individual: creme fenergan, gelol , AS, Imosec,
Sonrisal, Apracur .
Buscopan, Eno.
CHECK LIST
Verifique os equipamentos ( prefira usados)
Atualize vacinas: antitetânica;
Boné, chapéu : protege a cabeça e mantém a temperatura do
corpo;
Informe-se sobre a previsão do tempo e as particularidades da
região;
Respeite suas possibilidades ( físicas e financeiras)
Na trilha prefira pequenos grupos .
Aprenda as regras básicas de primeiros socorros;
Informe o itinerário a família e amigos;
Leve par de tênis confortáveis , meias compridas protegem melhor ,
verifique antes de calçá-lo.
Alimente-se bem, hidrate-se bem , evite ácool nas caminhadas, urina
muito amarelada é sinal de desidratação.
Carregue apenas o necessário, mochilas práticas e impermeáveis com
fechamento na cintura;
Leve sempre um pequeno cadeado;
REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO
LEIS :
8.623 DE 28/01/93
8.623 DE 01/10/93
LEI GERAL DO TURISMO
NOVA PORTARIA
*CADASTRO CADASTUR-MTUR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Turismo e-hotelaria
Turismo e-hotelariaTurismo e-hotelaria
Turismo e-hotelaria
Karlla Costa
 
Módulo 10
Módulo 10Módulo 10
Módulo 10
Carlos Serra
 
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Aristides Faria
 
Turismo evolução
Turismo evoluçãoTurismo evolução
Turismo evolução
Karlla Costa
 
Conduta do guia de turismo
Conduta do guia de turismoConduta do guia de turismo
Conduta do guia de turismo
Direito, Turismo, Mkt, Mídias Digitais
 
Historia do Turismo
Historia do TurismoHistoria do Turismo
Historia do Turismo
Alexandre Fernandes
 
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptxFUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
ProfessorTiagoNunes
 
Conceito Turismo e Tipos de turista
Conceito Turismo e Tipos de turistaConceito Turismo e Tipos de turista
Conceito Turismo e Tipos de turista
Marcos Alves
 
Otet módulo 2
Otet módulo 2Otet módulo 2
Otet módulo 2
TatyFG
 
O guia de turismo
O guia de turismoO guia de turismo
O guia de turismo
Ubirajara Neves
 
Modulo 1 turismo 1
Modulo 1   turismo 1Modulo 1   turismo 1
Modulo 1 turismo 1
Luis Cunha
 
Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...
Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...
Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...
A. Rui Teixeira Santos
 
Como montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativos
Como montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativosComo montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativos
Como montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativos
Alyssa Prado
 
Operadores turísticos
Operadores turísticosOperadores turísticos
Operadores turísticos
Lua Soriano
 
Produto Turistico
Produto TuristicoProduto Turistico
Produto Turistico
juliannigaby
 
Referencial otet
Referencial  otetReferencial  otet
Referencial otet
jsilva.tur
 
Procura e Motivações Turísticas
Procura e Motivações TurísticasProcura e Motivações Turísticas
Procura e Motivações Turísticas
kyzinha
 
Tipos de eventos
Tipos de eventosTipos de eventos
Tipos de eventos
Rosario Cação
 
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Sónia Araújo
 
Turismo de aventura
Turismo de aventuraTurismo de aventura
Turismo de aventura
rosaband
 

Mais procurados (20)

Turismo e-hotelaria
Turismo e-hotelariaTurismo e-hotelaria
Turismo e-hotelaria
 
Módulo 10
Módulo 10Módulo 10
Módulo 10
 
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
 
Turismo evolução
Turismo evoluçãoTurismo evolução
Turismo evolução
 
Conduta do guia de turismo
Conduta do guia de turismoConduta do guia de turismo
Conduta do guia de turismo
 
Historia do Turismo
Historia do TurismoHistoria do Turismo
Historia do Turismo
 
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptxFUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
 
Conceito Turismo e Tipos de turista
Conceito Turismo e Tipos de turistaConceito Turismo e Tipos de turista
Conceito Turismo e Tipos de turista
 
Otet módulo 2
Otet módulo 2Otet módulo 2
Otet módulo 2
 
O guia de turismo
O guia de turismoO guia de turismo
O guia de turismo
 
Modulo 1 turismo 1
Modulo 1   turismo 1Modulo 1   turismo 1
Modulo 1 turismo 1
 
Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...
Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...
Direito do Turismo, parte III, IV e V, Professor Doutor Rui Teixeira Santos (...
 
Como montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativos
Como montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativosComo montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativos
Como montar um roteiro de viagem - Dicas e aplicativos
 
Operadores turísticos
Operadores turísticosOperadores turísticos
Operadores turísticos
 
Produto Turistico
Produto TuristicoProduto Turistico
Produto Turistico
 
Referencial otet
Referencial  otetReferencial  otet
Referencial otet
 
Procura e Motivações Turísticas
Procura e Motivações TurísticasProcura e Motivações Turísticas
Procura e Motivações Turísticas
 
Tipos de eventos
Tipos de eventosTipos de eventos
Tipos de eventos
 
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
 
Turismo de aventura
Turismo de aventuraTurismo de aventura
Turismo de aventura
 

Semelhante a Teoria e técnica profissional

Projeto Boa Viagem 2014 - Procon
Projeto Boa Viagem 2014 - ProconProjeto Boa Viagem 2014 - Procon
Projeto Boa Viagem 2014 - Procon
De Turista a Viajante
 
Como organizar seu mochilão
Como organizar seu mochilãoComo organizar seu mochilão
Como organizar seu mochilão
Louise Arruda
 
Guia de Viagem - USA
Guia de Viagem - USAGuia de Viagem - USA
Guia de Viagem - USA
Wesley Fonseca
 
Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"
Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"
Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"
IDEC - Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor
 
Guia para o Consumidor Turista
Guia para o Consumidor TuristaGuia para o Consumidor Turista
Guia para o Consumidor Turista
Ministério da Justiça
 
Guia para o consumidor turista copa2014
Guia para o consumidor turista copa2014Guia para o consumidor turista copa2014
Guia para o consumidor turista copa2014
moacir favero
 
Psicologia e comunicação
Psicologia e comunicaçãoPsicologia e comunicação
Psicologia e comunicação
Karlla Costa
 
Orientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/Victoria
Orientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/VictoriaOrientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/Victoria
Orientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/Victoria
Egali Intercâmbio
 
Peregrinação a itália paróquia da branca
Peregrinação a itália   paróquia da brancaPeregrinação a itália   paróquia da branca
Peregrinação a itália paróquia da branca
svicentebranca
 
Projecto visita toledo
Projecto visita toledoProjecto visita toledo
Projecto visita toledo
Francisco Fadista
 
Apresentação JMJ V&T - Geral
Apresentação JMJ V&T - GeralApresentação JMJ V&T - Geral
Apresentação JMJ V&T - Geral
Luciano da Silva Avila
 
Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia)
Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia) Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia)
Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia)
Egali Intercâmbio
 
Primeira Viagem Internacional
Primeira Viagem InternacionalPrimeira Viagem Internacional
Primeira Viagem Internacional
AssistentedeViagem
 
Guiacruzeirista
GuiacruzeiristaGuiacruzeirista
Guiacruzeirista
jampawebjornal
 
Viagem de avião na prática
Viagem de avião na práticaViagem de avião na prática
Viagem de avião na prática
Tuanny Honesko
 
Viagem prática - eDestinos
Viagem prática - eDestinosViagem prática - eDestinos
Viagem prática - eDestinos
eDestinos
 
Orientação Pré-embarque - Canadá - Vancouver
Orientação Pré-embarque - Canadá - VancouverOrientação Pré-embarque - Canadá - Vancouver
Orientação Pré-embarque - Canadá - Vancouver
Egali Intercâmbio
 
2014.eniesc.informações gerais
2014.eniesc.informações gerais2014.eniesc.informações gerais
2014.eniesc.informações gerais
gemo56rs
 
Cartilha do consumidor especial turismo
Cartilha do consumidor   especial turismoCartilha do consumidor   especial turismo
Cartilha do consumidor especial turismo
Edson Francisco Santos
 
Famtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo prático
Famtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo práticoFamtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo prático
Famtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo prático
Émille Luz
 

Semelhante a Teoria e técnica profissional (20)

Projeto Boa Viagem 2014 - Procon
Projeto Boa Viagem 2014 - ProconProjeto Boa Viagem 2014 - Procon
Projeto Boa Viagem 2014 - Procon
 
Como organizar seu mochilão
Como organizar seu mochilãoComo organizar seu mochilão
Como organizar seu mochilão
 
Guia de Viagem - USA
Guia de Viagem - USAGuia de Viagem - USA
Guia de Viagem - USA
 
Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"
Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"
Palestra IdecAberto "Seus direitos na hora de viajar"
 
Guia para o Consumidor Turista
Guia para o Consumidor TuristaGuia para o Consumidor Turista
Guia para o Consumidor Turista
 
Guia para o consumidor turista copa2014
Guia para o consumidor turista copa2014Guia para o consumidor turista copa2014
Guia para o consumidor turista copa2014
 
Psicologia e comunicação
Psicologia e comunicaçãoPsicologia e comunicação
Psicologia e comunicação
 
Orientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/Victoria
Orientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/VictoriaOrientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/Victoria
Orientação Pré-embarque - Toronto/Montreal/Calgary/Victoria
 
Peregrinação a itália paróquia da branca
Peregrinação a itália   paróquia da brancaPeregrinação a itália   paróquia da branca
Peregrinação a itália paróquia da branca
 
Projecto visita toledo
Projecto visita toledoProjecto visita toledo
Projecto visita toledo
 
Apresentação JMJ V&T - Geral
Apresentação JMJ V&T - GeralApresentação JMJ V&T - Geral
Apresentação JMJ V&T - Geral
 
Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia)
Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia) Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia)
Orientação pré-embarque - EUA (Califórnia)
 
Primeira Viagem Internacional
Primeira Viagem InternacionalPrimeira Viagem Internacional
Primeira Viagem Internacional
 
Guiacruzeirista
GuiacruzeiristaGuiacruzeirista
Guiacruzeirista
 
Viagem de avião na prática
Viagem de avião na práticaViagem de avião na prática
Viagem de avião na prática
 
Viagem prática - eDestinos
Viagem prática - eDestinosViagem prática - eDestinos
Viagem prática - eDestinos
 
Orientação Pré-embarque - Canadá - Vancouver
Orientação Pré-embarque - Canadá - VancouverOrientação Pré-embarque - Canadá - Vancouver
Orientação Pré-embarque - Canadá - Vancouver
 
2014.eniesc.informações gerais
2014.eniesc.informações gerais2014.eniesc.informações gerais
2014.eniesc.informações gerais
 
Cartilha do consumidor especial turismo
Cartilha do consumidor   especial turismoCartilha do consumidor   especial turismo
Cartilha do consumidor especial turismo
 
Famtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo prático
Famtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo práticoFamtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo prático
Famtour - definição, como é realizado, cuidados necessários e exemplo prático
 

Mais de Karlla Costa

Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedinCertificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Karlla Costa
 
Trabalho Remoto
Trabalho RemotoTrabalho Remoto
Trabalho Remoto
Karlla Costa
 
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEMFACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
Karlla Costa
 
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO  DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
Karlla Costa
 
PAA
PAAPAA
MROC
MROCMROC
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAISFORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
Karlla Costa
 
Certificadoempreendedorismonaep
CertificadoempreendedorismonaepCertificadoempreendedorismonaep
Certificadoempreendedorismonaep
Karlla Costa
 
Agroturismo
AgroturismoAgroturismo
Agroturismo
Karlla Costa
 
ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5
Karlla Costa
 
ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5
Karlla Costa
 
ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4
Karlla Costa
 
ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3
Karlla Costa
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
Karlla Costa
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2
Karlla Costa
 

Mais de Karlla Costa (20)

Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedinCertificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
 
Trabalho Remoto
Trabalho RemotoTrabalho Remoto
Trabalho Remoto
 
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEMFACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
 
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO  DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
 
PAA
PAAPAA
PAA
 
MROC
MROCMROC
MROC
 
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAISFORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
 
Certificadoempreendedorismonaep
CertificadoempreendedorismonaepCertificadoempreendedorismonaep
Certificadoempreendedorismonaep
 
Agroturismo
AgroturismoAgroturismo
Agroturismo
 
ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5
 
ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5
 
ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4
 
ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
 
Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6
 
Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5
 
Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4
 
Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3
 
Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2Agricultura de precisao modulo 2
Agricultura de precisao modulo 2
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

Teoria e técnica profissional

  • 1. GUIA DETURISMO Por Adm.Esp. Karlla Costa Guia deTurismo Regional BA Nacional e Mercosul TEORIA E TÉCNICA PROFISSIONAL
  • 2. KARLLA MIRANDA Graduada em Administração –FTC Especialista em Gestão para Inovação e Sustentabilidade – UESC Guia de Turismo Regional BA, Nacional e América do Sul – SENAC Mestranda em Educação FATEFFIR
  • 3. CONCEITO- TEORIA CONJUNTO DE REGRAS SISTEMATIZADAS QUE FUNDAMENTAM UMA CIÊNCIA CONHECIMENTO ESPECULATIVO SOBRE DETERMINADO ASSUNTO Fonte : Houaiss-Dicionário
  • 4. CONCEITO- TÉCNICA • CONJUNTO DE PROCEDIMENTOS LIGADOS A UMA ARTE OU CIÊNCIA • MANEIRA PRÓPRIA DE REALIZAR UMA TAREFA • Fonte: Houaiss - dicionário
  • 5. RECOMENDAÇÕES VOCÊ É O MAIOR RESPONSÁVEL PELO SEU PRÓPRIO SUCESSO E EMPREGABILIDADE, ISTO SE DARÁ ATRAVÉS DO APRIMORAMENTO, DA COMPETÊNCIA, MOTIVAÇÃO,
  • 6. COMPROMETIMENTO, DISCIPLINA, BOA FÉ E DEDICAÇÃO, ATRIBUTOS QUE SÃO CONDIÇÕES NA OBTENÇÃO DE MERECIDO RECONHECIMENTO, NESTE TÃO COMPETITIVO E POUCO RECONHECIDO MERCADO!
  • 9. OBJETIVO Incorporar e aprofundar os conhecimentos mais relevantes das técnicas de guiamento, levando em conta aspectos técnicos , práticos e experiências entre outros.
  • 10. RESULTADOS ESPERADOS Que os futuros guias adquiram e reforçam conhecimentos acerca de diferentes técnicas para o desenvolvimento prático da profissão
  • 11. DESENVOLVIMENTO DAS TEMÁTICAS TÉCNICAS DE GUIAMENTO O Guiamento em Turismo é uma profissão antiga que adquire desenvolvimento com o turismo atual: EX. Cicerones Italianos do Séc. XIX CICERONE:
  • 12. DESENVOLVIMENTO DAS TEMÁTICAS TÉCNICAS DE GUIAMENTO É uma profissão vocacional e espontânea, a regulamentação da profissão no Brasil se deu através da Lei
  • 13. ATITUDES, APTIDÃO E HABILIDADE ATITUDE APTIDÃO HABILIDADE
  • 14. PERFIL PROFISSIONAL O trabalhar em turismo espírito para o serviço que se mostra conforme o gosto pelo trabalho, se sente cômodo resolvendo os problemas dos turistas, atendendo e realizando o melhor para eles, mostra simpatia e inspira confiança ; permite diferenciar o serviço com detalhes pessoais e intangíveis que agrega o valor ao serviço em si.
  • 15. OS 10 MANDAMENTOS DO TURISMO
  • 17. O GUIA E SUAS CIRCUNSTÂNCIAS O GUIA DEVE : SERINTERDISCIPLINAR ANTECEDER AS NECESSIDADES  TER MUITA PREPARAÇÃO, LEITURA: ÉTICA, ANTROPOLOGIA, LÓGICA, HISTÓRIA ETC. PRODUZIR ENCANTAMENTO; SABER LIDAR COM PESSOAS DE DIFERENTES HÁBITOS ;
  • 18. O GUIA E SUAS CIRCUNSTÂNCIAS DEVE USAR ROUPA ADEQUADA; SER GENTIL: POR FAVOR, OBRIGADO ETC O GUIA É O DIÁLOGO ENTRE SUA REALIDADE E O COTIDIANO DO OUTRO; DEVE TRANSMITIR INFORMAÇÕES SIGNIFICANTES DA SOCIEDADE DE ORIGEM E OU VISITADA.
  • 19. O GUIA E SUAS CIRCUNSTÂNCIAS DEVE CONHECER O TERRITÓRIO E TAMBÉM IDENTIFICAR RISCOS E ASSIM EVITAR OU MINIMIZAR AS POSSIBILIDADES DE EVENTOS DESAGRADÁVEIS. DEVE TORNAR A VIAGEM DO SEU CLIENTE, CONFORTÁVEL, AGRADÁVEL, INFORMANDO ( O PERCURSO, HISTÓRICO ETC) . ORIENTAR O TURISTA E ENTRETÊ-LO , ALÉM DE ACOMPANHÁ-LO .
  • 20. TIPOS DE GUIA DE TURISMO GUIA REGIONAL
  • 21. TIPOS DE GUIA DE TURISMO GUIA NACIONAL
  • 22. TIPOS DE GUIA DE TURISMO GUIA INTERNACIONAL
  • 23. ATRIBUIÇÕES DO GUIA O GUIA DEVE SABER LIDAR CO TRÂMITES BUROCRÁTICOS ORDEM DE SERVIÇO ( OS) :
  • 24. GUIA LOCAL DEVERÁ CONHECER O PERCURSO ATÉ O LOCAL DA HOSPEDAGEM DO GRUPO, DEVE CONHECER A PROGRAMAÇÃO DAS FESTIVIDADES E EVENTOS DA REGIÃO.
  • 25. A IMPORTÂNCIA DO GUIA É O EMBAIXADOR DE SUA CIDADE, SEU ESTADO , SEU PÁIS ; É O CARTÃO DE VISITAS , É O ÓCULO DO TURISTA.
  • 26. GUIA DE TURISmO X GUIA TURÍSTICO
  • 27. HISTÓRICO – AGÊNCIA VIAGENS Thomas Cook
  • 28. TÉCNICA DE TRABALHO Conheça, envolva-se e aprenda a amar o país, cidade ou localidade onde você vive e/ou trabalha. Tornar-se-á assim, bem mais fácil transmitir a sua real apreciação ao outro. O turismo por si só é algo muitas vezes resultado de um olhar superficial . Ex: moradores de ilhéus x Turista
  • 29. Foto teatro de ilhéus
  • 30. PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES CONCERNENTES AO ROTEIRO OS( Ordem de Serviço) –documento que oficializa , explica o contrato de determinado serviço. Material informativo RoomingList( lisa com nomes e número de clientes); Meio de transporte ( avião, trem , ônibus...) Pontos de encontro, tempo de duração...
  • 31. PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES CONCERNENTES AO ROTEIRO Voucher e/ou dinheiro para pagamento de despesas inesperadas ou para pagamento de museus, espetáculos, guias locais etc. ( sempre peça recibo)
  • 32. ORDEM DE SERVIÇODeve conter todos os dados e informações pertinentes aos serviços exigidos, ratifica o compromisso guia/agência no que diz respeito à prestação de serviços demandados.
  • 33. DEVE CONSTAR NA ORDEM DE SERVIÇO Nome e dados da agência contratante Nome do guia contratado Data e hora com início e término do serviço Local de origem do grupo, número vôo, ônibus.. Número e nome completo dos passageiros ( Pax) e ou nome do grupo . Empresa transportadora que executará o serviço.
  • 34. DEVE CONSTAR NA ORDEM DE SERVIÇO O idioma a ser utilizado; Passageiros com necessidades especiais principalmente deficiente físico ( cadeira de rodas, carro especial); TC= Guia Local Especificação dos serviços : localidades, hotéis, restaurantes etc( fazer pesquisa auxiliar)
  • 35. Ao receber a OS o guia deve verificar : crachá e/ou uniforme a ser utilizado. Material de animação, serviço de bordo ou brinde promocionais Informações sobre o perfil do grupo Localizador: placa com nome do grupo e/ou indivíduo – guia local; Room/bus list Voucher
  • 36. Ao receber a OS o guia deve verificar : Dinheiro para despesas imediatas.... Etiquetas de bagagens suficientes para todos ( se possível personalizadas). Opinário, Confidencial, TourComment Preços e possibilidades de Opcionais * reunião prévia antes da viagem para tirar dúvidas.
  • 37. BUSCA DE INFORMAÇÕES O guia deve pesquisar sempre, conhecer a bibliografia da localidade , ter conhecimento teórico ex almanaque abril , sites. Dossiê de “Press” – seleção de reportagens sobre a região interessada. Fichas Turísticas de Circuito
  • 38. O guia deve atentar Forma física do turista: pessoas com problemas cardíacos, hipertensos, longas caminhadas sob sol escaldante, áreas descampadas, prolongado percursos de barco, bicicleta etc. Afinal de contas tudo pode acontecer. Cada turista deve levar seus medicamentos de uso contínuo acompanhado de receita
  • 39. Dinheiro: em viagens internacionais , levar se possível a moeda do país a ser visitado em espécie e ou TravelCheck, doláres americanos, euro, cartão de crédito internacional. Valores acima de 10 mil reais devem ser declarados a Receita Federal , em viagens internacionais ter o endereço de instituições consulares, tirar cópia do passaporte.
  • 40. Vestimentas : se fizer frio ou calor, roupas práticas e confortável, sapatos folgados para longas viagens, levar sempre um casaco em caso de transporte com ar condicionado . Vida em grupo: grupos heterogêneos podem vir a causar transtorno, o sujeito em grupo costuma fazer coisas estranhas que normalmente não faria se tivesse sozinho.
  • 41. DICAS ÚTEIS AO PASSAGEIRO Reservar a viagem ( agência séria e credenciada) com antecipação para escolher os melhores assentos. Conhecer o roteiro ( e o contrato) com antecedência, tempo, datas, hotéis, o que está ou não incluso, conhecer normas e condições ( direitos e deveres) . Estar disposto a longo período de “confinamento”
  • 42. O ideal é viajar fora da alta temporada: Brasil : dezembro, janeiro, fevereiro e julho Europa: Julho e Agosto Estar disposto a “ fazer” parte de um grupo Ser participativo nas atividades propostas Bagagem prática e de fácil arrumação e bem identificada.
  • 43. Aproveite as paradas técnicas para satisfazer as necessidades fisiológicas. Respeitar os horários , para impedir atrasados e prejuízos para o andamento da viagem Ouvir as orientações do guia , solicitando-o quando necessário . Ter consigo fotocópias dos documentos Não fumar no ônibus
  • 44. NAVIO Conhecer o croqui para escolher uma boa cabine O roteiro, o local e horário do embarque A bordo é mais comum o uso de Dólar U$ para serviços não inclusos no pacote: lavanderia, fotos, telefonemas, cabeleireiro, compras, excursões opcionais Cassinos e bingos são pagos na hora; Alguns navios possuem caixa eletrônico.
  • 45. Exige-se passaporte com pelo meses de validade para eventuais países do percurso e que assim demandam RG com menos de 10 anos de validade para países do mercosul . Em cruzeiros no Brasil : RG e certidão de nascimento para menores de 12 anos. Comprovante de vacina; Gestantes até 27 semanas só viagem com atestado médico, com 7 meses não viaja
  • 46. As bagagens só chegam na cabine após o check in , por isso tenha o necessário em mãos . Cabines com decks mais altos são mais caros Sem vista pro mar é mais barato ; As cabines do centro balançam menos ; Levem remédios para enjôo e evite viajar para lugares com tufões, furação; prefira viajar no verão .
  • 47. Há também um pequeno hospital mas é necessário pagar seguro saúde, funciona 24 horas. Normalmente há de 3 a 5 refeições diárias, bebida a parte , exceto em serviços all inclusive Informações de bordo, horários locais e indumentária
  • 49. A voltagem é 220v Gorjetas de 1,50 U$ a 3,00 U$ Não é permitido receber visitas, nem trazer alimentos e bebidas de fora do navio. Bagagem : bom senso, cabine pequena Biblioteca, shows, sala de ginástica, lojinhas, piscinas; Ligação telefônica mais caras – via satélite.
  • 50. Emergência – Salvamento e abandono da embarcação – treinamento- Convenção Internacional –SOLAS 7 Apitos curtos: emergência 1 apito longo abandonar navio
  • 52. BAGAGENS Levar roupas e acessórios adequados para cada tipo de viagem: boné ou chapéu, tênis confortável e antiderrapante, protetor solar, cantil , lanterna, mochila pequena, roupas de banho, roupas jeans , camisa de mana comprida para pessoas alérgicas a picadas de inseto, agasalho leve e com capuz( chuva), canivete ou faca pequena, máscara de mergulho ( opcional) ;
  • 53. Papel higiênico, moletom completo, repelentes( se alérgico óleo de amêndoas) ; Nas mochilas/malas produtos cremosos e líquidos devem ser acondicionados em sacos plásticos, estojo para pequenos utensílios; Sapatos , chinelos devem ficar por baixo de tudo com meias e cuecas/calcinhas dentro .
  • 54. Pasta, escova de dente, sabonete, desodorante, esparadrapo largo, medicamentos de uso pessoal, óculos esporte, máquina fotográfica, lanterna, relógio; Lanche: frutas secas, granola , banana passa... Farmácia individual: creme fenergan, gelol , AS, Imosec, Sonrisal, Apracur . Buscopan, Eno.
  • 55. CHECK LIST Verifique os equipamentos ( prefira usados) Atualize vacinas: antitetânica; Boné, chapéu : protege a cabeça e mantém a temperatura do corpo; Informe-se sobre a previsão do tempo e as particularidades da região; Respeite suas possibilidades ( físicas e financeiras) Na trilha prefira pequenos grupos .
  • 56. Aprenda as regras básicas de primeiros socorros; Informe o itinerário a família e amigos; Leve par de tênis confortáveis , meias compridas protegem melhor , verifique antes de calçá-lo. Alimente-se bem, hidrate-se bem , evite ácool nas caminhadas, urina muito amarelada é sinal de desidratação. Carregue apenas o necessário, mochilas práticas e impermeáveis com fechamento na cintura; Leve sempre um pequeno cadeado;
  • 57. REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO LEIS : 8.623 DE 28/01/93 8.623 DE 01/10/93 LEI GERAL DO TURISMO NOVA PORTARIA *CADASTRO CADASTUR-MTUR