SlideShare uma empresa Scribd logo
Teoria das Cores
Você já tentou perceber o
mundo em preto e branco?
Você já pensou de onde vem
as cores que percebemos na natureza?
Mas se a luz é branca, como
percebemos as cores?
Este fenômeno foi descoberto em 1666 por Isaac Newton
que observou quando um feixe de luz branca
transpassava um prisma de cristal,
este feixe se dividia em um espectro de cores idêntico
às cores do arco-iris.
Para início de conversa, a cor em si não existe.
Ela é uma sensação produzida pelo olho
como resposta aos estímulos de energia luminosa
das longitudes de ondas.
Ultra violeta (ondas curtas) Infra-vermelho (ondas longas)
Mas se a luz não é branca, mas composta por
várias cores... Por que percebemos o tomate vermelho?
Além de um processo químico natural,
o tomate absorve todas as cores e reflete somente o
vermelho. Isto também é válido para folhas, flores, etc.
E a soma das cores-luz primárias
(vermelho, verde e azul) resultam no branco,
daí nossa percepção da luz branca.
Todas as imagens veiculadas pela
televisão, celulares, câmeras
fotográficas e computadores,
são produzidas pela cor-luz.
Você poderia responder por que no litoral as pessoas
pintam suas casinhas de branco?
Cor Pigmento
Quando manipulamos as cores
estamos falando de cores
em pigmento e não de
cores-luz.
O ser humano sempre usou as cores para se comunicar...
Você sabe como eles produziam cores para pintar
nas paredes das cavernas?
Cores Primárias
As cores primárias são consideradas absolutas,
pois não podem serem criadas a partir da
mistura de outras cores.
Cores Secundárias
As cores secundárias são o resultado da mistura
entre as cores primárias.
Cores Terciárias
As cores terciárias são o resultado da mistura entre
As cores primárias e secundárias.
O círculo cromático serve para a gente observar
a organização básica e a inter-relação das cores.
Temperatura das Cores
Cores quentes e frias são utilizadas
para denominar a temperatura da cor.
Cores Quentes
Cores Frias
Cor e Espaço
As tonalidades claras e quentes tendem a produzir
a sensação de que as formas se expandem e se aproximam.
Cor e Espaço
As cores escuras ou frias produzem a sensação
de estreitamento espacial e distanciamento.
Tom ou Matiz
É a cor em si mesma, sua qualidade cromática;
amarelo, azul, magenta, etc.
Valores Tonais
É utilizado para descrever a relação entre claro e escuro
dos matizes cromáticos ou para estabelecer
a luminosidade de uma cor.
Nas escalas cromáticas os valores tonais
são obtidos da mistura com a cor branca,
preta ou cores puras.
Saturação da Cor
A saturação está relacionada
com a pureza cromática
e depende da
quantidade de branco
ou preto presente na cor.
Escalas Monocromáticas
São aquelas onde se apresenta
apenas uma cor e as variações
da mistura com o branco ou preto.
Harmonia cromática
Harmonizar significa coordenar os diferentes valores
que a cor adquire em uma composição.
Cores Análogas
São cores semelhantes ou vizinhas no círculo
cromático. São modulações do mesmo tom.
Cores análogas
na Moda
Cores Análogas
na Decoração
Harmonia Cromática
Nas harmonias cromáticas podemos observar
três cores: uma dominante, outra tônica
e outra de mediação.
A cor dominante é a mais neutra e de maior extensão.
A cor tônica geralmente é a gama do complementar
do dominante, é a mais potente em cor e valor.
Harmonia
A cor de mediação concilia a transição entre o
dominante e o tônico, no círculo cromático Pode
estar próximo ao tom tônico.
Harmonia y contraste
Aqui a harmonia pode ser produzida
Pelo contraste entre as cores.
Cores complementares
Elas produzem os contraste na composição
e no círculo cromático estão em lados opostos
aos das cores primárias.
Cores complementares
Na Moda
Cores complementares
Na Decoração
Gama ou Escala de Gradações
É uma escala de gradações de uma cor pura
até o branco ou o preto, em uma série contínua
de cores quentes ou frias.
Cor e Ritmo
O ritmo interfere na colocação de
diversos tons e produz uma sucessão
ordenada de uma cor para a outra.
Cor e Relações cromáticas
No contexto de uma composição, a cor pode se
alterar conforme sua proximidade com outras
cores. Veja o cinza. Qual deles é mais vibrante?
O que acontece com o verde na relação cromática?
Como fica o movimento visual?
Partindo dos
fundamentos das cores
vamos analisar
algumas imagens.
Poderíamos ainda, falar da relação
da cor com a psicologia, com a simbologia
das cores... Mas isto é tema para
um próximo encontro.
Projeto Gráfico:
Paulo Cintra
Bibliografia:
Da cor à cor inexistente – Ismael Pedrosa
Color – Alisson Cole
História da Arte – Ernest Gombrich

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicologia das cores
Psicologia das coresPsicologia das cores
Psicologia das cores
Luís Carlos Braz
 
A Cor Power Point
 A Cor Power Point A Cor Power Point
A Cor Power Point
fernandomanelnunes
 
Luz e sombra
Luz e sombraLuz e sombra
Luz e sombra
Paulo Alexandre
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Raphael Lanzillotte
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
Helena Jacob
 
Artes Visuais
Artes Visuais Artes Visuais
Artes Visuais
professoramariaraquel
 
Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.
Renata_Vasconcelos
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
João Rafael Lopes
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
Júnior Maciel
 
Cor Luz - Cor Pigmento
Cor Luz - Cor PigmentoCor Luz - Cor Pigmento
Cor Luz - Cor Pigmento
Daniela Fiuza
 
Oficina de pintura em tela
Oficina de pintura em telaOficina de pintura em tela
Oficina de pintura em tela
pibidletrasifpa
 
O uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidadeO uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidade
Breno Brito
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
Keyla Dias
 
Linguagem das Cores - Aula 5
Linguagem das Cores - Aula 5Linguagem das Cores - Aula 5
Linguagem das Cores - Aula 5
José Pirauá
 
Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual
melzynhabessa
 
Elementos visuais I
Elementos visuais IElementos visuais I
Elementos visuais I
Helena Romero
 
Cor luz
Cor luzCor luz
Cor luz
irenegouveia
 
A história da fotografia
A história da fotografiaA história da fotografia
A história da fotografia
diogocaetanorodrigues
 
Aula 05 linguagem visual
Aula 05   linguagem visualAula 05   linguagem visual
Aula 05 linguagem visual
Elizeu Nascimento Silva
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
Mara dalto
 

Mais procurados (20)

Psicologia das cores
Psicologia das coresPsicologia das cores
Psicologia das cores
 
A Cor Power Point
 A Cor Power Point A Cor Power Point
A Cor Power Point
 
Luz e sombra
Luz e sombraLuz e sombra
Luz e sombra
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Artes Visuais
Artes Visuais Artes Visuais
Artes Visuais
 
Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Cor Luz - Cor Pigmento
Cor Luz - Cor PigmentoCor Luz - Cor Pigmento
Cor Luz - Cor Pigmento
 
Oficina de pintura em tela
Oficina de pintura em telaOficina de pintura em tela
Oficina de pintura em tela
 
O uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidadeO uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidade
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
 
Linguagem das Cores - Aula 5
Linguagem das Cores - Aula 5Linguagem das Cores - Aula 5
Linguagem das Cores - Aula 5
 
Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual
 
Elementos visuais I
Elementos visuais IElementos visuais I
Elementos visuais I
 
Cor luz
Cor luzCor luz
Cor luz
 
A história da fotografia
A história da fotografiaA história da fotografia
A história da fotografia
 
Aula 05 linguagem visual
Aula 05   linguagem visualAula 05   linguagem visual
Aula 05 linguagem visual
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 

Destaque

Teoria cores
Teoria coresTeoria cores
Teoria cores
W.COM
 
Dte avaliação portifolio-quinta
Dte avaliação portifolio-quintaDte avaliação portifolio-quinta
Dte avaliação portifolio-quinta
Caliandra Desenhos
 
Tempietto di San Pietro
Tempietto di San PietroTempietto di San Pietro
Tempietto di San Pietro
ruadopaiol
 
Valongo2007c
Valongo2007cValongo2007c
Valongo2007c
Luciana Guim
 
Capítulo 8 de daniel
Capítulo 8 de danielCapítulo 8 de daniel
Capítulo 8 de daniel
Diego Fortunatto
 
Memorias 2013 - 2014. Sector 01
Memorias 2013 - 2014. Sector 01Memorias 2013 - 2014. Sector 01
Memorias 2013 - 2014. Sector 01
Telesecundarias Oaxaca Ieepo
 
A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"
A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"
A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"
Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural
 
Aula9 patrimonio brasil
Aula9 patrimonio brasilAula9 patrimonio brasil
Aula9 patrimonio brasil
Caliandra Desenhos
 
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helenaConjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Steves Rocha
 
Ruskin
RuskinRuskin
Patrimonio_cultural
Patrimonio_culturalPatrimonio_cultural
Patrimonio_cultural
Gustavomk
 
Projeto Urbano I - UFRGS
Projeto Urbano I - UFRGS Projeto Urbano I - UFRGS
Projeto Urbano I - UFRGS
Mariana Mincarone
 
Técnicas de Retrospectivas
Técnicas de RetrospectivasTécnicas de Retrospectivas
Técnicas de Retrospectivas
Annelise Gripp
 
Question�rio02
Question�rio02Question�rio02
Question�rio02
Andrea de Souza
 
Cartas patrimoniais veneza
Cartas patrimoniais venezaCartas patrimoniais veneza
Cartas patrimoniais veneza
Stephanie Ribeiro
 
Macário Correia - Presidente CM Faro
Macário Correia - Presidente CM FaroMacário Correia - Presidente CM Faro
Macário Correia - Presidente CM Faro
Construção Sustentável
 
Os Históricos
Os HistóricosOs Históricos
Os Históricos
Egmon Pereira
 
25 1937
25 193725 1937
Teatro josé de alencar
Teatro josé de alencarTeatro josé de alencar
Teatro josé de alencar
carlosand_1980
 
Aula01 conceitosmemoria
Aula01 conceitosmemoriaAula01 conceitosmemoria
Aula01 conceitosmemoria
Caliandra Desenhos
 

Destaque (20)

Teoria cores
Teoria coresTeoria cores
Teoria cores
 
Dte avaliação portifolio-quinta
Dte avaliação portifolio-quintaDte avaliação portifolio-quinta
Dte avaliação portifolio-quinta
 
Tempietto di San Pietro
Tempietto di San PietroTempietto di San Pietro
Tempietto di San Pietro
 
Valongo2007c
Valongo2007cValongo2007c
Valongo2007c
 
Capítulo 8 de daniel
Capítulo 8 de danielCapítulo 8 de daniel
Capítulo 8 de daniel
 
Memorias 2013 - 2014. Sector 01
Memorias 2013 - 2014. Sector 01Memorias 2013 - 2014. Sector 01
Memorias 2013 - 2014. Sector 01
 
A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"
A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"
A construção da identidade Luso-Paraense: Taipa como "lugar de memória"
 
Aula9 patrimonio brasil
Aula9 patrimonio brasilAula9 patrimonio brasil
Aula9 patrimonio brasil
 
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helenaConjunto paisagístico da rua barão de sta helena
Conjunto paisagístico da rua barão de sta helena
 
Ruskin
RuskinRuskin
Ruskin
 
Patrimonio_cultural
Patrimonio_culturalPatrimonio_cultural
Patrimonio_cultural
 
Projeto Urbano I - UFRGS
Projeto Urbano I - UFRGS Projeto Urbano I - UFRGS
Projeto Urbano I - UFRGS
 
Técnicas de Retrospectivas
Técnicas de RetrospectivasTécnicas de Retrospectivas
Técnicas de Retrospectivas
 
Question�rio02
Question�rio02Question�rio02
Question�rio02
 
Cartas patrimoniais veneza
Cartas patrimoniais venezaCartas patrimoniais veneza
Cartas patrimoniais veneza
 
Macário Correia - Presidente CM Faro
Macário Correia - Presidente CM FaroMacário Correia - Presidente CM Faro
Macário Correia - Presidente CM Faro
 
Os Históricos
Os HistóricosOs Históricos
Os Históricos
 
25 1937
25 193725 1937
25 1937
 
Teatro josé de alencar
Teatro josé de alencarTeatro josé de alencar
Teatro josé de alencar
 
Aula01 conceitosmemoria
Aula01 conceitosmemoriaAula01 conceitosmemoria
Aula01 conceitosmemoria
 

Semelhante a Teoria das cores

Teorias da cor cartografia temática
Teorias da cor   cartografia temáticaTeorias da cor   cartografia temática
Teorias da cor cartografia temática
Alexandre Amorim
 
Harmonia das cores
Harmonia das coresHarmonia das cores
A Cor
A Cor A Cor
A cor
A corA cor
A cor
malo45
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
menudemaquiagem
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
Michele Augusto
 
CORES.docx
CORES.docxCORES.docx
CORES.docx
ColegioDrJulival
 
Cartografia tematica aula 3
Cartografia tematica   aula 3Cartografia tematica   aula 3
Cartografia tematica aula 3
Margarete Santana
 
Cores na Web
Cores na WebCores na Web
cartografia_tematica - aula 3.ppt
cartografia_tematica - aula 3.pptcartografia_tematica - aula 3.ppt
cartografia_tematica - aula 3.ppt
AnaMelloArquiteta
 
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E HugoTrabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
guestf1230
 
Teoria das cores aula
Teoria das cores   aulaTeoria das cores   aula
Teoria das cores aula
Wellingtonalvesjsatiro Satiro
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
ascensao
 
Palestra de Cores
Palestra de CoresPalestra de Cores
Palestra de Cores
Doisnovemeia Publicidade
 
Entre cores
Entre coresEntre cores
Entre cores
rolim mendes
 
Cor e Propriedades
 Cor e  Propriedades Cor e  Propriedades
Cor e Propriedades
Daniela Fiuza
 
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
elisabhp
 
Aula de estudo da cores aula 10 minutos
Aula de estudo da cores aula 10 minutosAula de estudo da cores aula 10 minutos
Aula de estudo da cores aula 10 minutos
Carlos Maurício da Costa Ramos
 
Aula05 prod grafica
Aula05 prod graficaAula05 prod grafica
1189800457 Cores Quentes[1]
1189800457 Cores Quentes[1]1189800457 Cores Quentes[1]
1189800457 Cores Quentes[1]
Jorge Caramelo Caramelo
 

Semelhante a Teoria das cores (20)

Teorias da cor cartografia temática
Teorias da cor   cartografia temáticaTeorias da cor   cartografia temática
Teorias da cor cartografia temática
 
Harmonia das cores
Harmonia das coresHarmonia das cores
Harmonia das cores
 
A Cor
A Cor A Cor
A Cor
 
A cor
A corA cor
A cor
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 
CORES.docx
CORES.docxCORES.docx
CORES.docx
 
Cartografia tematica aula 3
Cartografia tematica   aula 3Cartografia tematica   aula 3
Cartografia tematica aula 3
 
Cores na Web
Cores na WebCores na Web
Cores na Web
 
cartografia_tematica - aula 3.ppt
cartografia_tematica - aula 3.pptcartografia_tematica - aula 3.ppt
cartografia_tematica - aula 3.ppt
 
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E HugoTrabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
 
Teoria das cores aula
Teoria das cores   aulaTeoria das cores   aula
Teoria das cores aula
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
Palestra de Cores
Palestra de CoresPalestra de Cores
Palestra de Cores
 
Entre cores
Entre coresEntre cores
Entre cores
 
Cor e Propriedades
 Cor e  Propriedades Cor e  Propriedades
Cor e Propriedades
 
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
 
Aula de estudo da cores aula 10 minutos
Aula de estudo da cores aula 10 minutosAula de estudo da cores aula 10 minutos
Aula de estudo da cores aula 10 minutos
 
Aula05 prod grafica
Aula05 prod graficaAula05 prod grafica
Aula05 prod grafica
 
1189800457 Cores Quentes[1]
1189800457 Cores Quentes[1]1189800457 Cores Quentes[1]
1189800457 Cores Quentes[1]
 

Mais de pacobr

ABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICASABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICAS
pacobr
 
DESENHO GRÁFICO - O CARTAZ
DESENHO GRÁFICO - O CARTAZDESENHO GRÁFICO - O CARTAZ
DESENHO GRÁFICO - O CARTAZ
pacobr
 
TIPOGRAFIA E PUBLICIDADE
TIPOGRAFIA E PUBLICIDADETIPOGRAFIA E PUBLICIDADE
TIPOGRAFIA E PUBLICIDADE
pacobr
 
LINGUAGEM E PUBLICIDADE
LINGUAGEM E PUBLICIDADELINGUAGEM E PUBLICIDADE
LINGUAGEM E PUBLICIDADE
pacobr
 
A MARCA NA PUBLICIDADE
A MARCA NA PUBLICIDADEA MARCA NA PUBLICIDADE
A MARCA NA PUBLICIDADE
pacobr
 
Arte no Renascimento
Arte no RenascimentoArte no Renascimento
Arte no Renascimento
pacobr
 
Desenho industrial
Desenho industrialDesenho industrial
Desenho industrial
pacobr
 
A imagem do artista
A imagem do artistaA imagem do artista
A imagem do artista
pacobr
 
A perpectiva power
A perpectiva powerA perpectiva power
A perpectiva power
pacobr
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
pacobr
 
Arte renascimento
Arte renascimentoArte renascimento
Arte renascimento
pacobr
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
pacobr
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
pacobr
 
Grécia arte e matemática
Grécia arte e matemáticaGrécia arte e matemática
Grécia arte e matemática
pacobr
 
Arte e beleza
Arte e belezaArte e beleza
Arte e beleza
pacobr
 

Mais de pacobr (15)

ABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICASABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICAS
 
DESENHO GRÁFICO - O CARTAZ
DESENHO GRÁFICO - O CARTAZDESENHO GRÁFICO - O CARTAZ
DESENHO GRÁFICO - O CARTAZ
 
TIPOGRAFIA E PUBLICIDADE
TIPOGRAFIA E PUBLICIDADETIPOGRAFIA E PUBLICIDADE
TIPOGRAFIA E PUBLICIDADE
 
LINGUAGEM E PUBLICIDADE
LINGUAGEM E PUBLICIDADELINGUAGEM E PUBLICIDADE
LINGUAGEM E PUBLICIDADE
 
A MARCA NA PUBLICIDADE
A MARCA NA PUBLICIDADEA MARCA NA PUBLICIDADE
A MARCA NA PUBLICIDADE
 
Arte no Renascimento
Arte no RenascimentoArte no Renascimento
Arte no Renascimento
 
Desenho industrial
Desenho industrialDesenho industrial
Desenho industrial
 
A imagem do artista
A imagem do artistaA imagem do artista
A imagem do artista
 
A perpectiva power
A perpectiva powerA perpectiva power
A perpectiva power
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Arte renascimento
Arte renascimentoArte renascimento
Arte renascimento
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Grécia arte e matemática
Grécia arte e matemáticaGrécia arte e matemática
Grécia arte e matemática
 
Arte e beleza
Arte e belezaArte e beleza
Arte e beleza
 

Último

the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 

Último (20)

the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 

Teoria das cores

  • 2. Você já tentou perceber o mundo em preto e branco?
  • 3. Você já pensou de onde vem as cores que percebemos na natureza?
  • 4. Mas se a luz é branca, como percebemos as cores?
  • 5. Este fenômeno foi descoberto em 1666 por Isaac Newton que observou quando um feixe de luz branca transpassava um prisma de cristal, este feixe se dividia em um espectro de cores idêntico às cores do arco-iris.
  • 6.
  • 7. Para início de conversa, a cor em si não existe. Ela é uma sensação produzida pelo olho como resposta aos estímulos de energia luminosa das longitudes de ondas. Ultra violeta (ondas curtas) Infra-vermelho (ondas longas)
  • 8. Mas se a luz não é branca, mas composta por várias cores... Por que percebemos o tomate vermelho?
  • 9. Além de um processo químico natural, o tomate absorve todas as cores e reflete somente o vermelho. Isto também é válido para folhas, flores, etc.
  • 10. E a soma das cores-luz primárias (vermelho, verde e azul) resultam no branco, daí nossa percepção da luz branca.
  • 11. Todas as imagens veiculadas pela televisão, celulares, câmeras fotográficas e computadores, são produzidas pela cor-luz.
  • 12. Você poderia responder por que no litoral as pessoas pintam suas casinhas de branco?
  • 13. Cor Pigmento Quando manipulamos as cores estamos falando de cores em pigmento e não de cores-luz.
  • 14. O ser humano sempre usou as cores para se comunicar... Você sabe como eles produziam cores para pintar nas paredes das cavernas?
  • 15. Cores Primárias As cores primárias são consideradas absolutas, pois não podem serem criadas a partir da mistura de outras cores.
  • 16. Cores Secundárias As cores secundárias são o resultado da mistura entre as cores primárias.
  • 17. Cores Terciárias As cores terciárias são o resultado da mistura entre As cores primárias e secundárias.
  • 18. O círculo cromático serve para a gente observar a organização básica e a inter-relação das cores.
  • 19. Temperatura das Cores Cores quentes e frias são utilizadas para denominar a temperatura da cor. Cores Quentes Cores Frias
  • 20.
  • 21. Cor e Espaço As tonalidades claras e quentes tendem a produzir a sensação de que as formas se expandem e se aproximam.
  • 22. Cor e Espaço As cores escuras ou frias produzem a sensação de estreitamento espacial e distanciamento.
  • 23. Tom ou Matiz É a cor em si mesma, sua qualidade cromática; amarelo, azul, magenta, etc.
  • 24. Valores Tonais É utilizado para descrever a relação entre claro e escuro dos matizes cromáticos ou para estabelecer a luminosidade de uma cor.
  • 25. Nas escalas cromáticas os valores tonais são obtidos da mistura com a cor branca, preta ou cores puras.
  • 26. Saturação da Cor A saturação está relacionada com a pureza cromática e depende da quantidade de branco ou preto presente na cor.
  • 27. Escalas Monocromáticas São aquelas onde se apresenta apenas uma cor e as variações da mistura com o branco ou preto.
  • 28.
  • 29. Harmonia cromática Harmonizar significa coordenar os diferentes valores que a cor adquire em uma composição.
  • 30. Cores Análogas São cores semelhantes ou vizinhas no círculo cromático. São modulações do mesmo tom.
  • 31. Cores análogas na Moda Cores Análogas na Decoração
  • 32. Harmonia Cromática Nas harmonias cromáticas podemos observar três cores: uma dominante, outra tônica e outra de mediação.
  • 33. A cor dominante é a mais neutra e de maior extensão. A cor tônica geralmente é a gama do complementar do dominante, é a mais potente em cor e valor. Harmonia
  • 34. A cor de mediação concilia a transição entre o dominante e o tônico, no círculo cromático Pode estar próximo ao tom tônico.
  • 35. Harmonia y contraste Aqui a harmonia pode ser produzida Pelo contraste entre as cores.
  • 36. Cores complementares Elas produzem os contraste na composição e no círculo cromático estão em lados opostos aos das cores primárias.
  • 37.
  • 38. Cores complementares Na Moda Cores complementares Na Decoração
  • 39. Gama ou Escala de Gradações É uma escala de gradações de uma cor pura até o branco ou o preto, em uma série contínua de cores quentes ou frias.
  • 40. Cor e Ritmo O ritmo interfere na colocação de diversos tons e produz uma sucessão ordenada de uma cor para a outra.
  • 41. Cor e Relações cromáticas No contexto de uma composição, a cor pode se alterar conforme sua proximidade com outras cores. Veja o cinza. Qual deles é mais vibrante?
  • 42. O que acontece com o verde na relação cromática? Como fica o movimento visual?
  • 43. Partindo dos fundamentos das cores vamos analisar algumas imagens.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49.
  • 50. Poderíamos ainda, falar da relação da cor com a psicologia, com a simbologia das cores... Mas isto é tema para um próximo encontro.
  • 51. Projeto Gráfico: Paulo Cintra Bibliografia: Da cor à cor inexistente – Ismael Pedrosa Color – Alisson Cole História da Arte – Ernest Gombrich