SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Jornada 2012
Formação de Professores
  Educação Digital II
      03/02/2012
PAUTA:
* Reflexão Inicial;

* Vídeo: “Help Desk”;

* Discussão e reflexão do Vídeo;

* Tecnologias Educacionais – Pilares da Educação (UNESCO);

* Proposta de Trabalho – Pilares X Tecnologias;

* Referencial de Competências (Philippe PERRENOUD);

* Ampliação de Jornada – Projetos.
RETORNO...
Como você
  está se
sentindo?
UMA IMAGEM VALE

  MAIS DO QUE

1.000 PALAVRAS...
“Os professores que sabem o que as novidades
     tecnológicas aportam, bem como seus perigos e
     limites, podem decidir, com conhecimento de causa,
     dar-lhes um amplo espaço em sua classe, ou utilizá-las
     de modo bastante marginal. Neste último caso, não
     será por ignorância, mas porque pesaram prós e
     contras, depois julgaram que não valia a pena, dado o
     nível de seus alunos, da disciplina considerada e do
     estado das tecnologias. Pode ser mais simples e
     igualmente eficaz ensinar física ou história por meios
     tradicionais do que passar horas pesquisando
     documentos ou escrevendo programas, sem que se
     tenha tempo para pensar nos aspectos didáticos.”
                                           (PERRENOUD, 2000, p.138)

FONTE: PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre:
Artes Médicas Sul, 2000.
Vídeo: Help Desk

Por que o usuário solicita ajuda?

 A ajuda oferecida pelo instrutor possibilitou a
construção da autonomia do usuário? Por quê?

 Que relação existe entre o vídeo e a abordagem
instrucionista?

O que você sugere como solução?
TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS

                     Propostas

       didático-pedagógico-crítico-reflexivas


Professor-promotor           4 Pilares da
    (mediador)                Educação


                                   Aprender a conhecer
    Aluno-autor
    (autônomo)                         Aprender a fazer

                                            Aprender a conviver

                                                  Aprender a ser
4 PILARES DA EDUCAÇÃO
APRENDER A CONHECER: dominar as ferramentas de produção e gestão do
conhecimento indicando     abertura   para   os   novos   conhecimentos   e   novas
manifestações culturais.
APRENDER A FAZER: saber agir e estar em sintonia com as atuais mudanças no
mundo do trabalho ou ainda, constituir a base para a formação do cidadão produtivo.
APRENDER A CONVIVER: participando e cooperando com o meio ambiente,
convivendo pacificamente com a diversidade, respeitando as diferenças e as minorias
como caminho do entendimento.
APRENDER A SER: ou ser o próprio sujeito do conhecimento, da história e, ao
mesmo tempo, cidadão do mundo, realizando-se como indivíduo.

    O conjunto formado por esses quatro pilares denota elementos
diferenciados e integrados para uma educação de qualidade que, ao ser
interpretado na sua totalidade de ações, visa à formação do cidadão
capacitado para o convívio crítico com as tecnologias contemporâneas.

                           Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e
                                             a Cultura. (UNESCO)
PROPOSTA DE TRABALHO

Em duplas:

Associe uma atividade desenvolvida
nos ambientes digitais a um Pilar da
Educação.
Referencial de Competências (Philippe PERRENOUD)
1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem (cerne do ofício do professor)

2. Administrar a progressão das aprendizagens (visão longitudinal do todo)

3. Conceber e fazer evoluir dispositivos de diferenciação (evitar as mesmas lições e
exercícios para todos, pois a diversidade de aprendizes é a norma).

4. Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho (motivação)

5. Trabalhar em equipe (cooperar com colegas, especialistas, administradores)

6. Participar da administração da escola (não ficar apenas na sala de aula)

7. Informar e envolver os pais (em relacionamentos de parceria)

8. Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão

9. Administrar sua própria formação contínua

10. Utilizar Novas Tecnologias da Informação e Comunicação
Instrução para elaboração e proposta de projetos de aprendizagem envolvendo o
professor de Educação Digital

    Visando oferecer às escolas oportunidade para adequar as ações do programa de
Educação Digital ao seu Projeto Político Pedagógico, orientamos para elaboração de projetos
de inclusão e educação digital em três dimensões:
    Projeto 1 – Ampliação da carga horária semanal ofertada aos alunos do 6º ao 9º anos de
escolaridade.
    Projeto 2 – Formação continuada em Tecnologia Educacional para docentes da Unidade
Escolar.
    Projeto 3 – Inclusão digital para a comunidade.
    Desdobramentos:
    Projeto 1:
    A carga horária inicial de uma hora-aula por classe/ano de escolaridade poderá ser
ampliada para até duas horas-aula por classe/ano de escolaridade de acordo com os recursos
materiais e humanos disponíveis e dos objetivos educacionais da Unidade Escolar no que
tange à Educação Digital.
Projeto 2:
    A Unidade Escolar poderá ofertar aos docentes, caso haja disponibilidade material e
humana, de uma a três horas-aula semanais de formação continuada voltadas para Educação
Digital que deverão ser cumpridas em tempo livre nas formas de plantão ou turmas de estudo.
    As ações deste projeto deverão pautar-se na pesquisa, elaboração de conteúdos digitais,
aprofundamento dos conhecimentos tecnológicos e desenvolvimento de estratégias de ensino
com o uso de tecnologias.

    Projeto 3:
    Havendo disponibilidade material e humana, a Escola poderá ofertar à comunidade
atividades de inclusão digital em uma turma de no mínimo de 10 e máximo de 15 alunos com
carga horária de até 4 horas-aulas semanais.

    Considerações finais:
    A estrutura dos projetos deverá constar de:
    Justificativa: relatar o que motivou a Unidade Escolar a propor o projeto.
Objetivos: descrever o que se pretende alcançar com o desenvolvimento do projeto.
    Programa: listar os conteúdos, habilidades e competências que serão desenvolvidas
com a aplicação do projeto.
    Carga horária: Indicar o número de horas-aula semanais destinadas ao projeto.
    Avaliação: descrever como ocorrerá a avaliação do projeto.


    A regência das aulas definidas nos projetos caberá aos professores de Educação Digital
da Unidade Escolar proponente, de acordo com as normas de atribuição de aulas da
Secretaria Municipal de Educação.
    A aprovação dos projetos bem como da carga horária atribuída aos professores de
Educação Digital envolvidos cada um deles, passará por análise da Equipe do Núcleo de
Educação Digital do Município (NTEM), do Departamento de Recursos Humanos da SEDUC
e homologação da Secretária da Educação do Município.
    Os projetos deverão ser protocolados na SEDUC no período de 01 a 10 de fevereiro de
2012 aos cuidados da Secretária da Educação, profª Tânia Simões.
ÓTIMO RETORNO...
Slide 1ª formação ped ii   03-02-12

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portifólio Proinfo
Portifólio ProinfoPortifólio Proinfo
Portifólio Proinfo
itapevamarco
 
Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013
Yanna Dias
 
Acção formação pte1
Acção formação pte1Acção formação pte1
Acção formação pte1
Ádila Faria
 
PIXTON Histórias em quadrinhos na web
PIXTON Histórias em quadrinhos na webPIXTON Histórias em quadrinhos na web
PIXTON Histórias em quadrinhos na web
Ana Paula Ó
 
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h PalmitosProjeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
NTE Palmitos
 
A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...
A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...
A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...
christianceapcursos
 

Mais procurados (20)

Portifólio proinfo
Portifólio proinfoPortifólio proinfo
Portifólio proinfo
 
Portifólio Proinfo
Portifólio ProinfoPortifólio Proinfo
Portifólio Proinfo
 
Portifólio Proinfo
Portifólio ProinfoPortifólio Proinfo
Portifólio Proinfo
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Presencas remotas arb 2021
Presencas remotas arb 2021Presencas remotas arb 2021
Presencas remotas arb 2021
 
linguagem digital
linguagem digitallinguagem digital
linguagem digital
 
Um repensar das tecnologias
Um repensar das tecnologiasUm repensar das tecnologias
Um repensar das tecnologias
 
Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013
 
Perguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
Perguntas e Respostas sobre Ensino HíbridoPerguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
Perguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
 
Acção formação pte1
Acção formação pte1Acção formação pte1
Acção formação pte1
 
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacionalAs TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
 
17432019 Tecnologias Digitais Edu
17432019 Tecnologias Digitais Edu17432019 Tecnologias Digitais Edu
17432019 Tecnologias Digitais Edu
 
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela MelaréEducação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
Educação e tecnologias : reflexão, inovação e práticas - Daniela Melaré
 
2
22
2
 
Edu online introducao abordagens
Edu online introducao abordagensEdu online introducao abordagens
Edu online introducao abordagens
 
Educação 4.0
Educação 4.0Educação 4.0
Educação 4.0
 
PIXTON Histórias em quadrinhos na web
PIXTON Histórias em quadrinhos na webPIXTON Histórias em quadrinhos na web
PIXTON Histórias em quadrinhos na web
 
A transformação do ensino: Com a pandemia, a rotina escolar mudou, todos os p...
A transformação do ensino: Com a pandemia, a rotina escolar mudou, todos os p...A transformação do ensino: Com a pandemia, a rotina escolar mudou, todos os p...
A transformação do ensino: Com a pandemia, a rotina escolar mudou, todos os p...
 
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h PalmitosProjeto Ti Cs 100h Palmitos
Projeto Ti Cs 100h Palmitos
 
A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...
A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...
A UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESPANHOLA:...
 

Semelhante a Slide 1ª formação ped ii 03-02-12

Relatório crítico final
Relatório crítico finalRelatório crítico final
Relatório crítico final
Luisa1959
 
Design didático
Design didáticoDesign didático
Design didático
Carina
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
Aucione Aguiar
 
Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro
Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes RomeiroSantana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro
Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro
CursoTICs
 
Portfólio de Conclusão de Curso
Portfólio de Conclusão de CursoPortfólio de Conclusão de Curso
Portfólio de Conclusão de Curso
Jairo Felipe
 
Uso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIUso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKI
adoryeva sylva
 
Apresentação do curso TIC na Educação
Apresentação do curso TIC na EducaçãoApresentação do curso TIC na Educação
Apresentação do curso TIC na Educação
Diran Araújo
 

Semelhante a Slide 1ª formação ped ii 03-02-12 (20)

Apresentaçãocurso
ApresentaçãocursoApresentaçãocurso
Apresentaçãocurso
 
Portifólio proinfo
Portifólio proinfoPortifólio proinfo
Portifólio proinfo
 
A formacao continuada_do_professor_de_linguagem
A formacao continuada_do_professor_de_linguagemA formacao continuada_do_professor_de_linguagem
A formacao continuada_do_professor_de_linguagem
 
Relatório crítico final
Relatório crítico finalRelatório crítico final
Relatório crítico final
 
1º encontro 100h
1º encontro 100h1º encontro 100h
1º encontro 100h
 
Design didático
Design didáticoDesign didático
Design didático
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
 
112579.pptx
112579.pptx112579.pptx
112579.pptx
 
Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro
Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes RomeiroSantana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro
Santana do Livramento - Ana Gládis Fernandes Romeiro
 
Oficina conteudos digitais - nteac
Oficina conteudos digitais  - nteac Oficina conteudos digitais  - nteac
Oficina conteudos digitais - nteac
 
Oficina conteudos digitais - nte
Oficina conteudos digitais  - nteOficina conteudos digitais  - nte
Oficina conteudos digitais - nte
 
Portfólio de Conclusão de Curso
Portfólio de Conclusão de CursoPortfólio de Conclusão de Curso
Portfólio de Conclusão de Curso
 
Novas tecnologias desafios de hoje
Novas tecnologias desafios de hojeNovas tecnologias desafios de hoje
Novas tecnologias desafios de hoje
 
Os 4P`s das Metas de Aprendizagem na área das TIC
Os 4P`s das Metas de Aprendizagem na área das TICOs 4P`s das Metas de Aprendizagem na área das TIC
Os 4P`s das Metas de Aprendizagem na área das TIC
 
Uso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIUso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKI
 
Lousa Digital: Perspectivas Pedagógicas
Lousa Digital: Perspectivas PedagógicasLousa Digital: Perspectivas Pedagógicas
Lousa Digital: Perspectivas Pedagógicas
 
Portfólio Jocimara
Portfólio JocimaraPortfólio Jocimara
Portfólio Jocimara
 
@rca2010
@rca2010@rca2010
@rca2010
 
Apresentação do curso TIC na Educação
Apresentação do curso TIC na EducaçãoApresentação do curso TIC na Educação
Apresentação do curso TIC na Educação
 
Conahpa 2013 AeN JP
Conahpa 2013 AeN JPConahpa 2013 AeN JP
Conahpa 2013 AeN JP
 

Mais de ntemsv

Apostila smart boardx
Apostila smart boardxApostila smart boardx
Apostila smart boardx
ntemsv
 
Apostila smart board
Apostila smart boardApostila smart board
Apostila smart board
ntemsv
 
Lousa uso manutenção
Lousa uso manutençãoLousa uso manutenção
Lousa uso manutenção
ntemsv
 
Instalação linux 4.0
Instalação linux 4.0Instalação linux 4.0
Instalação linux 4.0
ntemsv
 
Inst. lousa no linux 4.0
Inst. lousa no linux 4.0Inst. lousa no linux 4.0
Inst. lousa no linux 4.0
ntemsv
 
Config. internet linux 4.0
Config. internet linux 4.0Config. internet linux 4.0
Config. internet linux 4.0
ntemsv
 
Proposta de projetos ed. digital
Proposta de projetos ed. digitalProposta de projetos ed. digital
Proposta de projetos ed. digital
ntemsv
 
Portaria 5 2012
Portaria 5 2012Portaria 5 2012
Portaria 5 2012
ntemsv
 
Reflexao
ReflexaoReflexao
Reflexao
ntemsv
 

Mais de ntemsv (9)

Apostila smart boardx
Apostila smart boardxApostila smart boardx
Apostila smart boardx
 
Apostila smart board
Apostila smart boardApostila smart board
Apostila smart board
 
Lousa uso manutenção
Lousa uso manutençãoLousa uso manutenção
Lousa uso manutenção
 
Instalação linux 4.0
Instalação linux 4.0Instalação linux 4.0
Instalação linux 4.0
 
Inst. lousa no linux 4.0
Inst. lousa no linux 4.0Inst. lousa no linux 4.0
Inst. lousa no linux 4.0
 
Config. internet linux 4.0
Config. internet linux 4.0Config. internet linux 4.0
Config. internet linux 4.0
 
Proposta de projetos ed. digital
Proposta de projetos ed. digitalProposta de projetos ed. digital
Proposta de projetos ed. digital
 
Portaria 5 2012
Portaria 5 2012Portaria 5 2012
Portaria 5 2012
 
Reflexao
ReflexaoReflexao
Reflexao
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 

Último (20)

Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 

Slide 1ª formação ped ii 03-02-12

  • 1. Jornada 2012 Formação de Professores Educação Digital II 03/02/2012
  • 2. PAUTA: * Reflexão Inicial; * Vídeo: “Help Desk”; * Discussão e reflexão do Vídeo; * Tecnologias Educacionais – Pilares da Educação (UNESCO); * Proposta de Trabalho – Pilares X Tecnologias; * Referencial de Competências (Philippe PERRENOUD); * Ampliação de Jornada – Projetos.
  • 3. RETORNO... Como você está se sentindo?
  • 4. UMA IMAGEM VALE MAIS DO QUE 1.000 PALAVRAS...
  • 5.
  • 6. “Os professores que sabem o que as novidades tecnológicas aportam, bem como seus perigos e limites, podem decidir, com conhecimento de causa, dar-lhes um amplo espaço em sua classe, ou utilizá-las de modo bastante marginal. Neste último caso, não será por ignorância, mas porque pesaram prós e contras, depois julgaram que não valia a pena, dado o nível de seus alunos, da disciplina considerada e do estado das tecnologias. Pode ser mais simples e igualmente eficaz ensinar física ou história por meios tradicionais do que passar horas pesquisando documentos ou escrevendo programas, sem que se tenha tempo para pensar nos aspectos didáticos.” (PERRENOUD, 2000, p.138) FONTE: PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.
  • 7. Vídeo: Help Desk Por que o usuário solicita ajuda? A ajuda oferecida pelo instrutor possibilitou a construção da autonomia do usuário? Por quê? Que relação existe entre o vídeo e a abordagem instrucionista? O que você sugere como solução?
  • 8. TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS Propostas didático-pedagógico-crítico-reflexivas Professor-promotor 4 Pilares da (mediador) Educação Aprender a conhecer Aluno-autor (autônomo) Aprender a fazer Aprender a conviver Aprender a ser
  • 9. 4 PILARES DA EDUCAÇÃO APRENDER A CONHECER: dominar as ferramentas de produção e gestão do conhecimento indicando abertura para os novos conhecimentos e novas manifestações culturais. APRENDER A FAZER: saber agir e estar em sintonia com as atuais mudanças no mundo do trabalho ou ainda, constituir a base para a formação do cidadão produtivo. APRENDER A CONVIVER: participando e cooperando com o meio ambiente, convivendo pacificamente com a diversidade, respeitando as diferenças e as minorias como caminho do entendimento. APRENDER A SER: ou ser o próprio sujeito do conhecimento, da história e, ao mesmo tempo, cidadão do mundo, realizando-se como indivíduo. O conjunto formado por esses quatro pilares denota elementos diferenciados e integrados para uma educação de qualidade que, ao ser interpretado na sua totalidade de ações, visa à formação do cidadão capacitado para o convívio crítico com as tecnologias contemporâneas. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. (UNESCO)
  • 10. PROPOSTA DE TRABALHO Em duplas: Associe uma atividade desenvolvida nos ambientes digitais a um Pilar da Educação.
  • 11. Referencial de Competências (Philippe PERRENOUD) 1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem (cerne do ofício do professor) 2. Administrar a progressão das aprendizagens (visão longitudinal do todo) 3. Conceber e fazer evoluir dispositivos de diferenciação (evitar as mesmas lições e exercícios para todos, pois a diversidade de aprendizes é a norma). 4. Envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho (motivação) 5. Trabalhar em equipe (cooperar com colegas, especialistas, administradores) 6. Participar da administração da escola (não ficar apenas na sala de aula) 7. Informar e envolver os pais (em relacionamentos de parceria) 8. Enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão 9. Administrar sua própria formação contínua 10. Utilizar Novas Tecnologias da Informação e Comunicação
  • 12. Instrução para elaboração e proposta de projetos de aprendizagem envolvendo o professor de Educação Digital Visando oferecer às escolas oportunidade para adequar as ações do programa de Educação Digital ao seu Projeto Político Pedagógico, orientamos para elaboração de projetos de inclusão e educação digital em três dimensões: Projeto 1 – Ampliação da carga horária semanal ofertada aos alunos do 6º ao 9º anos de escolaridade. Projeto 2 – Formação continuada em Tecnologia Educacional para docentes da Unidade Escolar. Projeto 3 – Inclusão digital para a comunidade. Desdobramentos: Projeto 1: A carga horária inicial de uma hora-aula por classe/ano de escolaridade poderá ser ampliada para até duas horas-aula por classe/ano de escolaridade de acordo com os recursos materiais e humanos disponíveis e dos objetivos educacionais da Unidade Escolar no que tange à Educação Digital.
  • 13. Projeto 2: A Unidade Escolar poderá ofertar aos docentes, caso haja disponibilidade material e humana, de uma a três horas-aula semanais de formação continuada voltadas para Educação Digital que deverão ser cumpridas em tempo livre nas formas de plantão ou turmas de estudo. As ações deste projeto deverão pautar-se na pesquisa, elaboração de conteúdos digitais, aprofundamento dos conhecimentos tecnológicos e desenvolvimento de estratégias de ensino com o uso de tecnologias. Projeto 3: Havendo disponibilidade material e humana, a Escola poderá ofertar à comunidade atividades de inclusão digital em uma turma de no mínimo de 10 e máximo de 15 alunos com carga horária de até 4 horas-aulas semanais. Considerações finais: A estrutura dos projetos deverá constar de: Justificativa: relatar o que motivou a Unidade Escolar a propor o projeto.
  • 14. Objetivos: descrever o que se pretende alcançar com o desenvolvimento do projeto. Programa: listar os conteúdos, habilidades e competências que serão desenvolvidas com a aplicação do projeto. Carga horária: Indicar o número de horas-aula semanais destinadas ao projeto. Avaliação: descrever como ocorrerá a avaliação do projeto. A regência das aulas definidas nos projetos caberá aos professores de Educação Digital da Unidade Escolar proponente, de acordo com as normas de atribuição de aulas da Secretaria Municipal de Educação. A aprovação dos projetos bem como da carga horária atribuída aos professores de Educação Digital envolvidos cada um deles, passará por análise da Equipe do Núcleo de Educação Digital do Município (NTEM), do Departamento de Recursos Humanos da SEDUC e homologação da Secretária da Educação do Município. Os projetos deverão ser protocolados na SEDUC no período de 01 a 10 de fevereiro de 2012 aos cuidados da Secretária da Educação, profª Tânia Simões.