SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 56
Baixar para ler offline
Congresso
Brasileiro de
Arquitetos
Fortaleza –CE
25 de Abril, 2014
Sistemas de
Transportes
e
Gestão Urbana
André Dantas
Diretor Técnico
Estrutura da apresentação
1. Questões fundamentais;
2. Perspectivas de atuação;
3. Instrumentos;
4. Iniciativas; e
5. Conclusões.
1. Questões
fundamentais
Oque queremos para as nossas cidades?
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
1. Questões fundamentais
Oque queremos para as nossas cidades?
Oque devemos e podemos fazer?
Quais os instrumentos disponíveis?
Como podemos usar esses instrumentos?
1. Questões fundamentais
2. Perspectivas de
atuação
2. Perspectivas de atuação
CICLO VICIOSO
-Falta de prioridade e infraestrutura;
- Alta carga tributária; e
- Aumento dos insumos e gratuidades.
- Aumento dos custos do transporte público;
-Aumento das tarifas; e
- Degradação da qualidade do serviço.
- Transferência dos usuários para o transporte
individual.
- Maiores congestionamentos;
- Elevação da emissão de gases poluentes;
-Aumento do número de acidentes; e
- Desigualdades urbanas.
2. Perspectivas de atuação
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: USO DO SOLO E TRANSPORTES
2. Perspectivas de atuação
Impostos e tributos do
transporte público
MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA URBANA
Priorização do transporte
público
+
Demanda Transporte Público Urbano
Ineficiências poluição, acidentes e congestionamentos
Investimentos outras áreas
(saúde, educação, segurança)
Acessibilidade atividades
(socioeconômicas e culturais)
Arrecadação dos demais
impostos
2. Perspectivas de atuação
CICLO VIRTUOSO – PASSO A PASSO
3. Instrumentos
3. Instrumentos
 Definições, princípios, objetivos e diretrizes claras (“regras do jogo”);
 Critérios para gestão, operação e fiscalização;
 Controle dos modos de transporte, serviços e infraestruturas; e
 Preconiza a otimização dos deslocamentos de pessoas e cargas em áreas
urbanas.
CAPÍTULOS
I – Disposições
gerais
II – Das
diretrizes...
(regulação)
III – Dos direitos
dos usuários
IV – Das
atribuições
V – Das diretrizes
(planej./gestão)
VI - Dos instrumentos de
apoio a mobilidade
urbana
VII – Disposições
finais
LEI 12.587 - POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA
3. Instrumentos
Goiânia-GO
GESTÃO METROPOLITANA
3. Instrumentos
Legenda
TransBrasil
TransOeste
TransCarioca
TransOlímpica
Metro
Ferrovia
REDE INTEGRADA
3. Instrumentos
Belo Horizonte-MG
REDE INTEGRADA + POLÍTICA DE ESTACIONAMENTO
3. Instrumentos
INCORPORANDO O SUBSÍDIO PARA MELHORAR QUALIDADE
3. Instrumentos
3. Instrumentos
ÔNIBUS
ÔNIBUS
4. Iniciativas
4. Iniciativas
Recife-PE;
Salvador-BA;
Belo Horizonte-MG;
Campo Grande-MS;
Cascavel-PR
Curitiba-PR;
Goiânia-GO;
Maringá-PR;
Porto Alegre-RS;
Rio de Janeiro-RJ;
Uberlândia-MG; e
Vitória-ES.
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
ESTUDOS DE CASO:
Fortaleza-CE;
Recife-PE;
Belo Horizonte-MG;
Campo Grande-MS;
Curitiba-PR;
Goiânia-GO;
Londrina-PR;
Manaus-AM;
Porto Alegre-RS;
Rio de Janeiro-RJ;
São Paulo-SP;
Cingapura; e
Londres.
4. Iniciativas
Capítulos IV e V – Diretrizes para o planejamento e gestão dos sistemas de
mobilidade urbana
SOROCABA - SP
4. Iniciativas
Capítulos IV e V – Diretrizes para o planejamento e gestão dos sistemas de
mobilidade urbana
BELO HORIZONTE - MG
4. Iniciativas
PROGRAMA EMERGENCIAL DE
QUALIFICAÇÃO DO TRANSPORTE
PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS
4. Iniciativas
OBJETIVO
Reduzir custos e melhorar a qualidade dos serviços, com a implantação
de 4.000 km de faixas exclusivas nas capitais e principais cidades
brasileiras, nos próximos 12 meses.
MOTIVAÇÃO
 Dar resposta de curtíssimo prazo ao clamor popular;
 Momento oportuno para priorizar o coletivo; e
 Criar legado permanente e inquestionável.
PROPOSTA DE VIABILIZAÇÃO
 Alocação de R$5 bilhões de recursos do Orçamento Geral da União (OGU) para a
realização deste programa; e
 Adoção de um processo SIMPLIFICADO de enquadramento de projetos e
liberação de recursos.
4. Iniciativas
Publicação NTU: Faixas exclusivas de ônibus urbanos – Experiências de sucesso
4. Iniciativas
Situação Atual
Situação Proposta
BRS (Bus Rapid System)
4. Iniciativas
Visão geral dos principais elementos da faixa exclusiva
Faixa exclusiva
Recuo da Parada
de Ônibus
Sinalização Vertical
Radar Eletrônico
4. Iniciativas
Recuo e ponto de embarque e desembarque
Vista aérea dos principais elementos
Tachão
Painel de
Informações
Abrigo
Faixa Livre para
Circulação de Pedestres
(mínimo 1,20m)
Faixas de Serviço para
Implantação de
Mobiliário Urbano
4. Iniciativas
Publicação NTU: Guia de desenvolvimento de projetos
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
4. Iniciativas
5. Conclusões
• Temos a oportunidade de influenciar a transformação da
mobilidade urbana;
• Podemos atuar tecnicamente ao longo de todo o processo;
• Existem inúmeros instrumentos legais, tecnológicos,
institucionais disponíveis:
É preciso saber utilizá-los corretamente;
• Diversas iniciativas estão em andamento:
O conjunto de ações de curto, médio e longo prazos.
• A construção do legado futuro já começou.
5. Conclusões
Obrigado!
André Dantas
Diretor Técnico
Andre.dantas@ntu.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sociedade de consumo
Sociedade de consumoSociedade de consumo
Sociedade de consumo
Ana Sêco
 
Microeconomia - RI - ESPM
Microeconomia  - RI - ESPMMicroeconomia  - RI - ESPM
Microeconomia - RI - ESPM
José Vinci
 
Etapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de águaEtapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de água
Giullia Netto
 
Boas práticas agrícolas
Boas práticas agrícolasBoas práticas agrícolas
Boas práticas agrícolas
VanlisaPinheiro
 
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicaçõesEconomia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Felipe Leo
 
Educação para o Consumo
Educação para o ConsumoEducação para o Consumo
Educação para o Consumo
Michele Pó
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
Luciano Pires
 

Mais procurados (20)

Sociedade de consumo
Sociedade de consumoSociedade de consumo
Sociedade de consumo
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
"Indicadores de Sustentabilidade"
"Indicadores de Sustentabilidade""Indicadores de Sustentabilidade"
"Indicadores de Sustentabilidade"
 
Microeconomia - RI - ESPM
Microeconomia  - RI - ESPMMicroeconomia  - RI - ESPM
Microeconomia - RI - ESPM
 
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
Sustentabilidade econômica, social e ambiental pela educação, ciência, tecnol...
 
Juventude e Educação do Campo - por Marcos Marques
Juventude e Educação do Campo - por Marcos MarquesJuventude e Educação do Campo - por Marcos Marques
Juventude e Educação do Campo - por Marcos Marques
 
Aula 2 - Economia
Aula 2 - EconomiaAula 2 - Economia
Aula 2 - Economia
 
Saneamento básico
Saneamento básicoSaneamento básico
Saneamento básico
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
 
Etapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de águaEtapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de água
 
Saneamento basico
Saneamento basicoSaneamento basico
Saneamento basico
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
MOBILIDADE URBANA
MOBILIDADE URBANAMOBILIDADE URBANA
MOBILIDADE URBANA
 
Boas práticas agrícolas
Boas práticas agrícolasBoas práticas agrícolas
Boas práticas agrícolas
 
Decisão da empresa em mercados competitivos
Decisão da empresa em mercados competitivosDecisão da empresa em mercados competitivos
Decisão da empresa em mercados competitivos
 
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicaçõesEconomia   aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
Economia aula 3 – a elasticidade e suas aplicações
 
Permacultura no Brasil
Permacultura no BrasilPermacultura no Brasil
Permacultura no Brasil
 
Educação para o Consumo
Educação para o ConsumoEducação para o Consumo
Educação para o Consumo
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
 
Sustentabilidade no varejo
Sustentabilidade no varejoSustentabilidade no varejo
Sustentabilidade no varejo
 

Destaque

Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]
marcferds
 
Apresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano TravassosApresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano Travassos
PrefeituraRecife
 
Brasília: a construção de um exemplo (50a62)
Brasília: a construção de um exemplo (50a62)Brasília: a construção de um exemplo (50a62)
Brasília: a construção de um exemplo (50a62)
+ Aloisio Magalhães
 
Sistema transporte aula uni9 2011
Sistema transporte aula uni9 2011Sistema transporte aula uni9 2011
Sistema transporte aula uni9 2011
Eduardo Facchini
 

Destaque (20)

Planejamento urbano serviços e infraestrutura
Planejamento urbano serviços e infraestruturaPlanejamento urbano serviços e infraestrutura
Planejamento urbano serviços e infraestrutura
 
Planejamento Urbano - Aspectos Teóricos
Planejamento Urbano - Aspectos TeóricosPlanejamento Urbano - Aspectos Teóricos
Planejamento Urbano - Aspectos Teóricos
 
P3TI - TransFormar
P3TI - TransFormarP3TI - TransFormar
P3TI - TransFormar
 
Panorama Nacional da Mobilidade Urbana
Panorama Nacional da Mobilidade UrbanaPanorama Nacional da Mobilidade Urbana
Panorama Nacional da Mobilidade Urbana
 
Poetas Goianos..
Poetas Goianos..Poetas Goianos..
Poetas Goianos..
 
Contexto das Empresas de Transporte no Brasil
Contexto das Empresas de Transporte no BrasilContexto das Empresas de Transporte no Brasil
Contexto das Empresas de Transporte no Brasil
 
Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]
 
Poetas Goianos
Poetas GoianosPoetas Goianos
Poetas Goianos
 
Cidades inteligentes [23 de julho]
Cidades inteligentes [23 de julho]Cidades inteligentes [23 de julho]
Cidades inteligentes [23 de julho]
 
Mobilidade urbana: acessibilidade das calçadas na Aldeia de Barueri e Centro ...
Mobilidade urbana: acessibilidade das calçadas na Aldeia de Barueri e Centro ...Mobilidade urbana: acessibilidade das calçadas na Aldeia de Barueri e Centro ...
Mobilidade urbana: acessibilidade das calçadas na Aldeia de Barueri e Centro ...
 
Feira de Conhecimento - Infraestrutura Urbana
Feira de Conhecimento - Infraestrutura UrbanaFeira de Conhecimento - Infraestrutura Urbana
Feira de Conhecimento - Infraestrutura Urbana
 
BGP Traffic Engineering on IXP
BGP Traffic Engineering on IXPBGP Traffic Engineering on IXP
BGP Traffic Engineering on IXP
 
A questão da moradia urbana.
A questão da moradia urbana.A questão da moradia urbana.
A questão da moradia urbana.
 
Apresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano TravassosApresentação - Germano Travassos
Apresentação - Germano Travassos
 
História urbana
História urbanaHistória urbana
História urbana
 
Mpls e a engenharia de trafego
Mpls e a engenharia de trafegoMpls e a engenharia de trafego
Mpls e a engenharia de trafego
 
Novas estrategias para o transporte coletivo
Novas estrategias para o transporte coletivoNovas estrategias para o transporte coletivo
Novas estrategias para o transporte coletivo
 
Acessibilidade Urbana
Acessibilidade UrbanaAcessibilidade Urbana
Acessibilidade Urbana
 
Brasília: a construção de um exemplo (50a62)
Brasília: a construção de um exemplo (50a62)Brasília: a construção de um exemplo (50a62)
Brasília: a construção de um exemplo (50a62)
 
Sistema transporte aula uni9 2011
Sistema transporte aula uni9 2011Sistema transporte aula uni9 2011
Sistema transporte aula uni9 2011
 

Semelhante a Sistemas de Transportes e Gestão Urbana

Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicosCafé da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
EloGroup
 
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã   ciclo de gestão de serviços públicosCafé da manhã   ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Marcelo Gaio
 
Apresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BH
Apresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BHApresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BH
Apresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BH
Rodrigo_Rezes
 
Analise plano diretor
Analise plano diretorAnalise plano diretor
Analise plano diretor
Vinicius
 

Semelhante a Sistemas de Transportes e Gestão Urbana (20)

A NOVA LEI DA MOBILIDADE URBANA
A NOVA LEI DA MOBILIDADE URBANAA NOVA LEI DA MOBILIDADE URBANA
A NOVA LEI DA MOBILIDADE URBANA
 
Os BRTs nas cidades Brasileiras
Os BRTs nas cidades BrasileirasOs BRTs nas cidades Brasileiras
Os BRTs nas cidades Brasileiras
 
Banco Mundial e Mobilidade Urbana
Banco Mundial e Mobilidade UrbanaBanco Mundial e Mobilidade Urbana
Banco Mundial e Mobilidade Urbana
 
PlanMob Alvorada - Apresentação do Plano de Trabalho
PlanMob Alvorada - Apresentação do Plano de TrabalhoPlanMob Alvorada - Apresentação do Plano de Trabalho
PlanMob Alvorada - Apresentação do Plano de Trabalho
 
Apresentação do Plamus na Alesc
Apresentação do Plamus na AlescApresentação do Plamus na Alesc
Apresentação do Plamus na Alesc
 
Plano de mobilidade urbana - passo a passo - novo prazo - lei 12.587
Plano de mobilidade urbana - passo a passo - novo prazo - lei 12.587Plano de mobilidade urbana - passo a passo - novo prazo - lei 12.587
Plano de mobilidade urbana - passo a passo - novo prazo - lei 12.587
 
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicosCafé da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
 
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicosCafé da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
 
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã   ciclo de gestão de serviços públicosCafé da manhã   ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
 
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã   ciclo de gestão de serviços públicosCafé da manhã   ciclo de gestão de serviços públicos
Café da manhã ciclo de gestão de serviços públicos
 
Plano de Mobilidade Urbana
Plano de Mobilidade UrbanaPlano de Mobilidade Urbana
Plano de Mobilidade Urbana
 
Planejamento urbano e as referências para o futuro da mobilidade sustentável
Planejamento urbano e as referências para o futuro da mobilidade sustentávelPlanejamento urbano e as referências para o futuro da mobilidade sustentável
Planejamento urbano e as referências para o futuro da mobilidade sustentável
 
20150929 processo de elaboração do plano de mobilidade urbana - min cidades
20150929   processo de elaboração do plano de mobilidade urbana - min cidades20150929   processo de elaboração do plano de mobilidade urbana - min cidades
20150929 processo de elaboração do plano de mobilidade urbana - min cidades
 
Apresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BH
Apresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BHApresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BH
Apresentação Trabalho final de Semestre - BRT em BH
 
Apresentação_Observatório
Apresentação_ObservatórioApresentação_Observatório
Apresentação_Observatório
 
12. Imtt Isabel Seabra V2
12. Imtt Isabel Seabra V212. Imtt Isabel Seabra V2
12. Imtt Isabel Seabra V2
 
Lei 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade Urbana
Lei 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade UrbanaLei 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade Urbana
Lei 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade Urbana
 
Analise plano diretor
Analise plano diretorAnalise plano diretor
Analise plano diretor
 
Projeto de HidroTrem como Transporte Público
Projeto de HidroTrem como Transporte PúblicoProjeto de HidroTrem como Transporte Público
Projeto de HidroTrem como Transporte Público
 
Plano de Qualidade da CET - 2003
Plano de Qualidade da CET - 2003Plano de Qualidade da CET - 2003
Plano de Qualidade da CET - 2003
 

Mais de Andre Dantas

Mais de Andre Dantas (20)

Lições aprendidas no Vale do Silício
Lições aprendidas no Vale do SilícioLições aprendidas no Vale do Silício
Lições aprendidas no Vale do Silício
 
Anuário NTU 2016-2017
Anuário NTU 2016-2017Anuário NTU 2016-2017
Anuário NTU 2016-2017
 
Brazilian efforts to minimize the impact of informal transport
Brazilian efforts to minimize the impact of informal transportBrazilian efforts to minimize the impact of informal transport
Brazilian efforts to minimize the impact of informal transport
 
Sistemas Inteligentes de Transporte (ITS) no transporte público urbano
Sistemas Inteligentes de Transporte (ITS) no transporte público urbanoSistemas Inteligentes de Transporte (ITS) no transporte público urbano
Sistemas Inteligentes de Transporte (ITS) no transporte público urbano
 
Tendências de bilhetagem eletrônica: Casos de uso Cartões Dupla função
Tendências de bilhetagem eletrônica: Casos de uso Cartões Dupla funçãoTendências de bilhetagem eletrônica: Casos de uso Cartões Dupla função
Tendências de bilhetagem eletrônica: Casos de uso Cartões Dupla função
 
Costos del transporte público por buses en Brasil
Costos del transporte público por buses en BrasilCostos del transporte público por buses en Brasil
Costos del transporte público por buses en Brasil
 
Custos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Custos do Transporte Público por Ônibus no BrasilCustos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Custos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
 
Los avances en la priorización del transporte público en autobús en Brasil
Los avances en la priorización del transporte público en autobús en BrasilLos avances en la priorización del transporte público en autobús en Brasil
Los avances en la priorización del transporte público en autobús en Brasil
 
Priorização do Transporte Público por Ônibus
Priorização do Transporte Público por ÔnibusPriorização do Transporte Público por Ônibus
Priorização do Transporte Público por Ônibus
 
Energy Risks to Activity Systems as a function of urban form
Energy Risks to Activity Systems as a function of urban formEnergy Risks to Activity Systems as a function of urban form
Energy Risks to Activity Systems as a function of urban form
 
Livestock evacuation or not: An emergency response assessment of natural disa...
Livestock evacuation or not: An emergency response assessment of natural disa...Livestock evacuation or not: An emergency response assessment of natural disa...
Livestock evacuation or not: An emergency response assessment of natural disa...
 
ASLEEP AT THE WHEEL: OIL ADDICTION IMPLICATIONS FOR URBAN TRANSPORT
ASLEEP AT THE WHEEL: OIL ADDICTION IMPLICATIONS FOR URBAN TRANSPORTASLEEP AT THE WHEEL: OIL ADDICTION IMPLICATIONS FOR URBAN TRANSPORT
ASLEEP AT THE WHEEL: OIL ADDICTION IMPLICATIONS FOR URBAN TRANSPORT
 
PPP around the World: Learning from the experience
PPP around the World: Learning from the experiencePPP around the World: Learning from the experience
PPP around the World: Learning from the experience
 
Impact of Transport Infrastructure Policies
Impact of Transport Infrastructure PoliciesImpact of Transport Infrastructure Policies
Impact of Transport Infrastructure Policies
 
Resiliência organizacional
Resiliência organizacionalResiliência organizacional
Resiliência organizacional
 
A data-information sharing framework for roading organizations’ response to a...
A data-information sharing framework for roading organizations’ response to a...A data-information sharing framework for roading organizations’ response to a...
A data-information sharing framework for roading organizations’ response to a...
 
Analysis and Evaluation of Road Pricing Benefits and Costs
Analysis and Evaluation of Road Pricing Benefits and CostsAnalysis and Evaluation of Road Pricing Benefits and Costs
Analysis and Evaluation of Road Pricing Benefits and Costs
 
Neural-Geo-Temporal approach to travel demand modelling
Neural-Geo-Temporal approach to travel demand modellingNeural-Geo-Temporal approach to travel demand modelling
Neural-Geo-Temporal approach to travel demand modelling
 
Public Transport and Sustainable Development
Public Transport and Sustainable DevelopmentPublic Transport and Sustainable Development
Public Transport and Sustainable Development
 
ITS and Emergency Management: An organisation-focused approach
ITS and Emergency Management: An organisation-focused approachITS and Emergency Management: An organisation-focused approach
ITS and Emergency Management: An organisation-focused approach
 

Último

SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
avaseg
 

Último (8)

Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 

Sistemas de Transportes e Gestão Urbana