SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
BRC GLOBAL STANDARD
FOR FOOD SAFETY
SuStainability
EfficiEncy
truSt
SEcurity
furthEr ExcEllEncE
tranSparEncy
Quality
SafEty
productivity
brc Global Standard
food cErtification
a brc food Standard cErtification With SGS offErS WidE rEcoGnition of your
coMpany’S crEdibility
NORMA GLOBAL PARA A SEGURANÇA
ALIMENTAR
O British Retail Consortium (BRC),
organização que representa os
interesses dos comerciantes do Reino
Unido, estabeleceu o Global Standard
for Food Safety em 1998. Originalmente
destinava-se a produtores de alimentos
que forneciam produtos alimentares
ao Reino Unido, o Global Standard
for Food Safety foi desenvolvido para
especificar a segurança, qualidade e
critérios operacionais exigidos para
produtores de alimentos de modo
a assegurar o cumprimento das
obrigações regulamentares e proteger
os consumidores.
As empresas envolvidas na cadeia de
fornecimento alimentar devem ser
detentoras de uma compreensão plena dos
produtos que produzem e distribuem e ter
sistemas implementados para identificar e
controlar riscos para a segurança alimentar.
O referencial requer o desenvolvimento de:
•• 	Um Comprometimento da Gestão
com os recursos necessários para
demonstrar o compromisso de
alcançar a conformidade com os
requisitos da Norma;
•• 	Um plano HACCP (Hazard Analysis
Critical Control Point), uma abordagem
passo-a-passo para a gestão dos
riscos de segurança alimentar;
•• 	Um Sistema de Gestão da
Qualidade que detalha as políticas
e procedimentos de gestão
organizacionais necessários para
fornecer uma base através da
qual a organização vai cumprir os
requisitos do referencial;
•• 	Programas pré-requisito, que
são as condições ambientais e
operacionais básicas da segurança
alimentar necessárias para a
produção de alimentos seguros.
Estes controlam riscos gerais
cobertos por Boas Práticas de
Produção e Higiene.
O BRC tem vindo a criar novas normas
que visam garantir de uma forma
mais global a segurança dos produtos
vendidos pelos retalhistas ao consumidor
final. Apresenta-se em seguida as que se
aplicam a outros elos da cadeia alimentar
e complementando o Global Standard for
Food Safety.
BRC ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO
A BRC criou uma norma aplicável
a fornecedores de serviços de
armazenamento, de distribuição de
alimentos, material de embalagem
e produtos de consumo. Aplica-se
igualmente a empresas que armazenam
e fornecem “serviços contratados”
em produtos pré-embalados (ex:
inspeção de produto e embalamento).
Este referencial foi criado para auxiliar,
comerciantes e empresas envolvidas
no âmbito do armazenamento de
produtos alimentares e distribuição, no
cumprimento das suas obrigações legais
na UE. Sob os Regulamentos da UE
178/2002 e 852/2004, as
empresas envolvidas na armazenagem
de produtos alimentares e distribuição
são classificadas como empresas
do setor alimentar, e passam a ter
obrigações legais no fornecimento de
produtos seguros e cumpridores dos
requisitos legais aplicáveis.
BRCEMBALAGEMDEALIMENTOSE
MATERIAISDEEMBALAGEM
O BRC (em conjunto com o Institute Of
Packaging (IOP) criou um referencial
técnico destinado a empresas que
produzem e fornecem materiais de
embalagem, entre eles para géneros
alimentícios destinados à venda a
retalho. Este referencial tem como
objetivo auxiliar fabricantes de
embalagens, retalhistas e embaladores
no cumprimento das suas obrigações
legais.
BRC AGENTES E INTERMEDIÁRIOS
Dada a relevância cada vez maior dos
intermediários ou agentes na compra
de matérias-primas e ingredientes a
nível mundial, o BRC definiu esta norma
para assegurar o controlo destes elo
crítico. Mesmo não efetuando nenhuma
operação de transformação do produto,
estes intermediários são fundamentais
para assegurar a rastreabilidade dos
materiais e garantir a sua segurança,
qualidade e genuinidade, e garantir a
confiança para os compradores destes
produtos que os irão incorporar nos
géneros alimentícios que produzem.
OS BENEFÍCIOS
Há inúmeros benefícios para produtores
de géneros alimentícios ao obterem esta
certificação.
Este referencial:
•• 	Permite que produtores de
alimentos e fornecedores,
demonstrem a potenciais clientes,
um nível de competência em
sistemas de segurança alimentar e
qualidade;
•• 	Abrangente no seu alcance, cobre
as áreas da qualidade, legalidade,
higiene e segurança do produto;
•• 	Aborda parte dos requisitos legais
daqueles que participam na cadeia
de fornecimento alimentar;
•• 	Permite às empresas utilizar o
referencial para assegurar que
os seus fornecedores estão a
seguir boas práticas de gestão da
segurança alimentar;
•• 	Requer renovação da certificação,
incluindo um esquema de auditorias
voluntário sem aviso prévio para
permitir à organização demonstrar o
seu alto nível de compromisso com
a segurança alimentar e qualidade;
•• 	Tem o reconhecimento do GFSI
(Global Food Safety Initiative) desde
que este sistema de benchmarking
com reconhecimento internacional
existe, o que torna uma grande
vantagem competitiva para vender
a grandes cadeias de distribuição e
empresas do setor alimentar.
COMO FUNCIONA O PROCESSO DE
CERTIFICAÇÃO?
O processo de certificação BRC
contempla quatro fases:
•• 	1.ª Etapa – A SGS emite uma
proposta baseada na dimensão e
natureza da sua organização. Poderá
prosseguir com a auditoria de
certificação, aceitando a proposta.
•• 2.ª Etapa – Poderá pedir à SGS
que realize uma auditoria prévia
de modo a indicar o grau de
preparação da sua organização para
a auditoria de certificação. Esta fase
é opcional, no entanto, demonstra
ser muito útil na identificação
de fraquezas nos sistemas e na
transmissão de confiança antes da
auditoria formal.
•• 	3.ª Etapa – A auditoria formal é
uma auditoria no local. Todas as
partes do local e processos dentro
do âmbito são avaliados de modo
a determinar a conformidade com
todos os requisitos do referencial.
Receberá um Relatório após a
auditoria, identificando alguma
não conformidade evidenciada, se
for o caso. Dependendo da sua
natureza, estas não conformidades
devem ser fechadas com evidências
documentais ou através de uma
visita ao local após 28 dias da
realização da auditoria. Após ter
respondido às não conformidades,
e o auditor ter aceite as evidências,
uma revisão técnica independente
da auditoria será realizada pela
Direção de Certificação da SGS que
aprovará a emissão do certificado.
•• 	4.ª Etapa – Auditorias de renovação
da certificação serão agendadas em
intervalos definidos dependendo do
resultado da auditoria de certificação
(tipicamente anual, ou eventualmente
semestral). Trata-se de uma auditoria
de renovação integral conduzida
do mesmo modo que a auditoria
de concessão, mas é também
analisada a implementação do
plano de ações corretivas relativo a
não conformidades anteriores e é
verificado se a auditoria de renovação
está a ser realizada na data devida.
PORQUÊ A SGS?
Em Portugal desde 1922, a SGS
desenvolve a sua intervenção no setor
alimentar baseando-se numa marca
prestigiada e numa reputação de
prestador de serviços de excelência.
Este longo percurso conferiu-nos um
conhecimento aprofundado das
necessidades dos diferentes tipos de
operadores deste setor, oferecendo um
leque de serviços completos e
adaptados à realidade de cada empresa.
A SGS presta serviços que abrangem a
totalidade da cadeia alimentar,
controlando e analisando todo o processo
“desde a exploração agrícola até à
mesa”, como preconizado pelas políticas
mais recentes da União Europeia.
Os nossos técnicos especializados
garantem um apoio permanente em
todas as áreas alimentares e com
abrangência nacional, incluindo Açores e
Madeira. Apoiada pela rede mundial de
Laboratórios SGS, a nossa equipa possui
os recursos necessários “em qualquer
parte do mundo” para responder a
qualquer solicitação.
Trabalhar com a SGS significa:
•• 	Grande experiência e conhecimento
efetivo do setor alimentar;
•• 	Rede mundial de laboratórios
acreditados e partilha de know-how
internacional;
•• 	Reconhecimento Mundial das
Marcas SGS;
•• 	Técnicos especializados com
disponibilidade total;
•• 	Acompanhamento e disponibilidade
constantes;
•• 	Atendimento personalizado e
soluções idealizadas à medida da
sua Organização;
•• 	Procedimentos rápidos e eficientes,
assegurando processo expeditos.
COMECE HOJE
Os nossos Gestores de Clientes estão
à sua disposição para esclarecer e
responder a quaisquer dúvidas e
questões. Contacte-nos e solicite uma
proposta!
PARA MAIS INFORMAÇÕES 	CONTACTAR	
WWW.SGS.PT
t.: 808 200 747*
e.: pt.info@sgs.com
*de seg. a sex. das 9h00 às 18h00
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO BRC
1ª ETAPA
Contrato
3ª ETAPA
Auditoria de
certificação
FECHO DE NÃO
CONFORMIDADES
DETECTADAS
EMISSÃO DO
CERTIFICADO
4ª ETAPA
Renovação
Anual
2ª ETAPA
Pré-Auditoria
(opcional)
©SGSPortugal–2017–AllRightsReserved–SGSisaregisteredtrademarkofSGSGroupManagementSA
WWW.SGS.COM
WWW.SGS.PT
CBEMP030/4(2017/05/03)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10
CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10
CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10
Cristina Silveira
 
Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...
Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...
Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...
comredesan
 
Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...
Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...
Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...
Graziella Coutinho
 
CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISO
CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISOCERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISO
CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISO
Eder Nogueira
 
Qualificação de Fornecedores em Farmácia Hospitalar
Qualificação de Fornecedores em Farmácia HospitalarQualificação de Fornecedores em Farmácia Hospitalar
Qualificação de Fornecedores em Farmácia Hospitalar
Guilherme Becker
 
GAFO e Qualificação de Fornecedores
GAFO e Qualificação de FornecedoresGAFO e Qualificação de Fornecedores
GAFO e Qualificação de Fornecedores
Denise Selegato
 

Mais procurados (20)

Introdução à ISO 22000
Introdução à ISO 22000Introdução à ISO 22000
Introdução à ISO 22000
 
Iso 22000
Iso 22000Iso 22000
Iso 22000
 
O que é fssc 22000
O que é fssc 22000O que é fssc 22000
O que é fssc 22000
 
CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10
CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10
CURRICULUM VITAE CSCS 2016 - Revisão 10
 
Novas normas de boas práticas de fabricação para áreas de saneantes e cosméti...
Novas normas de boas práticas de fabricação para áreas de saneantes e cosméti...Novas normas de boas práticas de fabricação para áreas de saneantes e cosméti...
Novas normas de boas práticas de fabricação para áreas de saneantes e cosméti...
 
Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...
Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...
Capacitação na gerência de implantação de boas práticas de fabricação como fe...
 
Vania
VaniaVania
Vania
 
Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...
Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...
Atualizacao das-boas-praticas-de-fabricacao-bpf-e-procedimentos-operacionais-...
 
Qualif
QualifQualif
Qualif
 
Abnt nbr iso_22000-2006
Abnt nbr iso_22000-2006Abnt nbr iso_22000-2006
Abnt nbr iso_22000-2006
 
Guia de boas_praticas de fornecedores de medicamentos..
Guia de boas_praticas de fornecedores de  medicamentos..Guia de boas_praticas de fornecedores de  medicamentos..
Guia de boas_praticas de fornecedores de medicamentos..
 
CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISO
CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISOCERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISO
CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: ISO
 
Qualificação de Fornecedores em Farmácia Hospitalar
Qualificação de Fornecedores em Farmácia HospitalarQualificação de Fornecedores em Farmácia Hospitalar
Qualificação de Fornecedores em Farmácia Hospitalar
 
FSSC 22000 versão 4.1 - guia geral dos novos requisitos
FSSC 22000 versão 4.1 - guia geral dos novos requisitosFSSC 22000 versão 4.1 - guia geral dos novos requisitos
FSSC 22000 versão 4.1 - guia geral dos novos requisitos
 
Bísaro ipb 06 05-2013
Bísaro ipb 06 05-2013Bísaro ipb 06 05-2013
Bísaro ipb 06 05-2013
 
Agronegócio - Boas práticas pecuária - Aula qualidade
Agronegócio - Boas práticas pecuária - Aula qualidadeAgronegócio - Boas práticas pecuária - Aula qualidade
Agronegócio - Boas práticas pecuária - Aula qualidade
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
 
GAFO e Qualificação de Fornecedores
GAFO e Qualificação de FornecedoresGAFO e Qualificação de Fornecedores
GAFO e Qualificação de Fornecedores
 
Controle de qualidade cosmeticos
Controle de qualidade cosmeticosControle de qualidade cosmeticos
Controle de qualidade cosmeticos
 
Curso boas praticas de fabricacao de alimentos
Curso boas praticas de fabricacao de alimentosCurso boas praticas de fabricacao de alimentos
Curso boas praticas de fabricacao de alimentos
 

Semelhante a Sgs cbe-brc-global-a4-pt-17

Apresentao 120324224848-phpapp01
Apresentao 120324224848-phpapp01Apresentao 120324224848-phpapp01
Apresentao 120324224848-phpapp01
Daniel Americano
 
Supplier performance portuguese_trabalho_da_coca
Supplier performance portuguese_trabalho_da_cocaSupplier performance portuguese_trabalho_da_coca
Supplier performance portuguese_trabalho_da_coca
nyedjamn
 
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
STAB Setentrional
 

Semelhante a Sgs cbe-brc-global-a4-pt-17 (16)

Abnt nbr iso_22000-2006
Abnt nbr iso_22000-2006Abnt nbr iso_22000-2006
Abnt nbr iso_22000-2006
 
Abnt nbr iso_22000-2006
Abnt nbr iso_22000-2006Abnt nbr iso_22000-2006
Abnt nbr iso_22000-2006
 
e-book - ISO 22000: Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar
e-book - ISO 22000: Sistemas de Gestão da Segurança Alimentare-book - ISO 22000: Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar
e-book - ISO 22000: Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar
 
Aula qualidade cert_day2
Aula qualidade cert_day2Aula qualidade cert_day2
Aula qualidade cert_day2
 
Sistemas de Gestão da Qualidade
Sistemas de Gestão da QualidadeSistemas de Gestão da Qualidade
Sistemas de Gestão da Qualidade
 
Conceitos e Aplicações da ISO 22000
Conceitos e Aplicações da ISO 22000Conceitos e Aplicações da ISO 22000
Conceitos e Aplicações da ISO 22000
 
TREINAMENTO para ISO22000 - QUALIDADE 2023
TREINAMENTO  para ISO22000 - QUALIDADE 2023TREINAMENTO  para ISO22000 - QUALIDADE 2023
TREINAMENTO para ISO22000 - QUALIDADE 2023
 
Apresentao 120324224848-phpapp01
Apresentao 120324224848-phpapp01Apresentao 120324224848-phpapp01
Apresentao 120324224848-phpapp01
 
Supplier performance portuguese_trabalho_da_coca
Supplier performance portuguese_trabalho_da_cocaSupplier performance portuguese_trabalho_da_coca
Supplier performance portuguese_trabalho_da_coca
 
Manual 5
Manual 5Manual 5
Manual 5
 
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...Seminário stab 2013   comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
Seminário stab 2013 comum - 03. requisitos para certificação bonsucro, etap...
 
PG SistGestSegAlimentar
PG SistGestSegAlimentarPG SistGestSegAlimentar
PG SistGestSegAlimentar
 
Como os profissionais de Segurança de Alimentos podem se preparar para o FSMA?
Como os profissionais de Segurança de Alimentos podem se preparar para o FSMA?Como os profissionais de Segurança de Alimentos podem se preparar para o FSMA?
Como os profissionais de Segurança de Alimentos podem se preparar para o FSMA?
 
ISO 14.000
ISO 14.000ISO 14.000
ISO 14.000
 
Rastreabilidade
RastreabilidadeRastreabilidade
Rastreabilidade
 
Como fazer marca ce
Como fazer marca ceComo fazer marca ce
Como fazer marca ce
 

Mais de SGS Portugal

API 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PT
API 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PTAPI 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PT
API 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PT
SGS Portugal
 

Mais de SGS Portugal (20)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SETOR AUTOMÓVEL IATF 16949:2016
SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SETOR AUTOMÓVEL IATF 16949:2016SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SETOR AUTOMÓVEL IATF 16949:2016
SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SETOR AUTOMÓVEL IATF 16949:2016
 
Sgs ehs-gases-fluorados-a4-pt-17
Sgs ehs-gases-fluorados-a4-pt-17Sgs ehs-gases-fluorados-a4-pt-17
Sgs ehs-gases-fluorados-a4-pt-17
 
Sgs grupo-brochura-industria-alimentar-pt-17
Sgs grupo-brochura-industria-alimentar-pt-17Sgs grupo-brochura-industria-alimentar-pt-17
Sgs grupo-brochura-industria-alimentar-pt-17
 
Sgs afl-residuos-pesticidas-a4-pt-17
Sgs afl-residuos-pesticidas-a4-pt-17Sgs afl-residuos-pesticidas-a4-pt-17
Sgs afl-residuos-pesticidas-a4-pt-17
 
Sgs group-sgs-legis-a4-pt-17
Sgs group-sgs-legis-a4-pt-17Sgs group-sgs-legis-a4-pt-17
Sgs group-sgs-legis-a4-pt-17
 
Sgs cbe-monofolha-certificacao-pessoas-a4-pt-17
Sgs cbe-monofolha-certificacao-pessoas-a4-pt-17Sgs cbe-monofolha-certificacao-pessoas-a4-pt-17
Sgs cbe-monofolha-certificacao-pessoas-a4-pt-17
 
Sgs crs-monofolha-avaliacao-reclamacoes-a4-pt-17
Sgs crs-monofolha-avaliacao-reclamacoes-a4-pt-17Sgs crs-monofolha-avaliacao-reclamacoes-a4-pt-17
Sgs crs-monofolha-avaliacao-reclamacoes-a4-pt-17
 
Sgs cbe-monofolha-np4538-a4-pt-16
Sgs cbe-monofolha-np4538-a4-pt-16Sgs cbe-monofolha-np4538-a4-pt-16
Sgs cbe-monofolha-np4538-a4-pt-16
 
SGS Academy - Pós-Graduação Qualidade na Saúde
SGS Academy - Pós-Graduação Qualidade na SaúdeSGS Academy - Pós-Graduação Qualidade na Saúde
SGS Academy - Pós-Graduação Qualidade na Saúde
 
API 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PT
API 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PTAPI 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PT
API 580 RISK-BASED INSPECTOR - Curso SGS Academy PT
 
SGS Academy - Qualificação de Gestores da Qualidade
SGS Academy - Qualificação de Gestores da QualidadeSGS Academy - Qualificação de Gestores da Qualidade
SGS Academy - Qualificação de Gestores da Qualidade
 
SGS Academy PG Gestão da Formação
SGS Academy PG Gestão da Formação SGS Academy PG Gestão da Formação
SGS Academy PG Gestão da Formação
 
Sgs academy pg sistemas de gestão da segurança alimentar
Sgs academy pg sistemas de gestão da segurança alimentarSgs academy pg sistemas de gestão da segurança alimentar
Sgs academy pg sistemas de gestão da segurança alimentar
 
SGS Academy Moçambique
SGS Academy MoçambiqueSGS Academy Moçambique
SGS Academy Moçambique
 
Sgs Academy Plano formação Leiria
Sgs Academy Plano formação LeiriaSgs Academy Plano formação Leiria
Sgs Academy Plano formação Leiria
 
SGS Academy _ Formação Alto Minho
SGS Academy _ Formação Alto MinhoSGS Academy _ Formação Alto Minho
SGS Academy _ Formação Alto Minho
 
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho OHS...
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho OHS...SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho OHS...
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho OHS...
 
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Energia ISO 50001
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Energia ISO 50001SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Energia ISO 50001
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão da Energia ISO 50001
 
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão Ambiental ISO 14001
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão Ambiental ISO 14001SGS - Certificação em Sistemas de Gestão Ambiental ISO 14001
SGS - Certificação em Sistemas de Gestão Ambiental ISO 14001
 
SGS - Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001
SGS - Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001 SGS - Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001
SGS - Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001
 

Sgs cbe-brc-global-a4-pt-17

  • 1. BRC GLOBAL STANDARD FOR FOOD SAFETY SuStainability EfficiEncy truSt SEcurity furthEr ExcEllEncE tranSparEncy Quality SafEty productivity brc Global Standard food cErtification a brc food Standard cErtification With SGS offErS WidE rEcoGnition of your coMpany’S crEdibility
  • 2. NORMA GLOBAL PARA A SEGURANÇA ALIMENTAR O British Retail Consortium (BRC), organização que representa os interesses dos comerciantes do Reino Unido, estabeleceu o Global Standard for Food Safety em 1998. Originalmente destinava-se a produtores de alimentos que forneciam produtos alimentares ao Reino Unido, o Global Standard for Food Safety foi desenvolvido para especificar a segurança, qualidade e critérios operacionais exigidos para produtores de alimentos de modo a assegurar o cumprimento das obrigações regulamentares e proteger os consumidores. As empresas envolvidas na cadeia de fornecimento alimentar devem ser detentoras de uma compreensão plena dos produtos que produzem e distribuem e ter sistemas implementados para identificar e controlar riscos para a segurança alimentar. O referencial requer o desenvolvimento de: •• Um Comprometimento da Gestão com os recursos necessários para demonstrar o compromisso de alcançar a conformidade com os requisitos da Norma; •• Um plano HACCP (Hazard Analysis Critical Control Point), uma abordagem passo-a-passo para a gestão dos riscos de segurança alimentar; •• Um Sistema de Gestão da Qualidade que detalha as políticas e procedimentos de gestão organizacionais necessários para fornecer uma base através da qual a organização vai cumprir os requisitos do referencial; •• Programas pré-requisito, que são as condições ambientais e operacionais básicas da segurança alimentar necessárias para a produção de alimentos seguros. Estes controlam riscos gerais cobertos por Boas Práticas de Produção e Higiene. O BRC tem vindo a criar novas normas que visam garantir de uma forma mais global a segurança dos produtos vendidos pelos retalhistas ao consumidor final. Apresenta-se em seguida as que se aplicam a outros elos da cadeia alimentar e complementando o Global Standard for Food Safety. BRC ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO A BRC criou uma norma aplicável a fornecedores de serviços de armazenamento, de distribuição de alimentos, material de embalagem e produtos de consumo. Aplica-se igualmente a empresas que armazenam e fornecem “serviços contratados” em produtos pré-embalados (ex: inspeção de produto e embalamento). Este referencial foi criado para auxiliar, comerciantes e empresas envolvidas no âmbito do armazenamento de produtos alimentares e distribuição, no cumprimento das suas obrigações legais na UE. Sob os Regulamentos da UE 178/2002 e 852/2004, as empresas envolvidas na armazenagem de produtos alimentares e distribuição são classificadas como empresas do setor alimentar, e passam a ter obrigações legais no fornecimento de produtos seguros e cumpridores dos requisitos legais aplicáveis. BRCEMBALAGEMDEALIMENTOSE MATERIAISDEEMBALAGEM O BRC (em conjunto com o Institute Of Packaging (IOP) criou um referencial técnico destinado a empresas que produzem e fornecem materiais de embalagem, entre eles para géneros alimentícios destinados à venda a retalho. Este referencial tem como objetivo auxiliar fabricantes de embalagens, retalhistas e embaladores no cumprimento das suas obrigações legais. BRC AGENTES E INTERMEDIÁRIOS Dada a relevância cada vez maior dos intermediários ou agentes na compra de matérias-primas e ingredientes a nível mundial, o BRC definiu esta norma para assegurar o controlo destes elo crítico. Mesmo não efetuando nenhuma operação de transformação do produto, estes intermediários são fundamentais para assegurar a rastreabilidade dos materiais e garantir a sua segurança, qualidade e genuinidade, e garantir a confiança para os compradores destes produtos que os irão incorporar nos géneros alimentícios que produzem. OS BENEFÍCIOS Há inúmeros benefícios para produtores de géneros alimentícios ao obterem esta certificação. Este referencial: •• Permite que produtores de alimentos e fornecedores, demonstrem a potenciais clientes, um nível de competência em sistemas de segurança alimentar e qualidade;
  • 3. •• Abrangente no seu alcance, cobre as áreas da qualidade, legalidade, higiene e segurança do produto; •• Aborda parte dos requisitos legais daqueles que participam na cadeia de fornecimento alimentar; •• Permite às empresas utilizar o referencial para assegurar que os seus fornecedores estão a seguir boas práticas de gestão da segurança alimentar; •• Requer renovação da certificação, incluindo um esquema de auditorias voluntário sem aviso prévio para permitir à organização demonstrar o seu alto nível de compromisso com a segurança alimentar e qualidade; •• Tem o reconhecimento do GFSI (Global Food Safety Initiative) desde que este sistema de benchmarking com reconhecimento internacional existe, o que torna uma grande vantagem competitiva para vender a grandes cadeias de distribuição e empresas do setor alimentar. COMO FUNCIONA O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO? O processo de certificação BRC contempla quatro fases: •• 1.ª Etapa – A SGS emite uma proposta baseada na dimensão e natureza da sua organização. Poderá prosseguir com a auditoria de certificação, aceitando a proposta. •• 2.ª Etapa – Poderá pedir à SGS que realize uma auditoria prévia de modo a indicar o grau de preparação da sua organização para a auditoria de certificação. Esta fase é opcional, no entanto, demonstra ser muito útil na identificação de fraquezas nos sistemas e na transmissão de confiança antes da auditoria formal. •• 3.ª Etapa – A auditoria formal é uma auditoria no local. Todas as partes do local e processos dentro do âmbito são avaliados de modo a determinar a conformidade com todos os requisitos do referencial. Receberá um Relatório após a auditoria, identificando alguma não conformidade evidenciada, se for o caso. Dependendo da sua natureza, estas não conformidades devem ser fechadas com evidências documentais ou através de uma visita ao local após 28 dias da realização da auditoria. Após ter respondido às não conformidades, e o auditor ter aceite as evidências, uma revisão técnica independente da auditoria será realizada pela Direção de Certificação da SGS que aprovará a emissão do certificado. •• 4.ª Etapa – Auditorias de renovação da certificação serão agendadas em intervalos definidos dependendo do resultado da auditoria de certificação (tipicamente anual, ou eventualmente semestral). Trata-se de uma auditoria de renovação integral conduzida do mesmo modo que a auditoria de concessão, mas é também analisada a implementação do plano de ações corretivas relativo a não conformidades anteriores e é verificado se a auditoria de renovação está a ser realizada na data devida. PORQUÊ A SGS? Em Portugal desde 1922, a SGS desenvolve a sua intervenção no setor alimentar baseando-se numa marca prestigiada e numa reputação de prestador de serviços de excelência. Este longo percurso conferiu-nos um conhecimento aprofundado das necessidades dos diferentes tipos de operadores deste setor, oferecendo um leque de serviços completos e adaptados à realidade de cada empresa. A SGS presta serviços que abrangem a totalidade da cadeia alimentar, controlando e analisando todo o processo “desde a exploração agrícola até à mesa”, como preconizado pelas políticas mais recentes da União Europeia. Os nossos técnicos especializados garantem um apoio permanente em todas as áreas alimentares e com abrangência nacional, incluindo Açores e Madeira. Apoiada pela rede mundial de Laboratórios SGS, a nossa equipa possui os recursos necessários “em qualquer parte do mundo” para responder a qualquer solicitação. Trabalhar com a SGS significa: •• Grande experiência e conhecimento efetivo do setor alimentar; •• Rede mundial de laboratórios acreditados e partilha de know-how internacional; •• Reconhecimento Mundial das Marcas SGS; •• Técnicos especializados com disponibilidade total; •• Acompanhamento e disponibilidade constantes; •• Atendimento personalizado e soluções idealizadas à medida da sua Organização; •• Procedimentos rápidos e eficientes, assegurando processo expeditos. COMECE HOJE Os nossos Gestores de Clientes estão à sua disposição para esclarecer e responder a quaisquer dúvidas e questões. Contacte-nos e solicite uma proposta! PARA MAIS INFORMAÇÕES CONTACTAR WWW.SGS.PT t.: 808 200 747* e.: pt.info@sgs.com *de seg. a sex. das 9h00 às 18h00 PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO BRC 1ª ETAPA Contrato 3ª ETAPA Auditoria de certificação FECHO DE NÃO CONFORMIDADES DETECTADAS EMISSÃO DO CERTIFICADO 4ª ETAPA Renovação Anual 2ª ETAPA Pré-Auditoria (opcional)