SlideShare uma empresa Scribd logo
TDAH
Transtorno do Déficit
de Atenção com
Hiperatividade
O que é o TDAH?
Transtorno neuro-biológico, de causas
genéticas, que aparece na infância e
freqüentemente acompanha o indivíduo por
toda a sua vida. Ele se caracteriza por
sintomas de desatenção, inquietude e
impulsividade. Ele é chamado às vezes de
DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). (1)
(1) http://www.tdah.org.br/
Principais Sintomas
● Falta de atenção;
● Hiperatividade;
● Impulsividade;
● Insônia;
● Agitação;
● Desorganização
● Comportamento inadequado;
Causas
● Genéticas
● Neuro-biológicas e Neuro-químicas
Diagnóstico
Normalmente o transtorno é observado em crianças na
fase escolar
O diagnóstico é realizado por um neurologista utilizando o
"Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders –
DSM"
Os sintomas devem ocorrer por um período de tempo
superior a 6 meses e não devem se manifestar em locais
específicos (por exemplo, somente na escola)
Não cabe ao professor realizar o diagnóstico, mas é seu
papel alertar a família da criança sobre o assunto
Incidência
Dependendo dos estudos, estima-se que a
TDAH possa atingir de 3% a 12% das crianças
do mundo.
No período de 2000 a 2005 o tratamento
aumentou 11% ao ano.
O transtorno é muito mais frequente no sexo
masculino, variando de 4:1 a 9:1.
Tratamento
O tratamento do TDAH deve ser multimodal, ou
seja, uma combinação de medicamentos,
orientação aos pais e professores, além de
técnicas que são ensinadas ao portador.
Plano de ação, com prioridades e objetivos de
curto e longo prazo
Terapia Cognitivo Comportamental
(psicólogos)
TDAH e comorbidades
Comorbidade
é um termo usado para
descrever a ocorrência
simultânea de dois
ou mais problemas de
saúde etiologicamente
relacionados em um
mesmo indivíduo.
1
TDAH e comorbidades
Certas alterações na
estruturação e
desenvolvimento cerebral
que inicialmente estão
relacionadas à manifestação
do TDAH e seus sintomas –
distração, agitação,
hiperatividade, impulsividade
– também representam fragilidades, que
facilitariam a ocorrência de outros transtornos.
2
TDAH e comorbidades
Ansiedade
Generalizada
Depressão
Uso de
Substâncias
3
TDAH e comorbidades
Transtorno AlimentarTranstorno
Bipolar
Distúrbio de
Linguagem
4
TDAH e comorbidades
Transtornos
5
Opositivo-Desafiador
Personalidade Anti-Social
TOC
Sono
TDAH e comorbidades
Índice de algumas comorbidades (adultos):
Depressão – 20 a 30%
Transtorno de ansiedade – 20 a 30%
Uso de substâncias – 25 a 50%
Tabagismo – 40%
Distúrbio alimentar – 20 a 30%
Transtorno de personalidade
anti-social – 25%
Transtorno de sono – 75%
6
TDAH e comorbidades
● Millstein, Wilens, Biederman e Spencer (1998)
examinaram 149 adultos com TDAH.
● Em 97% foram assinaladas de 1 a 4 condições
psiquiátricas comórbidas).
● Conclusão: O tratamento exclusivo da outra
condição psiquiátrica comórbida sem o
adequado tratamento para o TDAH resultará
em resultados insatisfatórios.
7
TDAH - Estudo de Caso
TDAH - Estudo de Caso
Pedro, 7 anos de idade, estudante da primeira série. Tem
dificuldades de aprendizagem, é sempre disperso, esquecido
e muda de humor facilmente. Não consegue se organizar,
vive perdendo objetos e não para quieto. Fala muito, corre
pra todo lado sem controle e não sabe esperar. É assim em
qualquer lugar. O único momento que fica calmo é quando
está jogando vídeo game ou assistindo algo do seu interesse
na TV. Sempre foi rotulado como incapaz, desinteressado e
outros adjetivos do tipo. Até que foi diagnosticado com
TDAH, e agora o que fazer?
TDAH - Estudo de Caso
● Profissionais Médicos/Psicólogos
Responsáveis pelo diagnóstico, receitar e acompanhar o
uso de medicamentos.
Terapia Cognitivo Comportamental, onde psicológos vão
trabalhar a fim de eliminar comportamentos indesejados e
ensinar novos comportamentos utilizando métodos, teorias
behavioristas.
TDAH - Estudo de Caso
● Família
Encorajar a criança e não jogar a culpa de tudo no
TDAH.
Promover atividades artísticas e de lazer.
Promover a socialização com outras crianças.
Garantir qualidade de vida.
Utilizar vídeo game/TV como aliados.
Acompanhar a evolução, usando reforços positivos.
Criar rotina.
TDAH - Estudo de Caso
TDAH - Estudo de Caso
● Escola
Profissionais de educação treinados.
Adaptação de atividades.
Usar reforço positivo imediato.
Usar métodos de atrair a atenção.
Ajudar a organizar tarefas e cumprir prazos.
Garantir bem estar perante aos outros alunos.
TDAH - Estudo de Caso
Interesse das Indústrias
Em 2010 a Novartis e a Associação Brasileira
de Déficit de Atenção promoveram o concurso
“Atenção Professor”, que tinha como objetivo
“ajudar os educadores a conhecer e lidar
melhor com o TDAH”.
Para levar o prêmio de R$7 mil era preciso
apresentar as melhores propostas de inclusão
de portadores de TDAH na sala de aula.
Projeto com o objetivo instituir na
educação básica um programa de
diagnóstico e tratamento do TDAH e da
Dislexia.
Foi aprovado no senado e encontra-se
em tramitação na Câmara dos
Deputados
Projeto de Lei 7081/2010
TDAH e a Escola
● Normalmente é na escola que é percebida se a criança tem TDAH, pois
tem que se concentrar e dividir o espaço com mais crianças;
● Você, como professor, deve encarar o tema. Aqui vão algumas dicas:
○ Reforço positivo
○ Limite de críticas
○ Planeje as atividades
○ Paciência e humor
○ Respeito e compreensão
○ Seja objetivo
○ Evite comparações
○ Saiba o que a criança está sentindo
○ Atividades sempre finalizadas
○ Sala de aula organizada
○ Regras da sala de aula
○ Rotina consistente e previsível
O professor sabe sobre
hiperatividade em crianças e está
disposto a reconhecer que este
problema tem um impacto
significativo sobre as crianças da
classe.
O professor parece entender a
diferença entre problemas resultantes
de incompetência e problemas
resultantes de desobediência.
O professor não emprega como
primeira ação o reforço negativo ou a
punição como meios para lidar com
problemas e para motivar na sala de
aula.
A sala de aula é organizada.
Existe um conjunto claro e
consistente de regras na classe.
Exige-se que todos alunos aprendam
as regras.
As regras da sala de aula estão num
cartaz colocado na sala para que
todos vejam.
Existe uma rotina consistente e
previsível na sala de aula.
O professor exige e segue
estritamente as exigências
específicas referentes a
comportamento e produtividade.
O trabalho escolar fornecido é
compatível com o nível de
TDAH e a Escola
O professor está mais interessado no
processo ( compeensão de um
conceito) que no produto (conclusão
de 50 problemas de subtração).
A disposição da sala de aula é
definida, com carteiras separadas
colocadas em fileiras.
O professor distribui pequenas
recompensas sociais e materiais
relevantes e freqüentes.
O professor da classe é capaz de
usar um programa modificado de
custo resposta.
O professor emprega punições leves
acompanhadas de instruções para
retornar ao trabalho quando a criança
hiperativa interrompe o trabalho dos
outras.
O professor ignora o devaneio ou a
desatenção em relação a lição que
não perturbe as outras crianças e ,
então, uma atenção diferenciada
quando ela volta ao trabalho.
A menor razão aluno para professor
possível (preferencialmente, um
professor para oito alunos.
TDAH e a Escola
O professor está disposto a alternar
atividades de alto e baixo interesse
durante todo o dia em lugar de fazer
com que o aluno faça todo o trabalho
de manhã com tarefas repetitivas
uma após a outra.
O professor está disposto a oferecer
supervisão adicional durante o
período de transição entre aulas,
intervalos e durante outras atividades
longas como reuniões.
O professor é capaz de antecipar os
problemas e fazer planejamentos de
antemão para evitar problemas.
O professor está disposto a auxiliar a
criança hiperativa a aprender, praticar
e manter aptidões organizacionais.
O professor está disposto a aceitar a
responsabilidade de verificar se a
criança hiperativa aprende e usa um
sistema eficaz para manter-se em
dia com o dever de casa, e conferir
se ela quando sai do prédio da
escola, todos os dias, leva esse dever
para casa.
O professor aceita a responsabilidade
de comunicar continuamente com os
pais. Para alunos o curso elementar,
um bilhete diário e enviado para casa.
Para estudantes das últimas séries
do 1º e 2º grau, usam-se notas de
TDAH e a Escola
O professor fornece instruções curtas
diretamente à criança hiperativa e em
nível que ela possa entender.
O professor é capaz de manter um
controle eficaz sobre toda a classe,
bem como sobre a criança hiperativa.
Preferencialmente a classe é fechada
(quatro paredes ) nunca em ambiente
aberto.
O professor está disposto a
desenvolver um sistema no qual as
instruções são repetidas e oferecidas
de várias maneiras.
O professor está disposto a oferecer
pistas para ajudar a criança hiperativa
a voltar para o trabalho e a evitar que
ela fique super excitada.
O professor está disposto a permitir
movimentos na sala de aula.
O professor prepara todos os alunos
para mudanças na rotina.
O professor entende como e quando
variar seu método.
O professor é capaz de fazer um
rodízio e uma alternância de
estímulos e reconhece que aquilo
pode ser recompensador para um
aluno, pode não ser para outro.
TDAH e a Escola
Todos os estudantes aprendem um
modelo lógico de resolução de
problemas para lidar com problemas
na sala de aula e entre eles mesmos
(por exemplo: parar, ver, ouvir).
Um sistema de treinamento em
atenção ou auto monitoramento é
usado em sala de aula.
O professor parece capaz de
encontrar algo positivo, bom e valioso
em toda criança. Este professor
valoriza as crianças por aquilo que
são, não por aquilo que conseguem
produzir.
TDAH e a Escola

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

TDAH
TDAH TDAH
TDAH - Rogério Goulart Paes
TDAH - Rogério Goulart PaesTDAH - Rogério Goulart Paes
TDAH - Rogério Goulart Paes
Instituto Consciência GO
 
TDAH
TDAHTDAH
Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power point
Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power pointTranstorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power point
Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power point
Sme Otacílio Costa
 
TDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / Hiperatividade
TDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / HiperatividadeTDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / Hiperatividade
TDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / Hiperatividade
mendessergio
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
Aurivan
 
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividadeTranstorno de déficit de atenção e hiperatividade
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade
Ana Larissa Perissini
 
Transtorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteTranstorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafiante
isismaat
 
Autismo
AutismoAutismo
Transtornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na EscolaTranstornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na Escola
Rosângela Gonçalves
 
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
ceciliaconserva
 
Autismo
AutismoAutismo
TEA
TEATEA
Tdah apresentação - slides
Tdah   apresentação - slidesTdah   apresentação - slides
Tdah apresentação - slides
Nikki Britto
 
Tdah uma conversa_com_educadores
Tdah uma conversa_com_educadoresTdah uma conversa_com_educadores
Tdah uma conversa_com_educadores
Marlene Campos
 
Informações sobre Autismo
Informações sobre AutismoInformações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Tathiane Cuesta
 
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
estudosacademicospedag
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Raline Guimaraes
 
TDAH na Infância
TDAH na InfânciaTDAH na Infância
TDAH na Infância
Samuel Cevidanes
 

Mais procurados (20)

TDAH
TDAH TDAH
TDAH
 
TDAH - Rogério Goulart Paes
TDAH - Rogério Goulart PaesTDAH - Rogério Goulart Paes
TDAH - Rogério Goulart Paes
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power point
Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power pointTranstorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power point
Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tdah power point
 
TDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / Hiperatividade
TDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / HiperatividadeTDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / Hiperatividade
TDAH – Transtorno do Déficit da Atenção / Hiperatividade
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
 
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividadeTranstorno de déficit de atenção e hiperatividade
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade
 
Transtorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteTranstorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafiante
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Transtornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na EscolaTranstornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na Escola
 
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
TEA
TEATEA
TEA
 
Tdah apresentação - slides
Tdah   apresentação - slidesTdah   apresentação - slides
Tdah apresentação - slides
 
Tdah uma conversa_com_educadores
Tdah uma conversa_com_educadoresTdah uma conversa_com_educadores
Tdah uma conversa_com_educadores
 
Informações sobre Autismo
Informações sobre AutismoInformações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
 
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01Dificuldades de aprendizagem  slides nº 01
Dificuldades de aprendizagem slides nº 01
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
 
TDAH na Infância
TDAH na InfânciaTDAH na Infância
TDAH na Infância
 

Destaque

TDAH
TDAHTDAH
Palestra hiperatividade bicalho
Palestra hiperatividade bicalhoPalestra hiperatividade bicalho
Palestra hiperatividade bicalho
Lubelia Barbosa
 
Apresentacao hiperatividade
Apresentacao hiperatividadeApresentacao hiperatividade
Apresentacao hiperatividade
Antonio Feliciano
 
Apresentação Hiperatividade
Apresentação HiperatividadeApresentação Hiperatividade
Apresentação Hiperatividade
Jardeane Fontenele
 
Cartilha do TDAH
Cartilha do TDAHCartilha do TDAH
Cartilha do TDAH
Paramédico
 
Como ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdahComo ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdah
SimoneHelenDrumond
 
Ritalina banalizada
Ritalina banalizadaRitalina banalizada
Ritalina banalizada
LEONDER89
 
Metilfenidato
MetilfenidatoMetilfenidato
Metilfenidato
LauraLGG
 
TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola
TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola
TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola
appairj
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
Rafaella
 
Gestãodos espaços segundoano
Gestãodos espaços segundoanoGestãodos espaços segundoano
Gestãodos espaços segundoano
orientacoesdidaticas
 
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidado
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidadoO AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidado
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidado
Marilia Mesquita
 
TDAH
TDAHTDAH
Ritalina
RitalinaRitalina
Ritalina
arch2352
 
Ritalina... As Dúvidas
Ritalina... As DúvidasRitalina... As Dúvidas
Ritalina... As Dúvidas
Joaquim Colôa
 
Projeto Mídias na Educação
Projeto Mídias na EducaçãoProjeto Mídias na Educação
Projeto Mídias na Educação
gepoteriko
 
Projeto UFPR
Projeto UFPRProjeto UFPR
Projeto UFPR
gepoteriko
 
medicalização de crianças e adolescentes
medicalização de crianças e adolescentesmedicalização de crianças e adolescentes
medicalização de crianças e adolescentes
Ulisses Vakirtzis
 
António Feliciano de Castilho
António Feliciano de CastilhoAntónio Feliciano de Castilho
António Feliciano de Castilho
Maiina
 
ARTIGO - TOONDOO E TDAH
ARTIGO - TOONDOO E TDAHARTIGO - TOONDOO E TDAH
ARTIGO - TOONDOO E TDAH
gepoteriko
 

Destaque (20)

TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Palestra hiperatividade bicalho
Palestra hiperatividade bicalhoPalestra hiperatividade bicalho
Palestra hiperatividade bicalho
 
Apresentacao hiperatividade
Apresentacao hiperatividadeApresentacao hiperatividade
Apresentacao hiperatividade
 
Apresentação Hiperatividade
Apresentação HiperatividadeApresentação Hiperatividade
Apresentação Hiperatividade
 
Cartilha do TDAH
Cartilha do TDAHCartilha do TDAH
Cartilha do TDAH
 
Como ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdahComo ensinar uma criança com tdah
Como ensinar uma criança com tdah
 
Ritalina banalizada
Ritalina banalizadaRitalina banalizada
Ritalina banalizada
 
Metilfenidato
MetilfenidatoMetilfenidato
Metilfenidato
 
TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola
TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola
TDAH - Déficit de Atenção/Hiperatividade na Escola
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Gestãodos espaços segundoano
Gestãodos espaços segundoanoGestãodos espaços segundoano
Gestãodos espaços segundoano
 
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidado
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidadoO AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidado
O AUTISMO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR: uma construção e reconstrução do cuidado
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Ritalina
RitalinaRitalina
Ritalina
 
Ritalina... As Dúvidas
Ritalina... As DúvidasRitalina... As Dúvidas
Ritalina... As Dúvidas
 
Projeto Mídias na Educação
Projeto Mídias na EducaçãoProjeto Mídias na Educação
Projeto Mídias na Educação
 
Projeto UFPR
Projeto UFPRProjeto UFPR
Projeto UFPR
 
medicalização de crianças e adolescentes
medicalização de crianças e adolescentesmedicalização de crianças e adolescentes
medicalização de crianças e adolescentes
 
António Feliciano de Castilho
António Feliciano de CastilhoAntónio Feliciano de Castilho
António Feliciano de Castilho
 
ARTIGO - TOONDOO E TDAH
ARTIGO - TOONDOO E TDAHARTIGO - TOONDOO E TDAH
ARTIGO - TOONDOO E TDAH
 

Semelhante a Seminário TDAH UnB 2013/1

Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
ceciliaconserva
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ApresentaçãO1 Filosofia Hiperactividade
ApresentaçãO1  Filosofia HiperactividadeApresentaçãO1  Filosofia Hiperactividade
ApresentaçãO1 Filosofia Hiperactividade
elvira.sequeira
 
Slideaula
Slideaula Slideaula
Slideaula
Helenvitoria
 
Slideaula helen
Slideaula helenSlideaula helen
Slideaula helen
Helenvitoria
 
Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...
Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...
Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...
CarlaOliveira280252
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
LetciaFerreira409889
 
Trabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAH
Trabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAHTrabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAH
Trabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAH
Priscila Pettine
 
Projeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagem
Projeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagemProjeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagem
Projeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagem
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
A inclusão e o tdah
A inclusão e o tdahA inclusão e o tdah
A inclusão e o tdah
Alzira Dias
 
Jamile almeida
Jamile almeidaJamile almeida
Jamile almeida
SimoneHelenDrumond
 
Nossa quanta agitação!ok
Nossa quanta agitação!okNossa quanta agitação!ok
Nossa quanta agitação!ok
Josiane Mochel
 
Estratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAH
Estratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAHEstratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAH
Estratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAH
souzalimajulie
 
Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47
Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47
Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47
Giordana Garcia
 
TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.
TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.
TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.
Kássia Quadros Ferreira
 
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdf
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdfDIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdf
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdf
lucianacarvalho
 
Condutas
CondutasCondutas
A LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDA
A LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDAA LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDA
A LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDA
Sirlene Aparecida Nogueira
 
Anexo 9 cartillha tdah
Anexo 9 cartillha tdahAnexo 9 cartillha tdah
Anexo 9 cartillha tdah
JULIAROCHACAMARGO1
 

Semelhante a Seminário TDAH UnB 2013/1 (20)

Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
 
ApresentaçãO1 Filosofia Hiperactividade
ApresentaçãO1  Filosofia HiperactividadeApresentaçãO1  Filosofia Hiperactividade
ApresentaçãO1 Filosofia Hiperactividade
 
Slideaula
Slideaula Slideaula
Slideaula
 
Slideaula helen
Slideaula helenSlideaula helen
Slideaula helen
 
Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...
Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...
Guia_de_orientações_para_pais_de_crianças_e_adolescentes_com_TDAH_-_em_per...
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
 
Trabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAH
Trabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAHTrabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAH
Trabalho sobre ação pedagógica coerente junto a alunos com DDAH
 
Projeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagem
Projeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagemProjeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagem
Projeto TDAH: o professor como Mitigador do processo de ensino aprendizagem
 
A inclusão e o tdah
A inclusão e o tdahA inclusão e o tdah
A inclusão e o tdah
 
Jamile almeida
Jamile almeidaJamile almeida
Jamile almeida
 
Nossa quanta agitação!ok
Nossa quanta agitação!okNossa quanta agitação!ok
Nossa quanta agitação!ok
 
Estratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAH
Estratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAHEstratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAH
Estratégias de Ensino Sob Medida para Crianças com TDAH
 
Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47
Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47
Deficit de atencao_ou_tdah-1modulo_22-47
 
TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.
TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.
TDAH -Acompanhamento e orientação psicopedagógica.
 
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdf
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdfDIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdf
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM TOD.pdf
 
Condutas
CondutasCondutas
Condutas
 
A LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDA
A LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDAA LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDA
A LUDICIDADE COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM PARA CRIANÇAS COM TDAH/TDA
 
Anexo 9 cartillha tdah
Anexo 9 cartillha tdahAnexo 9 cartillha tdah
Anexo 9 cartillha tdah
 

Seminário TDAH UnB 2013/1

  • 1. TDAH Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade
  • 2.
  • 3. O que é o TDAH? Transtorno neuro-biológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). (1) (1) http://www.tdah.org.br/
  • 4. Principais Sintomas ● Falta de atenção; ● Hiperatividade; ● Impulsividade; ● Insônia; ● Agitação; ● Desorganização ● Comportamento inadequado;
  • 6. Diagnóstico Normalmente o transtorno é observado em crianças na fase escolar O diagnóstico é realizado por um neurologista utilizando o "Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM" Os sintomas devem ocorrer por um período de tempo superior a 6 meses e não devem se manifestar em locais específicos (por exemplo, somente na escola) Não cabe ao professor realizar o diagnóstico, mas é seu papel alertar a família da criança sobre o assunto
  • 7. Incidência Dependendo dos estudos, estima-se que a TDAH possa atingir de 3% a 12% das crianças do mundo. No período de 2000 a 2005 o tratamento aumentou 11% ao ano. O transtorno é muito mais frequente no sexo masculino, variando de 4:1 a 9:1.
  • 8. Tratamento O tratamento do TDAH deve ser multimodal, ou seja, uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas que são ensinadas ao portador. Plano de ação, com prioridades e objetivos de curto e longo prazo Terapia Cognitivo Comportamental (psicólogos)
  • 9. TDAH e comorbidades Comorbidade é um termo usado para descrever a ocorrência simultânea de dois ou mais problemas de saúde etiologicamente relacionados em um mesmo indivíduo. 1
  • 10. TDAH e comorbidades Certas alterações na estruturação e desenvolvimento cerebral que inicialmente estão relacionadas à manifestação do TDAH e seus sintomas – distração, agitação, hiperatividade, impulsividade – também representam fragilidades, que facilitariam a ocorrência de outros transtornos. 2
  • 12. TDAH e comorbidades Transtorno AlimentarTranstorno Bipolar Distúrbio de Linguagem 4
  • 14. TDAH e comorbidades Índice de algumas comorbidades (adultos): Depressão – 20 a 30% Transtorno de ansiedade – 20 a 30% Uso de substâncias – 25 a 50% Tabagismo – 40% Distúrbio alimentar – 20 a 30% Transtorno de personalidade anti-social – 25% Transtorno de sono – 75% 6
  • 15. TDAH e comorbidades ● Millstein, Wilens, Biederman e Spencer (1998) examinaram 149 adultos com TDAH. ● Em 97% foram assinaladas de 1 a 4 condições psiquiátricas comórbidas). ● Conclusão: O tratamento exclusivo da outra condição psiquiátrica comórbida sem o adequado tratamento para o TDAH resultará em resultados insatisfatórios. 7
  • 16. TDAH - Estudo de Caso
  • 17. TDAH - Estudo de Caso Pedro, 7 anos de idade, estudante da primeira série. Tem dificuldades de aprendizagem, é sempre disperso, esquecido e muda de humor facilmente. Não consegue se organizar, vive perdendo objetos e não para quieto. Fala muito, corre pra todo lado sem controle e não sabe esperar. É assim em qualquer lugar. O único momento que fica calmo é quando está jogando vídeo game ou assistindo algo do seu interesse na TV. Sempre foi rotulado como incapaz, desinteressado e outros adjetivos do tipo. Até que foi diagnosticado com TDAH, e agora o que fazer?
  • 18. TDAH - Estudo de Caso ● Profissionais Médicos/Psicólogos Responsáveis pelo diagnóstico, receitar e acompanhar o uso de medicamentos. Terapia Cognitivo Comportamental, onde psicológos vão trabalhar a fim de eliminar comportamentos indesejados e ensinar novos comportamentos utilizando métodos, teorias behavioristas.
  • 19. TDAH - Estudo de Caso ● Família Encorajar a criança e não jogar a culpa de tudo no TDAH. Promover atividades artísticas e de lazer. Promover a socialização com outras crianças. Garantir qualidade de vida. Utilizar vídeo game/TV como aliados. Acompanhar a evolução, usando reforços positivos. Criar rotina.
  • 20. TDAH - Estudo de Caso
  • 21. TDAH - Estudo de Caso ● Escola Profissionais de educação treinados. Adaptação de atividades. Usar reforço positivo imediato. Usar métodos de atrair a atenção. Ajudar a organizar tarefas e cumprir prazos. Garantir bem estar perante aos outros alunos.
  • 22. TDAH - Estudo de Caso
  • 23. Interesse das Indústrias Em 2010 a Novartis e a Associação Brasileira de Déficit de Atenção promoveram o concurso “Atenção Professor”, que tinha como objetivo “ajudar os educadores a conhecer e lidar melhor com o TDAH”. Para levar o prêmio de R$7 mil era preciso apresentar as melhores propostas de inclusão de portadores de TDAH na sala de aula.
  • 24. Projeto com o objetivo instituir na educação básica um programa de diagnóstico e tratamento do TDAH e da Dislexia. Foi aprovado no senado e encontra-se em tramitação na Câmara dos Deputados Projeto de Lei 7081/2010
  • 25. TDAH e a Escola ● Normalmente é na escola que é percebida se a criança tem TDAH, pois tem que se concentrar e dividir o espaço com mais crianças; ● Você, como professor, deve encarar o tema. Aqui vão algumas dicas: ○ Reforço positivo ○ Limite de críticas ○ Planeje as atividades ○ Paciência e humor ○ Respeito e compreensão ○ Seja objetivo ○ Evite comparações ○ Saiba o que a criança está sentindo ○ Atividades sempre finalizadas ○ Sala de aula organizada ○ Regras da sala de aula ○ Rotina consistente e previsível
  • 26. O professor sabe sobre hiperatividade em crianças e está disposto a reconhecer que este problema tem um impacto significativo sobre as crianças da classe. O professor parece entender a diferença entre problemas resultantes de incompetência e problemas resultantes de desobediência. O professor não emprega como primeira ação o reforço negativo ou a punição como meios para lidar com problemas e para motivar na sala de aula. A sala de aula é organizada. Existe um conjunto claro e consistente de regras na classe. Exige-se que todos alunos aprendam as regras. As regras da sala de aula estão num cartaz colocado na sala para que todos vejam. Existe uma rotina consistente e previsível na sala de aula. O professor exige e segue estritamente as exigências específicas referentes a comportamento e produtividade. O trabalho escolar fornecido é compatível com o nível de TDAH e a Escola
  • 27. O professor está mais interessado no processo ( compeensão de um conceito) que no produto (conclusão de 50 problemas de subtração). A disposição da sala de aula é definida, com carteiras separadas colocadas em fileiras. O professor distribui pequenas recompensas sociais e materiais relevantes e freqüentes. O professor da classe é capaz de usar um programa modificado de custo resposta. O professor emprega punições leves acompanhadas de instruções para retornar ao trabalho quando a criança hiperativa interrompe o trabalho dos outras. O professor ignora o devaneio ou a desatenção em relação a lição que não perturbe as outras crianças e , então, uma atenção diferenciada quando ela volta ao trabalho. A menor razão aluno para professor possível (preferencialmente, um professor para oito alunos. TDAH e a Escola
  • 28. O professor está disposto a alternar atividades de alto e baixo interesse durante todo o dia em lugar de fazer com que o aluno faça todo o trabalho de manhã com tarefas repetitivas uma após a outra. O professor está disposto a oferecer supervisão adicional durante o período de transição entre aulas, intervalos e durante outras atividades longas como reuniões. O professor é capaz de antecipar os problemas e fazer planejamentos de antemão para evitar problemas. O professor está disposto a auxiliar a criança hiperativa a aprender, praticar e manter aptidões organizacionais. O professor está disposto a aceitar a responsabilidade de verificar se a criança hiperativa aprende e usa um sistema eficaz para manter-se em dia com o dever de casa, e conferir se ela quando sai do prédio da escola, todos os dias, leva esse dever para casa. O professor aceita a responsabilidade de comunicar continuamente com os pais. Para alunos o curso elementar, um bilhete diário e enviado para casa. Para estudantes das últimas séries do 1º e 2º grau, usam-se notas de TDAH e a Escola
  • 29. O professor fornece instruções curtas diretamente à criança hiperativa e em nível que ela possa entender. O professor é capaz de manter um controle eficaz sobre toda a classe, bem como sobre a criança hiperativa. Preferencialmente a classe é fechada (quatro paredes ) nunca em ambiente aberto. O professor está disposto a desenvolver um sistema no qual as instruções são repetidas e oferecidas de várias maneiras. O professor está disposto a oferecer pistas para ajudar a criança hiperativa a voltar para o trabalho e a evitar que ela fique super excitada. O professor está disposto a permitir movimentos na sala de aula. O professor prepara todos os alunos para mudanças na rotina. O professor entende como e quando variar seu método. O professor é capaz de fazer um rodízio e uma alternância de estímulos e reconhece que aquilo pode ser recompensador para um aluno, pode não ser para outro. TDAH e a Escola
  • 30. Todos os estudantes aprendem um modelo lógico de resolução de problemas para lidar com problemas na sala de aula e entre eles mesmos (por exemplo: parar, ver, ouvir). Um sistema de treinamento em atenção ou auto monitoramento é usado em sala de aula. O professor parece capaz de encontrar algo positivo, bom e valioso em toda criança. Este professor valoriza as crianças por aquilo que são, não por aquilo que conseguem produzir. TDAH e a Escola