SlideShare uma empresa Scribd logo
GÊNEROS E MOVIMENTOS
DIVERSOS DA MÚSICA
POPULAR BRASILEIRA
Prof. Ítalo Colares
VAMOS COMEÇAR? 1... 2... E 3!
• A música ‘popular’ brasileira surge no período colonial,
com a mistura de vários estilos.
• Durante os séculos XVI e XVIII aconteceu a mistura entre
as cantigas populares trazidas pelos portugueses, os sons
de origem africana, fanfarras militares, músicas
religiosas e músicas eruditas europeias.
• No entanto, é importante ressaltar que os índios, os
moradores dessa terra, já faziam música aqui, e
contribuíram para o nosso “caldeirão musical” com seus
típicos cantos e sons tribais.
MODINHA E LUNDU
• Nos séculos XVIII e XIX, nas primeiras cidades brasileiras destacaram-se dois ritmos musicais que
marcaram a música brasileira: o lundu e a modinha.
• O lundu, de origem africana, possuía um forte apelo sensual e uma batida rítmica dançante, sendo
o primeiro ritmo africano aceito pelos brancos. Ainda hoje, na Ilha de Marajó (Pará) se pratica o
Lundu.
• A modinha por sua vez, de origem portuguesa, trazia a melancolia e falava de amor numa batida
calma e erudita.
O CHORINHO
• Na segunda metade do século XIX, surge o Choro, também
conhecido como Chorinho. Normalmente a história do Choro
está relacionada com a chegada da Família Real no Brasil em
1808, pois com a corte portuguesa chegaram o piano, o
clarinete, a flauta, o bandolim e o cavaquinho, bem como os
seus instrumentistas.
• O Chorinho era e é executado em rodas, chamadas “rodas de
choro”, que são reuniões informais onde o chorão, que é o
músico, toca suas composições ricas em melodia e podendo
até serem improvisadas.
• Alguns músicos afirmam que o nome choro é provêm da
sensação de tristeza e melancolia transmitidas pelas notas
executadas no violão.
• Chiquinha Gonzaga e Pixiguinha foram uns dos maiores compositores de Choro, sendo
Chiquinha a primeira “chorona”, que compôs em 1899 a música “Abre Alas”, marchinha de
carnaval muito conhecida. Pixinguinha, por sua vez, compôs “Carinhoso”, considerado um
dos choros mais famoso.
O SAMBA.
• É no início do século XX que surgem as raízes do que será o
samba, ritmo que nasceu da mistura de estilos musicais
africanos e brasileiros. Tocado com instrumentos de
percussão acompanhados de violão e cavaquinho, o samba
conta a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades,
principalmente das pessoas mais carentes, sendo
considerado uma das principais manifestações culturais
brasileiras.
• O termo samba é de origem africana, e seu significado está
ligado às danças típicas desse continente.
• Contudo, o samba moderno surge na cidade do Rio de
Janeiro (em meados da década de 30), recebendo influência
do samba tocado na Bahia e que chega ao Rio através dos
escravos vendidos para trabalhar nas plantações de café.
• O samba tomou as ruas e espalhou-se pelo Brasil através da difusão do Rádio.
• Os principais sambistas que se destacaram nesse período foram Noel Rosa
(Conversa de Botequim); Cartola (As Rosas Não Falam); Dorival Caymmi (O Que É
Que a Baiana Tem?); Ary Barroso (Aquarela do Brasil); e Adoniran Barbosa (Trem
das Onze).
Noel Rosa (1910 – 1937)
Cartola (1908 – 1980)
Dorival Caymmi (1914 – 2008)
Ary Barroso (1903 – 1964)
O SAMBA- CANÇÃO
• É um dos subgêneros originários do samba de maior relevância na nossa música.
• Oriundo da modernização do samba carioca, esse estilo musical faz uma releitura
mais elaborada da melodia e possui um andamento mais moderado, centrado em
temáticas como amor, solidão e na conhecida “dor-de-cotovelo”.
• Destacam-se neste contexto musical: Mayza, Dolores Duran, Nélson Gonçalves,
Dalva de Oliveira, e Caubi Peixoto, entre outros.
BOSSA NOVA
• Gênero musical oriundo do samba, contudo sofreu também fortíssima influência do jazz
americano (EUA). Surgiu nos finais dos anos 50 no estado do Rio de Janeiro, tornando-se um
dos movimentos mais influentes da história da MPB.
• Seus principais representantes:
OS FILHOS DA BOSSA NOVA
• A Jovem Guarda, o Tropicalismo, a MPB, todos beberam na fonte da Bossa Nova.
Seus compositores e intérpretes foram revelados nos grandes Festivais de Música
Brasileira que aconteceram nos anos 60!
JOVEM GUARDA
• Movimento cultural surgido na década de 1960 que mesclava música,
comportamento e moda.
• Surgiu a partir de um programa da TV Record, em agosto de 1965. Apresentado
pelo cantor e compositor Roberto Carlos, junto com Erasmo Carlos e Wanderléa.
• Esse movimento musical deu origem a uma nova linguagem musical e
comportamental no Brasil.
• Influenciado pelo rock and roll do final da década dos 50 e início dos anos 60. Suas
letras tinham temáticas amorosas, adolescentes e melosas.
TROPICALISMO
• Surgiu na década de 60. Misturando manifestações tradicionais da cultura
brasileira à inovações estéticas radicais, tinha objetivos comportamentais que
encontraram ecos em boa parte da sociedade, na época sob o regime militar do
final da década.
• Figurou em manifestações artísticas diversas, como as artes plásticas (destaque para
a figura de Hélio Oiticica), o cinema (o movimento sofreu influências e influenciou
o Cinema novo de Glauber Rocha) e o teatro brasileiro (sobretudo nas peças
anárquicas de José Celso Martinez Corrêa).
• O movimento manifestou-se principalmente na música, tendo como maiores
representantes Caetano Veloso, Gilberto Gil, Torquato Neto, Os Mutantes e Tom
Zé.
MPB
• Surgiu a partir de 1966 da fusão da Bossa Nova com a música de raiz brasileira.
• A MPB engloba todas as influências estrangeiras, como também retorna a
sonoridade nascida no nosso país, acrescentando um pouco dos gêneros até aqui
estudados, como o Baião, o Choro, e outros.
• A sigla MPB nasceu da luta contra a ditadura militar, pois foi nesse movimento que
vários artistas se uniram em repúdio ao golpe militar.
• Dentre esses artistas podemos citar Chico Buarque, Elis Regina, Clara Nunes,
Geraldo Vandré, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethania,
Geraldo Azevedo e Alceu Valença.
Samba e a mpb

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Sandro Bottene
 
Arte Rupestre
Arte RupestreArte Rupestre
Arte Rupestre
Mariinazorzi
 
História da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileira
História da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileiraHistória da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileira
História da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileira
Raphael Lanzillotte
 
Estilos Musicais
Estilos MusicaisEstilos Musicais
Estilos Musicais
Marilia
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré história
Daniella Cincoetti
 
História da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoHistória da Arte - Barroco
História da Arte - Barroco
Maiara Giordani
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte pre historia
Arte pre historiaArte pre historia
Arte pre historia
Aline Raposo
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
Andrea Dressler
 
História do circo
História do circoHistória do circo
História do circo
maria.2008
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
Bruna M
 
Tropicalismo
TropicalismoTropicalismo
Tropicalismo
Junior Onildo
 
Arte Africana
Arte Africana Arte Africana
Arte Africana
Joemille Leal
 
Mpb
MpbMpb
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
Mary Lopes
 
Teatro do Oprimido
Teatro do OprimidoTeatro do Oprimido
Teatro do Oprimido
Lismara de Oliveira
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
Junior Onildo
 
Semana de arte moderna 1922
Semana de arte moderna 1922Semana de arte moderna 1922
Semana de arte moderna 1922
seixasmarianas
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
VIVIAN TROMBINI
 

Mais procurados (20)

Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
Arte Rupestre
Arte RupestreArte Rupestre
Arte Rupestre
 
História da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileira
História da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileiraHistória da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileira
História da Arte: Arte e cultura africana e afro brasileira
 
Estilos Musicais
Estilos MusicaisEstilos Musicais
Estilos Musicais
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré história
 
História da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoHistória da Arte - Barroco
História da Arte - Barroco
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Arte pre historia
Arte pre historiaArte pre historia
Arte pre historia
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
 
História do circo
História do circoHistória do circo
História do circo
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Tropicalismo
TropicalismoTropicalismo
Tropicalismo
 
Arte Africana
Arte Africana Arte Africana
Arte Africana
 
Mpb
MpbMpb
Mpb
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
 
Teatro do Oprimido
Teatro do OprimidoTeatro do Oprimido
Teatro do Oprimido
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
 
Semana de arte moderna 1922
Semana de arte moderna 1922Semana de arte moderna 1922
Semana de arte moderna 1922
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 

Destaque

Filosofia introdução
Filosofia   introduçãoFilosofia   introdução
Filosofia introdução
Italo Colares
 
Frases de Pensadores
Frases de PensadoresFrases de Pensadores
Frases de Pensadores
Italo Colares
 
Unificações europeias
Unificações europeias Unificações europeias
Unificações europeias
Italo Colares
 
Cultura no Plural
Cultura no PluralCultura no Plural
Cultura no Plural
Italo Colares
 
Filosofia ENEM Aula Palestra
Filosofia ENEM Aula PalestraFilosofia ENEM Aula Palestra
Filosofia ENEM Aula Palestra
Italo Colares
 
O estado contemporaneo
O estado contemporaneoO estado contemporaneo
O estado contemporaneo
Italo Colares
 
Mpb manuela corrigido
Mpb manuela corrigidoMpb manuela corrigido
Mpb manuela corrigido
Elô Ribeiro
 
Violência e concórdia
Violência e concórdiaViolência e concórdia
Violência e concórdia
Italo Colares
 
O que são valores?
O que são valores?O que são valores?
O que são valores?
Italo Colares
 
Os Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAno
Os Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAnoOs Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAno
Os Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAno
colegiomb
 
Estudando a MPB
Estudando a MPBEstudando a MPB
Estudando a MPB
Walner Mamede
 
Descolonização Africana e Asiática
Descolonização Africana e AsiáticaDescolonização Africana e Asiática
Descolonização Africana e Asiática
Gilmar Rodrigues
 
O trabalho em nossa vida.
O trabalho em nossa vida.O trabalho em nossa vida.
O trabalho em nossa vida.
Italo Colares
 
Estado contemporâneo
Estado contemporâneoEstado contemporâneo
Estado contemporâneo
roberto mosca junior
 
O período democrático ou populista
O período democrático ou populistaO período democrático ou populista
O período democrático ou populista
Gilmar Rodrigues
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Gilmar Rodrigues
 
A 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundialA 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundial
Gilmar Rodrigues
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Gilmar Rodrigues
 
Desigualdade de gênero na família e na sociedade
Desigualdade de gênero na família e na sociedadeDesigualdade de gênero na família e na sociedade
Desigualdade de gênero na família e na sociedade
Italo Colares
 
A 2ª Guerra Mundial 9º ano
A 2ª Guerra Mundial   9º anoA 2ª Guerra Mundial   9º ano
A 2ª Guerra Mundial 9º ano
Gilmar Rodrigues
 

Destaque (20)

Filosofia introdução
Filosofia   introduçãoFilosofia   introdução
Filosofia introdução
 
Frases de Pensadores
Frases de PensadoresFrases de Pensadores
Frases de Pensadores
 
Unificações europeias
Unificações europeias Unificações europeias
Unificações europeias
 
Cultura no Plural
Cultura no PluralCultura no Plural
Cultura no Plural
 
Filosofia ENEM Aula Palestra
Filosofia ENEM Aula PalestraFilosofia ENEM Aula Palestra
Filosofia ENEM Aula Palestra
 
O estado contemporaneo
O estado contemporaneoO estado contemporaneo
O estado contemporaneo
 
Mpb manuela corrigido
Mpb manuela corrigidoMpb manuela corrigido
Mpb manuela corrigido
 
Violência e concórdia
Violência e concórdiaViolência e concórdia
Violência e concórdia
 
O que são valores?
O que são valores?O que são valores?
O que são valores?
 
Os Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAno
Os Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAnoOs Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAno
Os Instrumentos Lógicos do Pensamento - Filosofia 10ºAno
 
Estudando a MPB
Estudando a MPBEstudando a MPB
Estudando a MPB
 
Descolonização Africana e Asiática
Descolonização Africana e AsiáticaDescolonização Africana e Asiática
Descolonização Africana e Asiática
 
O trabalho em nossa vida.
O trabalho em nossa vida.O trabalho em nossa vida.
O trabalho em nossa vida.
 
Estado contemporâneo
Estado contemporâneoEstado contemporâneo
Estado contemporâneo
 
O período democrático ou populista
O período democrático ou populistaO período democrático ou populista
O período democrático ou populista
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
A 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundialA 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundial
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Desigualdade de gênero na família e na sociedade
Desigualdade de gênero na família e na sociedadeDesigualdade de gênero na família e na sociedade
Desigualdade de gênero na família e na sociedade
 
A 2ª Guerra Mundial 9º ano
A 2ª Guerra Mundial   9º anoA 2ª Guerra Mundial   9º ano
A 2ª Guerra Mundial 9º ano
 

Semelhante a Samba e a mpb

histmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptx
histmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptxhistmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptx
histmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptx
MariaMarques385773
 
Roteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
Roteiro de estudo ARTE - Ensino FundamentalRoteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
Roteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
VALDOMIRO PEREIRA DE PEREIRA DE SOUZA JUNIOR
 
Música estilo musical
Música   estilo musicalMúsica   estilo musical
Música estilo musical
Jéssica Cristina
 
Origem dos generos musicais
Origem dos generos musicaisOrigem dos generos musicais
Origem dos generos musicais
Eralda Cruz
 
A Evolução dos Ritmos Musicais
A Evolução dos Ritmos Musicais A Evolução dos Ritmos Musicais
A Evolução dos Ritmos Musicais
eercavalcanti
 
GENEROS.pptx
GENEROS.pptxGENEROS.pptx
GENEROS.pptx
AndreJose15
 
Música Brasil
Música BrasilMúsica Brasil
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.pptMÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
FernandaBorges359180
 
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.pptMÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MariaMarques385773
 
Danças de salão
Danças de salãoDanças de salão
Danças de salão
José Mársy
 
42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx
42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx
42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx
MiriamCamily
 
Bossa nova
Bossa novaBossa nova
Bossa nova
juliana fiebig
 
Musica urbana
Musica urbana Musica urbana
Musica urbana
Érica do Vale
 
A Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de Souza
A Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de SouzaA Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de Souza
A Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de Souza
alfeuRIO
 
Vanguardas artísticas e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...
Vanguardas artísticas  e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...Vanguardas artísticas  e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...
Vanguardas artísticas e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...
JanilsonNascimento4
 
Samba além do carnaval
Samba além do carnavalSamba além do carnaval
Samba além do carnaval
Thaiz Reciolino
 
Sertanejo raiz
Sertanejo raizSertanejo raiz
Sertanejo raiz
Micaelle Marra
 
Historia dos ritmos
Historia dos ritmosHistoria dos ritmos
Historia dos ritmos
uzina musical
 
Música brasileira
Música brasileiraMúsica brasileira
Música brasileira
Di-Milhomem
 
Compositores Famosos da MPB [4]
Compositores Famosos da MPB [4]Compositores Famosos da MPB [4]
Compositores Famosos da MPB [4]
momengtonoticia
 

Semelhante a Samba e a mpb (20)

histmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptx
histmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptxhistmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptx
histmusicabras-21maio-140528150704-phpapp02.pptx
 
Roteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
Roteiro de estudo ARTE - Ensino FundamentalRoteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
Roteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
 
Música estilo musical
Música   estilo musicalMúsica   estilo musical
Música estilo musical
 
Origem dos generos musicais
Origem dos generos musicaisOrigem dos generos musicais
Origem dos generos musicais
 
A Evolução dos Ritmos Musicais
A Evolução dos Ritmos Musicais A Evolução dos Ritmos Musicais
A Evolução dos Ritmos Musicais
 
GENEROS.pptx
GENEROS.pptxGENEROS.pptx
GENEROS.pptx
 
Música Brasil
Música BrasilMúsica Brasil
Música Brasil
 
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.pptMÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
 
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.pptMÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
MÚSICA – Gêneros e movimentos diversos da música brasileira.ppt
 
Danças de salão
Danças de salãoDanças de salão
Danças de salão
 
42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx
42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx
42877_048e221328d6475b6ae1cb069a2e2a0b (2).pptx
 
Bossa nova
Bossa novaBossa nova
Bossa nova
 
Musica urbana
Musica urbana Musica urbana
Musica urbana
 
A Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de Souza
A Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de SouzaA Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de Souza
A Bossa Dançante do Sambalanço - Tárik de Souza
 
Vanguardas artísticas e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...
Vanguardas artísticas  e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...Vanguardas artísticas  e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...
Vanguardas artísticas e Musica no Brasil nos anos 50 e 60 - Bossa Nova e Jov...
 
Samba além do carnaval
Samba além do carnavalSamba além do carnaval
Samba além do carnaval
 
Sertanejo raiz
Sertanejo raizSertanejo raiz
Sertanejo raiz
 
Historia dos ritmos
Historia dos ritmosHistoria dos ritmos
Historia dos ritmos
 
Música brasileira
Música brasileiraMúsica brasileira
Música brasileira
 
Compositores Famosos da MPB [4]
Compositores Famosos da MPB [4]Compositores Famosos da MPB [4]
Compositores Famosos da MPB [4]
 

Mais de Italo Colares

Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.
Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.
Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.
Italo Colares
 
Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.
Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.
Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.
Italo Colares
 
Sociologia. Tribos.
Sociologia. Tribos.Sociologia. Tribos.
Sociologia. Tribos.
Italo Colares
 
Trabalho e alienação
Trabalho e alienaçãoTrabalho e alienação
Trabalho e alienação
Italo Colares
 
Desafio democrático
Desafio democráticoDesafio democrático
Desafio democrático
Italo Colares
 
Periodo entre guerras
Periodo entre guerrasPeriodo entre guerras
Periodo entre guerras
Italo Colares
 
O conhecimento mítico
O conhecimento míticoO conhecimento mítico
O conhecimento mítico
Italo Colares
 
Instituicoes Sociais
Instituicoes SociaisInstituicoes Sociais
Instituicoes Sociais
Italo Colares
 
A sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidianoA sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidiano
Italo Colares
 
Cultura e arte
Cultura e arteCultura e arte
Cultura e arte
Italo Colares
 
O que é ciência
O que é ciênciaO que é ciência
O que é ciência
Italo Colares
 
Lógica filosófica
Lógica filosóficaLógica filosófica
Lógica filosófica
Italo Colares
 
A condição humana
A condição humanaA condição humana
A condição humana
Italo Colares
 
Fascimo e nazismo
Fascimo e nazismoFascimo e nazismo
Fascimo e nazismo
Italo Colares
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundial Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Italo Colares
 
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º AnoImperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
Italo Colares
 
Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.
Italo Colares
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
Italo Colares
 
Karl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociaisKarl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociais
Italo Colares
 
Feio ou bonito
Feio ou bonitoFeio ou bonito
Feio ou bonito
Italo Colares
 

Mais de Italo Colares (20)

Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.
Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.
Mod. 05 cap. 04 as mutações da família.
 
Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.
Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.
Mod. 05 cap. 03 consumo e lazer.
 
Sociologia. Tribos.
Sociologia. Tribos.Sociologia. Tribos.
Sociologia. Tribos.
 
Trabalho e alienação
Trabalho e alienaçãoTrabalho e alienação
Trabalho e alienação
 
Desafio democrático
Desafio democráticoDesafio democrático
Desafio democrático
 
Periodo entre guerras
Periodo entre guerrasPeriodo entre guerras
Periodo entre guerras
 
O conhecimento mítico
O conhecimento míticoO conhecimento mítico
O conhecimento mítico
 
Instituicoes Sociais
Instituicoes SociaisInstituicoes Sociais
Instituicoes Sociais
 
A sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidianoA sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidiano
 
Cultura e arte
Cultura e arteCultura e arte
Cultura e arte
 
O que é ciência
O que é ciênciaO que é ciência
O que é ciência
 
Lógica filosófica
Lógica filosóficaLógica filosófica
Lógica filosófica
 
A condição humana
A condição humanaA condição humana
A condição humana
 
Fascimo e nazismo
Fascimo e nazismoFascimo e nazismo
Fascimo e nazismo
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundial Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º AnoImperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
 
Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
Karl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociaisKarl marx e as classes sociais
Karl marx e as classes sociais
 
Feio ou bonito
Feio ou bonitoFeio ou bonito
Feio ou bonito
 

Último

Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 

Último (20)

Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 

Samba e a mpb

  • 1. GÊNEROS E MOVIMENTOS DIVERSOS DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA Prof. Ítalo Colares
  • 2.
  • 3. VAMOS COMEÇAR? 1... 2... E 3! • A música ‘popular’ brasileira surge no período colonial, com a mistura de vários estilos. • Durante os séculos XVI e XVIII aconteceu a mistura entre as cantigas populares trazidas pelos portugueses, os sons de origem africana, fanfarras militares, músicas religiosas e músicas eruditas europeias. • No entanto, é importante ressaltar que os índios, os moradores dessa terra, já faziam música aqui, e contribuíram para o nosso “caldeirão musical” com seus típicos cantos e sons tribais.
  • 4. MODINHA E LUNDU • Nos séculos XVIII e XIX, nas primeiras cidades brasileiras destacaram-se dois ritmos musicais que marcaram a música brasileira: o lundu e a modinha. • O lundu, de origem africana, possuía um forte apelo sensual e uma batida rítmica dançante, sendo o primeiro ritmo africano aceito pelos brancos. Ainda hoje, na Ilha de Marajó (Pará) se pratica o Lundu. • A modinha por sua vez, de origem portuguesa, trazia a melancolia e falava de amor numa batida calma e erudita.
  • 5. O CHORINHO • Na segunda metade do século XIX, surge o Choro, também conhecido como Chorinho. Normalmente a história do Choro está relacionada com a chegada da Família Real no Brasil em 1808, pois com a corte portuguesa chegaram o piano, o clarinete, a flauta, o bandolim e o cavaquinho, bem como os seus instrumentistas. • O Chorinho era e é executado em rodas, chamadas “rodas de choro”, que são reuniões informais onde o chorão, que é o músico, toca suas composições ricas em melodia e podendo até serem improvisadas. • Alguns músicos afirmam que o nome choro é provêm da sensação de tristeza e melancolia transmitidas pelas notas executadas no violão.
  • 6. • Chiquinha Gonzaga e Pixiguinha foram uns dos maiores compositores de Choro, sendo Chiquinha a primeira “chorona”, que compôs em 1899 a música “Abre Alas”, marchinha de carnaval muito conhecida. Pixinguinha, por sua vez, compôs “Carinhoso”, considerado um dos choros mais famoso.
  • 7.
  • 8. O SAMBA. • É no início do século XX que surgem as raízes do que será o samba, ritmo que nasceu da mistura de estilos musicais africanos e brasileiros. Tocado com instrumentos de percussão acompanhados de violão e cavaquinho, o samba conta a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades, principalmente das pessoas mais carentes, sendo considerado uma das principais manifestações culturais brasileiras. • O termo samba é de origem africana, e seu significado está ligado às danças típicas desse continente. • Contudo, o samba moderno surge na cidade do Rio de Janeiro (em meados da década de 30), recebendo influência do samba tocado na Bahia e que chega ao Rio através dos escravos vendidos para trabalhar nas plantações de café.
  • 9. • O samba tomou as ruas e espalhou-se pelo Brasil através da difusão do Rádio. • Os principais sambistas que se destacaram nesse período foram Noel Rosa (Conversa de Botequim); Cartola (As Rosas Não Falam); Dorival Caymmi (O Que É Que a Baiana Tem?); Ary Barroso (Aquarela do Brasil); e Adoniran Barbosa (Trem das Onze). Noel Rosa (1910 – 1937) Cartola (1908 – 1980) Dorival Caymmi (1914 – 2008) Ary Barroso (1903 – 1964)
  • 10.
  • 11. O SAMBA- CANÇÃO • É um dos subgêneros originários do samba de maior relevância na nossa música. • Oriundo da modernização do samba carioca, esse estilo musical faz uma releitura mais elaborada da melodia e possui um andamento mais moderado, centrado em temáticas como amor, solidão e na conhecida “dor-de-cotovelo”. • Destacam-se neste contexto musical: Mayza, Dolores Duran, Nélson Gonçalves, Dalva de Oliveira, e Caubi Peixoto, entre outros.
  • 12.
  • 13. BOSSA NOVA • Gênero musical oriundo do samba, contudo sofreu também fortíssima influência do jazz americano (EUA). Surgiu nos finais dos anos 50 no estado do Rio de Janeiro, tornando-se um dos movimentos mais influentes da história da MPB. • Seus principais representantes:
  • 14. OS FILHOS DA BOSSA NOVA • A Jovem Guarda, o Tropicalismo, a MPB, todos beberam na fonte da Bossa Nova. Seus compositores e intérpretes foram revelados nos grandes Festivais de Música Brasileira que aconteceram nos anos 60!
  • 15. JOVEM GUARDA • Movimento cultural surgido na década de 1960 que mesclava música, comportamento e moda. • Surgiu a partir de um programa da TV Record, em agosto de 1965. Apresentado pelo cantor e compositor Roberto Carlos, junto com Erasmo Carlos e Wanderléa. • Esse movimento musical deu origem a uma nova linguagem musical e comportamental no Brasil. • Influenciado pelo rock and roll do final da década dos 50 e início dos anos 60. Suas letras tinham temáticas amorosas, adolescentes e melosas.
  • 16.
  • 17. TROPICALISMO • Surgiu na década de 60. Misturando manifestações tradicionais da cultura brasileira à inovações estéticas radicais, tinha objetivos comportamentais que encontraram ecos em boa parte da sociedade, na época sob o regime militar do final da década. • Figurou em manifestações artísticas diversas, como as artes plásticas (destaque para a figura de Hélio Oiticica), o cinema (o movimento sofreu influências e influenciou o Cinema novo de Glauber Rocha) e o teatro brasileiro (sobretudo nas peças anárquicas de José Celso Martinez Corrêa). • O movimento manifestou-se principalmente na música, tendo como maiores representantes Caetano Veloso, Gilberto Gil, Torquato Neto, Os Mutantes e Tom Zé.
  • 18.
  • 19. MPB • Surgiu a partir de 1966 da fusão da Bossa Nova com a música de raiz brasileira. • A MPB engloba todas as influências estrangeiras, como também retorna a sonoridade nascida no nosso país, acrescentando um pouco dos gêneros até aqui estudados, como o Baião, o Choro, e outros. • A sigla MPB nasceu da luta contra a ditadura militar, pois foi nesse movimento que vários artistas se uniram em repúdio ao golpe militar. • Dentre esses artistas podemos citar Chico Buarque, Elis Regina, Clara Nunes, Geraldo Vandré, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethania, Geraldo Azevedo e Alceu Valença.