SlideShare uma empresa Scribd logo
Diagramas de Classes
• Uma das técnicas mais utilizadas no desenvolvimento orientado aos objetos;
• Descrição formal da estrutura de objetos de um sistema;
• Para cada objeto, descreve a sua identidade, os seus relacionamentos com os outros
objetos, os seus atributos e as suas operações.

Resultam de um processo de abstração através do qual se identificam os objetos (entidades e
conceitos) relevantes no contexto que se pretende modelar e se procuram descrever
características comuns em termos de propriedades (atributos) e de comportamentos
(operações).

Diagramas de classes descrevem o modelo geral de informação de um sistema.
Classes descrevem objetos com atributos e operações comuns. Servem dois propósitos:
        1. Permitir compreender o mundo real, naquilo que é importante para o SI;
        2. Fornecer uma base prática para implementação em computador.
Utilizam os seguintes elementos abstratos de modelação:
        • Classes de objetos;
        • Relações de Associação e Generalização;
        • Multiplicidade.
A perspetiva estática fornecida pelo diagrama de classes tem como objetivo suportar os
requisitos funcionais do sistema.
O diagrama de classes é utilizado no seguinte conjunto de formas:
        • Modelar o vocabulário do sistema – Envolve o decidir sobre que abstrações
estruturais fazem parte do sistema em estudo;
        • Modelar colaboração simples – Visualizar o SI como um todo, constituído por classes
e as suas relações;
        • Modelar o esquema lógico de uma BD – Desenhar a estrutura de dados para uma BD
relacional ou orientada aos objetos.
Objeto – Conceito existente em modelação (mundo real), relevantes para serem incorporados
no modelo de informação.
Caracterizados por um conjunto de propriedades, um comportamento e uma identidade.
Propriedades do objeto – São as características que definem o objeto, transpostas para um
conjunto de atributos, cujos valores estabelecem o estado do objeto.
Comportamento – É definido como as operações que o objeto pode efetuar.
Identidade – Permite identificar um objeto em particular como único num conjunto de objetos
semelhantes.
Classe - Representa uma abstração sobre um conjunto de objetos que partilham a mesma
estrutura e comportamento. Um objeto é um caso particular de uma classe, também referido
como uma instância da classe.
Atributo – Característica que os objetos possuem e que é representada por um valor de dados.

Os objetos apenas comunicam entre si por mensagens, o que na prática resulta na invocação
de operações.
As operações são a representação lógica do comportamento de um objeto, consistindo em
ações efetuadas por um objeto ou sobre um objeto.

Os objetos apenas comunicam entre si por mensagens, o que na prática resulta na invocação
de operações.
As operações são a representação lógica do comportamento de um objeto, consistindo em
ações efetuadas por um objeto ou sobre um objeto.

Para cada atributo pode ser identificado o seu tipo de dados, que classifica a informação que o
atributo irá conter. De uma forma genérica:
        • Integer – Representa um número inteiro;
        • Long – Representa um número inteiro de maior dimensão;
        • Double – Para números reais;
        • String - Representa texto;
        • Date – Para datas;
• Boolean – Valor lógico, Verdadeiro ou Falso.

No diagrama de classes as associações representam as relações entre os objetos. As
associações são caracterizadas por possuir um nome.
Uma classe pode possuir uma associação consigo própria, significando neste caso que um
objeto da classe se relaciona com um ou mais objetos da mesma classe.

As associações são também caracterizadas por possuir uma multiplicidade:
• 0..1 – Opcional;
• 1..1 – Obrigatório existir um objeto, também representado utilizando apenas o número 1;
• 1..10 – Um valor entre o intervalo estabelecido, neste caso de 1 a 10;
• 0..* - Zero ou infinitos objetos da classe, também pode ser representado por *;
• 1..* – Um ou infinitos objetos da classe.

É possível efetuar várias combinações de multiplicidade numa associação. A relação “um para
muitos” entre a classe 1 e a classe 2 significa que um objeto da classe 1 pode estar associado
ou não (opcional) a muitos objetos da classe 2.

A identificação das classes não é um processo direto.
São necessárias diversas iterações e refinamentos até identificar corretamente todas as
classes. Uma regra simples é de iniciar o processo de identificação sublinhando, na descrição
dos uses cases, os substantivos.

Substantivos: Dá-se o nome de substantivo a todas as palavras que nomeiam seres, lugares,
objetos, (…).
Toda a palavra que designa ser, coisa ou substância

Regra prática• Normalmente, na descrição dos UC as classes e/ou objetos são identificados
através de substantivos;
      • Os nomes das classes são sempre no singular;
      • As classes que estão fora de âmbito do sistema (domínio da aplicação, fronteira do
sistema), não devem ser representadas.

Diagramas de Classes: • Representar o sistema – Não é necessário representar o próprio
sistema;
            • Classes semelhantes – Podem existir classes que são sinónimos. Se houver
dúvidas, estas podem ser esclarecidas ao efetuar a descrição das classes;
            • Nível de detalhe – Eliminar classes onde não é possível efetuar uma clara
descrição ou que são muito específicas, quase como um objeto.
            • Identificação de atributos - Alguns atributos não são explicitamente referidos nas
descrições, mas surgem do conhecimento do domínio do problema. Por exemplo, morada de
um cliente.
O levantamento destes atributos é muito importante.
• Identificação de associações e operações – Podem ser identificadas com base nas relações
lógicas entre as classes. Também podem ser identificadas na descrição dos UC através dos
verbos, como por exemplo, “o cliente efetua encomendas”. Só é possível compreender na
totalidade as associações através de uma análise das interações entre os objetos das classes.
• Generalização – Caso especial do diagrama de classes. Demonstra a noção de “superclasse” e
“subclasse” na perspetiva de uma relação “pai e filho”.
• Herança – O conceito de herança está presente, pois as subclasses, “filhos”, herdam, da
superclasse “pai”, a estrutura em termos de atributos e operações.
• Agregação - Demonstra o facto que um todo é composto por partes. Por exemplo, podemos
mostrar que um restaurante possui um conjunto de mesas.
• Composição – É uma agregação com um significado mais forte, existindo uma dependência
direta entre as duas classes. Se a parte deixar de existir o todo também deixa de existir.
Revisão
1. Qual o objetivo de um diagrama de classes?
Descrever o modelo geral de informação de um sistema.
Resultam de um processo de abstração através do qual se identificam os objetos (entidades e
conceitos) relevantes no contexto que se pretende modelar e se procuram descrever
características comuns em termos de propriedades (atributos) e de comportamento
(operações).

2. O que significa uma classe?
Representa uma abstração sobre um conjunto de objetos que partilham a mesma estrutura e
comportamento. Um objeto é um caso particular de uma classe, também referido como uma
instância da classe.

3. Qual a notação para uma classe?
Retângulo dividido em três. Nome, atributo e operações.

4. O que é um objeto?
Conceito existente em modelação (mundo real), relevantes para serem incorporados no
modelo de informação. Caracterizados por um conjunto de Propriedades, um comportamento
e uma identidade.

5. Defina os conceitos de atributo e operações de uma classe?
Atributo – Característica que os objetos possuem e que é representada por um valor de dados.
Operações - São a representação lógica do comportamento de um objeto, consistindo em
ações efetuadas por ou sobre um objeto.

Diagramas de Estados

Os diagramas de Estados são usados para descrever o comportamento dos objetos. Um Estado
representa uma situação estável de um objeto que se prolonga durante um intervalo de
tempo, durante o qual um objeto não sofre estímulos nem os atributos sofrem alteração de
valor.

Deve criar-se um diagrama de estados somente para cada classe de objeto que tenha um
comportamento dinâmico, ou comportamento dinâmico relevante.
Por exemplo, objetos de controlo ou de interface.
Diagrama de Estados é semelhante ao diagrama de atividade. A principal diferença consiste no
facto de o diagrama de atividades se centrar nos processos.
Diagrama de atividades – Centrado nos processos;
Diagrama de estados – Centrado nos objetos.

Estado – É representado por retângulo de cantos arredondados com um identificador e um
“compartimento” para descrever as operações executadas nesse estado. As operações
associadas aos estados designam se Atividades.

Existe uma relação muito próxima entre atividades e estados. Num SI, uma atividade encontra-
se associada à execução de uma operação de uma classe/objeto.
A realização de atividades em paralelo tem impacto no diagrama de estados, sendo necessário
refletir que o facto de o objeto poder estar em estados alternativos.

Conclusão:
1. Qual a finalidade de um diagrama de estado?
Descrever o comportamento de um objeto. Semelhante ao diagrama de atividades.
– Diagrama de estados centrado no objeto;
– Diagrama de atividades centrado no processo de negócio.

2. O que é um estado?
Representa uma situação estável de um objeto que se prolonga durante um intervalo de
tempo, durante o qual não sofre estímulos externos nem os atributos sofrem qualquer
alteração de valor.

3. Quantos diagramas de estado são necessários especificar num modelo de um SI?
Deve-se criar um diagrama de estados somente para cada classe de objeto que tenha um
comportamento dinâmico relevante.

4. Quais os elementos de modelação que constam de um diagrama de estado?
– Estado inicial e final;
– Estados intermédios;
– Transição entre estados.

5. Que símbolo utiliza para representar graficamente um estado?
É representado por um retângulo de cantos arredondados com um identificador e um
compartimento para descrever as operações que são executadas nesse estado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelagem de Dados
Modelagem de DadosModelagem de Dados
Modelagem de Dados
Roberto Grande
 
Apresentação da UML
Apresentação da UMLApresentação da UML
Apresentação da UML
Eliseu Castelo
 
Use Case Modeling
Use Case ModelingUse Case Modeling
Use Case Modeling
Venkat Srinivasan
 
DDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdf
DDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdfDDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdf
DDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdf
Eleonora Ciceri
 
UML
UMLUML
Aula 6 - Cardinalidade
Aula 6 - CardinalidadeAula 6 - Cardinalidade
Aula 6 - Cardinalidade
Vitor Hugo Melo Araújo
 
Aula 1 - Revisão UML
Aula 1 - Revisão UMLAula 1 - Revisão UML
Aula 1 - Revisão UML
Rosanete Grassiani dos Santos
 
Aula diagrama de atividade 3º periodo uniao
Aula diagrama de atividade 3º periodo uniaoAula diagrama de atividade 3º periodo uniao
Aula diagrama de atividade 3º periodo uniao
Maria Alice Jovinski
 
08 modelo conceitual_fisico_logico_er
08 modelo conceitual_fisico_logico_er08 modelo conceitual_fisico_logico_er
08 modelo conceitual_fisico_logico_er
Walter Alves Pereira
 
Aula 4 - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)
Aula 4  - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)Aula 4  - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)
Aula 4 - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)
Janynne Gomes
 
Diagramas de casos de uso
Diagramas de casos de usoDiagramas de casos de uso
Diagramas de casos de uso
Sergio Chaves
 
Arquitetura MVC
Arquitetura MVCArquitetura MVC
Arquitetura MVC
Thiago Pereira
 
Aula 02 - UML e Padrões de Projeto
Aula 02 - UML e Padrões de ProjetoAula 02 - UML e Padrões de Projeto
Aula 02 - UML e Padrões de Projeto
Vinícius de Paula
 
Definição e classificação dos requisitos
Definição e classificação dos requisitosDefinição e classificação dos requisitos
Definição e classificação dos requisitos
ETEIT - Escola Técnica da Univale
 
Aula 06 - Diagrama de classes
Aula 06 - Diagrama de classesAula 06 - Diagrama de classes
Aula 06 - Diagrama de classes
Leinylson Fontinele
 
Diagrama de Estados
Diagrama de EstadosDiagrama de Estados
Diagrama de Estados
Maikynata
 
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Cloves da Rocha
 
Uml
UmlUml
Aula 1
Aula 1Aula 1
Modelo Entidad Relación Extendido.
Modelo Entidad Relación Extendido.Modelo Entidad Relación Extendido.
Modelo Entidad Relación Extendido.
nayis2010
 

Mais procurados (20)

Modelagem de Dados
Modelagem de DadosModelagem de Dados
Modelagem de Dados
 
Apresentação da UML
Apresentação da UMLApresentação da UML
Apresentação da UML
 
Use Case Modeling
Use Case ModelingUse Case Modeling
Use Case Modeling
 
DDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdf
DDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdfDDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdf
DDD - 5 - Domain Driven Design_ Repositories.pdf
 
UML
UMLUML
UML
 
Aula 6 - Cardinalidade
Aula 6 - CardinalidadeAula 6 - Cardinalidade
Aula 6 - Cardinalidade
 
Aula 1 - Revisão UML
Aula 1 - Revisão UMLAula 1 - Revisão UML
Aula 1 - Revisão UML
 
Aula diagrama de atividade 3º periodo uniao
Aula diagrama de atividade 3º periodo uniaoAula diagrama de atividade 3º periodo uniao
Aula diagrama de atividade 3º periodo uniao
 
08 modelo conceitual_fisico_logico_er
08 modelo conceitual_fisico_logico_er08 modelo conceitual_fisico_logico_er
08 modelo conceitual_fisico_logico_er
 
Aula 4 - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)
Aula 4  - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)Aula 4  - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)
Aula 4 - Diagrama Entidade Relacionamento (com exercício no final)
 
Diagramas de casos de uso
Diagramas de casos de usoDiagramas de casos de uso
Diagramas de casos de uso
 
Arquitetura MVC
Arquitetura MVCArquitetura MVC
Arquitetura MVC
 
Aula 02 - UML e Padrões de Projeto
Aula 02 - UML e Padrões de ProjetoAula 02 - UML e Padrões de Projeto
Aula 02 - UML e Padrões de Projeto
 
Definição e classificação dos requisitos
Definição e classificação dos requisitosDefinição e classificação dos requisitos
Definição e classificação dos requisitos
 
Aula 06 - Diagrama de classes
Aula 06 - Diagrama de classesAula 06 - Diagrama de classes
Aula 06 - Diagrama de classes
 
Diagrama de Estados
Diagrama de EstadosDiagrama de Estados
Diagrama de Estados
 
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
 
Uml
UmlUml
Uml
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Modelo Entidad Relación Extendido.
Modelo Entidad Relación Extendido.Modelo Entidad Relación Extendido.
Modelo Entidad Relación Extendido.
 

Destaque

UML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas EficientesUML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas Eficientes
Rodrigo Cascarrolho
 
Descrição formal de Casos de Uso
Descrição formal de Casos de UsoDescrição formal de Casos de Uso
Descrição formal de Casos de Uso
Natanael Simões
 
Uml diagrama de sequencia
Uml diagrama de sequenciaUml diagrama de sequencia
Uml diagrama de sequencia
Italo Costa
 
Diagrama de estados 1
Diagrama de estados 1Diagrama de estados 1
Diagrama de estados 1
Maikynata
 
Aula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. Carvalho
Aula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. CarvalhoAula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. Carvalho
Aula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. Carvalho
Rudson Kiyoshi Souza Carvalho
 
Principais diagramas da UML
Principais diagramas da UMLPrincipais diagramas da UML
Principais diagramas da UML
Jéssica Nathany Carvalho Freitas
 
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UMLUml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
André Constantino da Silva
 
Diagrama classes
Diagrama classesDiagrama classes
Diagrama classes
Gabriel Faustino
 
Diagrama de Classes
Diagrama de ClassesDiagrama de Classes
Diagrama de Classes
Rafael Kleestadt da Cruz
 
Diagrama de classes1.1
Diagrama de classes1.1Diagrama de classes1.1
Diagrama de classes1.1
Maikynata
 
[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe
[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe
[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe
Universidade Federal de Minas Gerais
 
Diagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicaoDiagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicao
Portal_do_estudante_ADS
 
Diagrama de classes
Diagrama de classesDiagrama de classes
Diagrama de classes
Erica Fabri
 
Uml
UmlUml
Análise Orientada a Objetos - Casos de Uso
Análise Orientada a Objetos - Casos de UsoAnálise Orientada a Objetos - Casos de Uso
Análise Orientada a Objetos - Casos de Uso
CursoSENAC
 
Uml Diagramas estruturais - parte escrita
Uml   Diagramas estruturais - parte escritaUml   Diagramas estruturais - parte escrita
Uml Diagramas estruturais - parte escrita
thaisedd
 
Curso Básico de UML
Curso Básico de UMLCurso Básico de UML
Curso Básico de UML
João Carlos da Silva Junior
 
Uml diagrama de atividades
Uml   diagrama de atividadesUml   diagrama de atividades
Uml diagrama de atividades
Jordan Oliveira
 
UML - Diagrama de Pacotes
UML - Diagrama de PacotesUML - Diagrama de Pacotes
UML - Diagrama de Pacotes
Wellington Oliveira
 
Sistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - Apresentação
Sistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - ApresentaçãoSistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - Apresentação
Sistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - Apresentação
Gleyciana Garrido
 

Destaque (20)

UML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas EficientesUML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas Eficientes
 
Descrição formal de Casos de Uso
Descrição formal de Casos de UsoDescrição formal de Casos de Uso
Descrição formal de Casos de Uso
 
Uml diagrama de sequencia
Uml diagrama de sequenciaUml diagrama de sequencia
Uml diagrama de sequencia
 
Diagrama de estados 1
Diagrama de estados 1Diagrama de estados 1
Diagrama de estados 1
 
Aula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. Carvalho
Aula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. CarvalhoAula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. Carvalho
Aula de Analise e Projetos - Diagramas UML - prof. Rudson Kiyoshi S. Carvalho
 
Principais diagramas da UML
Principais diagramas da UMLPrincipais diagramas da UML
Principais diagramas da UML
 
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UMLUml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
 
Diagrama classes
Diagrama classesDiagrama classes
Diagrama classes
 
Diagrama de Classes
Diagrama de ClassesDiagrama de Classes
Diagrama de Classes
 
Diagrama de classes1.1
Diagrama de classes1.1Diagrama de classes1.1
Diagrama de classes1.1
 
[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe
[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe
[CEFET][ESw] Aula 5 - Diagrama de Classe
 
Diagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicaoDiagramas de distribuicao
Diagramas de distribuicao
 
Diagrama de classes
Diagrama de classesDiagrama de classes
Diagrama de classes
 
Uml
UmlUml
Uml
 
Análise Orientada a Objetos - Casos de Uso
Análise Orientada a Objetos - Casos de UsoAnálise Orientada a Objetos - Casos de Uso
Análise Orientada a Objetos - Casos de Uso
 
Uml Diagramas estruturais - parte escrita
Uml   Diagramas estruturais - parte escritaUml   Diagramas estruturais - parte escrita
Uml Diagramas estruturais - parte escrita
 
Curso Básico de UML
Curso Básico de UMLCurso Básico de UML
Curso Básico de UML
 
Uml diagrama de atividades
Uml   diagrama de atividadesUml   diagrama de atividades
Uml diagrama de atividades
 
UML - Diagrama de Pacotes
UML - Diagrama de PacotesUML - Diagrama de Pacotes
UML - Diagrama de Pacotes
 
Sistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - Apresentação
Sistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - ApresentaçãoSistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - Apresentação
Sistema de Gerenciamento de Locadora de Vídeo - Apresentação
 

Semelhante a Resumo diagramas de classes

Aula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptx
Aula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptxAula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptx
Aula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptx
Carlos Albuquerque
 
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de Classes
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de ClassesAnálise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de Classes
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de Classes
Danielle Ballester, PMP,PSM,SFC,SDC,SMC,SPOC,SCT
 
Modelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de Classes
Modelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de ClassesModelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de Classes
Modelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de Classes
Danielle Ballester, PMP,PSM,SFC,SDC,SMC,SPOC,SCT
 
Curso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a ObjetosCurso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a Objetos
danielrpgj30
 
Trabalho de análise e projeto 2
Trabalho de análise e projeto 2Trabalho de análise e projeto 2
Trabalho de análise e projeto 2
Meire Dos Santos Aguiar
 
Classes
ClassesClasses
Classes
Marco Coelho
 
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aooAula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Portal_do_estudante_ADS
 
Java - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e Herança
Java - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e HerançaJava - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e Herança
Java - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e Herança
Moises Omena
 
Relatório da uml
Relatório da umlRelatório da uml
Relatório da uml
Andre Oliveira
 
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a ObjetosIES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
Ramon Mayor Martins
 
Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER
Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER
Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER
Vitor Hugo Melo Araújo
 
Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos
Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos
Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos
Professor Samuel Ribeiro
 
Aula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdf
Aula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdfAula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdf
Aula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdf
Celestino24
 
Conhecendo A Linguagem de Programação Java
Conhecendo A Linguagem de Programação JavaConhecendo A Linguagem de Programação Java
Conhecendo A Linguagem de Programação Java
Micael Coutinho
 
Aula 5 uml1 (1)
Aula 5   uml1 (1)Aula 5   uml1 (1)
Aula 5 uml1 (1)
Tiago Vizoto
 
Aula 6 banco de dados
Aula 6   banco de dadosAula 6   banco de dados
Aula 6 banco de dados
Jorge Ávila Miranda
 
Análise Orientada a Objetos - Objetos E Classes
Análise Orientada a Objetos  -   Objetos E ClassesAnálise Orientada a Objetos  -   Objetos E Classes
Análise Orientada a Objetos - Objetos E Classes
CursoSENAC
 
Aula3-POO-ConceitosBasicos.pdf
Aula3-POO-ConceitosBasicos.pdfAula3-POO-ConceitosBasicos.pdf
Aula3-POO-ConceitosBasicos.pdf
ssuser6e99cd
 
O paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetosO paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetos
Nécio de Lima Veras
 
Classes e Estrutura de Dados
Classes e Estrutura de DadosClasses e Estrutura de Dados
Classes e Estrutura de Dados
Tawã Lucindo Leal
 

Semelhante a Resumo diagramas de classes (20)

Aula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptx
Aula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptxAula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptx
Aula sobre Diagrama Classe para a modelagem de requisitos.pptx
 
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de Classes
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de ClassesAnálise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de Classes
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 06 - Diagrama de Classes
 
Modelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de Classes
Modelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de ClassesModelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de Classes
Modelagem de Sistemas de Informação 08 - Diagrama de Classes
 
Curso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a ObjetosCurso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a Objetos
 
Trabalho de análise e projeto 2
Trabalho de análise e projeto 2Trabalho de análise e projeto 2
Trabalho de análise e projeto 2
 
Classes
ClassesClasses
Classes
 
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aooAula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
 
Java - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e Herança
Java - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e HerançaJava - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e Herança
Java - Aula 4 - Sobrecarga de construtores, UML e Herança
 
Relatório da uml
Relatório da umlRelatório da uml
Relatório da uml
 
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a ObjetosIES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
 
Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER
Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER
Aula 5 - Modelo de Entidade e Relacionamento - MER
 
Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos
Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos
Java Básico - Módulo 07: Introdução à programação orientada à objetos
 
Aula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdf
Aula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdfAula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdf
Aula 3-IDB - Modelo Conceptual-2.pdf
 
Conhecendo A Linguagem de Programação Java
Conhecendo A Linguagem de Programação JavaConhecendo A Linguagem de Programação Java
Conhecendo A Linguagem de Programação Java
 
Aula 5 uml1 (1)
Aula 5   uml1 (1)Aula 5   uml1 (1)
Aula 5 uml1 (1)
 
Aula 6 banco de dados
Aula 6   banco de dadosAula 6   banco de dados
Aula 6 banco de dados
 
Análise Orientada a Objetos - Objetos E Classes
Análise Orientada a Objetos  -   Objetos E ClassesAnálise Orientada a Objetos  -   Objetos E Classes
Análise Orientada a Objetos - Objetos E Classes
 
Aula3-POO-ConceitosBasicos.pdf
Aula3-POO-ConceitosBasicos.pdfAula3-POO-ConceitosBasicos.pdf
Aula3-POO-ConceitosBasicos.pdf
 
O paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetosO paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetos
 
Classes e Estrutura de Dados
Classes e Estrutura de DadosClasses e Estrutura de Dados
Classes e Estrutura de Dados
 

Mais de Marco Coelho

Comportamento humano nas organizações
Comportamento humano nas organizaçõesComportamento humano nas organizações
Comportamento humano nas organizações
Marco Coelho
 
Ismai testes 2º semestre
Ismai testes 2º semestreIsmai testes 2º semestre
Ismai testes 2º semestre
Marco Coelho
 
Comportamento humano nas organizações2
Comportamento humano nas organizações2Comportamento humano nas organizações2
Comportamento humano nas organizações2
Marco Coelho
 
Sisdata
SisdataSisdata
Sisdata
Marco Coelho
 
Parque de estacionamento
Parque de estacionamentoParque de estacionamento
Parque de estacionamento
Marco Coelho
 
Leilão
LeilãoLeilão
Leilão
Marco Coelho
 
Lampada
LampadaLampada
Lampada
Marco Coelho
 
Clube xpto
Clube xptoClube xpto
Clube xpto
Marco Coelho
 
Cinéfilo
CinéfiloCinéfilo
Cinéfilo
Marco Coelho
 
Biblioteca
BibliotecaBiblioteca
Biblioteca
Marco Coelho
 
Telemóvel
TelemóvelTelemóvel
Telemóvel
Marco Coelho
 
Ex9
Ex9Ex9
Ex7
Ex7Ex7
Diagrama de classes
Diagrama de classesDiagrama de classes
Diagrama de classes
Marco Coelho
 
Ex5
Ex5Ex5
Parque estacionamento
Parque estacionamentoParque estacionamento
Parque estacionamentoMarco Coelho
 
Desenho2
Desenho2Desenho2
Desenho2
Marco Coelho
 
Ex8
Ex8Ex8
Sugestão para biblioteca
Sugestão para bibliotecaSugestão para biblioteca
Sugestão para biblioteca
Marco Coelho
 
Reunião
ReuniãoReunião
Reunião
Marco Coelho
 

Mais de Marco Coelho (20)

Comportamento humano nas organizações
Comportamento humano nas organizaçõesComportamento humano nas organizações
Comportamento humano nas organizações
 
Ismai testes 2º semestre
Ismai testes 2º semestreIsmai testes 2º semestre
Ismai testes 2º semestre
 
Comportamento humano nas organizações2
Comportamento humano nas organizações2Comportamento humano nas organizações2
Comportamento humano nas organizações2
 
Sisdata
SisdataSisdata
Sisdata
 
Parque de estacionamento
Parque de estacionamentoParque de estacionamento
Parque de estacionamento
 
Leilão
LeilãoLeilão
Leilão
 
Lampada
LampadaLampada
Lampada
 
Clube xpto
Clube xptoClube xpto
Clube xpto
 
Cinéfilo
CinéfiloCinéfilo
Cinéfilo
 
Biblioteca
BibliotecaBiblioteca
Biblioteca
 
Telemóvel
TelemóvelTelemóvel
Telemóvel
 
Ex9
Ex9Ex9
Ex9
 
Ex7
Ex7Ex7
Ex7
 
Diagrama de classes
Diagrama de classesDiagrama de classes
Diagrama de classes
 
Ex5
Ex5Ex5
Ex5
 
Parque estacionamento
Parque estacionamentoParque estacionamento
Parque estacionamento
 
Desenho2
Desenho2Desenho2
Desenho2
 
Ex8
Ex8Ex8
Ex8
 
Sugestão para biblioteca
Sugestão para bibliotecaSugestão para biblioteca
Sugestão para biblioteca
 
Reunião
ReuniãoReunião
Reunião
 

Último

PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 

Último (20)

PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 

Resumo diagramas de classes

  • 1. Diagramas de Classes • Uma das técnicas mais utilizadas no desenvolvimento orientado aos objetos; • Descrição formal da estrutura de objetos de um sistema; • Para cada objeto, descreve a sua identidade, os seus relacionamentos com os outros objetos, os seus atributos e as suas operações. Resultam de um processo de abstração através do qual se identificam os objetos (entidades e conceitos) relevantes no contexto que se pretende modelar e se procuram descrever características comuns em termos de propriedades (atributos) e de comportamentos (operações). Diagramas de classes descrevem o modelo geral de informação de um sistema. Classes descrevem objetos com atributos e operações comuns. Servem dois propósitos: 1. Permitir compreender o mundo real, naquilo que é importante para o SI; 2. Fornecer uma base prática para implementação em computador. Utilizam os seguintes elementos abstratos de modelação: • Classes de objetos; • Relações de Associação e Generalização; • Multiplicidade. A perspetiva estática fornecida pelo diagrama de classes tem como objetivo suportar os requisitos funcionais do sistema. O diagrama de classes é utilizado no seguinte conjunto de formas: • Modelar o vocabulário do sistema – Envolve o decidir sobre que abstrações estruturais fazem parte do sistema em estudo; • Modelar colaboração simples – Visualizar o SI como um todo, constituído por classes e as suas relações; • Modelar o esquema lógico de uma BD – Desenhar a estrutura de dados para uma BD relacional ou orientada aos objetos. Objeto – Conceito existente em modelação (mundo real), relevantes para serem incorporados no modelo de informação. Caracterizados por um conjunto de propriedades, um comportamento e uma identidade. Propriedades do objeto – São as características que definem o objeto, transpostas para um conjunto de atributos, cujos valores estabelecem o estado do objeto. Comportamento – É definido como as operações que o objeto pode efetuar. Identidade – Permite identificar um objeto em particular como único num conjunto de objetos semelhantes. Classe - Representa uma abstração sobre um conjunto de objetos que partilham a mesma estrutura e comportamento. Um objeto é um caso particular de uma classe, também referido como uma instância da classe. Atributo – Característica que os objetos possuem e que é representada por um valor de dados. Os objetos apenas comunicam entre si por mensagens, o que na prática resulta na invocação de operações. As operações são a representação lógica do comportamento de um objeto, consistindo em ações efetuadas por um objeto ou sobre um objeto. Os objetos apenas comunicam entre si por mensagens, o que na prática resulta na invocação de operações. As operações são a representação lógica do comportamento de um objeto, consistindo em ações efetuadas por um objeto ou sobre um objeto. Para cada atributo pode ser identificado o seu tipo de dados, que classifica a informação que o atributo irá conter. De uma forma genérica: • Integer – Representa um número inteiro; • Long – Representa um número inteiro de maior dimensão; • Double – Para números reais; • String - Representa texto; • Date – Para datas;
  • 2. • Boolean – Valor lógico, Verdadeiro ou Falso. No diagrama de classes as associações representam as relações entre os objetos. As associações são caracterizadas por possuir um nome. Uma classe pode possuir uma associação consigo própria, significando neste caso que um objeto da classe se relaciona com um ou mais objetos da mesma classe. As associações são também caracterizadas por possuir uma multiplicidade: • 0..1 – Opcional; • 1..1 – Obrigatório existir um objeto, também representado utilizando apenas o número 1; • 1..10 – Um valor entre o intervalo estabelecido, neste caso de 1 a 10; • 0..* - Zero ou infinitos objetos da classe, também pode ser representado por *; • 1..* – Um ou infinitos objetos da classe. É possível efetuar várias combinações de multiplicidade numa associação. A relação “um para muitos” entre a classe 1 e a classe 2 significa que um objeto da classe 1 pode estar associado ou não (opcional) a muitos objetos da classe 2. A identificação das classes não é um processo direto. São necessárias diversas iterações e refinamentos até identificar corretamente todas as classes. Uma regra simples é de iniciar o processo de identificação sublinhando, na descrição dos uses cases, os substantivos. Substantivos: Dá-se o nome de substantivo a todas as palavras que nomeiam seres, lugares, objetos, (…). Toda a palavra que designa ser, coisa ou substância Regra prática• Normalmente, na descrição dos UC as classes e/ou objetos são identificados através de substantivos; • Os nomes das classes são sempre no singular; • As classes que estão fora de âmbito do sistema (domínio da aplicação, fronteira do sistema), não devem ser representadas. Diagramas de Classes: • Representar o sistema – Não é necessário representar o próprio sistema; • Classes semelhantes – Podem existir classes que são sinónimos. Se houver dúvidas, estas podem ser esclarecidas ao efetuar a descrição das classes; • Nível de detalhe – Eliminar classes onde não é possível efetuar uma clara descrição ou que são muito específicas, quase como um objeto. • Identificação de atributos - Alguns atributos não são explicitamente referidos nas descrições, mas surgem do conhecimento do domínio do problema. Por exemplo, morada de um cliente. O levantamento destes atributos é muito importante. • Identificação de associações e operações – Podem ser identificadas com base nas relações lógicas entre as classes. Também podem ser identificadas na descrição dos UC através dos verbos, como por exemplo, “o cliente efetua encomendas”. Só é possível compreender na totalidade as associações através de uma análise das interações entre os objetos das classes. • Generalização – Caso especial do diagrama de classes. Demonstra a noção de “superclasse” e “subclasse” na perspetiva de uma relação “pai e filho”. • Herança – O conceito de herança está presente, pois as subclasses, “filhos”, herdam, da superclasse “pai”, a estrutura em termos de atributos e operações. • Agregação - Demonstra o facto que um todo é composto por partes. Por exemplo, podemos mostrar que um restaurante possui um conjunto de mesas. • Composição – É uma agregação com um significado mais forte, existindo uma dependência direta entre as duas classes. Se a parte deixar de existir o todo também deixa de existir.
  • 3. Revisão 1. Qual o objetivo de um diagrama de classes? Descrever o modelo geral de informação de um sistema. Resultam de um processo de abstração através do qual se identificam os objetos (entidades e conceitos) relevantes no contexto que se pretende modelar e se procuram descrever características comuns em termos de propriedades (atributos) e de comportamento (operações). 2. O que significa uma classe? Representa uma abstração sobre um conjunto de objetos que partilham a mesma estrutura e comportamento. Um objeto é um caso particular de uma classe, também referido como uma instância da classe. 3. Qual a notação para uma classe? Retângulo dividido em três. Nome, atributo e operações. 4. O que é um objeto? Conceito existente em modelação (mundo real), relevantes para serem incorporados no modelo de informação. Caracterizados por um conjunto de Propriedades, um comportamento e uma identidade. 5. Defina os conceitos de atributo e operações de uma classe? Atributo – Característica que os objetos possuem e que é representada por um valor de dados. Operações - São a representação lógica do comportamento de um objeto, consistindo em ações efetuadas por ou sobre um objeto. Diagramas de Estados Os diagramas de Estados são usados para descrever o comportamento dos objetos. Um Estado representa uma situação estável de um objeto que se prolonga durante um intervalo de tempo, durante o qual um objeto não sofre estímulos nem os atributos sofrem alteração de valor. Deve criar-se um diagrama de estados somente para cada classe de objeto que tenha um comportamento dinâmico, ou comportamento dinâmico relevante. Por exemplo, objetos de controlo ou de interface.
  • 4. Diagrama de Estados é semelhante ao diagrama de atividade. A principal diferença consiste no facto de o diagrama de atividades se centrar nos processos. Diagrama de atividades – Centrado nos processos; Diagrama de estados – Centrado nos objetos. Estado – É representado por retângulo de cantos arredondados com um identificador e um “compartimento” para descrever as operações executadas nesse estado. As operações associadas aos estados designam se Atividades. Existe uma relação muito próxima entre atividades e estados. Num SI, uma atividade encontra- se associada à execução de uma operação de uma classe/objeto. A realização de atividades em paralelo tem impacto no diagrama de estados, sendo necessário refletir que o facto de o objeto poder estar em estados alternativos. Conclusão: 1. Qual a finalidade de um diagrama de estado? Descrever o comportamento de um objeto. Semelhante ao diagrama de atividades. – Diagrama de estados centrado no objeto; – Diagrama de atividades centrado no processo de negócio. 2. O que é um estado? Representa uma situação estável de um objeto que se prolonga durante um intervalo de tempo, durante o qual não sofre estímulos externos nem os atributos sofrem qualquer alteração de valor. 3. Quantos diagramas de estado são necessários especificar num modelo de um SI? Deve-se criar um diagrama de estados somente para cada classe de objeto que tenha um comportamento dinâmico relevante. 4. Quais os elementos de modelação que constam de um diagrama de estado? – Estado inicial e final; – Estados intermédios; – Transição entre estados. 5. Que símbolo utiliza para representar graficamente um estado? É representado por um retângulo de cantos arredondados com um identificador e um compartimento para descrever as operações que são executadas nesse estado.