SlideShare uma empresa Scribd logo
1. Introdução
Este trabalho surge no âmbito de pesquisa para a abordagem dos termos que ditam a
cadeira de Didáctica concernente a interdisciplinaridade dela no seu campo de estudo.
Como é sabido, esta como outra qualquer área de conhecimento tem buscado uma
confiança e conhecimento de outras áreas de saber para incrementar os seus estudos e
melhor abordagem dos seus conteúdos.
É de grande importância que nós, futuros professores, sejamos aptos de obter uma visão
ampla e profunda do contexto em que se desenvolverá a nossa actividade profissional,
ou seja, da escola e, principalmente, da sala de aula Por isso, ao longo do trabalho
vamos desenvolver de como cada uma das disciplinas que se relaciona com a Didáctica
se comporta na faculdade dos seus saberes para esta área de saber, tendo em vista a
satisfação dos aspectos relevantes para a nossa futura profissão.
1.1. Objectivo geral:
 Compreender a relação da Didáctica com outras ciências.
1.2. Objectivos específicos:
 Definir a Didáctica como ciência;
 Apresentar os factores que incumbe a Didáctica a se relacionar com outras
ciências;
 Caracterizar o relacionamento da Didáctica.
2. Relação da Didáctica Geral com outras Ciências
Para a compreensão de como a Didáctica Geral se relaciona com outras ciências é
necessário voltarmos ao conceito da própria ciência.
Segundo Piletti (2004), "Didáctica é uma disciplina técnica e que tem como objecto
específico a técnica de ensino (direcção técnica da aprendizagem) " (p. 42). Isto é
mesmo dizer que a Didáctica é a parte da pedagogia que tem como objecto de estudo o
ensino em sua relação com a aprendizagem em processos de estímulos, direcção e
encaminhamento, no decurso da aprendizagem, na formação do homem.
Para Tavares (2011), "a Didáctica é a parte da Pedagogia que utiliza estratégias de
ensino destinadas a colocar em prática as directrizes da teoria pedagógica, do ensino e
da aprendizagem " (p. 13). Indo mais além, é uma disciplina pedagógica concentrada no
estudo dos processos de ensino e aprendizagem, que busca a formação e o
desenvolvimento instrutivo e formativo dos estudantes.
Todavia, por si só, a didáctica nada pode fazer para alcançar os objectivos que ela
pretende visualizar sem o apoio de outras ciências que possam complementar as suas
abordagens e desenvolvimento das suas teorias. Por isso, ela se relaciona com algumas
ciências tais como: Sociologia, Biologia, Psicologia e Filosofia.
2.1. Relação com a Sociologia
A sociologia tendo como seu objecto de estudo a sociedade, na Didáctica, Araújo
(2012) defende que ela"indica as formas de trabalho que permitem desenvolver a
solidariedade, a liderança, a responsabilidade no contexto de interacções sociais, pois a
aprendizagem acontece no contexto socialmente construído o que implica reconhecer o
papel dessas relações na educação dos alunos" (p. 36).
2.2. Relação com a Biologia
A Biologia, dentro da sua área de especificidade, orienta de certa forma o
desenvolvimento físico e os índices de fadiga dos alunos, a nutrição (boas práticas de
ingestão adequada de alimentos e nutrientes fundamentais para uma boa saúde e para
resistência a doenças). A herança (processo pelo qual um indivíduo adquire
características semelhantes à dos progenitores) também tem o seu peso na aprendizagem
dos alunos.
2.3. Relação com a Psicologia
Tendo em consideração de que o objecto de estudo da psicologia é o comportamento e
as actividades mentais de todos animais e o da Didáctica o ensino e aprendizagem do
homem, nota-se que a Psicologia fornece fundamentos para alguns aspectos da
aprendizagem do aluno.
Nesta perspectiva, Araújo (2012) ainda enfatiza que "a Psicologia indica as
oportunidades que melhor favorecem a expansão desenvolvimento da personalidade
bem como os processos a efectivação da aprendizagem que melhor garantem a
efectivação da aprendizagem" (p. 35). Por exemplo, aspectos ligados a motivação para
que o aluno se interesse pela matéria.
Noutras vertentes, os alunos com necessidades educativas especiais precisam de uma
educação “especial” e um acompanhamento psicológico adequado, isto é, o professor
deve estar munido de ferramentas da Psicologia para lidar com os alunos com
necessidades educativas especiais. A selecção dos conteúdos e meios didácticos
apropriados para a mediação da aula, devem ter em conta o desenvolvimento psíquico
da criança. Essa avaliação (do desenvolvimento psíquico da criança) é fornecida pela
psicologia. A psicologia na educação não se limita na sala de aula, mas se estende para
todos os intervenientes do Processo do Ensino – Aprendizagem, ajudando na elaboração
dos currículos e na resolução dos problemas fora e dentro da sala de aula.
2.4. Relação com a Filosofia
Segundo Araújo (2012) a "Filosofia actua na interacção das demais ciências que servem
de base a Didáctica, coordenando-as numa visão que tem por fim explicar o educando
como um ser completo que necessita de atendimento adequado, personalizado, deforma
que se possam efectuar os propósitos de educação" (p. 36).
2.5. Relação com as Didácticas Específicas
Ainda Araújo (2012) defende que "a Didáctica geral estabelece relação com as
Didácticas especiais ou seja, Metodologias de Ensino de disciplinas específicas
(Didáctica de Geografia, Didáctica de Matemática, línguas, etc.) " (p. 32).
De facto, as metodologias das diferentes disciplinas analisam as questões de ensino de
uma determinada disciplina, onde enquanto a Didáctica geral tem um objecto de
natureza geral, a específica se abstrai das particularidades das distintas disciplinas e
generaliza as manifestações e leis especiais do ensino e aprendizagem nas diferentes
disciplinas e formas de ensino.
De modo geral, as Didácticas ou Metodologias específicas são uma base importante
para a Didáctica geral, e esta, por sua vez, generaliza os resultados de estudo sobre o
ensino das disciplinas específicas.
3. Conclusão
Tendo chegado a parte final do nosso trabalho temos a destacar a importância que a
interdisciplinaridade traz no campo das ciências tendo um foco naquilo que temos
vivido nesta, assim como noutras áreas de estudo. Depois de termos analisado as
ciências que mantêm uma relação com a Didáctica Geral, muito mais na área
educacional todas elas compactuam quase os mesmos interesses no desenvolvimento do
Processo de Ensino e Aprendizagem com vista a satisfazer ao aluno melhores formas de
aprendizagens e responder com mais firmeza as suas demandas neste processo
educativo. Porém, é imperioso que cada um de nós que saibamos de maneira mais
sensível essa interdisciplinaridade para melhor busca de soluções a quanto da
necessidade no campo de trabalho.
4. Referências
ARAÚJO, E. A. L (2012). Didáctica Geral - Manual de Tronco Comum. Universidade
Católica de Moçambique (UCM): CED. Moçambique: Beira.
PILETTI, C (2010). Didática Geral. (24ª ed). São Paulo: Ática
TAVARES, R. H. (2011). Didáctica Gera. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
Poliana Silvesso
 
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
Thaynã Guedes
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
Ulisses Vakirtzis
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
Sérgio Lagoa
 
Educacao colonial em mocambique
Educacao colonial em mocambiqueEducacao colonial em mocambique
Educacao colonial em mocambique
Saíde Molide
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
Mister B
 
Modelos de organização curricular
Modelos de organização curricularModelos de organização curricular
Modelos de organização curricular
Ministério da Educação
 
Aulas 8 e 9. texto taxonomia de bloom
Aulas 8 e 9. texto taxonomia de bloomAulas 8 e 9. texto taxonomia de bloom
Aulas 8 e 9. texto taxonomia de bloom
Karlla Costa
 
Introdução a Pedagogia
Introdução a PedagogiaIntrodução a Pedagogia
Introdução a Pedagogia
Eduardo Fernando
 
tendências pedagógicas, (Papel da Escola / Conteúdos /Métodos/ Professor x a...
tendências pedagógicas, (Papel da Escola	/ Conteúdos	/Métodos/	Professor x  a...tendências pedagógicas, (Papel da Escola	/ Conteúdos	/Métodos/	Professor x  a...
tendências pedagógicas, (Papel da Escola / Conteúdos /Métodos/ Professor x a...
Robson S
 
Educacao em Mocambique
Educacao em MocambiqueEducacao em Mocambique
Educacao em Mocambique
Isaias Tembe
 
A planificação didáctica nova apresentação
A planificação didáctica   nova apresentaçãoA planificação didáctica   nova apresentação
A planificação didáctica nova apresentação
Lourenço Neto
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
denisecgomes
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
Giselle Coutinho
 
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Cleidilene Lima
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
UESPI - PI
 
Objetivos de ensino
Objetivos de ensinoObjetivos de ensino
Objetivos de ensino
Naysa Taboada
 
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e AprendizagemMétodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Joao Papelo
 
TENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR
TENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLARTENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR
TENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR
Andrea Maria de Jesus
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 

Mais procurados (20)

Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
 
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
RESUMO - Formação de Professores: Identidades e Saberes da Docência - Selma G...
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
 
Educacao colonial em mocambique
Educacao colonial em mocambiqueEducacao colonial em mocambique
Educacao colonial em mocambique
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
 
Modelos de organização curricular
Modelos de organização curricularModelos de organização curricular
Modelos de organização curricular
 
Aulas 8 e 9. texto taxonomia de bloom
Aulas 8 e 9. texto taxonomia de bloomAulas 8 e 9. texto taxonomia de bloom
Aulas 8 e 9. texto taxonomia de bloom
 
Introdução a Pedagogia
Introdução a PedagogiaIntrodução a Pedagogia
Introdução a Pedagogia
 
tendências pedagógicas, (Papel da Escola / Conteúdos /Métodos/ Professor x a...
tendências pedagógicas, (Papel da Escola	/ Conteúdos	/Métodos/	Professor x  a...tendências pedagógicas, (Papel da Escola	/ Conteúdos	/Métodos/	Professor x  a...
tendências pedagógicas, (Papel da Escola / Conteúdos /Métodos/ Professor x a...
 
Educacao em Mocambique
Educacao em MocambiqueEducacao em Mocambique
Educacao em Mocambique
 
A planificação didáctica nova apresentação
A planificação didáctica   nova apresentaçãoA planificação didáctica   nova apresentação
A planificação didáctica nova apresentação
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
 
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
 
Objetivos de ensino
Objetivos de ensinoObjetivos de ensino
Objetivos de ensino
 
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e AprendizagemMétodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e Aprendizagem
 
TENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR
TENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLARTENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR
TENDÊNCIAS PEDAGOGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 

Semelhante a Relação entre a didáctica com outras ciências

Guia da disciplina Didática
Guia da disciplina DidáticaGuia da disciplina Didática
Guia da disciplina Didática
Rosiane Freitas
 
Aula 1. artigo santo e luz (2013). didatica no ensino superior perspectiv...
Aula 1. artigo santo e luz  (2013).  didatica no ensino superior   perspectiv...Aula 1. artigo santo e luz  (2013).  didatica no ensino superior   perspectiv...
Aula 1. artigo santo e luz (2013). didatica no ensino superior perspectiv...
Karlla Costa
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
Cristina Ferreira
 
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.pptconhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
ThaisJussara
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
Ivanylde Santos
 
Mortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_ncias
Mortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_nciasMortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_ncias
Mortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_ncias
Manoella Morais
 
Atividade discursiva
Atividade discursivaAtividade discursiva
Atividade discursiva
Fabiano Antunes
 
Atividade discursiva-1
Atividade discursiva-1Atividade discursiva-1
Atividade discursiva-1
Maiara Miguel
 
Slide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptx
Slide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptxSlide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptx
Slide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptx
FtimaCortes4
 
CURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdf
CURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdfCURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdf
CURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdf
ssuser488283
 
Aula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educação
Aula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educaçãoAula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educação
Aula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educação
Catharine Santos
 
Didática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da Fonseca
Didática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da FonsecaDidática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da Fonseca
Didática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da Fonseca
rloureiro1
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Ação didática no ensino superior a docência em discussão
Ação didática no ensino superior   a docência em discussãoAção didática no ensino superior   a docência em discussão
Ação didática no ensino superior a docência em discussão
UNILAGO
 
Didaticgeoaula2
Didaticgeoaula2Didaticgeoaula2
Didaticgeoaula2
Ana Beatriz
 
Didática Modular I
Didática Modular I  Didática Modular I
Didática Modular I
Karina Tafre
 
A prática de ensino nas licenciaturas e
A prática de ensino nas licenciaturas eA prática de ensino nas licenciaturas e
A prática de ensino nas licenciaturas e
pibidbio
 
Slide completo mainha
Slide completo mainhaSlide completo mainha
Slide completo mainha
Adelmita Santos
 
Apostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didaticaApostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didatica
Anderson Magno
 

Semelhante a Relação entre a didáctica com outras ciências (20)

Guia da disciplina Didática
Guia da disciplina DidáticaGuia da disciplina Didática
Guia da disciplina Didática
 
Aula 1. artigo santo e luz (2013). didatica no ensino superior perspectiv...
Aula 1. artigo santo e luz  (2013).  didatica no ensino superior   perspectiv...Aula 1. artigo santo e luz  (2013).  didatica no ensino superior   perspectiv...
Aula 1. artigo santo e luz (2013). didatica no ensino superior perspectiv...
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NETCONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
CONHECENDO A DIDATICA. ENCONTREI NA NET
 
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.pptconhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
conhecendoadidtica_um estudo inicial.ppt
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
Mortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_ncias
Mortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_nciasMortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_ncias
Mortimer e scott___2002___atividade_discursiva_nas_salas_de_aula_de_ci_ncias
 
Atividade discursiva
Atividade discursivaAtividade discursiva
Atividade discursiva
 
Atividade discursiva-1
Atividade discursiva-1Atividade discursiva-1
Atividade discursiva-1
 
Slide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptx
Slide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptxSlide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptx
Slide - Texto 05- PINTO, Humberto de Andrade.pptx
 
CURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdf
CURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdfCURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdf
CURRICULO_BASEADO_NO_PLANEJAMENTO_DO_ENS (1).pdf
 
Aula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educação
Aula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educaçãoAula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educação
Aula+1+ +importância+e+caracterização+da+psicologia+da+educação
 
Didática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da Fonseca
Didática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da FonsecaDidática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da Fonseca
Didática Geral, de João José Saraiva de Fonseca e Sonia da Fonseca
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Atitude critica
 
Ação didática no ensino superior a docência em discussão
Ação didática no ensino superior   a docência em discussãoAção didática no ensino superior   a docência em discussão
Ação didática no ensino superior a docência em discussão
 
Didaticgeoaula2
Didaticgeoaula2Didaticgeoaula2
Didaticgeoaula2
 
Didática Modular I
Didática Modular I  Didática Modular I
Didática Modular I
 
A prática de ensino nas licenciaturas e
A prática de ensino nas licenciaturas eA prática de ensino nas licenciaturas e
A prática de ensino nas licenciaturas e
 
Slide completo mainha
Slide completo mainhaSlide completo mainha
Slide completo mainha
 
Apostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didaticaApostila da ed_de_didatica
Apostila da ed_de_didatica
 

Mais de Joao Papelo

Princípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamento
Princípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamentoPrincípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamento
Princípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamento
Joao Papelo
 
As actividades de cada fase de aula
As actividades de cada fase de aulaAs actividades de cada fase de aula
As actividades de cada fase de aula
Joao Papelo
 
Sample questionnaire
Sample questionnaireSample questionnaire
Sample questionnaire
Joao Papelo
 
Processo de Coordenação
Processo de CoordenaçãoProcesso de Coordenação
Processo de Coordenação
Joao Papelo
 
The right to die 2
The right to die 2The right to die 2
The right to die 2
Joao Papelo
 
Tipos e Formas de frases
Tipos e Formas de frasesTipos e Formas de frases
Tipos e Formas de frases
Joao Papelo
 
Data collection techniques
Data collection techniquesData collection techniques
Data collection techniques
Joao Papelo
 
3. Interviews and questionnaires as data collection techniques
3.	Interviews and questionnaires as data collection techniques3.	Interviews and questionnaires as data collection techniques
3. Interviews and questionnaires as data collection techniques
Joao Papelo
 
THE RIGHT TO DIE
THE RIGHT TO DIETHE RIGHT TO DIE
THE RIGHT TO DIE
Joao Papelo
 
Ficha de leitura - Colónias
Ficha de leitura - ColóniasFicha de leitura - Colónias
Ficha de leitura - Colónias
Joao Papelo
 
Ficha de leitura as vanguardas
Ficha de leitura   as vanguardasFicha de leitura   as vanguardas
Ficha de leitura as vanguardas
Joao Papelo
 

Mais de Joao Papelo (11)

Princípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamento
Princípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamentoPrincípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamento
Princípios orientadores de uma conversação – Formas de tratamento
 
As actividades de cada fase de aula
As actividades de cada fase de aulaAs actividades de cada fase de aula
As actividades de cada fase de aula
 
Sample questionnaire
Sample questionnaireSample questionnaire
Sample questionnaire
 
Processo de Coordenação
Processo de CoordenaçãoProcesso de Coordenação
Processo de Coordenação
 
The right to die 2
The right to die 2The right to die 2
The right to die 2
 
Tipos e Formas de frases
Tipos e Formas de frasesTipos e Formas de frases
Tipos e Formas de frases
 
Data collection techniques
Data collection techniquesData collection techniques
Data collection techniques
 
3. Interviews and questionnaires as data collection techniques
3.	Interviews and questionnaires as data collection techniques3.	Interviews and questionnaires as data collection techniques
3. Interviews and questionnaires as data collection techniques
 
THE RIGHT TO DIE
THE RIGHT TO DIETHE RIGHT TO DIE
THE RIGHT TO DIE
 
Ficha de leitura - Colónias
Ficha de leitura - ColóniasFicha de leitura - Colónias
Ficha de leitura - Colónias
 
Ficha de leitura as vanguardas
Ficha de leitura   as vanguardasFicha de leitura   as vanguardas
Ficha de leitura as vanguardas
 

Último

Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 

Último (20)

Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 

Relação entre a didáctica com outras ciências

  • 1. 1. Introdução Este trabalho surge no âmbito de pesquisa para a abordagem dos termos que ditam a cadeira de Didáctica concernente a interdisciplinaridade dela no seu campo de estudo. Como é sabido, esta como outra qualquer área de conhecimento tem buscado uma confiança e conhecimento de outras áreas de saber para incrementar os seus estudos e melhor abordagem dos seus conteúdos. É de grande importância que nós, futuros professores, sejamos aptos de obter uma visão ampla e profunda do contexto em que se desenvolverá a nossa actividade profissional, ou seja, da escola e, principalmente, da sala de aula Por isso, ao longo do trabalho vamos desenvolver de como cada uma das disciplinas que se relaciona com a Didáctica se comporta na faculdade dos seus saberes para esta área de saber, tendo em vista a satisfação dos aspectos relevantes para a nossa futura profissão. 1.1. Objectivo geral:  Compreender a relação da Didáctica com outras ciências. 1.2. Objectivos específicos:  Definir a Didáctica como ciência;  Apresentar os factores que incumbe a Didáctica a se relacionar com outras ciências;  Caracterizar o relacionamento da Didáctica.
  • 2. 2. Relação da Didáctica Geral com outras Ciências Para a compreensão de como a Didáctica Geral se relaciona com outras ciências é necessário voltarmos ao conceito da própria ciência. Segundo Piletti (2004), "Didáctica é uma disciplina técnica e que tem como objecto específico a técnica de ensino (direcção técnica da aprendizagem) " (p. 42). Isto é mesmo dizer que a Didáctica é a parte da pedagogia que tem como objecto de estudo o ensino em sua relação com a aprendizagem em processos de estímulos, direcção e encaminhamento, no decurso da aprendizagem, na formação do homem. Para Tavares (2011), "a Didáctica é a parte da Pedagogia que utiliza estratégias de ensino destinadas a colocar em prática as directrizes da teoria pedagógica, do ensino e da aprendizagem " (p. 13). Indo mais além, é uma disciplina pedagógica concentrada no estudo dos processos de ensino e aprendizagem, que busca a formação e o desenvolvimento instrutivo e formativo dos estudantes. Todavia, por si só, a didáctica nada pode fazer para alcançar os objectivos que ela pretende visualizar sem o apoio de outras ciências que possam complementar as suas abordagens e desenvolvimento das suas teorias. Por isso, ela se relaciona com algumas ciências tais como: Sociologia, Biologia, Psicologia e Filosofia. 2.1. Relação com a Sociologia A sociologia tendo como seu objecto de estudo a sociedade, na Didáctica, Araújo (2012) defende que ela"indica as formas de trabalho que permitem desenvolver a solidariedade, a liderança, a responsabilidade no contexto de interacções sociais, pois a aprendizagem acontece no contexto socialmente construído o que implica reconhecer o papel dessas relações na educação dos alunos" (p. 36). 2.2. Relação com a Biologia A Biologia, dentro da sua área de especificidade, orienta de certa forma o desenvolvimento físico e os índices de fadiga dos alunos, a nutrição (boas práticas de ingestão adequada de alimentos e nutrientes fundamentais para uma boa saúde e para resistência a doenças). A herança (processo pelo qual um indivíduo adquire características semelhantes à dos progenitores) também tem o seu peso na aprendizagem dos alunos.
  • 3. 2.3. Relação com a Psicologia Tendo em consideração de que o objecto de estudo da psicologia é o comportamento e as actividades mentais de todos animais e o da Didáctica o ensino e aprendizagem do homem, nota-se que a Psicologia fornece fundamentos para alguns aspectos da aprendizagem do aluno. Nesta perspectiva, Araújo (2012) ainda enfatiza que "a Psicologia indica as oportunidades que melhor favorecem a expansão desenvolvimento da personalidade bem como os processos a efectivação da aprendizagem que melhor garantem a efectivação da aprendizagem" (p. 35). Por exemplo, aspectos ligados a motivação para que o aluno se interesse pela matéria. Noutras vertentes, os alunos com necessidades educativas especiais precisam de uma educação “especial” e um acompanhamento psicológico adequado, isto é, o professor deve estar munido de ferramentas da Psicologia para lidar com os alunos com necessidades educativas especiais. A selecção dos conteúdos e meios didácticos apropriados para a mediação da aula, devem ter em conta o desenvolvimento psíquico da criança. Essa avaliação (do desenvolvimento psíquico da criança) é fornecida pela psicologia. A psicologia na educação não se limita na sala de aula, mas se estende para todos os intervenientes do Processo do Ensino – Aprendizagem, ajudando na elaboração dos currículos e na resolução dos problemas fora e dentro da sala de aula. 2.4. Relação com a Filosofia Segundo Araújo (2012) a "Filosofia actua na interacção das demais ciências que servem de base a Didáctica, coordenando-as numa visão que tem por fim explicar o educando como um ser completo que necessita de atendimento adequado, personalizado, deforma que se possam efectuar os propósitos de educação" (p. 36). 2.5. Relação com as Didácticas Específicas Ainda Araújo (2012) defende que "a Didáctica geral estabelece relação com as Didácticas especiais ou seja, Metodologias de Ensino de disciplinas específicas (Didáctica de Geografia, Didáctica de Matemática, línguas, etc.) " (p. 32). De facto, as metodologias das diferentes disciplinas analisam as questões de ensino de uma determinada disciplina, onde enquanto a Didáctica geral tem um objecto de
  • 4. natureza geral, a específica se abstrai das particularidades das distintas disciplinas e generaliza as manifestações e leis especiais do ensino e aprendizagem nas diferentes disciplinas e formas de ensino. De modo geral, as Didácticas ou Metodologias específicas são uma base importante para a Didáctica geral, e esta, por sua vez, generaliza os resultados de estudo sobre o ensino das disciplinas específicas.
  • 5. 3. Conclusão Tendo chegado a parte final do nosso trabalho temos a destacar a importância que a interdisciplinaridade traz no campo das ciências tendo um foco naquilo que temos vivido nesta, assim como noutras áreas de estudo. Depois de termos analisado as ciências que mantêm uma relação com a Didáctica Geral, muito mais na área educacional todas elas compactuam quase os mesmos interesses no desenvolvimento do Processo de Ensino e Aprendizagem com vista a satisfazer ao aluno melhores formas de aprendizagens e responder com mais firmeza as suas demandas neste processo educativo. Porém, é imperioso que cada um de nós que saibamos de maneira mais sensível essa interdisciplinaridade para melhor busca de soluções a quanto da necessidade no campo de trabalho.
  • 6. 4. Referências ARAÚJO, E. A. L (2012). Didáctica Geral - Manual de Tronco Comum. Universidade Católica de Moçambique (UCM): CED. Moçambique: Beira. PILETTI, C (2010). Didática Geral. (24ª ed). São Paulo: Ática TAVARES, R. H. (2011). Didáctica Gera. Belo Horizonte: Editora UFMG.