SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
PRESBIOPIA
R2 OFT Pietro B. de Azevedo
05/02/2015
Definição
• Grego: presbys = velho + ops = visão
• Redução fisiológica da amplitude de
acomodação
• Capacidade de focalização do olho insuficiente
para suprir a demanda visual de perto
• 38-48 anos
• A idade é determinante
• Quanto maior a idade, menor a capacidade de
acomodação do cristalino
• Esforço acomodativo é maior para alvos próximos
Sintomas
• Dificuldade de enxergar para perto
• Inicialmente, à tarde e à noite
• Fadiga ocular após breve período de leitura
• “síndrome do braço curto”
Teorias
• HELMHOLTZ-HESS-GULLSTRAND
o Perda da elasticidade do cristalino e sua cápsula
o Mais aceita e única comprovada
• Donders-Duane-Fincham
o Enfraquecimento do m. ciliar
• Schachar
o Aumento do diâmetro equatorial do cristalino
Conceitos 1
• Demanda acomodativa (DA)
o Quantas dioptrias o olho deve acomodar para focalizar a imagem na
retina
o Olhando para o infinito: DA = zero
o Para perto: DA = 1/d
DA no hipermétrope > míope
Leitura a 40cm: 1/0,4m  DA = +2,50D
...se hipermétrope de +2,00: DA = +4,50D
...míope de -2,00: DA = +0,50D
Conceitos 2
• Capacidade acomodativa (CA)
o Mede o esforço acomodativo máximo
o Ponto próximo de acomodação (PPA)
CA = 1/PPA
...se PPA = 12,5cm  CA = 8D (1/0,125m)
Régua de Prince
Conceitos 3
• Amplitude de acomodação (AA)
o CA (1/PPA) + refração
AA = CA + refração
...se PPA = 12,5cm
...se hipermétrope de +2,00: AA = 8 + 2 = 10D
...míope de -2,00: AA = 8 + (-2) = 6D
AA no hipermétrope > míope
Tabela de Donders
Acomodando…
• Córnea: não se altera
• Câmara anterior: diminuição de sua amplitude, aumento da
curvatura do cristalino
• Pupila: miose
• Cristalino: aumento da espessura, aumento principalmente
curvatura anterior
• Zônula: relaxamento por ação do músculo ciliar
• Músculo ciliar: traciona a coroide e o corpo ciliar para a frente,
relaxa zônula
Tratamento
• ADIÇÃO é o grau é adicionado à lente corretora
do vício de refração para proporcionar visão nítida
de perto
• Aumenta o alcance da visão para perto, mas
diminui a visão intermediária e de longe
• Prescrever a menor adição possível que
proporcione boa visão e conforto visual
infinito PPA
PPA’F
• A idade pode ser usada como referência
Hofstetter, H. W. (1947)
Método 1
Adição = DA – RA
ou
Adição = (DA + RA) – CA
...Exemplo:
Ler a 40cm  DA = +2,50D
PPA é 50cm  CA = 2D
Adição = (2,5 + 1) – 2 = +1,50
*Manter 33-50% de reserva acomodativa para maior conforto
*RA = CA/2
**CA = 1/PPA
Método 2
Adição = (DA – adição do teste) + adição/3
...Exemplo:
Ler a 40cm  DA = +2,50D
J.1 com +1,50D
Adição = (2,50 – 1,50) + 0,50 = +1,50
*Manter 33-50% de reserva acomodativa para maior conforto
Método 3
Adição = lente “boa” – lente “ruim”/2
...Exemplo:
J.1 com +1,00D
J.2 com +2,00D
Adição = 1 + 2 /2 = +1,50
*Manter 33-50% de reserva acomodativa para maior conforto
Lentes
• Monofocais
o Ótima qualidade de imagem (confecção simples)
o Boa opção para emétropes
o Preferencialmente em meia armação, faculta o olhar por cima das lentes
Lentes
• Bifocais
o Visão de perto e longe com um único óculos
o Salto de imagem e deslocamento vertical do CV
o Tipos
• Flat-top: miopia ou hiper, qndo add >
• Ultex ou Ballux: hiper, qndo add <
• Kriptok: hiper, ando add =
Obs: o topo do segmento bifocal deve ficar alinhado com o limbo inferior, 5-5,5 mm abaixo
do centro pupilar. Exceto no 1o bifocal, 1-mm abaixo para facilitar a deambulação
Lentes
• Multifocais ou progressivas
o A progressão de longe-perto é proporcionada pelo desenho da
curvatura anterior
o Campos visuais de longe e de perto menos amplos que os bifocais e
afunilamento do campo de visão intermediário
o Lentes mais confortáveis são aquelas com desenhos mais sofisticados,
maior abertura de túnel, progressão suave e montagem sob medida
Lentes
• Regressivas ou semi-progressivas
o Área lateral de visão maior
• Indicadas para présbitas que trabalham com
computador, pranchetas, partituras
• Quantidade de regressão é determinada pela
adição
Recomendo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

care and maintenance of soft contact lenses
 care and maintenance of soft contact lenses care and maintenance of soft contact lenses
care and maintenance of soft contact lenses
Vishakh Nair
 
Descolamento de retina
Descolamento de retinaDescolamento de retina
Descolamento de retina
phlordello
 

Mais procurados (20)

Óptica Oftálmica - Princípios Básicos
Óptica Oftálmica - Princípios BásicosÓptica Oftálmica - Princípios Básicos
Óptica Oftálmica - Princípios Básicos
 
Lentes de Contato.doc.pdf
Lentes de Contato.doc.pdfLentes de Contato.doc.pdf
Lentes de Contato.doc.pdf
 
Esotropia , classification , diagnosis and management
Esotropia , classification , diagnosis and managementEsotropia , classification , diagnosis and management
Esotropia , classification , diagnosis and management
 
Prism
PrismPrism
Prism
 
care and maintenance of soft contact lenses
 care and maintenance of soft contact lenses care and maintenance of soft contact lenses
care and maintenance of soft contact lenses
 
Descolamento de retina
Descolamento de retinaDescolamento de retina
Descolamento de retina
 
Aspheric Lenses.pptx
Aspheric Lenses.pptxAspheric Lenses.pptx
Aspheric Lenses.pptx
 
Distrofias Corneanas
Distrofias Corneanas  Distrofias Corneanas
Distrofias Corneanas
 
Tonometria e paquimetria
Tonometria e paquimetriaTonometria e paquimetria
Tonometria e paquimetria
 
Contactologia - Lentes de Contacto
Contactologia - Lentes de ContactoContactologia - Lentes de Contacto
Contactologia - Lentes de Contacto
 
Abberation of optical system
Abberation of optical systemAbberation of optical system
Abberation of optical system
 
Prisms in optometry practice
Prisms in optometry practicePrisms in optometry practice
Prisms in optometry practice
 
Corneal drawings
Corneal drawingsCorneal drawings
Corneal drawings
 
Scleral lenses presentation final (1)
Scleral lenses presentation final (1)Scleral lenses presentation final (1)
Scleral lenses presentation final (1)
 
Autorefractometer
Autorefractometer Autorefractometer
Autorefractometer
 
Corneal dystrophy by_dr.adnan
Corneal dystrophy by_dr.adnanCorneal dystrophy by_dr.adnan
Corneal dystrophy by_dr.adnan
 
lens coatings
lens coatingslens coatings
lens coatings
 
NRA.pptx
NRA.pptxNRA.pptx
NRA.pptx
 
Glaucoma facogênico
Glaucoma facogênicoGlaucoma facogênico
Glaucoma facogênico
 
Physiology of lens and Cataractogenesis
Physiology of lens and CataractogenesisPhysiology of lens and Cataractogenesis
Physiology of lens and Cataractogenesis
 

Destaque

Problemas de visão
Problemas de visãoProblemas de visão
Problemas de visão
Isabel Silva
 
Óptica da visão professor waldir montenegro
Óptica da visão professor  waldir montenegroÓptica da visão professor  waldir montenegro
Óptica da visão professor waldir montenegro
Waldir Montenegro
 
Progressive Spectacle Lens Fitting
Progressive Spectacle Lens FittingProgressive Spectacle Lens Fitting
Progressive Spectacle Lens Fitting
Vishakh Nair
 
Progressive lens measurement
Progressive lens measurementProgressive lens measurement
Progressive lens measurement
GauriSShrestha
 
Progressive addition lens1
Progressive addition lens1Progressive addition lens1
Progressive addition lens1
GauriSShrestha
 
Estrabismo
EstrabismoEstrabismo
Estrabismo
liz viju
 

Destaque (20)

Presbyopia
PresbyopiaPresbyopia
Presbyopia
 
Presbyopia
PresbyopiaPresbyopia
Presbyopia
 
Lentes multifocais
Lentes multifocaisLentes multifocais
Lentes multifocais
 
Problemas de visão
Problemas de visãoProblemas de visão
Problemas de visão
 
Problemas de Visão e Lentes
Problemas de Visão e LentesProblemas de Visão e Lentes
Problemas de Visão e Lentes
 
Esotropias
EsotropiasEsotropias
Esotropias
 
Optica basica plutonite
Optica basica plutoniteOptica basica plutonite
Optica basica plutonite
 
Defeitos da Visão
Defeitos da VisãoDefeitos da Visão
Defeitos da Visão
 
Progressive addition lenses
Progressive addition lensesProgressive addition lenses
Progressive addition lenses
 
Estrabismo
EstrabismoEstrabismo
Estrabismo
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Óptica da visão professor waldir montenegro
Óptica da visão professor  waldir montenegroÓptica da visão professor  waldir montenegro
Óptica da visão professor waldir montenegro
 
Progressive Spectacle Lens Fitting
Progressive Spectacle Lens FittingProgressive Spectacle Lens Fitting
Progressive Spectacle Lens Fitting
 
Ótica da visão e lentes
Ótica da visão e lentesÓtica da visão e lentes
Ótica da visão e lentes
 
Progressive lens measurement
Progressive lens measurementProgressive lens measurement
Progressive lens measurement
 
Cardinal points,thin lenses and thick lenses
Cardinal points,thin lenses and thick lensesCardinal points,thin lenses and thick lenses
Cardinal points,thin lenses and thick lenses
 
Progressive addition lens1
Progressive addition lens1Progressive addition lens1
Progressive addition lens1
 
Estrabismo
EstrabismoEstrabismo
Estrabismo
 
Estrabismo
EstrabismoEstrabismo
Estrabismo
 
Cardinal points
Cardinal pointsCardinal points
Cardinal points
 

Semelhante a Presbiopia

Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2
Yasmin Amorim
 
olho humano, óptica da visão e defeitos.ppt
olho humano, óptica da visão e defeitos.pptolho humano, óptica da visão e defeitos.ppt
olho humano, óptica da visão e defeitos.ppt
AssisTeixeira2
 
Visão aspectos de discussão - 2013
Visão   aspectos de discussão - 2013Visão   aspectos de discussão - 2013
Visão aspectos de discussão - 2013
Augusto Manuel
 
Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo
Marcelo Silva
 
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticosDefeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
paramore146
 

Semelhante a Presbiopia (20)

Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2
 
ametropias.ppt
ametropias.pptametropias.ppt
ametropias.ppt
 
Aula 6-optica-da-visao.pptx
Aula 6-optica-da-visao.pptxAula 6-optica-da-visao.pptx
Aula 6-optica-da-visao.pptx
 
Problemas de visão
Problemas de visão Problemas de visão
Problemas de visão
 
Biofísica do olho humano
Biofísica do olho humanoBiofísica do olho humano
Biofísica do olho humano
 
Óptica da visão
Óptica da visãoÓptica da visão
Óptica da visão
 
olho humano, óptica da visão e defeitos.ppt
olho humano, óptica da visão e defeitos.pptolho humano, óptica da visão e defeitos.ppt
olho humano, óptica da visão e defeitos.ppt
 
Óptica e refração
Óptica e refraçãoÓptica e refração
Óptica e refração
 
Visão aspectos de discussão - 2013
Visão   aspectos de discussão - 2013Visão   aspectos de discussão - 2013
Visão aspectos de discussão - 2013
 
Óptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostilaÓptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostila
 
Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo
 
Erros Refractivos e presbiopia
Erros Refractivos e presbiopiaErros Refractivos e presbiopia
Erros Refractivos e presbiopia
 
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticosDefeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
 
Lentes noite
Lentes   noiteLentes   noite
Lentes noite
 
olho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visaoolho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visao
 
Entenda os tipos de visão
Entenda os tipos de visãoEntenda os tipos de visão
Entenda os tipos de visão
 
Biofisica_da_Visao.pdf
Biofisica_da_Visao.pdfBiofisica_da_Visao.pdf
Biofisica_da_Visao.pdf
 
Trabalho visao biofisica
Trabalho visao biofisicaTrabalho visao biofisica
Trabalho visao biofisica
 
Anatomia ocular.pdf
Anatomia ocular.pdfAnatomia ocular.pdf
Anatomia ocular.pdf
 
Lentes marista
Lentes maristaLentes marista
Lentes marista
 

Mais de Pietro de Azevedo

Mais de Pietro de Azevedo (20)

Laser em glaucoma
Laser em glaucoma Laser em glaucoma
Laser em glaucoma
 
Síndrome ICE (irido corneo escleral)
Síndrome ICE (irido corneo escleral)Síndrome ICE (irido corneo escleral)
Síndrome ICE (irido corneo escleral)
 
Anatomia da íris
Anatomia da íris  Anatomia da íris
Anatomia da íris
 
Nervo óptico - anatomia básica e aplicação clínica
Nervo óptico - anatomia básica e aplicação clínicaNervo óptico - anatomia básica e aplicação clínica
Nervo óptico - anatomia básica e aplicação clínica
 
Fármacos antiglaucomatosos
Fármacos antiglaucomatosos Fármacos antiglaucomatosos
Fármacos antiglaucomatosos
 
Fisiologia do Humor Aquoso
Fisiologia do Humor AquosoFisiologia do Humor Aquoso
Fisiologia do Humor Aquoso
 
Semiologia do glaucoma
Semiologia do glaucomaSemiologia do glaucoma
Semiologia do glaucoma
 
Humor aquoso e Corpo Ciliar
Humor aquoso e Corpo CiliarHumor aquoso e Corpo Ciliar
Humor aquoso e Corpo Ciliar
 
Estrabismo nas miopatias e Doença de graves
Estrabismo nas miopatias e Doença de gravesEstrabismo nas miopatias e Doença de graves
Estrabismo nas miopatias e Doença de graves
 
Tratamento Cirúrgico da Paralisia Facial
Tratamento Cirúrgico da Paralisia FacialTratamento Cirúrgico da Paralisia Facial
Tratamento Cirúrgico da Paralisia Facial
 
Óptica
ÓpticaÓptica
Óptica
 
Astigmatismo
AstigmatismoAstigmatismo
Astigmatismo
 
Papilografia - avaliação do nervo óptico
Papilografia - avaliação do nervo ópticoPapilografia - avaliação do nervo óptico
Papilografia - avaliação do nervo óptico
 
Ceratite bacteriana
Ceratite bacterianaCeratite bacteriana
Ceratite bacteriana
 
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de CoroideHipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
 
Alergias oculares
Alergias ocularesAlergias oculares
Alergias oculares
 
Síndrome Sturge-Weber - caso e revisão da literatura
Síndrome Sturge-Weber - caso e revisão da literaturaSíndrome Sturge-Weber - caso e revisão da literatura
Síndrome Sturge-Weber - caso e revisão da literatura
 
Hanseníase - acometimento ocular
Hanseníase - acometimento ocularHanseníase - acometimento ocular
Hanseníase - acometimento ocular
 
Retinopatia diabética
Retinopatia diabéticaRetinopatia diabética
Retinopatia diabética
 
Fundoscopia para iniciantes
Fundoscopia para iniciantesFundoscopia para iniciantes
Fundoscopia para iniciantes
 

Presbiopia

  • 1. PRESBIOPIA R2 OFT Pietro B. de Azevedo 05/02/2015
  • 2. Definição • Grego: presbys = velho + ops = visão • Redução fisiológica da amplitude de acomodação • Capacidade de focalização do olho insuficiente para suprir a demanda visual de perto • 38-48 anos
  • 3. • A idade é determinante • Quanto maior a idade, menor a capacidade de acomodação do cristalino • Esforço acomodativo é maior para alvos próximos
  • 4. Sintomas • Dificuldade de enxergar para perto • Inicialmente, à tarde e à noite • Fadiga ocular após breve período de leitura • “síndrome do braço curto”
  • 5. Teorias • HELMHOLTZ-HESS-GULLSTRAND o Perda da elasticidade do cristalino e sua cápsula o Mais aceita e única comprovada • Donders-Duane-Fincham o Enfraquecimento do m. ciliar • Schachar o Aumento do diâmetro equatorial do cristalino
  • 6. Conceitos 1 • Demanda acomodativa (DA) o Quantas dioptrias o olho deve acomodar para focalizar a imagem na retina o Olhando para o infinito: DA = zero o Para perto: DA = 1/d DA no hipermétrope > míope Leitura a 40cm: 1/0,4m  DA = +2,50D ...se hipermétrope de +2,00: DA = +4,50D ...míope de -2,00: DA = +0,50D
  • 7. Conceitos 2 • Capacidade acomodativa (CA) o Mede o esforço acomodativo máximo o Ponto próximo de acomodação (PPA) CA = 1/PPA ...se PPA = 12,5cm  CA = 8D (1/0,125m) Régua de Prince
  • 8. Conceitos 3 • Amplitude de acomodação (AA) o CA (1/PPA) + refração AA = CA + refração ...se PPA = 12,5cm ...se hipermétrope de +2,00: AA = 8 + 2 = 10D ...míope de -2,00: AA = 8 + (-2) = 6D AA no hipermétrope > míope
  • 10. Acomodando… • Córnea: não se altera • Câmara anterior: diminuição de sua amplitude, aumento da curvatura do cristalino • Pupila: miose • Cristalino: aumento da espessura, aumento principalmente curvatura anterior • Zônula: relaxamento por ação do músculo ciliar • Músculo ciliar: traciona a coroide e o corpo ciliar para a frente, relaxa zônula
  • 11. Tratamento • ADIÇÃO é o grau é adicionado à lente corretora do vício de refração para proporcionar visão nítida de perto • Aumenta o alcance da visão para perto, mas diminui a visão intermediária e de longe • Prescrever a menor adição possível que proporcione boa visão e conforto visual
  • 13. • A idade pode ser usada como referência Hofstetter, H. W. (1947)
  • 14. Método 1 Adição = DA – RA ou Adição = (DA + RA) – CA ...Exemplo: Ler a 40cm  DA = +2,50D PPA é 50cm  CA = 2D Adição = (2,5 + 1) – 2 = +1,50 *Manter 33-50% de reserva acomodativa para maior conforto *RA = CA/2 **CA = 1/PPA
  • 15. Método 2 Adição = (DA – adição do teste) + adição/3 ...Exemplo: Ler a 40cm  DA = +2,50D J.1 com +1,50D Adição = (2,50 – 1,50) + 0,50 = +1,50 *Manter 33-50% de reserva acomodativa para maior conforto
  • 16. Método 3 Adição = lente “boa” – lente “ruim”/2 ...Exemplo: J.1 com +1,00D J.2 com +2,00D Adição = 1 + 2 /2 = +1,50 *Manter 33-50% de reserva acomodativa para maior conforto
  • 17. Lentes • Monofocais o Ótima qualidade de imagem (confecção simples) o Boa opção para emétropes o Preferencialmente em meia armação, faculta o olhar por cima das lentes
  • 18. Lentes • Bifocais o Visão de perto e longe com um único óculos o Salto de imagem e deslocamento vertical do CV o Tipos • Flat-top: miopia ou hiper, qndo add > • Ultex ou Ballux: hiper, qndo add < • Kriptok: hiper, ando add = Obs: o topo do segmento bifocal deve ficar alinhado com o limbo inferior, 5-5,5 mm abaixo do centro pupilar. Exceto no 1o bifocal, 1-mm abaixo para facilitar a deambulação
  • 19. Lentes • Multifocais ou progressivas o A progressão de longe-perto é proporcionada pelo desenho da curvatura anterior o Campos visuais de longe e de perto menos amplos que os bifocais e afunilamento do campo de visão intermediário o Lentes mais confortáveis são aquelas com desenhos mais sofisticados, maior abertura de túnel, progressão suave e montagem sob medida
  • 20. Lentes • Regressivas ou semi-progressivas o Área lateral de visão maior • Indicadas para présbitas que trabalham com computador, pranchetas, partituras • Quantidade de regressão é determinada pela adição