SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
Biofísica do Olho Humano
Trabalho realizado por:
Diogo Alves Nº85925
Eduardo Gomes Nº85110
Objetivos
• Compreender como funciona o olho humano
do ponto de vista físico.
• Associar doenças conhecidas a fatores
físicos.
Anatomia do Olho Humano
Do ponto de vista físico, o olho humano comporta-
se como uma câmara fotográfica, cuja lente é
convergente e forma um objeto invertido e
reduzido na retina.
Cristalino = lente flexível
Propriedades do olho humano
• O olho humano tem uma capacidade incrível de captação de
imagens, quer em ambientes de alta ou de baixa iluminação
(controlado pela retina).
• Graças ao músculo ciliar, o cristalino altera a sua curvatura, o que
permite adaptar a distância focal da lente mediante a posição do
objeto/alvo.
Propriedades do olho humano
• Numa pessoa dita “normal”, a distância mínima a que um objeto
está focado, é 25cm – ponto próximo.
• A perceção da profundidade é o que nos permite ver o mundo a 3D;
Situações desviantes ao olho “normal”
• Miopia:
• Hipermetropia;
• Astigmatismo;
Dopamina
Vitamina D3 - colecalciferol
Miopia
• O que é?
• A miopia corresponde a um erro refrativo, ou seja, uma alteração
da morfologia do globo ocular que afeta a forma como as imagens
são formadas e transmitidas ao cérebro.
• Caracteriza-se pela má visão à distância.
Miopia
Porque ocorre?
• Ocorre devido a um defeito de convergência
dos raios luminosos, o que faz com que a
imagem de objetos distantes se forme à
frente da retina, em vez de na própria
retina.
• Isto leva a que os objetos distantes sejam
vistos desfocados, equanto que os objetos
próximos parecem normais.
Miopia
Como corrigir?
• A correção consegue-se normalmente por intermédio do uso de
óculos e de lentes de contacto adaptadas (lentes divergentes).
Tanto os óculos como as lentes de contacto compensam o erro
refrativo causado pela miopia mas não a curam nem impedem a
sua progressão.
Hipermetropia
• O que é?
• A Hipermetropia é um erro refrativo
em que as imagens são formadas
atrás da retina.
• O doente vê mal ao perto e ao longe
e para que as imagens sejam nítidas,
este efetua um grande esforço
ocular.
Hipermetropia
Porque ocorre?
• A hipermetropia pode ter duas causas essenciais: ou pela córnea
ter a sua curvatura alterada, isto é ser mais plana que o normal,
ou porque o comprimento do olho é menor em relação à
normalidade.
Hipermetropia
Como corrigir?
• O tratamento (correção do erro refrativo) pode ser efetuado com
óculos, lentes de contacto convergentes ou por operação através
de laser (LASIK).
Astigmatismo
O que é?
• O astigmatismo é um erro
refrativo num determinado eixo,
em que a imagem na retina
surge desfocada.
• As imagens transmitidas ao
cérebro estão desfocadas ou
distorcidas provocando visão
turva ou visão “embaçada”.
Astigmatismo
Porque ocorre?
• No olho com astigmatismo, os objetos são focados
em mais do que um ponto, distorcendo desta forma
a visão, isto é, as imagens sofrem uma distorção ao
passarem pela córnea e, como tal, surgem
desfocadas quando projetadas na retina.
Astigmatismo
Como corrigir?
• O tratamento para o astigmatismo passa pela correção do erro
refrativo. Qualquer astigmatismo pode ser corrigido através de
óculos, lentes de contato ou mesmo através de uma operação.
• O astigmatismo ocular pode ser compensado com uma lente tórica
(lente cilíndrica) que vai compensar a deficiência corneana.
Síntese Biofísica das “anomalias”
Síntese Biofísica das “anomalias”
Estereopsia
• Estereopsia é o nome que se dá ao processo
de percepção visual que nos permite
observar o mundo que nos rodeia a três
dimensões.
• Esse precesso é feito através da visão
binocular.
Estereopsia: Visão
Binocular
• Na visão binocolar, as imagens são
captadas pelos olhos individualmente e
transmitidas ao cérebro;
• Este deve ser capaz de medir essas
diferenças e fundi-las, resultando numa
visão estéreo ou também denominada
estereopsia.
Esteropsia: Visão Binocular
• É imprescindível para a orientação, uma vez que
nos fornece informações sobre as distância dos
objetos;
• Defeitos na visão binocular podem levar a certas
doenças, tais como: estrabismos e anisometrias
(diferenças muito grandes entre olhos);
Conclusão
Este trabalho proporcionou-nos uma perspetiva mais integradora entre as duas áreas, biologia e
física, pois em todos os organismos a física está presente e é involuntária, desde os mais simples aos
mais complexos mecanismos.
O olho humano é muito mais que apenas uma parte biológica do nosso corpo pois é perfeitamente
identificável uma simbiose entre a física e a biologia, pois são ambas responsáveis pela perceção
que temos do mundo.
Foi interessante compreendermos a relação que existe entre duas partes da ciência tão diferentes,
mas com tanto em comum!
Webgrafia
https://www.saudebemestar.pt
https://www.google.pt/imghp
https://www.wikipedia.org/
http://www.aulas-fisica-quimica.com/8f_19.html
http://www.fisioterapiaparatodos.com/p/doencas-
dos-olhos/hipermetropia-astigmatismo-e-miopia/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Miopia, hipermetropia e astigmatismo
Miopia, hipermetropia e astigmatismoMiopia, hipermetropia e astigmatismo
Miopia, hipermetropia e astigmatismofredmacedo2000
 
Óptica - O olho humano
Óptica - O olho humanoÓptica - O olho humano
Óptica - O olho humanoGabriela G.
 
Geoquímica: uma introdução
Geoquímica: uma introduçãoGeoquímica: uma introdução
Geoquímica: uma introduçãoOficina de Textos
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BFísica Química A
 
158525481 aula-9-parede-celular
158525481 aula-9-parede-celular158525481 aula-9-parede-celular
158525481 aula-9-parede-celularPatrícia Brinati
 
Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2Grazi Grazi
 
Propriedades opticas e termicas 2015 2
Propriedades opticas e termicas 2015 2Propriedades opticas e termicas 2015 2
Propriedades opticas e termicas 2015 2fanylima
 
Manual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia IManual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia IGabriela Leal
 
Revestimento Do Corpo Dos Animais
Revestimento Do Corpo Dos AnimaisRevestimento Do Corpo Dos Animais
Revestimento Do Corpo Dos AnimaisTânia Reis
 
Vertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamental
Vertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamentalVertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamental
Vertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamentalRosana Cunha Bueno
 
aula 3 energia térmica 7 ano.pptx
aula 3 energia térmica 7 ano.pptxaula 3 energia térmica 7 ano.pptx
aula 3 energia térmica 7 ano.pptxGabrielGomes556466
 

Mais procurados (20)

Reino Protoctista - Algas
Reino Protoctista - AlgasReino Protoctista - Algas
Reino Protoctista - Algas
 
Miopia, hipermetropia e astigmatismo
Miopia, hipermetropia e astigmatismoMiopia, hipermetropia e astigmatismo
Miopia, hipermetropia e astigmatismo
 
Óptica - O olho humano
Óptica - O olho humanoÓptica - O olho humano
Óptica - O olho humano
 
Geoquímica: uma introdução
Geoquímica: uma introduçãoGeoquímica: uma introdução
Geoquímica: uma introdução
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º B
 
Os ossos
Os ossosOs ossos
Os ossos
 
158525481 aula-9-parede-celular
158525481 aula-9-parede-celular158525481 aula-9-parede-celular
158525481 aula-9-parede-celular
 
Animais invertebrados parte 2
Animais invertebrados   parte 2Animais invertebrados   parte 2
Animais invertebrados parte 2
 
O sistema visual
O sistema visualO sistema visual
O sistema visual
 
7º 4.2.
7º 4.2. 7º 4.2.
7º 4.2.
 
Verbenaceae
VerbenaceaeVerbenaceae
Verbenaceae
 
Propriedades opticas e termicas 2015 2
Propriedades opticas e termicas 2015 2Propriedades opticas e termicas 2015 2
Propriedades opticas e termicas 2015 2
 
Manual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia IManual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia I
 
Ligas metálicas odontológicas
Ligas metálicas odontológicasLigas metálicas odontológicas
Ligas metálicas odontológicas
 
Aula 2 tectonica placas
Aula 2 tectonica placasAula 2 tectonica placas
Aula 2 tectonica placas
 
Revestimento Do Corpo Dos Animais
Revestimento Do Corpo Dos AnimaisRevestimento Do Corpo Dos Animais
Revestimento Do Corpo Dos Animais
 
Vertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamental
Vertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamentalVertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamental
Vertebrados - protocordados - cordados - 7º ano ensino fundamental
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
 
Biofísica da visão
Biofísica da visãoBiofísica da visão
Biofísica da visão
 
aula 3 energia térmica 7 ano.pptx
aula 3 energia térmica 7 ano.pptxaula 3 energia térmica 7 ano.pptx
aula 3 energia térmica 7 ano.pptx
 

Semelhante a Biofísica do olho humano

óptica da visão
óptica da visãoóptica da visão
óptica da visãorosana_maia
 
Óptica da visão professor waldir montenegro
Óptica da visão professor  waldir montenegroÓptica da visão professor  waldir montenegro
Óptica da visão professor waldir montenegroWaldir Montenegro
 
Aula 6-optica-da-visao.pptx
Aula 6-optica-da-visao.pptxAula 6-optica-da-visao.pptx
Aula 6-optica-da-visao.pptxMuriloMartins47
 
olho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visaoolho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visaonunofq
 
Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2Yasmin Amorim
 
Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo Marcelo Silva
 
Miopia, hipermetropia e astigmatismo FQ
Miopia, hipermetropia e astigmatismo FQMiopia, hipermetropia e astigmatismo FQ
Miopia, hipermetropia e astigmatismo FQ24261josecastro
 
Trabalho de óptica (unip)
Trabalho de óptica (unip)Trabalho de óptica (unip)
Trabalho de óptica (unip)Alberto Campos
 
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticosDefeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticosparamore146
 
Os nossos olhos e defeitos
Os nossos olhos e defeitosOs nossos olhos e defeitos
Os nossos olhos e defeitosRussinha-9
 
● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●
● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●
● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●inesofia26
 
Biofísica da Visão
Biofísica da VisãoBiofísica da Visão
Biofísica da VisãoSarah Noleto
 

Semelhante a Biofísica do olho humano (20)

Óptica da visão
Óptica da visãoÓptica da visão
Óptica da visão
 
Olho Humano
Olho HumanoOlho Humano
Olho Humano
 
Problemas de visão
Problemas de visão Problemas de visão
Problemas de visão
 
óptica da visão
óptica da visãoóptica da visão
óptica da visão
 
Óptica da visão professor waldir montenegro
Óptica da visão professor  waldir montenegroÓptica da visão professor  waldir montenegro
Óptica da visão professor waldir montenegro
 
Aula 6-optica-da-visao.pptx
Aula 6-optica-da-visao.pptxAula 6-optica-da-visao.pptx
Aula 6-optica-da-visao.pptx
 
Óptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostilaÓptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostila
 
olho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visaoolho humano-defeitos_visao
olho humano-defeitos_visao
 
ametropias.ppt
ametropias.pptametropias.ppt
ametropias.ppt
 
Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2Lentes marista parte 2
Lentes marista parte 2
 
Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo Biofísica da Visãƒo
Biofísica da Visãƒo
 
Entenda os tipos de visão
Entenda os tipos de visãoEntenda os tipos de visão
Entenda os tipos de visão
 
Miopia, hipermetropia e astigmatismo FQ
Miopia, hipermetropia e astigmatismo FQMiopia, hipermetropia e astigmatismo FQ
Miopia, hipermetropia e astigmatismo FQ
 
Trabalho de óptica (unip)
Trabalho de óptica (unip)Trabalho de óptica (unip)
Trabalho de óptica (unip)
 
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticosDefeitos da visao_instrumentos_opticos
Defeitos da visao_instrumentos_opticos
 
Defeitos da Visão
Defeitos da VisãoDefeitos da Visão
Defeitos da Visão
 
O olho humano
O olho humanoO olho humano
O olho humano
 
Os nossos olhos e defeitos
Os nossos olhos e defeitosOs nossos olhos e defeitos
Os nossos olhos e defeitos
 
● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●
● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●
● PROBLEMAS DE VISÃO (FÍSICO-QUÍMICA) ●
 
Biofísica da Visão
Biofísica da VisãoBiofísica da Visão
Biofísica da Visão
 

Mais de Diogo Alves

A helping habitat for bumblebee
A helping habitat  for bumblebeeA helping habitat  for bumblebee
A helping habitat for bumblebeeDiogo Alves
 
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoCrescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoDiogo Alves
 
Cancro da próstata
Cancro da próstataCancro da próstata
Cancro da próstataDiogo Alves
 
People who fought for freedom
People who fought for freedomPeople who fought for freedom
People who fought for freedomDiogo Alves
 
A Importancia da água
A Importancia da águaA Importancia da água
A Importancia da águaDiogo Alves
 
Animais de circo
Animais de circoAnimais de circo
Animais de circoDiogo Alves
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodicaDiogo Alves
 
Preservação do Património natural
Preservação do Património naturalPreservação do Património natural
Preservação do Património naturalDiogo Alves
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade culturalDiogo Alves
 
Grandezas eléctricas
Grandezas eléctricasGrandezas eléctricas
Grandezas eléctricasDiogo Alves
 
Censura em Portugal
Censura em PortugalCensura em Portugal
Censura em PortugalDiogo Alves
 

Mais de Diogo Alves (13)

A helping habitat for bumblebee
A helping habitat  for bumblebeeA helping habitat  for bumblebee
A helping habitat for bumblebee
 
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoCrescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
 
Cancro da próstata
Cancro da próstataCancro da próstata
Cancro da próstata
 
People who fought for freedom
People who fought for freedomPeople who fought for freedom
People who fought for freedom
 
A Importancia da água
A Importancia da águaA Importancia da água
A Importancia da água
 
Animais de circo
Animais de circoAnimais de circo
Animais de circo
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodica
 
Preservação do Património natural
Preservação do Património naturalPreservação do Património natural
Preservação do Património natural
 
Rodoviária
RodoviáriaRodoviária
Rodoviária
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
Grandezas eléctricas
Grandezas eléctricasGrandezas eléctricas
Grandezas eléctricas
 
Censura em Portugal
Censura em PortugalCensura em Portugal
Censura em Portugal
 
Petróleo
PetróleoPetróleo
Petróleo
 

Último

As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 

Último (20)

As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 

Biofísica do olho humano

  • 1. Biofísica do Olho Humano Trabalho realizado por: Diogo Alves Nº85925 Eduardo Gomes Nº85110
  • 2. Objetivos • Compreender como funciona o olho humano do ponto de vista físico. • Associar doenças conhecidas a fatores físicos.
  • 3. Anatomia do Olho Humano Do ponto de vista físico, o olho humano comporta- se como uma câmara fotográfica, cuja lente é convergente e forma um objeto invertido e reduzido na retina. Cristalino = lente flexível
  • 4. Propriedades do olho humano • O olho humano tem uma capacidade incrível de captação de imagens, quer em ambientes de alta ou de baixa iluminação (controlado pela retina). • Graças ao músculo ciliar, o cristalino altera a sua curvatura, o que permite adaptar a distância focal da lente mediante a posição do objeto/alvo.
  • 5. Propriedades do olho humano • Numa pessoa dita “normal”, a distância mínima a que um objeto está focado, é 25cm – ponto próximo. • A perceção da profundidade é o que nos permite ver o mundo a 3D;
  • 6. Situações desviantes ao olho “normal” • Miopia: • Hipermetropia; • Astigmatismo; Dopamina Vitamina D3 - colecalciferol
  • 7. Miopia • O que é? • A miopia corresponde a um erro refrativo, ou seja, uma alteração da morfologia do globo ocular que afeta a forma como as imagens são formadas e transmitidas ao cérebro. • Caracteriza-se pela má visão à distância.
  • 8. Miopia Porque ocorre? • Ocorre devido a um defeito de convergência dos raios luminosos, o que faz com que a imagem de objetos distantes se forme à frente da retina, em vez de na própria retina. • Isto leva a que os objetos distantes sejam vistos desfocados, equanto que os objetos próximos parecem normais.
  • 9. Miopia Como corrigir? • A correção consegue-se normalmente por intermédio do uso de óculos e de lentes de contacto adaptadas (lentes divergentes). Tanto os óculos como as lentes de contacto compensam o erro refrativo causado pela miopia mas não a curam nem impedem a sua progressão.
  • 10. Hipermetropia • O que é? • A Hipermetropia é um erro refrativo em que as imagens são formadas atrás da retina. • O doente vê mal ao perto e ao longe e para que as imagens sejam nítidas, este efetua um grande esforço ocular.
  • 11. Hipermetropia Porque ocorre? • A hipermetropia pode ter duas causas essenciais: ou pela córnea ter a sua curvatura alterada, isto é ser mais plana que o normal, ou porque o comprimento do olho é menor em relação à normalidade.
  • 12. Hipermetropia Como corrigir? • O tratamento (correção do erro refrativo) pode ser efetuado com óculos, lentes de contacto convergentes ou por operação através de laser (LASIK).
  • 13. Astigmatismo O que é? • O astigmatismo é um erro refrativo num determinado eixo, em que a imagem na retina surge desfocada. • As imagens transmitidas ao cérebro estão desfocadas ou distorcidas provocando visão turva ou visão “embaçada”.
  • 14. Astigmatismo Porque ocorre? • No olho com astigmatismo, os objetos são focados em mais do que um ponto, distorcendo desta forma a visão, isto é, as imagens sofrem uma distorção ao passarem pela córnea e, como tal, surgem desfocadas quando projetadas na retina.
  • 15. Astigmatismo Como corrigir? • O tratamento para o astigmatismo passa pela correção do erro refrativo. Qualquer astigmatismo pode ser corrigido através de óculos, lentes de contato ou mesmo através de uma operação. • O astigmatismo ocular pode ser compensado com uma lente tórica (lente cilíndrica) que vai compensar a deficiência corneana.
  • 16. Síntese Biofísica das “anomalias”
  • 17. Síntese Biofísica das “anomalias”
  • 18. Estereopsia • Estereopsia é o nome que se dá ao processo de percepção visual que nos permite observar o mundo que nos rodeia a três dimensões. • Esse precesso é feito através da visão binocular.
  • 19. Estereopsia: Visão Binocular • Na visão binocolar, as imagens são captadas pelos olhos individualmente e transmitidas ao cérebro; • Este deve ser capaz de medir essas diferenças e fundi-las, resultando numa visão estéreo ou também denominada estereopsia.
  • 20. Esteropsia: Visão Binocular • É imprescindível para a orientação, uma vez que nos fornece informações sobre as distância dos objetos; • Defeitos na visão binocular podem levar a certas doenças, tais como: estrabismos e anisometrias (diferenças muito grandes entre olhos);
  • 21.
  • 22. Conclusão Este trabalho proporcionou-nos uma perspetiva mais integradora entre as duas áreas, biologia e física, pois em todos os organismos a física está presente e é involuntária, desde os mais simples aos mais complexos mecanismos. O olho humano é muito mais que apenas uma parte biológica do nosso corpo pois é perfeitamente identificável uma simbiose entre a física e a biologia, pois são ambas responsáveis pela perceção que temos do mundo. Foi interessante compreendermos a relação que existe entre duas partes da ciência tão diferentes, mas com tanto em comum!