SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO PARA OS
ORIENTADORES DE
ESTUDO E
COORDENADORES
Produção de textos orais e
escritos
Equipe RN
NOVEMBRO-2016MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERA DO RIO GRANDE DO NORTE
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTO
PAUTA – Produção de textos orais e escritos
1. Rede de ideias: Produção de textos orais e escritos: conceitos e
práticas.
2. Exposição dialogada: Produção de Textos Orais e Escritos –
retomando conceitos
3. Eixo: Oralidade - Exploração dos Objetivos de Aprendizagem
(conhecimentos e capacidades) e propostas de atividades
Rede de Ideias
Produção de Textos Orais e Escritos:
conceitos e práticas
•O que são textos?
•O que caracteriza as atividades de produção de textos?
•Quais textos orais são trabalhados na escola? Como?
•Quais textos escritos circulam na escola? Em quais
situações?
Como as crianças têm acesso a esses textos?
•Quais práticas de produção de textos escritos (pelas
crianças) são desenvolvidas na escola?
•Em que constitui revisar textos escritos?
•Como acontece essa prática na escola?
Produção de Textos Orais e
Escritos
Retomando conceitos
Alfabetização e Letramento:
especificidades e relações
Alfabetização – processo específico de apropriação do
sistema de escrita que envolve duas dimensões
indissociáveis:
Apropriação do sistema de escrita alfabético –
compreensão, pelo aprendiz, de como funciona a
representação alfabética, da relação escrita e língua oral;
Desenvolvimento de habilidades de produção (escrita) e
compreensão (leitura) de textos escritos de diversos
gêneros.
Alfabetização e Letramento:
especificidades e relações
Letramento
- Processo que acontece mediante a inserção e participação
das pessoas nas práticas culturais que envolvem a língua
ESCRITA em suas múltiplas manifestações e objetivos sociais;
Alfabetização e Letramento:
especificidades e relações
Envolve:
-usos sociais de leitura e de escrita - mesmo que elas não sejam
alfabetizadas – que façam isso com ajuda.
-usos efetivos e competentes da escrita quando a pessoa é
alfabetizada;
-Envolve mudanças que acontecem nas pessoas (nos seus modos de
“funcionar” mentalmente – jeitos de pensar, agir, falar), a partir dessa
inserção nas práticas de escrita e leitura.
O letramento cria uma condição diferente de ser/estar na vida
social.
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Processos específicos e interdependentes, intercomplementares. É preciso
alfabetizar letrando.
Alfabetizar, na perspectiva do letramento, implica em organizar/sistematizar
situações de aprendizagem e apropriação dos gêneros textuais como eixo
central do ensino, garantindo o domínio do funcionamento do sistema
alfabético com vistas ao engajamento autônomo do aluno nos eventos sociais,
mediados pela escrita.
A alfabetização não precede o letramento, porque os dois processos podem ser
ensinados-aprendidos como simultâneos.
PRODUZIR TEXTO - O QUE É TEXTO?
•Texto é uma sequência verbal (palavras), oral ou escrita, que forma um todo que tem
sentido para um determinado grupo de pessoas em uma determinada situação.
•Um texto é um “dizer”. Tem: um autor (quem diz), um conteúdo (o que dizer), um
objetivo (para que dizer), um destinatário (para quem dizer) e uma estratégia, um modo
(como dizer).
•O texto pode ter uma extensão variável: uma palavra, uma frase ou um conjunto maior
de enunciados, mas ele obrigatoriamente necessita de um contexto significativo para
existir.
•Seu nível de linguagem pode ser formal, coloquial, informal ou técnico.
O QUE É TEXTUALIDADE?
•Textualidade é um conjunto de características que faz com que um texto seja
considerado como tal e não, como um amontoado de palavras e frases.
 Você foi visitar um amigo que está hospitalizado e, pelos corredores, você vê
placas com a palavra "Silêncio".
 A palavra "Silêncio" está dentro de um contexto significativo por meio do qual
as pessoas interagem: você, como leitor das placas, e os administradores do
hospital, que têm a intenção de comunicar a necessidade de haver silêncio
naquele ambiente.
 Assim, a palavra "Silêncio" é um texto.
O QUE É TEXTUALIDADE?
Dois blocos de sete fatores são os responsáveis pela textualidade
em qualquer discurso:
 Fatores semânticos (coerência e coesão);
 Fatores pragmáticos (intencionalidade, aceitabilidade,
situacionalidade, informatividade e intertextualidade).
TIPOS TEXTUAIS
Referem-se à estrutura composicional do texto.
Hoje, admite-se cinco tipos textuais: descrição, narração,
dissertação, exposição e injunção.
Você sabia que os textos injutivos são aqueles que indicam
procedimentos a serem realizados? Nesses textos, as frases,
geralmente, são no modo imperativo. Bons exemplos desse tipo de
texto são as receitas e os manuais de instrução.
TIPOS E GÊNEROS TEXTUAIS
• Os gêneros textuais são praticamente infinitos, visto que são
textos orais e escritos produzidos por falantes de uma língua em
um determinado momento histórico.
• Os gêneros textuais, portanto, são diretamente ligados às práticas
sociais.
• Alguns exemplos de gêneros textuais são carta, bilhete, aula,
conferência, e-mail, artigo, entrevista, discurso.
• Assim, um tipo textual pode aparecer em qualquer gênero textual.
Da mesma forma, um único gênero pode conter mais de um tipo
textual. Uma carta, por exemplo, pode ter passagens narrativas,
descritivas, injuntivas e assim por diante.
GÊNEROS TEXTUAIS
•Situação determina qual usar. Gênero de texto refere-se às diferentes formas de
expressão textual.
•O que podemos fazer quando queremos:
 Saber como chegar a um endereço desconhecido por nós? Consultar o "guia de ruas" da
nossa cidade, ou perguntar a alguém que conhece o trajeto...
 Escolher um filme para ir assistir no cinema? Pesquisar no jornal ou pedir opinião a um
amigo...
 Conversar com parentes que estão longe? Telefonar, mandar carta ou e-mail...
 Criar um clima de descontração com amigos? Contar piadas, conversar...
 Distrair uma criança? Ler um conto de fadas, brincar de adivinhações...
•Em todas as situações acima, usamos diferentes gêneros de texto (a definição de
texto, aliás, é um enunciado verbal que faz sentido em para alguém em
determinada situação).
GÊNEROS TEXTUAIS
Situações diversas, finalidades diversas, diferentes gêneros. Não
importa qual o gênero, todo texto pode ser analisado sob três
características:
 O assunto: o que pode ser dito através daquele gênero;
 O estilo: as palavras, expressões, frases selecionadas e o modo
de organizá-las;
 O formato: a estrutura em que cada agrupamento textual é
apresentado.
Produção de Texto
Elementos Necessários:
 A quem o texto se destina;
 O propósito que justifica o ato de produzir o texto;
 A mensagem: o que vai ser dito;
 O gênero: se é uma carta, um poema, uma história, um relatório, uma
crônica, uma notícia, ou um cartaz;
 O portador: se vai ser publicado em um livro, vai para o mural, ou ficará
no próprio caderno.
 Todos os aspectos relacionados com a escrita: coerência, adequação da
linguagem, gramática, pontuação, ortografia;
 A necessidade de revisar o texto pronto, de fazer uma leitura crítica que
avalie sua qualidade e sua eficácia.
Eixo: Oralidade
Objetivos de Aprendizagem
Conhecimentos e Capacidades
•Participar de interações orais em sala de aula, questionando, sugerindo, argumentando e
respeitando os turnos de fala.
•Escutar com atenção textos de diferentes gêneros, sobretudo os mais formais, comuns em
situações públicas, analisando-os criticamente.
•Planejar intervenções orais em situações públicas: exposição oral, debate, contação de história.
•Produzir textos orais de diferentes gêneros, com diferentes propósitos, sobretudo os mais
formais comuns em instâncias públicas (debate, entrevista, exposição, notícia, propaganda, relato
de experiências orais, dentre outros).
•Analisar a pertinência e a consistência de textos orais, considerando as finalidades e
características dos gêneros.
•Reconhecer a diversidade linguística, valorizando as diferenças culturais entre variedades
regionais, sociais, de faixa etária, de gênero dentre outras.
•Relacionar fala e escrita, tendo em vista a apropriação do sistema de escrita, as variantes
linguísticas e os diferentes gêneros textuais.
•Valorizar os textos de tradição oral, reconhecendo-os como manifestações culturais.
Ver: Caderno 01 – Ano 01
Propostas de Atividades
•Rodas de leitura para contar histórias e combinar com os alunos
momentos em que eles possam compartilhar os livros lidos;
•Leitura de parlendas, cantigas, trava-línguas, quadras, trovas, brincos,
acalantos (discussão sobre o que mais chamou a atenção: a sonoridade,
a organização textual, a linguagem utilizada e a musicalidade do texto);
•Reconto pelos alunos inserindo novos elementos: tempo, espaço,
personagens, fatos....novo desfecho;
•Sugerir que os alunos lembrem dos contos que conhecem e digam de
memória (propor que escolham o que mais gostam e falem para a
turma).
•Gravar as “contações” e “recontações”, ouvir e analisar, revisar.
Propostas de Atividades
•Entrevistas e troca de correspondência em que os alunos possam elaborar e fazer perguntas;
•Discussões que façam as crianças compreenderem e distinguirem as características da
linguagem oral e da linguagem escrita;
•Saraus literários para que os alunos possam narrar ou recontar histórias, declamar poesias,
parlendas, trava-línguas;
•Exposições, em que os alunos possam expor oralmente um tema, usando suporte escrito, tais
como: cartazes, roteiro, para apoiar sua fala, entre outros. Exemplo: Seminário.
•Rodas de conversa em que os alunos possam escutar e narrar fatos conhecidos e falar sobre
assuntos estudados. Ver Exemplo:
Exemplo de Roda de Conversa “temática”
1 – O professor(a) deve organizar dois saquinhos ou duas caixinhas.
Em um(a) colocar conter cartões com os nomes das crianças e o seu.
No(a) outro(a), cartões com palavras que evoquem temas, fatos, sentimentos
(por exemplo: medo, tristeza, surpresa, alegria, raiva, emoção) e outros mais
que desejar.
•Explicar às crianças que uma vez por semana (defina um dia e horário fixo em
sua rotina) vocês farão esta roda, para falar sobre os temas sorteados.
•Além dos que foram propostos, solicite que as crianças escrevam, com uma
única palavra, sobre algum assunto do qual gostaria de falar, para que possam
se conhecer e se aproximar mais.
Exemplo de Roda de Conversa “temática”
2 - No dia definido, será sorteado o nome de três crianças da turma e um tema
para conversa.
•Uma vez sorteado o tema, as crianças sorteadas deverão falar sobre alguma
experiência, algum fato ocorrido que já viveu ou viu alguém próximo do seu convívio
viver, ou que ficou sabendo;
•Por exemplo: Se sair o tema ENGRAÇADO, a criança deverá relatar algo de
engraçado que já aconteceu com ela ou com algum familiar. Se não se lembrar de
nenhum fato próprio, pode contar também uma piadinha (infantil), por exemplo.
•Para esse dia, as três crianças terão maior tempo para relatar e motivar o assunto
proposto, o que certamente não deve impedir a interação dos demais. Caberá ao(à)
professor(a) a perspicácia de conduzir e orientar o momento.
Exemplo de Roda de Conversa “temática”
3 - Uma vez que “todas” conseguirem se expressar, as crianças podem
ser orientadas para registrar, por meio de um texto escrito (produzido
segundo sua hipótese de escrita – do jeito que sabe escrever) uma das
histórias contadas (reconto) ou que registre uma experiência pessoal, de
acordo com o tema sorteado no dia.
Essas atividades poderão propiciar a experimentação, pelas crianças (e seu
desenvolvimento) de capacidade de relatar (expressão e interpretação) fatos,
experiências, sentimentos, com COERÊNCIA E CLAREZA, aumentando seus
recursos expressivos – seu vocabulário, sua articulação textual.
Eixos: Produção de Textos e
Análise Linguística (discurso
e norma)
Objetivos de Aprendizagem
Conhecimentos e Capacidades
• Produção de Textos
Escritos
• Planejar a escrita de textos considerando o
conteúdo de produção: organizar roteiros, planos
gerais para atender a diferentes finalidades, com
ajuda de escriba.
• Planejar a escrita de textos considerando o
contexto de produção: organizar roteiros, planos
gerais para atender a diferentes finalidades, com
autonomia.
• Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a
diferentes finalidades, por meio da atividade de
um escriba.
• Produzir textos de diferentes gêneros com
autonomia, atendendo a diferentes finalidades.
• Análise Linguística:
discurso e norma
• Analisar a adequação de um texto (lido, escrito
ou escutado) aos interlocutores e à
formalidade do contexto ao qual se destina.
• Conhecer e usar diferentes suportes textuais,
tendo em vista suas características: finalidades,
esfera de circulação, tema, forma de
composição, estilo, etc.
Produção de Textos Escritos
No Contexto de Projetos / Temas de Pesquisa
Escrever para registrar, sistematizar, classificar, divulgar, catalogar, descrever...
O QUE É ESCRITO:
•Listas de termos, informações, atividades, características;
•Classificação de dados;
•Catálogos, fichas, guias, folhetos para exposições de materiais;
•Notícias relacionadas ao tema;
•Artigos de livros e revistas;
•Legendas de imagens;
•Entrevistas;
•Relatórios de experiências, de aulas passeio;
•Dossiês, Descrições, Álbuns;
•Resenhas de filmes / artigos;
•Textos literários: outros modos de compreender o tema;
•Textos informativos: síntese coletiva.
Propostas de Atividades
Propostas de escrita ou reescrita de textos individual, em duplas ou grupos;
Assumir a posição de escriba nas situações em que os alunos produzem um texto
oralmente com destino escrito;
Propostas de produção de textos definindo o leitor, o propósito e o gênero de acordo
com a situação comunicativa;
Situações para ensinar procedimentos de escrita (planejar, redigir rascunhos, revisar e
cuidar da apresentação).
1º Momento: Análise de Atividades de Produção Textual
Ver Exemplos de Atividades – Produção de Textos Escritos
Objetivos de Aprendizagem
Conhecimentos e Capacidades
• Produção de Textos
Escritos
• Gerar e organizar o conteúdo textual,
estruturando os períodos e utilizando recursos
coesivos para articular ideias e fatos.
• Revisar coletivamente os textos durante o
processos de escrita em que o professor é
escriba, retomando as partes já escritas e
planejando os trechos seguintes.
• Revisar autonomamente os textos durante o
processo de escrita, retomando as partes já
escritas e planejando os trechos seguintes.
• Revisar os textos após diferentes versões,
reescrevendo-os de modo a aperfeiçoar as
estratégias discursivas.
• Análise Linguística:
discurso e norma
• Conhecer e usar palavras ou expressões que
estabelecem a coesão como: progressão do
tempo, marcação do espaço e relações de
causalidades.
• Conhecer e usar palavras ou expressões que
retomam coesivamente o que já foi escrito
(pronomes pessoais, sinônimos e
equivalentes).
• Usar adequadamente a concordância e
reconhecer violações de concordância nominal
e verbal.
Propostas de Atividades
•Sequências didáticas em que os alunos produzam textos com propósitos sociais e
tenham que revisar distintas versões até considerar o texto bem escrito, cuidando da
apresentação final;
•Atividades de revisão coletiva de textos (ou individual, dupla, grupo), em que os alunos
se coloquem na perspectiva de leitor do texto para melhorá-lo (modificar, substituir
partes do texto, entre outras);
•Atividades de análise de textos bem escritos, ajudando os alunos a observar
atentamente, em textos bem elaborados de autores reconhecidos, como, por exemplo,
o autor resolveu o problema dos diálogos, das repetições, como faz uso da pontuação;
Exibição e Discussão de Vídeo:
Revisar para aprender a
escrever (PROFA)
Revisão Coletiva do Reconto do Texto “O
curupira” – Professora Regina (Turma de
pré-escola / 1º ano)
Objetivos de Aprendizagem
Conhecimentos e Capacidades
• Produção de Textos
Escritos
• Organizar o texto, dividindo-o em
tópicos e parágrafos.
• Pontuar os textos, favorecendo a
compreensão do leitor.
• Utilizar vocabulário diversificado e
adequado ao gênero e as finalidades
propostas.
• Análise Linguística:
discurso e norma
• Identificar e fazer uso de letra
maiúscula e minúscula nos textos
produzidos, segundo as convenções.
• Pontuar o texto.
• Reconhecer diferentes variantes de
registro de acordo com os gêneros e
situações de uso.
• Segmentar palavras em textos.
Propostas de Atividades
•Atividade de reflexão sobre o sistema de pontuação (por exemplo, oferecer texto
escrito todo em letra de fôrma maiúscula, sem os brancos que indicam parágrafo ou
travessão, apenas os espaços em branco, para os alunos discutirem e decidirem a
pontuação);
•Reescrita do próprio texto a partir de observações anotadas previamente pelo
professor;
•Atividade de revisão coletiva, em dupla ou individual para marcar parágrafo e
segmentar o texto, observando o uso de letras maiúsculas.
2º momento: Análise de Atividades de Revisão Textual
Ver arquivo complementar (arquivo word)
Em síntese: revisão de Textos
Reescrita de textos próprios e de outros autores;
Revisão (dos aspectos discursivos) dos próprios textos e dos colegas;
Revisão (dos aspectos discursivos) de textos diversos bem escritos – em especial os
textos literários;
Revisão (dos aspectos ortográficos e gramaticais – quando
necessários à reflexão sobre a língua – dos próprios textos
e dos colegas).
REDE DE IDEIAS...
Ensinando as crianças a “refletirem” sobre a linguagem
quanto à norma – a ortografia.
Quando iniciar o trabalho sistemático de ortografia?
O que sabemos sobre regularidades da escrita?
O que sabemos sobre irregularidades na escrita?
 O uso do dicionário na sala de aula... O que sabemos? E o que fazemos?
REDE DE IDEIAS...
NORMA
ORTOGRÁFICA:
convenção social
O que precisa ser
aprendido por meio
da compreensão – por
que tem regras
Regularidades
O que precisa ser
aprendido por meio
da memorização – não
tem regra
Irregularidades
Vídeo: Ortografia na
sala de aula parte 2
(CEEL – UFPE)
tempo: 14’37s
DISCUSSÃO DO VÍDEO
Objetivos de Aprendizagem
Conhecimentos e Capacidades
Análise Linguística: discurso e norma
•Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com correspondências regulares diretas entre
letras e fonemas (P, B, T, D, F, V);
•Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com correspondências regulares contextuais entre
letras ou grupos de letras e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR; AS/SP/SU em início de
palavras; JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/E ou I em sílaba final; M e N nasalizando final de sílaba; NH;
à ou ÃO em final de substantivos e adjetivos);
•Conhecer e fazer uso de palavras com correspondências irregulares, mas de uso frequente;
•Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e organização.
Propostas de Atividades
• Atividades de reflexão ortográfica (por exemplo, estabelecer com os
alunos um combinado sobre as “palavras em que não vale mais errar”,
listá-las e afixá-las de forma que possam consultá-las caso tenham
dúvidas, entre outras);
• Sistematização e registro das descobertas dos alunos em relação às
regras ortográficas (por exemplo, organizar listas para classificar as
regularidades);
Propostas de Atividades
•Atividades que incentivem a discussão entre alunos para que possam
levantar dúvidas e decidir como escrever uma palavra, por exemplo,
"ditado interativo", leitura com focalização;
•Atividades de uso do dicionário, de forma que os alunos,
progressivamente, adquiram a rapidez necessária para consultá-lo e
encontrar palavras;
•Situações em que os alunos tenham necessidade de fazer uso da ordem
alfabética e algumas de suas aplicações sociais.
1º Momento: SITUAÇÃO PROBLEMA
Andreza, aluna de uma terceira série,
produziu, no início do ano letivo, um texto,
recontando a fábula “O Leão e o Ratinho”.
Numa primeira olhadela, sua professora
comentou comigo, preocupada, que a
aluna estava cometendo muitos erros.
Dentre outras ‘infrações’ à norma, a
criança havia escrito *magestadi (para
majestade) e *bixio (no lugar de bichinho).
Trecho extraído do livro: Ortografia na sala de Aula (cf. Referências)
E agora? Como podemos ajudar
a professora de Andreza?
Que situações didáticas podem
ser proposta na sala de aula?
2º Momento: LEITURA DO TEXTO
COMPARTILHANDO...
CONSIDERAÇÕES para seguirmos pensando:
Para desenvolver um ensino do tipo reflexivo, julgamos necessário que o
professor saiba identificar as regularidade e os casos irregulares de nossa
norma, de modo a poder planejar atividades e sequência didáticas
diferentes: mais adequadas à compreensão e descoberta de regras ou mais
adequadas à memorização. Em ambos os casos, porém, parece-nos
essencial que o aprendiz seja ajudado a tomar consciência das
peculiaridades do objeto que está aprendendo. Isto é, que ele seja levado a
dar-se conta tanto da existência das regularidade como da ausência delas.
(MORAIS, 2007, p. 26)
Análise da proposta de atividade obrigatória –
diagnóstico e atividades
Identificar os objetivos de aprendizagem e atividades que
envolvem os eixos “oralidade” , “produção de textos escritos” e
análise linguística: discursividade, textualidade e normatividade”.
Retomada da atividade de casa:
• Quais atividades envolvem os eixos “oralidade” , “produção de textos
escritos” e análise linguística: discurso e norma”?
•Identifique os conhecimentos e capacidades de cada eixo que estão
contemplados nas atividades (observar quadros dos direitos – Unidade 01
– Ano 01)
•Planejamento de três atividades que podem ser propostas no 1º, 2º e 3º
anos (observar quadros de acompanhamento da aprendizagem das
crianças: sugestão de instrumento de registro da aprendizagem – Unidade
01 - Ano 01, 02 e 03) .
•Socialização dos Grupos.
REFERÊNCIAS
SILVA, Alexsandro da. Et al. Ortografia na sala de aula. ed., 1. reimp. – Belo
Horizonte: Autêntica, 2007.
Brasil. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão
Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: currículo
inclusivo: o direito de ser alfabetizado: ano 3: unidade 1 / Ministério da
Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão
Educacional. -- Brasília : MEC, SEB, 2012.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Produção e revisão de textos
Produção e revisão de textosProdução e revisão de textos
Produção e revisão de textos
Marilene Rangel Rangel
 
2ª formação leitura e escrita
2ª formação   leitura e escrita2ª formação   leitura e escrita
2ª formação leitura e escrita
PNAIC UFSCar
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Vera Marlize Schröer
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
Cirlei Santos
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
Ananda Lima
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Adriana Pereira
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
henriqueocarvalho
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Magda Marques
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
Magda Marques
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
Luiza Carvalho
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
Magda Marques
 
Planejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 anoPlanejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Aprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escritaAprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escrita
Universidade Federal do Amazonas
 
Estratégias de leitura 5 ano
Estratégias de leitura 5 anoEstratégias de leitura 5 ano
Estratégias de leitura 5 ano
pedagogicosjdelrei
 
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _  História em QuadrinhosProjeto de Leitura _  História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Patrícia Fernanda da Costa Santos
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
LianeMagnolia
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
Blog Amiga da Pedagogia By Nathália
 
Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre Português e Matemática.
Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre  Português e Matemática.Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre  Português e Matemática.
Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre Português e Matemática.
Mary Alvarenga
 
LEITURA
LEITURALEITURA
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Elizabet Tramontin Silveira Camargo
 

Mais procurados (20)

Produção e revisão de textos
Produção e revisão de textosProdução e revisão de textos
Produção e revisão de textos
 
2ª formação leitura e escrita
2ª formação   leitura e escrita2ª formação   leitura e escrita
2ª formação leitura e escrita
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
 
Planejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 anoPlanejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 ano
 
Aprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escritaAprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escrita
 
Estratégias de leitura 5 ano
Estratégias de leitura 5 anoEstratégias de leitura 5 ano
Estratégias de leitura 5 ano
 
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _  História em QuadrinhosProjeto de Leitura _  História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre Português e Matemática.
Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre  Português e Matemática.Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre  Português e Matemática.
Projeto interdisciplinar: Traçando saberes entre Português e Matemática.
 
LEITURA
LEITURALEITURA
LEITURA
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 

Destaque

Pnaic 2016 ii encontro planejamento
Pnaic 2016 ii encontro planejamento Pnaic 2016 ii encontro planejamento
Pnaic 2016 ii encontro planejamento
Claudio Pessoa
 
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel SoléObjetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Bete Feliciano
 
Sugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanal
Sugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanalSugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanal
Sugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanal
Bete Feliciano
 
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Raquel Caparroz
 
Oficina de gêneros
Oficina de gênerosOficina de gêneros
Oficina de gêneros
Bete Feliciano
 
Pnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleitePnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleite
Claudio Pessoa
 
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadasQuadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Bete Feliciano
 
Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5
Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5
Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5
Bete Feliciano
 
Pnaic leitura 2016
Pnaic leitura 2016Pnaic leitura 2016
Pnaic leitura 2016
Claudio Pessoa
 
Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5
Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5
Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5
Bete Feliciano
 
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
Cris Siqueira
 
Minha mãe é negra
Minha mãe é negraMinha mãe é negra
Minha mãe é negra
Maria Luiza
 

Destaque (15)

Só um minutinho
Só um minutinhoSó um minutinho
Só um minutinho
 
Pnaic 2016 ii encontro planejamento
Pnaic 2016 ii encontro planejamento Pnaic 2016 ii encontro planejamento
Pnaic 2016 ii encontro planejamento
 
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel SoléObjetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
 
Sugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanal
Sugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanalSugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanal
Sugestão de pauta de observação para anál ise de rotina semanal
 
So um minutinho
So um minutinhoSo um minutinho
So um minutinho
 
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01Soumminutinho 140528062147-phpapp01
Soumminutinho 140528062147-phpapp01
 
Oficina de gêneros
Oficina de gênerosOficina de gêneros
Oficina de gêneros
 
Pnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleitePnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleite
 
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadasQuadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
 
Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5
Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5
Proposta de agrupamento de gêneros - Unidade 5
 
Pnaic leitura 2016
Pnaic leitura 2016Pnaic leitura 2016
Pnaic leitura 2016
 
Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5
Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5
Atividades para analisar gênero jornal - Unidade 5
 
Minha mãe é Negra Sim.
Minha mãe é Negra Sim.Minha mãe é Negra Sim.
Minha mãe é Negra Sim.
 
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
 
Minha mãe é negra
Minha mãe é negraMinha mãe é negra
Minha mãe é negra
 

Semelhante a Pnaic producao textos_orais_escritos

Generos textuais
Generos textuais Generos textuais
Generos textuais
Adauto Martins
 
Generosetipostextuaisppt
Generosetipostextuaisppt Generosetipostextuaisppt
Generosetipostextuaisppt
Kelly Arduino
 
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Kelly Arduino
 
Gêneros textuais.1doc
Gêneros textuais.1docGêneros textuais.1doc
Gêneros textuais.1doc
elannialins
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
pnaicdertsis
 
Generos e tipos textuais
Generos e tipos textuaisGeneros e tipos textuais
Generos e tipos textuais
Rogério Souza
 
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Alessandra Gomes
 
SLIDE SEGUNDA.pptx
SLIDE SEGUNDA.pptxSLIDE SEGUNDA.pptx
SLIDE SEGUNDA.pptx
TainTorres4
 
SLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptx
SLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptxSLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptx
SLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptx
TainTorres4
 
Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2
Bete Feliciano
 
Organizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdf
Organizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdfOrganizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdf
Organizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdf
MaraPaulo1
 
Leitura e escrita em História
Leitura e escrita em HistóriaLeitura e escrita em História
Leitura e escrita em História
André Pereira Rocha
 
Pauta
PautaPauta
Slides jornada 1
Slides jornada 1Slides jornada 1
Slides jornada 1
cfvila
 
Produção textual jaraguá goiás
Produção textual   jaraguá goiásProdução textual   jaraguá goiás
Produção textual jaraguá goiás
Roberta Silva Rosa
 
Palestra para professores ciclo ii
Palestra para professores ciclo iiPalestra para professores ciclo ii
Palestra para professores ciclo ii
Lari Aveiro
 
Paletra alfabetização
Paletra alfabetizaçãoPaletra alfabetização
Paletra alfabetização
Lari Aveiro
 
Edilene nunes
Edilene nunesEdilene nunes
Edilene nunes
Cristiane Trindade
 
Edilene nunes
Edilene nunesEdilene nunes
Edilene nunes
Cristiane Trindade
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
Luis Carlos Santos
 

Semelhante a Pnaic producao textos_orais_escritos (20)

Generos textuais
Generos textuais Generos textuais
Generos textuais
 
Generosetipostextuaisppt
Generosetipostextuaisppt Generosetipostextuaisppt
Generosetipostextuaisppt
 
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
 
Gêneros textuais.1doc
Gêneros textuais.1docGêneros textuais.1doc
Gêneros textuais.1doc
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
 
Generos e tipos textuais
Generos e tipos textuaisGeneros e tipos textuais
Generos e tipos textuais
 
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
Generosetipostextuaisppt 130817130306-phpapp02
 
SLIDE SEGUNDA.pptx
SLIDE SEGUNDA.pptxSLIDE SEGUNDA.pptx
SLIDE SEGUNDA.pptx
 
SLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptx
SLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptxSLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptx
SLIDE SEGUNDA , descritores saepe (1).pptx
 
Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2
 
Organizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdf
Organizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdfOrganizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdf
Organizador Curricular_1º ano_2º Bim. de 2023.pdf
 
Leitura e escrita em História
Leitura e escrita em HistóriaLeitura e escrita em História
Leitura e escrita em História
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
Slides jornada 1
Slides jornada 1Slides jornada 1
Slides jornada 1
 
Produção textual jaraguá goiás
Produção textual   jaraguá goiásProdução textual   jaraguá goiás
Produção textual jaraguá goiás
 
Palestra para professores ciclo ii
Palestra para professores ciclo iiPalestra para professores ciclo ii
Palestra para professores ciclo ii
 
Paletra alfabetização
Paletra alfabetizaçãoPaletra alfabetização
Paletra alfabetização
 
Edilene nunes
Edilene nunesEdilene nunes
Edilene nunes
 
Edilene nunes
Edilene nunesEdilene nunes
Edilene nunes
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 

Mais de Claudio Pessoa

Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016
Claudio Pessoa
 
Pnaic geometria 3_formacao_2016
Pnaic geometria 3_formacao_2016Pnaic geometria 3_formacao_2016
Pnaic geometria 3_formacao_2016
Claudio Pessoa
 
Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016
Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016
Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016
Claudio Pessoa
 
Pnaic planejamento retomada (1)
Pnaic planejamento retomada (1)Pnaic planejamento retomada (1)
Pnaic planejamento retomada (1)
Claudio Pessoa
 
Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016
Claudio Pessoa
 
Pnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleitePnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleite
Claudio Pessoa
 
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
Claudio Pessoa
 
Pnaic gestao
Pnaic gestaoPnaic gestao
Pnaic gestao
Claudio Pessoa
 
Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10
Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10
Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10
Claudio Pessoa
 
Pnaic cultura escrita_e_diversidade_linguistica
Pnaic cultura escrita_e_diversidade_linguisticaPnaic cultura escrita_e_diversidade_linguistica
Pnaic cultura escrita_e_diversidade_linguistica
Claudio Pessoa
 
Pnaic ludicidade
Pnaic ludicidadePnaic ludicidade
Pnaic ludicidade
Claudio Pessoa
 
Pnaic leituradeleite omenino_e_jogos
Pnaic leituradeleite omenino_e_jogosPnaic leituradeleite omenino_e_jogos
Pnaic leituradeleite omenino_e_jogos
Claudio Pessoa
 
Pnaic ludicidade
Pnaic ludicidadePnaic ludicidade
Pnaic ludicidade
Claudio Pessoa
 
Pnaic infancia criança
Pnaic infancia criançaPnaic infancia criança
Pnaic infancia criança
Claudio Pessoa
 
Pnaic planejamento outubro
Pnaic planejamento outubroPnaic planejamento outubro
Pnaic planejamento outubro
Claudio Pessoa
 
Planejamento coletivo
Planejamento coletivoPlanejamento coletivo
Planejamento coletivo
Claudio Pessoa
 
Pnaic tabela com os conceitos
Pnaic tabela com os conceitosPnaic tabela com os conceitos
Pnaic tabela com os conceitos
Claudio Pessoa
 
Pnaic quadro sintese atividade de inclusao
Pnaic quadro sintese atividade de inclusaoPnaic quadro sintese atividade de inclusao
Pnaic quadro sintese atividade de inclusao
Claudio Pessoa
 
Pauta detalhada encerramento - educação inclusiva
Pauta detalhada   encerramento - educação inclusivaPauta detalhada   encerramento - educação inclusiva
Pauta detalhada encerramento - educação inclusiva
Claudio Pessoa
 
Pnaic cenas cotidianas_na_escola
Pnaic cenas cotidianas_na_escolaPnaic cenas cotidianas_na_escola
Pnaic cenas cotidianas_na_escola
Claudio Pessoa
 

Mais de Claudio Pessoa (20)

Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016
 
Pnaic geometria 3_formacao_2016
Pnaic geometria 3_formacao_2016Pnaic geometria 3_formacao_2016
Pnaic geometria 3_formacao_2016
 
Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016
Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016
Pnaic quantificacao registros_agrupamentos_formacao_2016
 
Pnaic planejamento retomada (1)
Pnaic planejamento retomada (1)Pnaic planejamento retomada (1)
Pnaic planejamento retomada (1)
 
Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016Pnaic snd 3_formacao_2016
Pnaic snd 3_formacao_2016
 
Pnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleitePnaic leitura deleite
Pnaic leitura deleite
 
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA
 
Pnaic gestao
Pnaic gestaoPnaic gestao
Pnaic gestao
 
Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10
Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10
Pnaic educacao do_campo_identidade atualizado 16-10
 
Pnaic cultura escrita_e_diversidade_linguistica
Pnaic cultura escrita_e_diversidade_linguisticaPnaic cultura escrita_e_diversidade_linguistica
Pnaic cultura escrita_e_diversidade_linguistica
 
Pnaic ludicidade
Pnaic ludicidadePnaic ludicidade
Pnaic ludicidade
 
Pnaic leituradeleite omenino_e_jogos
Pnaic leituradeleite omenino_e_jogosPnaic leituradeleite omenino_e_jogos
Pnaic leituradeleite omenino_e_jogos
 
Pnaic ludicidade
Pnaic ludicidadePnaic ludicidade
Pnaic ludicidade
 
Pnaic infancia criança
Pnaic infancia criançaPnaic infancia criança
Pnaic infancia criança
 
Pnaic planejamento outubro
Pnaic planejamento outubroPnaic planejamento outubro
Pnaic planejamento outubro
 
Planejamento coletivo
Planejamento coletivoPlanejamento coletivo
Planejamento coletivo
 
Pnaic tabela com os conceitos
Pnaic tabela com os conceitosPnaic tabela com os conceitos
Pnaic tabela com os conceitos
 
Pnaic quadro sintese atividade de inclusao
Pnaic quadro sintese atividade de inclusaoPnaic quadro sintese atividade de inclusao
Pnaic quadro sintese atividade de inclusao
 
Pauta detalhada encerramento - educação inclusiva
Pauta detalhada   encerramento - educação inclusivaPauta detalhada   encerramento - educação inclusiva
Pauta detalhada encerramento - educação inclusiva
 
Pnaic cenas cotidianas_na_escola
Pnaic cenas cotidianas_na_escolaPnaic cenas cotidianas_na_escola
Pnaic cenas cotidianas_na_escola
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 

Pnaic producao textos_orais_escritos

  • 1. CURSO PARA OS ORIENTADORES DE ESTUDO E COORDENADORES Produção de textos orais e escritos Equipe RN NOVEMBRO-2016MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERA DO RIO GRANDE DO NORTE PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTO
  • 2. PAUTA – Produção de textos orais e escritos 1. Rede de ideias: Produção de textos orais e escritos: conceitos e práticas. 2. Exposição dialogada: Produção de Textos Orais e Escritos – retomando conceitos 3. Eixo: Oralidade - Exploração dos Objetivos de Aprendizagem (conhecimentos e capacidades) e propostas de atividades
  • 3. Rede de Ideias Produção de Textos Orais e Escritos: conceitos e práticas •O que são textos? •O que caracteriza as atividades de produção de textos? •Quais textos orais são trabalhados na escola? Como? •Quais textos escritos circulam na escola? Em quais situações? Como as crianças têm acesso a esses textos? •Quais práticas de produção de textos escritos (pelas crianças) são desenvolvidas na escola? •Em que constitui revisar textos escritos? •Como acontece essa prática na escola?
  • 4. Produção de Textos Orais e Escritos Retomando conceitos
  • 5. Alfabetização e Letramento: especificidades e relações Alfabetização – processo específico de apropriação do sistema de escrita que envolve duas dimensões indissociáveis: Apropriação do sistema de escrita alfabético – compreensão, pelo aprendiz, de como funciona a representação alfabética, da relação escrita e língua oral; Desenvolvimento de habilidades de produção (escrita) e compreensão (leitura) de textos escritos de diversos gêneros.
  • 6. Alfabetização e Letramento: especificidades e relações Letramento - Processo que acontece mediante a inserção e participação das pessoas nas práticas culturais que envolvem a língua ESCRITA em suas múltiplas manifestações e objetivos sociais;
  • 7. Alfabetização e Letramento: especificidades e relações Envolve: -usos sociais de leitura e de escrita - mesmo que elas não sejam alfabetizadas – que façam isso com ajuda. -usos efetivos e competentes da escrita quando a pessoa é alfabetizada; -Envolve mudanças que acontecem nas pessoas (nos seus modos de “funcionar” mentalmente – jeitos de pensar, agir, falar), a partir dessa inserção nas práticas de escrita e leitura. O letramento cria uma condição diferente de ser/estar na vida social.
  • 8. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Processos específicos e interdependentes, intercomplementares. É preciso alfabetizar letrando. Alfabetizar, na perspectiva do letramento, implica em organizar/sistematizar situações de aprendizagem e apropriação dos gêneros textuais como eixo central do ensino, garantindo o domínio do funcionamento do sistema alfabético com vistas ao engajamento autônomo do aluno nos eventos sociais, mediados pela escrita. A alfabetização não precede o letramento, porque os dois processos podem ser ensinados-aprendidos como simultâneos.
  • 9. PRODUZIR TEXTO - O QUE É TEXTO? •Texto é uma sequência verbal (palavras), oral ou escrita, que forma um todo que tem sentido para um determinado grupo de pessoas em uma determinada situação. •Um texto é um “dizer”. Tem: um autor (quem diz), um conteúdo (o que dizer), um objetivo (para que dizer), um destinatário (para quem dizer) e uma estratégia, um modo (como dizer). •O texto pode ter uma extensão variável: uma palavra, uma frase ou um conjunto maior de enunciados, mas ele obrigatoriamente necessita de um contexto significativo para existir. •Seu nível de linguagem pode ser formal, coloquial, informal ou técnico.
  • 10. O QUE É TEXTUALIDADE? •Textualidade é um conjunto de características que faz com que um texto seja considerado como tal e não, como um amontoado de palavras e frases.  Você foi visitar um amigo que está hospitalizado e, pelos corredores, você vê placas com a palavra "Silêncio".  A palavra "Silêncio" está dentro de um contexto significativo por meio do qual as pessoas interagem: você, como leitor das placas, e os administradores do hospital, que têm a intenção de comunicar a necessidade de haver silêncio naquele ambiente.  Assim, a palavra "Silêncio" é um texto.
  • 11. O QUE É TEXTUALIDADE? Dois blocos de sete fatores são os responsáveis pela textualidade em qualquer discurso:  Fatores semânticos (coerência e coesão);  Fatores pragmáticos (intencionalidade, aceitabilidade, situacionalidade, informatividade e intertextualidade).
  • 12. TIPOS TEXTUAIS Referem-se à estrutura composicional do texto. Hoje, admite-se cinco tipos textuais: descrição, narração, dissertação, exposição e injunção. Você sabia que os textos injutivos são aqueles que indicam procedimentos a serem realizados? Nesses textos, as frases, geralmente, são no modo imperativo. Bons exemplos desse tipo de texto são as receitas e os manuais de instrução.
  • 13. TIPOS E GÊNEROS TEXTUAIS • Os gêneros textuais são praticamente infinitos, visto que são textos orais e escritos produzidos por falantes de uma língua em um determinado momento histórico. • Os gêneros textuais, portanto, são diretamente ligados às práticas sociais. • Alguns exemplos de gêneros textuais são carta, bilhete, aula, conferência, e-mail, artigo, entrevista, discurso. • Assim, um tipo textual pode aparecer em qualquer gênero textual. Da mesma forma, um único gênero pode conter mais de um tipo textual. Uma carta, por exemplo, pode ter passagens narrativas, descritivas, injuntivas e assim por diante.
  • 14. GÊNEROS TEXTUAIS •Situação determina qual usar. Gênero de texto refere-se às diferentes formas de expressão textual. •O que podemos fazer quando queremos:  Saber como chegar a um endereço desconhecido por nós? Consultar o "guia de ruas" da nossa cidade, ou perguntar a alguém que conhece o trajeto...  Escolher um filme para ir assistir no cinema? Pesquisar no jornal ou pedir opinião a um amigo...  Conversar com parentes que estão longe? Telefonar, mandar carta ou e-mail...  Criar um clima de descontração com amigos? Contar piadas, conversar...  Distrair uma criança? Ler um conto de fadas, brincar de adivinhações... •Em todas as situações acima, usamos diferentes gêneros de texto (a definição de texto, aliás, é um enunciado verbal que faz sentido em para alguém em determinada situação).
  • 15. GÊNEROS TEXTUAIS Situações diversas, finalidades diversas, diferentes gêneros. Não importa qual o gênero, todo texto pode ser analisado sob três características:  O assunto: o que pode ser dito através daquele gênero;  O estilo: as palavras, expressões, frases selecionadas e o modo de organizá-las;  O formato: a estrutura em que cada agrupamento textual é apresentado.
  • 16. Produção de Texto Elementos Necessários:  A quem o texto se destina;  O propósito que justifica o ato de produzir o texto;  A mensagem: o que vai ser dito;  O gênero: se é uma carta, um poema, uma história, um relatório, uma crônica, uma notícia, ou um cartaz;  O portador: se vai ser publicado em um livro, vai para o mural, ou ficará no próprio caderno.  Todos os aspectos relacionados com a escrita: coerência, adequação da linguagem, gramática, pontuação, ortografia;  A necessidade de revisar o texto pronto, de fazer uma leitura crítica que avalie sua qualidade e sua eficácia.
  • 17. Eixo: Oralidade Objetivos de Aprendizagem Conhecimentos e Capacidades •Participar de interações orais em sala de aula, questionando, sugerindo, argumentando e respeitando os turnos de fala. •Escutar com atenção textos de diferentes gêneros, sobretudo os mais formais, comuns em situações públicas, analisando-os criticamente. •Planejar intervenções orais em situações públicas: exposição oral, debate, contação de história. •Produzir textos orais de diferentes gêneros, com diferentes propósitos, sobretudo os mais formais comuns em instâncias públicas (debate, entrevista, exposição, notícia, propaganda, relato de experiências orais, dentre outros). •Analisar a pertinência e a consistência de textos orais, considerando as finalidades e características dos gêneros. •Reconhecer a diversidade linguística, valorizando as diferenças culturais entre variedades regionais, sociais, de faixa etária, de gênero dentre outras. •Relacionar fala e escrita, tendo em vista a apropriação do sistema de escrita, as variantes linguísticas e os diferentes gêneros textuais. •Valorizar os textos de tradição oral, reconhecendo-os como manifestações culturais. Ver: Caderno 01 – Ano 01
  • 18. Propostas de Atividades •Rodas de leitura para contar histórias e combinar com os alunos momentos em que eles possam compartilhar os livros lidos; •Leitura de parlendas, cantigas, trava-línguas, quadras, trovas, brincos, acalantos (discussão sobre o que mais chamou a atenção: a sonoridade, a organização textual, a linguagem utilizada e a musicalidade do texto); •Reconto pelos alunos inserindo novos elementos: tempo, espaço, personagens, fatos....novo desfecho; •Sugerir que os alunos lembrem dos contos que conhecem e digam de memória (propor que escolham o que mais gostam e falem para a turma). •Gravar as “contações” e “recontações”, ouvir e analisar, revisar.
  • 19. Propostas de Atividades •Entrevistas e troca de correspondência em que os alunos possam elaborar e fazer perguntas; •Discussões que façam as crianças compreenderem e distinguirem as características da linguagem oral e da linguagem escrita; •Saraus literários para que os alunos possam narrar ou recontar histórias, declamar poesias, parlendas, trava-línguas; •Exposições, em que os alunos possam expor oralmente um tema, usando suporte escrito, tais como: cartazes, roteiro, para apoiar sua fala, entre outros. Exemplo: Seminário. •Rodas de conversa em que os alunos possam escutar e narrar fatos conhecidos e falar sobre assuntos estudados. Ver Exemplo:
  • 20. Exemplo de Roda de Conversa “temática” 1 – O professor(a) deve organizar dois saquinhos ou duas caixinhas. Em um(a) colocar conter cartões com os nomes das crianças e o seu. No(a) outro(a), cartões com palavras que evoquem temas, fatos, sentimentos (por exemplo: medo, tristeza, surpresa, alegria, raiva, emoção) e outros mais que desejar. •Explicar às crianças que uma vez por semana (defina um dia e horário fixo em sua rotina) vocês farão esta roda, para falar sobre os temas sorteados. •Além dos que foram propostos, solicite que as crianças escrevam, com uma única palavra, sobre algum assunto do qual gostaria de falar, para que possam se conhecer e se aproximar mais.
  • 21. Exemplo de Roda de Conversa “temática” 2 - No dia definido, será sorteado o nome de três crianças da turma e um tema para conversa. •Uma vez sorteado o tema, as crianças sorteadas deverão falar sobre alguma experiência, algum fato ocorrido que já viveu ou viu alguém próximo do seu convívio viver, ou que ficou sabendo; •Por exemplo: Se sair o tema ENGRAÇADO, a criança deverá relatar algo de engraçado que já aconteceu com ela ou com algum familiar. Se não se lembrar de nenhum fato próprio, pode contar também uma piadinha (infantil), por exemplo. •Para esse dia, as três crianças terão maior tempo para relatar e motivar o assunto proposto, o que certamente não deve impedir a interação dos demais. Caberá ao(à) professor(a) a perspicácia de conduzir e orientar o momento.
  • 22. Exemplo de Roda de Conversa “temática” 3 - Uma vez que “todas” conseguirem se expressar, as crianças podem ser orientadas para registrar, por meio de um texto escrito (produzido segundo sua hipótese de escrita – do jeito que sabe escrever) uma das histórias contadas (reconto) ou que registre uma experiência pessoal, de acordo com o tema sorteado no dia. Essas atividades poderão propiciar a experimentação, pelas crianças (e seu desenvolvimento) de capacidade de relatar (expressão e interpretação) fatos, experiências, sentimentos, com COERÊNCIA E CLAREZA, aumentando seus recursos expressivos – seu vocabulário, sua articulação textual.
  • 23. Eixos: Produção de Textos e Análise Linguística (discurso e norma)
  • 24. Objetivos de Aprendizagem Conhecimentos e Capacidades • Produção de Textos Escritos • Planejar a escrita de textos considerando o conteúdo de produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a diferentes finalidades, com ajuda de escriba. • Planejar a escrita de textos considerando o contexto de produção: organizar roteiros, planos gerais para atender a diferentes finalidades, com autonomia. • Produzir textos de diferentes gêneros, atendendo a diferentes finalidades, por meio da atividade de um escriba. • Produzir textos de diferentes gêneros com autonomia, atendendo a diferentes finalidades. • Análise Linguística: discurso e norma • Analisar a adequação de um texto (lido, escrito ou escutado) aos interlocutores e à formalidade do contexto ao qual se destina. • Conhecer e usar diferentes suportes textuais, tendo em vista suas características: finalidades, esfera de circulação, tema, forma de composição, estilo, etc.
  • 25. Produção de Textos Escritos No Contexto de Projetos / Temas de Pesquisa Escrever para registrar, sistematizar, classificar, divulgar, catalogar, descrever... O QUE É ESCRITO: •Listas de termos, informações, atividades, características; •Classificação de dados; •Catálogos, fichas, guias, folhetos para exposições de materiais; •Notícias relacionadas ao tema; •Artigos de livros e revistas; •Legendas de imagens; •Entrevistas; •Relatórios de experiências, de aulas passeio; •Dossiês, Descrições, Álbuns; •Resenhas de filmes / artigos; •Textos literários: outros modos de compreender o tema; •Textos informativos: síntese coletiva.
  • 26. Propostas de Atividades Propostas de escrita ou reescrita de textos individual, em duplas ou grupos; Assumir a posição de escriba nas situações em que os alunos produzem um texto oralmente com destino escrito; Propostas de produção de textos definindo o leitor, o propósito e o gênero de acordo com a situação comunicativa; Situações para ensinar procedimentos de escrita (planejar, redigir rascunhos, revisar e cuidar da apresentação). 1º Momento: Análise de Atividades de Produção Textual Ver Exemplos de Atividades – Produção de Textos Escritos
  • 27. Objetivos de Aprendizagem Conhecimentos e Capacidades • Produção de Textos Escritos • Gerar e organizar o conteúdo textual, estruturando os períodos e utilizando recursos coesivos para articular ideias e fatos. • Revisar coletivamente os textos durante o processos de escrita em que o professor é escriba, retomando as partes já escritas e planejando os trechos seguintes. • Revisar autonomamente os textos durante o processo de escrita, retomando as partes já escritas e planejando os trechos seguintes. • Revisar os textos após diferentes versões, reescrevendo-os de modo a aperfeiçoar as estratégias discursivas. • Análise Linguística: discurso e norma • Conhecer e usar palavras ou expressões que estabelecem a coesão como: progressão do tempo, marcação do espaço e relações de causalidades. • Conhecer e usar palavras ou expressões que retomam coesivamente o que já foi escrito (pronomes pessoais, sinônimos e equivalentes). • Usar adequadamente a concordância e reconhecer violações de concordância nominal e verbal.
  • 28. Propostas de Atividades •Sequências didáticas em que os alunos produzam textos com propósitos sociais e tenham que revisar distintas versões até considerar o texto bem escrito, cuidando da apresentação final; •Atividades de revisão coletiva de textos (ou individual, dupla, grupo), em que os alunos se coloquem na perspectiva de leitor do texto para melhorá-lo (modificar, substituir partes do texto, entre outras); •Atividades de análise de textos bem escritos, ajudando os alunos a observar atentamente, em textos bem elaborados de autores reconhecidos, como, por exemplo, o autor resolveu o problema dos diálogos, das repetições, como faz uso da pontuação;
  • 29. Exibição e Discussão de Vídeo: Revisar para aprender a escrever (PROFA) Revisão Coletiva do Reconto do Texto “O curupira” – Professora Regina (Turma de pré-escola / 1º ano)
  • 30. Objetivos de Aprendizagem Conhecimentos e Capacidades • Produção de Textos Escritos • Organizar o texto, dividindo-o em tópicos e parágrafos. • Pontuar os textos, favorecendo a compreensão do leitor. • Utilizar vocabulário diversificado e adequado ao gênero e as finalidades propostas. • Análise Linguística: discurso e norma • Identificar e fazer uso de letra maiúscula e minúscula nos textos produzidos, segundo as convenções. • Pontuar o texto. • Reconhecer diferentes variantes de registro de acordo com os gêneros e situações de uso. • Segmentar palavras em textos.
  • 31. Propostas de Atividades •Atividade de reflexão sobre o sistema de pontuação (por exemplo, oferecer texto escrito todo em letra de fôrma maiúscula, sem os brancos que indicam parágrafo ou travessão, apenas os espaços em branco, para os alunos discutirem e decidirem a pontuação); •Reescrita do próprio texto a partir de observações anotadas previamente pelo professor; •Atividade de revisão coletiva, em dupla ou individual para marcar parágrafo e segmentar o texto, observando o uso de letras maiúsculas. 2º momento: Análise de Atividades de Revisão Textual Ver arquivo complementar (arquivo word)
  • 32. Em síntese: revisão de Textos Reescrita de textos próprios e de outros autores; Revisão (dos aspectos discursivos) dos próprios textos e dos colegas; Revisão (dos aspectos discursivos) de textos diversos bem escritos – em especial os textos literários; Revisão (dos aspectos ortográficos e gramaticais – quando necessários à reflexão sobre a língua – dos próprios textos e dos colegas).
  • 33. REDE DE IDEIAS... Ensinando as crianças a “refletirem” sobre a linguagem quanto à norma – a ortografia. Quando iniciar o trabalho sistemático de ortografia? O que sabemos sobre regularidades da escrita? O que sabemos sobre irregularidades na escrita?  O uso do dicionário na sala de aula... O que sabemos? E o que fazemos?
  • 34. REDE DE IDEIAS... NORMA ORTOGRÁFICA: convenção social O que precisa ser aprendido por meio da compreensão – por que tem regras Regularidades O que precisa ser aprendido por meio da memorização – não tem regra Irregularidades
  • 35. Vídeo: Ortografia na sala de aula parte 2 (CEEL – UFPE) tempo: 14’37s
  • 37. Objetivos de Aprendizagem Conhecimentos e Capacidades Análise Linguística: discurso e norma •Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com correspondências regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V); •Conhecer e fazer uso das grafias de palavras com correspondências regulares contextuais entre letras ou grupos de letras e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR; AS/SP/SU em início de palavras; JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/E ou I em sílaba final; M e N nasalizando final de sílaba; NH; Ã ou ÃO em final de substantivos e adjetivos); •Conhecer e fazer uso de palavras com correspondências irregulares, mas de uso frequente; •Saber usar o dicionário, compreendendo sua função e organização.
  • 38. Propostas de Atividades • Atividades de reflexão ortográfica (por exemplo, estabelecer com os alunos um combinado sobre as “palavras em que não vale mais errar”, listá-las e afixá-las de forma que possam consultá-las caso tenham dúvidas, entre outras); • Sistematização e registro das descobertas dos alunos em relação às regras ortográficas (por exemplo, organizar listas para classificar as regularidades);
  • 39. Propostas de Atividades •Atividades que incentivem a discussão entre alunos para que possam levantar dúvidas e decidir como escrever uma palavra, por exemplo, "ditado interativo", leitura com focalização; •Atividades de uso do dicionário, de forma que os alunos, progressivamente, adquiram a rapidez necessária para consultá-lo e encontrar palavras; •Situações em que os alunos tenham necessidade de fazer uso da ordem alfabética e algumas de suas aplicações sociais.
  • 40. 1º Momento: SITUAÇÃO PROBLEMA Andreza, aluna de uma terceira série, produziu, no início do ano letivo, um texto, recontando a fábula “O Leão e o Ratinho”. Numa primeira olhadela, sua professora comentou comigo, preocupada, que a aluna estava cometendo muitos erros. Dentre outras ‘infrações’ à norma, a criança havia escrito *magestadi (para majestade) e *bixio (no lugar de bichinho). Trecho extraído do livro: Ortografia na sala de Aula (cf. Referências) E agora? Como podemos ajudar a professora de Andreza? Que situações didáticas podem ser proposta na sala de aula?
  • 41. 2º Momento: LEITURA DO TEXTO COMPARTILHANDO...
  • 42. CONSIDERAÇÕES para seguirmos pensando: Para desenvolver um ensino do tipo reflexivo, julgamos necessário que o professor saiba identificar as regularidade e os casos irregulares de nossa norma, de modo a poder planejar atividades e sequência didáticas diferentes: mais adequadas à compreensão e descoberta de regras ou mais adequadas à memorização. Em ambos os casos, porém, parece-nos essencial que o aprendiz seja ajudado a tomar consciência das peculiaridades do objeto que está aprendendo. Isto é, que ele seja levado a dar-se conta tanto da existência das regularidade como da ausência delas. (MORAIS, 2007, p. 26)
  • 43. Análise da proposta de atividade obrigatória – diagnóstico e atividades Identificar os objetivos de aprendizagem e atividades que envolvem os eixos “oralidade” , “produção de textos escritos” e análise linguística: discursividade, textualidade e normatividade”.
  • 44. Retomada da atividade de casa: • Quais atividades envolvem os eixos “oralidade” , “produção de textos escritos” e análise linguística: discurso e norma”? •Identifique os conhecimentos e capacidades de cada eixo que estão contemplados nas atividades (observar quadros dos direitos – Unidade 01 – Ano 01) •Planejamento de três atividades que podem ser propostas no 1º, 2º e 3º anos (observar quadros de acompanhamento da aprendizagem das crianças: sugestão de instrumento de registro da aprendizagem – Unidade 01 - Ano 01, 02 e 03) . •Socialização dos Grupos.
  • 45. REFERÊNCIAS SILVA, Alexsandro da. Et al. Ortografia na sala de aula. ed., 1. reimp. – Belo Horizonte: Autêntica, 2007. Brasil. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: currículo inclusivo: o direito de ser alfabetizado: ano 3: unidade 1 / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. -- Brasília : MEC, SEB, 2012.