SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Pólo Educacional Superior de Restinga Sêca
                     DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico
                PROFESSORA ORIENTADORA: Giliane Bernardi, 06/11/2010



 Relato de experiência da capacitação de técnicos administrativos e docentes para
          uso do Moodle na Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA

Experience of the technical training of administrators and teachers to use Moodle at
                    the Federal University of Pampa - UNIPAMPA

                              RIBEIRO, Patric da Silva Ribeiro
                               Mestre em Ciência da Computação
                          Universidade Federal de Santa Maria - UFSM


RESUMO: No presente trabalho é apresentado o relato de experiência da capacitação para o uso
do Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning
Environment), oferecido pelo Núcleo de Tecnologia da Informação e Comunicação (NTIC) em
parceria com a Coordenadoria de Educação a Distância da Universidade Federal do Pampa
(UNIPAMPA). Têm-se como objetivos principais: promover e estimular o uso autônomo do
ambiente virtual de aprendizagem para apoio às atividades de ensino-aprendizagem presencial e
a distância; e provocar uma maior interação entre técnicos administrativos e docentes da
Universidade por meio de uma aprendizagem colaborativa, considerando sua estrutura
multicampi. Os resultados apontam inicialmente para um avanço quantitativo na utilização do
Ambiente Virtual de Aprendizagem adotado na Instituição.


Palavras-chave: capacitação, ensino a distância, ambiente virtual de aprendizagem, Moodle e
Ensino Aprendizagem em EAD.


ABSTRACT: In the present work describes the experience of the training for using the Virtual
Learning Environment Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment), offered
by the Center for Information Technology and Communication (NTIC) in partnership with the
Education Coordinator Distance from the Federal University of Pampa (UNIPAMPA). It has as
main objectives: to promote and encourage the use of autonomous virtual learning environment to
support the activities of teaching-learning and distance learning, and lead to greater interaction
between technical and administrative faculty of the University through a collaborative learning
2



considering its structure several campus. The results initially point to a quantitative improvement in
the use of Virtual Learning Environment adopted at the institution.

Key-words: training, distance learning, virtual learning environment, Moodle Teaching and
Learning in Distance Education.



1. INTRODUÇÃO


       A Universidade, como um dos elementos condutores da atual transição da
sociedade para um novo paradigma, que vai da sociedade industrial para a sociedade do
conhecimento e da informação, é de fundamental importância, por ser espaço privilegiado
de experimentações e de inovação.


       A utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) na academia
provoca alterações de gestão, de ensino, pesquisa e extensão. A possibilidade de fazer
Educação a Distância (EAD), bem como a consolidação da modalidade, levam a crer que
este é um formato a ser cada vez mais explorado e aperfeiçoado, encaminhando a
educação a um pensar de outro jeito, fazer de outra forma, a buscar novas estratégias de
ação que apontem para um novo modelo educacional, não só a distância, como também
presencial.


       A UNIPAMPA é uma universidade pública fundada em 2006 com o objetivo de
fortalecer a metade sul do estado do Rio Grande do Sul (RS). A Universidade possui 10
(dez) campi descentralizados, localizados nas cidades de: Alegrete, Bagé (campus e
reitoria), Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Itaqui, Jaguarão, Santana do Livramento, São
Borja, São Gabriel e Uruguaiana. Conta atualmente com aproximadamente 444 técnicos
administrativos, 423 professores e aproximadamente 6 mil alunos.


       Em processo de instalação recente, ocorreu, em 2009, a elaboração do Plano de
Desenvolvimento Institucional (UNIPAMPA, 2009), através da construção coletiva por
parte de docentes, técnicos administrativos e discentes. Este documento prevê, no
objetivo sexto, a consolidação do ensino na modalidade de Educação a Distância e
como metas prover o acesso e uso de sistemas de apoio a EAD para todos os alunos e
docentes da Instituição. Na busca dessas metas, a UNIPAMPA estabeleceu o Moodle
3



como ambiente virtual institucional, usado desde a sua fundação, quando esteve
vinculada à Universidade Federal de Santa Maria e à Universidade Federal de Pelotas.


      O Núcleo de Tecnologia da Informação e da Comunicação, juntamente com a
Coordenadoria de EAD, traçou como objetivo acompanhar a utilização do Moodle para
propor soluções que permitam a ampliação de utilização do espaço virtual como
elemento-chave de ações multicampi, considerando a natureza da concepção da
UNIPAMPA.


      Diante deste contexto, busca-se articular a consolidação do ensino na modalidade
EAD dentro da Instituição, oferecendo dentre um conjunto de ações a Capacitação para o
Uso do Moodle a docentes e a técnicos administrativos da UNIPAMPA. Este artigo visa
relatar a experiência de formação, como um primeiro movimento, no sentido de enfrentar
o desafio de manter as equipes de trabalho preparadas para este novo modelo
institucional, com uma forma inovadora e autônoma de gerir o conhecimento.


2.   CENÁRIO     ATUAL     DA     UTILIZAÇÃO         DOS     AMBIENTES         VIRTUAIS       DE
APRENDIZAGEM


      No atual cenário é fundamental que a educação se integre à sociedade do
conhecimento. Uma das formas de realizar essa tarefa é desenvolver estratégias de
aprendizagem, mediadas pela tecnologia da informação e comunicação (TIC), como por
exemplo, a utilização de Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA), cujo conceito,
segundo Almeida (2004):


                      está relacionado a sistemas computacionais, destinados ao suporte de
                      atividades mediadas pelas tecnologias de informação e comunicação. Permitem
                      integrar múltiplas mídias e recursos, apresentam informações de maneira
                      organizada, proporcionam interações entre pessoas e objetos de conhecimento,
                      visando atingir determinados objetivos.

      Os AVA podem ser empregados como suporte para sistemas de EAD, bem como
servir de apoio às atividades presenciais de sala de aula e/ou diferentes ambientes por
meio da internet ou intranet, abrindo espaços educativos diferenciados. De acordo com
Vavassori e Raabe (apud SILVA, 2003, p.312),
4



                       um ambiente virtual de aprendizagem é um sistema que reúne uma série de
                       recursos e ferramentas, permitindo e potencializando sua utilização em
                       atividades de aprendizagem através da Internet em um curso a distância.


      Os ambientes devem oferecer condições para que a interatividade possa acontecer
entre professor e aluno, e vice-versa, através de diversas ferramentas nas quais poderão
ocorrer estas trocas de informações. Os AVA proporcionam a formação de um ciclo onde
o sujeito insere-se no processo de realização de atividades que antes não haviam sido
pensadas. Na visão de Lévy (1999, apud BARRETO, 2001, p. 83)


                       é preciso colocar as pessoas nessa situação de curiosidade, nessa
                       possibilidade de exploração. Não individualmente, não sozinhas, mas juntas,
                       em grupo. E, uma vez compreendido esse princípio de base, todos os meios
                       servem. Os meios audiovisuais, interativos, os mundos virtuais, os grupos de
                       discussão, tudo o que quisermos[...]


      É necessário que o professor faça a adequação destes AVA às mais diversas
situações, pois permitem diferentes estratégias de aprendizagem que podem despertar
fatores como interesse, motivação, criatividade, entre outros, além de poder proporcionar
uma aprendizagem colaborativa, interativa e autônoma. A próxima seção apresenta o
ambiente Moodle, adotado pela instituição foco deste trabalho.


2.1 Ambiente Virtual de Aprendizagem - Moodle

      Moodle é um projeto que começou com Martin Dougiamas, nos anos 1990, quando
era webmaster na Curtin University of Technology e administrador de sistemas da
instalação   do WebCT.     Foi    particularmente      influenciado    pela    epistemologia      do
construcionismo social - que não só trata a aprendizagem como uma atividade social, mas
focaliza a atenção na aprendizagem que acontece enquanto se constroem ativamente
artefatos (como textos, por exemplo), para que outros vejam ou utilizem (DOUGIAMAS;
TAYLOR, 2003).


      À medida que o Moodle se espalhou e a comunidade cresceu, mais sugestões e
comentários foram recebidos de uma gama mais ampla de pessoas em diversas
situações de ensino. Por exemplo, o Moodle não só é usado em universidades, mas
também em escolas secundárias e primárias, organizações sem fins lucrativos, empresas
que ensinam em casa. Um número cada vez maior de pessoas vem contribuindo com o
Moodle de diversas maneiras.
5




      Conforme os autores Ribeiro e Mendonça (2007),

                      O AVA Modular Object Oriented Distance Learning (Moodle) é uma plataforma,
                      Open Source, ou seja, pode ser instalado, utilizado, modificado e mesmo
                      distribuído. Seu desenvolvimento objetiva o gerenciamento de aprendizado e de
                      trabalho colaborativo em ambiente virtual, permitindo a criação e administração
                      de cursos on-line, grupos de trabalho e comunidades de aprendizagem.


      Este AVA, segundo Garcia e Lacleta (2004), “apresenta estrutura modular, ampla
comunidade de desenvolvedores, grande quantidade de documentação, disponibilidade,
escalabilidade, facilidade de uso, interoperabilidade, estabilidade e segurança”.


      O Moodle é um ambiente modular, no qual diversos recursos e atividades
existentes podem ser adicionados mesmo durante a oferta de um curso, de acordo com o
objetivo de quem o está ministrando.


      Uma importante característica do projeto Moodle é o sítio na internet
www.moodle.org, que provê um ponto central para informação, discussão e colaboração
entre os usuários, o que inclui administradores de sistemas, professores, pesquisadores,
desenhistas instrucionais e desenvolvedores. Este sítio está sempre evoluindo para se
adequar às necessidades da comunidade e, como o Moodle, é aberto e gratuito.


      Os usuários podem “baixar” o Moodle, usá-lo, modificá-lo e distribuí-lo seguindo
apenas os termos estabelecidos pela licença. O sistema conta com traduções para 50
idiomas diferentes, além das discussões e colaborações disponíveis em inglês e outros
idiomas, sendo que o portal conta com relatório de perguntas frequentes, suporte gratuito,
orientações para realização do download e instalação do software, documentação
completa e a descrição do planejamento de atualizações futuras do ambiente. O Moodle
pode ser instalado em qualquer computador, desde que tenha PHP (Hypertext
Preprocessor) e suporte bases de dados SQL (Structured Query Language).


      No Brasil, a utilização do AVA Moodle cresceu de forma exponencial a partir da
criação, em 2006, do sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB/MEC). A UAB
possibilitou a oferta de cursos de graduação e pós-graduação à distância em instituições
de ensino superior públicas, em todo o país. O auxílio financeiro para as IES participantes
do programa, que fossem utilizar o Moodle nos seus cursos EAD, permitiu realizar as
6



implementações e customizações necessárias no sistema, bem como a integração do
AVA com os sistemas acadêmicos das instituições envolvidas (NUNES; MACHADO;
SCHNEIDE, 2009).


        O AVA Moodle tem se destacado em trabalhos acadêmicos, relatos de utilização e
pesquisas (SANTANA, 2008), (KAUFMANN, 2005). A seguir são apresentadas algumas
das suas muitas características (MOODLE.ORG, 2010):


        • Promove uma pedagogia socioconstrucionista (colaboração, atividades, reflexão
crítica, etc.);
        • Adequado para aulas 100% on-line, assim como para complementar a
aprendizagem face a face;
        • Simples, leve, eficiente, compatível, interface baseada em navegadores de
tecnologia simples;
        • Fácil de instalar em qualquer plataforma que suporte o PHP. Exige apenas uma
base de dados (e pode compartilhá-la);
        • A Independência total da base de dados suporta todas as principais marcas de
base de dados (exceto pela definição na tabela inicial);
        • A lista de cursos mostra as descrições de cada curso existente no servidor,
incluindo acessibilidade para convidados;
        • Cursos podem ser categorizados e pesquisados – um site Moodle pode suportar
milhares de cursos;
        • Ênfase em total segurança o tempo todo. Os formulários são todos checados, os
dados validados, os cookies codificados, etc.;
        • A possibilidade de criação de diferentes perfis como: administrador, professor,
tutor, aluno e outros, sendo cada perfil configurado com permissões de edição adequado
a cada contexto de atuação no ambiente;
        • A maioria das áreas de entrada de texto (recursos, postagens nos fóruns, etc.)
pode ser editada usando um editor HTML.


        De domínio dessas características do ambiente Moodle a UNIPAMPA estabeleceu
este como ambiente virtual institucional, pois também o mesmo já era usado desde a sua
7



fundação, quando esteve vinculada à Universidade Federal de Santa Maria e à
Universidade Federal de Pelotas.


       Como o Plano de Desenvolvimento Institucional (UNIPAMPA, 2009) objetivava a
consolidação do ensino na modalidade de Educação a Distância e como meta prover o
acesso e uso de sistemas de apoio a EAD para todos os alunos e docentes da Instituição,
avaliou-se a situação da utilização do Moodle e traçou-se alternativas para ampliação do
uso como descrito na seção a seguir.


3. USO INICIAL DA PLATAFORMA MOODLE


       Observou-se, em um primeiro momento, que a plataforma Moodle utilizada pela
Instituição, era considerada pela maioria dos usuários um sistema complicado, além de
estar sem identidade visual, visto que estava em uso sua instalação padrão. Somando-se
a isso, existia um quadro de técnicos administrativos em formação, o que dificultava, na
época, um acompanhamento adequado ao ambiente e seu uso.


       Para realização de um estudo mais preciso foram consultadas todas as disciplinas
criadas entre 2007 e 2009 no Moodle, nas duas bases existentes na Instituição 1 obtendo-
se os resultados apresentados na Tabela 1:

                 Tabela 1 - Dados das disciplinas criadas no período de 2007 a 2009.
    Total de disciplinas vazias                                                78
    Total de disciplinas que utilizaram apenas o fórum                         18
    Total de disciplinas sem professores definidos                             43
    Total de disciplinas criadas em 2007                                       86
    Total de disciplinas criadas em 2008                                      106
    Total de disciplinas criadas em 2009                                      189
    Total de disciplinas criadas de 2007 a 2009                               381


       Nessa análise, percebeu-se que o Ambiente Virtual de Aprendizagem não era
utilizado com todo potencial de recursos: das 381 disciplinas criadas entre 2007 e 2009,
apenas 4,7% dos professores tinham utilizado o recurso “fórum de notícias” para postar
material ou notas, 20,4% das áreas para disciplinas presenciais criadas não foram
utilizadas e 11,2% não tinham responsáveis pela disciplina.

1      *
          Até junho de 2010, existiam duas bases para plataforma Moodle na Unipampa: uma, geral da
Instituição; outra, específica do campus Alegrete.
8




        Além da questão do layout do ambiente, foi levantado que o fato dos servidores
não saberem utilizar o Moodle de forma adequada poderia estar levando a não utilização
do mesmo. Compreendendo essa necessidade da utilização do Ambiente Virtual de
Aprendizagem, especialmente por ter a Universidade uma estrutura multicampi, o NTIC,
juntamente com a Coordenadoria de EAD da UNIPAMPA, deu início à elaboração de uma
Capacitação para utilização do Moodle, com a finalidade de qualificar tanto os analistas e
técnicos de TI, como os demais técnicos administrativos e docentes da Universidade,
como forma de verificar se os mesmos conhecem as potencialidades ou simplesmente se
é falta de uso do AVA Moodle e ao mesmo tempo orientá-los para utilização correta.


4. ARTICULAÇÃO/ MOBILIZAÇÃO


        Inicialmente, foi elaborada uma capacitação, em maio de 2010, dirigida aos
técnicos de Tecnologia da Informação (TI) dos campi da Universidade, realizada por meio
do sistema de videoconferência (Figura 1). Essa edição teve como objetivo preparar os
analistas para que pudessem ser tutores e para servirem como ponto de referência nos
campi para as dúvidas que surgissem sobre o Moodle. Foram 17 participantes entre
técnicos e analistas de TI, totalizando 40 (quarenta) horas de curso.




Figura 1. Bolsista da Coordenação de EAD            Figura 2. Tela principal da Capacitação para uso
Jader e o Instrutor/Analista de TI Patric Ribeiro   do Moodle.
em videoconferência na primeira etapa da
Capacitação.


        Durante essa capacitação, foi organizada e discutida a melhor forma para atender
todas as unidades, levando em consideração as suas peculiaridades. A segunda edição
do curso teve como público-alvo docentes e técnicos administrativos, com os objetivos de
apresentar o Moodle-UNIPAMPA e familiarizar os participantes com a utilização dos
9



recursos, visando alcançar ganhos para o processo de ensino-aprendizagem. A
capacitação foi composta por 17 tutores e um professor, com 137 participantes inscritos,
dentre os quais 103 concluíram o curso. As desistências que ocorreram foram justificadas
pelo excesso de atividades e por ser um final de semestre, sendo que o acúmulo de
atribuições prejudicou os participantes.


       A      abertura   da   segunda   capacitação   foi   realizada   por   meio   de   uma
videoconferência, na qual foi explicada a sistemática do curso e o perfil de profissional
que atua na área de educação à distância. O conteúdo foi dividido em duas etapas: na
unidade 1, os alunos se familiarizaram com o ambiente Moodle na visão de aluno; na
unidade 2, foram realizadas atividades práticas, inclusive na função de professor. As
atividades propostas tiveram o objetivo de apresentar, aos docentes e aos técnicos, o
Moodle, incentivando-os a aproveitá-lo em suas atividades acadêmicas.


       O curso foi realizado totalmente à distância, exigindo participação de todos em
cada etapa, cumprimento de todo o programa, dedicação, leitura e contribuições. A
capacitação foi conduzida por roteiros onde os participantes realizavam a leitura e
executavam as tarefas direcionadas para a semana. Dois ambientes diferentes foram
utilizados: o primeiro, foi o espaço principal (Figura 2), onde foi disponibilizado o material
didático da capacitação, assim como as tarefas semanais, atuando com o perfil de aluno;
o segundo, chamado de laboratório, possibilitava a todos os participantes terem livre
permissão para realizar as atividades, trabalhando com o perfil de professor de uma
disciplina.


       Para cada semana, era disponibilizada, na página inicial, um resumo e ilustração
sobre o assunto a ser abordado, materiais de leitura com diversos conceitos e as
atividades/tarefas relacionadas ao conteúdo. Cabe salientar que a utilização de figuras e
vídeos buscou tornar o material mais lúdico e atrativo, conforme ilustrado na figura 3.
10




Figura 3. Exemplo da tela principal da capacitação.


       Para avaliar a participação de todos, além das atividades monitoradas pelo Moodle,
foi aplicado um questionário de auto-avaliação, bem como um questionário avaliativo da
capacitação e outro sobre o conteúdo desenvolvido, conforme os apêndices A, B e C.
Com as informações obtidas através dessas entradas, foram gerados resultados e
discussões, descritos na próxima seção.


5. RESULTADOS E DISCUSSÃO


       Primeiramente, foram encaminhados para os 103 alunos os questionários, que
retornaram preenchidos por uma população de 51 alunos. Os resultados foram tabelados
para melhor entendimento. Os questionários foram elaborados com questões pensadas
de forma a avaliar da capacitação e também dispor de um espaço para que os
participantes se auto-avaliassem.


       Ao serem questionados se conheciam o assunto abordado na capacitação, 58%
dos participantes afirmaram que não, 33% conheciam um pouco e apenas 9% afirmaram
conhecer amplamente, mostrando o quanto era importante a realização do curso e
confirmando a premissa inicial que apontava a falta de uso e de conhecimento, que foi
uma das justificativas para realização do curso.


       Os dados levantados indicaram que a capacitação realizada proporcionou novos
conhecimentos a 84% dos participantes, e que para 67% teve aplicação prática na vida
11



profissional, pois as atividades estavam inteiramente relacionadas às atividades que
desejavam realizar ou já tinham realizado no moodle.


      O curso trouxe para 76% dos participantes orientação segura para a aplicação de
novas técnicas (processos) no campo de atividade. Observou-se que 53% dos
participantes   apontaram    algumas    oportunidades    de   trocas    de   experiências   e
conhecimentos entre si, dado importante que aponta para a necessidade de inclusão de
mais atividades que envolvam as interações entre participantes.


      O material didático foi considerado suficiente (76%) e de boa qualidade (49%),
exigindo aqui atenção dos formadores e tutores para investir em aperfeiçoamento do
material oferecido inicialmente, por meio de tutoriais e atividades práticas; 82% acharam
adequados os exercícios práticos, questionários, testes e avaliações.


      Ao serem questionados se o curso deveria ser estendido aos acadêmicos, demais
professores e técnicos administrativos, 84% disseram que sim e classificaram o curso
como muito bom (51%). Para concluir foi questionado se estariam dispostos a adotar o
Moodle para o próximo semestre em suas disciplinas: 45% informaram que adeririam e
55% não responderam (alguns por serem técnicos administrativos não se manifestaram).


      No espaço para comentários e sugestões, a aluna A colocou: “Professor, quero dar
um feedback: muito obrigada pela oportunidade, e sempre que surgir algum novo curso,
por favor, me mantenha informada! Adorei o curso, foi muito bem estruturado, aprendi
muito, foi muito satisfatório!”. A aluna B: “O curso possibilitou, através de tutoriais muito
bem explicativos, que eu pudesse ter uma dimensão maior das possibilidades de
interação da plataforma Moodle e da educação on-line. Esta experiência foi produtiva, na
medida em que pude perceber que através destas ferramentas os alunos podem, sim,
aprender o conteúdo de uma forma completa”.
      Outro dado relevante foi que a ferramenta que mais gostaram de utilizar foi o
fórum, seguido pelo wiki, devido à grande interatividade oferecida por estas ferramentas.
      Após a realização da capacitação, foi realizada mais uma vez um levantamento
estatístico, de forma a avaliar a utilização do Moodle pelos servidores da instituição.
Através deste novo levantamento, foi possível perceber que houve um aumento relativo
de solicitações de disciplinas: até setembro de 2010, foram 225 disciplinas solicitadas
12



(Tabela 2), valor maior que o alcançado durante todo o ano de 2009, conforme a Tabela
1.


                      Tabela 2 - Dados das disciplinas criadas no período de 2010
     Total de disciplinas vazias                                             16
     Total de disciplinas que utilizaram apenas o fórum                       5
     Total de disciplinas sem professores definidos                           0
     Total de disciplinas criadas em 2010                                   225


        Pode-se observar, na tabela 2, que foi reduzido o número de disciplinas vazias
(sem nenhuma utilização), bem como o número de disciplinas que utilizaram apenas o
fórum para postagem de materiais, o que se traduz em resultados positivos mostrando
uma maior utilização do ambiente.


        Devido ao conhecimento adquirido durante o curso do Moodle, alguns professores
pediram a importação de suas disciplinas para esse semestre, poupando esforços na
reorganização da estrutura já existente e, com isso, tornando evidente o quanto o
ambiente pode auxiliar o professor na preparação de suas aulas.


        A apresentação de salas de aula virtuais, com material bem distribuído e rico em
atividades diferentes, mostrando o bom uso do Moodle, gerou segurança e confiabilidade
ao utilizar o ambiente. O NTIC e a Coordenadoria de EAD estreitaram sua relação com os
professores e técnicos, recebendo ligações e e-mails, trocando sugestões para melhor o
uso do AVA, e a aplicação de uma avaliação sobre o conteúdo trabalhado também
contribuiu para o ganho de conhecimento adquirido pelo professores que refletiu em
resultados positivos na utilização correta do ambiente conforme relatado anteriormente.


6. CONCLUSÕES


          A Educação a Distância não é uma modalidade nova, porém, atualmente diversos
aparatos tecnológicos têm propiciado um grande auxílio à sua realização. A capacitação
para utilização do Moodle alcançou os objetivos propostos, promovendo e estimulando o
uso autônomo do Ambiente Virtual de Aprendizagem para apoio às atividades de ensino-
aprendizagem presenciais, semipresenciais e a distância. Além disso, foi responsável por
provocar uma maior interação entre técnicos administrativos e docentes da Universidade
13



por meio de uma aprendizagem colaborativa proporcionada pelas atividades utilizadas no
ambiente como textos colaborativos e pelos diferentes fóruns de discussão e sala de
bate-papo.


        Com isso, cumpriu-se um papel importante de alicerçar o aprendizado por meio
da utilização dos recursos tecnológicos, estimulando a construção do saber de forma
colaborativa, através de experiências que exigem uma postura ativa no processo de
aprendizagem, permitindo inclusive o desenvolvimento de projetos de diversas naturezas,
como pesquisa e extensão, e aumentando a potencialidade da instituição gerar novas
ofertas de cursos.


        A partir da Capacitação para uso do Moodle obteve-se uma utilização mais
adequada do ambiente, com menos disciplinas vazias e com uma utilização muito maior
pelos servidores da UNIPAMPA.


        Diante dos resultados alcançados, o NTIC e a Coordenadoria de EAD traçaram
como trabalho futuro uma segunda capacitação intitulada “Instrumentalização e
desenvolvimento de materiais educacionais digitais” com objetivo de atender as várias
solicitações para uma segunda edição da capacitação. Espera-se, com a continuidade do
programa de capacitações, gerar produções em diferentes temáticas e constituir, em cada
espaço da Universidade, interlocutores capacitados para a produção de materiais
educacionais digitais.


        A repercussão positiva do trabalho gerou ainda um convite por parte da
Coordenadoria de Apoio Pedagógico – CAP que está desenvolvendo o Programa de
Acolhida e Acompanhamento do Professor Ingressante (PAAPI/UNIPAMPA) para que um
dos módulos do programa seja uma instrumentalização para uso do Moodle, desta
maneira todo novo docente selecionado para a instituição passará por este processo de
atualização onde o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle será apresentado como
uma ferramenta facilitadora para o processo de ensino-aprendizagem tanto para apoio a
modalidade presencial como a distância.
14



                                     REFERÊNCIAS



ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Tecnologia e educação a distância:
abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem,
2004.        Disponível        em:       <http://www.anped.org.br/reunioes/26/trabalhos/
mariaelizabethalmeida.rtf>. Acesso em: 10 ago. 2010.

BARRETO, Raquel Goulart. Tecnologias educacionais e educação à distância:
avaliando políticas e práticas. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.

DOUGIAMAS, M.; TAYLOR, PC. Moodle: Comunidades de Aprendizagem usando
para criar um Sistema Open Source de Gestão do Curso, 2003. In: Proceedings of the
EDMEDIA 2003 Conference, Honolulu, Hawaii.

GARCIA, Pablo López; LACLETA, María Luisa Sein-Echaluce. A revolução pedagógica:
o    meio     Moodle,     2004.  Disponível     em:     <http://contenidos.universiaes/html
_trad/traducirEspecial/params/especial/bc/seccion/6/titulo/REVOLUCIONPEDAGOGICA-
ENTORNO-MOODLE.html>. Acesso em: 25 jul. 2010.

KAUFMANN, Michael. Implementação de um Sistema Unificado de gestão escolar e
e-learning. Faculdade de Ciências. Dissertação de Mestrado em Educação Multimídia,
2005.

MOODLE.ORG.         Características   do     Moodle,   2010.     Disponível    em:
http://docs.moodle.org/pt/Caracter%C3%ADsticas_do_Moodle>. Acesso em: set. 2010.

NUNES, Maria Augusta S. N.; MACHADO, Gláucio J. C.; SCHNEIDE, Henrique Nou.
Repensando os ambientes virtuais de aprendizagem: o caso da UFS. Universidade
Federal de Sergipe. SBIE, 2009.

UNIPAMPA. Projeto Institucional, 2009. Disponível em: <http://www.unipampa.edu.br/
portal/dmdocuments/PROJETO_INSTITUCIONAL_16_AG0_2009.pdf. Acesso em: jun.
2010.

RIBEIRO, Elvia Nunes; MENDONÇA, Gilda Aquino de Araújo. A importância dos
Ambientes Virtuais deAprendizagem na busca de novos domínios na EAD, 2007.
Disponível em:< http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/4162007104526AM.pdf>. Acesso
em: mai. 2010.

SANTANA, Deusimar Angélica. O uso da Plataforma Moodle na Educação à Distância
como forma de democratizar o ensino. Curso de Pós-graduação Lato Sensu em
Software Livre, 2008.
15



SILVA, Marco. Educação online. Teorias, práticas, legislação e formação corporativa.
São Paulo: Loyola, 2003.




APÊNDICE

APÊNDICE A – AUTO AVALIAÇÃO

       Tente elaborar respostas para essas e outras questões que você entenda como
pertinentes:

       • Qual a minha motivação inicial para participar da Capacitação para utilização
Moodle?
       • Minhas expectativas foram alcançadas?
       • De acordo com os objetivos propostos para o meu aprendizado, o quanto me
sinto satisfeito com o resultado obtido?
       • Quanto avancei nos meus conhecimentos sobre o Moodle?
       • E sobre a educação online?
       • Minha dedicação ao curso foi adequada?
       • A atuação da tutoria me motivou a interagir?
       • Do que eu senti falta?
       • Depois do curso, que planos eu faço para a utilização do Moodle?




APÊNDICE B - AVALIAÇÃO DA CAPACITAÇÃO PARA USO DO MOODLE

Prezado(a) Participante:

Ao programamos este curso, tivemos em vista contribuir da melhor forma possível para o
desenvolvimento/formação dos servidores da instituição. E você, quando participa de um
curso, espera naturalmente que ele corresponda às suas expectativas.

Para sabermos se o curso que você acaba de fazer atendeu aos objetivos a que se
propôs, ou se precisa ser reformulado ou aperfeiçoado em alguns pontos, precisamos
colher suas opiniões a respeito do mesmo.

Contribua preenchendo todos os quesitos do presente questionário, não existe resposta
certa ou errada.

OBS: A cada questão preenchida clique em Enviar e ao terminar de preencher todo o
questionário clique em Terminar e Enviar tudo.

                  Ficaremos agradecidos pela sua valiosa colaboração.
16



1. Já conhecia o assunto abordado?
Escolher uma resposta.
( ) Não
( ) Um pouco
( ) Já tinha um amplo conhecimento

2. A capacitação realizada:
Escolher uma resposta.
( ) Não me proporcionou conhecimentos além dos já possuídos
( ) proporcionou-me novos conhecimentos sobre o assunto

3. No meu entender:
Escolher uma resposta.
( ) muito pouco do que se falou tem aplicação prática na minha vida profissional
( ) grande parte do que se falou tem aplicação prática na minha vida profissional

4. O curso:
Escolher uma resposta.
(    ) trouxe-me orientação segura para a aplicação de novas técnicas (processos) no
campo de minha atividade.
( ) trouxe-me a certeza de que estou utilizando as técnicas (processos) mais adequadas
no campo de minha atividade profissional

 5. O curso ofereceu aos participantes:
Escolher uma resposta.
( ) poucas oportunidades de trocarem experiências e conhecimentos entre si
( ) algumas oportunidades de trocarem experiências e conhecimentos entre si
( ) inúmeras oportunidades de trocarem experiências e conhecimentos entre si

6. O material didático utilizado foi:
Escolher uma resposta.
( ) suficiente
( ) insuficiente

7. A qualidade (conteúdo) do material didático distribuído foi:
Escolher uma resposta.
( ) razoável
( ) boa
( ) muito boa

8. Os exercícios práticos, questionários, testes e avaliações a que foi submetido durante o
curso foram:
Escolher uma resposta.
( ) adequados
( ) inadequados

9. No meu entender, este curso deve ser estendido a acadêmicos, demais professores e
técnicos administrativos:
Escolher uma resposta.
( ) Sim
17



(   ) Não

10 Classifico, de um modo geral, o curso realizado como:
Escolher uma resposta.
( ) regular
( ) bom
( ) muito bom
( ) excelente

11. Você considera importante que acha cursos de capacitação para utilização dos
sistemas disponibilizados pela instituição:
Escolher uma resposta.
( ) Sim
( ) Não

12. A partir da experiência que teve nessa capacitação, você está disposto a adotar o
Moodle para o próximo semestre em suas disciplinas?
Escolher uma resposta.
( ) Sim
( ) Não

13. Justifique a sua resposta anterior, isto é, porque está ou não disposto a adotar o
Moodle para o próximo semestre em suas disciplinas.

14. Utilize o espaço abaixo para apresentar, livremente, sugestões ou críticas que julgar
necessárias, a respeito do curso concluído.



     APÊNDICE C - AVALIAÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DO MOODLE

Esta avaliação é sobre o conteúdo do Moodle, trabalhado nessa Capacitação.

Responda com muita atenção e calma. Cuidado, pois a mesma só poderá ser preenchida
uma vez, tenha certeza que tem condições de realizar nesse momento, pois o sistema
bloqueará mais de um acesso.

                                           *********

O procedimento acima é usual em atividades de avaliação em curso à distância, por essa
razão foi aplicada dessa maneira, com intuito de simular uma situação real.


1. Cite cinco ferramentas que foram utilizadas no seu ambiente de Capacitação:

2. O que é o Ambiente Virtual de Aprendizagem - Moodle? Você utilizaria esse recurso
como estratégia de ensino/aprendizagem?

3. Quais são os passos para enviar uma mensagem para um colega no ambiente
Moodle?
18



4. Ao realizar a atividade Prática 8 de Criação de Tarefas, explique qual a diferença que
observou entre uma tarefa de envio de arquivo único e uma tarefa off-line.

5. Recursos síncronos - é quando professor e aluno estão em aula ao mesmo tempo.
Recursos assíncronos - professor e alunos não estão em aula ao mesmo tempo. De
domínio desses conceitos, cite uma ferramenta síncrona e uma assíncrona do Moodle:

6. Vamos supor que nesse primeiro semestre um professor x personalizou todo o
ambiente da sua disciplina, o que trouxe ótimos resultados, e pretende repetir a mesma
metodologia no próximo semestre, mas e agora? Será que precisará criar a disciplina do
zero? Justifique.

7. Escolha uma das ferramentas ou recurso do Moodle que acredita ser um ponto forte do
ambiente para uso em sua disciplina e justifique:

8. Na Educação a Distância, você é quem gerencia seu aprendizado. Descreva como foi a
sua experiência como aluno, falando de suas expectativas de seguir como aluno a
distância, realizando outros cursos nessa modalidade:

9. Ao final desta disciplina, você considera-se capacitado para seguir trabalhando no seu
ambiente de aula do Moodle, utilizando todos os recursos do mesmo? Justifique:




Patric da Silva Ribeiro – patricsribeiro@gmail.com

Giliane Bernardi - giliane@inf.ufsm.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...filomena.grazina
 
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...Luis Borges Gouveia
 
OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...
OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...
OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...Thiago Reis da Silva
 
Second life e as aprendizagens
Second life e as aprendizagensSecond life e as aprendizagens
Second life e as aprendizagensMilena Jorge
 
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMAMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMRJS8230
 
Jorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tacJorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tacJorge Teixeira
 
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professoresWeb 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professoresPaula Antunes
 
Agudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira TrindadeAgudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira TrindadeCursoTICs
 
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Jovert Freire
 
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoMediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoUFPE
 
Mtc tarefa 5 - esquema e resumo - final jvt
Mtc   tarefa 5 - esquema e resumo - final jvtMtc   tarefa 5 - esquema e resumo - final jvt
Mtc tarefa 5 - esquema e resumo - final jvtJovert Freire
 
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...malmeidaUAB
 
Mtc tarefa 6 - metodologia - final jvt
Mtc   tarefa 6 - metodologia - final jvtMtc   tarefa 6 - metodologia - final jvt
Mtc tarefa 6 - metodologia - final jvtJovert Freire
 
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoArtigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoequipetics
 
Mtc tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvt
Mtc   tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvtMtc   tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvt
Mtc tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvtJovert Freire
 
Unidade i
Unidade iUnidade i
Unidade imf2030
 
Pigead – lante uff
Pigead – lante   uffPigead – lante   uff
Pigead – lante uffNiely Freitas
 

Mais procurados (20)

Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
 
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
 
OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...
OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...
OBA-MC: um modelo de objeto de aprendizagem centrado no processo de ensino-ap...
 
Second life e as aprendizagens
Second life e as aprendizagensSecond life e as aprendizagens
Second life e as aprendizagens
 
Chat
ChatChat
Chat
 
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMAMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
 
Jorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tacJorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tac
 
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professoresWeb 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
Web 2.0 e desenvolvimento profissional de professores
 
Agudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira TrindadeAgudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira Trindade
 
Parablog
ParablogParablog
Parablog
 
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
 
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoMediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
 
Mtc tarefa 5 - esquema e resumo - final jvt
Mtc   tarefa 5 - esquema e resumo - final jvtMtc   tarefa 5 - esquema e resumo - final jvt
Mtc tarefa 5 - esquema e resumo - final jvt
 
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA WEB 2.0 PARA A CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE ...
 
Mtc tarefa 6 - metodologia - final jvt
Mtc   tarefa 6 - metodologia - final jvtMtc   tarefa 6 - metodologia - final jvt
Mtc tarefa 6 - metodologia - final jvt
 
UnidadeII
UnidadeIIUnidadeII
UnidadeII
 
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoArtigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
 
Mtc tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvt
Mtc   tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvtMtc   tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvt
Mtc tarefa 3 - lista de bibliografias - final jvt
 
Unidade i
Unidade iUnidade i
Unidade i
 
Pigead – lante uff
Pigead – lante   uffPigead – lante   uff
Pigead – lante uff
 

Destaque

PresentacióN Factores Que Dominan El Relieve
PresentacióN Factores Que Dominan El RelievePresentacióN Factores Que Dominan El Relieve
PresentacióN Factores Que Dominan El RelieveCentro de adultos
 
::Tendencias globales::
::Tendencias globales::::Tendencias globales::
::Tendencias globales::p277260
 
Exposición: Variation. Fundacion Arco Alcobendas
Exposición: Variation. Fundacion Arco AlcobendasExposición: Variation. Fundacion Arco Alcobendas
Exposición: Variation. Fundacion Arco AlcobendasCruz Romón
 

Destaque (8)

PresentacióN Factores Que Dominan El Relieve
PresentacióN Factores Que Dominan El RelievePresentacióN Factores Que Dominan El Relieve
PresentacióN Factores Que Dominan El Relieve
 
Ws_PE_Entorno_productos y servicios
Ws_PE_Entorno_productos y serviciosWs_PE_Entorno_productos y servicios
Ws_PE_Entorno_productos y servicios
 
::Tendencias globales::
::Tendencias globales::::Tendencias globales::
::Tendencias globales::
 
Liceo samario
Liceo samarioLiceo samario
Liceo samario
 
Maravillas sobre ruedas
Maravillas sobre ruedasMaravillas sobre ruedas
Maravillas sobre ruedas
 
Introduccion Al Spss20284326
Introduccion Al Spss20284326Introduccion Al Spss20284326
Introduccion Al Spss20284326
 
Comunidad php
Comunidad php Comunidad php
Comunidad php
 
Exposición: Variation. Fundacion Arco Alcobendas
Exposición: Variation. Fundacion Arco AlcobendasExposición: Variation. Fundacion Arco Alcobendas
Exposición: Variation. Fundacion Arco Alcobendas
 

Semelhante a Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro

POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...
POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...
POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...Joyce Fettermann
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem  Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem Marcos Ribeiro
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagemAmbientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagemJuFRodrigues
 
APRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.pptAPRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.pptSilvioMattos3
 
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...Elizama Lemos
 
PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...
PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...
PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...Jovert Freire
 
Novas Tecnologias Aplicadas a Educação
Novas Tecnologias Aplicadas a EducaçãoNovas Tecnologias Aplicadas a Educação
Novas Tecnologias Aplicadas a EducaçãoMargareth Maciel
 
Ensino A DistâNcia Slides
Ensino A DistâNcia SlidesEnsino A DistâNcia Slides
Ensino A DistâNcia Slidescoelhors
 
Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1fatimaneves28
 
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao pauloAmbientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao pauloMARA DAISY ALVES RIBEIRO
 
Modelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagem
Modelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagemModelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagem
Modelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagemjoao jose saraiva da fonseca
 
Trabalhando na Plataforma EVA
Trabalhando na Plataforma EVATrabalhando na Plataforma EVA
Trabalhando na Plataforma EVAReuel Lopes
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesCursoTICs
 
Blended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesBlended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesInge Suhr
 

Semelhante a Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro (20)

Resumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Resumo Expandido Osvaldo Novais JrResumo Expandido Osvaldo Novais Jr
Resumo Expandido Osvaldo Novais Jr
 
POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...
POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...
POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR EM UMA PLATAFORMA DE ENSIN...
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem  Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem
 
97
9797
97
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagemAmbientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem
 
silvana.ppt
silvana.pptsilvana.ppt
silvana.ppt
 
silvana.ppt
silvana.pptsilvana.ppt
silvana.ppt
 
APRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.pptAPRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.ppt
 
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplin...
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
Slider Cobesc
Slider CobescSlider Cobesc
Slider Cobesc
 
PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...
PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...
PÔSTER: UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂ...
 
Novas Tecnologias Aplicadas a Educação
Novas Tecnologias Aplicadas a EducaçãoNovas Tecnologias Aplicadas a Educação
Novas Tecnologias Aplicadas a Educação
 
Ensino A DistâNcia Slides
Ensino A DistâNcia SlidesEnsino A DistâNcia Slides
Ensino A DistâNcia Slides
 
Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1
 
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao pauloAmbientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao paulo
 
Modelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagem
Modelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagemModelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagem
Modelos de avaliacao de ambientes virtuais de aprendizagem
 
Trabalhando na Plataforma EVA
Trabalhando na Plataforma EVATrabalhando na Plataforma EVA
Trabalhando na Plataforma EVA
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
 
Blended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesBlended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as ies
 

Mais de CursoTICs

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiCursoTICs
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankCursoTICs
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnCursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelCursoTICs
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinCursoTICs
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosCursoTICs
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerCursoTICs
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiCursoTICs
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiCursoTICs
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriCursoTICs
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesCursoTICs
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariCursoTICs
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoCursoTICs
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechCursoTICs
 

Mais de CursoTICs (20)

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
 

Último

Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 

Último (20)

Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 

Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro

  • 1. Pólo Educacional Superior de Restinga Sêca DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico PROFESSORA ORIENTADORA: Giliane Bernardi, 06/11/2010 Relato de experiência da capacitação de técnicos administrativos e docentes para uso do Moodle na Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA Experience of the technical training of administrators and teachers to use Moodle at the Federal University of Pampa - UNIPAMPA RIBEIRO, Patric da Silva Ribeiro Mestre em Ciência da Computação Universidade Federal de Santa Maria - UFSM RESUMO: No presente trabalho é apresentado o relato de experiência da capacitação para o uso do Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment), oferecido pelo Núcleo de Tecnologia da Informação e Comunicação (NTIC) em parceria com a Coordenadoria de Educação a Distância da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Têm-se como objetivos principais: promover e estimular o uso autônomo do ambiente virtual de aprendizagem para apoio às atividades de ensino-aprendizagem presencial e a distância; e provocar uma maior interação entre técnicos administrativos e docentes da Universidade por meio de uma aprendizagem colaborativa, considerando sua estrutura multicampi. Os resultados apontam inicialmente para um avanço quantitativo na utilização do Ambiente Virtual de Aprendizagem adotado na Instituição. Palavras-chave: capacitação, ensino a distância, ambiente virtual de aprendizagem, Moodle e Ensino Aprendizagem em EAD. ABSTRACT: In the present work describes the experience of the training for using the Virtual Learning Environment Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment), offered by the Center for Information Technology and Communication (NTIC) in partnership with the Education Coordinator Distance from the Federal University of Pampa (UNIPAMPA). It has as main objectives: to promote and encourage the use of autonomous virtual learning environment to support the activities of teaching-learning and distance learning, and lead to greater interaction between technical and administrative faculty of the University through a collaborative learning
  • 2. 2 considering its structure several campus. The results initially point to a quantitative improvement in the use of Virtual Learning Environment adopted at the institution. Key-words: training, distance learning, virtual learning environment, Moodle Teaching and Learning in Distance Education. 1. INTRODUÇÃO A Universidade, como um dos elementos condutores da atual transição da sociedade para um novo paradigma, que vai da sociedade industrial para a sociedade do conhecimento e da informação, é de fundamental importância, por ser espaço privilegiado de experimentações e de inovação. A utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) na academia provoca alterações de gestão, de ensino, pesquisa e extensão. A possibilidade de fazer Educação a Distância (EAD), bem como a consolidação da modalidade, levam a crer que este é um formato a ser cada vez mais explorado e aperfeiçoado, encaminhando a educação a um pensar de outro jeito, fazer de outra forma, a buscar novas estratégias de ação que apontem para um novo modelo educacional, não só a distância, como também presencial. A UNIPAMPA é uma universidade pública fundada em 2006 com o objetivo de fortalecer a metade sul do estado do Rio Grande do Sul (RS). A Universidade possui 10 (dez) campi descentralizados, localizados nas cidades de: Alegrete, Bagé (campus e reitoria), Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Itaqui, Jaguarão, Santana do Livramento, São Borja, São Gabriel e Uruguaiana. Conta atualmente com aproximadamente 444 técnicos administrativos, 423 professores e aproximadamente 6 mil alunos. Em processo de instalação recente, ocorreu, em 2009, a elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional (UNIPAMPA, 2009), através da construção coletiva por parte de docentes, técnicos administrativos e discentes. Este documento prevê, no objetivo sexto, a consolidação do ensino na modalidade de Educação a Distância e como metas prover o acesso e uso de sistemas de apoio a EAD para todos os alunos e docentes da Instituição. Na busca dessas metas, a UNIPAMPA estabeleceu o Moodle
  • 3. 3 como ambiente virtual institucional, usado desde a sua fundação, quando esteve vinculada à Universidade Federal de Santa Maria e à Universidade Federal de Pelotas. O Núcleo de Tecnologia da Informação e da Comunicação, juntamente com a Coordenadoria de EAD, traçou como objetivo acompanhar a utilização do Moodle para propor soluções que permitam a ampliação de utilização do espaço virtual como elemento-chave de ações multicampi, considerando a natureza da concepção da UNIPAMPA. Diante deste contexto, busca-se articular a consolidação do ensino na modalidade EAD dentro da Instituição, oferecendo dentre um conjunto de ações a Capacitação para o Uso do Moodle a docentes e a técnicos administrativos da UNIPAMPA. Este artigo visa relatar a experiência de formação, como um primeiro movimento, no sentido de enfrentar o desafio de manter as equipes de trabalho preparadas para este novo modelo institucional, com uma forma inovadora e autônoma de gerir o conhecimento. 2. CENÁRIO ATUAL DA UTILIZAÇÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM No atual cenário é fundamental que a educação se integre à sociedade do conhecimento. Uma das formas de realizar essa tarefa é desenvolver estratégias de aprendizagem, mediadas pela tecnologia da informação e comunicação (TIC), como por exemplo, a utilização de Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA), cujo conceito, segundo Almeida (2004): está relacionado a sistemas computacionais, destinados ao suporte de atividades mediadas pelas tecnologias de informação e comunicação. Permitem integrar múltiplas mídias e recursos, apresentam informações de maneira organizada, proporcionam interações entre pessoas e objetos de conhecimento, visando atingir determinados objetivos. Os AVA podem ser empregados como suporte para sistemas de EAD, bem como servir de apoio às atividades presenciais de sala de aula e/ou diferentes ambientes por meio da internet ou intranet, abrindo espaços educativos diferenciados. De acordo com Vavassori e Raabe (apud SILVA, 2003, p.312),
  • 4. 4 um ambiente virtual de aprendizagem é um sistema que reúne uma série de recursos e ferramentas, permitindo e potencializando sua utilização em atividades de aprendizagem através da Internet em um curso a distância. Os ambientes devem oferecer condições para que a interatividade possa acontecer entre professor e aluno, e vice-versa, através de diversas ferramentas nas quais poderão ocorrer estas trocas de informações. Os AVA proporcionam a formação de um ciclo onde o sujeito insere-se no processo de realização de atividades que antes não haviam sido pensadas. Na visão de Lévy (1999, apud BARRETO, 2001, p. 83) é preciso colocar as pessoas nessa situação de curiosidade, nessa possibilidade de exploração. Não individualmente, não sozinhas, mas juntas, em grupo. E, uma vez compreendido esse princípio de base, todos os meios servem. Os meios audiovisuais, interativos, os mundos virtuais, os grupos de discussão, tudo o que quisermos[...] É necessário que o professor faça a adequação destes AVA às mais diversas situações, pois permitem diferentes estratégias de aprendizagem que podem despertar fatores como interesse, motivação, criatividade, entre outros, além de poder proporcionar uma aprendizagem colaborativa, interativa e autônoma. A próxima seção apresenta o ambiente Moodle, adotado pela instituição foco deste trabalho. 2.1 Ambiente Virtual de Aprendizagem - Moodle Moodle é um projeto que começou com Martin Dougiamas, nos anos 1990, quando era webmaster na Curtin University of Technology e administrador de sistemas da instalação do WebCT. Foi particularmente influenciado pela epistemologia do construcionismo social - que não só trata a aprendizagem como uma atividade social, mas focaliza a atenção na aprendizagem que acontece enquanto se constroem ativamente artefatos (como textos, por exemplo), para que outros vejam ou utilizem (DOUGIAMAS; TAYLOR, 2003). À medida que o Moodle se espalhou e a comunidade cresceu, mais sugestões e comentários foram recebidos de uma gama mais ampla de pessoas em diversas situações de ensino. Por exemplo, o Moodle não só é usado em universidades, mas também em escolas secundárias e primárias, organizações sem fins lucrativos, empresas que ensinam em casa. Um número cada vez maior de pessoas vem contribuindo com o Moodle de diversas maneiras.
  • 5. 5 Conforme os autores Ribeiro e Mendonça (2007), O AVA Modular Object Oriented Distance Learning (Moodle) é uma plataforma, Open Source, ou seja, pode ser instalado, utilizado, modificado e mesmo distribuído. Seu desenvolvimento objetiva o gerenciamento de aprendizado e de trabalho colaborativo em ambiente virtual, permitindo a criação e administração de cursos on-line, grupos de trabalho e comunidades de aprendizagem. Este AVA, segundo Garcia e Lacleta (2004), “apresenta estrutura modular, ampla comunidade de desenvolvedores, grande quantidade de documentação, disponibilidade, escalabilidade, facilidade de uso, interoperabilidade, estabilidade e segurança”. O Moodle é um ambiente modular, no qual diversos recursos e atividades existentes podem ser adicionados mesmo durante a oferta de um curso, de acordo com o objetivo de quem o está ministrando. Uma importante característica do projeto Moodle é o sítio na internet www.moodle.org, que provê um ponto central para informação, discussão e colaboração entre os usuários, o que inclui administradores de sistemas, professores, pesquisadores, desenhistas instrucionais e desenvolvedores. Este sítio está sempre evoluindo para se adequar às necessidades da comunidade e, como o Moodle, é aberto e gratuito. Os usuários podem “baixar” o Moodle, usá-lo, modificá-lo e distribuí-lo seguindo apenas os termos estabelecidos pela licença. O sistema conta com traduções para 50 idiomas diferentes, além das discussões e colaborações disponíveis em inglês e outros idiomas, sendo que o portal conta com relatório de perguntas frequentes, suporte gratuito, orientações para realização do download e instalação do software, documentação completa e a descrição do planejamento de atualizações futuras do ambiente. O Moodle pode ser instalado em qualquer computador, desde que tenha PHP (Hypertext Preprocessor) e suporte bases de dados SQL (Structured Query Language). No Brasil, a utilização do AVA Moodle cresceu de forma exponencial a partir da criação, em 2006, do sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB/MEC). A UAB possibilitou a oferta de cursos de graduação e pós-graduação à distância em instituições de ensino superior públicas, em todo o país. O auxílio financeiro para as IES participantes do programa, que fossem utilizar o Moodle nos seus cursos EAD, permitiu realizar as
  • 6. 6 implementações e customizações necessárias no sistema, bem como a integração do AVA com os sistemas acadêmicos das instituições envolvidas (NUNES; MACHADO; SCHNEIDE, 2009). O AVA Moodle tem se destacado em trabalhos acadêmicos, relatos de utilização e pesquisas (SANTANA, 2008), (KAUFMANN, 2005). A seguir são apresentadas algumas das suas muitas características (MOODLE.ORG, 2010): • Promove uma pedagogia socioconstrucionista (colaboração, atividades, reflexão crítica, etc.); • Adequado para aulas 100% on-line, assim como para complementar a aprendizagem face a face; • Simples, leve, eficiente, compatível, interface baseada em navegadores de tecnologia simples; • Fácil de instalar em qualquer plataforma que suporte o PHP. Exige apenas uma base de dados (e pode compartilhá-la); • A Independência total da base de dados suporta todas as principais marcas de base de dados (exceto pela definição na tabela inicial); • A lista de cursos mostra as descrições de cada curso existente no servidor, incluindo acessibilidade para convidados; • Cursos podem ser categorizados e pesquisados – um site Moodle pode suportar milhares de cursos; • Ênfase em total segurança o tempo todo. Os formulários são todos checados, os dados validados, os cookies codificados, etc.; • A possibilidade de criação de diferentes perfis como: administrador, professor, tutor, aluno e outros, sendo cada perfil configurado com permissões de edição adequado a cada contexto de atuação no ambiente; • A maioria das áreas de entrada de texto (recursos, postagens nos fóruns, etc.) pode ser editada usando um editor HTML. De domínio dessas características do ambiente Moodle a UNIPAMPA estabeleceu este como ambiente virtual institucional, pois também o mesmo já era usado desde a sua
  • 7. 7 fundação, quando esteve vinculada à Universidade Federal de Santa Maria e à Universidade Federal de Pelotas. Como o Plano de Desenvolvimento Institucional (UNIPAMPA, 2009) objetivava a consolidação do ensino na modalidade de Educação a Distância e como meta prover o acesso e uso de sistemas de apoio a EAD para todos os alunos e docentes da Instituição, avaliou-se a situação da utilização do Moodle e traçou-se alternativas para ampliação do uso como descrito na seção a seguir. 3. USO INICIAL DA PLATAFORMA MOODLE Observou-se, em um primeiro momento, que a plataforma Moodle utilizada pela Instituição, era considerada pela maioria dos usuários um sistema complicado, além de estar sem identidade visual, visto que estava em uso sua instalação padrão. Somando-se a isso, existia um quadro de técnicos administrativos em formação, o que dificultava, na época, um acompanhamento adequado ao ambiente e seu uso. Para realização de um estudo mais preciso foram consultadas todas as disciplinas criadas entre 2007 e 2009 no Moodle, nas duas bases existentes na Instituição 1 obtendo- se os resultados apresentados na Tabela 1: Tabela 1 - Dados das disciplinas criadas no período de 2007 a 2009. Total de disciplinas vazias 78 Total de disciplinas que utilizaram apenas o fórum 18 Total de disciplinas sem professores definidos 43 Total de disciplinas criadas em 2007 86 Total de disciplinas criadas em 2008 106 Total de disciplinas criadas em 2009 189 Total de disciplinas criadas de 2007 a 2009 381 Nessa análise, percebeu-se que o Ambiente Virtual de Aprendizagem não era utilizado com todo potencial de recursos: das 381 disciplinas criadas entre 2007 e 2009, apenas 4,7% dos professores tinham utilizado o recurso “fórum de notícias” para postar material ou notas, 20,4% das áreas para disciplinas presenciais criadas não foram utilizadas e 11,2% não tinham responsáveis pela disciplina. 1 * Até junho de 2010, existiam duas bases para plataforma Moodle na Unipampa: uma, geral da Instituição; outra, específica do campus Alegrete.
  • 8. 8 Além da questão do layout do ambiente, foi levantado que o fato dos servidores não saberem utilizar o Moodle de forma adequada poderia estar levando a não utilização do mesmo. Compreendendo essa necessidade da utilização do Ambiente Virtual de Aprendizagem, especialmente por ter a Universidade uma estrutura multicampi, o NTIC, juntamente com a Coordenadoria de EAD da UNIPAMPA, deu início à elaboração de uma Capacitação para utilização do Moodle, com a finalidade de qualificar tanto os analistas e técnicos de TI, como os demais técnicos administrativos e docentes da Universidade, como forma de verificar se os mesmos conhecem as potencialidades ou simplesmente se é falta de uso do AVA Moodle e ao mesmo tempo orientá-los para utilização correta. 4. ARTICULAÇÃO/ MOBILIZAÇÃO Inicialmente, foi elaborada uma capacitação, em maio de 2010, dirigida aos técnicos de Tecnologia da Informação (TI) dos campi da Universidade, realizada por meio do sistema de videoconferência (Figura 1). Essa edição teve como objetivo preparar os analistas para que pudessem ser tutores e para servirem como ponto de referência nos campi para as dúvidas que surgissem sobre o Moodle. Foram 17 participantes entre técnicos e analistas de TI, totalizando 40 (quarenta) horas de curso. Figura 1. Bolsista da Coordenação de EAD Figura 2. Tela principal da Capacitação para uso Jader e o Instrutor/Analista de TI Patric Ribeiro do Moodle. em videoconferência na primeira etapa da Capacitação. Durante essa capacitação, foi organizada e discutida a melhor forma para atender todas as unidades, levando em consideração as suas peculiaridades. A segunda edição do curso teve como público-alvo docentes e técnicos administrativos, com os objetivos de apresentar o Moodle-UNIPAMPA e familiarizar os participantes com a utilização dos
  • 9. 9 recursos, visando alcançar ganhos para o processo de ensino-aprendizagem. A capacitação foi composta por 17 tutores e um professor, com 137 participantes inscritos, dentre os quais 103 concluíram o curso. As desistências que ocorreram foram justificadas pelo excesso de atividades e por ser um final de semestre, sendo que o acúmulo de atribuições prejudicou os participantes. A abertura da segunda capacitação foi realizada por meio de uma videoconferência, na qual foi explicada a sistemática do curso e o perfil de profissional que atua na área de educação à distância. O conteúdo foi dividido em duas etapas: na unidade 1, os alunos se familiarizaram com o ambiente Moodle na visão de aluno; na unidade 2, foram realizadas atividades práticas, inclusive na função de professor. As atividades propostas tiveram o objetivo de apresentar, aos docentes e aos técnicos, o Moodle, incentivando-os a aproveitá-lo em suas atividades acadêmicas. O curso foi realizado totalmente à distância, exigindo participação de todos em cada etapa, cumprimento de todo o programa, dedicação, leitura e contribuições. A capacitação foi conduzida por roteiros onde os participantes realizavam a leitura e executavam as tarefas direcionadas para a semana. Dois ambientes diferentes foram utilizados: o primeiro, foi o espaço principal (Figura 2), onde foi disponibilizado o material didático da capacitação, assim como as tarefas semanais, atuando com o perfil de aluno; o segundo, chamado de laboratório, possibilitava a todos os participantes terem livre permissão para realizar as atividades, trabalhando com o perfil de professor de uma disciplina. Para cada semana, era disponibilizada, na página inicial, um resumo e ilustração sobre o assunto a ser abordado, materiais de leitura com diversos conceitos e as atividades/tarefas relacionadas ao conteúdo. Cabe salientar que a utilização de figuras e vídeos buscou tornar o material mais lúdico e atrativo, conforme ilustrado na figura 3.
  • 10. 10 Figura 3. Exemplo da tela principal da capacitação. Para avaliar a participação de todos, além das atividades monitoradas pelo Moodle, foi aplicado um questionário de auto-avaliação, bem como um questionário avaliativo da capacitação e outro sobre o conteúdo desenvolvido, conforme os apêndices A, B e C. Com as informações obtidas através dessas entradas, foram gerados resultados e discussões, descritos na próxima seção. 5. RESULTADOS E DISCUSSÃO Primeiramente, foram encaminhados para os 103 alunos os questionários, que retornaram preenchidos por uma população de 51 alunos. Os resultados foram tabelados para melhor entendimento. Os questionários foram elaborados com questões pensadas de forma a avaliar da capacitação e também dispor de um espaço para que os participantes se auto-avaliassem. Ao serem questionados se conheciam o assunto abordado na capacitação, 58% dos participantes afirmaram que não, 33% conheciam um pouco e apenas 9% afirmaram conhecer amplamente, mostrando o quanto era importante a realização do curso e confirmando a premissa inicial que apontava a falta de uso e de conhecimento, que foi uma das justificativas para realização do curso. Os dados levantados indicaram que a capacitação realizada proporcionou novos conhecimentos a 84% dos participantes, e que para 67% teve aplicação prática na vida
  • 11. 11 profissional, pois as atividades estavam inteiramente relacionadas às atividades que desejavam realizar ou já tinham realizado no moodle. O curso trouxe para 76% dos participantes orientação segura para a aplicação de novas técnicas (processos) no campo de atividade. Observou-se que 53% dos participantes apontaram algumas oportunidades de trocas de experiências e conhecimentos entre si, dado importante que aponta para a necessidade de inclusão de mais atividades que envolvam as interações entre participantes. O material didático foi considerado suficiente (76%) e de boa qualidade (49%), exigindo aqui atenção dos formadores e tutores para investir em aperfeiçoamento do material oferecido inicialmente, por meio de tutoriais e atividades práticas; 82% acharam adequados os exercícios práticos, questionários, testes e avaliações. Ao serem questionados se o curso deveria ser estendido aos acadêmicos, demais professores e técnicos administrativos, 84% disseram que sim e classificaram o curso como muito bom (51%). Para concluir foi questionado se estariam dispostos a adotar o Moodle para o próximo semestre em suas disciplinas: 45% informaram que adeririam e 55% não responderam (alguns por serem técnicos administrativos não se manifestaram). No espaço para comentários e sugestões, a aluna A colocou: “Professor, quero dar um feedback: muito obrigada pela oportunidade, e sempre que surgir algum novo curso, por favor, me mantenha informada! Adorei o curso, foi muito bem estruturado, aprendi muito, foi muito satisfatório!”. A aluna B: “O curso possibilitou, através de tutoriais muito bem explicativos, que eu pudesse ter uma dimensão maior das possibilidades de interação da plataforma Moodle e da educação on-line. Esta experiência foi produtiva, na medida em que pude perceber que através destas ferramentas os alunos podem, sim, aprender o conteúdo de uma forma completa”. Outro dado relevante foi que a ferramenta que mais gostaram de utilizar foi o fórum, seguido pelo wiki, devido à grande interatividade oferecida por estas ferramentas. Após a realização da capacitação, foi realizada mais uma vez um levantamento estatístico, de forma a avaliar a utilização do Moodle pelos servidores da instituição. Através deste novo levantamento, foi possível perceber que houve um aumento relativo de solicitações de disciplinas: até setembro de 2010, foram 225 disciplinas solicitadas
  • 12. 12 (Tabela 2), valor maior que o alcançado durante todo o ano de 2009, conforme a Tabela 1. Tabela 2 - Dados das disciplinas criadas no período de 2010 Total de disciplinas vazias 16 Total de disciplinas que utilizaram apenas o fórum 5 Total de disciplinas sem professores definidos 0 Total de disciplinas criadas em 2010 225 Pode-se observar, na tabela 2, que foi reduzido o número de disciplinas vazias (sem nenhuma utilização), bem como o número de disciplinas que utilizaram apenas o fórum para postagem de materiais, o que se traduz em resultados positivos mostrando uma maior utilização do ambiente. Devido ao conhecimento adquirido durante o curso do Moodle, alguns professores pediram a importação de suas disciplinas para esse semestre, poupando esforços na reorganização da estrutura já existente e, com isso, tornando evidente o quanto o ambiente pode auxiliar o professor na preparação de suas aulas. A apresentação de salas de aula virtuais, com material bem distribuído e rico em atividades diferentes, mostrando o bom uso do Moodle, gerou segurança e confiabilidade ao utilizar o ambiente. O NTIC e a Coordenadoria de EAD estreitaram sua relação com os professores e técnicos, recebendo ligações e e-mails, trocando sugestões para melhor o uso do AVA, e a aplicação de uma avaliação sobre o conteúdo trabalhado também contribuiu para o ganho de conhecimento adquirido pelo professores que refletiu em resultados positivos na utilização correta do ambiente conforme relatado anteriormente. 6. CONCLUSÕES A Educação a Distância não é uma modalidade nova, porém, atualmente diversos aparatos tecnológicos têm propiciado um grande auxílio à sua realização. A capacitação para utilização do Moodle alcançou os objetivos propostos, promovendo e estimulando o uso autônomo do Ambiente Virtual de Aprendizagem para apoio às atividades de ensino- aprendizagem presenciais, semipresenciais e a distância. Além disso, foi responsável por provocar uma maior interação entre técnicos administrativos e docentes da Universidade
  • 13. 13 por meio de uma aprendizagem colaborativa proporcionada pelas atividades utilizadas no ambiente como textos colaborativos e pelos diferentes fóruns de discussão e sala de bate-papo. Com isso, cumpriu-se um papel importante de alicerçar o aprendizado por meio da utilização dos recursos tecnológicos, estimulando a construção do saber de forma colaborativa, através de experiências que exigem uma postura ativa no processo de aprendizagem, permitindo inclusive o desenvolvimento de projetos de diversas naturezas, como pesquisa e extensão, e aumentando a potencialidade da instituição gerar novas ofertas de cursos. A partir da Capacitação para uso do Moodle obteve-se uma utilização mais adequada do ambiente, com menos disciplinas vazias e com uma utilização muito maior pelos servidores da UNIPAMPA. Diante dos resultados alcançados, o NTIC e a Coordenadoria de EAD traçaram como trabalho futuro uma segunda capacitação intitulada “Instrumentalização e desenvolvimento de materiais educacionais digitais” com objetivo de atender as várias solicitações para uma segunda edição da capacitação. Espera-se, com a continuidade do programa de capacitações, gerar produções em diferentes temáticas e constituir, em cada espaço da Universidade, interlocutores capacitados para a produção de materiais educacionais digitais. A repercussão positiva do trabalho gerou ainda um convite por parte da Coordenadoria de Apoio Pedagógico – CAP que está desenvolvendo o Programa de Acolhida e Acompanhamento do Professor Ingressante (PAAPI/UNIPAMPA) para que um dos módulos do programa seja uma instrumentalização para uso do Moodle, desta maneira todo novo docente selecionado para a instituição passará por este processo de atualização onde o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle será apresentado como uma ferramenta facilitadora para o processo de ensino-aprendizagem tanto para apoio a modalidade presencial como a distância.
  • 14. 14 REFERÊNCIAS ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Tecnologia e educação a distância: abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem, 2004. Disponível em: <http://www.anped.org.br/reunioes/26/trabalhos/ mariaelizabethalmeida.rtf>. Acesso em: 10 ago. 2010. BARRETO, Raquel Goulart. Tecnologias educacionais e educação à distância: avaliando políticas e práticas. Rio de Janeiro: Quartet, 2001. DOUGIAMAS, M.; TAYLOR, PC. Moodle: Comunidades de Aprendizagem usando para criar um Sistema Open Source de Gestão do Curso, 2003. In: Proceedings of the EDMEDIA 2003 Conference, Honolulu, Hawaii. GARCIA, Pablo López; LACLETA, María Luisa Sein-Echaluce. A revolução pedagógica: o meio Moodle, 2004. Disponível em: <http://contenidos.universiaes/html _trad/traducirEspecial/params/especial/bc/seccion/6/titulo/REVOLUCIONPEDAGOGICA- ENTORNO-MOODLE.html>. Acesso em: 25 jul. 2010. KAUFMANN, Michael. Implementação de um Sistema Unificado de gestão escolar e e-learning. Faculdade de Ciências. Dissertação de Mestrado em Educação Multimídia, 2005. MOODLE.ORG. Características do Moodle, 2010. Disponível em: http://docs.moodle.org/pt/Caracter%C3%ADsticas_do_Moodle>. Acesso em: set. 2010. NUNES, Maria Augusta S. N.; MACHADO, Gláucio J. C.; SCHNEIDE, Henrique Nou. Repensando os ambientes virtuais de aprendizagem: o caso da UFS. Universidade Federal de Sergipe. SBIE, 2009. UNIPAMPA. Projeto Institucional, 2009. Disponível em: <http://www.unipampa.edu.br/ portal/dmdocuments/PROJETO_INSTITUCIONAL_16_AG0_2009.pdf. Acesso em: jun. 2010. RIBEIRO, Elvia Nunes; MENDONÇA, Gilda Aquino de Araújo. A importância dos Ambientes Virtuais deAprendizagem na busca de novos domínios na EAD, 2007. Disponível em:< http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/4162007104526AM.pdf>. Acesso em: mai. 2010. SANTANA, Deusimar Angélica. O uso da Plataforma Moodle na Educação à Distância como forma de democratizar o ensino. Curso de Pós-graduação Lato Sensu em Software Livre, 2008.
  • 15. 15 SILVA, Marco. Educação online. Teorias, práticas, legislação e formação corporativa. São Paulo: Loyola, 2003. APÊNDICE APÊNDICE A – AUTO AVALIAÇÃO Tente elaborar respostas para essas e outras questões que você entenda como pertinentes: • Qual a minha motivação inicial para participar da Capacitação para utilização Moodle? • Minhas expectativas foram alcançadas? • De acordo com os objetivos propostos para o meu aprendizado, o quanto me sinto satisfeito com o resultado obtido? • Quanto avancei nos meus conhecimentos sobre o Moodle? • E sobre a educação online? • Minha dedicação ao curso foi adequada? • A atuação da tutoria me motivou a interagir? • Do que eu senti falta? • Depois do curso, que planos eu faço para a utilização do Moodle? APÊNDICE B - AVALIAÇÃO DA CAPACITAÇÃO PARA USO DO MOODLE Prezado(a) Participante: Ao programamos este curso, tivemos em vista contribuir da melhor forma possível para o desenvolvimento/formação dos servidores da instituição. E você, quando participa de um curso, espera naturalmente que ele corresponda às suas expectativas. Para sabermos se o curso que você acaba de fazer atendeu aos objetivos a que se propôs, ou se precisa ser reformulado ou aperfeiçoado em alguns pontos, precisamos colher suas opiniões a respeito do mesmo. Contribua preenchendo todos os quesitos do presente questionário, não existe resposta certa ou errada. OBS: A cada questão preenchida clique em Enviar e ao terminar de preencher todo o questionário clique em Terminar e Enviar tudo. Ficaremos agradecidos pela sua valiosa colaboração.
  • 16. 16 1. Já conhecia o assunto abordado? Escolher uma resposta. ( ) Não ( ) Um pouco ( ) Já tinha um amplo conhecimento 2. A capacitação realizada: Escolher uma resposta. ( ) Não me proporcionou conhecimentos além dos já possuídos ( ) proporcionou-me novos conhecimentos sobre o assunto 3. No meu entender: Escolher uma resposta. ( ) muito pouco do que se falou tem aplicação prática na minha vida profissional ( ) grande parte do que se falou tem aplicação prática na minha vida profissional 4. O curso: Escolher uma resposta. ( ) trouxe-me orientação segura para a aplicação de novas técnicas (processos) no campo de minha atividade. ( ) trouxe-me a certeza de que estou utilizando as técnicas (processos) mais adequadas no campo de minha atividade profissional 5. O curso ofereceu aos participantes: Escolher uma resposta. ( ) poucas oportunidades de trocarem experiências e conhecimentos entre si ( ) algumas oportunidades de trocarem experiências e conhecimentos entre si ( ) inúmeras oportunidades de trocarem experiências e conhecimentos entre si 6. O material didático utilizado foi: Escolher uma resposta. ( ) suficiente ( ) insuficiente 7. A qualidade (conteúdo) do material didático distribuído foi: Escolher uma resposta. ( ) razoável ( ) boa ( ) muito boa 8. Os exercícios práticos, questionários, testes e avaliações a que foi submetido durante o curso foram: Escolher uma resposta. ( ) adequados ( ) inadequados 9. No meu entender, este curso deve ser estendido a acadêmicos, demais professores e técnicos administrativos: Escolher uma resposta. ( ) Sim
  • 17. 17 ( ) Não 10 Classifico, de um modo geral, o curso realizado como: Escolher uma resposta. ( ) regular ( ) bom ( ) muito bom ( ) excelente 11. Você considera importante que acha cursos de capacitação para utilização dos sistemas disponibilizados pela instituição: Escolher uma resposta. ( ) Sim ( ) Não 12. A partir da experiência que teve nessa capacitação, você está disposto a adotar o Moodle para o próximo semestre em suas disciplinas? Escolher uma resposta. ( ) Sim ( ) Não 13. Justifique a sua resposta anterior, isto é, porque está ou não disposto a adotar o Moodle para o próximo semestre em suas disciplinas. 14. Utilize o espaço abaixo para apresentar, livremente, sugestões ou críticas que julgar necessárias, a respeito do curso concluído. APÊNDICE C - AVALIAÇÃO SOBRE O CONTEÚDO DO MOODLE Esta avaliação é sobre o conteúdo do Moodle, trabalhado nessa Capacitação. Responda com muita atenção e calma. Cuidado, pois a mesma só poderá ser preenchida uma vez, tenha certeza que tem condições de realizar nesse momento, pois o sistema bloqueará mais de um acesso. ********* O procedimento acima é usual em atividades de avaliação em curso à distância, por essa razão foi aplicada dessa maneira, com intuito de simular uma situação real. 1. Cite cinco ferramentas que foram utilizadas no seu ambiente de Capacitação: 2. O que é o Ambiente Virtual de Aprendizagem - Moodle? Você utilizaria esse recurso como estratégia de ensino/aprendizagem? 3. Quais são os passos para enviar uma mensagem para um colega no ambiente Moodle?
  • 18. 18 4. Ao realizar a atividade Prática 8 de Criação de Tarefas, explique qual a diferença que observou entre uma tarefa de envio de arquivo único e uma tarefa off-line. 5. Recursos síncronos - é quando professor e aluno estão em aula ao mesmo tempo. Recursos assíncronos - professor e alunos não estão em aula ao mesmo tempo. De domínio desses conceitos, cite uma ferramenta síncrona e uma assíncrona do Moodle: 6. Vamos supor que nesse primeiro semestre um professor x personalizou todo o ambiente da sua disciplina, o que trouxe ótimos resultados, e pretende repetir a mesma metodologia no próximo semestre, mas e agora? Será que precisará criar a disciplina do zero? Justifique. 7. Escolha uma das ferramentas ou recurso do Moodle que acredita ser um ponto forte do ambiente para uso em sua disciplina e justifique: 8. Na Educação a Distância, você é quem gerencia seu aprendizado. Descreva como foi a sua experiência como aluno, falando de suas expectativas de seguir como aluno a distância, realizando outros cursos nessa modalidade: 9. Ao final desta disciplina, você considera-se capacitado para seguir trabalhando no seu ambiente de aula do Moodle, utilizando todos os recursos do mesmo? Justifique: Patric da Silva Ribeiro – patricsribeiro@gmail.com Giliane Bernardi - giliane@inf.ufsm.br