SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
                    Educação a Distância da UFSM – EAD
                 Projeto Universidade Aberta do Brasil – UAB


       Especialização em Tecnologias da Informação e Comunicação
                          Aplicadas à Educação
                            Polo de Três de Maio
                       Elaboração de Artigo Científico
                      Prof. Ricardo Brisolla Ravanello
                                 05/11/2010



           Análise de uma Webquest como Ferramenta Motivadora
                            para as Aulas de Ciências


                           Emilene Andréa Eichelberger
                      Especialista em Ensino de Física - UNIJUI




RESUMO

O presente artigo relata o uso de uma Webquest como ferramenta motivadora para as
aulas de Ciências do ensino básico presencial. A partir da necessidade de atrair a
atenção dos alunos para o conteúdo trabalhado, visando a formação de cidadãos
capazes de construir o seu conhecimento e ainda atendendo as necessidades de
integrar as tecnologias ao processo de educação, criou-se uma webquest. Sendo
assim o objetivo desse artigo é apresentar a metodologia usada e seus recursos.
Palavras chaves: webquest, experiência, ciências.



ABSTRACT

This paper presents the use of webquest as motivational tool in Science classes in the
education classroom. From the need to attract students’ attention for the subject,
objecting the formation of citizens that are able to built their knowledge, attending the
needs to integrate the technologies to the education process, it was criated a
webquest. Being this the objective of this paper it’s to present the methodology used
and its sources.

Key-words: webquest, experience, Science.




INTRODUÇÃO
Nos dias atuais a tecnologia vem fazendo parte cada vez mais do nosso
cotidiano, vivemos numa sociedade de conhecimento, onde veiculam um
grande número de informações diariamente. Dentro deste contexto o professor
não pode mais ser um mero transmissor de conhecimentos:

                    Ao invés da transmissão e aquisição de informações e
                    conhecimentos prontos, a educação escolar está desafiada a
                    gerar situações que, pela própria experiência de construção do
                    conhecimento, desperte no aluno a dignidade de constituir-se
                    sujeito do seu futuro. Um sujeito capaz de acessar informações
                    disponível, em virtude do aperfeiçoamento da tecnologia
                    informacional, em computadores, internet, satélites, mídia, etc.
                    e, de constantemente, atualizar-se para as novas exigências do
                    mundo social, do trabalho e dos avanços científicos
                    tecnológicos. (BOZETTO, 2005, p. 26)
      Para tanto hoje, nós professores devemos trabalhar em sala de aula de
modo a dar ênfase à formação de habilidades e competências em nossos
alunos, propiciando a realização de atividades que possibilitem a estes
estudantes saírem da escola com competência para transformar as
informações que os cercam em conhecimento. Devemos propiciar a nossos
educandos situações de aprendizagens que o levam a formação do seu próprio
conhecimento.

                    Aprender a aprender é mais importante do que adquirir um
                    conhecimento fechado. Por isso, a escola, necessita
                    desenvolver práticas pedagógicas que ensinem os alunos a
                    aprender sempre, reconstruindo seus conhecimentos na
                    medida em que se defrontarem com novas situações e novas
                    tecnologias. (BOZETTO, 2005, p. 26)
      Dentro dessa visão, de que os alunos devem ser sujeitos ativos na
construção de seus conhecimentos, precisamos buscar a motivação destes,
despertando a curiosidade para os conceitos a serem desenvolvidos. Tendo
em vista essa premissa surge a necessidade do uso das mais diversas
ferramentas metodológicas para conquistar uma turma de Sétimo Ano da
Escola Estadual de Ensino Médio Castelo Branco, Três de Maio, para o
envolvimento dos alunos nas aulas de ciências, onde o assunto tratado são os
seres vivos. Esse conteúdo deveria ser um dos mais atraentes, porém não é o
que ocorre de fato. Dependendo da estratégia usada nas aulas os alunos
demonstram apatia e desmotivação pelo tema tratado, pois não reconhecem a
utilidade e a necessidade desse conteúdo. Nesta faixa etária ainda é comum a
presença de dificuldades de leitura e de escrita, bem como a interpretação, o
que aumenta o desafio do professor em sala de aula.

         Segundo Perrenoud (2000, p. 69), compete ao professor despertar no
aluno “o desejo de aprender, explicitar a relação com o saber, o sentido do
trabalho escolar e desenvolver na criança a capacidade de auto-avaliação”. Em
busca de alternativas para motivar a construção do conhecimento, a webquest
se mostrou como uma ferramenta metodológica atraente aos pré-adolescentes,
visto que estudos anteriores realizados em Portugal por Paiva (2003) já
provaram que os estudantes gostam de trabalhar com computador. Além disso,
atualmente os computadores são ferramentas de particular importância para
todos os ramos científicos, contribuindo com estudos e avanços tecnológicos e
inclusive no ensino, contribuindo para o desenvolvimento das mais diversas
habilidades do educando.

         O uso de webquest foi uma metodologia encontrada para motivar a
participação da turma nos estudos, buscando a realização de trabalhos em
grupos, onde aos poucos, desenvolve-se o respeito pelo próximo e suas
individualidades.

         Como resultado do trabalho com webquest espera-se a formação de
alunos participantes e ativos na construção do seu conhecimento, sentindo-se
motivados a irem de encontro com o novo. Neste processo o professor é um
orientador da aprendizagem, que irá incentivar a realização do trabalho
cooperativo, oportunizando novas situações de aprendizagem e despertando a
curiosidade nos educandos.



REFERENCIAIS

         O ensino de Ciências no Brasil, segundo a Academia Brasileira de
Ciências, se mostra insatisfatório em resultados, pois os alunos demonstram
baixos níveis de conhecimento, tanto no ensino fundamental como no ensino
médio nas avaliações do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA
2007).

         Por outro lado, em sala de aula, percebe-se que os alunos esquecem
rapidamente o que foi tratado nas aulas, são indisciplinados, desinteressados e
sem motivação, isso nos leva a questionar: “o que está errado?”, “por que se
comportam desta maneira?”. Uma possível justificativa para tal desmotivação
está no fato de alguns professores transformarem as suas aulas em simples
transmissão de informações, presentes geralmente nas páginas de um único
livro. Estes professores dão importância quase que exclusivamente à
transmissão de conteúdos conceituais, esquecendo-se dos conteúdos
procedimentais e atitudinais.

      Canto (1999, p. 14) afirma que “questionar posições e opiniões prévias,
avaliar ideias e trabalhar as implicações sociais do conhecimento científico são
práticas” que transformam o ensino das Ciências em aprendizagem
significativa. As aulas de ciências devem servir para formar pessoas que
possam participar e usufruir das oportunidades oferecidas pelo avanço da
Ciência e da Tecnologia, buscando a formação de cidadãos conscientes e
responsáveis por suas ações. Aprender conteúdos científicos permite ao aluno
compreender melhor o mundo e melhorar suas relações com ele.

                     Assim desde o início do ensino fundamental os alunos devem
                     aprender a observar, tirar conclusões, formular hipóteses,
                     experimentar e verificar suas conclusões. A curiosidade natural
                     e a criatividade dos alunos devem ser estimuladas. Esse é um
                     processo lento – incompatível com programas de conteúdo
                     extenso – mas que deixa uma base sólida sobre a qual o futuro
                     poderá ser construído. É importante, que o aluno compreenda
                     fenômenos que ocorrem ao seu redor, razão pela qual começar
                     pelo estudo da realidade do aluno é um instrumento desejável
                     e eficaz.(Grupo de Estudo da Academia Brasileira de Ciências,
                     2007, p. 36)

      Segundo os Referenciais Curriculares do Rio Grande do Sul (2009, p.
50) o ensino de Ciências visa, entre outras coisas, “despertar a curiosidade, o
interesse e o entusiasmo dos alunos em relação aos fenômenos da natureza.”
Sendo assim necessário que o professor se valha das mais variadas
metodologias   e   práticas     de   ensino,   podendo   aproveitar   das   mídias
educacionais que hoje estão a nossa disposição e provocam profundas
mudanças na nossa vida. Através delas podemos trabalhar com o lúdico e com
a interatividade, pois “não há aprendizado sem atividade intelectual e sem
prazer” conforme Rizzo Pinto (1997, apud REIS, 2006).
Sendo assim, uma metodologia que pode ser incorporada ao ensino de
Ciências, podendo trazer consigo o trabalho com projetos e com ação de
cooperação e colaboração entre os educandos, é o uso de webquests, como já
foi proposto por Santos e Figueira (2006). Seu uso para o ensino das ciências
também apresenta relatos positivos, como tonar as aulas mais atrativas,
usando dos recursos disponíveis na internet, presença das mais variadas cores
e fontes de informações trazendo o aluno para o mundo das tecnologias,
conforme Quaresma e Loureiro (2006). Encaminha-se também para a
motivação e a construção do conhecimento, com um ambiente inovador,
segundo Pereira, Fialho & Matos (2009).

      Assim sendo, é de concordância entre os educadores pesquisadores
que o uso das TICs tem se mostrado uma excelente ferramenta motivadora
para o processo de ensino-aprendizagem. A maioria dos alunos gosta de
trabalhar com as mais variadas tecnologias e principalmente com o
computador. Estes têm se apresentado como uma ferramenta de extrema
importância em praticamente todos os campos científicos, tanto como fontes de
pesquisa, como simuladores ou divulgadores do conhecimento científico.
Sendo assim, é importante que os alunos aprendam a se familiarizar com a sua
utilização, explorando-os principalmente como instrumento de aprendizagem.

      As webquest constituem-se como uma metodologia de pesquisa
orientada na internet, sendo um de seus objetivos a dinamização de situações
que estimulem a pesquisa e o pensamento crítico. A exploração das webquest
pode ser tanto uma atividade de introdução ao conteúdo proposto, como uma
proposta de encerramento ou aprofundamento do tema. Quando com olhar
interdisciplinar aumenta a motivação do aluno.

      De acordo com a Wikipédia, o modelo de webquest foi proposta pela
primeira vez pelo professor Bernie Dodge, da Universidade de São Diego, em
1995, com a participação do seu colaborador Tom March. Ela se propõem a
buscar um melhor aproveitamento do tempo na pesquisa e a realização de
trabalhos em grupos, propiciando um ambiente de aprendizagem construtivista.
As webquest de curta duração são para se aplicar em uma ou duas horas de
aula e as de longa duração podem demorar algumas semanas. Comumente
são desenvolvidas e hospedadas em um site ou página da web, sendo
constituídas pelas seguintes etapas ou interfaces: introdução, tarefa, processo,
avaliação e conclusão, podendo variar de acordo com o seu criador. No Brasil
há diversas experiências sobre o trabalho com webquests, que estão
publicadas em vários sites, como Escola do Futuro, Colégio SAA, SENAC,
Escola BR entre outras.



ESTRATÉGIA DE INTRODUÇÃO AO CONTEÚDO PROPOSTO

         A turma do sétimo ano da Escola Estadual de Ensino Médio Castelo
Branco, se caracteriza por ser uma típica turma “rotulada”, onde os professores
desde o início do ano letivo comentavam sobre os aspectos negativos e a
impossibilidade de se realizar bons trabalhos com eles. Um dos motivos que
justifica essa fama é a presença de pré-adolescentes com déficit de atenção e
alunos repetentes fora da faixa etária.

         Levando em consideração os aspectos referentes a motivação dos
educandos e buscando vencer os preconceitos estabelecidos, desenvolveu-se
uma webquest de Ciências com os alunos do sétimo ano. O objetivo de usar
deste recurso didático ultrapassa o simples fato de motiva-los a estudar
Ciências, mas também se propõem a desenvolver entre os alunos o espírito de
cooperação, colaboração e respeito entre colegas, aprendendo a realizar
trabalhos em grupo, onde as individualidades devem ser respeitadas.

         A colaboração e cooperação deve acontecer no uso de webquest, pois
não há como o trabalho que deve ser em grupo seja divido em partes entre os
componentes, como ocorre muitas vezes em sala quando eles combinam quem
faz a primeira, a segunda e a terceira questão, para agilizar e ter tempo livre
depois. Todos os componentes do grupo necessitam visualizar a mesma
interface, sendo desafiados a colaborar e cooperar com os demais colegas do
grupo.

         A webquest elaborada teve a finalidade de introduzir o conteúdo sobre
Anfíbios, buscando a visualização de imagens das espécies que representam
essa classe de vertebrados e informações referentes às características
externas, modo de vida e habitat.
Para dar início ao trabalho com a webquest, foi feita, em sala de aula,
uma discussão inicial, em um período, sobre a Classe dos Anfíbios, com a
finalidade de sondar as informações que os alunos já possuíam a respeito do
assunto e que fazem parte dos conhecimentos adquiridos por estes na escola
em anos anteriores e/ou até mesmo como vivência pessoal. Neste momento foi
solicitado que os alunos citassem alguns animais que representam a classe
dos anfíbios, buscando reconhecer semelhanças entre eles e sua importância
para o homem e o ambiente, como se reproduzem entre outros assuntos
relacionados. Nesta conversa observou-se que alguns alunos tinham
dificuldades para citar exemplares desta classe, outros mencionaram alguns
mitos relacionados a eles, tais como, matar o sapo e posicioná-lo de barriga
para cima para chamar chuva e ao nos aproximar dos sapos eles lançariam
veneno. Com o conversa pode-se concluir, pelas colocações, que existe uma
defasagem no ensino de Ciências nas séries iniciais, o que reforça o
apontamento feito pela Sociedade Brasileira de Ciências em 2007, que é
necessária a implantação de aulas de ciências ou a melhoria destas, a partir
das séries iniciais, pois as atividades de observação e descrição são
extremamente importantes para a formação do educando nesta fase.

      Partindo da discussão inicial, foi esquematizada e proposta a webquest
sobre os Anfíbios, para que eles próprios pudessem pesquisar e ler mais sobre
o tema abordado, visualizando imagens das espécies em estudo. A webquest
foi então planejada para as próximas duas aulas de ciências da turma, já
considerando a necessidade de se trabalhar anteriormente em sala os
objetivos a que se propõem a mesma.

      No dia da aplicação da webquest, em sala de aula, explicou-se o que é
essa ferramenta, quais são seus objetivos, interfaces e como se procede na
sua solução. Salientou-se também a importância de cada interface e o que se
pretendo com ela. Feito isso foram formados trios para a realização do
trabalho, pois a escola dispõe de apenas dez computadores no laboratório de
informática e a turma é composta por 29 alunos. Após os encaminhamentos
feitos em sala, a turma foi encaminhada para a aplicação da webquest que
transcorreu em torno de uma hora e meia de aula.
Para facilitar o acesso a webquest e ter um amparo melhor para as
aulas, foi criado um blog para a turma, que pode ser acessado no endereço
blogt61.blogspot.com. Com o atalho criado fica mais simples direcionar os
alunos para a interface desejada, pois experiências anteriores com o uso de
webquest, percebeu-se tal necessidade devido a dificuldade que os alunos
apresentam em digitar a URL do site e localizar a webquest sugerida, além de
problemas de conexão e acessibilidade.




                                                                                           
          blogt61.blogspot.com – interface do Bolg de Ciências da turma 61 (sétimo ano)
      O blog da turma foi criado anteriormente com o intuito de servir de
amparo às aulas de ciências e também para motivar e divulgar os trabalhos
destes.
     A partir do link colocado no blog, a turma teve facilidade para acessar a
webquest e se encaminhar ao trabalho proposto.
http://www.webquestbrasil.org/criador/webquest/soporte_tabbed_w.php?id_actividad=1
9753&id_pagina=1, interface da introdução e URL da webquest sobre os anfíbios.
       No decorrer da aula pode-se avaliar alguns fatores positivos e outros
que deixaram a desejar, necessitando ser melhorados no decorrer dos
trabalhos que seguirão.

       Como ponto positivo pode-se afirmar que a maior parte da turma se
sentiu motivada a responder as questões, fazendo o solicitado dentro do tempo
previsto – um período de aula. As questões propostas foram respondidas com
responsabilidade pela maioria dos educandos apresentando pequenos erros,
decorrentes da falta de interpretação e problemas de leitura.

       Percebe-se que certos alunos têm mais facilidade para lidar com as
tecnologias do que seus colegas, aceitando os passos propostos pela
webquest e seguindo os sites sugeridos no item processo, enquanto outros
preferem utilizar-se de outras ferramentas de pesquisa como google, por
exemplo, pois sentem dificuldades para localizar as interfaces da webquest e
até por resistência natural de quem desconhece o método. Alguns alunos
pensavam que utilizando o google chegariam as respostas mais rapidamente, o
que não ocorreu, e aos poucos perceberam sozinhos. Outros têm na escola a
única oportunidade de acessar a internet e até mesmo de usar o computador,
mal sabem digitar e dominar o mouse, quanto mais localizar atalhos na tela
para outras interfaces. Essas dificuldades só serão superadas com o uso mais
frequente dessas ferramentas nas aulas, o que deve ser oportunizado pelos
professores.

       Também foi perceptível o fato de os alunos praticamente evitarem a
leitura da introdução, mesmo sendo usada de pouca escrita, passando
praticamente direto para a realização da tarefa. Certos trios nem sequer leram
a avaliação e a conclusão da webquest. Isso levou a uma nova aula com
questionamentos sobre as atitudes apresentadas a esse respeito. Nesta aula
se revelou que o que interessa é cumprir a tarefa com objetividade, e até
mesmo a existência de uma preocupação com falta de tempo para a atividade.
Outros revelaram desinteresse pelo que está escrito.

       A partir disso buscou-se estratégias para contornar essa falta de leitura e
desinteresse. Uma sugestão encontrada é o uso de mini Quest, que são
webquest onde apenas apresentam-se a introdução, a tarefa e o produto. A
introdução ou cenário é uma descrição do assunto a ser abordado, dá uma
ideia do que será feito. A tarefa diz como e o que deve ser feito, os links que
devem ser acessados na pesquisa orientada. Já o produto é o resultado
esperado, como devem ser apresentadas as respostas procuradas. Pode-se
dizer que a mini Quest se aproxima mais do trabalho com turmas das séries do
ensino fundamental e que se esteja introduzindo o trabalho das webquests,
pode ser mais simples para uma primeira experiência.

      Outra estratégia encontrada é aprimorar a escrita, tornando-a mais
agradável para a leitura, um texto mais atraente e desafiador, o que pode
colaborar muito para a leitura integral da webquest. O professor deve envolver
o aluno nas interfaces da webquest, fazendo isso de forma que cada interface
seja interligada entre si em sequência. Para tal é interessante a formação de
parcerias ou equipes entre os professores, pois facilita a escrita de uma
espécie de roteiro ou historinhas que devam ser resolvidas ou desvendadas na
webquest, atraindo ainda mais o público alvo (crianças e pré-adolescentes
neste caso). Nesta equipe cada professor pode contribuir com seus
conhecimentos e melhorar a qualidade do trabalho, bem como propor aos
alunos trabalhos interdisciplinares, que integrem as disciplinas de sala de aula.

      Embora algumas coisas não saíram como o previsto em relação ao
cumprimento da tarefa, dois trios se dispersaram e atrasaram os trabalhos,
convém salientar que a experiência se mostrou produtiva para a maior parte da
sala. Os alunos trabalharam juntos, sem necessitar chamar a atenção o tempo
todo, como geralmente acontece em sala de aula, pois estavam envolvidos
com algo novo para eles. Eles já haviam usado o laboratório de informática em
outras aulas, mas foi a primeira vez que o fizeram de maneira orientada,
sabendo os sites que deveriam ser consultados e não perdidos entre uma
enorme relação de atalhos, sem saber o que acessar.

      Outro fator positivo e que ressalta a validade das webquests é o
progresso obtido no que se refere a construção do conhecimento, pois
souberam, em sua maioria, sintetizar os dados solicitados, escrevendo com
objetividade e coerência. A atividade não se resumiu em apenas copiar ou
colar, ou simplesmente transcrever conceitos crus ao caderno.
A colaboração e a cooperação entre os trios também merece destaque.
Com a webquest todos os alunos do grupo necessariamente estão com a
atenção voltada a mesma questão, não há possibilidade de o trabalho ser
dividido entre os membros. Com isso aprendem formular respostas em
conjunto, um auxilia o outro. Existe a necessidade de respeitar para ser
respeitado. Os alunos se relacionam e aprendem uns com os outros.

      Assim como os alunos, os professores também realizam-se ao
perceberem que suas aulas são atraentes e que estão possibilitando o
crescimento e desenvolvimento intelectual de seus alunos. Segundo Moran
(1995), é o professor quem deve estimular a curiosidade do aluno para
conhecer, pesquisar. A ele compete ainda coordenar o processo de
apresentação dos resultados e mediar a transformação da informação em
conhecimento. Neste contexto a webquest se mostra uma ferramenta eficiente
e de grande valia.



CONCLUSÕES

      Procurou-se criar uma webquest de curta duração e de caráter
motivador para o estudo das Ciências da Natureza, visto o desinteresse e falta
de motivação ser uma das causas do baixo aproveitamento dos alunos neste
componente curricular.

      A avalição da exploração da webquest foi positiva no que se refere aos
objetivos a que ela se propôs, pois possibilitou a inserção e a utilização de
recursos tecnológicos em ensino presencial, como forma de motivar os alunos
a participar de maneira dinâmica na formação do seu próprio conhecimento.
Esta ferramenta metodológica também incentivou o trabalho em grupo,
propiciando aos alunos uma nova forma de aprender, possibilitando a eles um
processo autônomo de busca e apropriação do conhecimento.

      Após a realização da webquest foi feita uma avalição oral com os
educandos sobre o que acharam da atividade, onde eles relataram que foi
positiva e nova essa experiência. Mesmo aqueles alunos que ofereceram certa
resistência no início do trabalho acabaram concordando que desta forma é
mais interessante aprender ciências e que a webquest pode direcionar a
pesquisa para sites confiáveis, pois nem tudo que está na web é confiável.

       Trabalhar com webquests é uma experiência muito interessante e
gratificante. Formamos em nossos alunos mais que conceitos, desenvolvemos
habilidades, que os tornarão competentes num futuro próximo. Desse modo
propõem-se que essa atividade seja implementada e repetida com outros
assuntos, explorando com propriedade as suas potencialidades em busca da
formação de cidadãos competentes.

       Fica o desafio de se realizar a construção de webquests que se
apresentem na forma de pequenas histórias, que apresentam enigmas para
serem resolvidos, buscando motivar os alunos para que a desenvolvam. Assim
também é proposto o uso de mini Quest para contornar a questão de tempo,
visando ser mais objetiva no que se quer alcançar. Entretanto, qualquer
trabalho será mais produtivo se for realizado em equipe, onde tem-se o caráter
interdisciplinar e de contextualização, contribuindo assim para a aprendizagem
efetiva.



REFERÊNCIAS

ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS. O ensino de ciências e a Educação
Básica: propostas para superar a crise. Disponível em:
<http://www.sbm.org.br/web/up/editor/File/ensinomatciendez07.pdf>. Acesso
em 28, set, 2010.

BOZZETO, Ingride Mundstock. Reflexões sobre educação, aprendizagem e
ensino. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005.

CANTO, Eduardo Leite do. Ciências Naturais: aprendendo com o cotidiano.
(Considerações gerais do livro do professor), São Paulo: Ed. Moderna, 1ª ed,
1999.

COLÉGIO SAA. Disponível em:
<http://www.saa.com.br/webquest/webquest.asp >. Acesso em: 26, set, 2010.

CLUBE DO PROFESSOR. Webquests. Disponível em:
<http://www.clubedoprofessor.com.br/webquest/>. Acesso em: 08 julho, 2010.

ESCOLA DO FUTURO. Disponível em: <www.futuro.usp.br>. Acesso em: 24,
agosto, 2010.
GROTTO, Eliane M. B; TERRAZZAN, Eduardo A. & FRANCO, Sérgio R. K..
Interação em ambientes baseados na Web: uma reflexão necessária. Novas
Tecnologias na Educação, Rio Grande do Sul, V2, Nº1, Março, 2004.
Disponível em: < http://www.cinted.ufrgs.br/ciclo3/af/13-interacao.pdf >. Acesso
em: 19 set. 2010

MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e o re-encantamento do mundo.
Disponível em: <ww.eca.usp.br/prof/moran/novtec.htm>. Acesso em: 16,
agosto, 2010.

PERREIRA, Deise Maria Marques; FIALHO, Neusa Nogueira & MATOS,
Elizete Lucia Moreira. Webquest: uma ferramanta criativa e motivadora na
prática   educativa.   In:    PORTAL       WEBQUEST.     Disponível  em:
http://www.portalwebquest.net/pdfs/galaico2.pdf Acessado em: 16, agosto,
2010.

PERRENOUD, Philippe. 10 Novas competências para ensinar. Porto Alegre:
Ed. Artes Médicas Sul Ltda, 2000.

QUARESMA, Paula & LOUREIRO, Maria João. “Gazeta da Física Espantosa”:
uma webquest para a introdução ao ensino da Física. In: : ACTAS DO
ENCONTRO          SOBRE         WEBQUEST.       Disponível  em:     <
http://www.portalwebquest.net/pdfs/cb005.pdf> Acessado em: 16, agosto,
2010.

REFERENCIAIS CURRICULARES DO RS. Disponível em:
< http://www.educacao.rs.gov.br/dados/refer_curric_vol4.pdf >. Acesso em: 16
agosto, 2010

REIS, Fernanda Elias dos. A formação lúdica no Ensino Fundamental: uma
necessidade urgente. In: X EnFEFE – ENCONTRO FLUMINENSE DE
EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Disponível em < http://cev.org.br/biblioteca/a-
formacao-ludica-ensino-fundamental-uma-necessidade-urgente > Acesso em:
01 out. 2010.

SANTOS, Sílvia & FIGUEIRA, Álvaro. Relato de uma experiência de análise de
trabalho colaborativo usando WebQuests. In: ACTAS DO ENCONTRO SOBRE
WEBQUEST. Disponível em: http://www.iep.uminho.pt/tce2ecc/pdfs/cb012.pdf
Acessado em: 16, agosto, 2010.

SENAC – SP. Disponível em: <http://webquest.sp.senac.br/textos/oque>.
Acesso em: 24, agosto, 2010.

WEBQUEST BRASIL. Disponível em: <http://www.webquestbrasil.org/criador/>.
Acesso em: agosto, 2010.

WEBQUEST: Aprendendo na internet
http://web.archive.org/web/20070912194158/http://webquest.futuro.usp.br/index
.html
WIKIPÉDIA. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/WebQuest>. Acesso
em: 29, setembro, 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Marcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipperMarcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipperequipetics
 
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...bio_fecli
 
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
O computador na sociedade do conhecimento   1prefO computador na sociedade do conhecimento   1pref
O computador na sociedade do conhecimento 1prefRenata de Sousa
 
Angelita scalamato
Angelita scalamatoAngelita scalamato
Angelita scalamatoequipetics
 
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos SantosSantana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos SantosCursoTICs
 
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudiaEs1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudiaCláudia Sousa Silva
 
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...pibidgeo
 
O computador na sociedade do conhecimento cap1
O computador na sociedade do conhecimento   cap1O computador na sociedade do conhecimento   cap1
O computador na sociedade do conhecimento cap1Renata de Sousa
 
Agudo - Farli Lilian Borfe Streck
Agudo - Farli Lilian Borfe StreckAgudo - Farli Lilian Borfe Streck
Agudo - Farli Lilian Borfe StreckCursoTICs
 
Ensino E Aprendizagem Inovadores Com Tecnologias
Ensino E Aprendizagem Inovadores Com TecnologiasEnsino E Aprendizagem Inovadores Com Tecnologias
Ensino E Aprendizagem Inovadores Com TecnologiasEliane Almeida
 
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de QuímicaTecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de QuímicaBruno Leite
 
Pré-Projeto Mídias Sociais na educação
Pré-Projeto Mídias Sociais na educaçãoPré-Projeto Mídias Sociais na educação
Pré-Projeto Mídias Sociais na educaçãoCristiane Coimbra
 
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...Denise Aparecida Bonfim
 
Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)
Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)
Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)Samuel Icasa
 
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...pibidgeo
 
eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...
eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...
eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...Pimenta Cultural
 

Mais procurados (20)

Marcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipperMarcia rozane b. pipper
Marcia rozane b. pipper
 
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
 
Projeto lei 2014
Projeto lei   2014Projeto lei   2014
Projeto lei 2014
 
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
O computador na sociedade do conhecimento   1prefO computador na sociedade do conhecimento   1pref
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
 
Tccbiancapriscilaivonaldoderivaldapaula
TccbiancapriscilaivonaldoderivaldapaulaTccbiancapriscilaivonaldoderivaldapaula
Tccbiancapriscilaivonaldoderivaldapaula
 
Angelita scalamato
Angelita scalamatoAngelita scalamato
Angelita scalamato
 
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos SantosSantana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
Santana do Livramento - Nara Fátima Oliveira dos Santos
 
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudiaEs1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
 
Síntese dos processos (formação & avaliação)
Síntese dos processos (formação & avaliação)Síntese dos processos (formação & avaliação)
Síntese dos processos (formação & avaliação)
 
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
MÍDIAS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA NO PROJETO PIBID/UEPB: O USO DAS NOVAS TECNOLOGI...
 
O computador na sociedade do conhecimento cap1
O computador na sociedade do conhecimento   cap1O computador na sociedade do conhecimento   cap1
O computador na sociedade do conhecimento cap1
 
Apresentação Bragança
Apresentação BragançaApresentação Bragança
Apresentação Bragança
 
Agudo - Farli Lilian Borfe Streck
Agudo - Farli Lilian Borfe StreckAgudo - Farli Lilian Borfe Streck
Agudo - Farli Lilian Borfe Streck
 
Ensino E Aprendizagem Inovadores Com Tecnologias
Ensino E Aprendizagem Inovadores Com TecnologiasEnsino E Aprendizagem Inovadores Com Tecnologias
Ensino E Aprendizagem Inovadores Com Tecnologias
 
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de QuímicaTecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
 
Pré-Projeto Mídias Sociais na educação
Pré-Projeto Mídias Sociais na educaçãoPré-Projeto Mídias Sociais na educação
Pré-Projeto Mídias Sociais na educação
 
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
 
Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)
Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)
Tcc versao-final-paloma-jacinto-da-silva-polo-orós-sem.-vii (1)
 
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
PIBID: IMPACTOS POSITIVOS NA FORMAÇÃO DOCENTE ATRAVÉS DO CONTATO ANTECIPADO N...
 
eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...
eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...
eBook "Narrativas de autopromoção de professores: experiências de reflexão e ...
 

Destaque

Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnCursoTICs
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinCursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelCursoTICs
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankCursoTICs
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiCursoTICs
 

Destaque (9)

Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
 
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 

Semelhante a Uso de Webquest como Ferramenta Motivadora para Aulas de Ciências

Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágioLeilany Campos
 
Santana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira Moraes
Santana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira MoraesSantana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira Moraes
Santana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira MoraesCursoTICs
 
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaTendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaSandra Azevedo
 
São João do Polêsine - Andreia Vedoin Cielo
São João do Polêsine - Andreia Vedoin CieloSão João do Polêsine - Andreia Vedoin Cielo
São João do Polêsine - Andreia Vedoin CieloCursoTICs
 
São João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de Freitas
São João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de FreitasSão João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de Freitas
São João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de FreitasCursoTICs
 
Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...
Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...
Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...Gameplay0102
 
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar   eliana, alexsandra, humbertoTexto preliminar   eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar eliana, alexsandra, humbertoelianabraungorl
 
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati PereiraRestinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati PereiraCursoTICs
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo231511
 
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat BrondaniRestinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat BrondaniCursoTICs
 
Análise dos Dados E.E.M. Macário Borba
Análise dos Dados E.E.M. Macário BorbaAnálise dos Dados E.E.M. Macário Borba
Análise dos Dados E.E.M. Macário Borbajana_ramos
 
São João do Polêsine - Carina de Souza Avinio
São João do Polêsine - Carina de Souza AvinioSão João do Polêsine - Carina de Souza Avinio
São João do Polêsine - Carina de Souza AvinioCursoTICs
 
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...Mauricio Maulaz
 
Disciplina oa aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...
Disciplina oa   aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...Disciplina oa   aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...
Disciplina oa aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...JOSÉ ADEMIR DAMASCENO JÚNIOR
 
Merli daiana freddi
Merli daiana freddiMerli daiana freddi
Merli daiana freddiequipetics
 
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...aninhaw2
 
Apresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundoApresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundojaniteacher Simoes
 
Prática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EADPrática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EADwashingtton
 

Semelhante a Uso de Webquest como Ferramenta Motivadora para Aulas de Ciências (20)

Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
 
Marilene
MarileneMarilene
Marilene
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
Santana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira Moraes
Santana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira MoraesSantana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira Moraes
Santana do Livramento - Rita Catarina Fialho de Cerqueira Moraes
 
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaTendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
 
São João do Polêsine - Andreia Vedoin Cielo
São João do Polêsine - Andreia Vedoin CieloSão João do Polêsine - Andreia Vedoin Cielo
São João do Polêsine - Andreia Vedoin Cielo
 
São João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de Freitas
São João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de FreitasSão João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de Freitas
São João do Polêsine - Neida Maria Camponogara de Freitas
 
Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...
Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...
Produto Educacional - Guia de Metodologias Ativas para Professores de Ensino ...
 
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar   eliana, alexsandra, humbertoTexto preliminar   eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
 
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati PereiraRestinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
Restinga Sêca - Maria Nelcinda Forrati Pereira
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo
 
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat BrondaniRestinga Sêca - Diane Spat Brondani
Restinga Sêca - Diane Spat Brondani
 
Análise dos Dados E.E.M. Macário Borba
Análise dos Dados E.E.M. Macário BorbaAnálise dos Dados E.E.M. Macário Borba
Análise dos Dados E.E.M. Macário Borba
 
São João do Polêsine - Carina de Souza Avinio
São João do Polêsine - Carina de Souza AvinioSão João do Polêsine - Carina de Souza Avinio
São João do Polêsine - Carina de Souza Avinio
 
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
 
Disciplina oa aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...
Disciplina oa   aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...Disciplina oa   aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...
Disciplina oa aluno josé ademir - seminário 1 - atividade individual - rese...
 
Merli daiana freddi
Merli daiana freddiMerli daiana freddi
Merli daiana freddi
 
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
 
Apresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundoApresentação janice raimundo
Apresentação janice raimundo
 
Prática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EADPrática pedagógica na EAD
Prática pedagógica na EAD
 

Mais de CursoTICs

Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosCursoTICs
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiCursoTICs
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriCursoTICs
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesCursoTICs
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariCursoTICs
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoCursoTICs
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechCursoTICs
 
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechSobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechCursoTICs
 
Sobradinho - Fátima Regina da Silva Bandeira
Sobradinho - Fátima Regina da Silva BandeiraSobradinho - Fátima Regina da Silva Bandeira
Sobradinho - Fátima Regina da Silva BandeiraCursoTICs
 
Sobradinho - Diana Lurdes Muraro Vendruscollo
Sobradinho - Diana Lurdes Muraro VendruscolloSobradinho - Diana Lurdes Muraro Vendruscollo
Sobradinho - Diana Lurdes Muraro VendruscolloCursoTICs
 
Sobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela CarlottoSobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela CarlottoCursoTICs
 
Sobradinho - Clair Batista da Silva
Sobradinho - Clair Batista da SilvaSobradinho - Clair Batista da Silva
Sobradinho - Clair Batista da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesCursoTICs
 
Sobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiSobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiCursoTICs
 
São João do Polêsine - Silvane de Fátima Weippert
São João do Polêsine - Silvane de Fátima WeippertSão João do Polêsine - Silvane de Fátima Weippert
São João do Polêsine - Silvane de Fátima WeippertCursoTICs
 
São João do Polêsine - Nadiane Feldkercher
São João do Polêsine - Nadiane FeldkercherSão João do Polêsine - Nadiane Feldkercher
São João do Polêsine - Nadiane FeldkercherCursoTICs
 
São João do Polêsine - Marcelo Peixoto Marques
São João do Polêsine - Marcelo Peixoto MarquesSão João do Polêsine - Marcelo Peixoto Marques
São João do Polêsine - Marcelo Peixoto MarquesCursoTICs
 
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva FernandesSão João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva FernandesCursoTICs
 

Mais de CursoTICs (20)

Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
 
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechSobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
 
Sobradinho - Fátima Regina da Silva Bandeira
Sobradinho - Fátima Regina da Silva BandeiraSobradinho - Fátima Regina da Silva Bandeira
Sobradinho - Fátima Regina da Silva Bandeira
 
Sobradinho - Diana Lurdes Muraro Vendruscollo
Sobradinho - Diana Lurdes Muraro VendruscolloSobradinho - Diana Lurdes Muraro Vendruscollo
Sobradinho - Diana Lurdes Muraro Vendruscollo
 
Sobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela CarlottoSobradinho - Daniela Carlotto
Sobradinho - Daniela Carlotto
 
Sobradinho - Clair Batista da Silva
Sobradinho - Clair Batista da SilvaSobradinho - Clair Batista da Silva
Sobradinho - Clair Batista da Silva
 
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe FagundesSobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
Sobradinho - Ana Paula Coe Fagundes
 
Sobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiSobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane Guidotti
 
São João do Polêsine - Silvane de Fátima Weippert
São João do Polêsine - Silvane de Fátima WeippertSão João do Polêsine - Silvane de Fátima Weippert
São João do Polêsine - Silvane de Fátima Weippert
 
São João do Polêsine - Nadiane Feldkercher
São João do Polêsine - Nadiane FeldkercherSão João do Polêsine - Nadiane Feldkercher
São João do Polêsine - Nadiane Feldkercher
 
São João do Polêsine - Marcelo Peixoto Marques
São João do Polêsine - Marcelo Peixoto MarquesSão João do Polêsine - Marcelo Peixoto Marques
São João do Polêsine - Marcelo Peixoto Marques
 
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva FernandesSão João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
São João do Polêsine - Marcelo Nunes da Silva Fernandes
 

Último

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

Uso de Webquest como Ferramenta Motivadora para Aulas de Ciências

  • 1. Universidade Federal de Santa Maria – UFSM Educação a Distância da UFSM – EAD Projeto Universidade Aberta do Brasil – UAB Especialização em Tecnologias da Informação e Comunicação Aplicadas à Educação Polo de Três de Maio Elaboração de Artigo Científico Prof. Ricardo Brisolla Ravanello 05/11/2010 Análise de uma Webquest como Ferramenta Motivadora para as Aulas de Ciências Emilene Andréa Eichelberger Especialista em Ensino de Física - UNIJUI RESUMO O presente artigo relata o uso de uma Webquest como ferramenta motivadora para as aulas de Ciências do ensino básico presencial. A partir da necessidade de atrair a atenção dos alunos para o conteúdo trabalhado, visando a formação de cidadãos capazes de construir o seu conhecimento e ainda atendendo as necessidades de integrar as tecnologias ao processo de educação, criou-se uma webquest. Sendo assim o objetivo desse artigo é apresentar a metodologia usada e seus recursos. Palavras chaves: webquest, experiência, ciências. ABSTRACT This paper presents the use of webquest as motivational tool in Science classes in the education classroom. From the need to attract students’ attention for the subject, objecting the formation of citizens that are able to built their knowledge, attending the needs to integrate the technologies to the education process, it was criated a webquest. Being this the objective of this paper it’s to present the methodology used and its sources. Key-words: webquest, experience, Science. INTRODUÇÃO
  • 2. Nos dias atuais a tecnologia vem fazendo parte cada vez mais do nosso cotidiano, vivemos numa sociedade de conhecimento, onde veiculam um grande número de informações diariamente. Dentro deste contexto o professor não pode mais ser um mero transmissor de conhecimentos: Ao invés da transmissão e aquisição de informações e conhecimentos prontos, a educação escolar está desafiada a gerar situações que, pela própria experiência de construção do conhecimento, desperte no aluno a dignidade de constituir-se sujeito do seu futuro. Um sujeito capaz de acessar informações disponível, em virtude do aperfeiçoamento da tecnologia informacional, em computadores, internet, satélites, mídia, etc. e, de constantemente, atualizar-se para as novas exigências do mundo social, do trabalho e dos avanços científicos tecnológicos. (BOZETTO, 2005, p. 26) Para tanto hoje, nós professores devemos trabalhar em sala de aula de modo a dar ênfase à formação de habilidades e competências em nossos alunos, propiciando a realização de atividades que possibilitem a estes estudantes saírem da escola com competência para transformar as informações que os cercam em conhecimento. Devemos propiciar a nossos educandos situações de aprendizagens que o levam a formação do seu próprio conhecimento. Aprender a aprender é mais importante do que adquirir um conhecimento fechado. Por isso, a escola, necessita desenvolver práticas pedagógicas que ensinem os alunos a aprender sempre, reconstruindo seus conhecimentos na medida em que se defrontarem com novas situações e novas tecnologias. (BOZETTO, 2005, p. 26) Dentro dessa visão, de que os alunos devem ser sujeitos ativos na construção de seus conhecimentos, precisamos buscar a motivação destes, despertando a curiosidade para os conceitos a serem desenvolvidos. Tendo em vista essa premissa surge a necessidade do uso das mais diversas ferramentas metodológicas para conquistar uma turma de Sétimo Ano da Escola Estadual de Ensino Médio Castelo Branco, Três de Maio, para o envolvimento dos alunos nas aulas de ciências, onde o assunto tratado são os seres vivos. Esse conteúdo deveria ser um dos mais atraentes, porém não é o que ocorre de fato. Dependendo da estratégia usada nas aulas os alunos demonstram apatia e desmotivação pelo tema tratado, pois não reconhecem a utilidade e a necessidade desse conteúdo. Nesta faixa etária ainda é comum a
  • 3. presença de dificuldades de leitura e de escrita, bem como a interpretação, o que aumenta o desafio do professor em sala de aula. Segundo Perrenoud (2000, p. 69), compete ao professor despertar no aluno “o desejo de aprender, explicitar a relação com o saber, o sentido do trabalho escolar e desenvolver na criança a capacidade de auto-avaliação”. Em busca de alternativas para motivar a construção do conhecimento, a webquest se mostrou como uma ferramenta metodológica atraente aos pré-adolescentes, visto que estudos anteriores realizados em Portugal por Paiva (2003) já provaram que os estudantes gostam de trabalhar com computador. Além disso, atualmente os computadores são ferramentas de particular importância para todos os ramos científicos, contribuindo com estudos e avanços tecnológicos e inclusive no ensino, contribuindo para o desenvolvimento das mais diversas habilidades do educando. O uso de webquest foi uma metodologia encontrada para motivar a participação da turma nos estudos, buscando a realização de trabalhos em grupos, onde aos poucos, desenvolve-se o respeito pelo próximo e suas individualidades. Como resultado do trabalho com webquest espera-se a formação de alunos participantes e ativos na construção do seu conhecimento, sentindo-se motivados a irem de encontro com o novo. Neste processo o professor é um orientador da aprendizagem, que irá incentivar a realização do trabalho cooperativo, oportunizando novas situações de aprendizagem e despertando a curiosidade nos educandos. REFERENCIAIS O ensino de Ciências no Brasil, segundo a Academia Brasileira de Ciências, se mostra insatisfatório em resultados, pois os alunos demonstram baixos níveis de conhecimento, tanto no ensino fundamental como no ensino médio nas avaliações do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA 2007). Por outro lado, em sala de aula, percebe-se que os alunos esquecem rapidamente o que foi tratado nas aulas, são indisciplinados, desinteressados e
  • 4. sem motivação, isso nos leva a questionar: “o que está errado?”, “por que se comportam desta maneira?”. Uma possível justificativa para tal desmotivação está no fato de alguns professores transformarem as suas aulas em simples transmissão de informações, presentes geralmente nas páginas de um único livro. Estes professores dão importância quase que exclusivamente à transmissão de conteúdos conceituais, esquecendo-se dos conteúdos procedimentais e atitudinais. Canto (1999, p. 14) afirma que “questionar posições e opiniões prévias, avaliar ideias e trabalhar as implicações sociais do conhecimento científico são práticas” que transformam o ensino das Ciências em aprendizagem significativa. As aulas de ciências devem servir para formar pessoas que possam participar e usufruir das oportunidades oferecidas pelo avanço da Ciência e da Tecnologia, buscando a formação de cidadãos conscientes e responsáveis por suas ações. Aprender conteúdos científicos permite ao aluno compreender melhor o mundo e melhorar suas relações com ele. Assim desde o início do ensino fundamental os alunos devem aprender a observar, tirar conclusões, formular hipóteses, experimentar e verificar suas conclusões. A curiosidade natural e a criatividade dos alunos devem ser estimuladas. Esse é um processo lento – incompatível com programas de conteúdo extenso – mas que deixa uma base sólida sobre a qual o futuro poderá ser construído. É importante, que o aluno compreenda fenômenos que ocorrem ao seu redor, razão pela qual começar pelo estudo da realidade do aluno é um instrumento desejável e eficaz.(Grupo de Estudo da Academia Brasileira de Ciências, 2007, p. 36) Segundo os Referenciais Curriculares do Rio Grande do Sul (2009, p. 50) o ensino de Ciências visa, entre outras coisas, “despertar a curiosidade, o interesse e o entusiasmo dos alunos em relação aos fenômenos da natureza.” Sendo assim necessário que o professor se valha das mais variadas metodologias e práticas de ensino, podendo aproveitar das mídias educacionais que hoje estão a nossa disposição e provocam profundas mudanças na nossa vida. Através delas podemos trabalhar com o lúdico e com a interatividade, pois “não há aprendizado sem atividade intelectual e sem prazer” conforme Rizzo Pinto (1997, apud REIS, 2006).
  • 5. Sendo assim, uma metodologia que pode ser incorporada ao ensino de Ciências, podendo trazer consigo o trabalho com projetos e com ação de cooperação e colaboração entre os educandos, é o uso de webquests, como já foi proposto por Santos e Figueira (2006). Seu uso para o ensino das ciências também apresenta relatos positivos, como tonar as aulas mais atrativas, usando dos recursos disponíveis na internet, presença das mais variadas cores e fontes de informações trazendo o aluno para o mundo das tecnologias, conforme Quaresma e Loureiro (2006). Encaminha-se também para a motivação e a construção do conhecimento, com um ambiente inovador, segundo Pereira, Fialho & Matos (2009). Assim sendo, é de concordância entre os educadores pesquisadores que o uso das TICs tem se mostrado uma excelente ferramenta motivadora para o processo de ensino-aprendizagem. A maioria dos alunos gosta de trabalhar com as mais variadas tecnologias e principalmente com o computador. Estes têm se apresentado como uma ferramenta de extrema importância em praticamente todos os campos científicos, tanto como fontes de pesquisa, como simuladores ou divulgadores do conhecimento científico. Sendo assim, é importante que os alunos aprendam a se familiarizar com a sua utilização, explorando-os principalmente como instrumento de aprendizagem. As webquest constituem-se como uma metodologia de pesquisa orientada na internet, sendo um de seus objetivos a dinamização de situações que estimulem a pesquisa e o pensamento crítico. A exploração das webquest pode ser tanto uma atividade de introdução ao conteúdo proposto, como uma proposta de encerramento ou aprofundamento do tema. Quando com olhar interdisciplinar aumenta a motivação do aluno. De acordo com a Wikipédia, o modelo de webquest foi proposta pela primeira vez pelo professor Bernie Dodge, da Universidade de São Diego, em 1995, com a participação do seu colaborador Tom March. Ela se propõem a buscar um melhor aproveitamento do tempo na pesquisa e a realização de trabalhos em grupos, propiciando um ambiente de aprendizagem construtivista. As webquest de curta duração são para se aplicar em uma ou duas horas de aula e as de longa duração podem demorar algumas semanas. Comumente são desenvolvidas e hospedadas em um site ou página da web, sendo
  • 6. constituídas pelas seguintes etapas ou interfaces: introdução, tarefa, processo, avaliação e conclusão, podendo variar de acordo com o seu criador. No Brasil há diversas experiências sobre o trabalho com webquests, que estão publicadas em vários sites, como Escola do Futuro, Colégio SAA, SENAC, Escola BR entre outras. ESTRATÉGIA DE INTRODUÇÃO AO CONTEÚDO PROPOSTO A turma do sétimo ano da Escola Estadual de Ensino Médio Castelo Branco, se caracteriza por ser uma típica turma “rotulada”, onde os professores desde o início do ano letivo comentavam sobre os aspectos negativos e a impossibilidade de se realizar bons trabalhos com eles. Um dos motivos que justifica essa fama é a presença de pré-adolescentes com déficit de atenção e alunos repetentes fora da faixa etária. Levando em consideração os aspectos referentes a motivação dos educandos e buscando vencer os preconceitos estabelecidos, desenvolveu-se uma webquest de Ciências com os alunos do sétimo ano. O objetivo de usar deste recurso didático ultrapassa o simples fato de motiva-los a estudar Ciências, mas também se propõem a desenvolver entre os alunos o espírito de cooperação, colaboração e respeito entre colegas, aprendendo a realizar trabalhos em grupo, onde as individualidades devem ser respeitadas. A colaboração e cooperação deve acontecer no uso de webquest, pois não há como o trabalho que deve ser em grupo seja divido em partes entre os componentes, como ocorre muitas vezes em sala quando eles combinam quem faz a primeira, a segunda e a terceira questão, para agilizar e ter tempo livre depois. Todos os componentes do grupo necessitam visualizar a mesma interface, sendo desafiados a colaborar e cooperar com os demais colegas do grupo. A webquest elaborada teve a finalidade de introduzir o conteúdo sobre Anfíbios, buscando a visualização de imagens das espécies que representam essa classe de vertebrados e informações referentes às características externas, modo de vida e habitat.
  • 7. Para dar início ao trabalho com a webquest, foi feita, em sala de aula, uma discussão inicial, em um período, sobre a Classe dos Anfíbios, com a finalidade de sondar as informações que os alunos já possuíam a respeito do assunto e que fazem parte dos conhecimentos adquiridos por estes na escola em anos anteriores e/ou até mesmo como vivência pessoal. Neste momento foi solicitado que os alunos citassem alguns animais que representam a classe dos anfíbios, buscando reconhecer semelhanças entre eles e sua importância para o homem e o ambiente, como se reproduzem entre outros assuntos relacionados. Nesta conversa observou-se que alguns alunos tinham dificuldades para citar exemplares desta classe, outros mencionaram alguns mitos relacionados a eles, tais como, matar o sapo e posicioná-lo de barriga para cima para chamar chuva e ao nos aproximar dos sapos eles lançariam veneno. Com o conversa pode-se concluir, pelas colocações, que existe uma defasagem no ensino de Ciências nas séries iniciais, o que reforça o apontamento feito pela Sociedade Brasileira de Ciências em 2007, que é necessária a implantação de aulas de ciências ou a melhoria destas, a partir das séries iniciais, pois as atividades de observação e descrição são extremamente importantes para a formação do educando nesta fase. Partindo da discussão inicial, foi esquematizada e proposta a webquest sobre os Anfíbios, para que eles próprios pudessem pesquisar e ler mais sobre o tema abordado, visualizando imagens das espécies em estudo. A webquest foi então planejada para as próximas duas aulas de ciências da turma, já considerando a necessidade de se trabalhar anteriormente em sala os objetivos a que se propõem a mesma. No dia da aplicação da webquest, em sala de aula, explicou-se o que é essa ferramenta, quais são seus objetivos, interfaces e como se procede na sua solução. Salientou-se também a importância de cada interface e o que se pretendo com ela. Feito isso foram formados trios para a realização do trabalho, pois a escola dispõe de apenas dez computadores no laboratório de informática e a turma é composta por 29 alunos. Após os encaminhamentos feitos em sala, a turma foi encaminhada para a aplicação da webquest que transcorreu em torno de uma hora e meia de aula.
  • 8. Para facilitar o acesso a webquest e ter um amparo melhor para as aulas, foi criado um blog para a turma, que pode ser acessado no endereço blogt61.blogspot.com. Com o atalho criado fica mais simples direcionar os alunos para a interface desejada, pois experiências anteriores com o uso de webquest, percebeu-se tal necessidade devido a dificuldade que os alunos apresentam em digitar a URL do site e localizar a webquest sugerida, além de problemas de conexão e acessibilidade.   blogt61.blogspot.com – interface do Bolg de Ciências da turma 61 (sétimo ano) O blog da turma foi criado anteriormente com o intuito de servir de amparo às aulas de ciências e também para motivar e divulgar os trabalhos destes. A partir do link colocado no blog, a turma teve facilidade para acessar a webquest e se encaminhar ao trabalho proposto.
  • 9. http://www.webquestbrasil.org/criador/webquest/soporte_tabbed_w.php?id_actividad=1 9753&id_pagina=1, interface da introdução e URL da webquest sobre os anfíbios. No decorrer da aula pode-se avaliar alguns fatores positivos e outros que deixaram a desejar, necessitando ser melhorados no decorrer dos trabalhos que seguirão. Como ponto positivo pode-se afirmar que a maior parte da turma se sentiu motivada a responder as questões, fazendo o solicitado dentro do tempo previsto – um período de aula. As questões propostas foram respondidas com responsabilidade pela maioria dos educandos apresentando pequenos erros, decorrentes da falta de interpretação e problemas de leitura. Percebe-se que certos alunos têm mais facilidade para lidar com as tecnologias do que seus colegas, aceitando os passos propostos pela webquest e seguindo os sites sugeridos no item processo, enquanto outros preferem utilizar-se de outras ferramentas de pesquisa como google, por exemplo, pois sentem dificuldades para localizar as interfaces da webquest e até por resistência natural de quem desconhece o método. Alguns alunos pensavam que utilizando o google chegariam as respostas mais rapidamente, o que não ocorreu, e aos poucos perceberam sozinhos. Outros têm na escola a única oportunidade de acessar a internet e até mesmo de usar o computador, mal sabem digitar e dominar o mouse, quanto mais localizar atalhos na tela para outras interfaces. Essas dificuldades só serão superadas com o uso mais frequente dessas ferramentas nas aulas, o que deve ser oportunizado pelos professores. Também foi perceptível o fato de os alunos praticamente evitarem a leitura da introdução, mesmo sendo usada de pouca escrita, passando praticamente direto para a realização da tarefa. Certos trios nem sequer leram a avaliação e a conclusão da webquest. Isso levou a uma nova aula com questionamentos sobre as atitudes apresentadas a esse respeito. Nesta aula se revelou que o que interessa é cumprir a tarefa com objetividade, e até mesmo a existência de uma preocupação com falta de tempo para a atividade. Outros revelaram desinteresse pelo que está escrito. A partir disso buscou-se estratégias para contornar essa falta de leitura e desinteresse. Uma sugestão encontrada é o uso de mini Quest, que são
  • 10. webquest onde apenas apresentam-se a introdução, a tarefa e o produto. A introdução ou cenário é uma descrição do assunto a ser abordado, dá uma ideia do que será feito. A tarefa diz como e o que deve ser feito, os links que devem ser acessados na pesquisa orientada. Já o produto é o resultado esperado, como devem ser apresentadas as respostas procuradas. Pode-se dizer que a mini Quest se aproxima mais do trabalho com turmas das séries do ensino fundamental e que se esteja introduzindo o trabalho das webquests, pode ser mais simples para uma primeira experiência. Outra estratégia encontrada é aprimorar a escrita, tornando-a mais agradável para a leitura, um texto mais atraente e desafiador, o que pode colaborar muito para a leitura integral da webquest. O professor deve envolver o aluno nas interfaces da webquest, fazendo isso de forma que cada interface seja interligada entre si em sequência. Para tal é interessante a formação de parcerias ou equipes entre os professores, pois facilita a escrita de uma espécie de roteiro ou historinhas que devam ser resolvidas ou desvendadas na webquest, atraindo ainda mais o público alvo (crianças e pré-adolescentes neste caso). Nesta equipe cada professor pode contribuir com seus conhecimentos e melhorar a qualidade do trabalho, bem como propor aos alunos trabalhos interdisciplinares, que integrem as disciplinas de sala de aula. Embora algumas coisas não saíram como o previsto em relação ao cumprimento da tarefa, dois trios se dispersaram e atrasaram os trabalhos, convém salientar que a experiência se mostrou produtiva para a maior parte da sala. Os alunos trabalharam juntos, sem necessitar chamar a atenção o tempo todo, como geralmente acontece em sala de aula, pois estavam envolvidos com algo novo para eles. Eles já haviam usado o laboratório de informática em outras aulas, mas foi a primeira vez que o fizeram de maneira orientada, sabendo os sites que deveriam ser consultados e não perdidos entre uma enorme relação de atalhos, sem saber o que acessar. Outro fator positivo e que ressalta a validade das webquests é o progresso obtido no que se refere a construção do conhecimento, pois souberam, em sua maioria, sintetizar os dados solicitados, escrevendo com objetividade e coerência. A atividade não se resumiu em apenas copiar ou colar, ou simplesmente transcrever conceitos crus ao caderno.
  • 11. A colaboração e a cooperação entre os trios também merece destaque. Com a webquest todos os alunos do grupo necessariamente estão com a atenção voltada a mesma questão, não há possibilidade de o trabalho ser dividido entre os membros. Com isso aprendem formular respostas em conjunto, um auxilia o outro. Existe a necessidade de respeitar para ser respeitado. Os alunos se relacionam e aprendem uns com os outros. Assim como os alunos, os professores também realizam-se ao perceberem que suas aulas são atraentes e que estão possibilitando o crescimento e desenvolvimento intelectual de seus alunos. Segundo Moran (1995), é o professor quem deve estimular a curiosidade do aluno para conhecer, pesquisar. A ele compete ainda coordenar o processo de apresentação dos resultados e mediar a transformação da informação em conhecimento. Neste contexto a webquest se mostra uma ferramenta eficiente e de grande valia. CONCLUSÕES Procurou-se criar uma webquest de curta duração e de caráter motivador para o estudo das Ciências da Natureza, visto o desinteresse e falta de motivação ser uma das causas do baixo aproveitamento dos alunos neste componente curricular. A avalição da exploração da webquest foi positiva no que se refere aos objetivos a que ela se propôs, pois possibilitou a inserção e a utilização de recursos tecnológicos em ensino presencial, como forma de motivar os alunos a participar de maneira dinâmica na formação do seu próprio conhecimento. Esta ferramenta metodológica também incentivou o trabalho em grupo, propiciando aos alunos uma nova forma de aprender, possibilitando a eles um processo autônomo de busca e apropriação do conhecimento. Após a realização da webquest foi feita uma avalição oral com os educandos sobre o que acharam da atividade, onde eles relataram que foi positiva e nova essa experiência. Mesmo aqueles alunos que ofereceram certa resistência no início do trabalho acabaram concordando que desta forma é
  • 12. mais interessante aprender ciências e que a webquest pode direcionar a pesquisa para sites confiáveis, pois nem tudo que está na web é confiável. Trabalhar com webquests é uma experiência muito interessante e gratificante. Formamos em nossos alunos mais que conceitos, desenvolvemos habilidades, que os tornarão competentes num futuro próximo. Desse modo propõem-se que essa atividade seja implementada e repetida com outros assuntos, explorando com propriedade as suas potencialidades em busca da formação de cidadãos competentes. Fica o desafio de se realizar a construção de webquests que se apresentem na forma de pequenas histórias, que apresentam enigmas para serem resolvidos, buscando motivar os alunos para que a desenvolvam. Assim também é proposto o uso de mini Quest para contornar a questão de tempo, visando ser mais objetiva no que se quer alcançar. Entretanto, qualquer trabalho será mais produtivo se for realizado em equipe, onde tem-se o caráter interdisciplinar e de contextualização, contribuindo assim para a aprendizagem efetiva. REFERÊNCIAS ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS. O ensino de ciências e a Educação Básica: propostas para superar a crise. Disponível em: <http://www.sbm.org.br/web/up/editor/File/ensinomatciendez07.pdf>. Acesso em 28, set, 2010. BOZZETO, Ingride Mundstock. Reflexões sobre educação, aprendizagem e ensino. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005. CANTO, Eduardo Leite do. Ciências Naturais: aprendendo com o cotidiano. (Considerações gerais do livro do professor), São Paulo: Ed. Moderna, 1ª ed, 1999. COLÉGIO SAA. Disponível em: <http://www.saa.com.br/webquest/webquest.asp >. Acesso em: 26, set, 2010. CLUBE DO PROFESSOR. Webquests. Disponível em: <http://www.clubedoprofessor.com.br/webquest/>. Acesso em: 08 julho, 2010. ESCOLA DO FUTURO. Disponível em: <www.futuro.usp.br>. Acesso em: 24, agosto, 2010.
  • 13. GROTTO, Eliane M. B; TERRAZZAN, Eduardo A. & FRANCO, Sérgio R. K.. Interação em ambientes baseados na Web: uma reflexão necessária. Novas Tecnologias na Educação, Rio Grande do Sul, V2, Nº1, Março, 2004. Disponível em: < http://www.cinted.ufrgs.br/ciclo3/af/13-interacao.pdf >. Acesso em: 19 set. 2010 MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e o re-encantamento do mundo. Disponível em: <ww.eca.usp.br/prof/moran/novtec.htm>. Acesso em: 16, agosto, 2010. PERREIRA, Deise Maria Marques; FIALHO, Neusa Nogueira & MATOS, Elizete Lucia Moreira. Webquest: uma ferramanta criativa e motivadora na prática educativa. In: PORTAL WEBQUEST. Disponível em: http://www.portalwebquest.net/pdfs/galaico2.pdf Acessado em: 16, agosto, 2010. PERRENOUD, Philippe. 10 Novas competências para ensinar. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas Sul Ltda, 2000. QUARESMA, Paula & LOUREIRO, Maria João. “Gazeta da Física Espantosa”: uma webquest para a introdução ao ensino da Física. In: : ACTAS DO ENCONTRO SOBRE WEBQUEST. Disponível em: < http://www.portalwebquest.net/pdfs/cb005.pdf> Acessado em: 16, agosto, 2010. REFERENCIAIS CURRICULARES DO RS. Disponível em: < http://www.educacao.rs.gov.br/dados/refer_curric_vol4.pdf >. Acesso em: 16 agosto, 2010 REIS, Fernanda Elias dos. A formação lúdica no Ensino Fundamental: uma necessidade urgente. In: X EnFEFE – ENCONTRO FLUMINENSE DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Disponível em < http://cev.org.br/biblioteca/a- formacao-ludica-ensino-fundamental-uma-necessidade-urgente > Acesso em: 01 out. 2010. SANTOS, Sílvia & FIGUEIRA, Álvaro. Relato de uma experiência de análise de trabalho colaborativo usando WebQuests. In: ACTAS DO ENCONTRO SOBRE WEBQUEST. Disponível em: http://www.iep.uminho.pt/tce2ecc/pdfs/cb012.pdf Acessado em: 16, agosto, 2010. SENAC – SP. Disponível em: <http://webquest.sp.senac.br/textos/oque>. Acesso em: 24, agosto, 2010. WEBQUEST BRASIL. Disponível em: <http://www.webquestbrasil.org/criador/>. Acesso em: agosto, 2010. WEBQUEST: Aprendendo na internet http://web.archive.org/web/20070912194158/http://webquest.futuro.usp.br/index .html
  • 14. WIKIPÉDIA. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/WebQuest>. Acesso em: 29, setembro, 2010.