1
PLANEJAMENTO, IMPLEMENTAÇÃO E GESTÃO DA EAD
DISCIPLINA – METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO
Coordenadoras: Vera Werneck ...
2
1 OBJETIVOS
1.1 OBJETIVO GERAL
Aferir e valorar a utilização das Mídias Sociais como instrumento auxiliar
no sistema edu...
3
2 GRUPO AVMC
● Amália Betania Altarugio - amaliabe@gmail.com - Professora há 22
anos, moro em Santa Cruz das Palmeiras, ...
4
descobrindo a Orquestra da OSESP. Moro em Mogi Mirim, sou casada e
tenho duas filhas que são meu maior patrimônio!
● Alu...
5
3 JUSTIFICATIVA E BENEFÍCIOS
3.1 JUSTIFICATIVA
As novas tecnologias da informação e comunicação democratizaram a
autoria...
6
3.2 BENEFÍCIOS
Na educação a distância (EaD), os recursos das Redes Sociais (RSs)
podem ampliar a relação ensino aprendi...
7
4 METODOLOGIA DE TRABALHO
A estratégia utilizada será a análise de alguns AVAs e mídias utilizados
em cursos de EaD, lev...
8
4.1 PARTE TEÓRICA COM REVISÃO DA LITERATURA RELATIVA AO
PLANEJAMENTO, IMPLEMENTAÇÃO E GESTÃO DA EAD
* Tarefa comum a tod...
9
sociais, contribuem para o desenvolvimento da aprendizagem coletiva. Um exemplo
é o MOODLE, utilizado no curso PIGEAD UF...
10
conveniente, que seja feita, uma preparação de acessibilidade pois as TICs podem
ser um grande aliado para as pessoas c...
11
Viabilizam aos docentes variados recursos para organizar a
aprendizagem coletiva, e também acompanham o desempenho dos ...
12
orkut, Twitter, YouTube, Wiki, Google Docs, dentre outros, têm características
fundamentadas em interfaces modernas, hu...
13
uma transformação da Educação em modelo de funcionamento para a construção
colaborativa de saberes e na abertura aos co...
14
5) Quais das Redes Sociais você já utilizou? *
Assinale as alternativas
Facebook
YouTube
Ask.fm
Twitter
Orkut
Yahoo! An...
15
Eureka
Dokeos
8) Entre os AVAs mencionados na pergunta anterior, qual você
prefere? *
Escolha e Justifique a escolha.
4...
16
4) Quem serão os alunos? *
Perfil de escolaridade
Fundamental I
Fundamental II
Ensino Médio
Graduação
Pós Graduação
Mes...
17
10) Quem serão os Professores Conteudistas?
Informe o quadro de Professores Conteudistas e um breve relato
individual.
...
18
16) Qual o papel do Tutor Presencial no acompanhamento e
avaliação do aluno? *
17) Qual será o tempo mínimo diário de d...
19
* OBSERVAÇÃO: Sobre a divisão de trabalho, este grupo de estudo auto
denominado AVMC pretende desenvolver todas as ativ...
20
5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 BURGOS, T. L. - Comunicação Gráfica em Interfaces de Hipermídia
de Educação a Distância ...
21
 MELO, N. M. de F. S.; et al. Letramento digital de professores:
avanços e limites do uso das tecnologias digitais em ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mtc tarefa 6 - metodologia - final jvt

1.963 visualizações

Publicada em

A tarefa principal dessa semana é elaborar a metodologia do TFC com seu grupo através da identificação das etapas do trabalho e dos responsáveis por desenvolvê-las.
O texto a ser lido (Unidade 7-Principias Elementos de um Relatório de Pesquisa)apoiará na discussão e na elaboração da metodologia.
Utilizar o modelo da tarefa 6 (apenas 1 arquivo deve ser enviado por grupo contendo as informações solicitadas. Cada integrante do grupo deve participar na elaboração do documento no Google Docs e postar no fim de cada tarefa).
Usem o fórum da semana 6 para tirarem dúvidas com seu tutor.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.963
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
92
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mtc tarefa 6 - metodologia - final jvt

  1. 1. 1 PLANEJAMENTO, IMPLEMENTAÇÃO E GESTÃO DA EAD DISCIPLINA – METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO Coordenadoras: Vera Werneck e Cely dos Santos Araujo Anteprojeto do Projeto Final de Curso Pós-Graduação em Planejamento, Implementação e Gestão da EAD UMA INVESTIGAÇÃO DO USO DE REDES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Tutora: Simone de Paula Silva Grupo: AVMC Alunos: Amália Betania Altarugio, Ana Carla Ribeiro Dias Biazotto, Antonio Marcos dos Santos, Daniela Gavassa e Jovert Nunes Freire. Turma: 48 / PIGEAD - Polo: APsjo212 - Data: 13/05/2014. Tarefa 6 - Metodologia
  2. 2. 2 1 OBJETIVOS 1.1 OBJETIVO GERAL Aferir e valorar a utilização das Mídias Sociais como instrumento auxiliar no sistema educacional à distância. Sabendo-se que a grande parte da sociedade já faz uso de tecnologias para interagir dentro da própria estrutura na qual está inserida, faz-se mister direcionar estes veículos de comunicação para alicerçar o que há de mais importante na vida de um ser humano: a educação! 1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS ● Mapear a utilização das Mídias Sociais no âmbito da EaD. ● Identificar avanços e possíveis limitações do uso das tecnologias digitais no contexto educacional. ● Refletir sobre a influência das Mídias no processo educacional. ● Relacionar a apropriação de saberes tecnológicos no meio acadêmico e estudantil. ● Verificar os estudos de caso em AVA, podendo validá-los ou não. ● Estabelecer as principais diferenças e/ou semelhanças de estudos em ambientes fechados, como o Moodle, e as ferramentas acessíveis da WEB 2.0. ● Investigar as mídias sociais como fator de motivação e agregação de valores éticos e morais.
  3. 3. 3 2 GRUPO AVMC ● Amália Betania Altarugio - amaliabe@gmail.com - Professora há 22 anos, moro em Santa Cruz das Palmeiras, sou casada e tenho uma filha de 22 anos, minha querida Laurinha. Formada em Letras, Pedagogia e especialista em Linguística, sou Professora de Língua Portuguesa na SEE. Sou muito dedicada em minha profissão e procuro fazer tudo com amor. Gosto de fazer caminhadas, nadar, ler, ouvir música, viajar e ficar com a minha família. O PIGEAD tem sido fonte de alegria, aprendizado e muita motivação tanto em minha vida profissional como pessoal. É um ambiente muito agradável, que tem propiciado uma aprendizagem de forma colaborativa, significativa e prazerosa. ● Antonio Marcos dos Santos - ams@sc.usp.br - Estou em São Carlos há 13 anos, sou docente de Informática no Centro Paula Souza (São Carlos), Ciência da Computação IMES (Catanduva) e Ensino Fundamental I e II Objetivo (Catanduva). Sou graduado em Ciência da Computação, mestrado em Bioengenharia, doutorado em Biotecnologia e iniciando pós- doutorado no departamento de computação da UFSCar. Em breve especialista pela Universidade Fluminense. ● Ana Carla R. Biazotto - anacarlabiazotto@yahoo.com.br - Sou professora de Arte da SEE/SP e também da rede municipal de ensino, atuo no Ensino Fundamental ciclo I (1º ao 5º ano) e no Ensino Médio ( 1º, 2º e 3º ano). Gosto muito de aprender e compartilhar conhecimentos com meus alunos. Costumo participar de cursos, incluindo os de EAD, onde tenho a possibilidade de adquirir conhecimentos, me relacionar com pessoas com realidades e formas de trabalho diferentes. Além da habilitação em artes Plásticas sou formada também em pedagogia, com curso de aperfeiçoamento em tecnologias assistivas, pós-graduação em Arte Educação, cursos de atualizações da SEE, cursos diversos voltados para a arte e educação, atualmente estou participando do curso
  4. 4. 4 descobrindo a Orquestra da OSESP. Moro em Mogi Mirim, sou casada e tenho duas filhas que são meu maior patrimônio! ● Aluna - Daniela Gavassa - daniela.gavassa@gmail.com - Sou solteira e filha única. Nasci e vivo em São Carlos há 32 anos onde moro com os meus pais, razão da minha vida, exemplos de caráter, determinação e gentileza. Namoro há 13 anos e somos um casal bem resolvido, com pontos de vista muito em comum. Trabalho há 12 anos no Centro Paula Souza e há 5 anos na Escola SENAI como docente na área de TI. Sou graduada em Ciências da Computação pela UFSCAR, especialista em Geoprocessamento pela UFSCAR, licenciada em Informática pelo Centro Paula Souza e mestre em Engenharia Mecânica pela USP, na área de desenvolvimento de software. Adoro estudar, interagir com as pessoas, adquirir novas bagagens e reciclar as antigas. ● Aluno - Jovert Nunes Freire - jovert1@hotmail.com - 56 anos, casado com Carmen Beatriz Henrique Nobre. Dois filhos Victor Henrique Nobre Freire e Bruno Bittencourt Freire. Paulistano morando em São João da Boa Vista há cerca de três anos. Bacharel em Administração de Empresas especializado em Marketing e empresário do ramo de Comunicação há 35 anos. Vivência nas funções de redator, fotógrafo, produtor multimídia, escritor, publisher, repórter, editor, diretor de criação, designer gráfico, consultor de marketing e vendas. Instrução e vivência complementar em TI - Tecnologia da Informação, segurança patrimonial, mecânica, construção e negócios imobiliários. Atleta de natação e triatlo, professor de natação e técnico de futebol juvenil. Lazer: cinema, teatro, leitura, natação, tênis e caminhada. Voluntariado: doze anos no CONSEG - Conselho de Segurança - em cargos de diretoria, vice-presidência e presidência no CONSEG-Perdizes. Diretor do Clube Aquático das Bandeiras, vice-presidente da Sociedade Amigos de Perdizes, Conselheiro e Fundador do Conselho dos Empresários de Turismo do Guarujá - CETURG - e Diretor do Núcleo de Ação Local VBF.
  5. 5. 5 3 JUSTIFICATIVA E BENEFÍCIOS 3.1 JUSTIFICATIVA As novas tecnologias da informação e comunicação democratizaram a autoria, ampliaram as formas de sociabilidade e modificaram o sistema de ensino em virtude das diversidades pedagógicas e instrucionais oferecidas em seus cursos. No contexto educativo, no entanto, a sua aplicação ainda é pouco explorada. “Ambientes como Facebook, Orkut, Twitter, YouTube, dentre outros, também tratados como redes sociais na internet, têm apresentado forte crescimento em número de usuários e tempo que esses dedicam a navegação” (Recuero, 2006). O momento para concretização desse sistema de ensino é oportuno, haja vista que uma parcela significativa da população utiliza as novas tecnologias como meio de comunicação. Por que não utilizá-las como uma alternativa de apoio à educação a distância e explorá-las em conjunto com os ambientes virtuais de aprendizagem, que emergem com todo vigor nestes últimos tempos? Segundo DOTTA (2011), “A proposta de se utilizar uma MS como ambiente virtual de aprendizagem colaborativa apresentou inúmeros desdobramentos, colocando-se como interessante trajetória de pesquisas futuras”. Nesse contexto, faz-se mister que haja estudos comparativos dos ambientes fechados como o Moodle e as ferramentas acessíveis da WEB 2.0, relacionando-os ao conceito pedagógico embutido na educação a distância, com embasamento na práxis dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem e na práxis das Mídias de Comunicação.
  6. 6. 6 3.2 BENEFÍCIOS Na educação a distância (EaD), os recursos das Redes Sociais (RSs) podem ampliar a relação ensino aprendizagem para além dos limites da formalidade dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs) e facilitar a interação entre alunos e professores de um curso ou disciplina, tornando-a mais dinâmica e humanizada. Neste entender, os benefícios deste estudo vêm com o intuito de fortalecer a aliança entre esses recursos de comunicação no acesso ao conhecimento, considerando a importância dos AVAs como o principal meio de comunicação entre os docentes e seus alunos na EaD e, também, considerando as modernas RSs como ferramentas auxiliares, cujo uso coligado pode revolucionar a comunicação e a disseminação de saberes. O uso conjunto de AVAs e RSs representa uma solução facilitadora no acesso à educação, haja vista, serem recursos que se complementam com as suas funcionalidades específicas. Essa aliança é benéfica, de forma específica, a alunos e professores e à sociedade em geral, pois aprimora o compartilhamento de conhecimento de forma interativa e conduz a uma educação de qualidade e excelência. Nesse contexto, MOORE e KEARSLEY ([2010, p. 8) anteviram vários benefícios à educação que a coligação dessas mídias pode: ● “oferecer acesso crescente a oportunidades de aprendizado e treinamento; ● proporcionar oportunidades para atualizar aptidões; ● melhorar a redução de custos dos recursos educacionais; ● apoiar a qualidade das estruturas educacionais existentes; ● melhorar a capacitação do sistema educacional; ● nivelar desigualdades entre grupos etários; ● direcionar campanhas educacionais para públicos-alvo específicos; ● proporcionar treinamento de emergência para grupos-alvo importantes; ● aumentar as aptidões para a educação em novas áreas de conhecimento; ● oferecer uma combinação de educação com trabalho e vida familiar; ● agregar uma dimensão internacional à experiência educacional.”
  7. 7. 7 4 METODOLOGIA DE TRABALHO A estratégia utilizada será a análise de alguns AVAs e mídias utilizados em cursos de EaD, levando em consideração as formas como foram organizadas, como foram planejadas e como as atividades educacionais e materiais didáticos são disponibilizados. Embora a flexibilidade das mídias ofereça muitas vantagens a um público diversificado em muitas faixas etárias, esta investigação é dirigida ao estudante de cursos “online” a distância. Do ponto de vista de sua natureza, a metodologia aplicada ao Trabalho Final de Curso (TFC) pretende gerar conhecimentos para aplicação em práxis, investigando a solução de problemas de comunicação em AVAs, que terão uma abordagem quantitativa - na fase de compilação de dados - e qualitativa - quando da interpretação dos dados - visando gerar informações pertinentes ao contexto do trabalho. E, do ponto de vista de seus objetivos, será desenvolvida inicialmente uma pesquisa baseada em levantamento bibliográfico, seguida de entrevista e/ou aplicação de questionários entre pessoas envolvidas com soluções de comunicação em EaD e voluntários entre alunos EaD. Após esses procedimentos, serão determinadas uma ou mais Redes Sociais existentes em português, onde serão feitos os experimentos sobre as variáveis, controle e observação dos efeitos, associadas às ações visando solucionar problemas identificados no decorrer da investigação. Os pesquisadores e participantes do experimento estarão envolvidos de modo cooperativo ou participativo. Os resultados serão apresentados em forma de relatório com planilhas e gráficos dos resultados obtidos e, através da análise, facilidade de utilização, benefícios e pesquisa de dados, será elaborado um relatório conclusivo da influência destas mídias na EaD.
  8. 8. 8 4.1 PARTE TEÓRICA COM REVISÃO DA LITERATURA RELATIVA AO PLANEJAMENTO, IMPLEMENTAÇÃO E GESTÃO DA EAD * Tarefa comum a todos os integrantes do grupo, ver quadro abaixo. Segundo Dotta (2011), “A MS pode ser utilizada como ambiente de aprendizagem colaborativa, considerando, todavia, algumas limitações, principalmente em aspectos relacionados à gestão da sala de aula virtual, lançamento de notas e acompanhamento das ações dos estudantes. Por outro lado, a flexibilidade das ferramentas disponíveis na MS estudada e, em especial, a possibilidade de controle de uso dessas ferramentas por parte de qualquer usuário, favoreceu o compartilhamento de materiais multimídia, apoiando a diversidade de estilos de aprendizagem. Entretanto, o uso de uma MS fornecida por um terceiro, cuja administração e hospedagem não estejam sob responsabilidade da universidade, pode colocar em risco o andamento dos trabalhos.” O uso das TICs na educação tem um papel fundamental na construção do conhecimento, através delas é possível promover a interação social, sob esse prisma, unidas a estratégias pedagógicas apropriadas, conclui-se que alunos aprendam interagindo e compartilhando informações. Portanto, um grande desafio para o futuro imediato EaD será a elaboração de projetos com alta qualidade pedagógica que garantam a capacidade de diálogo e de interação e o fomento à vida em comunidade e, ao mesmo tempo, viáveis financeira e administrativamente. Nesse sentido, é importante escolher a melhor opção entre as propostas que envolvam criatividade, enfatizem valores baseados em conhecimento crítico, autonomia do pensamento, flexibilidade e habilidade para o desempenho de funções. E, outro grande desafio está na formação de novos profissionais em educação especificamente para a EaD, que detenham suficiente letramento digital para atender a qualidade da proposta e possibilitar a plenitude dos seus objetivos educacionais. A construção do conhecimento é uma operação coletiva. Percebe-se que, no curso PIGEAD, os fóruns, chats, grupos e blogs potencializam a interação. Os grupos oferecem privacidade e sensação de pertencimento. Neste entender é claro como os objetos digitais nas redes sociais ampliam e favorecem o engajamento. Os processos de ensino-aprendizagem que acontecem através do Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs), utilizam recursos virtuais que fortalecem essas relações
  9. 9. 9 sociais, contribuem para o desenvolvimento da aprendizagem coletiva. Um exemplo é o MOODLE, utilizado no curso PIGEAD UFF/UAB, que possui recursos síncronos e assíncronos de comunicação, flexibilizando a interação entre os participantes para que aconteça o processo de ensino-aprendizagem. Além disso, o MOODLE oferece ferramentas de gestão de informações e dados, onde tutores conseguem acompanhar o desenvolvimento e os alunos têm acesso ao conteúdo dos cursos e através dele pesquisa, estuda, elabora, revisa e corrigi suas tarefas, interage e compartilha o conhecimento. Tecnicamente, os AVAs são centrados em conteúdos e atividades de aprendizagem pré-determinadas pelo docente, cujo processo de aprendizagem é previsto de antemão, e sua estrutura não está aberta a intervenções espontâneas e desdobramentos imprevistos como sugere Peters (2001). Apesar de todos os benefícios, sua utilização é limitada, muitas dificuldades surgem do decorrer do curso como: adversidades tecnológicas, compatibilidade de horários, dúvidas sobre as tarefas, entre outras, que prejudicam a interação e o compartilhamento de informações. Para tanto o uso de uma mídia social de aprendizagem colaborativa ocuparia o papel de colaboração e compartilhamento de informações que auxiliariam na construção coletiva do conhecimento. Também serão analisados aspectos que combatam a exclusão aos benefícios da vida em sociedade, pela falta de classe social, origem geográfica, educação, idade, existência de deficiência ou preconceitos raciais. A inclusão social ao ambiente EaD deve oferecer aos mais necessitados oportunidades de acesso, dentro de um sistema que beneficie a todos e não apenas aos mais favorecidos. Segundo Silva (2012), “Houve a necessidade de incorporar a acessibilidade digital em ambientes virtuais de aprendizagem para que pessoas com deficiências visuais parciais ou totais possam acompanhar os cursos à distância [...]”. Embora a acessibilidade em ambientes virtuais seja uma preocupação dos pesquisadores, estudos deverão ser realizados, para que as pessoas desfavorecidas possam ser incluídas aos ambientes de aprendizagem a distância. Isto envolve o trabalho de profissionais, recursos de acessibilidade, de design instrucional e pedagógico, para que o AVA possa ser adequado a interação e colaboração entre os participantes. É
  10. 10. 10 conveniente, que seja feita, uma preparação de acessibilidade pois as TICs podem ser um grande aliado para as pessoas com necessidades especiais, mas para isso, elas precisam saber utilizá-las de forma crítica e independente. Ambientes digitais acessíveis trazem benefícios para toda a sociedade, pois permite o acesso a diversidade populacional, em especial as pessoas com necessidades especiais, possibilitando o acesso a educação e a profissionalização. 4.2 PARTE TEÓRICA COM REVISÃO DA LITERATURA RELATIVA A AMBIENTES VIRTUAIS E MÍDIAS DE COMUNICAÇÃO * Tarefa comum a todos os integrantes do grupo, ver quadro abaixo. Ainda segundo Dotta (2011), “A proposta de se utilizar uma MS como ambiente virtual de aprendizagem colaborativa apresentou inúmeros desdobramentos, colocando-se como interessante trajetória de pesquisas futuras. Verificou-se também que a MS motivou a colaboração, o que não ocorreu no AVA adotado pela universidade. Uma das razões dessa motivação pode ser atribuída às características da interface da MS, que oferece flexibilidade de adaptação das ferramentas e do layout aos interesses dos usuários, diferente do AVA que tem uma interface estruturada de forma rígida e controlada pelo docente” Essa observação leva a considerar a necessidade de se ampliar estudos para o desenvolvimento das interfaces dos AVA, de modo a se aplicar melhor conceitos de interação humano-computador, relacionados à usabilidade, acessibilidade e experiência do usuário. A comunicação através do AVA é o ponto principal na mudança da educação, assim este ambiente virtual unido em consonância com as mídias sociais traçam um novo caminho na construção do conhecimento. A aproximação de ambos permite um novo ambiente que contribuirão para a interação, a cooperação e a formação de vínculos, pois atuarão no enfrentamento de muitas dificuldades que surgem no processo de aprendizagem, dessa forma o indivíduo não se isolara e não evadirá do curso. As mídias sociais possuem um alto poder de compartilhamento de textos, imagens, vídeos e ideias, além de poderem se conectar com outras mídias.
  11. 11. 11 Viabilizam aos docentes variados recursos para organizar a aprendizagem coletiva, e também acompanham o desempenho dos estudantes e facilita a interação com todos, respeitando o tempo e a forma de aprendizagem de cada indivíduo, pois a aprendizagem é centrada no aluno. Ambientes como Facebook, Orkut, Twitter, YouTube, dentre outros, também tratados como redes sociais na internet (Recuero, 2006), têm apresentado forte crescimento em número de usuários e tempo que esses dedicam a navegação. Essas ferramentas de apoio aos AVA fortalecem a integração e interação dos alunos sendo muito motivadoras. A realização de uma tarefa articula-se mais em envolvimento pessoal, em um ambiente de interação que possibilite a ajuda mútua e a compartilhar o fruto do trabalho, valorizando a partilha de ideias e recursos (Henri e Lundgren-Cayrol, 2001, apud Barkley, 2005). É importante enfatizar que a mídia social dispõe de uma grande flexibilidade, a possibilidade de controle de uso dessas ferramentas por parte de qualquer usuário e muitos desdobramentos, todos oportunizaram o compartilhamento de materiais multimídia, com uma grande diversidade de formas de aprendizagem. Portanto a mídia social no apoio ao AVA é uma importante ferramenta no processo ensino-aprendizagem, devido ao seu padrão motiva a colaboração o que não acontece devido à rigidez adotada no AVA. Pois possui uma interface que oferece flexibilidade de adaptação das ferramentas e do layout aos interesses do usuário, usabilidade, acessibilidade, facilidade no acesso e compartilhamento de informação. 4.3 PROPOSTA PRÁTICA DE IMPLEMENTAÇÃO NUMA UNIDADE ESCOLAR DE ALGUNS DOS TÓPICOS ABORDADOS NAS PARTES TEÓRICAS * Tarefa comum a todos os integrantes do grupo, ver quadro abaixo. Devido a crescente utilização de Redes Sociais e ferramentas WEB 2.0 como mídias e recursos de comunicação social, este estudo pretende investigar a sua utilidade como instrumento auxiliar aos AVAs na modalidade EaD. Facebook,
  12. 12. 12 orkut, Twitter, YouTube, Wiki, Google Docs, dentre outros, têm características fundamentadas em interfaces modernas, humanizadas, inteligentes, de facilidade de uso e qualidade técnica indiscutível. Mas, as características pedagógicas dessas mídias permanecem uma incógnita, em parte pelo estigma no meio educacional e em parte por falta de bibliografias e trabalhos investigativos.• A estratégia a ser utilizada para investigar as possibilidades pedagógicas das redes sociais abertas será a de analisar seu efeito entre alunos EaD, levando-se em consideração as formas como eles interagem, se organizam, planejam, seus estudos, além das formas como as atividades educacionais e materiais didáticos são disponibilizados e compartilhados. Segundo a investigação que gerou o artigo científico elaborado por CAMARGO (2011), as quatro abordagens apresentadas por Jacques Gonet em seu livro “Educação e Mídias”, sendo 1 - corrente tecnológica; 2 - corrente inspirada na linguística, na semiologia e na pragmática; 3 - corrente inspirada na sociologia; 4 - corrente inspirada nas práticas de campo, “encontram-se presentes nas disciplinas de um curso EaD apesar de a disciplina não ter sido planejada com a intenção de utilizar as abordagens citadas por Gonnet, há indícios do emprego de todas as quatro correntes no material postado por professores e alunos.” (CAMARGO 2011) Dessa forma, a modalidade EaD requer um tratamento diferenciado da presencial, do ponto de vista dos alunos envolvidos, dos objetivos a serem alcançados, do espaço e tempos disponíveis para a sua realização, entre outras peculiaridades de cada uma. Portanto, o uso de diferentes tipos de mídias em projetos EaD, requer planejamento diferenciado do processo pedagógico que vai ser realizado por seu intermédio. Assim, cada um dos suportes midiáticos tem cuidados e formas de tratamento específicas que, ao serem utilizadas, alteram a maneira como se dá e como se faz a educação. Em EaD, ao elaborar um “plano de mídias” dos projetos e gerir o seu uso, alguns critérios são necessários para a sua organização. Passada uma década desde SILVA (2001) em “A tecnologia é uma estratégia”, onde o autor analisa as TIC, não como meros instrumentos de aprendizagem, mas contribuintes para condicionar as estruturas tecnológicas para
  13. 13. 13 uma transformação da Educação em modelo de funcionamento para a construção colaborativa de saberes e na abertura aos contextos sociais e culturais. “As TIC, particularmente através do desenvolvimento e integração da Internet nas atividades escolares, permitem corresponder às expectativas deste novo modelo, desde logo, por possibilitarem a adoção de uma nova definição do tempo escolar, tal como é proposta por Schwartz & Polllishuke (1995): flexível para adaptar-se às necessidades dos alunos e flexível para adaptar-se às mudanças da planificação e programação.” [APUD SILVA, Bento 2001] Nesse sentido procederemos a um diagnóstico da situação no início da nossa pesquisa, utilizando questionários como os modelos abaixo: 4.3.1 QUESTIONÁRIOS 4.3.1.1- Metodologia do TFC (Template 6) Link para o Questionário Metodologia do TFC Para facilitar a elaboração da Tarefa 6, procure responder, com as tuas próprias palavras, este questionário considerando o contexto do tema do Projeto do TFC: 1) As redes sociais podem ser usadas como ferramentas de apoio aos AVAs? * Responda e justifique 2) O uso das redes sociais podem motivar a colaboração em atividades na EaD? * Responda e justifique 3) Nas Redes Sociais, como podemos controlar as formas de apropriação do conhecimento pelos estudantes? * Responda e justifique 4) Como podemos aferir que as características da interface das Redes Sociais podem ser responsáveis por estimular a colaboração? Responda e Justifique
  14. 14. 14 5) Quais das Redes Sociais você já utilizou? * Assinale as alternativas Facebook YouTube Ask.fm Twitter Orkut Yahoo! Answers Brasil Badoo Bate-papo UOL Google+ Instagram Outro: 6) Entre as RS mencionadas na pergunta anterior, qual você prefere? Escolha e Justifique a escolha. 7) Quais dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem você já utilizou? * Moodle Blackboard SOLAR Sócrates TelEduc Amadeus AVA AIED
  15. 15. 15 Eureka Dokeos 8) Entre os AVAs mencionados na pergunta anterior, qual você prefere? * Escolha e Justifique a escolha. 4.3.1.2 Pesquisa Diagnóstica Link para Questionário para Pesquisa Diagnóstica Este questionário é uma pesquisa para diagnóstico de viabilidade para formulação de uma "Proposta prática de implementação de Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação em uma unidade escolar" 1) Tipo de Modalidade * Semipresencial Educação a Distância 2) Como serão selecionados? * Descreva o sistema de seleção de alunos. 3) Que formação prévia precisam ter para participar do curso? * Informe as exigências de diplomação. Ensino Fundamental Ensino Médio Graduação Pós-graduação Mestrado Doutorado
  16. 16. 16 4) Quem serão os alunos? * Perfil de escolaridade Fundamental I Fundamental II Ensino Médio Graduação Pós Graduação Mestrado Doutorado Pós Doutorado 5) Quantos são? * Informe a quantidade planejada de admissão de alunos. 6) Como docentes e discentes irão interagir? * AVA Rede Social AVA e Rede Social 7) Que tipo de mídias eles precisam acessar para realizar as suas atividades? * Informe as mídias e recursos necessários para desenvolvimento do curso 8) Que tipo de suportes midiáticos (equipamentos) vão utilizar no curso? 9) Haverá cursos prévios para que os alunos obtenham o nível de fluência necessário para uso das mídias selecionadas? * Responda se haverá algum curso prévio de Letramento e Fluência Digital
  17. 17. 17 10) Quem serão os Professores Conteudistas? Informe o quadro de Professores Conteudistas e um breve relato individual. 11) De onde irão atuar? * Insira uma ou mais opção Instituição de Ensino Casa Estúdios de Gravação Outro: 12) Que papel terão no planejamento, na seleção dos conteúdos e na elaboração das atividades do curso? * Determine o campo de responsabilidade do docente 13) A Instituição de Ensino fornecerá os equipamentos que serão usados pelos: * Professores Tutores Presenciais Tutores a Distância Alunos 14) Haverá teste prévio de validação na mídia antes da disponibilização do curso para os alunos?* Sim Não 15) Qual o papel do Tutor Presencial no desenvolvimento do Curso?
  18. 18. 18 16) Qual o papel do Tutor Presencial no acompanhamento e avaliação do aluno? * 17) Qual será o tempo mínimo diário de dedicação do Tutor Presencial? * Horas : Minutos : Segundos 18) Qual o papel do Tutor a Distância no acompanhamento e avaliação do aluno? * 19) Qual o papel do Tutor a Distância no desenvolvimento do Curso? 20) Qual será o tempo mínimo diário de dedicação do Tutor a Distância? * Horas : Minutos : Segundos
  19. 19. 19 * OBSERVAÇÃO: Sobre a divisão de trabalho, este grupo de estudo auto denominado AVMC pretende desenvolver todas as atividades de forma colaborativa, como apresentado no quadro abaixo, onde cada integrante do grupo supervisionará parte do trabalho, mas todos contribuirão, com o melhor de si mesmo, em todas as fases da elaboração e planejamento do TFC.
  20. 20. 20 5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  BURGOS, T. L. - Comunicação Gráfica em Interfaces de Hipermídia de Educação a Distância via WEB - In: Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação, 3. Anais eletrônicos..., Recife: UFPe, 2010. Disponível em: <http://www.ufpe.br/nehte/simposio/anais/Anais- Hipertexto-2010/Taciana-Burgos.pdf>. Acesso em: 03 mai. 2014.  CAMARGO, L. D. V. L. O uso de mídias na formação de professores e gestores em EaD. Disponível em:<http://www.pead.ucpel.tche.br/ revistas /index.php/colabora/article/viewFile/216/172>. Acesso 10 abr. 2014.  DILLBURG, D. J. D.; TEIXEIRA, A. C. Uma proposta de Avaliação Qualitativa em Ambientes Virtuais de Aprendizagem - Instituto de Ciências Exatas e Geociências – Universidade de Passo Fundo (UPF). Passo Fundo – RS, Brasil. Disponível em: <http://www.br- ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/1649/1414>. Acesso: 21 abr. 2014.  DOTTA, S. - Uso de uma Mídia Social como Ambiente Virtual de Aprendizagem- ISSN: 2176-4301 - In: Anais XXII SBIE - Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Aracaju, 21 a 25 de novembro de 2011 - Universidade Federal do ABC - Centro de Matemática, Computação e Cognição - Disponível em: <http://br-ie.org /pub/index.php/sbie/article/download/1623/1388>. Acesso: 19 abr. 2014.  JONASSEN, D. O Uso das Novas Tecnologias na Educação A Distância e a Aprendizagem Construtivista. Disponível em: <https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/2504.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2014.  JULIANI, M. S. da C. G. A interação com artefatos tecnológicos e a construção do conhecimento histórico: um estudo com crianças da 4ª série do ensino fundamental. Londrina, 2011. 136 f.: il. Disponível em: <http://www.uel.br/pos/mestredu/images/stories/downloads /dissertacoes /2011/2011_-_JULIANI_Mariana_Sieni_Cruz.pdf>. Acesso em: 05 mar. 2013.  KENSKI, V. M. Gestão e Uso Das Mídias em Projetos de Educação a Distância - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Pós-Graduação Educação: Currículo Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 1, n. 1, dez. - jul. 2005-2006. Disponível em: <http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/3099/2042>. Acesso em: 21 abr. 2014.  MANDAJI, M. O Processo de Colaboração em Trabalhos de Coautoria em Ambientes Virtuais de Aprendizagem - Programa de Pós Graduação “Educação: Currículo” Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Recebido: 10 de Março de 2012 / Aceito: 27 Março de 2012 / Publicado: 01 de Abril de 2012. Disponível em: <http://www.br- ie.org/pub/index.php/rbie/article/view/1363/1193>. Acesso: 20 abr. 2014.
  21. 21. 21  MELO, N. M. de F. S.; et al. Letramento digital de professores: avanços e limites do uso das tecnologias digitais em sala de aula. Disponível em: <http://www.uesb.br/ppgcel/dissertacoes/2010/niceia.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2013.  MESSA, W. C. Utilização de Ambientes Virtuais de Aprendizagem – AVAS: A Busca por uma Aprendizagem Significativa. Disponível em: <http://www.abed.org.br/revistacientifica/Revista_PDF_Doc/2010/2010_24 62010174147.pdf>- Acesso em: 21 abr. 2014.  MOORE, M.; KEARSLEY, G. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2010.  NETO, A. S. Comunicação e Interação em Ambientes de Aprendizagem Presenciais e Virtuais - Pontifícia Universidade Católica do Paraná Coordenadoria de Educação à Distância. Disponível em: <http://reposital.cuaed.unam.mx:8080/jspui/bitstream/123456789/2982/1/2 -br-Antonio%20Sim%C3%A3o%20Neto.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2014.  PAULA, E. B. de M.; et al. Manual para elaboração e normalização de Dissertações e Teses. 3. ed. rev. e ampl., Rio de Janeiro: SiBI, 2011. 111p.  PREVEDELLO, C. F. Design de Interação e Motivação nos Projetos de Interface para Objetos de Aprendizagem para EAD. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/31389/000780361.pdf? sequence=1>. Acesso em: 18 abr. 2014.  RODRIGUES, L. M. B. C. R; et al. Ambiente virtual de aprendizagem: ampliando a interação com a ferramenta Fórum de discussão. Disponível em: <http://www.acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/ 47746/1/CartilhaEditalTIC.pdf>. Acesso em: 17 abr. 2014.  SIEMENS, G. Conectivismo: Uma Teoria de Aprendizagem para a Idade Digital. Disponível em: <http://www.usuarios.upf.br/~teixeira/livros /conectivismo[siemens].pdf>. Acesso em: 16 abr. 2014.  SILVA, S. Acessibilidade Digital em Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, IFSP, SP, Brasil - Revista GEINTEC: ISSN: 2237-0722. São Cristóvão/SE: 2012. Vol. 2/n. 3/ p.245-254. Disponível em: <http://www.revistageintec.net/portal/index.phprevista/article/view/48/108> . Acesso em: 20 abr. 2014.  SOUZA, H. B.; SANTOS, J. Z. Práxis Pedagógica em Ambientes Virtuais de Aprendizagem: Uma Possibilidade de Educar por meio da Transdisciplinaridade. Disponível em: <http://www.ufpe.br/nehte/simposio2008/anais/Hildonice-Souza-e- Jocenildes-Santos.pdf>. Acesso em: 18 abr. 2014.

×