SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem
Acadêmico: R.A.:
Curso:
Disciplina:
Valor da atividade: verifique no ambiente
da disciplina
Prazo: verifique no ambiente da
disciplina
Instruções para Realização da Atividade
1. Todos os campos acima deverão ser devidamente preenchidos;
2. Utilize deste formulário para a realização do MAPA;
3. Esta é uma atividade INDIVIDUAL. Caso identificado cópia de colegas, o trabalho de
ambos sofrerá decréscimo de nota;
4. Utilizando este formulário, realize sua atividade, salve em seu computador, renomeie
e envie em forma de anexo;
5. Formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times New
Roman tamanho 12, Espaçamento entre linhas 1,5, texto justificado;
6. Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa referencie conforme as normas da ABNT;
7. Critérios de avaliação: Utilização do Template; Atendimento ao Tema; Constituição
dos argumentos e organização das Ideias; Correção Gramatical e atendimento às
normas ABNT;
8. Procure argumentar de forma clara e objetiva, de acordo com o conteúdo da disciplina.
Em caso de dúvidas, entre em contato com seu Professor Mediador.
Bons estudos!
Agora, imagine a seguinte situação: Como engenheiro de software, você foi
contratado para que pudesse fazer a análise de um sistema constituído de fibra óptica
e precisa coletar alguns dados. Um dos resultados obtidos foi a curva relativa à
atenuação-Comprimento de Onda e as Janelas de Transmissão de uma Fibra Óptica
que foi definida pela seguinte função:
𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
Para a avaliação desta atividade, responda aos itens a), b), c) e d):
a) Quais são as regiões onde essa curva será crescente ou decrescente? (Mostre
os cálculos).
Resposta:
Para determinar onde o gráfico da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 é
crescente, precisamos encontrar os intervalos onde a derivada da função é
positiva, ou seja, 𝑓′(𝑥) > 0.
Vamos calcular a primeira derivada da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
em relação a x:
𝑓′(𝑥) = 12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥
Agora, precisamos determinar os intervalos onde a derivada é maior que
zero, ou seja, 𝑓′(𝑥) > 0.
12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥 > 0
12𝑥(𝑥2
− 𝑥 − 2) > 0
Em seguida, vamos encontrar os pontos críticos (valores de x onde a
derivada é igual a zero):
12𝑥(𝑥2
− 𝑥 − 2) = 0
12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) = 0
Isso ocorre quando 𝑥 = 0, 𝑥 = 2 𝑒 𝑥 = −1
Agora, precisamos determinar os intervalos em que 𝑓′(𝑥) é positivo, e o que
ocorre entre os zeros da derivada:
Primeiro caso: quando 𝑥 < −1, os três fatores (12x, (x – 2) e (x + 1)) são
negativos, e o produto 12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é negativo.
Segundo caso: entre 𝑥 = −1 𝑒 𝑥 = 0, o primeiro fator (12x) é negativo, o
segundo fator (x – 2) é negativo e o terceiro fator (x + 1) é positivo, e o produto
12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é positivo.
Terceiro caso: entre 𝑥 = 0 𝑒 𝑥 = 2, o primeiro fator (12x) é positivo, o segundo
fator (x – 2) é negativo e o terceiro fator (x + 1) é positivo, e o produto
12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é negativo.
Quarto caso: quando 𝑥 > 2, o primeiro fator (12x) é positivo, o segundo fator (x
– 2) é positivo e o terceiro fator (x + 1) é positivo, e o resultado do produto
12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é positivo.
Portanto, o gráfico de 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 é crescente nos intervalos
[– 1, 0] e [2, ∞] e o gráfico de 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 é decrescente nos
intervalos [– ∞, – 1] e [0, 2].
b) Qual será o gráfico para a função em questão indicando os pontos máximos e
mínimos em coordenadas?
Resposta:
Os pontos de máximo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 ocorrem nos
valores de x onde a primeira derivada da função se anula (pontos críticos) e
onde a segunda derivada é negativa, indicando que esses pontos são máximos
locais.
A primeira derivada da função é 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥.
No item anterior, encontramos os valores de x onde a derivada se anula
(pontos críticos) resolvendo 𝑓′(𝑥) = 0.
Isso nos leva a três valores críticos: 𝑥 = 0, 𝑥 = −1 𝑒 𝑥 = 2.
Agora, vamos avaliar a segunda derivada nos pontos críticos para determinar
se são máximos locais.
𝑓"(𝑥) = 36𝑥2
− 24𝑥 − 24
Para x = 0, temos 𝑓"(𝑥) = −24, o que indica que é um ponto de máximo local.
Para x = – 1, temos 𝑓"(−1) = 36(−1) 2
− 24(−1) − 24, 𝑓"(𝑥) = 36, o que indica
que é um ponto de mínimo local.
Para x = 2, temos 𝑓"(2) = 36(2) 2
− 24(2) − 24, 𝑓” (2) = 168, o que indica que
é um ponto de mínimo local.
O ponto de máximo da função ocorre em x = 0. Agora, vamos calcular o valor
de f(x) quando x = 0.
𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
𝑓(0) = 3(0)4
− 4(0)3
− 12(0)2
+ 5
𝑓(0) = 5
Portanto, o ponto de máximo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 possui
coordenadas (0, 5).
Os pontos de mínimo da função ocorrem quando x = – 1 e x = 2. Agora, vamos
calcular o valor de f(x) quando x = – 1 e o valor de f(x) quando x = 2:
𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
𝑓(−1) = 3(−1)4
− 4(−1)3
− 12(−1)2
+ 5
𝑓(−1) = 3 + 4 − 12 + 5
𝑓(−1) = 0
𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
𝑓(2) = 3(2)4
− 4(2)3
− 12(2)2
+ 5
𝑓(2) = 48 − 32 − 48 + 5
𝑓(2) = −27
Portanto, os pontos de mínimo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
possuem coordenadas (– 1, 0) e (2, – 27).
Observe o gráfico da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5, as coordenadas (0,
5) representando o ponto de máximo e as coordenadas (– 1, 0) e (2, – 27)
representando os pontos de mínimo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 logo
abaixo:
c) Qual é a reta tangente para os pontos em que x = 1 e x = 2, considerando a
função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 como trajetória para a curva? (Mostre os
cálculos).
Resposta:
Para encontrarmos a reta tangente para o ponto em que x = 1, considerando a
função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 como trajetória para a curva,
precisaremos calcular o valor de f(1).
Para x = 1, temos:
𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
𝑓(1) = 3(1)4
− 4(1)3
− 12(1)2
+ 5
𝑓(1) = 3 − 4 − 12 + 5
𝑓(1) = −8
Agora, iremos calcular a derivada da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5.
𝑓′(𝑥) = 12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥
Para encontrarmos a inclinação da reta tangente em x = 1, precisaremos
avaliar a derivada nesse ponto.
𝑓′(𝑥) = 12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥
𝑓′(1) = 12(1)3
− 12(1)2
− 24(1)
𝑓′(1) = −24
Esse valor é a inclinação da reta tangente em x = 1, ou seja, m = – 24.
Agora, vamos utilizar a equação da reta:
𝑚 = 𝑡𝑔Ɵ =
∆𝑦
∆𝑥
𝑚 =
𝑦 − 𝑦𝑜
𝑥 − 𝑥𝑜
𝑦 − 𝑦𝑜 = 𝑚(𝑥 − 𝑥𝑜)
𝑦 − (−8) = (−24)(𝑥 − 1)
𝑦 + 8 = −24𝑥 + 24
𝑦 = −24𝑥 + 16
Portanto, para o ponto x = 1, de coordenadas (1, – 8), a equação da reta
tangente, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 como trajetória
para a curva, é 𝑦 = −24𝑥 + 16.
Para encontrarmos a reta tangente para o ponto em que x = 2, considerando a
função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 como trajetória para a curva,
precisaremos calcular o valor de f(2).
Para x = 2, temos:
𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5
𝑓(2) = 3(2)4
− 4(2)3
− 12(2)2
+ 5
𝑓(2) = 48 − 32 − 48 + 5
𝑓(2) = −27
Agora, iremos calcular a derivada da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5.
𝑓′(𝑥) = 12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥
Para encontrarmos a inclinação da reta tangente em x = 2, precisaremos
avaliar a derivada nesse ponto.
𝑓′(𝑥) = 12𝑥3
− 12𝑥2
− 24𝑥
𝑓′(2) = 12(2)3
− 12(2)2
− 24(2)
𝑓′(2) = 96 − 48 − 48
𝑓′(2) = 0
Esse valor é a inclinação da reta tangente em x = 2, ou seja, m = 0.
Agora, vamos utilizar a equação da reta:
𝑚 = 𝑡𝑔Ɵ =
∆𝑦
∆𝑥
𝑚 =
𝑦 − 𝑦𝑜
𝑥 − 𝑥𝑜
𝑦 − 𝑦𝑜 = 𝑚(𝑥 − 𝑥𝑜)
𝑦 − (−27) = 0(𝑥 − 2)
𝑦 + 27 = 0
𝑦 = −27
Portanto, para o ponto x = 2, de coordenadas (2, – 27), a equação da reta
tangente, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4
− 4𝑥3
− 12𝑥2
+ 5 como trajetória
para a curva, é 𝑦 = −27.
O Cabo de fibra óptica é definido através da coroa circular formada pelos círculos de
raio 2 e de raio 1 cujas funções são:
𝑦2
+ 𝑥2
= 4 𝑒 𝑦2
+ 𝑥2
= 1
Seja a seção transversal da fibra:
d) Qual será a área da seção transversal circular delimitada pelas circunferências
de raio 2 e de raio 1? Faça o cálculo através de integral.
Resposta:
Para encontrar a área da seção transversal circular delimitada por duas
circunferências concêntricas de raios 2 e 1, podemos utilizar a integração. A
área da seção transversal pode ser encontrada calculando a diferença de
áreas entre as duas circunferências. Essa diferença de área é equivalente a
uma coroa circular (ou anel circular). Vamos calcular essa área usando uma
integral.
𝐴 = ∫ 2𝜋𝑟. 𝑑𝑟
𝑏
𝑎
Onde a e b são os raios interno e externo da coroa circular (ou anel circular),
respectivamente. Neste caso, a = 1 (raio interno) e b = 2 (raio externo). Então,
a área da seção transversal circular é:
𝐴 = ∫ 2𝜋𝑟. 𝑑𝑟
2
1
Agora, vamos calcular a integral:
𝐴 = 2𝜋 ∫ 𝑟. 𝑑𝑟
2
1
2
𝐴 = 2𝜋 [
𝑟2
2
]
1
𝐴 = 2𝜋 [
22
2
−
12
2
]
𝐴 = 2𝜋 [
4
2
−
1
2
]
𝐴 = 2𝜋 [
3
2
]
𝐴 = 3𝜋
Portanto, a área da seção transversal circular delimitada pelas circunferências
de raio 2 e de raio 1 é 3𝜋 unidades de área.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a ok

Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1Maths Tutoring
 
Equação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutiva
Equação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutivaEquação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutiva
Equação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutivarodrigoofeijo
 
Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1
Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1
Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1Ana Tapadinhas
 
9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf
9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf
9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdfkarfrio
 
Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012
Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012
Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012oim_matematica
 
Exercícios resolvidos e propostos matemática
Exercícios resolvidos e propostos matemáticaExercícios resolvidos e propostos matemática
Exercícios resolvidos e propostos matemáticaMaths Tutoring
 
Gerando triângulos pitagóricos
Gerando triângulos pitagóricosGerando triângulos pitagóricos
Gerando triângulos pitagóricosSandro de Macedo
 
Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...
Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...
Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...Zaqueu Oliveira
 
Revisão de geometria analitica
Revisão de geometria analiticaRevisão de geometria analitica
Revisão de geometria analiticaRenivan Freitas
 
3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf
3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf
3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdfIndiaAndreiaCostaSiq
 
Função Quadrática
Função QuadráticaFunção Quadrática
Função QuadráticaAab2507
 
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte I
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte IPreparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte I
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte IMaths Tutoring
 
Resolucao dos exercicios_integrais
Resolucao dos exercicios_integraisResolucao dos exercicios_integrais
Resolucao dos exercicios_integraisWilson Kushima
 

Semelhante a ok (20)

Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - 1
 
Potenciação
Potenciação Potenciação
Potenciação
 
Ufba12mat2
Ufba12mat2Ufba12mat2
Ufba12mat2
 
Aula N02
Aula N02Aula N02
Aula N02
 
Equação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutiva
Equação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutivaEquação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutiva
Equação de 2º grau - Resumo e fórmula resolutiva
 
7 – 2014 equação do 2 grau
7 – 2014 equação do 2 grau7 – 2014 equação do 2 grau
7 – 2014 equação do 2 grau
 
Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1
Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1
Proposta de-correccao-do-teste-intermedio-9-ano7-de-fevereiro-de-2011-v1
 
9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf
9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf
9 Explicação e Revisão Equações Incompletas do 2º Grau.pdf
 
Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012
Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012
Gabarito 1ª Fase - Nível 3 - 2012
 
6 – 2014 equação do 1 grau
6 – 2014 equação do 1 grau6 – 2014 equação do 1 grau
6 – 2014 equação do 1 grau
 
Exercícios resolvidos e propostos matemática
Exercícios resolvidos e propostos matemáticaExercícios resolvidos e propostos matemática
Exercícios resolvidos e propostos matemática
 
Gerando triângulos pitagóricos
Gerando triângulos pitagóricosGerando triângulos pitagóricos
Gerando triângulos pitagóricos
 
Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...
Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...
Equações do 2ºgrau, Função Polinomial do 1º e 2º grau, Semelhanças, Segmentos...
 
Revisão de geometria analitica
Revisão de geometria analiticaRevisão de geometria analitica
Revisão de geometria analitica
 
3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf
3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf
3 - Vetores - Tratamento algébrico GA.pdf
 
Função Quadrática
Função QuadráticaFunção Quadrática
Função Quadrática
 
Ms impresso aula05
Ms impresso aula05Ms impresso aula05
Ms impresso aula05
 
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte I
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte IPreparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte I
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte I
 
Resolucao dos exercicios_integrais
Resolucao dos exercicios_integraisResolucao dos exercicios_integrais
Resolucao dos exercicios_integrais
 
Resolucao dos exercicios_integrais
Resolucao dos exercicios_integraisResolucao dos exercicios_integrais
Resolucao dos exercicios_integrais
 

Mais de PrimeAssessoriaAcadm3

Chegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PRChegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PRPrimeAssessoriaAcadm3
 
Chegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PRChegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PRPrimeAssessoriaAcadm3
 
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conveObs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, convePrimeAssessoriaAcadm3
 
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conveObs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, convePrimeAssessoriaAcadm3
 
Sobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocráticSobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocráticPrimeAssessoriaAcadm3
 
A teoria burocrática, desenvolvida por M
A teoria burocrática, desenvolvida por MA teoria burocrática, desenvolvida por M
A teoria burocrática, desenvolvida por MPrimeAssessoriaAcadm3
 
Sobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocráticSobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocráticPrimeAssessoriaAcadm3
 
A teoria burocrática, desenvolvida por .
A teoria burocrática, desenvolvida por .A teoria burocrática, desenvolvida por .
A teoria burocrática, desenvolvida por .PrimeAssessoriaAcadm3
 
PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023
PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023
PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023PrimeAssessoriaAcadm3
 
10ª QUESTÃO Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...
10ª  QUESTÃO  Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...10ª  QUESTÃO  Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...
10ª QUESTÃO Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...PrimeAssessoriaAcadm3
 
9ª QUESTÃO Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...
9ª QUESTÃO  Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...9ª QUESTÃO  Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...
9ª QUESTÃO Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...PrimeAssessoriaAcadm3
 
8 ª QUESTÃO Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...
8 ª QUESTÃO   Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...8 ª QUESTÃO   Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...
8 ª QUESTÃO Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...PrimeAssessoriaAcadm3
 
3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...
3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...
3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...PrimeAssessoriaAcadm3
 
2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...
2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...
2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...PrimeAssessoriaAcadm3
 
1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...
1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...
1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...PrimeAssessoriaAcadm3
 
Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...
Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...
Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...PrimeAssessoriaAcadm3
 
Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...
Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...
Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...PrimeAssessoriaAcadm3
 
Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...
Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...
Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...PrimeAssessoriaAcadm3
 
Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...
Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...
Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...PrimeAssessoriaAcadm3
 
PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...
PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...
PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...PrimeAssessoriaAcadm3
 

Mais de PrimeAssessoriaAcadm3 (20)

Chegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PRChegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PR
 
Chegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PRChegou o momento de explorar de forma PR
Chegou o momento de explorar de forma PR
 
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conveObs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
 
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conveObs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
Obs.: Caso nunca tenha trabalhado, conve
 
Sobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocráticSobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocrátic
 
A teoria burocrática, desenvolvida por M
A teoria burocrática, desenvolvida por MA teoria burocrática, desenvolvida por M
A teoria burocrática, desenvolvida por M
 
Sobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocráticSobre os princípios da teoria burocrátic
Sobre os princípios da teoria burocrátic
 
A teoria burocrática, desenvolvida por .
A teoria burocrática, desenvolvida por .A teoria burocrática, desenvolvida por .
A teoria burocrática, desenvolvida por .
 
PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023
PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023
PROVA - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 54/2023
 
10ª QUESTÃO Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...
10ª  QUESTÃO  Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...10ª  QUESTÃO  Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...
10ª QUESTÃO Se você possui smartphone há mais de 10 anos, talvez não tenha ...
 
9ª QUESTÃO Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...
9ª QUESTÃO  Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...9ª QUESTÃO  Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...
9ª QUESTÃO Um relatório especial da Organização das Nações Unidas para Educa...
 
8 ª QUESTÃO Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...
8 ª QUESTÃO   Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...8 ª QUESTÃO   Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...
8 ª QUESTÃO Por meio de dados de crescimento e distribuição de renda dos Es...
 
3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...
3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...
3ª QUESTÃO Considere a seguinte situação fictícia. Em 1950, década em que seu...
 
2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...
2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...
2ª QUESTÃO Ao olharmos para o termo em si, “tecnologia”, em um conceito mais ...
 
1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...
1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...
1ª QUESTÃO É através de um método científico que um pesquisador – seja de qua...
 
Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...
Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...
Diante disso, elabore um texto, que justifique o fim da escravidão com a polí...
 
Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...
Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...
Um dos principais aspectos do fenômeno das migrações transoceânicas é justame...
 
Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...
Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...
Desde o período de D. João VI, o Brasil passou, portanto, a disputar parcela ...
 
Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...
Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...
Imigração e colonização forma temas sempre presentes no debate sobre o desenv...
 
PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...
PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...
PROVA - ESTUDO CONTEMPOR NEO E TRANSVERSAL: INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL...
 

Último

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 

Último (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 

ok

  • 1. MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem Acadêmico: R.A.: Curso: Disciplina: Valor da atividade: verifique no ambiente da disciplina Prazo: verifique no ambiente da disciplina Instruções para Realização da Atividade 1. Todos os campos acima deverão ser devidamente preenchidos; 2. Utilize deste formulário para a realização do MAPA; 3. Esta é uma atividade INDIVIDUAL. Caso identificado cópia de colegas, o trabalho de ambos sofrerá decréscimo de nota; 4. Utilizando este formulário, realize sua atividade, salve em seu computador, renomeie e envie em forma de anexo; 5. Formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times New Roman tamanho 12, Espaçamento entre linhas 1,5, texto justificado; 6. Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa referencie conforme as normas da ABNT; 7. Critérios de avaliação: Utilização do Template; Atendimento ao Tema; Constituição dos argumentos e organização das Ideias; Correção Gramatical e atendimento às normas ABNT; 8. Procure argumentar de forma clara e objetiva, de acordo com o conteúdo da disciplina. Em caso de dúvidas, entre em contato com seu Professor Mediador. Bons estudos!
  • 2. Agora, imagine a seguinte situação: Como engenheiro de software, você foi contratado para que pudesse fazer a análise de um sistema constituído de fibra óptica e precisa coletar alguns dados. Um dos resultados obtidos foi a curva relativa à atenuação-Comprimento de Onda e as Janelas de Transmissão de uma Fibra Óptica que foi definida pela seguinte função: 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 Para a avaliação desta atividade, responda aos itens a), b), c) e d): a) Quais são as regiões onde essa curva será crescente ou decrescente? (Mostre os cálculos). Resposta: Para determinar onde o gráfico da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 é crescente, precisamos encontrar os intervalos onde a derivada da função é positiva, ou seja, 𝑓′(𝑥) > 0. Vamos calcular a primeira derivada da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 em relação a x: 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥 Agora, precisamos determinar os intervalos onde a derivada é maior que zero, ou seja, 𝑓′(𝑥) > 0. 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥 > 0 12𝑥(𝑥2 − 𝑥 − 2) > 0 Em seguida, vamos encontrar os pontos críticos (valores de x onde a derivada é igual a zero): 12𝑥(𝑥2 − 𝑥 − 2) = 0 12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) = 0 Isso ocorre quando 𝑥 = 0, 𝑥 = 2 𝑒 𝑥 = −1 Agora, precisamos determinar os intervalos em que 𝑓′(𝑥) é positivo, e o que ocorre entre os zeros da derivada:
  • 3. Primeiro caso: quando 𝑥 < −1, os três fatores (12x, (x – 2) e (x + 1)) são negativos, e o produto 12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é negativo. Segundo caso: entre 𝑥 = −1 𝑒 𝑥 = 0, o primeiro fator (12x) é negativo, o segundo fator (x – 2) é negativo e o terceiro fator (x + 1) é positivo, e o produto 12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é positivo. Terceiro caso: entre 𝑥 = 0 𝑒 𝑥 = 2, o primeiro fator (12x) é positivo, o segundo fator (x – 2) é negativo e o terceiro fator (x + 1) é positivo, e o produto 12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é negativo. Quarto caso: quando 𝑥 > 2, o primeiro fator (12x) é positivo, o segundo fator (x – 2) é positivo e o terceiro fator (x + 1) é positivo, e o resultado do produto 12𝑥(𝑥 − 2)(𝑥 + 1) é positivo. Portanto, o gráfico de 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 é crescente nos intervalos [– 1, 0] e [2, ∞] e o gráfico de 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 é decrescente nos intervalos [– ∞, – 1] e [0, 2]. b) Qual será o gráfico para a função em questão indicando os pontos máximos e mínimos em coordenadas? Resposta: Os pontos de máximo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 ocorrem nos valores de x onde a primeira derivada da função se anula (pontos críticos) e onde a segunda derivada é negativa, indicando que esses pontos são máximos locais. A primeira derivada da função é 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥. No item anterior, encontramos os valores de x onde a derivada se anula (pontos críticos) resolvendo 𝑓′(𝑥) = 0. Isso nos leva a três valores críticos: 𝑥 = 0, 𝑥 = −1 𝑒 𝑥 = 2. Agora, vamos avaliar a segunda derivada nos pontos críticos para determinar se são máximos locais. 𝑓"(𝑥) = 36𝑥2 − 24𝑥 − 24 Para x = 0, temos 𝑓"(𝑥) = −24, o que indica que é um ponto de máximo local.
  • 4. Para x = – 1, temos 𝑓"(−1) = 36(−1) 2 − 24(−1) − 24, 𝑓"(𝑥) = 36, o que indica que é um ponto de mínimo local. Para x = 2, temos 𝑓"(2) = 36(2) 2 − 24(2) − 24, 𝑓” (2) = 168, o que indica que é um ponto de mínimo local. O ponto de máximo da função ocorre em x = 0. Agora, vamos calcular o valor de f(x) quando x = 0. 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 𝑓(0) = 3(0)4 − 4(0)3 − 12(0)2 + 5 𝑓(0) = 5 Portanto, o ponto de máximo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 possui coordenadas (0, 5). Os pontos de mínimo da função ocorrem quando x = – 1 e x = 2. Agora, vamos calcular o valor de f(x) quando x = – 1 e o valor de f(x) quando x = 2: 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 𝑓(−1) = 3(−1)4 − 4(−1)3 − 12(−1)2 + 5 𝑓(−1) = 3 + 4 − 12 + 5 𝑓(−1) = 0 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 𝑓(2) = 3(2)4 − 4(2)3 − 12(2)2 + 5 𝑓(2) = 48 − 32 − 48 + 5 𝑓(2) = −27 Portanto, os pontos de mínimo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 possuem coordenadas (– 1, 0) e (2, – 27). Observe o gráfico da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5, as coordenadas (0, 5) representando o ponto de máximo e as coordenadas (– 1, 0) e (2, – 27) representando os pontos de mínimo da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 logo abaixo:
  • 5. c) Qual é a reta tangente para os pontos em que x = 1 e x = 2, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 como trajetória para a curva? (Mostre os cálculos). Resposta: Para encontrarmos a reta tangente para o ponto em que x = 1, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 como trajetória para a curva, precisaremos calcular o valor de f(1). Para x = 1, temos: 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 𝑓(1) = 3(1)4 − 4(1)3 − 12(1)2 + 5 𝑓(1) = 3 − 4 − 12 + 5 𝑓(1) = −8 Agora, iremos calcular a derivada da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5.
  • 6. 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥 Para encontrarmos a inclinação da reta tangente em x = 1, precisaremos avaliar a derivada nesse ponto. 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥 𝑓′(1) = 12(1)3 − 12(1)2 − 24(1) 𝑓′(1) = −24 Esse valor é a inclinação da reta tangente em x = 1, ou seja, m = – 24. Agora, vamos utilizar a equação da reta: 𝑚 = 𝑡𝑔Ɵ = ∆𝑦 ∆𝑥 𝑚 = 𝑦 − 𝑦𝑜 𝑥 − 𝑥𝑜 𝑦 − 𝑦𝑜 = 𝑚(𝑥 − 𝑥𝑜) 𝑦 − (−8) = (−24)(𝑥 − 1) 𝑦 + 8 = −24𝑥 + 24 𝑦 = −24𝑥 + 16 Portanto, para o ponto x = 1, de coordenadas (1, – 8), a equação da reta tangente, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 como trajetória para a curva, é 𝑦 = −24𝑥 + 16. Para encontrarmos a reta tangente para o ponto em que x = 2, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 como trajetória para a curva, precisaremos calcular o valor de f(2). Para x = 2, temos: 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 𝑓(2) = 3(2)4 − 4(2)3 − 12(2)2 + 5
  • 7. 𝑓(2) = 48 − 32 − 48 + 5 𝑓(2) = −27 Agora, iremos calcular a derivada da função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5. 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥 Para encontrarmos a inclinação da reta tangente em x = 2, precisaremos avaliar a derivada nesse ponto. 𝑓′(𝑥) = 12𝑥3 − 12𝑥2 − 24𝑥 𝑓′(2) = 12(2)3 − 12(2)2 − 24(2) 𝑓′(2) = 96 − 48 − 48 𝑓′(2) = 0 Esse valor é a inclinação da reta tangente em x = 2, ou seja, m = 0. Agora, vamos utilizar a equação da reta: 𝑚 = 𝑡𝑔Ɵ = ∆𝑦 ∆𝑥 𝑚 = 𝑦 − 𝑦𝑜 𝑥 − 𝑥𝑜 𝑦 − 𝑦𝑜 = 𝑚(𝑥 − 𝑥𝑜) 𝑦 − (−27) = 0(𝑥 − 2) 𝑦 + 27 = 0 𝑦 = −27 Portanto, para o ponto x = 2, de coordenadas (2, – 27), a equação da reta tangente, considerando a função 𝑓(𝑥) = 3𝑥4 − 4𝑥3 − 12𝑥2 + 5 como trajetória para a curva, é 𝑦 = −27.
  • 8. O Cabo de fibra óptica é definido através da coroa circular formada pelos círculos de raio 2 e de raio 1 cujas funções são: 𝑦2 + 𝑥2 = 4 𝑒 𝑦2 + 𝑥2 = 1 Seja a seção transversal da fibra: d) Qual será a área da seção transversal circular delimitada pelas circunferências de raio 2 e de raio 1? Faça o cálculo através de integral. Resposta: Para encontrar a área da seção transversal circular delimitada por duas circunferências concêntricas de raios 2 e 1, podemos utilizar a integração. A área da seção transversal pode ser encontrada calculando a diferença de áreas entre as duas circunferências. Essa diferença de área é equivalente a uma coroa circular (ou anel circular). Vamos calcular essa área usando uma integral. 𝐴 = ∫ 2𝜋𝑟. 𝑑𝑟 𝑏 𝑎
  • 9. Onde a e b são os raios interno e externo da coroa circular (ou anel circular), respectivamente. Neste caso, a = 1 (raio interno) e b = 2 (raio externo). Então, a área da seção transversal circular é: 𝐴 = ∫ 2𝜋𝑟. 𝑑𝑟 2 1 Agora, vamos calcular a integral: 𝐴 = 2𝜋 ∫ 𝑟. 𝑑𝑟 2 1 2 𝐴 = 2𝜋 [ 𝑟2 2 ] 1 𝐴 = 2𝜋 [ 22 2 − 12 2 ] 𝐴 = 2𝜋 [ 4 2 − 1 2 ] 𝐴 = 2𝜋 [ 3 2 ] 𝐴 = 3𝜋 Portanto, a área da seção transversal circular delimitada pelas circunferências de raio 2 e de raio 1 é 3𝜋 unidades de área.