SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTUDO 3- Sacerdócio
Sacerdócio
Antes dos tempos mosaicos, as oferendas
eram apresentadas pelo chefe de uma família,
que oficialmente representava seus familiares
no reconhecimento e adoração a Deus.
Dentro da lei entregue a Moisés havia
também o mandamento para a formação de
uma classe sacerdotal dentro do povo de
Israel. Havia muitos sacrifícios a serem
apresentados pelos israelitas, mas eles seriam
realizados pelos sacerdotes (Lv 21.16).
Sacerdócio
Sacerdotes
Havia requisitos para a participação do ofício
sacerdotal (Lv 21:1-22:10). A vida do sacerdote
deveria ser santa; um modelo de santidade para o
povo. A santidade dos sacerdotes se evidenciava nas
exigências de uma vida santa como igualmente nos
pré-requisitos para servirem (Lv 21:1-22:9). A
santidade dos sacerdotes também era indicada
através das vestes que foram instruídos a usar
(Ex 28:40-43; 39:27-29; 39:39).
A passagem clássica na qual são dadas as
verdadeiras características do sacerdote e na qual sua
obra é em parte designada, é (Hb 5:1). Estão
indicados ali os seguintes elementos:
(a) o sacerdote é tomado dentre os homens para ser
o seu representante;
(b) é constituído por Deus, (v. 4);
(c) age no interesse dos homens nas coisas
pertencentes a Deus, isto é, nas coisas religiosas;
Sacerdócio
Eles teriam determinadas funções específicas dentro da
nação, sendo que ninguém poderia substituí-los. Seu trabalho
era sagrado. As funções dos sacerdotes eram as seguintes:
• Sua responsabilidade primária era a de serem mediadores
entre Deus e o homem. Oficiando nas oferendas prescritas,
eles lideravam o povo na obtenção da expiação pelo pecado
(Ex 28:1-43 e Lv 16:1-34);
• O discernimento da vontade de Deus relativa ao povo era
uma obrigação soleníssima (Nm 27:21 e Dt 33:8);
• Por serem guardiães da lei (Dt 31:9, Dt 17:18), também
estavam comissionados a instruir os leigos (Ml 2:1-8);
• O cuidado e a administração do tabernáculo também estava
dentro de sua jurisdição (Ex 19:22; 28:1);
Sacerdócio
As funções dos sacerdotes eram as seguintes:
• Serviam como juízes em casos que envolvem decisões
difíceis (Dt 17:8-12);
• Regulavam o controle dos leprosos (Dt 24:8);
• Intercediam pelo povo (Hb7:25) e o abençoava (Lv 9:22; Nm
6:22-26);
• Uma vez por ano o sumo sacerdote passava além do véu,
que separava o lugar santo do lugar santíssimo, e
comparecia diante do propiciatório com o sangue da
expiação, a fim de interceder pelo povo (Lv 16:1-28).
Sacerdócio
Ora, sendo a nação tão imensa,
haveria muitos sacrifícios a serem feitos
diariamente, então por que colocar este
serviço nas costas de uma classe
sacerdotal relativamente pequena? Por
que existir um sacerdócio?
Sacerdócio
Os sacrifícios oferecidos realizam ou
simbolizam os meios para a reconciliação entre o
homem pecador e o seu Criador santo. A função
do sacerdócio, portanto, é uma função mediadora.
A lei e o sacerdócio são simultâneos na sua origem
e inseparáveis na sua operação (Hb7:11 ss).
A razão disso é que os israelitas, assim como o
restante da humanidade, eram pecadores e,
portanto, ao serem confrontados com a lei, que é
o padrão divino da retidão, eram violadores desta.
O livro de Levítico, que fala
pormenorizadamente do serviço sacerdotal,
fala muito de um tema maior: a santidade de
Deus (Lv 11:44, 45; 19:2; 20:7, 26).
Assim, “podemos resumir a função
principal do sacerdócio de acordo com
Levítico: eles deviam proteger a santidade de
Deus no acampamento.”
Sumo Sacerdote
Além disto, dentro da classe sacerdotal ainda
havia o sumo sacerdote. Com relação ao sumo
sacerdote as restrições eram ainda mais severas (Lv
21:10-15).
O sumo sacerdote era distinguido por peças
adicionais do vestuário, que consistiam de uma
sobrepeliz, uma estola, um peitoral e uma mitra
especial (Ex 28:4-39).
Levitas
Para auxiliar os sacerdotes Deus providenciou os levitas.
Vejamos algumas informações sobre os levitas:
a- O papel dos levitas como ministros do Tabernáculo é antecipado
em (Ex 38:21);
b- Tinham a responsabilidade de desmanchar, transportar e erigir o
Tabernáculo (Nm 1:47-54);
c- Se acampavam ao redor do Tabernáculo e aparentemente
serviam como para-choque para protegerem as demais tribos da
indignação de Deus (Nm 1:51, 53; 2:17);
d- Proibidos de servir como sacerdotes (Nm 3:10);
Informações sobre os levitas:
e- Não possuíam nenhuma porção da terra prometida (Nm
18:23,24; Dt 12:12). Estariam dispersos por todas as partes a fim de
que seus serviços estivessem ao alcance de todo o povo hebreu
(Nm 35:1-3,6). Existia as cidades levíticas para eles, e os sacerdotes
(Js 21);
f- O sustento dos levitas era proveniente dos dízimos e ofertas do
povo (Nm 18:20-32; Dt 12:6-18;14:22-29; 26:12-19; Nm 10:37, 38;
12:44; 13:5; Hb 7:5); e o sustento dos sacerdotes vinda dos levitas
(18:28);
g- Posteriormente os levitas foram convocados a cantarem ao
Senhor no templo (1Cr 16.4-37).
Novo Testamento
Deus revelou aos poucos as verdades sobre a
salvação. Neste aspecto, o sumo sacerdote da Antiga
Aliança era apenas uma sombra do verdadeiro Sumo
Sacerdote que viria – Jesus (Hb 2:17; 3:1; 4:14; 5:5;
6:20; 7:17, 21, 23-28; 8:1; 10:10-12).
Como Sumo Sacerdote Cristo faz sua obra de
intercessão constante diante do Pai nos céus. O
significado de sua intercessão pode ser vista nos
seguintes tópicos:
• A presença perpétua do sacrifício consumado de
Cristo perante Deus contém em si mesma um
elemento de intercessão como uma constante
lembrança da perfeita expiação de Jesus Cristo
(Hb 9:24);
• Satanás, o acusador sempre está propenso a lançar
acusações contra os eleitos; mas Cristo as refuta
todas, mostrando a obra que Ele consumou. Ele é o
Paráclito, o Advogado do Seu povo, dando resposta
a todas as acusações lançadas contra os Seus
(Rm 8.33, 34);
• Quando nos dirigimos ao Pai em nome de Cristo, Ele santifica
as nossas orações. Elas precisam disto porquanto muitas
vezes são muito imperfeitas, triviais, superficiais, e até
insinceras, ao passo que são dirigidas Àquele que é perfeito
em santidade e em majestade. Ele torna aceitáveis as nossas
orações (1Pe 2:4, 5);
• Se a intercessão é parte integrante da obra expiatória de
Cristo, segue-se que a oração intercessória se relaciona
necessariamente com as coisas concernentes a Deus
(Hb 5.1). Ele está apresentando ao pai aquelas necessidades
espirituais que não estavam presentes em nossas mentes e
que frequentemente omitimos, negligentes, em nossas
orações; e que Ele ora para nossa proteção contra perigos
dos quais nem sempre estamos cônscios.
O serviço sacerdotal levítico não existe mais. Todos
nós somos sacerdotes de Deus (Ap 1:5, 6; 5:9, 10; 20:6; 1Pe
2:9). Prontos para apresentar sacrifícios espirituais a Ele
(1Pe 2:5; Rm 12:1; Hb 13:15, 16).
Esses sacrifícios espirituais não são, de modo algum,
sacrifícios de redenção, mas, sacrifícios de gratidão a Deus
pelo sacrifício de Cristo, o único sacrifício redentor
totalmente suficiente, quando Ele Se ofereceu no Calvário
por nós pecadores. É por isso que somos exortados a
apresentar os nossos corpos por sacrifício (Rm 12:1); e ao
nos sacrificarmos de boa vontade, expressamos o nosso
sacerdócio espiritual nos atos de louvor e gratidão, e no
serviço altruísta ao nosso próximo, quando ministramos as
suas necessidades.
Apesar disto, algumas das
funções próprias dos sacerdotes
nós encontramos paralelo no Novo
Testamento na função dos
presbíteros das igrejas:
Sacerdotes Presbíteros
Serviam como juízes (At 15:4, 6, 23; 1Tm 3:4, 5;
1Ts 5:12)
Instruir os leigos (1Ts 5:12; Ef 4:11-14;
1Tm 3:2;Tt 1:9)
Intercediam pelo povo (Cl 1:9; Ef 1:16-18; Fl 1:4;
1Ts 1:2)
O discernimento da
vontade de Deus (2Tm 4:2-5; Tt 1:9; Tt 2:1)
Abençoava o povo (2Co 13:13)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoLição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Éder Tomé
 
Apóstolo Paulo
Apóstolo PauloApóstolo Paulo
Apóstolo Paulo
Cesar Oliveira
 
Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019
Alice Costa
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
Respirando Deus
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
PIB Penha
 
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamentoIntrodução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Francelia Carvalho Oliveira
 
Dízimos, Ofertas e Primícias
Dízimos, Ofertas e PrimíciasDízimos, Ofertas e Primícias
Dízimos, Ofertas e Primícias
Karyn Martins
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
Respirando Deus
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
Márcio Martins
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Rodrigo F Menegatti
 
BEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de CristoBEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de Cristo
Daniel de Carvalho Luz
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Filemom
Panorama do NT - FilemomPanorama do NT - Filemom
Panorama do NT - Filemom
Respirando Deus
 
A disciplina na igreja (hb 12.11)
A disciplina na igreja (hb 12.11)A disciplina na igreja (hb 12.11)
A disciplina na igreja (hb 12.11)
Ederson Tribst
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
Joselito Machado
 
teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
alexandrepsantos
 
Atos
AtosAtos
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
Carlos Cirleno Neves
 

Mais procurados (20)

Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoLição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
 
Apóstolo Paulo
Apóstolo PauloApóstolo Paulo
Apóstolo Paulo
 
Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019Manual do obreiro adrv 2019
Manual do obreiro adrv 2019
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
 
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamentoIntrodução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
 
Dízimos, Ofertas e Primícias
Dízimos, Ofertas e PrimíciasDízimos, Ofertas e Primícias
Dízimos, Ofertas e Primícias
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
 
BEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de CristoBEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de Cristo
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
 
Panorama do NT - Filemom
Panorama do NT - FilemomPanorama do NT - Filemom
Panorama do NT - Filemom
 
A disciplina na igreja (hb 12.11)
A disciplina na igreja (hb 12.11)A disciplina na igreja (hb 12.11)
A disciplina na igreja (hb 12.11)
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
 
teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
 

Destaque

Entendiendo las Fiestas de Dios
Entendiendo las Fiestas de DiosEntendiendo las Fiestas de Dios
Entendiendo las Fiestas de Dios
Jeffrey Mercado
 
Los creyentes pertenecen a un pacto nuevo
Los creyentes pertenecen a un pacto nuevoLos creyentes pertenecen a un pacto nuevo
Los creyentes pertenecen a un pacto nuevo
Iglesia Cristiana Casa de Júbilo y Consagración
 
Tabela cearense 29122012
Tabela cearense 29122012Tabela cearense 29122012
Tabela cearense 29122012Júnior Genuca
 
Petición de adhesión a la red de ciudades-refugio
Petición de adhesión a la red de ciudades-refugioPetición de adhesión a la red de ciudades-refugio
Petición de adhesión a la red de ciudades-refugio
Izquierda Unida
 
Números (comic)
Números (comic)Números (comic)
Números (comic)
SinaiAlbareda
 
Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
Alberto Simonton
 
Las fiestas de Israel (Parte 2)
Las fiestas de Israel (Parte 2)Las fiestas de Israel (Parte 2)
Las fiestas de Israel (Parte 2)
Luis García Llerena
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
Alberto Simonton
 
Las Fiestas en Israel (parte 1)
Las Fiestas en Israel (parte 1)Las Fiestas en Israel (parte 1)
Las Fiestas en Israel (parte 1)
Luis García Llerena
 
Os Sacrifícios
Os SacrifíciosOs Sacrifícios
Os Sacrifícios
Alberto Simonton
 
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIOLIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
A conquista de canaã lição 05
A conquista de canaã  lição 05A conquista de canaã  lição 05
A conquista de canaã lição 05
Mariângela Domeniche Perdomo
 
La Pascua y La Fiesta de Los Panes sin Levadura
La Pascua y La Fiesta de Los Panes sin LevaduraLa Pascua y La Fiesta de Los Panes sin Levadura
La Pascua y La Fiesta de Los Panes sin Levadura
Iglesia Cristiana Casa de Júbilo y Consagración
 
Éxodo 25-33 Tabernáculo
Éxodo 25-33 Tabernáculo Éxodo 25-33 Tabernáculo
Éxodo 25-33 Tabernáculo
Cristhian Mella
 
Adoración y consagración
Adoración y consagraciónAdoración y consagración
Adoración y consagración
Wilfredo Ticona
 
25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes
25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes
25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes
Beit meshobeb TX
 
Parasha nº 20
Parasha nº 20Parasha nº 20
Parasha nº 20
Horeb Israelita
 
Parasha de la semana nýý 20
Parasha de la semana nýý 20Parasha de la semana nýý 20
Parasha de la semana nýý 20
Horeb Israelita
 
Génesis 42 46
Génesis 42 46Génesis 42 46
Génesis 42 46
Cristhian Mella
 
Levítico l2
Levítico l2Levítico l2
Levítico l2
Julio Rodas
 

Destaque (20)

Entendiendo las Fiestas de Dios
Entendiendo las Fiestas de DiosEntendiendo las Fiestas de Dios
Entendiendo las Fiestas de Dios
 
Los creyentes pertenecen a un pacto nuevo
Los creyentes pertenecen a un pacto nuevoLos creyentes pertenecen a un pacto nuevo
Los creyentes pertenecen a un pacto nuevo
 
Tabela cearense 29122012
Tabela cearense 29122012Tabela cearense 29122012
Tabela cearense 29122012
 
Petición de adhesión a la red de ciudades-refugio
Petición de adhesión a la red de ciudades-refugioPetición de adhesión a la red de ciudades-refugio
Petición de adhesión a la red de ciudades-refugio
 
Números (comic)
Números (comic)Números (comic)
Números (comic)
 
Elementos do culto
Elementos do cultoElementos do culto
Elementos do culto
 
Las fiestas de Israel (Parte 2)
Las fiestas de Israel (Parte 2)Las fiestas de Israel (Parte 2)
Las fiestas de Israel (Parte 2)
 
Os líderes de Israel
Os  líderes de IsraelOs  líderes de Israel
Os líderes de Israel
 
Las Fiestas en Israel (parte 1)
Las Fiestas en Israel (parte 1)Las Fiestas en Israel (parte 1)
Las Fiestas en Israel (parte 1)
 
Os Sacrifícios
Os SacrifíciosOs Sacrifícios
Os Sacrifícios
 
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIOLIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
 
A conquista de canaã lição 05
A conquista de canaã  lição 05A conquista de canaã  lição 05
A conquista de canaã lição 05
 
La Pascua y La Fiesta de Los Panes sin Levadura
La Pascua y La Fiesta de Los Panes sin LevaduraLa Pascua y La Fiesta de Los Panes sin Levadura
La Pascua y La Fiesta de Los Panes sin Levadura
 
Éxodo 25-33 Tabernáculo
Éxodo 25-33 Tabernáculo Éxodo 25-33 Tabernáculo
Éxodo 25-33 Tabernáculo
 
Adoración y consagración
Adoración y consagraciónAdoración y consagración
Adoración y consagración
 
25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes
25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes
25 exodo 29 consagracion de los sacerdotes
 
Parasha nº 20
Parasha nº 20Parasha nº 20
Parasha nº 20
 
Parasha de la semana nýý 20
Parasha de la semana nýý 20Parasha de la semana nýý 20
Parasha de la semana nýý 20
 
Génesis 42 46
Génesis 42 46Génesis 42 46
Génesis 42 46
 
Levítico l2
Levítico l2Levítico l2
Levítico l2
 

Semelhante a O sacerdócio Levítico

Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014
Pr. Andre Luiz
 
O sacerdote na bíblia
O sacerdote na bíbliaO sacerdote na bíblia
O sacerdote na bíblia
Carlos Gonçalves
 
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOLição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Hamilton Souza
 
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o LevíticoLição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Éder Tomé
 
APOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASE
APOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASEAPOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASE
APOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASE
jonasecj
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Celso Napoleon
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Teologia de levíticos
Teologia de levíticosTeologia de levíticos
Teologia de levíticos
José Santos
 
EBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptxEBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptx
DouglasMoraes54
 
APOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdf
APOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdfAPOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdf
APOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdf
SEDUC-PA
 
01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem
01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem
01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem
Éber Magalhães Lenz César
 
Especialidade santuário
Especialidade santuárioEspecialidade santuário
Especialidade santuário
Servo de Deus e Amigos de Todos
 
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
Licao 1   3 t - 2018 - cpadLicao 1   3 t - 2018 - cpad
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
joseelionardo
 
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao SenhorLição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Éder Tomé
 
Diaconia e Profecia
Diaconia e  ProfeciaDiaconia e  Profecia
Diaconia e Profecia
daliberdade
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
Ismael Isidio
 
Lição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao SenhorLição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao Senhor
Éder Tomé
 
LIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSO
LIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSOLIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSO
LIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Liturgia na Bíblia
Liturgia na BíbliaLiturgia na Bíblia
Liturgia na Bíblia
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 

Semelhante a O sacerdócio Levítico (20)

Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio-Lição 11 1º 2014
 
O sacerdote na bíblia
O sacerdote na bíbliaO sacerdote na bíblia
O sacerdote na bíblia
 
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOLição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
 
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o LevíticoLição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
 
APOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASE
APOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASEAPOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASE
APOSTILA DA ESCOLA DE LÍDERES 1ª FASE
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
 
Teologia de levíticos
Teologia de levíticosTeologia de levíticos
Teologia de levíticos
 
EBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptxEBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptx
 
APOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdf
APOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdfAPOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdf
APOSTILA TEOLOGIA SISTEMATICA - Aula 14 - Igreja II.pdf
 
01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem
01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem
01 presb-diaconos-que-sao-que-fazem
 
Especialidade santuário
Especialidade santuárioEspecialidade santuário
Especialidade santuário
 
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
Licao 1   3 t - 2018 - cpadLicao 1   3 t - 2018 - cpad
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
 
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao SenhorLição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
 
Diaconia e Profecia
Diaconia e  ProfeciaDiaconia e  Profecia
Diaconia e Profecia
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 
Lição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao SenhorLição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao Senhor
 
LIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSO
LIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSOLIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSO
LIÇÃO 09 - ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO RELIGIOSO
 
Liturgia na Bíblia
Liturgia na BíbliaLiturgia na Bíblia
Liturgia na Bíblia
 

Mais de Alberto Simonton

O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
Alberto Simonton
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
Alberto Simonton
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
Alberto Simonton
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
Alberto Simonton
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Alberto Simonton
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
Alberto Simonton
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
Alberto Simonton
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
Alberto Simonton
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Alberto Simonton
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
Alberto Simonton
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
Alberto Simonton
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
Alberto Simonton
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
Alberto Simonton
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Alberto Simonton
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
Alberto Simonton
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
Alberto Simonton
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Alberto Simonton
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
Alberto Simonton
 
I Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação MinisterialI Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação Ministerial
Alberto Simonton
 

Mais de Alberto Simonton (20)

O livro de Rute
O livro de RuteO livro de Rute
O livro de Rute
 
Os livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 SamuelOs livros de 1 e 2 Samuel
Os livros de 1 e 2 Samuel
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
 
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da BíbliaIntrodução aos Livros Históricos da Bíblia
Introdução aos Livros Históricos da Bíblia
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
 
Propósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãsPropósito das missões cristãs
Propósito das missões cristãs
 
Fatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestanteFatos antecedentes à reforma protestante
Fatos antecedentes à reforma protestante
 
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores  Calvino e LuteroPontos de teologia dos reformadores  Calvino e Lutero
Pontos de teologia dos reformadores Calvino e Lutero
 
Introdução ao pentateuco
Introdução ao pentateucoIntrodução ao pentateuco
Introdução ao pentateuco
 
O que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelizaçãoO que é evangelho e evangelização
O que é evangelho e evangelização
 
Tirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missõesTirando dúvidas a respeito de missões
Tirando dúvidas a respeito de missões
 
Lista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja CatólicaLista de heresias da Igreja Católica
Lista de heresias da Igreja Católica
 
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
Estudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldiçãoEstudo sobre  os temas : puro e impuro ,  bênção e maldição
Estudo sobre os temas : puro e impuro , bênção e maldição
 
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do BrasilHistória da Igreja Presbiteriana do Brasil
História da Igreja Presbiteriana do Brasil
 
Introdução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja CristãIntrodução à História da Igreja Cristã
Introdução à História da Igreja Cristã
 
Introdução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica BíblicaIntrodução à Hermenêutica Bíblica
Introdução à Hermenêutica Bíblica
 
II Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação MinisterialII Curso de Capacitação Ministerial
II Curso de Capacitação Ministerial
 
I Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação MinisterialI Curso de Capacitação Ministerial
I Curso de Capacitação Ministerial
 

Último

Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 

Último (12)

Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 

O sacerdócio Levítico

  • 2. Sacerdócio Antes dos tempos mosaicos, as oferendas eram apresentadas pelo chefe de uma família, que oficialmente representava seus familiares no reconhecimento e adoração a Deus. Dentro da lei entregue a Moisés havia também o mandamento para a formação de uma classe sacerdotal dentro do povo de Israel. Havia muitos sacrifícios a serem apresentados pelos israelitas, mas eles seriam realizados pelos sacerdotes (Lv 21.16).
  • 3. Sacerdócio Sacerdotes Havia requisitos para a participação do ofício sacerdotal (Lv 21:1-22:10). A vida do sacerdote deveria ser santa; um modelo de santidade para o povo. A santidade dos sacerdotes se evidenciava nas exigências de uma vida santa como igualmente nos pré-requisitos para servirem (Lv 21:1-22:9). A santidade dos sacerdotes também era indicada através das vestes que foram instruídos a usar (Ex 28:40-43; 39:27-29; 39:39).
  • 4. A passagem clássica na qual são dadas as verdadeiras características do sacerdote e na qual sua obra é em parte designada, é (Hb 5:1). Estão indicados ali os seguintes elementos: (a) o sacerdote é tomado dentre os homens para ser o seu representante; (b) é constituído por Deus, (v. 4); (c) age no interesse dos homens nas coisas pertencentes a Deus, isto é, nas coisas religiosas;
  • 5. Sacerdócio Eles teriam determinadas funções específicas dentro da nação, sendo que ninguém poderia substituí-los. Seu trabalho era sagrado. As funções dos sacerdotes eram as seguintes: • Sua responsabilidade primária era a de serem mediadores entre Deus e o homem. Oficiando nas oferendas prescritas, eles lideravam o povo na obtenção da expiação pelo pecado (Ex 28:1-43 e Lv 16:1-34); • O discernimento da vontade de Deus relativa ao povo era uma obrigação soleníssima (Nm 27:21 e Dt 33:8); • Por serem guardiães da lei (Dt 31:9, Dt 17:18), também estavam comissionados a instruir os leigos (Ml 2:1-8); • O cuidado e a administração do tabernáculo também estava dentro de sua jurisdição (Ex 19:22; 28:1);
  • 6. Sacerdócio As funções dos sacerdotes eram as seguintes: • Serviam como juízes em casos que envolvem decisões difíceis (Dt 17:8-12); • Regulavam o controle dos leprosos (Dt 24:8); • Intercediam pelo povo (Hb7:25) e o abençoava (Lv 9:22; Nm 6:22-26); • Uma vez por ano o sumo sacerdote passava além do véu, que separava o lugar santo do lugar santíssimo, e comparecia diante do propiciatório com o sangue da expiação, a fim de interceder pelo povo (Lv 16:1-28).
  • 7. Sacerdócio Ora, sendo a nação tão imensa, haveria muitos sacrifícios a serem feitos diariamente, então por que colocar este serviço nas costas de uma classe sacerdotal relativamente pequena? Por que existir um sacerdócio?
  • 8. Sacerdócio Os sacrifícios oferecidos realizam ou simbolizam os meios para a reconciliação entre o homem pecador e o seu Criador santo. A função do sacerdócio, portanto, é uma função mediadora. A lei e o sacerdócio são simultâneos na sua origem e inseparáveis na sua operação (Hb7:11 ss). A razão disso é que os israelitas, assim como o restante da humanidade, eram pecadores e, portanto, ao serem confrontados com a lei, que é o padrão divino da retidão, eram violadores desta.
  • 9. O livro de Levítico, que fala pormenorizadamente do serviço sacerdotal, fala muito de um tema maior: a santidade de Deus (Lv 11:44, 45; 19:2; 20:7, 26). Assim, “podemos resumir a função principal do sacerdócio de acordo com Levítico: eles deviam proteger a santidade de Deus no acampamento.”
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Sumo Sacerdote Além disto, dentro da classe sacerdotal ainda havia o sumo sacerdote. Com relação ao sumo sacerdote as restrições eram ainda mais severas (Lv 21:10-15). O sumo sacerdote era distinguido por peças adicionais do vestuário, que consistiam de uma sobrepeliz, uma estola, um peitoral e uma mitra especial (Ex 28:4-39).
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. Levitas Para auxiliar os sacerdotes Deus providenciou os levitas. Vejamos algumas informações sobre os levitas: a- O papel dos levitas como ministros do Tabernáculo é antecipado em (Ex 38:21); b- Tinham a responsabilidade de desmanchar, transportar e erigir o Tabernáculo (Nm 1:47-54); c- Se acampavam ao redor do Tabernáculo e aparentemente serviam como para-choque para protegerem as demais tribos da indignação de Deus (Nm 1:51, 53; 2:17); d- Proibidos de servir como sacerdotes (Nm 3:10);
  • 18. Informações sobre os levitas: e- Não possuíam nenhuma porção da terra prometida (Nm 18:23,24; Dt 12:12). Estariam dispersos por todas as partes a fim de que seus serviços estivessem ao alcance de todo o povo hebreu (Nm 35:1-3,6). Existia as cidades levíticas para eles, e os sacerdotes (Js 21); f- O sustento dos levitas era proveniente dos dízimos e ofertas do povo (Nm 18:20-32; Dt 12:6-18;14:22-29; 26:12-19; Nm 10:37, 38; 12:44; 13:5; Hb 7:5); e o sustento dos sacerdotes vinda dos levitas (18:28); g- Posteriormente os levitas foram convocados a cantarem ao Senhor no templo (1Cr 16.4-37).
  • 19.
  • 20.
  • 21. Novo Testamento Deus revelou aos poucos as verdades sobre a salvação. Neste aspecto, o sumo sacerdote da Antiga Aliança era apenas uma sombra do verdadeiro Sumo Sacerdote que viria – Jesus (Hb 2:17; 3:1; 4:14; 5:5; 6:20; 7:17, 21, 23-28; 8:1; 10:10-12). Como Sumo Sacerdote Cristo faz sua obra de intercessão constante diante do Pai nos céus. O significado de sua intercessão pode ser vista nos seguintes tópicos:
  • 22. • A presença perpétua do sacrifício consumado de Cristo perante Deus contém em si mesma um elemento de intercessão como uma constante lembrança da perfeita expiação de Jesus Cristo (Hb 9:24); • Satanás, o acusador sempre está propenso a lançar acusações contra os eleitos; mas Cristo as refuta todas, mostrando a obra que Ele consumou. Ele é o Paráclito, o Advogado do Seu povo, dando resposta a todas as acusações lançadas contra os Seus (Rm 8.33, 34);
  • 23. • Quando nos dirigimos ao Pai em nome de Cristo, Ele santifica as nossas orações. Elas precisam disto porquanto muitas vezes são muito imperfeitas, triviais, superficiais, e até insinceras, ao passo que são dirigidas Àquele que é perfeito em santidade e em majestade. Ele torna aceitáveis as nossas orações (1Pe 2:4, 5); • Se a intercessão é parte integrante da obra expiatória de Cristo, segue-se que a oração intercessória se relaciona necessariamente com as coisas concernentes a Deus (Hb 5.1). Ele está apresentando ao pai aquelas necessidades espirituais que não estavam presentes em nossas mentes e que frequentemente omitimos, negligentes, em nossas orações; e que Ele ora para nossa proteção contra perigos dos quais nem sempre estamos cônscios.
  • 24. O serviço sacerdotal levítico não existe mais. Todos nós somos sacerdotes de Deus (Ap 1:5, 6; 5:9, 10; 20:6; 1Pe 2:9). Prontos para apresentar sacrifícios espirituais a Ele (1Pe 2:5; Rm 12:1; Hb 13:15, 16). Esses sacrifícios espirituais não são, de modo algum, sacrifícios de redenção, mas, sacrifícios de gratidão a Deus pelo sacrifício de Cristo, o único sacrifício redentor totalmente suficiente, quando Ele Se ofereceu no Calvário por nós pecadores. É por isso que somos exortados a apresentar os nossos corpos por sacrifício (Rm 12:1); e ao nos sacrificarmos de boa vontade, expressamos o nosso sacerdócio espiritual nos atos de louvor e gratidão, e no serviço altruísta ao nosso próximo, quando ministramos as suas necessidades.
  • 25. Apesar disto, algumas das funções próprias dos sacerdotes nós encontramos paralelo no Novo Testamento na função dos presbíteros das igrejas:
  • 26. Sacerdotes Presbíteros Serviam como juízes (At 15:4, 6, 23; 1Tm 3:4, 5; 1Ts 5:12) Instruir os leigos (1Ts 5:12; Ef 4:11-14; 1Tm 3:2;Tt 1:9) Intercediam pelo povo (Cl 1:9; Ef 1:16-18; Fl 1:4; 1Ts 1:2) O discernimento da vontade de Deus (2Tm 4:2-5; Tt 1:9; Tt 2:1) Abençoava o povo (2Co 13:13)