SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
Pequeno Manual de
    Instruções
       Para o meu mundo da
Perturbação do Espectro do Autismo
Dizem     que comunicar é uma das
mais importantes características do ser
humano.
As     pessoas      transmitem    muitas
emoções com olhos, pelas expressões
faciais, gestos, tons de voz e expressão
corporal.
Para    mim,    olhar alguém nos
olhos significa ser bombardeado
com demasiada informação que
não sou capaz de processar.
Estabelecer contacto visual directo
estimula demasiado o meu cérebro,
e é uma experiência dolorosa para
mim, causa-me muita ansiedade.
Olhar para outra pessoa pode
causar-me irritabilidade, dores de
cabeça, e até ataques de pânico
ou birras (meltdowns).
Por isso, muitas vezes ao falar com
outra pessoa, olhamos para um
ponto      que    transmita   menos
informação, como a boca, o
queixo ou até os ombros.
Dou     muita atenção a pormenores,
mesmo que insignificantes.
Posso descobrir detalhes que passam
despercebidos a outras pessoas, e que
para mim funcionam como “post-its”,
que me ajudam a identificar pessoas,
locais ou objectos.




     Com      essa informação, posso
     reconhecer pessoas, sítios, cheiros,
     sons, texturas, cores, formas,
     reflexos, enfim, tudo o que
     envolva os meus sentidos.
     Tenho muito boa memória.
Muito     barulho descontrola-me, e tapo
muitas vezes os ouvidos para me defender
de todas as informações que os sons
transmitem.
Apesar de conseguir identificar os sons
individualmente, não os consigo interpretar
quando são demasiados - um sítio com
muitos sons, como a rua, por exemplo -
pode ser para mim um lugar hostil e confuso.




Posso, por exemplo, recusar-me a
comer num sítio barulhento, ou
andar a pé na rua, porque tantos
sons ao mesmo tempo assustam-me
muito.
Os meus ouvidos são tão sensíveis
que às vezes ouço sons que as
outras pessoas não ouvem, e
também não gosto de sons muito
agudos      ou    muito   graves.
Também não gosto que falem alto
ou gritem comigo.
Sou  muito esquisito com
a comida…




… e posso rejeitar alimentos sólidos, texturas ou cheiros que me sejam estranhos
ou que me façam impressão.
Por outro lado, e por causa da minha perturbação sensorial,
posso sentir-me atraído e compelido a comer ou mastigar
objectos estranhos, como papel, lápis de cera, livros de
cartão, creme das fraldas, pilhas ou lâmpadas, entre outros.
Gosto muito de brincar e tenho um sentido de
humor muito peculiar.
Às vezes tenho ataques de riso sem razão
aparente – muitas vezes quando estou cansado
ou tenho sono, ou quando vejo um pormenor que
escapa a toda a gente - e sorrio quando vejo
coisas de que gosto ou reconheço.




      Por vezes não entendo brincadeiras, gestos ou
      expressões.
      Gosto que me digam o que se vai passar a seguir
      porque não sei antecipar acontecimentos, e que
      me ensinem devagar, com calma e muita
      paciência, porque experiências novas podem-me
      assustar muito, e um passo mal dado numa
      experiência anterior pode-me deixar algum
      trauma.
Às vezes gosto de me isolar e de me
sentar a balançar o corpo, como se
estivesse a andar de baloiço.
Isso ajuda-me a aliviar o stress, e gosto
de o fazer até me acalmar, ou, em
caso de estar cansado, até dormir.
Às vezes tenho grandes “birras” (meltdowns), porque preciso
                    de descarregar energia e informação excessiva que fui
                    acumulando durante o dia/dias.
                    Não confundam estas “birras” – os meltdowns - com má
                    educação, mau temperamento ou mero capricho:

                    •   Quando tenho um meltdown não vejo se as pessoas se
                        importam com o que estou a fazer, faço-o porque me
                        sinto triste, desconfortável, com excesso de energia,
                        quando quero muito uma coisa e não me consigo fazer
                        compreender, ou até mesmo ao sentir-me doente. Não o
                        faço para chamar de propósito a atenção dos outros.

                    •   Durante um meltdown perco completamente o controlo
                        e posso pôr em causa a minha própria segurança ou a de
                        terceiros. Posso eventualmente bater com os pés no
                        chão, bater com as mãos na minha cabeça, bater com
                        a cabeça na parede, torcer os dedos das mãos dos
                        outros, bater ou morder.

                    •   Os meus meltdowns são grandes e podem durar algumas
                        horas – desaparecem muito devagar – e geralmente
                        nessas alturas não gosto que me toquem ou falem alto
                        comigo.



Em caso de meltdown, removam objectos do sítio onde me encontro e com que
me possa magoar ou magoar os outros.
Posso atirar com coisas ou dar murros ou pontapés nas portas, paredes, esquinas,
mesas, cadeiras, etc.
Se possível, removam todas as pessoas do sítio onde me encontro.
As palavras não me chamam à razão, se me tentar magoar, tentem acalmar-me
pondo-me num baloiço, ou balançando comigo.
Também gosto de ouvir música clássica muito baixinho e estar num quarto com
uma lâmpada que mude de cor, ou um candeeiro que projecte imagens nas
paredes.
Gosto    e procuro a companhia de adultos que me
consigam entender e ajudar.
Quando preciso ou quero alguma coisa, pego na mão
da pessoa e levo-a ao sítio onde a mesma coisa se pode
encontrar. A minha linguagem verbal pode ser
inexistente ou muito reduzida, o som “ahhh” é “água” ou
“dá”, “páá” é “papa” ou “papá” e “bá” é “bola”.
Por vezes tento imitar o que me dizem, e outras vezes
repito o som duas vezes – por exemplo, “bá, bá” é “bola,
bola”.
Às vezes digo “má”, que é “mãe” ou “má”, e digo
claramente “NÃO”. Mas ando a ensaiar!




   Gosto que me cantem       músicas para eu olhar para a
   boca e perceber como é que se emitem os sons.
   Apesar de procurar mais os adultos, também gosto da
   companhia de outros meninos, e eventualmente posso
   tentar brincar com eles, ou pedir-lhe ajuda.
   Outros meninos como eu podem ter uma linguagem muito
   sofisticada.
Portas abertas são um perigo para mim, porque gosto de fugir silenciosamente e sem direcção
definida.
Como não falo, não consigo pedir ajuda, direcções, ou explicar quem sou e quem contactar, e como
não tenho muito sentido de direcção em espaços abertos, tenho dificuldade em encontrar o caminho
de volta.
… posso ser vítima de bullying, por as pessoas não
                           perceberem porque sou assim, e ter comportamentos
Q  uando preciso de ajuda, procuro “estranhos” ou “incomodativos”. de mim, mesmo que sejam estranhos.
                           considerados quem esteja mais perto
                           O simples facto de ir a um supermercado, por exemplo, e
Como não tenho noção de perigo, e não me conseguem explicar o que fazer ou não fazer, confio em
                           dar gritos de alegria por ver coisas novas pode
qualquer pessoa, o que meincomodar grandea
                            põe em              risco. população           comum.
E eu não sei pedir ajuda em situações de de ser protegido destas situações e que
                           Por isso preciso perigo.
Preciso de atenção extrema em sítios minha condição à população geral.
                           divulguem a frequentados por outras pessoas.
Não tenho noção de perigo, e   tenho muita tendência para acidentes, ou de me colocar em
situações potencialmente perigosas, que me podem causar danos físicos ou mesmo a morte.
Uma janela aberta para mim pode ser fascinante e debruço-me para ver uma perspectiva, ou
os passarinhos.
Posso ir para a estrada para ver os carros mais de perto, e uma piscina com água cheia de
reflexos e movimento é para mim ainda mais apelativa do que para os outros meninos.
Gosto de observar coisas novas, e ficar parado a olhar
“para o infinito”.
Essas são as alturas do “semáforo vermelho”, e não gosto que
me toquem, ou que me interrompam.
Fico muito irritado quando estou concentrado e me
interrompem!
Gosto de brincar com bolas de ténis, de futebol e até gosto de jogar basquete.
Adoro pintar, seja com lápis, lápis de cera, canetas de
feltro e digitintas.
Às vezes peço ajuda para o fazer e fico muito zangado
se não me ajudam.
Também gosto muito de plasticina e consigo fazer bolas
e “cobrinhas”.
Gosto de bolinhas de sabão, apesar de às vezes não gostar de lhes tocar.
E   gosto mesmo muito de tomar banho e mexer na água!
Adoro andar de baloiço!
E gosto mesmo…

Ando   muito nas pontas dos pés e gosto de
esbracejar, dar saltinhos, e de enrolar o corpo.
Também gosto jogar à apanhada e às escondidas com
um pano.
Sou muito curioso e gosto de aprender coisas novas.
Até já aprendi a espreitar pelos buracos das fechaduras!
Gosto muito de ouvir música e de tocar tambores e piano.
Gosto de borboletas e passarinhos.
Adoro aviões!
Adoro…
Gosto da lua e das estrelas – gosto
do sol, mas faz-me muita impressão
aos olhos.
Às vezes gosto de observar as coisas em posições
estranhas, e descobrir novos pontos de vista!
E gosto de me espreguiçar!
Gosto muito que me apertem as mãos, os
pés, e de abraços apertados quando estou
nervoso.
Também gosto muito de andar descalço.
Gosto de dar cambalhotas, devagarinho para não ter medo, e dar saltos na cama elástica se alguém
me segurar as mãos.
Adoro ter amiguinhos diferentes.
Adoro brincar com     o meu mano -
sentimos muito a falta um do outro,
apesar de às vezes andarmos à bulha!
E   gosto muito da nossa família, e nós somos muito importantes para ela.
Obrigado     me ajudarem a ter um futuro
integrado, seguro, feliz e brilhante!
Créditos:

Imagens:
Pesquisa Google
Os direitos das mesmas direitos pertencem
ao seu autor original.
Apresentação inspirada no livro “All Cats
Have Asperger’s Syndrome”, de Kathy
Hoopmann, nas obras de Daniel Tammet e
de Temple Grandin.

Música:
The Cinematic Orchestra Arrival of
the Birds & Transformation
Os direitos da mesma pertencem
ao seu autor original.

Textos:
Martin&Martin, pais orgulhosos.

Dedicado aos nossos “projectos em
desenvolvimento contínuo, com o
maior amor do mundo.
A todos os profissionais que “nos” e
“os” ajudam e acompanham na
descoberta do Mundo.
A todas as famílias, meninos,
meninas e adultos com
Perturbações do Espectro do
Autismo.




                                            “You is kind. You is smart. You is important.”
                                            (and we love you very, very much!)
                                             Kathryn Stockett, The Help
                                            Nunca se esqueçam disto, e nunca
                                            acreditem se alguém disser o contrário.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os sete niveis_do_ser_humano
Os sete niveis_do_ser_humanoOs sete niveis_do_ser_humano
Os sete niveis_do_ser_humanoIrvando
 
Defeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosDefeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosNucleo Nacional
 
Apresentação para 1º reunião de pais
Apresentação para 1º reunião de paisApresentação para 1º reunião de pais
Apresentação para 1º reunião de paisGustavo Blank
 
Hey, você não é fraco!
Hey, você não é fraco!Hey, você não é fraco!
Hey, você não é fraco!Emanuel Hallef
 
20 dicas para acabar com a timidez
20 dicas para acabar com a timidez20 dicas para acabar com a timidez
20 dicas para acabar com a timidezDIETER WEISSENTEIN
 
Opções para se achar feliz
Opções para se achar felizOpções para se achar feliz
Opções para se achar felizVictor Passos
 
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.Felipe Lorenzoni Marx
 
Osho ego - o falso centro
Osho   ego - o falso centroOsho   ego - o falso centro
Osho ego - o falso centroActor Quantum
 
15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz share for the future
15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz   share for the future15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz   share for the future
15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz share for the futureÉrica Pereira da Silva
 
Wenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem socialWenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem socialFernanda Ledesma
 
Pedido de uma crianca a seus pais 1
Pedido de uma crianca a seus pais 1Pedido de uma crianca a seus pais 1
Pedido de uma crianca a seus pais 1Mensagens Virtuais
 
Pedido de uma criança
Pedido de uma criançaPedido de uma criança
Pedido de uma criançaMaria Leonor
 
Aprendendo a rir de si mesmo
Aprendendo a rir de si mesmoAprendendo a rir de si mesmo
Aprendendo a rir de si mesmoclaucomunian
 
11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti
11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti
11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de tiRui Gabriel
 

Mais procurados (20)

Os sete niveis_do_ser_humano
Os sete niveis_do_ser_humanoOs sete niveis_do_ser_humano
Os sete niveis_do_ser_humano
 
Experimento percepcao
Experimento percepcaoExperimento percepcao
Experimento percepcao
 
Defeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentosDefeitos e comportamentos
Defeitos e comportamentos
 
Apresentação para 1º reunião de pais
Apresentação para 1º reunião de paisApresentação para 1º reunião de pais
Apresentação para 1º reunião de pais
 
Hey, você não é fraco!
Hey, você não é fraco!Hey, você não é fraco!
Hey, você não é fraco!
 
70339 ped[1]
70339 ped[1]70339 ped[1]
70339 ped[1]
 
20 dicas para acabar com a timidez
20 dicas para acabar com a timidez20 dicas para acabar com a timidez
20 dicas para acabar com a timidez
 
Opções para se achar feliz
Opções para se achar felizOpções para se achar feliz
Opções para se achar feliz
 
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
5 dicas incríveis de como nunca ficar sem ter o que falar com as pessoas.
 
Osho ego - o falso centro
Osho   ego - o falso centroOsho   ego - o falso centro
Osho ego - o falso centro
 
Poc slides
Poc slidesPoc slides
Poc slides
 
322 an 09_março_2011.ok
322 an 09_março_2011.ok322 an 09_março_2011.ok
322 an 09_março_2011.ok
 
50 rotinas do mystery
50 rotinas do mystery50 rotinas do mystery
50 rotinas do mystery
 
15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz share for the future
15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz   share for the future15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz   share for the future
15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz share for the future
 
Wenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem socialWenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem social
 
Pedido de uma crianca a seus pais 1
Pedido de uma crianca a seus pais 1Pedido de uma crianca a seus pais 1
Pedido de uma crianca a seus pais 1
 
Pedido de uma criança
Pedido de uma criançaPedido de uma criança
Pedido de uma criança
 
70339 ped[1]
70339 ped[1]70339 ped[1]
70339 ped[1]
 
Aprendendo a rir de si mesmo
Aprendendo a rir de si mesmoAprendendo a rir de si mesmo
Aprendendo a rir de si mesmo
 
11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti
11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti
11 sinais revelam se estás preocupado com o que os outros pensam de ti
 

Destaque (20)

Parto domiciliar novo
Parto domiciliar novoParto domiciliar novo
Parto domiciliar novo
 
Apresentação Parto Místico. Um percurso feminino de empoderamento
Apresentação Parto Místico. Um percurso feminino de empoderamentoApresentação Parto Místico. Um percurso feminino de empoderamento
Apresentação Parto Místico. Um percurso feminino de empoderamento
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
 
Portaria Rede Cegonha
Portaria Rede CegonhaPortaria Rede Cegonha
Portaria Rede Cegonha
 
Humanização do Parto
Humanização do PartoHumanização do Parto
Humanização do Parto
 
preparação parto
preparação partopreparação parto
preparação parto
 
Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto
 
Rede cegonha ppt
Rede cegonha pptRede cegonha ppt
Rede cegonha ppt
 
Tipos de parto
Tipos de partoTipos de parto
Tipos de parto
 
Tipos de partos
Tipos de partosTipos de partos
Tipos de partos
 
Rede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Rede materno infantil - Rede Cegonha BahiaRede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Rede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
 
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
 
Partohumanizado
PartohumanizadoPartohumanizado
Partohumanizado
 
Tipos de parto
Tipos de partoTipos de parto
Tipos de parto
 
PARTO HUMANIZADO
PARTO HUMANIZADOPARTO HUMANIZADO
PARTO HUMANIZADO
 
Parto
PartoParto
Parto
 

Semelhante a O meu livro de pequenas instruções

Autismo no feminino
Autismo no femininoAutismo no feminino
Autismo no femininolilibertao
 
Cartaz, informativo sobre Matheus para escola
Cartaz, informativo sobre Matheus para escolaCartaz, informativo sobre Matheus para escola
Cartaz, informativo sobre Matheus para escolaMeri Sandra
 
Assim sou eu
Assim sou euAssim sou eu
Assim sou euAna Nunes
 
Os Esquisitos Comportamentos Humanos
Os  Esquisitos  Comportamentos  HumanosOs  Esquisitos  Comportamentos  Humanos
Os Esquisitos Comportamentos HumanosRodrigo Corrêa Leite
 
Angels in caution o renascer - lo libro - cito qasveheôt
Angels in caution   o renascer - lo libro - cito qasveheôtAngels in caution   o renascer - lo libro - cito qasveheôt
Angels in caution o renascer - lo libro - cito qasveheôtOseias S S Luz
 
Pequeno guia para entender uma colega TEA
Pequeno guia para entender uma colega TEAPequeno guia para entender uma colega TEA
Pequeno guia para entender uma colega TEAJulianaSphynx
 
Slides mão escrevendo - 2011 (1)
Slides   mão escrevendo - 2011 (1)Slides   mão escrevendo - 2011 (1)
Slides mão escrevendo - 2011 (1)proinfopccurso
 
What If Magazine_03
What If Magazine_03What If Magazine_03
What If Magazine_03Dione Negre
 
Livro uma Vida Incomum Como Qualquer Um
Livro uma Vida Incomum Como Qualquer UmLivro uma Vida Incomum Como Qualquer Um
Livro uma Vida Incomum Como Qualquer UmLuizFernandoSarmento
 
Um tanto quanto confuso by Fernanda Matos
Um tanto quanto confuso by Fernanda MatosUm tanto quanto confuso by Fernanda Matos
Um tanto quanto confuso by Fernanda MatosFernanda Matos
 
Espelho da alma
Espelho da almaEspelho da alma
Espelho da almaFer Nanda
 

Semelhante a O meu livro de pequenas instruções (20)

Autismo no feminino
Autismo no femininoAutismo no feminino
Autismo no feminino
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Cartaz, informativo sobre Matheus para escola
Cartaz, informativo sobre Matheus para escolaCartaz, informativo sobre Matheus para escola
Cartaz, informativo sobre Matheus para escola
 
Assim sou eu
Assim sou euAssim sou eu
Assim sou eu
 
Os Esquisitos Comportamentos Humanos
Os  Esquisitos  Comportamentos  HumanosOs  Esquisitos  Comportamentos  Humanos
Os Esquisitos Comportamentos Humanos
 
Easygoing = Descontraída
Easygoing = DescontraídaEasygoing = Descontraída
Easygoing = Descontraída
 
Angels in caution o renascer - lo libro - cito qasveheôt
Angels in caution   o renascer - lo libro - cito qasveheôtAngels in caution   o renascer - lo libro - cito qasveheôt
Angels in caution o renascer - lo libro - cito qasveheôt
 
Eu, tu e três pontos...
Eu, tu e três pontos...Eu, tu e três pontos...
Eu, tu e três pontos...
 
Pequeno guia para entender uma colega TEA
Pequeno guia para entender uma colega TEAPequeno guia para entender uma colega TEA
Pequeno guia para entender uma colega TEA
 
Slides mão escrevendo - 2011 (1)
Slides   mão escrevendo - 2011 (1)Slides   mão escrevendo - 2011 (1)
Slides mão escrevendo - 2011 (1)
 
Como ouvir pessoas
Como ouvir pessoasComo ouvir pessoas
Como ouvir pessoas
 
Encontro de Pais
Encontro de PaisEncontro de Pais
Encontro de Pais
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
á Aviso
á Avisoá Aviso
á Aviso
 
2º Encontro de Pais.
2º Encontro de Pais.2º Encontro de Pais.
2º Encontro de Pais.
 
Pessoas tóxicas
Pessoas tóxicasPessoas tóxicas
Pessoas tóxicas
 
What If Magazine_03
What If Magazine_03What If Magazine_03
What If Magazine_03
 
Livro uma Vida Incomum Como Qualquer Um
Livro uma Vida Incomum Como Qualquer UmLivro uma Vida Incomum Como Qualquer Um
Livro uma Vida Incomum Como Qualquer Um
 
Um tanto quanto confuso by Fernanda Matos
Um tanto quanto confuso by Fernanda MatosUm tanto quanto confuso by Fernanda Matos
Um tanto quanto confuso by Fernanda Matos
 
Espelho da alma
Espelho da almaEspelho da alma
Espelho da alma
 

Último

SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 

Último (20)

SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 

O meu livro de pequenas instruções

  • 1. Pequeno Manual de Instruções Para o meu mundo da Perturbação do Espectro do Autismo
  • 2. Dizem que comunicar é uma das mais importantes características do ser humano. As pessoas transmitem muitas emoções com olhos, pelas expressões faciais, gestos, tons de voz e expressão corporal.
  • 3. Para mim, olhar alguém nos olhos significa ser bombardeado com demasiada informação que não sou capaz de processar. Estabelecer contacto visual directo estimula demasiado o meu cérebro, e é uma experiência dolorosa para mim, causa-me muita ansiedade. Olhar para outra pessoa pode causar-me irritabilidade, dores de cabeça, e até ataques de pânico ou birras (meltdowns). Por isso, muitas vezes ao falar com outra pessoa, olhamos para um ponto que transmita menos informação, como a boca, o queixo ou até os ombros.
  • 4. Dou muita atenção a pormenores, mesmo que insignificantes. Posso descobrir detalhes que passam despercebidos a outras pessoas, e que para mim funcionam como “post-its”, que me ajudam a identificar pessoas, locais ou objectos. Com essa informação, posso reconhecer pessoas, sítios, cheiros, sons, texturas, cores, formas, reflexos, enfim, tudo o que envolva os meus sentidos. Tenho muito boa memória.
  • 5. Muito barulho descontrola-me, e tapo muitas vezes os ouvidos para me defender de todas as informações que os sons transmitem. Apesar de conseguir identificar os sons individualmente, não os consigo interpretar quando são demasiados - um sítio com muitos sons, como a rua, por exemplo - pode ser para mim um lugar hostil e confuso. Posso, por exemplo, recusar-me a comer num sítio barulhento, ou andar a pé na rua, porque tantos sons ao mesmo tempo assustam-me muito. Os meus ouvidos são tão sensíveis que às vezes ouço sons que as outras pessoas não ouvem, e também não gosto de sons muito agudos ou muito graves. Também não gosto que falem alto ou gritem comigo.
  • 6. Sou muito esquisito com a comida… … e posso rejeitar alimentos sólidos, texturas ou cheiros que me sejam estranhos ou que me façam impressão.
  • 7. Por outro lado, e por causa da minha perturbação sensorial, posso sentir-me atraído e compelido a comer ou mastigar objectos estranhos, como papel, lápis de cera, livros de cartão, creme das fraldas, pilhas ou lâmpadas, entre outros.
  • 8. Gosto muito de brincar e tenho um sentido de humor muito peculiar. Às vezes tenho ataques de riso sem razão aparente – muitas vezes quando estou cansado ou tenho sono, ou quando vejo um pormenor que escapa a toda a gente - e sorrio quando vejo coisas de que gosto ou reconheço. Por vezes não entendo brincadeiras, gestos ou expressões. Gosto que me digam o que se vai passar a seguir porque não sei antecipar acontecimentos, e que me ensinem devagar, com calma e muita paciência, porque experiências novas podem-me assustar muito, e um passo mal dado numa experiência anterior pode-me deixar algum trauma.
  • 9. Às vezes gosto de me isolar e de me sentar a balançar o corpo, como se estivesse a andar de baloiço. Isso ajuda-me a aliviar o stress, e gosto de o fazer até me acalmar, ou, em caso de estar cansado, até dormir.
  • 10. Às vezes tenho grandes “birras” (meltdowns), porque preciso de descarregar energia e informação excessiva que fui acumulando durante o dia/dias. Não confundam estas “birras” – os meltdowns - com má educação, mau temperamento ou mero capricho: • Quando tenho um meltdown não vejo se as pessoas se importam com o que estou a fazer, faço-o porque me sinto triste, desconfortável, com excesso de energia, quando quero muito uma coisa e não me consigo fazer compreender, ou até mesmo ao sentir-me doente. Não o faço para chamar de propósito a atenção dos outros. • Durante um meltdown perco completamente o controlo e posso pôr em causa a minha própria segurança ou a de terceiros. Posso eventualmente bater com os pés no chão, bater com as mãos na minha cabeça, bater com a cabeça na parede, torcer os dedos das mãos dos outros, bater ou morder. • Os meus meltdowns são grandes e podem durar algumas horas – desaparecem muito devagar – e geralmente nessas alturas não gosto que me toquem ou falem alto comigo. Em caso de meltdown, removam objectos do sítio onde me encontro e com que me possa magoar ou magoar os outros. Posso atirar com coisas ou dar murros ou pontapés nas portas, paredes, esquinas, mesas, cadeiras, etc. Se possível, removam todas as pessoas do sítio onde me encontro. As palavras não me chamam à razão, se me tentar magoar, tentem acalmar-me pondo-me num baloiço, ou balançando comigo. Também gosto de ouvir música clássica muito baixinho e estar num quarto com uma lâmpada que mude de cor, ou um candeeiro que projecte imagens nas paredes.
  • 11. Gosto e procuro a companhia de adultos que me consigam entender e ajudar. Quando preciso ou quero alguma coisa, pego na mão da pessoa e levo-a ao sítio onde a mesma coisa se pode encontrar. A minha linguagem verbal pode ser inexistente ou muito reduzida, o som “ahhh” é “água” ou “dá”, “páá” é “papa” ou “papá” e “bá” é “bola”. Por vezes tento imitar o que me dizem, e outras vezes repito o som duas vezes – por exemplo, “bá, bá” é “bola, bola”. Às vezes digo “má”, que é “mãe” ou “má”, e digo claramente “NÃO”. Mas ando a ensaiar! Gosto que me cantem músicas para eu olhar para a boca e perceber como é que se emitem os sons. Apesar de procurar mais os adultos, também gosto da companhia de outros meninos, e eventualmente posso tentar brincar com eles, ou pedir-lhe ajuda. Outros meninos como eu podem ter uma linguagem muito sofisticada.
  • 12.
  • 13.
  • 14. Portas abertas são um perigo para mim, porque gosto de fugir silenciosamente e sem direcção definida. Como não falo, não consigo pedir ajuda, direcções, ou explicar quem sou e quem contactar, e como não tenho muito sentido de direcção em espaços abertos, tenho dificuldade em encontrar o caminho de volta.
  • 15. … posso ser vítima de bullying, por as pessoas não perceberem porque sou assim, e ter comportamentos Q uando preciso de ajuda, procuro “estranhos” ou “incomodativos”. de mim, mesmo que sejam estranhos. considerados quem esteja mais perto O simples facto de ir a um supermercado, por exemplo, e Como não tenho noção de perigo, e não me conseguem explicar o que fazer ou não fazer, confio em dar gritos de alegria por ver coisas novas pode qualquer pessoa, o que meincomodar grandea põe em risco. população comum. E eu não sei pedir ajuda em situações de de ser protegido destas situações e que Por isso preciso perigo. Preciso de atenção extrema em sítios minha condição à população geral. divulguem a frequentados por outras pessoas.
  • 16. Não tenho noção de perigo, e tenho muita tendência para acidentes, ou de me colocar em situações potencialmente perigosas, que me podem causar danos físicos ou mesmo a morte. Uma janela aberta para mim pode ser fascinante e debruço-me para ver uma perspectiva, ou os passarinhos. Posso ir para a estrada para ver os carros mais de perto, e uma piscina com água cheia de reflexos e movimento é para mim ainda mais apelativa do que para os outros meninos.
  • 17. Gosto de observar coisas novas, e ficar parado a olhar “para o infinito”. Essas são as alturas do “semáforo vermelho”, e não gosto que me toquem, ou que me interrompam. Fico muito irritado quando estou concentrado e me interrompem!
  • 18.
  • 19.
  • 20. Gosto de brincar com bolas de ténis, de futebol e até gosto de jogar basquete.
  • 21.
  • 22.
  • 23. Adoro pintar, seja com lápis, lápis de cera, canetas de feltro e digitintas. Às vezes peço ajuda para o fazer e fico muito zangado se não me ajudam. Também gosto muito de plasticina e consigo fazer bolas e “cobrinhas”.
  • 24. Gosto de bolinhas de sabão, apesar de às vezes não gostar de lhes tocar.
  • 25. E gosto mesmo muito de tomar banho e mexer na água!
  • 26. Adoro andar de baloiço!
  • 27. E gosto mesmo… Ando muito nas pontas dos pés e gosto de esbracejar, dar saltinhos, e de enrolar o corpo.
  • 28. Também gosto jogar à apanhada e às escondidas com um pano.
  • 29.
  • 30. Sou muito curioso e gosto de aprender coisas novas.
  • 31. Até já aprendi a espreitar pelos buracos das fechaduras!
  • 32. Gosto muito de ouvir música e de tocar tambores e piano.
  • 33. Gosto de borboletas e passarinhos.
  • 36. Gosto da lua e das estrelas – gosto do sol, mas faz-me muita impressão aos olhos.
  • 37.
  • 38.
  • 39. Às vezes gosto de observar as coisas em posições estranhas, e descobrir novos pontos de vista!
  • 40. E gosto de me espreguiçar!
  • 41. Gosto muito que me apertem as mãos, os pés, e de abraços apertados quando estou nervoso. Também gosto muito de andar descalço.
  • 42. Gosto de dar cambalhotas, devagarinho para não ter medo, e dar saltos na cama elástica se alguém me segurar as mãos.
  • 43. Adoro ter amiguinhos diferentes.
  • 44. Adoro brincar com o meu mano - sentimos muito a falta um do outro, apesar de às vezes andarmos à bulha!
  • 45. E gosto muito da nossa família, e nós somos muito importantes para ela.
  • 46. Obrigado me ajudarem a ter um futuro integrado, seguro, feliz e brilhante!
  • 47. Créditos: Imagens: Pesquisa Google Os direitos das mesmas direitos pertencem ao seu autor original. Apresentação inspirada no livro “All Cats Have Asperger’s Syndrome”, de Kathy Hoopmann, nas obras de Daniel Tammet e de Temple Grandin. Música: The Cinematic Orchestra Arrival of the Birds & Transformation Os direitos da mesma pertencem ao seu autor original. Textos: Martin&Martin, pais orgulhosos. Dedicado aos nossos “projectos em desenvolvimento contínuo, com o maior amor do mundo. A todos os profissionais que “nos” e “os” ajudam e acompanham na descoberta do Mundo. A todas as famílias, meninos, meninas e adultos com Perturbações do Espectro do Autismo. “You is kind. You is smart. You is important.” (and we love you very, very much!) Kathryn Stockett, The Help Nunca se esqueçam disto, e nunca acreditem se alguém disser o contrário.