SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
“MENSAGEM”
“O INFANTE”
Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma.
E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.
Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!
ESTRUTURA EXTERNA
Deus/ quer,/ o /ho/mem/ so/nha/, a o/bra/ nas/ce. 10 sílabas métricas
Deus/ quis/ que/ a/ ter/ra/ fos/se/ to/da u/ma, 10 sílabas métricas
Que o/ mar/ u/nis/se/, já/ não/ se/pa/ras/se. 10 sílabas métricas
Sa/grou/-te, e/ fos/te/ des/ven/dan/do a es/pu/ma. 10 sílabas métricas
E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.
Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!
Rima cruzada
•Realização (2º parte);
•Regularidade estrófica (composto
por três quadras);
•Regularidade métrica (constituído
por versos decassilábicos);
•Regularidade rimática.
ESTRUTURA INTERNA
Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma.
Vontade divina e o sonho do homem
Concretização da obra
Desejo de Deus
Infante
Portugueses
Metáfora
E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.
•Ideia do divino
e espiritual
•Mistério
Passagem do
desconhecido para a luz
Metáfora
ESTRUTURA INTERNA
Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!
Nacionalismo e patriotismo
Vontade divina
•Império material
•Morte do Infante
Império espiritual
Apóstrofe
ESTRUTURA INTERNA
“O INFANTE”
• “O Infante”, neste poema, refere-se ao Infante D. Henrique que foi considerado o homem que contribuiu
para o impulso que levou aos Descobrimentos.
• Primeira estrofe
Na primeira estrofe está presente a vontade divida (“Deus quer”), o sonho do homem (“o homem
sonha”) e a concretização da obra (“a obra nasce”). Sem a vontade de Deus, o sonho não seria
despertado no homem e consequentemente a obra não seria criada.
Nesta estrofe, Deus desejava que os continentes se unissem e, que em vez de os separar, o mar
servisse como elemento de ligação entre eles. A sua vontade guiaria as ações dos marinheiros e faria
com que os portugueses trabalhassem na missão divina de unir e conhecer o mundo, sem que
pensassem nos seus proveitos/interesses pessoais.
Para o cumprimento deste desejo, Deus “sagrou” o Infante. Este, representava todos os
portugueses uma vez que em todos eles o sonho de desvendar o mar/desconhecido (“desvendando a
espuma”) e unir a terra surgiu, o que levou ao “nascimento” dos Descobrimentos- concretização da obra.
“O INFANTE”
• Segunda estrofe
Nesta estrofe a metáfora “orla branca” corresponde ao rasto de espuma deixado pelas naus, no
mar, e representa a pureza e a presença do espírito divino, assim como o verbo “clareou”.
Os terceiro e quarto versos, simbolizam a esperança visto que os portugueses descobriram que a
terra era redonda e que o “fim” do mar (o visível aos olhos) não era fosso profundo como pensavam.
Com isto, observa-se a descrição do crescimento do Império (“(…) foi de ilha em continente”).
“O INFANTE”
• Terceira estrofe
No primeiro verso desta estrofe, a expressão “criou-te português” representa o nacionalismo e o
patriotismo presentes no país naquela época e o Infante é considerado símbolo do herói português. No
segundo verso, está novamente presente a vontade divina em “deu sinal”, dado que Deus escolheu o
Infante para executar a sua missão.
A sentença “Cumpriu-se o mar” significa que o mar foi desvendado, ou seja, ocorreram os
Descobrimentos, mas na expressão “e o império se desfez” constata-se que as terras que conquistaram
foram perdidas, isto é, o império material desfez-se. Além disso, adianta também a morte do Infante D.
Henrique.
Nesta estrofe a exclamação “Senhor falta cumprir-se Portugal!”, relaciona-se com o Império
espiritual (Quinto Império), uma vez que é o único que não se desfaz, e simboliza a esperança que ainda
se mantém. Pode ser considerada uma nova missão espiritual.
Assim, pode concluir-se que não eram os Descobrimentos a maior glória de Portugal, mas sim a
sua língua, cultura e a alma. Apesar de terem cumprido a missão dada por Deus, o destino glorioso e
imaterial do espírito, a entidade nacional, estava ainda por cumprir.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaSamuel Neves
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicosSílvia Faim
 
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemPaulo Vitorino
 
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMaria Teixiera
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaVanda Sousa
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - MensagemIga Almeida
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaDina Baptista
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaDina Baptista
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesDaniel Sousa
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeDina Baptista
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAnabela Fernandes
 
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - OrtónimoAnálise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - OrtónimoJoão Barreira
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemInesa M
 

Mais procurados (20)

Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Nevoeiro
Nevoeiro   Nevoeiro
Nevoeiro
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
 
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
O Mostrengo
O MostrengoO Mostrengo
O Mostrengo
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário Verde
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
 
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - OrtónimoAnálise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 

Semelhante a "Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"

Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.pptAnálise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.pptSandra Pina
 
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)AndreiaFilipa63
 
Português
PortuguêsPortuguês
PortuguêsKaryn XP
 
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...Ana Cristina Matias
 
Estrutura de 'Mensagem'
Estrutura de 'Mensagem'Estrutura de 'Mensagem'
Estrutura de 'Mensagem'12_A
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando PessoaMensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando PessoaEL Chenko
 
Portuês
PortuêsPortuês
Portuêssufia1
 
portugues
portuguesportugues
portuguessufia1
 
Língua Portuguesa
Língua PortuguesaLíngua Portuguesa
Língua Portuguesasufia1
 
Soluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptx
Soluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptxSoluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptx
Soluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptxJMTCS
 
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolosMensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolossin3stesia
 
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdfFernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdfJeanLima84
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasAntónio Teixeira
 
Formação do território brasileiro 1
Formação do território brasileiro 1Formação do território brasileiro 1
Formação do território brasileiro 1AlessandroRubens
 

Semelhante a "Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante" (20)

Mensagem, Fernando Pessoa
Mensagem, Fernando PessoaMensagem, Fernando Pessoa
Mensagem, Fernando Pessoa
 
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.pptAnálise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
 
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
 
Português
PortuguêsPortuguês
Português
 
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
 
Mensagem
MensagemMensagem
Mensagem
 
Estrutura de 'Mensagem'
Estrutura de 'Mensagem'Estrutura de 'Mensagem'
Estrutura de 'Mensagem'
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando PessoaMensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoa
 
Mensagem
MensagemMensagem
Mensagem
 
Mensagem-RaizEd
Mensagem-RaizEdMensagem-RaizEd
Mensagem-RaizEd
 
Portuês
PortuêsPortuês
Portuês
 
portugues
portuguesportugues
portugues
 
Língua Portuguesa
Língua PortuguesaLíngua Portuguesa
Língua Portuguesa
 
Fernando pessoa mensagem
Fernando pessoa   mensagemFernando pessoa   mensagem
Fernando pessoa mensagem
 
Soluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptx
Soluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptxSoluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptx
Soluções dos exercícios - páginas 124 e 125.pptx
 
Cp1 hino nacional
Cp1   hino nacionalCp1   hino nacional
Cp1 hino nacional
 
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolosMensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
 
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdfFernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
 
Formação do território brasileiro 1
Formação do território brasileiro 1Formação do território brasileiro 1
Formação do território brasileiro 1
 

Último

UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 

Último (20)

UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 

"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"

  • 2. “O INFANTE” Deus quer, o homem sonha, a obra nasce. Deus quis que a terra fosse toda uma, Que o mar unisse, já não separasse. Sagrou-te, e foste desvendando a espuma. E a orla branca foi de ilha em continente, Clareou, correndo, até ao fim do mundo, E viu-se a terra inteira, de repente, Surgir, redonda, do azul profundo. Quem te sagrou criou-te português. Do mar e nós em ti nos deu sinal. Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez. Senhor, falta cumprir-se Portugal!
  • 3. ESTRUTURA EXTERNA Deus/ quer,/ o /ho/mem/ so/nha/, a o/bra/ nas/ce. 10 sílabas métricas Deus/ quis/ que/ a/ ter/ra/ fos/se/ to/da u/ma, 10 sílabas métricas Que o/ mar/ u/nis/se/, já/ não/ se/pa/ras/se. 10 sílabas métricas Sa/grou/-te, e/ fos/te/ des/ven/dan/do a es/pu/ma. 10 sílabas métricas E a orla branca foi de ilha em continente, Clareou, correndo, até ao fim do mundo, E viu-se a terra inteira, de repente, Surgir, redonda, do azul profundo. Quem te sagrou criou-te português. Do mar e nós em ti nos deu sinal. Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez. Senhor, falta cumprir-se Portugal! Rima cruzada •Realização (2º parte); •Regularidade estrófica (composto por três quadras); •Regularidade métrica (constituído por versos decassilábicos); •Regularidade rimática.
  • 4. ESTRUTURA INTERNA Deus quer, o homem sonha, a obra nasce. Deus quis que a terra fosse toda uma, Que o mar unisse, já não separasse. Sagrou-te, e foste desvendando a espuma. Vontade divina e o sonho do homem Concretização da obra Desejo de Deus Infante Portugueses Metáfora
  • 5. E a orla branca foi de ilha em continente, Clareou, correndo, até ao fim do mundo, E viu-se a terra inteira, de repente, Surgir, redonda, do azul profundo. •Ideia do divino e espiritual •Mistério Passagem do desconhecido para a luz Metáfora ESTRUTURA INTERNA
  • 6. Quem te sagrou criou-te português. Do mar e nós em ti nos deu sinal. Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez. Senhor, falta cumprir-se Portugal! Nacionalismo e patriotismo Vontade divina •Império material •Morte do Infante Império espiritual Apóstrofe ESTRUTURA INTERNA
  • 7. “O INFANTE” • “O Infante”, neste poema, refere-se ao Infante D. Henrique que foi considerado o homem que contribuiu para o impulso que levou aos Descobrimentos. • Primeira estrofe Na primeira estrofe está presente a vontade divida (“Deus quer”), o sonho do homem (“o homem sonha”) e a concretização da obra (“a obra nasce”). Sem a vontade de Deus, o sonho não seria despertado no homem e consequentemente a obra não seria criada. Nesta estrofe, Deus desejava que os continentes se unissem e, que em vez de os separar, o mar servisse como elemento de ligação entre eles. A sua vontade guiaria as ações dos marinheiros e faria com que os portugueses trabalhassem na missão divina de unir e conhecer o mundo, sem que pensassem nos seus proveitos/interesses pessoais. Para o cumprimento deste desejo, Deus “sagrou” o Infante. Este, representava todos os portugueses uma vez que em todos eles o sonho de desvendar o mar/desconhecido (“desvendando a espuma”) e unir a terra surgiu, o que levou ao “nascimento” dos Descobrimentos- concretização da obra.
  • 8. “O INFANTE” • Segunda estrofe Nesta estrofe a metáfora “orla branca” corresponde ao rasto de espuma deixado pelas naus, no mar, e representa a pureza e a presença do espírito divino, assim como o verbo “clareou”. Os terceiro e quarto versos, simbolizam a esperança visto que os portugueses descobriram que a terra era redonda e que o “fim” do mar (o visível aos olhos) não era fosso profundo como pensavam. Com isto, observa-se a descrição do crescimento do Império (“(…) foi de ilha em continente”).
  • 9. “O INFANTE” • Terceira estrofe No primeiro verso desta estrofe, a expressão “criou-te português” representa o nacionalismo e o patriotismo presentes no país naquela época e o Infante é considerado símbolo do herói português. No segundo verso, está novamente presente a vontade divina em “deu sinal”, dado que Deus escolheu o Infante para executar a sua missão. A sentença “Cumpriu-se o mar” significa que o mar foi desvendado, ou seja, ocorreram os Descobrimentos, mas na expressão “e o império se desfez” constata-se que as terras que conquistaram foram perdidas, isto é, o império material desfez-se. Além disso, adianta também a morte do Infante D. Henrique. Nesta estrofe a exclamação “Senhor falta cumprir-se Portugal!”, relaciona-se com o Império espiritual (Quinto Império), uma vez que é o único que não se desfaz, e simboliza a esperança que ainda se mantém. Pode ser considerada uma nova missão espiritual. Assim, pode concluir-se que não eram os Descobrimentos a maior glória de Portugal, mas sim a sua língua, cultura e a alma. Apesar de terem cumprido a missão dada por Deus, o destino glorioso e imaterial do espírito, a entidade nacional, estava ainda por cumprir.