SlideShare uma empresa Scribd logo
FILOSOFIA
O QUE É FILOSOFIA 
PHILO: 
AMIZADE / AMOR / DESEJO 
SOPHIA: 
SABEDORIA
FILOSOFIA: 
AMOR A SABEDORIA 
FILÓSOFO: 
AMIGO / AMANTE DA SABEDORIA
A CORUJA E A FILOSOFIA 
A coruja da Filosofia é 
a 
Coruja de Minerva. 
Minerva – Athena
LOCAL: 
MILETO 
DATA: 
SÉCULO VI a C
Primeiro 
Filósofo: 
TALES DE 
MILETO
FILOSOFIA 
CARÁTER RACIONAL 
MITO ------------ RAZÃO
Filosofia 
O que marca o surgimento da Filosofia é seu 
caráter racional. 
Os homens passam de uma explicação 
mitológica do mundo para uma explicação 
racional. 
Ao perceberem as contradições e limitações 
dos mitos, eles reformulam e racionalizam as 
narrativas míticas, transformando-as em uma 
explicação inteiramente nova e diferente.
Filosofia – Cosmologia 
Conhecimento racional 
da ordem do mundo 
ou da Natureza.
Mito e Filosofia 
O mito falava em deuses, como Zeus, 
Perséfone e Gaia. Narrava a origem dos 
seres celestes e terrestres como derivados 
das relações com os deuses. 
A Filosofia fala em céu, mar e terra. 
Ela explica o surgimento desses seres por 
composição, combinação e separação dos 
quatro elementos – úmido, seco, quente e 
frio, ou água, terra, fogo e ar.
Mito e Filosofia 
O mito narrava a origem através de 
genealogias derivadas de forças divinas 
sobrenaturais e personalizadas. 
A Filosofia, ao contrário, explica a produção 
natural das coisas por elementos e causas 
naturais e impessoais.
Mito e Filosofia 
O mito pretendia narrar como as coisas eram ou 
tinham sido no passado imemorial, longínquo e 
fabuloso, voltando-se para o que era antes que tudo 
existisse tal como existe no presente. 
A Filosofia, ao contrário, se preocupa em explicar 
como e por que, no passado, no presente e no 
futuro (isto é, na totalidade do tempo), as coisas são 
como são;
Mito e Filosofia 
O mito não se importava com 
contradições, com o fabuloso e o 
incompreensível, não só porque esses 
eram traços próprios da narrativa 
mítica, como também porque a 
confiança e a crença no mito vinham 
da autoridade religiosa do narrador.
Mito e Filosofia 
A Filosofia, ao contrário, não admite 
contradições, fabulação e coisas 
incompreensíveis, mas exige que a 
explicação seja coerente, lógica e racional; 
Além disso, a autoridade da explicação não 
vem da pessoa do filósofo, mas da razão, 
que é a mesma em todos os seres 
humanos.
A EXPLICAÇÃO DO 
MUNDO 
MMIITTOO 
DDIISSCCUURRSSOO 
IINNTTUUIIÇÇÃÃOO CCOOMMPPRREEEENNSSIIVVAA 
DDAA RREEAALLIIDDAADDEE 
TTRRAADDIIÇÇÃÃOO CCOOLLEETTIIVVAA 
NNÃÃOO SSUUJJEEIITTOO ÀÀ CCRRÍÍTTIICCAA 
LLOOGGOOSS 
RRAAZZÃÃOO 
EELLAABBOORRAAÇÇÃÃOO IINNDDIIVVIIDDUUAALL 
SSUUJJEEIITTOO ÀÀ CCRRÍÍTTIICCAA 
EEXXPPLLIICCAAÇÇÃÃOO DDOO MMUUNNDDOO // CCOOSSMMOOSS
O FILÓSOFO 
PITÁGORAS DE SAMOS 
SÉCULO V a C 
OBSERVADOR
O FILÓSOFO 
Não é movido por interesses comerciais – não 
coloca o saber como propriedade sua, como uma 
coisa para ser comprada e vendida no mercado; 
Não é movido pelo desejo de competir – não faz 
das idéias e dos conhecimentos uma habilidade 
para vencer competidores ou “atletas 
intelectuais”;
O FILÓSOFO 
É movido pelo desejo de observar, 
contemplar, julgar e avaliar as coisas, as 
ações, a vida: pelo desejo de saber. 
A verdade não pertence a ninguém, ela é o 
que buscamos e que está diante de nós 
para ser contemplada e vista, se tivermos 
olhos (do espírito) para vê-la.
MOTIVOS 
• ESPANTO 
• ADMIRAÇÃO 
• DESEJO NATURAL DE SABER
ININTTEERRRROOGGAAÇÇÕÕEESS F FILILOOSSÓÓFFICICAASS 
(1) O QUE É ? 
(2) POR QUE É ? 
(3) COMO É ? 
(1) O QUE É ? 
(2) POR QUE É ? 
(3) COMO É ?
CRENÇAS COTIDIANAS 
X 
QUESTÕES FILOSÓFICAS
• O QUE É O TEMPO ? 
• O QUE É A REALIDADE ? 
• O QUE É LIBERDADE ? 
• O QUE É NORMALIDADE ? 
• O QUE É SER BOM ?
ATITUDE FILOSÓFICA 
Tomar distância da vida cotidiana e de si 
mesmo; interrogar a si mesmo, desejando 
conhecer por que cremos no que cremos, 
por que sentimos o que sentimos e o que 
são nossas crenças e nossos sentimentos.
ATITUDE FILOSÓFICA 
Decisão de não aceitar como óbvias e 
evidentes as coisas, as idéias, os fatos, as 
situações, os valores, os comportamentos 
de nossa existência cotidiana; jamais 
aceitá-los sem antes havê-los investigado e 
compreendido.
ATITUDE CRÍTICA 
DUVIDAR 
Dizer não ao senso comum, aos pré-conceitos, 
aos pré-juízos, aos fatos e às 
idéias da experiência cotidiana, ao que 
“todo mundo diz”, ao estabelecido.
INTERROGAR 
Interrogar sobre o que são as coisas, as idéias, os fatos, 
as situações, os comportamentos, os valores, nós 
mesmos. 
Questionar sobre o porquê disso tudo e de nós e sobre 
como tudo isso é assim e não de outra maneira. 
O que é? Por que é? Como é? Essas são as 
indagações fundamentais da atitude filosófica.
ATIVIDADE FILOSÓFICA 
• REFLEXÃO CRÍTICA 
• RACIONAL 
• RADICAL 
• PROFUNDA 
• SISTEMÁTICA
SÓCRATES (470-399) 
SÉCULO III 
“SÓ SEI QUE NADA 
SEI” 
QUESTIONAR
Para que serve a Filosofia? 
[1] Se abandonarmos a ingenuidade e os 
preconceitos do senso comum for útil; 
[2] Se não nos deixarmos guiar pela submissão 
às idéias dominantes e aos poderes 
estabelecidos for útil; 
[3] Se buscarmos compreender a significação do 
mundo, da cultura, da história for útil;
Para que serve a Filosofia? 
[4] Se conhecermos o sentido das criações 
humanas nas artes, nas ciências, na ética e na 
política for útil; 
[5] Se dar a cada um de nós e à nossa 
sociedade os meios para serem conscientes de 
si e de suas ações numa prática que deseja a 
liberdade e a felicidade para todos for útil;
Então podemos dizer que a 
Filosofia é o mais útil de 
todos os saberes de que 
os seres humanos são 
capazes.
QUAL A FUNÇÃO DO FILÓSOFO ?
CONVITE AO MERGULHO NA 
ATIVIDADE FILOSÓFICA 
FILOSOFIA 
• REFLEXÃO CRÍTICA RACIONAL 
• RADICAL 
• SISTEMÁTICA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Passagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofiaPassagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofia
Pedro Almeida
 
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaApostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Claudio Santos
 
Aula 1 - Para que Filosofia
Aula 1 - Para que FilosofiaAula 1 - Para que Filosofia
Para Que Filosofia
Para Que FilosofiaPara Que Filosofia
Para Que Filosofia
guestfb5e9b7
 
Introdução à Filosofia
Introdução à FilosofiaIntrodução à Filosofia
Introdução à Filosofia
PriscillaTomazi2015
 
Filosofia e Opinião
Filosofia e OpiniãoFilosofia e Opinião
Filosofia e Opinião
Jorge Barbosa
 
Filosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimentoFilosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimento
Francisco Vasconcelos Silva Júnior
 
Para que serve a filosofia
Para que serve a filosofiaPara que serve a filosofia
Para que serve a filosofia
superego
 
Mito x filosofia
Mito x filosofiaMito x filosofia
Mito x filosofia
edvana Santana
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
José Augusto Fiorin
 
Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1
Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1
Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1
Marcelo Freitas
 
Apostila de filosofia 3º ano
Apostila de filosofia 3º anoApostila de filosofia 3º ano
Apostila de filosofia 3º ano
Duzg
 
A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)
A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)
A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)
Marcela Marangon Ribeiro
 
Para que filosofia capítulo 1 resenha chauí - atualizado
Para que filosofia   capítulo 1 resenha  chauí -  atualizadoPara que filosofia   capítulo 1 resenha  chauí -  atualizado
Para que filosofia capítulo 1 resenha chauí - atualizado
Rita Gonçalves
 
Texto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da brunaTexto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da bruna
frederico194320
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
Erica Frau
 
A passagem do mito para razão
A passagem do mito para razãoA passagem do mito para razão
A passagem do mito para razão
Gabi Evaristo
 
Mito e-razão
Mito e-razãoMito e-razão
Mito e-razão
Márcia Quirino
 
I definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)
I   definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)I   definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)
I definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)
Aida Cunha
 
Aula revisão - Filosofia
Aula revisão - FilosofiaAula revisão - Filosofia
Aula revisão - Filosofia
erickxk
 

Mais procurados (20)

Passagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofiaPassagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofia
 
Apostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_ejaApostila de filosofia_1ºano_eja
Apostila de filosofia_1ºano_eja
 
Aula 1 - Para que Filosofia
Aula 1 - Para que FilosofiaAula 1 - Para que Filosofia
Aula 1 - Para que Filosofia
 
Para Que Filosofia
Para Que FilosofiaPara Que Filosofia
Para Que Filosofia
 
Introdução à Filosofia
Introdução à FilosofiaIntrodução à Filosofia
Introdução à Filosofia
 
Filosofia e Opinião
Filosofia e OpiniãoFilosofia e Opinião
Filosofia e Opinião
 
Filosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimentoFilosofia 7º ano o conhecimento
Filosofia 7º ano o conhecimento
 
Para que serve a filosofia
Para que serve a filosofiaPara que serve a filosofia
Para que serve a filosofia
 
Mito x filosofia
Mito x filosofiaMito x filosofia
Mito x filosofia
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
 
Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1
Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1
Descobrir o que existe filosofia 7 ano aula 1
 
Apostila de filosofia 3º ano
Apostila de filosofia 3º anoApostila de filosofia 3º ano
Apostila de filosofia 3º ano
 
A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)
A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)
A filosofia e outras formas de pensar (mito, religião e senso comum)
 
Para que filosofia capítulo 1 resenha chauí - atualizado
Para que filosofia   capítulo 1 resenha  chauí -  atualizadoPara que filosofia   capítulo 1 resenha  chauí -  atualizado
Para que filosofia capítulo 1 resenha chauí - atualizado
 
Texto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da brunaTexto para filosofia, trabalho da bruna
Texto para filosofia, trabalho da bruna
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
 
A passagem do mito para razão
A passagem do mito para razãoA passagem do mito para razão
A passagem do mito para razão
 
Mito e-razão
Mito e-razãoMito e-razão
Mito e-razão
 
I definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)
I   definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)I   definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)
I definição de filosofia, breve contextualização e disciplinas (3)
 
Aula revisão - Filosofia
Aula revisão - FilosofiaAula revisão - Filosofia
Aula revisão - Filosofia
 

Destaque

Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
PriscillaTomazi2015
 
Liceu no enem 2015 aulão 15 de outubro
Liceu no enem 2015   aulão 15 de outubroLiceu no enem 2015   aulão 15 de outubro
Liceu no enem 2015 aulão 15 de outubro
Gerda Vieira
 
Conquista e coloniza__o_da_am_rica
Conquista e coloniza__o_da_am_ricaConquista e coloniza__o_da_am_rica
Conquista e coloniza__o_da_am_rica
Paaula Aguiar
 
Ciencias humanas e suas tecnologias
Ciencias humanas e suas tecnologiasCiencias humanas e suas tecnologias
Ciencias humanas e suas tecnologias
Anny Karine Machado
 
Filosofia 6- ano
Filosofia  6- anoFilosofia  6- ano
Filosofia 6- ano
Jaicinha
 
Razão filosofia
Razão   filosofiaRazão   filosofia
Razão filosofia
Silmara Vedoveli
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
Biia Silva
 
O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)
O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)
O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)
Isabel Aguiar
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
José Aristides Silva Gamito
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
Erica Frau
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
Professor Marcelo
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
Ricardogomes123
 

Destaque (12)

Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Liceu no enem 2015 aulão 15 de outubro
Liceu no enem 2015   aulão 15 de outubroLiceu no enem 2015   aulão 15 de outubro
Liceu no enem 2015 aulão 15 de outubro
 
Conquista e coloniza__o_da_am_rica
Conquista e coloniza__o_da_am_ricaConquista e coloniza__o_da_am_rica
Conquista e coloniza__o_da_am_rica
 
Ciencias humanas e suas tecnologias
Ciencias humanas e suas tecnologiasCiencias humanas e suas tecnologias
Ciencias humanas e suas tecnologias
 
Filosofia 6- ano
Filosofia  6- anoFilosofia  6- ano
Filosofia 6- ano
 
Razão filosofia
Razão   filosofiaRazão   filosofia
Razão filosofia
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)
O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)
O SURGIMENTO DA FILOSOFIA ( ADAPTADO)
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 

Semelhante a Mito

Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
unieubra
 
A filosofia
A filosofiaA filosofia
A filosofia
AnaKlein1
 
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Paulo Alexandre
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - Origem
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - OrigemFaceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - Origem
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - Origem
Jordano Santos Cerqueira
 
Apostila básica filosofia
Apostila básica   filosofiaApostila básica   filosofia
Apostila básica filosofia
aloirmd
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
Luci Bonini
 
Trabalho Conclusão Didática - UNIRIO
Trabalho Conclusão Didática - UNIRIOTrabalho Conclusão Didática - UNIRIO
Trabalho Conclusão Didática - UNIRIO
Fabiana Melo Sousa
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
Luci Bonini
 
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Keiler Vasconcelos
 
Filosofia e o Filosofar
Filosofia e o FilosofarFilosofia e o Filosofar
Filosofia e o Filosofar
MatildeGodinho
 
Mito a Filosofia.pptx
Mito a Filosofia.pptxMito a Filosofia.pptx
Mito a Filosofia.pptx
WelisClemente1
 
Filos rute hk
Filos rute hkFilos rute hk
Filos rute hk
Suelly Francisco
 
Filosofia, retórica e democracia
Filosofia, retórica e democracia Filosofia, retórica e democracia
Filosofia, retórica e democracia
mluisavalente
 
Revisão de conteúdo 1º ano
Revisão de conteúdo 1º anoRevisão de conteúdo 1º ano
Revisão de conteúdo 1º ano
Milena Leite
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
Clerison Alves
 
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoPassagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Rafael Oliveira
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
Ricardogomes123
 
FilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosófico
FilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosóficoFilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosófico
FilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosófico
mro5060
 
O conhecimento slides
O conhecimento   slidesO conhecimento   slides
O conhecimento slides
UFMS
 
FILOSOFIA 1°ANO.ppt
FILOSOFIA 1°ANO.pptFILOSOFIA 1°ANO.ppt
FILOSOFIA 1°ANO.ppt
cassio franca
 

Semelhante a Mito (20)

Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
 
A filosofia
A filosofiaA filosofia
A filosofia
 
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - Origem
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - OrigemFaceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - Origem
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 04 - Origem
 
Apostila básica filosofia
Apostila básica   filosofiaApostila básica   filosofia
Apostila básica filosofia
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
 
Trabalho Conclusão Didática - UNIRIO
Trabalho Conclusão Didática - UNIRIOTrabalho Conclusão Didática - UNIRIO
Trabalho Conclusão Didática - UNIRIO
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
 
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
 
Filosofia e o Filosofar
Filosofia e o FilosofarFilosofia e o Filosofar
Filosofia e o Filosofar
 
Mito a Filosofia.pptx
Mito a Filosofia.pptxMito a Filosofia.pptx
Mito a Filosofia.pptx
 
Filos rute hk
Filos rute hkFilos rute hk
Filos rute hk
 
Filosofia, retórica e democracia
Filosofia, retórica e democracia Filosofia, retórica e democracia
Filosofia, retórica e democracia
 
Revisão de conteúdo 1º ano
Revisão de conteúdo 1º anoRevisão de conteúdo 1º ano
Revisão de conteúdo 1º ano
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoPassagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 
FilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosófico
FilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosóficoFilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosófico
FilosofiaIntrodução a filosofia e senso comum e filosófico
 
O conhecimento slides
O conhecimento   slidesO conhecimento   slides
O conhecimento slides
 
FILOSOFIA 1°ANO.ppt
FILOSOFIA 1°ANO.pptFILOSOFIA 1°ANO.ppt
FILOSOFIA 1°ANO.ppt
 

Mais de Isabel Aguiar

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Isabel Aguiar
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
Isabel Aguiar
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Isabel Aguiar
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
Isabel Aguiar
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
Isabel Aguiar
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
Isabel Aguiar
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
Isabel Aguiar
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
Isabel Aguiar
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
Isabel Aguiar
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 

Mais de Isabel Aguiar (20)

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 

Mito

  • 2. O QUE É FILOSOFIA PHILO: AMIZADE / AMOR / DESEJO SOPHIA: SABEDORIA
  • 3. FILOSOFIA: AMOR A SABEDORIA FILÓSOFO: AMIGO / AMANTE DA SABEDORIA
  • 4. A CORUJA E A FILOSOFIA A coruja da Filosofia é a Coruja de Minerva. Minerva – Athena
  • 5. LOCAL: MILETO DATA: SÉCULO VI a C
  • 7. FILOSOFIA CARÁTER RACIONAL MITO ------------ RAZÃO
  • 8. Filosofia O que marca o surgimento da Filosofia é seu caráter racional. Os homens passam de uma explicação mitológica do mundo para uma explicação racional. Ao perceberem as contradições e limitações dos mitos, eles reformulam e racionalizam as narrativas míticas, transformando-as em uma explicação inteiramente nova e diferente.
  • 9. Filosofia – Cosmologia Conhecimento racional da ordem do mundo ou da Natureza.
  • 10. Mito e Filosofia O mito falava em deuses, como Zeus, Perséfone e Gaia. Narrava a origem dos seres celestes e terrestres como derivados das relações com os deuses. A Filosofia fala em céu, mar e terra. Ela explica o surgimento desses seres por composição, combinação e separação dos quatro elementos – úmido, seco, quente e frio, ou água, terra, fogo e ar.
  • 11. Mito e Filosofia O mito narrava a origem através de genealogias derivadas de forças divinas sobrenaturais e personalizadas. A Filosofia, ao contrário, explica a produção natural das coisas por elementos e causas naturais e impessoais.
  • 12. Mito e Filosofia O mito pretendia narrar como as coisas eram ou tinham sido no passado imemorial, longínquo e fabuloso, voltando-se para o que era antes que tudo existisse tal como existe no presente. A Filosofia, ao contrário, se preocupa em explicar como e por que, no passado, no presente e no futuro (isto é, na totalidade do tempo), as coisas são como são;
  • 13. Mito e Filosofia O mito não se importava com contradições, com o fabuloso e o incompreensível, não só porque esses eram traços próprios da narrativa mítica, como também porque a confiança e a crença no mito vinham da autoridade religiosa do narrador.
  • 14. Mito e Filosofia A Filosofia, ao contrário, não admite contradições, fabulação e coisas incompreensíveis, mas exige que a explicação seja coerente, lógica e racional; Além disso, a autoridade da explicação não vem da pessoa do filósofo, mas da razão, que é a mesma em todos os seres humanos.
  • 15. A EXPLICAÇÃO DO MUNDO MMIITTOO DDIISSCCUURRSSOO IINNTTUUIIÇÇÃÃOO CCOOMMPPRREEEENNSSIIVVAA DDAA RREEAALLIIDDAADDEE TTRRAADDIIÇÇÃÃOO CCOOLLEETTIIVVAA NNÃÃOO SSUUJJEEIITTOO ÀÀ CCRRÍÍTTIICCAA LLOOGGOOSS RRAAZZÃÃOO EELLAABBOORRAAÇÇÃÃOO IINNDDIIVVIIDDUUAALL SSUUJJEEIITTOO ÀÀ CCRRÍÍTTIICCAA EEXXPPLLIICCAAÇÇÃÃOO DDOO MMUUNNDDOO // CCOOSSMMOOSS
  • 16. O FILÓSOFO PITÁGORAS DE SAMOS SÉCULO V a C OBSERVADOR
  • 17. O FILÓSOFO Não é movido por interesses comerciais – não coloca o saber como propriedade sua, como uma coisa para ser comprada e vendida no mercado; Não é movido pelo desejo de competir – não faz das idéias e dos conhecimentos uma habilidade para vencer competidores ou “atletas intelectuais”;
  • 18. O FILÓSOFO É movido pelo desejo de observar, contemplar, julgar e avaliar as coisas, as ações, a vida: pelo desejo de saber. A verdade não pertence a ninguém, ela é o que buscamos e que está diante de nós para ser contemplada e vista, se tivermos olhos (do espírito) para vê-la.
  • 19. MOTIVOS • ESPANTO • ADMIRAÇÃO • DESEJO NATURAL DE SABER
  • 20. ININTTEERRRROOGGAAÇÇÕÕEESS F FILILOOSSÓÓFFICICAASS (1) O QUE É ? (2) POR QUE É ? (3) COMO É ? (1) O QUE É ? (2) POR QUE É ? (3) COMO É ?
  • 21. CRENÇAS COTIDIANAS X QUESTÕES FILOSÓFICAS
  • 22. • O QUE É O TEMPO ? • O QUE É A REALIDADE ? • O QUE É LIBERDADE ? • O QUE É NORMALIDADE ? • O QUE É SER BOM ?
  • 23. ATITUDE FILOSÓFICA Tomar distância da vida cotidiana e de si mesmo; interrogar a si mesmo, desejando conhecer por que cremos no que cremos, por que sentimos o que sentimos e o que são nossas crenças e nossos sentimentos.
  • 24. ATITUDE FILOSÓFICA Decisão de não aceitar como óbvias e evidentes as coisas, as idéias, os fatos, as situações, os valores, os comportamentos de nossa existência cotidiana; jamais aceitá-los sem antes havê-los investigado e compreendido.
  • 25. ATITUDE CRÍTICA DUVIDAR Dizer não ao senso comum, aos pré-conceitos, aos pré-juízos, aos fatos e às idéias da experiência cotidiana, ao que “todo mundo diz”, ao estabelecido.
  • 26. INTERROGAR Interrogar sobre o que são as coisas, as idéias, os fatos, as situações, os comportamentos, os valores, nós mesmos. Questionar sobre o porquê disso tudo e de nós e sobre como tudo isso é assim e não de outra maneira. O que é? Por que é? Como é? Essas são as indagações fundamentais da atitude filosófica.
  • 27. ATIVIDADE FILOSÓFICA • REFLEXÃO CRÍTICA • RACIONAL • RADICAL • PROFUNDA • SISTEMÁTICA
  • 28. SÓCRATES (470-399) SÉCULO III “SÓ SEI QUE NADA SEI” QUESTIONAR
  • 29. Para que serve a Filosofia? [1] Se abandonarmos a ingenuidade e os preconceitos do senso comum for útil; [2] Se não nos deixarmos guiar pela submissão às idéias dominantes e aos poderes estabelecidos for útil; [3] Se buscarmos compreender a significação do mundo, da cultura, da história for útil;
  • 30. Para que serve a Filosofia? [4] Se conhecermos o sentido das criações humanas nas artes, nas ciências, na ética e na política for útil; [5] Se dar a cada um de nós e à nossa sociedade os meios para serem conscientes de si e de suas ações numa prática que deseja a liberdade e a felicidade para todos for útil;
  • 31. Então podemos dizer que a Filosofia é o mais útil de todos os saberes de que os seres humanos são capazes.
  • 32. QUAL A FUNÇÃO DO FILÓSOFO ?
  • 33. CONVITE AO MERGULHO NA ATIVIDADE FILOSÓFICA FILOSOFIA • REFLEXÃO CRÍTICA RACIONAL • RADICAL • SISTEMÁTICA