SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
EpidemiologiaEpidemiologia
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
CONCEITOS DE SAÚDE E DOENÇA
Saúde – pode ser definida como “ausência de
doença”
“Saúde é um completo estado de bem-estar
físico, mental e social, e não meramente
ausência de doença.” (OMS, 1948)
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA
- FASES DA HISTÓRIA NATURAL DA
DOENÇA
- Fase inicial (ou de suscetibilidade)
- Fase patológica pré-clínica
- Fase Clínica
- Fase de incapacidade residual
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
1- Fase Inicial (ou de suscetibilidade) – Nesta fase ainda
não há doença propriamente dita, mas existe o risco de
adoecer.
2. Fase Patológica pré-clínica – a doença ainda está no
estágio de ausência de sintomas, mas o organismo
apresenta alterações patológicas
3. Fase Clínica – a doença já se encontra em estágio
adiantado, com diferentes graus de acometimento.
4. Fase de incapacidade residual – a doença pode
progredir para a morte, ou as alterações se estabilizam.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
• Etiologia e Prevenção
• São aspectos muito relacionados. O conhecimento
da etiologia, indica melhores caminhos para a
prevenção.
• Etiologia (pré-patogênica) - Para possibilitar
melhores oportunidades de prevenção dos agravos,
é importante o conhecimento da causa da doença.
• Etiologia (fase patológica) - O conhecimento
permite adotar critérios para diagnóstico e
tratamento.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
Prevenção – com a existência de um processo
etiológico em duas etapas, a prevenção deve
ser feita em duas etapas também.
- Prevenção Primária
- Prevenção Secundária
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
CLASSIFICAÇÃO DAS MEDIDAS PREVENTIVAS
• MEDIDAS INESPECÍFICAS E ESPECÍFICAS –
• As medidas inespecíficas - São medidas gerais, com
o objetivo de promover o bem-estar das pessoas.
• As medidas específicas – são medidas restritas,
incluem as técnicas próprias para lidar com cada
dano em particular.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
PREVENÇÃO PRIMÁRIA, SECUNDÁRIA E
TERCIÁRIA
1. Prevenção Primária – são ações dirigidas para
a manutenção da saúde. Ex: educação para
saúde e saneamento ambiental.
2. Prevenção Secundária – ações que visam a
prevenção para regredir a doença.
3. Prevenção Terciária - as ações se dirigem à
fase final do processo, visa reabilitar o paciente.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
NÍVEIS DE PREVENÇÃO
• 1. Promoção da Saúde – ações destinadas para
manter o bem-estar, sem visar nenhuma doença.
• Educação sanitária
• Alimentação e nutrição adequadas
• Habitação adequada
• Emprego e salários adequados
• Condições para a satisfação das necessidades
básicas para o indivíduo.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
2. Proteção específicas – inclui medidas para
impedir o aparecimento de uma determinada
doença
• Vacinação
• Exame pré-natal
• Quimiprofilaxia
• Fluorretação da água
• Eliminação de exposição a agentes
carcinogênicos
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
3. Diagnóstico e tratamento precoce –
identificar o processo patológico no seu
início, antes do aparecimento dos sintomas.
• Rastreamento
• Exame período de saúde.
• Procura de casos entre contatos
• Auto-exame
• intervenções médicas e cirúrgicas precoces.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
4. Limitação do dano – Consiste em identificar
a doença, limitar a extensão das respectivas
lesões e retardar o aparecimento das
complicações.
 Acesso facilitado a serviços de saúde.
 Tratamento médico ou cirúrgicos adequados
 Hospitalização em função das necessidades.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
5. Reabilitação – desenvolver o potencial residual do
organismo após a doença e contribuir para que o
indivíduo leve uma vida útil e produtiva, reintegrando a
pessoa na família, trabalho e na sociedade.
• Terapia ocupacional
• Treinamento do deficiente
• Melhores condições de trabalho para o deficiente
•Educação para o público para aceitação dos
deficientes.
• próteses e órteses
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
MEDIDAS UNIVERSAIS, SELETIVAS E INDIVIDUALIZADAS
MEDIDAS UNIVERSAIS: são recomendações para todas as
pessoas, são aplicadas com ou sem assistência
profissional.
MEDIDAS SELETIVAS: recomendadas somente para
subgrupos da população, que estão em alto risco de
adoecer, identificadas por sexo, idade, ocupação ou outra
característica marcante.
MEDIDAS INDIVIDUALIZADAS: aplicadas a um indivíduo
que está em alto risco para desenvolvimento futuro da
doença.
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
 MODELOS PARA REPRESENTAR FATORES ETIOLÓGICOS
 Classificação dos agentes de doenças
 1 – Biológicos – bactérias e vírus
 2- Genéticos – translocação de cromossomos (síndrome de
Down)
 3- Químicos – nutrientes, drogas, gases, fumo, álcool
 4- Físicos – radiação, atrito e impacto de veículos a motor
 5 – Psíquicos ou psicossociais – estresse do desemprego,
trabalho
Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva
INCIDÊNCIA – A incidência de uma doença é, estritamente, representada pelo
número de novos casos surgidos a cada ano na população
PREVALÊNCIA – Número de casos clínicos ou de portadores existentes em um
determinado momento, em uma comunidade, dando uma idéia estática da ocorrência do
fenômeno
SURTO - É uma ocorrência epidêmica em lugares estritamente limitado, como: escola,
quartel, apartamentos, etc
ENDEMIA- doença localizada em um determinado local, não se espalhando para as
outras comunidades, chamadas de faixas endêmicas, porém contínuas.
EPIDEMIA - Quando a doença é caracterizada apenas por uma parte da população, é
temporário.
PANDEMIA -é uma epidemia que atinge grandes proporções, como países e
continentes, causando inúmeras mortes destruindo cidades e regiões inteiras.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
Ruth Milhomem
 
Etapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de EnfermagemEtapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de Enfermagem
Paulo Aragão
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
JONAS ARAUJO
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
Gladyanny Veras
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude
Tereza Cristina
 

Mais procurados (20)

Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
Etapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de EnfermagemEtapas do Processo de Enfermagem
Etapas do Processo de Enfermagem
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 
História da enfermagem
História da enfermagemHistória da enfermagem
História da enfermagem
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do paciente
 
Aula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doencaAula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doenca
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
 
Níveis de atenção a saúde
Níveis de atenção a saúdeNíveis de atenção a saúde
Níveis de atenção a saúde
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
 
Redes de atenção em saúde (ras)
Redes de atenção em saúde (ras)Redes de atenção em saúde (ras)
Redes de atenção em saúde (ras)
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
 
Modelos assistenciais de saúde
Modelos assistenciais de saúdeModelos assistenciais de saúde
Modelos assistenciais de saúde
 
Programa nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Programa nacional de atenção integral à saúde da MulherPrograma nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Programa nacional de atenção integral à saúde da Mulher
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude
 

Semelhante a Medidas de saúde coletiva

Aula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinha
Aula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinhaAula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinha
Aula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinha
Paulo Galindo
 
Aula 3 hist.natural_doenca
Aula 3 hist.natural_doencaAula 3 hist.natural_doenca
Aula 3 hist.natural_doenca
Cleber Lima
 
Aula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdf
Aula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdfAula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdf
Aula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdf
carlasuzane2
 
(1) ciências naturais 9º ano - saúde individual e comunitária
(1) ciências naturais    9º ano - saúde individual e comunitária(1) ciências naturais    9º ano - saúde individual e comunitária
(1) ciências naturais 9º ano - saúde individual e comunitária
Hugo Martins
 
Historia natural da doença final
Historia natural da doença finalHistoria natural da doença final
Historia natural da doença final
Lucas Almeida Sá
 

Semelhante a Medidas de saúde coletiva (20)

Aula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinha
Aula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinhaAula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinha
Aula+3+ medidas+de+saúde+coletiva+atualizaçao+de+dinha
 
Aula 3 hist.natural_doenca
Aula 3 hist.natural_doencaAula 3 hist.natural_doenca
Aula 3 hist.natural_doenca
 
2-Medicina Preventiva (1).pptx
2-Medicina Preventiva (1).pptx2-Medicina Preventiva (1).pptx
2-Medicina Preventiva (1).pptx
 
Aula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdf
Aula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdfAula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdf
Aula 01- Educação Voltada para os Aspectos da Saúde.pdf
 
(1) ciências naturais 9º ano - saúde individual e comunitária
(1) ciências naturais    9º ano - saúde individual e comunitária(1) ciências naturais    9º ano - saúde individual e comunitária
(1) ciências naturais 9º ano - saúde individual e comunitária
 
Saúde publica 1 - Aula 1.pdf aula de saude publica 1 aborda varios conceitos ...
Saúde publica 1 - Aula 1.pdf aula de saude publica 1 aborda varios conceitos ...Saúde publica 1 - Aula 1.pdf aula de saude publica 1 aborda varios conceitos ...
Saúde publica 1 - Aula 1.pdf aula de saude publica 1 aborda varios conceitos ...
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
SAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptxSAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptx
 
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docxaula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
 
Saúde coletiva
Saúde coletivaSaúde coletiva
Saúde coletiva
 
1 epidemiologia saude
1   epidemiologia saude1   epidemiologia saude
1 epidemiologia saude
 
Historia natural da doença final
Historia natural da doença finalHistoria natural da doença final
Historia natural da doença final
 
Historianaturaldadoenafinal 130811105130-phpapp02
Historianaturaldadoenafinal 130811105130-phpapp02Historianaturaldadoenafinal 130811105130-phpapp02
Historianaturaldadoenafinal 130811105130-phpapp02
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdf
 
Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2
 
Saúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptxSaúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptx
 
Aula de promocao 1.
Aula de promocao 1.Aula de promocao 1.
Aula de promocao 1.
 
Cs1
Cs1Cs1
Cs1
 
Nº17 Manuela 9 F
Nº17 Manuela 9 FNº17 Manuela 9 F
Nº17 Manuela 9 F
 

Medidas de saúde coletiva

  • 1. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva EpidemiologiaEpidemiologia
  • 2. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva CONCEITOS DE SAÚDE E DOENÇA Saúde – pode ser definida como “ausência de doença” “Saúde é um completo estado de bem-estar físico, mental e social, e não meramente ausência de doença.” (OMS, 1948)
  • 3. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA - FASES DA HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA - Fase inicial (ou de suscetibilidade) - Fase patológica pré-clínica - Fase Clínica - Fase de incapacidade residual
  • 4. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva 1- Fase Inicial (ou de suscetibilidade) – Nesta fase ainda não há doença propriamente dita, mas existe o risco de adoecer. 2. Fase Patológica pré-clínica – a doença ainda está no estágio de ausência de sintomas, mas o organismo apresenta alterações patológicas 3. Fase Clínica – a doença já se encontra em estágio adiantado, com diferentes graus de acometimento. 4. Fase de incapacidade residual – a doença pode progredir para a morte, ou as alterações se estabilizam.
  • 5. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva • Etiologia e Prevenção • São aspectos muito relacionados. O conhecimento da etiologia, indica melhores caminhos para a prevenção. • Etiologia (pré-patogênica) - Para possibilitar melhores oportunidades de prevenção dos agravos, é importante o conhecimento da causa da doença. • Etiologia (fase patológica) - O conhecimento permite adotar critérios para diagnóstico e tratamento.
  • 6. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva Prevenção – com a existência de um processo etiológico em duas etapas, a prevenção deve ser feita em duas etapas também. - Prevenção Primária - Prevenção Secundária
  • 7. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva CLASSIFICAÇÃO DAS MEDIDAS PREVENTIVAS • MEDIDAS INESPECÍFICAS E ESPECÍFICAS – • As medidas inespecíficas - São medidas gerais, com o objetivo de promover o bem-estar das pessoas. • As medidas específicas – são medidas restritas, incluem as técnicas próprias para lidar com cada dano em particular.
  • 8. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva PREVENÇÃO PRIMÁRIA, SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA 1. Prevenção Primária – são ações dirigidas para a manutenção da saúde. Ex: educação para saúde e saneamento ambiental. 2. Prevenção Secundária – ações que visam a prevenção para regredir a doença. 3. Prevenção Terciária - as ações se dirigem à fase final do processo, visa reabilitar o paciente.
  • 9. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva NÍVEIS DE PREVENÇÃO • 1. Promoção da Saúde – ações destinadas para manter o bem-estar, sem visar nenhuma doença. • Educação sanitária • Alimentação e nutrição adequadas • Habitação adequada • Emprego e salários adequados • Condições para a satisfação das necessidades básicas para o indivíduo.
  • 10. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva 2. Proteção específicas – inclui medidas para impedir o aparecimento de uma determinada doença • Vacinação • Exame pré-natal • Quimiprofilaxia • Fluorretação da água • Eliminação de exposição a agentes carcinogênicos
  • 11. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva 3. Diagnóstico e tratamento precoce – identificar o processo patológico no seu início, antes do aparecimento dos sintomas. • Rastreamento • Exame período de saúde. • Procura de casos entre contatos • Auto-exame • intervenções médicas e cirúrgicas precoces.
  • 12. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva 4. Limitação do dano – Consiste em identificar a doença, limitar a extensão das respectivas lesões e retardar o aparecimento das complicações.  Acesso facilitado a serviços de saúde.  Tratamento médico ou cirúrgicos adequados  Hospitalização em função das necessidades.
  • 13. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva 5. Reabilitação – desenvolver o potencial residual do organismo após a doença e contribuir para que o indivíduo leve uma vida útil e produtiva, reintegrando a pessoa na família, trabalho e na sociedade. • Terapia ocupacional • Treinamento do deficiente • Melhores condições de trabalho para o deficiente •Educação para o público para aceitação dos deficientes. • próteses e órteses
  • 14. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva MEDIDAS UNIVERSAIS, SELETIVAS E INDIVIDUALIZADAS MEDIDAS UNIVERSAIS: são recomendações para todas as pessoas, são aplicadas com ou sem assistência profissional. MEDIDAS SELETIVAS: recomendadas somente para subgrupos da população, que estão em alto risco de adoecer, identificadas por sexo, idade, ocupação ou outra característica marcante. MEDIDAS INDIVIDUALIZADAS: aplicadas a um indivíduo que está em alto risco para desenvolvimento futuro da doença.
  • 15. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva  MODELOS PARA REPRESENTAR FATORES ETIOLÓGICOS  Classificação dos agentes de doenças  1 – Biológicos – bactérias e vírus  2- Genéticos – translocação de cromossomos (síndrome de Down)  3- Químicos – nutrientes, drogas, gases, fumo, álcool  4- Físicos – radiação, atrito e impacto de veículos a motor  5 – Psíquicos ou psicossociais – estresse do desemprego, trabalho
  • 16. Medidas de Saúde ColetivaMedidas de Saúde Coletiva INCIDÊNCIA – A incidência de uma doença é, estritamente, representada pelo número de novos casos surgidos a cada ano na população PREVALÊNCIA – Número de casos clínicos ou de portadores existentes em um determinado momento, em uma comunidade, dando uma idéia estática da ocorrência do fenômeno SURTO - É uma ocorrência epidêmica em lugares estritamente limitado, como: escola, quartel, apartamentos, etc ENDEMIA- doença localizada em um determinado local, não se espalhando para as outras comunidades, chamadas de faixas endêmicas, porém contínuas. EPIDEMIA - Quando a doença é caracterizada apenas por uma parte da população, é temporário. PANDEMIA -é uma epidemia que atinge grandes proporções, como países e continentes, causando inúmeras mortes destruindo cidades e regiões inteiras.