SlideShare uma empresa Scribd logo
EPIDEMIOLOGIA PROGRAMAS E SERVIÇOS DE SAÚDE
PROGRAMA - Estruturação da prática dos programas de saúde do Sistema Único de Saúde.  - Programa de saúde da mulher - Programa de saúde da criança e do adolescente. - Infecções sexualmente transmissíveis e AIDS.  - Doenças crônico-degenerativas.  - Saúde mental, Educação e saúde.  - Saúde do trabalhador.  - Programas especiais: saúde da família,  erradicação do Aedes aegypti e promoção da saúde
EPIDEMIOLOGIA Estudo da distribuição e dos determinantes  de eventos relacionados à saúde em  populações específicas e a aplicação desse estudo para o seu controle Epi – Sobre Demos – Povo Logos – Estudo
EPIDEMIOLOGIA Panacéia  Higéia X
 
EPIDEMIOLOGIA Miasmas Malária
EPIDEMIOLOGIA Necessidade de: - abastecimento de água - remoção de dejetos coletivo - melhoria das habitações Saúde pública
EPIDEMIOLOGIA Progride através de pesquisas sobre os temas: - determinação das condições de saúde da população - busca de fatores de risco avaliação da utilidade e segurança de intervenções  propostas
EPIDEMIOLOGIA Eixos básicos: - Ciências biológicas - Ciências sociais Estatística
EPIDEMIOLOGIA “  A evolução da epidemiologia passa de uma primeira  utilização no estudo de doenças infecciosas e carenciais  para depois ser utilizada nas doenças não infecciosas,  levando a necessidade de um melhor conhecimento dos  agentes etiológicos e fatores de risco”
EPIDEMIOLOGIA OBJETIVO GERAL Concorrer para reduzir os problemas  de saúde da população
EPIDEMIOLOGIA PRINCIPAIS USOS Diagnóstico da situação de saúde  Investigação etiológica  Determinação de riscos  Aprimoramento na descrição do quadro clínico Determinação de prognósticos
EPIDEMIOLOGIA Identificação de síndromes  Classificação das doenças  Verificação da confiabilidade dos diagnósticos  Avaliação de tecnologias, programas ou serviços Análise crítica de trabalhos científicos PRINCIPAIS USOS
EPIDEMIOLOGIA Profissionais de saúde  Sanitaristas Clínicos  Planejador  Epidemiologistas PRINCIPAIS USUÁRIOS
 
SAÚDE X DOENÇA
"Saúde é a manutenção da  morfostase e homeostase".
Saúde: estado de adaptação do organismo ao ambiente físico, psíquico e social em que vive, no qual o indivíduo sente-se bem (saúde subjetiva) e não apresenta sinais ou alterações orgânicas evidentes  (BOGLIOLO) Saúde: estado de bem - estar físico, mental e social (WHO) Harmonia dos fenômenos vitais: Metabolismo, crescimento, reprodução, capacidade de reação e de regulação.
Doença: é um estado de falta de adaptação ao ambiente físico, psíquico ou social, no qual o indivíduo sente-se mal (sintomas) e/ou apresenta alterações orgânicas evidenciáveis (sinais) (BOGLIOLO) Saúde: perturbação da saúde, mal - estar  físico, mental e social (WHO) Desarmonia dos fenômenos vitais
EPIDEMIOLOGIA Cadeia de eventos Modelos ecológicos (agente/hospedeiro/ambiente) Etiologia social da doença ETIOLOGIA (modelos de estudo)
EPIDEMIOLOGIA Validade  Confiabilidade (reprodutibilidade/ fidedignidade) Clareza, simplicidade e objetividade INDICADORES DE SAÚDE Quantificabilidade  Aceitabilidade
EPIDEMIOLOGIA Mortalidade Morbidade Indicadores nutricionais INDICADORES DE SAÚDE Indicadores demográficos
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA Indicadores sociais Indicadores ambientais Serviços de saúde  INDICADORES DE SAÚDE Indicadores positivos de saúde
EPIDEMIOLOGIA Mortalidade infantil Mortalidade materna Expectativa de vida  MORTALIDADE
EPIDEMIOLOGIA Exprimem de forma incompleta a história da doença Danos que raramente levam ao óbito não são  representados Incidência em pequena parte da população  MORTALIDADE - LIMITAÇÕES Pequena amplitude, pouco úteis no curto prazo
EPIDEMIOLOGIA Número de óbitos de menores de 1 ano, por mil nascidos  vivos na população residente no ano considerado Alta – 50 por mil MORTALIDADE INFANTIL Média  – 20 a 49 por mil Baixa  – menos de 20 por mil
EPIDEMIOLOGIA Taxa de Mortalidade Infantil no Brasil e Unidades Federadas - 2004
EPIDEMIOLOGIA
 
EPIDEMIOLOGIA Permite a inferência no risco de adoecer a que as pessoas  estão expostas, bem como sua utilização na  escolha de ações saneadoras adequadas MORBIDADE
EPIDEMIOLOGIA DIRETA INDIRETA INDICADORES NUTRICIONAIS
EPIDEMIOLOGIA DIRETA: Avaliações dietéticas Avaliações clínicas Avaliações laboratoriais INDICADORES NUTRICIONAIS
EPIDEMIOLOGIA INDIRETA: Mortalidade pré – escolar (1-4 anos) Mortalidade infantil ( menores de 1 ano) Mortalidade infantil tardia (28 dias a 11 meses) Distribuição de renda Renda per capita Disponibilidade de alimentos INDICADORES NUTRICIONAIS
 
EPIDEMIOLOGIA Esperança de vida INDICADORES DEMOGRÁFICOS Níveis de fecundidade Níveis de natalidade Composição sexo e idade
 
 
 
EPIDEMIOLOGIA Renda per capita INDICADORES SOCIAIS Distribuição de renda Taxa de analfabetismo Crianças em idade escolar fora da escola
 
EPIDEMIOLOGIA Desenvolvimento econômico INDICADORES SOCIAIS Fatores associados a melhoria: Difusão de tecnologia Afirmação dos direitos humanos Sistemas nacionais de saúde
EPIDEMIOLOGIA Renda  INDICADORES SOCIAIS IDH: Longevidade  Educação
EPIDEMIOLOGIA Menor que 0,500 – baixo IDH INDICADORES SOCIAIS IDH: 0,500 a 0,800 – médio IDH Acima de 0,800 – alto IDH
 
EPIDEMIOLOGIA Abastecimento de água e esgoto INDICADORES AMBIENTAIS Coleta de lixo Condições de moradia
 
EPIDEMIOLOGIA Insumos  SERVIÇOS DE SAÚDE Enfoca: Processo de assistência Resultados
EPIDEMIOLOGIA Insumos: Se refere aos recursos humanos, materiais e financeiros utilizados no sistema de saúde SERVIÇOS DE SAÚDE
EPIDEMIOLOGIA Processo de assistência: Manutenção da saúde ou cura de doenças SERVIÇOS DE SAÚDE
EPIDEMIOLOGIA Resultados: Satisfação do usuário Mensuração dos aspectos positivos e negativos SERVIÇOS DE SAÚDE
EPIDEMIOLOGIA Bem estar INDICADORES POSITIVOS DE SAÚDE Normalidade
 
EPIDEMIOLOGIA São utilizados para a coleta de informações sobre as condições de saúde e as necessidades de tratamento de uma população, e, posteriormente para monitorar as mudanças nos níveis e padrões das doenças.  PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO
EPIDEMIOLOGIA Permite verificar: PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO-OMS Cobertura dos serviços e necessidades de tratamento A natureza e a extensão dos serviços preventivos e curativos Recursos necessários para manter, expandir, reduzir um programa
EPIDEMIOLOGIA Etapas a serem desenvolvidas PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO Caracterização das doenças Levantamentos exploratórios Divisão em subgrupos de estudo Idades-índice e grupos etários
EPIDEMIOLOGIA Etapas a serem desenvolvidas PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO Número de indivíduos Organização e execução do levantamento Pessoal e organização Instrumental e material
EPIDEMIOLOGIA Etapas a serem desenvolvidas PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO Controle de infecção Fichas para análise Encaminhamento  Preparo do relatório final do levantamento
 
EPIDEMIOLOGIA PREPARO DO RELATÓRIO FINAL  Definição dos objetivos do levantamento Materiais e métodos: Área e população estudada Organização do pessoal e área física Confiabilidade e reprodutibilidade
EPIDEMIOLOGIA PREPARO DO RELATÓRIO FINAL  Resultados Discussão e conclusão Resumo
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vigilancia em saude
Vigilancia em saude Vigilancia em saude
Saúde do homem aula - jamesson - ses - humanização 2011
Saúde do homem   aula - jamesson - ses - humanização 2011Saúde do homem   aula - jamesson - ses - humanização 2011
Saúde do homem aula - jamesson - ses - humanização 2011
Jamessonjr Leite Junior
 
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
profsempre
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
Ana Carolina Costa
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
Luciana Correia
 
História da saúde no brasil parte 1
História da saúde no brasil  parte 1História da saúde no brasil  parte 1
História da saúde no brasil parte 1
Polyanne Aparecida Alves Moita
 
PRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUS
PRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUSPRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUS
PRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUS
Fisioterapeuta
 
Aula 4 epidemiologia em saude publica
Aula 4   epidemiologia em saude publicaAula 4   epidemiologia em saude publica
Aula 4 epidemiologia em saude publica
Anderson Armstrong
 
Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014
Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014
Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014
Leonardo Savassi
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
Gladyanny Veras
 
Introdução à epidemiologia.pptx
Introdução à epidemiologia.pptxIntrodução à epidemiologia.pptx
Introdução à epidemiologia.pptx
KarlaCezario1
 
Tema nutrição aplicadaenferm
Tema   nutrição aplicadaenfermTema   nutrição aplicadaenferm
Tema nutrição aplicadaenferm
Escola de enfermagem Nova Esperança
 
O que é o SUS?
O que é o SUS?O que é o SUS?
O que é o SUS?
MovSaúde Divinópolis
 
Aula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doencaAula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doenca
Paula Brustolin Xavier
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Karynne Alves do Nascimento
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Mario Gandra
 
Vera_Obesidade
Vera_ObesidadeVera_Obesidade
Vera_Obesidade
comunidadedepraticas
 
Indicadores de saúde
Indicadores de saúdeIndicadores de saúde
Indicadores de saúde
Kênia Paula
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
Karina Pereira
 

Mais procurados (20)

Vigilancia em saude
Vigilancia em saude Vigilancia em saude
Vigilancia em saude
 
Saúde do homem aula - jamesson - ses - humanização 2011
Saúde do homem   aula - jamesson - ses - humanização 2011Saúde do homem   aula - jamesson - ses - humanização 2011
Saúde do homem aula - jamesson - ses - humanização 2011
 
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
História da saúde no brasil parte 1
História da saúde no brasil  parte 1História da saúde no brasil  parte 1
História da saúde no brasil parte 1
 
PRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUS
PRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUSPRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUS
PRINCIPIOS E DOUTRINAS OPERACIONAIS DO SUS
 
Aula 4 epidemiologia em saude publica
Aula 4   epidemiologia em saude publicaAula 4   epidemiologia em saude publica
Aula 4 epidemiologia em saude publica
 
Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014
Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014
Aula Educação em Saúde - Savassi - UFOP 2o período 2014
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
 
Introdução à epidemiologia.pptx
Introdução à epidemiologia.pptxIntrodução à epidemiologia.pptx
Introdução à epidemiologia.pptx
 
Tema nutrição aplicadaenferm
Tema   nutrição aplicadaenfermTema   nutrição aplicadaenferm
Tema nutrição aplicadaenferm
 
O que é o SUS?
O que é o SUS?O que é o SUS?
O que é o SUS?
 
Aula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doencaAula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doenca
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
 
Vera_Obesidade
Vera_ObesidadeVera_Obesidade
Vera_Obesidade
 
Indicadores de saúde
Indicadores de saúdeIndicadores de saúde
Indicadores de saúde
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
 

Semelhante a 1 epidemiologia saude

AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AlefySantos2
 
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AlefyLima1
 
Txt 690106550
Txt 690106550Txt 690106550
Txt 690106550
Débora Luana
 
Aula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptx
Aula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptxAula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptx
Aula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptx
Rafaela Amanso
 
Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2
profsempre
 
vter9_ppt_o1.pptx
vter9_ppt_o1.pptxvter9_ppt_o1.pptx
vter9_ppt_o1.pptx
VaniaFaria10
 
Introdução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdf
Introdução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdfIntrodução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdf
Introdução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdf
SamanthaFerreiraMore
 
Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2
Rondinelli Salvador Silva
 
Sebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaSebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologia
Dalila_Marcao
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdf
carlasuzane2
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
AraujoAvelino
 
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
Muniza Alfredo
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
Leticia Princesiny
 
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docxaula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
RaquelOlimpio1
 
1a_aula.ppt - epidemiologia
1a_aula.ppt - epidemiologia1a_aula.ppt - epidemiologia
1a_aula.ppt - epidemiologia
FabianaAlessandro2
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
Thiago Freitas
 
Epidemiologia conceitos basicos
Epidemiologia   conceitos basicosEpidemiologia   conceitos basicos
Epidemiologia conceitos basicos
elisreis0601
 
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptxConceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
adriana da silva barros
 
Saude fatores infl indicadores
Saude fatores infl indicadoresSaude fatores infl indicadores
Saude fatores infl indicadores
Escola Básica e Secundária de Vizela - Infias
 
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
jhony
 

Semelhante a 1 epidemiologia saude (20)

AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
 
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptxAULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
AULA 1 - Introdução Geral a Saúde Coletiva – Princípios e Conceitos.pptx
 
Txt 690106550
Txt 690106550Txt 690106550
Txt 690106550
 
Aula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptx
Aula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptxAula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptx
Aula 01 - Vigilância em saúde, notificação compulsória e ESF.pptx
 
Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2
 
vter9_ppt_o1.pptx
vter9_ppt_o1.pptxvter9_ppt_o1.pptx
vter9_ppt_o1.pptx
 
Introdução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdf
Introdução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdfIntrodução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdf
Introdução à epidemiologia e indicadores de morbidade.pdf
 
Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2
 
Sebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologiaSebenta de epidemiologia
Sebenta de epidemiologia
 
aula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdfaula-processo-saude-doenca.pdf
aula-processo-saude-doenca.pdf
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
 
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docxaula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
aula-processo-saude-doencapronta-141106122406-conversion-gate02.docx
 
1a_aula.ppt - epidemiologia
1a_aula.ppt - epidemiologia1a_aula.ppt - epidemiologia
1a_aula.ppt - epidemiologia
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
 
Epidemiologia conceitos basicos
Epidemiologia   conceitos basicosEpidemiologia   conceitos basicos
Epidemiologia conceitos basicos
 
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptxConceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
 
Saude fatores infl indicadores
Saude fatores infl indicadoresSaude fatores infl indicadores
Saude fatores infl indicadores
 
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

1 epidemiologia saude

  • 1. EPIDEMIOLOGIA PROGRAMAS E SERVIÇOS DE SAÚDE
  • 2. PROGRAMA - Estruturação da prática dos programas de saúde do Sistema Único de Saúde. - Programa de saúde da mulher - Programa de saúde da criança e do adolescente. - Infecções sexualmente transmissíveis e AIDS. - Doenças crônico-degenerativas. - Saúde mental, Educação e saúde. - Saúde do trabalhador. - Programas especiais: saúde da família, erradicação do Aedes aegypti e promoção da saúde
  • 3. EPIDEMIOLOGIA Estudo da distribuição e dos determinantes de eventos relacionados à saúde em populações específicas e a aplicação desse estudo para o seu controle Epi – Sobre Demos – Povo Logos – Estudo
  • 5.  
  • 7. EPIDEMIOLOGIA Necessidade de: - abastecimento de água - remoção de dejetos coletivo - melhoria das habitações Saúde pública
  • 8. EPIDEMIOLOGIA Progride através de pesquisas sobre os temas: - determinação das condições de saúde da população - busca de fatores de risco avaliação da utilidade e segurança de intervenções propostas
  • 9. EPIDEMIOLOGIA Eixos básicos: - Ciências biológicas - Ciências sociais Estatística
  • 10. EPIDEMIOLOGIA “ A evolução da epidemiologia passa de uma primeira utilização no estudo de doenças infecciosas e carenciais para depois ser utilizada nas doenças não infecciosas, levando a necessidade de um melhor conhecimento dos agentes etiológicos e fatores de risco”
  • 11. EPIDEMIOLOGIA OBJETIVO GERAL Concorrer para reduzir os problemas de saúde da população
  • 12. EPIDEMIOLOGIA PRINCIPAIS USOS Diagnóstico da situação de saúde Investigação etiológica Determinação de riscos Aprimoramento na descrição do quadro clínico Determinação de prognósticos
  • 13. EPIDEMIOLOGIA Identificação de síndromes Classificação das doenças Verificação da confiabilidade dos diagnósticos Avaliação de tecnologias, programas ou serviços Análise crítica de trabalhos científicos PRINCIPAIS USOS
  • 14. EPIDEMIOLOGIA Profissionais de saúde Sanitaristas Clínicos Planejador Epidemiologistas PRINCIPAIS USUÁRIOS
  • 15.  
  • 17. "Saúde é a manutenção da morfostase e homeostase".
  • 18. Saúde: estado de adaptação do organismo ao ambiente físico, psíquico e social em que vive, no qual o indivíduo sente-se bem (saúde subjetiva) e não apresenta sinais ou alterações orgânicas evidentes (BOGLIOLO) Saúde: estado de bem - estar físico, mental e social (WHO) Harmonia dos fenômenos vitais: Metabolismo, crescimento, reprodução, capacidade de reação e de regulação.
  • 19. Doença: é um estado de falta de adaptação ao ambiente físico, psíquico ou social, no qual o indivíduo sente-se mal (sintomas) e/ou apresenta alterações orgânicas evidenciáveis (sinais) (BOGLIOLO) Saúde: perturbação da saúde, mal - estar físico, mental e social (WHO) Desarmonia dos fenômenos vitais
  • 20. EPIDEMIOLOGIA Cadeia de eventos Modelos ecológicos (agente/hospedeiro/ambiente) Etiologia social da doença ETIOLOGIA (modelos de estudo)
  • 21. EPIDEMIOLOGIA Validade Confiabilidade (reprodutibilidade/ fidedignidade) Clareza, simplicidade e objetividade INDICADORES DE SAÚDE Quantificabilidade Aceitabilidade
  • 22. EPIDEMIOLOGIA Mortalidade Morbidade Indicadores nutricionais INDICADORES DE SAÚDE Indicadores demográficos
  • 24. EPIDEMIOLOGIA Indicadores sociais Indicadores ambientais Serviços de saúde INDICADORES DE SAÚDE Indicadores positivos de saúde
  • 25. EPIDEMIOLOGIA Mortalidade infantil Mortalidade materna Expectativa de vida MORTALIDADE
  • 26. EPIDEMIOLOGIA Exprimem de forma incompleta a história da doença Danos que raramente levam ao óbito não são representados Incidência em pequena parte da população MORTALIDADE - LIMITAÇÕES Pequena amplitude, pouco úteis no curto prazo
  • 27. EPIDEMIOLOGIA Número de óbitos de menores de 1 ano, por mil nascidos vivos na população residente no ano considerado Alta – 50 por mil MORTALIDADE INFANTIL Média – 20 a 49 por mil Baixa – menos de 20 por mil
  • 28. EPIDEMIOLOGIA Taxa de Mortalidade Infantil no Brasil e Unidades Federadas - 2004
  • 30.  
  • 31. EPIDEMIOLOGIA Permite a inferência no risco de adoecer a que as pessoas estão expostas, bem como sua utilização na escolha de ações saneadoras adequadas MORBIDADE
  • 32. EPIDEMIOLOGIA DIRETA INDIRETA INDICADORES NUTRICIONAIS
  • 33. EPIDEMIOLOGIA DIRETA: Avaliações dietéticas Avaliações clínicas Avaliações laboratoriais INDICADORES NUTRICIONAIS
  • 34. EPIDEMIOLOGIA INDIRETA: Mortalidade pré – escolar (1-4 anos) Mortalidade infantil ( menores de 1 ano) Mortalidade infantil tardia (28 dias a 11 meses) Distribuição de renda Renda per capita Disponibilidade de alimentos INDICADORES NUTRICIONAIS
  • 35.  
  • 36. EPIDEMIOLOGIA Esperança de vida INDICADORES DEMOGRÁFICOS Níveis de fecundidade Níveis de natalidade Composição sexo e idade
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40. EPIDEMIOLOGIA Renda per capita INDICADORES SOCIAIS Distribuição de renda Taxa de analfabetismo Crianças em idade escolar fora da escola
  • 41.  
  • 42. EPIDEMIOLOGIA Desenvolvimento econômico INDICADORES SOCIAIS Fatores associados a melhoria: Difusão de tecnologia Afirmação dos direitos humanos Sistemas nacionais de saúde
  • 43. EPIDEMIOLOGIA Renda INDICADORES SOCIAIS IDH: Longevidade Educação
  • 44. EPIDEMIOLOGIA Menor que 0,500 – baixo IDH INDICADORES SOCIAIS IDH: 0,500 a 0,800 – médio IDH Acima de 0,800 – alto IDH
  • 45.  
  • 46. EPIDEMIOLOGIA Abastecimento de água e esgoto INDICADORES AMBIENTAIS Coleta de lixo Condições de moradia
  • 47.  
  • 48. EPIDEMIOLOGIA Insumos SERVIÇOS DE SAÚDE Enfoca: Processo de assistência Resultados
  • 49. EPIDEMIOLOGIA Insumos: Se refere aos recursos humanos, materiais e financeiros utilizados no sistema de saúde SERVIÇOS DE SAÚDE
  • 50. EPIDEMIOLOGIA Processo de assistência: Manutenção da saúde ou cura de doenças SERVIÇOS DE SAÚDE
  • 51. EPIDEMIOLOGIA Resultados: Satisfação do usuário Mensuração dos aspectos positivos e negativos SERVIÇOS DE SAÚDE
  • 52. EPIDEMIOLOGIA Bem estar INDICADORES POSITIVOS DE SAÚDE Normalidade
  • 53.  
  • 54. EPIDEMIOLOGIA São utilizados para a coleta de informações sobre as condições de saúde e as necessidades de tratamento de uma população, e, posteriormente para monitorar as mudanças nos níveis e padrões das doenças. PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO
  • 55. EPIDEMIOLOGIA Permite verificar: PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO-OMS Cobertura dos serviços e necessidades de tratamento A natureza e a extensão dos serviços preventivos e curativos Recursos necessários para manter, expandir, reduzir um programa
  • 56. EPIDEMIOLOGIA Etapas a serem desenvolvidas PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO Caracterização das doenças Levantamentos exploratórios Divisão em subgrupos de estudo Idades-índice e grupos etários
  • 57. EPIDEMIOLOGIA Etapas a serem desenvolvidas PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO Número de indivíduos Organização e execução do levantamento Pessoal e organização Instrumental e material
  • 58. EPIDEMIOLOGIA Etapas a serem desenvolvidas PLANEJAMENTO DE INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO Controle de infecção Fichas para análise Encaminhamento Preparo do relatório final do levantamento
  • 59.  
  • 60. EPIDEMIOLOGIA PREPARO DO RELATÓRIO FINAL Definição dos objetivos do levantamento Materiais e métodos: Área e população estudada Organização do pessoal e área física Confiabilidade e reprodutibilidade
  • 61. EPIDEMIOLOGIA PREPARO DO RELATÓRIO FINAL Resultados Discussão e conclusão Resumo
  • 62.