SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
LINGUAGENS
Profª. Nereyda Áurea
Nereyda Áurea de
Carvalho Santos
• Licenciada em Letras/Português pela
UESPI;
• Pós-graduada em Linguística Aplicada
ao Ensino de Língua Portuguesa;
• Foi Professora de Língua Portuguesa e
Literatura das escolas da rede privada
em Teresina durante 14 anos;
• Foi Supervisora do Programa Maranhão
Profissional em Timon-MA;
• Professora de Língua Portuguesa do
Instituto Federal de Educação do Piauí –
IFPI – Campus Oeiras.
Competência de área 8 – Compreender e usar a
língua portuguesa como língua materna,
geradora de significação e integradora da
organização do mundo e da própria identidade.
• H25 – Identificar, em textos de diferentes gêneros, as marcas
linguísticas que singularizam as variedades linguísticas sociais,
regionais e de registro.
• H26 – Relacionar as variedades linguísticas a situações
específicas de uso social.
• H27 – Reconhecer os usos da norma padrão da língua
portuguesa nas diferentes situações de comunicação.
1.INTERPRETAÇÃO TEXTUAL E VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS
Noites do Bogart
O Xavier chegou com a namorada mas, prudentemente, não a
levou para a mesa com o grupo. Abanou de longe. Na mesa, as
opiniões se dividiam.
— Pouca vergonha.
— Deixa o Xavier.
— Podia ser a filha dele.
—Aliás, é colega da filha dele.
Na sua mesa, o Xavier pegara na mão da moça.
—Está gostando?
—Pô. Só.
— Chocante, né? – disse o Xavier. E depois ficou na dúvida.
Ainda se dizia “chocante”?
Beberam em silêncio. E ele disse:
— Quer dançar? E ela disse, sem pensar:
— Depois, tio.
E ficaram em silêncio. Ela pensando “será que ele ouviu?”.
E ele pensando “faço algum comentário a respeito, ou
deixo passar?”. Decidiu deixar passar. Mas, pelo resto da
noite aquele “tio” ficou em cima da mesa, entre os dois,
latejando como um sapo. Ele a levou em casa. Depois
voltou. Sentou com os amigos.
— Aí, Xavier. E a namorada?
Ele não respondeu.
VERISSlMO, L. F. O melhor das comédias da vida privada. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.
11. O efeito de humor no texto e produzido com o auxílio da
quebra de convenções sociais de uso da língua. Na interação
entre o casal de namorados, isso é decorrente
a) do registro inadequado para a interlocução em contexto
romântico.
b) da iniciativa em discutir formalmente a relação amorosa.
c) das avaliações de escolhas lexicais pelos frequentadores do
bar.
d) das gírias distorcidas intencionalmente na fala do namorado.
e) do uso de expressões populares nas investidas amorosas do
homem.
LETRA: A
COMPETÊNCIA DE ÁREA 9 – Entender os princípios, a natureza,
a função e o impacto das tecnologias da comunicação e da
informação na sua vida pessoal e social, no desenvolvimento
do conhecimento, associando-o aos conhecimentos científicos,
às linguagens que lhes dão suporte, às demais tecnologias, aos
processos de produção e aos problemas que se propõem
solucionar.
H28 - Reconhecer a função e o impacto social das diferentes
tecnologias da comunicação e informação.
H29 - Identificar pela análise de suas linguagens, as tecnologias
da comunicação e informação.
H30 - Relacionar as tecnologias de comunicação e informação ao
desenvolvimento das sociedades e ao conhecimento que elas
produzem.
Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC)
Conjunto de tecnologias (hardware, software e
telecomunicações) que favorecem a automação e a
comunicação dos processos de negócios, da pesquisa
científica, do ensino e aprendizagem e da vida cotidiana.
TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NO ENEM…
INCLUSÃO -
EXCLUSÃO
IMPACTO/FUNÇÃO
SOCIAL
RELACIONAMENTOS CIBERBULLYNG
LINGUAGEM
DA INTERNET
REDES SOCIAS
FACILIDADES
GÊNEROS
DIGITAIS
CONHECIMENTO
DE MUNDO
2. INTERNET, TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA
COMUNICAÇÃO E VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS
Mudança linguística
Ataliba de Castilho, professor de língua portuguesa da USP,
explica que o internetês é parte da metamorfose natural da
língua.
— Com a internet, a linguagem segue o caminho dos fenõmenos
da mudança, como o que ocorreu com "você", que se tornou o
pronome átono "cê". Agora, o interneteiro pode ajudar a reduzir
os excessos da ortografia, e bem sabemos que são muitos. Por
que o acento gráfico é tão importante assim para a escrita? Já
tivemos no Brasil momentos até mais exacerbados por acentos e
dispensamos muitos deles.
Como toda palavra é contextualizada pelo falante,
podemos dispensar ainda muitos outros. O interneteiro
mostra um caminho, pois faz um casamento curioso entre
oralidade e escrituralidade. O internetês pode, no futuro,
até tornar a comunicação mais eficiente. Ou evoluir para
um jargão complexo, que, em vez de aproximar as pessoas
em menor tempo, estimule o isolamento dos iniciados e a
exclusão dos leigos.
Para Castilho, no entanto, não será uma reforma
ortográfica que fará a mudança de que precisamos na
língua. Será a internet. O jeito eh tc e esperar pra ver?
Disponível em: http://revistalingua.com.br. Acesso em: 3 jun. 2015 (adaptado).
12. Na entrevista, o fragmento "O jeito eh tc e esperar pra
ver?" tem por objetivo
a) ilustrar a linguagem de usuários da internet que poderá
promover alterações de grafias.
b) mostrar os perigos da linguagem da internet como
potencializadora de dificuldades da escrita.
c) evidenciar uma forma de exclusão social para as pessoas
com baixa proficiência escrita.
d) explicar que se trata de um erro linguístico por destoar do
padrão formal apresentado ao longo do texto.
e) exemplificar dificuldades de escrita dos interneteiros que
desconhecem as estruturas da norma padrão.
LETRA: A
3.TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO,
VARIAÇÃO LINGUÍSTICA
Como estamos na “Era Digital”, foi necessário rever os velhos
ditados existentes e adaptá-los à nova realidade. Veja abaixo:
1. A pressa é inimiga da conexão.
2. Amigos, amigos, senhas à parte.
3. Para bom provedor uma senha basta.
4. Não adianta chorar sobre o arquivo deletado.
5. Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.
6. Quem clica seus males multiplica.
7. Quem semeia e-mails colhe spams.
8. Os fins justificam os e-mails.
Disponível em: http://abusar.org.br. Acesso em 20 mai. 2015 (adaptado).
13. No texto, há uma reinterpretação de ditados populares
com o uso de termos da informática. Essa reinterpretação
a) torna o texto apropriado para os profissionais de
informática.
b) atribui ao texto um caráter humorístico.
c) restringe o acesso ao texto por público não especializado.
d) deixa a terminologia original mais acessível ao público em
geral.
e) dificulta a compreensão do texto por quem domina a língua
inglesa.
LETRA: B
FUNÇÕES DA LINGUAGEM
4. ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO E FUNÇÕES DA
LINGUAGEM
Poema tirado de uma notícia de jornal
Joao Gostoso era carregador de feira livre e morava no
morro da Babilônia num barracão sem número.
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu
afogado.
BANDEIRA, M. Estrela da vida inteira: poesias reunidas.
Rio de Janeiro: Jose Olympio, 1980.
14. No poema de Manuel Bandeira, há uma ressignificação
de elementos da função referencial da linguagem pela
a) atribuição de título ao texto com base em uma notícia
veiculada em jornal.
b) utilização de frases curtas, características de textos do gênero
jornalístico.
c) indicação de nomes de lugares como garantia da veracidade da
cena narrada.
d) enumeração de ações, com foco nos eventos acontecidos a
personagem do texto.
e) apresentação de elementos próprios da notícia, tais como
quem, onde, quando e o quê.
LETRA: E
O que é
TEXTUALIDADE???
 Textualidade é o conjunto de características que fazem com que
uma sequência linguística seja um texto e não uma sucessão de
frases que não compõem um todo significativo.
Conexões
gramaticais
COESÃO
Articulação
de ideias
COERÊNCIA
COESÃO REFERENCIAL
Anáfora: quando um elemento faz referência ao que foi
citado anteriormente.
Ex: (...) A situação dos policiais é complicada, pois quando
temos um problema de violência, eles são os mais
cobrados.(...)
Neste caso, o pronome pessoal eles refere-se aos policiais.
Catáfora: quando o referente estiver após o item coesivo.
Ex: Os cientistas daqui do Brasil discordam.
Neste caso, o referente Brasil vem depois da
referência daqui.
5.MECANISMOS DE COESÃO TEXTUAL/ REFERÊNCIA TEXTUAL.
Apesar de
Não lembro quem disse que a gente gosta de uma pessoa não por causa
de, mas apesar de. Gostar daquilo que é gostável é fácil: gentileza, bom
humor, inteligência,
simpatia, tudo isso a gente tem em estoque na hora em que conhece
uma pessoa e resolve conquistá-la.
Os defeitos ficam guardadinhos nos primeiros dias e só então, com a
convivência, vão saindo do esconderijo e revelando-se no dia a dia. Você
então descobre que ele não é apenas gentil e doce, mas também um
tremendo casca-grossa quando trata os próprios funcionários. E ela não
é apenas segura e determinada, mas uma chorona que passa 20 dias
por mês com TPM. E que ele ronca, e que ela diz palavrão demais, e que
ele é supersticioso por bobagens, e que ela enjoa na estrada, e que ele
não gosta de criança, e que ela não gosta de cachorro, e agora? Agora,
convoquem o amor para resolver essa encrenca.
15. Há elementos de coesão textual que retomam
informações no texto e outros que as antecipam. Nos
trechos, o elemento de coesão sublinhado que antecipa
uma informação do texto é
a) “Gostar daquilo que e gostável e fácil [...]”.
b) “[...] tudo isso a gente tem em estoque [...]”.
c) “[...] na hora em que conhece uma pessoa [...]”.
d) “[...] resolve conquista-la.”
e) “[...] para resolver essa encrenca.”
LETRA: A
6. GÊNEROS TEXTUAIS(Diversidade de gêneros)
16. O texto e resultante do hibridismo de dois gêneros textuais.
A respeito desse hibridismo, observa-se que a
a) receita mistura-se ao gênero propaganda com a finalidade de
instruir o leitor.
b) receita e utilizada no gênero propaganda a fim de divulgar
exemplos de vida.
c) propaganda assume a forma do gênero receita para divulgar
um produto alimentício.
d) propaganda perde poder de persuasão ao assumir a forma do
gênero receita.
e) receita está a serviço do gênero propaganda ao solicitar que o
leitor faca o doce.
LETRA: C
PARA REFLETIR!!!
DAHMER. A. Disponível em: www.malvados.com.br. Acesso em: 18 fev. 2013.
MUITO
OBRIGADA!!!
BOM DIA!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enemAspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enem
ma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do enem 2012, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2012, compreensão textualSegunda aplicação do enem 2012, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2012, compreensão textual
ma.no.el.ne.ves
 
A prova de linguagens do enem
A prova de linguagens do enemA prova de linguagens do enem
A prova de linguagens do enem
ma.no.el.ne.ves
 
Enem 2012, aspectos gramaticais
Enem 2012, aspectos gramaticaisEnem 2012, aspectos gramaticais
Enem 2012, aspectos gramaticais
ma.no.el.ne.ves
 
Enem 2013, aspectos gramaticais
Enem 2013, aspectos gramaticaisEnem 2013, aspectos gramaticais
Enem 2013, aspectos gramaticais
ma.no.el.ne.ves
 

Mais procurados (20)

Aspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enemAspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enem
 
Segunda aplicação do enem 2014, Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2014, Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do enem 2014, Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2014, Aspectos gramaticais
 
Segunda aplicação do enem 2012, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2012, compreensão textualSegunda aplicação do enem 2012, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2012, compreensão textual
 
Padrões linguísticos no ENEM
Padrões linguísticos no ENEMPadrões linguísticos no ENEM
Padrões linguísticos no ENEM
 
A prova de linguagens do enem
A prova de linguagens do enemA prova de linguagens do enem
A prova de linguagens do enem
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileirasTerceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Terceira aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
 
Enem 2012, aspectos gramaticais
Enem 2012, aspectos gramaticaisEnem 2012, aspectos gramaticais
Enem 2012, aspectos gramaticais
 
Gêneros textuais no enem 2012
Gêneros textuais no enem 2012Gêneros textuais no enem 2012
Gêneros textuais no enem 2012
 
Plano de aula etapa 3
Plano de aula   etapa 3Plano de aula   etapa 3
Plano de aula etapa 3
 
Segunda aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Segunda aplicação do enem 2014, identidades brasileirasSegunda aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
Segunda aplicação do enem 2014, identidades brasileiras
 
Enem 2013, aspectos gramaticais
Enem 2013, aspectos gramaticaisEnem 2013, aspectos gramaticais
Enem 2013, aspectos gramaticais
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
Linguagens Códigos E suas Tecnologias
Linguagens Códigos E suas Tecnologias Linguagens Códigos E suas Tecnologias
Linguagens Códigos E suas Tecnologias
 
trabalho
trabalhotrabalho
trabalho
 
Exercícios variações linguísticas
Exercícios variações linguísticasExercícios variações linguísticas
Exercícios variações linguísticas
 
00 port epro_did
00 port epro_did00 port epro_did
00 port epro_did
 
Caderno 1 a em_cl
Caderno 1 a em_clCaderno 1 a em_cl
Caderno 1 a em_cl
 
Literatura no enem 2010
Literatura no enem 2010Literatura no enem 2010
Literatura no enem 2010
 
Atividade 1 primeiro colegial - funções da linguagem - elementos da comunicação
Atividade 1 primeiro colegial - funções da linguagem - elementos da comunicaçãoAtividade 1 primeiro colegial - funções da linguagem - elementos da comunicação
Atividade 1 primeiro colegial - funções da linguagem - elementos da comunicação
 

Semelhante a Linguagens PROFª Nereyda

Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
MariaLusadeJesusRodo1
 
Segunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internet
Segunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internetSegunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internet
Segunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internet
ma.no.el.ne.ves
 
Exercicio variacao linguistica_2
Exercicio variacao linguistica_2Exercicio variacao linguistica_2
Exercicio variacao linguistica_2
Isabella Silva
 

Semelhante a Linguagens PROFª Nereyda (20)

Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
 
Português
PortuguêsPortuguês
Português
 
Português
PortuguêsPortuguês
Português
 
2º série reda cem - 20.30
2º série   reda cem -  20.302º série   reda cem -  20.30
2º série reda cem - 20.30
 
AULA DE PORTUGUÊS - FALA E ESCRITA / CULTA E PADRÃO
AULA DE PORTUGUÊS - FALA E ESCRITA / CULTA E PADRÃOAULA DE PORTUGUÊS - FALA E ESCRITA / CULTA E PADRÃO
AULA DE PORTUGUÊS - FALA E ESCRITA / CULTA E PADRÃO
 
Material de estudo para o enem - linguagens e codigos lingua espanhola
Material de estudo para o enem - linguagens e codigos lingua espanholaMaterial de estudo para o enem - linguagens e codigos lingua espanhola
Material de estudo para o enem - linguagens e codigos lingua espanhola
 
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
tiop, comofas? - Tiopês: comunicação e estratégias de diferenciação social na...
 
Segunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internet
Segunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internetSegunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internet
Segunda aplicação do enem 2012, tecnologias e internet
 
Plano de aula wal
Plano de aula  walPlano de aula  wal
Plano de aula wal
 
Simulado agora2013-2
Simulado agora2013-2Simulado agora2013-2
Simulado agora2013-2
 
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdfVariação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
 
Portugues vol1
Portugues vol1Portugues vol1
Portugues vol1
 
Slide hilda
Slide hildaSlide hilda
Slide hilda
 
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e códigoLinguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
 
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptxSlides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
 
Exercicio variacao linguistica_2
Exercicio variacao linguistica_2Exercicio variacao linguistica_2
Exercicio variacao linguistica_2
 
PEB II - PORTUGUÊS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
PEB II - PORTUGUÊS  -  SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSPEB II - PORTUGUÊS  -  SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
PEB II - PORTUGUÊS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
 
5
55
5
 
aula de itinerario 1º ano variedade linguistica.pptx
aula de itinerario 1º ano variedade linguistica.pptxaula de itinerario 1º ano variedade linguistica.pptx
aula de itinerario 1º ano variedade linguistica.pptx
 
A importância do português.pptx
A importância do português.pptxA importância do português.pptx
A importância do português.pptx
 

Mais de Pré-Enem Seduc

Mais de Pré-Enem Seduc (20)

Fisica Profº Franklin
Fisica Profº FranklinFisica Profº Franklin
Fisica Profº Franklin
 
Matematica Profº Alexsandro Kesller
Matematica Profº Alexsandro KesllerMatematica Profº Alexsandro Kesller
Matematica Profº Alexsandro Kesller
 
Geografia Profº Adriano Ramalho
Geografia Profº Adriano RamalhoGeografia Profº Adriano Ramalho
Geografia Profº Adriano Ramalho
 
Matematica Profº Wagner Filho
Matematica Profº Wagner FilhoMatematica Profº Wagner Filho
Matematica Profº Wagner Filho
 
Quimica Profº Jurandir
Quimica Profº JurandirQuimica Profº Jurandir
Quimica Profº Jurandir
 
Linguagens Profª Hildalene Pinheiro
Linguagens Profª Hildalene PinheiroLinguagens Profª Hildalene Pinheiro
Linguagens Profª Hildalene Pinheiro
 
Matematica Prof Alan Jefferson
Matematica  Prof Alan JeffersonMatematica  Prof Alan Jefferson
Matematica Prof Alan Jefferson
 
Linguagens Prof. Fernando Santos
Linguagens  Prof. Fernando SantosLinguagens  Prof. Fernando Santos
Linguagens Prof. Fernando Santos
 
Biologia ThárcioAdriano
Biologia ThárcioAdrianoBiologia ThárcioAdriano
Biologia ThárcioAdriano
 
REDAÇÃO PROFª DANNY BARRADAS
REDAÇÃO PROFª DANNY BARRADASREDAÇÃO PROFª DANNY BARRADAS
REDAÇÃO PROFª DANNY BARRADAS
 
QUÍMICA PROF. JURANDIR SOARES
QUÍMICA PROF. JURANDIR SOARESQUÍMICA PROF. JURANDIR SOARES
QUÍMICA PROF. JURANDIR SOARES
 
MATEMÁTICA PROF. ABRAÃO FLORÊNCIO
MATEMÁTICA PROF. ABRAÃO FLORÊNCIOMATEMÁTICA PROF. ABRAÃO FLORÊNCIO
MATEMÁTICA PROF. ABRAÃO FLORÊNCIO
 
LINGUAGENS - PROF. TATIANA DANTAS
LINGUAGENS - PROF. TATIANA DANTASLINGUAGENS - PROF. TATIANA DANTAS
LINGUAGENS - PROF. TATIANA DANTAS
 
GEOGRAFIA PROF. MARCELO LIMA
GEOGRAFIA PROF. MARCELO LIMAGEOGRAFIA PROF. MARCELO LIMA
GEOGRAFIA PROF. MARCELO LIMA
 
LINGUAGENS - PROF. GILSON FIGUEIREDO
LINGUAGENS - PROF. GILSON FIGUEIREDOLINGUAGENS - PROF. GILSON FIGUEIREDO
LINGUAGENS - PROF. GILSON FIGUEIREDO
 
Redação Prof. RÓGI
Redação Prof. RÓGIRedação Prof. RÓGI
Redação Prof. RÓGI
 
História PROF. DAMIÃO
História  PROF. DAMIÃOHistória  PROF. DAMIÃO
História PROF. DAMIÃO
 
Física PROF. FRANSUÉRIO QUEIROZ
Física   PROF. FRANSUÉRIO QUEIROZFísica   PROF. FRANSUÉRIO QUEIROZ
Física PROF. FRANSUÉRIO QUEIROZ
 
Matemática PROF. NETO CEARÁ
Matemática PROF. NETO CEARÁMatemática PROF. NETO CEARÁ
Matemática PROF. NETO CEARÁ
 
Redação Profª Patrícia Lima
Redação   Profª Patrícia LimaRedação   Profª Patrícia Lima
Redação Profª Patrícia Lima
 

Último

Último (20)

Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 

Linguagens PROFª Nereyda

  • 2. Nereyda Áurea de Carvalho Santos • Licenciada em Letras/Português pela UESPI; • Pós-graduada em Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Portuguesa; • Foi Professora de Língua Portuguesa e Literatura das escolas da rede privada em Teresina durante 14 anos; • Foi Supervisora do Programa Maranhão Profissional em Timon-MA; • Professora de Língua Portuguesa do Instituto Federal de Educação do Piauí – IFPI – Campus Oeiras.
  • 3.
  • 4. Competência de área 8 – Compreender e usar a língua portuguesa como língua materna, geradora de significação e integradora da organização do mundo e da própria identidade. • H25 – Identificar, em textos de diferentes gêneros, as marcas linguísticas que singularizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro. • H26 – Relacionar as variedades linguísticas a situações específicas de uso social. • H27 – Reconhecer os usos da norma padrão da língua portuguesa nas diferentes situações de comunicação.
  • 5.
  • 6. 1.INTERPRETAÇÃO TEXTUAL E VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS Noites do Bogart O Xavier chegou com a namorada mas, prudentemente, não a levou para a mesa com o grupo. Abanou de longe. Na mesa, as opiniões se dividiam. — Pouca vergonha. — Deixa o Xavier. — Podia ser a filha dele. —Aliás, é colega da filha dele. Na sua mesa, o Xavier pegara na mão da moça. —Está gostando? —Pô. Só. — Chocante, né? – disse o Xavier. E depois ficou na dúvida. Ainda se dizia “chocante”?
  • 7. Beberam em silêncio. E ele disse: — Quer dançar? E ela disse, sem pensar: — Depois, tio. E ficaram em silêncio. Ela pensando “será que ele ouviu?”. E ele pensando “faço algum comentário a respeito, ou deixo passar?”. Decidiu deixar passar. Mas, pelo resto da noite aquele “tio” ficou em cima da mesa, entre os dois, latejando como um sapo. Ele a levou em casa. Depois voltou. Sentou com os amigos. — Aí, Xavier. E a namorada? Ele não respondeu. VERISSlMO, L. F. O melhor das comédias da vida privada. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.
  • 8. 11. O efeito de humor no texto e produzido com o auxílio da quebra de convenções sociais de uso da língua. Na interação entre o casal de namorados, isso é decorrente a) do registro inadequado para a interlocução em contexto romântico. b) da iniciativa em discutir formalmente a relação amorosa. c) das avaliações de escolhas lexicais pelos frequentadores do bar. d) das gírias distorcidas intencionalmente na fala do namorado. e) do uso de expressões populares nas investidas amorosas do homem. LETRA: A
  • 9. COMPETÊNCIA DE ÁREA 9 – Entender os princípios, a natureza, a função e o impacto das tecnologias da comunicação e da informação na sua vida pessoal e social, no desenvolvimento do conhecimento, associando-o aos conhecimentos científicos, às linguagens que lhes dão suporte, às demais tecnologias, aos processos de produção e aos problemas que se propõem solucionar.
  • 10. H28 - Reconhecer a função e o impacto social das diferentes tecnologias da comunicação e informação. H29 - Identificar pela análise de suas linguagens, as tecnologias da comunicação e informação. H30 - Relacionar as tecnologias de comunicação e informação ao desenvolvimento das sociedades e ao conhecimento que elas produzem.
  • 11. Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) Conjunto de tecnologias (hardware, software e telecomunicações) que favorecem a automação e a comunicação dos processos de negócios, da pesquisa científica, do ensino e aprendizagem e da vida cotidiana.
  • 12. TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NO ENEM… INCLUSÃO - EXCLUSÃO IMPACTO/FUNÇÃO SOCIAL RELACIONAMENTOS CIBERBULLYNG LINGUAGEM DA INTERNET REDES SOCIAS FACILIDADES GÊNEROS DIGITAIS CONHECIMENTO DE MUNDO
  • 13. 2. INTERNET, TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO E VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS Mudança linguística Ataliba de Castilho, professor de língua portuguesa da USP, explica que o internetês é parte da metamorfose natural da língua. — Com a internet, a linguagem segue o caminho dos fenõmenos da mudança, como o que ocorreu com "você", que se tornou o pronome átono "cê". Agora, o interneteiro pode ajudar a reduzir os excessos da ortografia, e bem sabemos que são muitos. Por que o acento gráfico é tão importante assim para a escrita? Já tivemos no Brasil momentos até mais exacerbados por acentos e dispensamos muitos deles.
  • 14. Como toda palavra é contextualizada pelo falante, podemos dispensar ainda muitos outros. O interneteiro mostra um caminho, pois faz um casamento curioso entre oralidade e escrituralidade. O internetês pode, no futuro, até tornar a comunicação mais eficiente. Ou evoluir para um jargão complexo, que, em vez de aproximar as pessoas em menor tempo, estimule o isolamento dos iniciados e a exclusão dos leigos. Para Castilho, no entanto, não será uma reforma ortográfica que fará a mudança de que precisamos na língua. Será a internet. O jeito eh tc e esperar pra ver? Disponível em: http://revistalingua.com.br. Acesso em: 3 jun. 2015 (adaptado).
  • 15. 12. Na entrevista, o fragmento "O jeito eh tc e esperar pra ver?" tem por objetivo a) ilustrar a linguagem de usuários da internet que poderá promover alterações de grafias. b) mostrar os perigos da linguagem da internet como potencializadora de dificuldades da escrita. c) evidenciar uma forma de exclusão social para as pessoas com baixa proficiência escrita. d) explicar que se trata de um erro linguístico por destoar do padrão formal apresentado ao longo do texto. e) exemplificar dificuldades de escrita dos interneteiros que desconhecem as estruturas da norma padrão. LETRA: A
  • 16. 3.TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO, VARIAÇÃO LINGUÍSTICA Como estamos na “Era Digital”, foi necessário rever os velhos ditados existentes e adaptá-los à nova realidade. Veja abaixo: 1. A pressa é inimiga da conexão. 2. Amigos, amigos, senhas à parte. 3. Para bom provedor uma senha basta. 4. Não adianta chorar sobre o arquivo deletado. 5. Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando. 6. Quem clica seus males multiplica. 7. Quem semeia e-mails colhe spams. 8. Os fins justificam os e-mails. Disponível em: http://abusar.org.br. Acesso em 20 mai. 2015 (adaptado).
  • 17. 13. No texto, há uma reinterpretação de ditados populares com o uso de termos da informática. Essa reinterpretação a) torna o texto apropriado para os profissionais de informática. b) atribui ao texto um caráter humorístico. c) restringe o acesso ao texto por público não especializado. d) deixa a terminologia original mais acessível ao público em geral. e) dificulta a compreensão do texto por quem domina a língua inglesa. LETRA: B
  • 19. 4. ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO E FUNÇÕES DA LINGUAGEM Poema tirado de uma notícia de jornal Joao Gostoso era carregador de feira livre e morava no morro da Babilônia num barracão sem número. Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro Bebeu Cantou Dançou Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado. BANDEIRA, M. Estrela da vida inteira: poesias reunidas. Rio de Janeiro: Jose Olympio, 1980.
  • 20. 14. No poema de Manuel Bandeira, há uma ressignificação de elementos da função referencial da linguagem pela a) atribuição de título ao texto com base em uma notícia veiculada em jornal. b) utilização de frases curtas, características de textos do gênero jornalístico. c) indicação de nomes de lugares como garantia da veracidade da cena narrada. d) enumeração de ações, com foco nos eventos acontecidos a personagem do texto. e) apresentação de elementos próprios da notícia, tais como quem, onde, quando e o quê. LETRA: E
  • 21. O que é TEXTUALIDADE???  Textualidade é o conjunto de características que fazem com que uma sequência linguística seja um texto e não uma sucessão de frases que não compõem um todo significativo. Conexões gramaticais COESÃO Articulação de ideias COERÊNCIA
  • 22. COESÃO REFERENCIAL Anáfora: quando um elemento faz referência ao que foi citado anteriormente. Ex: (...) A situação dos policiais é complicada, pois quando temos um problema de violência, eles são os mais cobrados.(...) Neste caso, o pronome pessoal eles refere-se aos policiais. Catáfora: quando o referente estiver após o item coesivo. Ex: Os cientistas daqui do Brasil discordam. Neste caso, o referente Brasil vem depois da referência daqui.
  • 23. 5.MECANISMOS DE COESÃO TEXTUAL/ REFERÊNCIA TEXTUAL. Apesar de Não lembro quem disse que a gente gosta de uma pessoa não por causa de, mas apesar de. Gostar daquilo que é gostável é fácil: gentileza, bom humor, inteligência, simpatia, tudo isso a gente tem em estoque na hora em que conhece uma pessoa e resolve conquistá-la. Os defeitos ficam guardadinhos nos primeiros dias e só então, com a convivência, vão saindo do esconderijo e revelando-se no dia a dia. Você então descobre que ele não é apenas gentil e doce, mas também um tremendo casca-grossa quando trata os próprios funcionários. E ela não é apenas segura e determinada, mas uma chorona que passa 20 dias por mês com TPM. E que ele ronca, e que ela diz palavrão demais, e que ele é supersticioso por bobagens, e que ela enjoa na estrada, e que ele não gosta de criança, e que ela não gosta de cachorro, e agora? Agora, convoquem o amor para resolver essa encrenca.
  • 24. 15. Há elementos de coesão textual que retomam informações no texto e outros que as antecipam. Nos trechos, o elemento de coesão sublinhado que antecipa uma informação do texto é a) “Gostar daquilo que e gostável e fácil [...]”. b) “[...] tudo isso a gente tem em estoque [...]”. c) “[...] na hora em que conhece uma pessoa [...]”. d) “[...] resolve conquista-la.” e) “[...] para resolver essa encrenca.” LETRA: A
  • 26. 16. O texto e resultante do hibridismo de dois gêneros textuais. A respeito desse hibridismo, observa-se que a a) receita mistura-se ao gênero propaganda com a finalidade de instruir o leitor. b) receita e utilizada no gênero propaganda a fim de divulgar exemplos de vida. c) propaganda assume a forma do gênero receita para divulgar um produto alimentício. d) propaganda perde poder de persuasão ao assumir a forma do gênero receita. e) receita está a serviço do gênero propaganda ao solicitar que o leitor faca o doce. LETRA: C
  • 27. PARA REFLETIR!!! DAHMER. A. Disponível em: www.malvados.com.br. Acesso em: 18 fev. 2013.
  • 28.

Notas do Editor

  1. PROFª HILDALENE