SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
TEXTO DO DIA
"Fiel é o que vos chama, o qual também
o fará." (1 Ts 5.24)
SÍNTESE
O Senhor tem feito coisas grandes e
tremendas em nosso favor.
1Ts 5.23-28; 2Ts 3.16-18
1 Tessalonicenses 5.23-28
23 E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e
alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de
nosso Senhor Jesus Cristo.
24 Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.
25 Irmãos, orai por nós.
26 Saudai a todos os irmãos com ósculo santo.
27 Pelo Senhor vos conjuro que esta epístola seja lida a todos os santos irmãos.
28 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém.
2 Tessalonicenses 3.16-18
16 Ora, o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda a maneira. O Senhor
seja com todos vós.
17 Saudação da minha própria mão, de mim, Paulo, que é o sinal em todas as
epístolas; assim escrevo.
18 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém!
• Paulo não era um aventureiro, mas o fundador e
alguém comprometido com o reino de Deus.
• As palavras finais transbordam de ternura,
carinho e atenção.
• O verdadeiro líder, chamado por Deus, sempre
estará buscando fornecer subsídios para que as
ovelhas cresçam na graça e comunhão com Deus
e com o próximo.
INTRODUÇÃO
I- O DEUS QUE FAZ O EXTRAORDINÁRIO
POR NÓS
• Não há nenhuma parte de nosso ser que Deus
não deseje tratar e restaurar, o ser integral.
• Recomenda a santidade (separação), sem a qual
ninguém verá a Deus. Uma advertência a
vigilância com relação à parúsia (volta de Cristo).
• Santidade não pode ser confundida com
ritualismo (quantidade de jejum, tempo de oração,
sacrifícios, entre outras formas), mas sim com
uma vida exclusiva para Deus.
AP – Você se considera uma pessoa exclusiva
para Deus?
1. Torna-nos santos (1 Ts 5.23)
• Muito mais do que um simples chavão religioso,
"a graça seja convosco" (1 Ts 5.28), é uma oração
contínua de Paulo.
• A suficiência de Cristo em nossa vida passa pela
compreensão da revelação da graça dEle em
nossa história (2 Co 1.12).
• O cristão foi liberto do pecado para viver por meio
do milagre restaurador da graça (Rm 6.14).
• Quem reconhece a graça de Deus é mais
misericordioso e vive em paz com o próximo.
2. Dá-nos abundantemente
sua graça
• Não há melhor companhia que a de Deus de paz
e de toda consolação.
• Quem não quer se sente bem em ter uma boa
companhia, imagine a do próprio Deus.
• Para sentir a presença do Deus da paz é preciso
ter comunhão com ele.
AP – Você tem sentido a presença de Deus em
sua vida?
3. Permanece
Presente (2 Ts 3.16).
II- O QUE NÓS DEVEMOS FAZER PELOS
IRMÃOS?
• Paulo recomenta manter uma vida de oração
dedicada aos outros.
• A tendência das orações é de pedidos egoístas,
mas a recomendação é a oração empática, ou
seja, aquela em que se coloca no lugar do outro e
intercede por ele.
• Um dos maiores benefícios desse tipo de oração
é o aprendizado conduzido pelo amor ao próximo.
• A vida cristã não é solitária, mas comunitária
AP – Como tem sido suas orações?
1. Orar uns pelos outros (1 Ts 5.25)
• O texto de 1 Tessalonicenses 5.26, registra um elemento
cultural das sociedades do oriente que, para muitos de
nós ocidentais contemporâneos (cheios de noções
comportamentais bem diferentes), soa no mínimo
estranho. Na verdade, podemos compreender este texto
de duas maneiras muito simples: a primeira seria o
entendimento de que o beijo era uma tradição cultural
disseminada naquele meio, e que Paulo fez menção da
mesma. A outra opção é interpretar as palavras paulinas
apenas como uma despedida educada, assim como em
nossos dias, após uma boa conversa com um amigo nos
despedimos dizendo: "Um beijo para todo mundo."
Independente da opção interpretativa, ambas levam a
uma conclusão: É nosso dever ser acolhedores e
fraternos, nunca competitivos e brigões.
2. Colaborar para a construção
de um ambiente de acolhimento e amor.
• O desejo do apóstolo era que todas as pessoas tivessem
acesso às informações, ensinos e orientações que
estavam naquelas epístolas. Os textos eram públicos e
deveriam ser lidos em coletividade, pois a finalidade era a
edificação comunitária. Nosso papel é este, à semelhança
de Paulo, tornar as profundas verdades do Reino o mais
simples possível. Se tivermos a oportunidade de estudar
mais um pouco (e isto é típico desta geração de jovens)
não devemos fazer disso um instrumento de exaltação,
mas um dom para serviço na causa do Mestre. Fujamos
das intermináveis querelas pseudoteológicas, que no mais
das vezes apenas envenenam a alma tanto de quem as
debate quanto de quem as escuta (Tt 3.9). Concentremo-
nos em anunciar as riquezas e maravilhas do Evangelho.
3. Fazer notórias
as verdades de Deus (1 Ts 5.27; 2 Ts 3.17).
III- COMO SEU LÍDER SE DESPEDIRÁ DE
VOCÊ?
• A despedida de Paulo dos tessalonicenses como vimos
acima, foi carinhosa e cheia de votos de felicidade. Alguns
líderes não veem a hora do ano, do trimestre, do
congresso terminar para depois entregarem seus cargos,
pois infelizmente os liderados não cooperam, e ainda
fazem muitas críticas. Que tipo de liderado é você?
Cooperador ou maledicente? Você teria coragem de
liderar o ministério de jovens, o conjunto musical, a classe
da Escola Dominical de sua igreja? Se você fosse um líder
você desejaria um grupo de liderados exatamente como
você é hoje? Estas perguntas não devem ser respondidas
em público, elas são na verdade um convite a reflexão
interior, pessoal, individual. Façamos apenas mais uma
pergunta: e se Paulo fosse o líder do grupo no qual você
está envolvido, como ele se despediria?
1. Agradecendo a Deus pelo
fim de um período turbulento?
• O índice de líderes adoecidos nas comunidades locais é
altíssimo. Estafa, estresse, ansiedade, estas são algumas
das mazelas que dedicados servos de Deus têm adquirido
em virtude da sobrecarga de trabalho a que se submetem.
O que você tem feito para auxiliar seu líder? De que
maneira sua participação como liderado tem sido uma
bênção para quem lidera? Todos podem ser melhores,
mas você também não!? Seu líder é daqueles que
"carregam o piano" sozinho e ainda tem que escutar
comentários como: "Não ficou bom!", "Qualquer um faria
melhor!", "Coisa de amador!"? Auxilie seus líderes, pois
aquilo que fazemos para o Reino de Deus tem um valor
eterno. Líderes também precisam de amigos e
apoiadores, pois ninguém consegue fazer a obra de Deus
sozinho.
2.Exausto emocional e espiritualmente?
• Que os nossos sentimentos, sejam semelhantes aos de
Paulo: haja gratidão e alegria (Rm 16.6,12; 1 Co 16.10; Fp
4.3). Para tanto reconheçamos que nosso trabalho nunca
é inútil ou insignificante quando o fazemos para a glória do
Senhor (1 Co 15.58). A verdadeira alegria de um líder, não
é pelas coisas que faz, mas pelo legado que deixa na vida
das pessoas. O testemunho de acompanhar pessoas
feridas na alma e desacreditadas da fé, e vê-las
restauradas e louvando a Deus é algo fantástico. Quanto
vale o preço de uma vida restaurada pelo poder de Deus?
Quanto se pode pagar por um sonho ministerial que se
torna realidade? O que se pode dar em troca da vida de
um jovem alicerçada na presença do Criador? Em todos
os casos a resposta é a mesma; NADA! Cristo seja
sempre tudo em nós.
3. Em lágrimas de gratidão
por tudo aquilo que você tornou-se
Hoje aprendemos que:
1. O melhor jeito de despedir-se de um grupo é
deixando muita vontade de não ir embora.
Líderes e liderados precisam reconhecer seus
papéis no Reino dos Céus e trabalhar,
cotidianamente, para que cada um cumpra suas
responsabilidades e acreditemos que o Senhor é
que fará por nós aquilo que somos incapazes de
realizar. Que nossas despedidas sejam sempre
alegres, e cheias de boas recordações. Façamos
algo pelo Reino.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
ARRINGTON, French L; ARRINGTON e STRONSTAD, Roger
(Ed). Comentário Bíblico Pentecostal. 4ª ed. Rio de
Janeiro: CPAD, 2006.
BRASIL, Thiago. A Igreja do Arrebatamento: o padrão dos
tessanolicenses para estes últimos dias. Rio de Janeiro:
CPAD, 2018.
Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. Rio
de Janeiro: CPAD, 2010.
LIÇÕES BÍBLICAS DE JOVENS. A Igreja do
Arrebatamento: o padrão dos tessanolicenses para estes
últimos dias. 2 TRI 2018. Rio de Janeiro: CPAD, 2018.
RENOVATO, Elinaldo de Lima. 1 e 2 Tessalonicenses. Rio
de Janeiro: CPAD, 2008.
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Facebook: natalino das neves e natalino das neves II
Contatos:
natalino6612@gmail.com
natalino.neves@ig.com.br
natalinoneves@yahoo.com.br
(41) 98409 8094 (WHATSAPP/TIM)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHORLBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
LBJ LIÇÃO 13 - A IGREJA LOUVARÁ ETERNAMENTE AO SENHOR
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
 
Lição 1 A beleza do testemunho cristão
Lição 1   A beleza do testemunho cristãoLição 1   A beleza do testemunho cristão
Lição 1 A beleza do testemunho cristão
 
LIÇÃO 06 A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
LIÇÃO 06  A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃOLIÇÃO 06  A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
LIÇÃO 06 A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
Modelo novo tempo da criação
Modelo novo tempo da criaçãoModelo novo tempo da criação
Modelo novo tempo da criação
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
 
LBJ LIÇÃO 8 - A lembrança da essência da adoração
LBJ LIÇÃO 8  - A lembrança da essência da adoraçãoLBJ LIÇÃO 8  - A lembrança da essência da adoração
LBJ LIÇÃO 8 - A lembrança da essência da adoração
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
 
JUNTOS para que UM seja conhecido
JUNTOS para que UM seja conhecidoJUNTOS para que UM seja conhecido
JUNTOS para que UM seja conhecido
 
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
 
8ª palestra Vida Nova Seminário II Rcc
8ª palestra Vida Nova Seminário II Rcc8ª palestra Vida Nova Seminário II Rcc
8ª palestra Vida Nova Seminário II Rcc
 
Conectar a vida religiosa no mundo e a escolha por jesus
Conectar a vida religiosa no mundo e a escolha por jesusConectar a vida religiosa no mundo e a escolha por jesus
Conectar a vida religiosa no mundo e a escolha por jesus
 
Encontro 001 vamos caminhar juntos - primeira eucaristia
Encontro 001   vamos caminhar juntos - primeira eucaristiaEncontro 001   vamos caminhar juntos - primeira eucaristia
Encontro 001 vamos caminhar juntos - primeira eucaristia
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
 
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de SalvaçãoLição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
 
Lição_Oração: a força vital do reavivamento_original com textos_232013
Lição_Oração: a força vital do reavivamento_original com textos_232013Lição_Oração: a força vital do reavivamento_original com textos_232013
Lição_Oração: a força vital do reavivamento_original com textos_232013
 
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoraçãoLBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
 
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de DeusLição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus
 

Semelhante a LBJ LIÇÃO 13 - CONSELHOS PARA A VIDA

Aula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptx
Aula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptxAula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptx
Aula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptx
JosMauroPiresCoutinh
 
Como ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudoComo ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudo
jb1955
 
Derrotando nosso maior_inimigo
Derrotando nosso maior_inimigoDerrotando nosso maior_inimigo
Derrotando nosso maior_inimigo
pbmarcelo
 
A. w. pink culto familiar
A. w. pink   culto familiarA. w. pink   culto familiar
A. w. pink culto familiar
Deusdete Soares
 

Semelhante a LBJ LIÇÃO 13 - CONSELHOS PARA A VIDA (20)

A equipe de jesus.pdf
A equipe de jesus.pdfA equipe de jesus.pdf
A equipe de jesus.pdf
 
Aula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptx
Aula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptxAula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptx
Aula 1 O Homem Aprovado por Deus - Rev. Jovanir Laje.pptx
 
Liderança exige que sejamos vibrantes
Liderança exige que sejamos vibrantesLiderança exige que sejamos vibrantes
Liderança exige que sejamos vibrantes
 
ESTUDOS DA TRIBO N 05.docx
ESTUDOS DA TRIBO N 05.docxESTUDOS DA TRIBO N 05.docx
ESTUDOS DA TRIBO N 05.docx
 
Praticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oraçãoPraticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oração
 
2021 1º trimestre jovens lição 01
2021 1º trimestre jovens lição 012021 1º trimestre jovens lição 01
2021 1º trimestre jovens lição 01
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
 
Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
 
Encarte lo-encontro
Encarte lo-encontroEncarte lo-encontro
Encarte lo-encontro
 
Boletim Jovem Novembro 2014
Boletim Jovem Novembro 2014Boletim Jovem Novembro 2014
Boletim Jovem Novembro 2014
 
Grandesoracoes pg
Grandesoracoes pgGrandesoracoes pg
Grandesoracoes pg
 
A procura de deus
A procura de deusA procura de deus
A procura de deus
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
Livrodeefesios pg
Livrodeefesios pgLivrodeefesios pg
Livrodeefesios pg
 
Boletim IPC Limeira 261117
Boletim IPC Limeira 261117Boletim IPC Limeira 261117
Boletim IPC Limeira 261117
 
Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)Nova Criatura (M.D.A.)
Nova Criatura (M.D.A.)
 
Como ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudoComo ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudo
 
Derrotando nosso maior_inimigo
Derrotando nosso maior_inimigoDerrotando nosso maior_inimigo
Derrotando nosso maior_inimigo
 
A. w. pink culto familiar
A. w. pink   culto familiarA. w. pink   culto familiar
A. w. pink culto familiar
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
 

Mais de Natalino das Neves Neves

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 

LBJ LIÇÃO 13 - CONSELHOS PARA A VIDA

  • 1.
  • 2.
  • 3. TEXTO DO DIA "Fiel é o que vos chama, o qual também o fará." (1 Ts 5.24)
  • 4. SÍNTESE O Senhor tem feito coisas grandes e tremendas em nosso favor.
  • 5. 1Ts 5.23-28; 2Ts 3.16-18 1 Tessalonicenses 5.23-28 23 E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 24 Fiel é o que vos chama, o qual também o fará. 25 Irmãos, orai por nós. 26 Saudai a todos os irmãos com ósculo santo. 27 Pelo Senhor vos conjuro que esta epístola seja lida a todos os santos irmãos. 28 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém. 2 Tessalonicenses 3.16-18 16 Ora, o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda a maneira. O Senhor seja com todos vós. 17 Saudação da minha própria mão, de mim, Paulo, que é o sinal em todas as epístolas; assim escrevo. 18 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém!
  • 6. • Paulo não era um aventureiro, mas o fundador e alguém comprometido com o reino de Deus. • As palavras finais transbordam de ternura, carinho e atenção. • O verdadeiro líder, chamado por Deus, sempre estará buscando fornecer subsídios para que as ovelhas cresçam na graça e comunhão com Deus e com o próximo. INTRODUÇÃO
  • 7. I- O DEUS QUE FAZ O EXTRAORDINÁRIO POR NÓS
  • 8. • Não há nenhuma parte de nosso ser que Deus não deseje tratar e restaurar, o ser integral. • Recomenda a santidade (separação), sem a qual ninguém verá a Deus. Uma advertência a vigilância com relação à parúsia (volta de Cristo). • Santidade não pode ser confundida com ritualismo (quantidade de jejum, tempo de oração, sacrifícios, entre outras formas), mas sim com uma vida exclusiva para Deus. AP – Você se considera uma pessoa exclusiva para Deus? 1. Torna-nos santos (1 Ts 5.23)
  • 9. • Muito mais do que um simples chavão religioso, "a graça seja convosco" (1 Ts 5.28), é uma oração contínua de Paulo. • A suficiência de Cristo em nossa vida passa pela compreensão da revelação da graça dEle em nossa história (2 Co 1.12). • O cristão foi liberto do pecado para viver por meio do milagre restaurador da graça (Rm 6.14). • Quem reconhece a graça de Deus é mais misericordioso e vive em paz com o próximo. 2. Dá-nos abundantemente sua graça
  • 10. • Não há melhor companhia que a de Deus de paz e de toda consolação. • Quem não quer se sente bem em ter uma boa companhia, imagine a do próprio Deus. • Para sentir a presença do Deus da paz é preciso ter comunhão com ele. AP – Você tem sentido a presença de Deus em sua vida? 3. Permanece Presente (2 Ts 3.16).
  • 11. II- O QUE NÓS DEVEMOS FAZER PELOS IRMÃOS?
  • 12. • Paulo recomenta manter uma vida de oração dedicada aos outros. • A tendência das orações é de pedidos egoístas, mas a recomendação é a oração empática, ou seja, aquela em que se coloca no lugar do outro e intercede por ele. • Um dos maiores benefícios desse tipo de oração é o aprendizado conduzido pelo amor ao próximo. • A vida cristã não é solitária, mas comunitária AP – Como tem sido suas orações? 1. Orar uns pelos outros (1 Ts 5.25)
  • 13. • O texto de 1 Tessalonicenses 5.26, registra um elemento cultural das sociedades do oriente que, para muitos de nós ocidentais contemporâneos (cheios de noções comportamentais bem diferentes), soa no mínimo estranho. Na verdade, podemos compreender este texto de duas maneiras muito simples: a primeira seria o entendimento de que o beijo era uma tradição cultural disseminada naquele meio, e que Paulo fez menção da mesma. A outra opção é interpretar as palavras paulinas apenas como uma despedida educada, assim como em nossos dias, após uma boa conversa com um amigo nos despedimos dizendo: "Um beijo para todo mundo." Independente da opção interpretativa, ambas levam a uma conclusão: É nosso dever ser acolhedores e fraternos, nunca competitivos e brigões. 2. Colaborar para a construção de um ambiente de acolhimento e amor.
  • 14. • O desejo do apóstolo era que todas as pessoas tivessem acesso às informações, ensinos e orientações que estavam naquelas epístolas. Os textos eram públicos e deveriam ser lidos em coletividade, pois a finalidade era a edificação comunitária. Nosso papel é este, à semelhança de Paulo, tornar as profundas verdades do Reino o mais simples possível. Se tivermos a oportunidade de estudar mais um pouco (e isto é típico desta geração de jovens) não devemos fazer disso um instrumento de exaltação, mas um dom para serviço na causa do Mestre. Fujamos das intermináveis querelas pseudoteológicas, que no mais das vezes apenas envenenam a alma tanto de quem as debate quanto de quem as escuta (Tt 3.9). Concentremo- nos em anunciar as riquezas e maravilhas do Evangelho. 3. Fazer notórias as verdades de Deus (1 Ts 5.27; 2 Ts 3.17).
  • 15. III- COMO SEU LÍDER SE DESPEDIRÁ DE VOCÊ?
  • 16. • A despedida de Paulo dos tessalonicenses como vimos acima, foi carinhosa e cheia de votos de felicidade. Alguns líderes não veem a hora do ano, do trimestre, do congresso terminar para depois entregarem seus cargos, pois infelizmente os liderados não cooperam, e ainda fazem muitas críticas. Que tipo de liderado é você? Cooperador ou maledicente? Você teria coragem de liderar o ministério de jovens, o conjunto musical, a classe da Escola Dominical de sua igreja? Se você fosse um líder você desejaria um grupo de liderados exatamente como você é hoje? Estas perguntas não devem ser respondidas em público, elas são na verdade um convite a reflexão interior, pessoal, individual. Façamos apenas mais uma pergunta: e se Paulo fosse o líder do grupo no qual você está envolvido, como ele se despediria? 1. Agradecendo a Deus pelo fim de um período turbulento?
  • 17. • O índice de líderes adoecidos nas comunidades locais é altíssimo. Estafa, estresse, ansiedade, estas são algumas das mazelas que dedicados servos de Deus têm adquirido em virtude da sobrecarga de trabalho a que se submetem. O que você tem feito para auxiliar seu líder? De que maneira sua participação como liderado tem sido uma bênção para quem lidera? Todos podem ser melhores, mas você também não!? Seu líder é daqueles que "carregam o piano" sozinho e ainda tem que escutar comentários como: "Não ficou bom!", "Qualquer um faria melhor!", "Coisa de amador!"? Auxilie seus líderes, pois aquilo que fazemos para o Reino de Deus tem um valor eterno. Líderes também precisam de amigos e apoiadores, pois ninguém consegue fazer a obra de Deus sozinho. 2.Exausto emocional e espiritualmente?
  • 18. • Que os nossos sentimentos, sejam semelhantes aos de Paulo: haja gratidão e alegria (Rm 16.6,12; 1 Co 16.10; Fp 4.3). Para tanto reconheçamos que nosso trabalho nunca é inútil ou insignificante quando o fazemos para a glória do Senhor (1 Co 15.58). A verdadeira alegria de um líder, não é pelas coisas que faz, mas pelo legado que deixa na vida das pessoas. O testemunho de acompanhar pessoas feridas na alma e desacreditadas da fé, e vê-las restauradas e louvando a Deus é algo fantástico. Quanto vale o preço de uma vida restaurada pelo poder de Deus? Quanto se pode pagar por um sonho ministerial que se torna realidade? O que se pode dar em troca da vida de um jovem alicerçada na presença do Criador? Em todos os casos a resposta é a mesma; NADA! Cristo seja sempre tudo em nós. 3. Em lágrimas de gratidão por tudo aquilo que você tornou-se
  • 19. Hoje aprendemos que: 1. O melhor jeito de despedir-se de um grupo é deixando muita vontade de não ir embora. Líderes e liderados precisam reconhecer seus papéis no Reino dos Céus e trabalhar, cotidianamente, para que cada um cumpra suas responsabilidades e acreditemos que o Senhor é que fará por nós aquilo que somos incapazes de realizar. Que nossas despedidas sejam sempre alegres, e cheias de boas recordações. Façamos algo pelo Reino. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 20. REFERÊNCIAS ARRINGTON, French L; ARRINGTON e STRONSTAD, Roger (Ed). Comentário Bíblico Pentecostal. 4ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. BRASIL, Thiago. A Igreja do Arrebatamento: o padrão dos tessanolicenses para estes últimos dias. Rio de Janeiro: CPAD, 2018. Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2010. LIÇÕES BÍBLICAS DE JOVENS. A Igreja do Arrebatamento: o padrão dos tessanolicenses para estes últimos dias. 2 TRI 2018. Rio de Janeiro: CPAD, 2018. RENOVATO, Elinaldo de Lima. 1 e 2 Tessalonicenses. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
  • 21. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: natalino das neves e natalino das neves II Contatos: natalino6612@gmail.com natalino.neves@ig.com.br natalinoneves@yahoo.com.br (41) 98409 8094 (WHATSAPP/TIM)