LBJ LIÇÃO 9 - A adoração integral ensinada por jesus

12.755 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
0 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.755
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11.042
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
104
Comentários
0
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

LBJ LIÇÃO 9 - A adoração integral ensinada por jesus

  1. 1. TEXTO DO DIA "[...] amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças e amar o próximo como a si mesmo é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios." (Mc 12.33)
  2. 2. SÍNTESE Jesus, em seu ministério, preocupou-se em apresentar o verdadeiro caminho de adoração ao Pai.
  3. 3. TEXTO BÍBLICO Lucas 10.25-35
  4. 4. 25. E eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? 26. E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês? 27. E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento e ao teu próximo como a ti mesmo. 28. E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso e viverás. 29. Ele, porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo? 30. E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram e, espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
  5. 5. 31. E, ocasionalmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo. 32. E, de igual modo, também um levita, chegando àquele lugar e vendo-o, passou de largo. 33. Mas um samaritano que ia de viagem chegou ao pé dele e, vendo- o, moveu-se de íntima compaixão. 34. E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, aplicando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele; 35. E, partindo ao outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele, e tudo o que de mais gastares eu to pagarei, quando voltar.
  6. 6. INTRODUÇÃO
  7. 7. INTRODUÇÃO • Jesus, através de sua vida, demonstra que adorar a Deus é muito mais do que cumprir exigências cerimoniais. • Louvar ao Criador envolve a totalidade de nosso ser, inclusive nossos relacionamentos. • A maneira como nos relacionamos com as pessoas demonstra a qualidade de nossa adoração. • A parábola do bom samaritano (Lc 10) evidencia como se dá a verdadeira adoração a Deus.
  8. 8. I - JESUS EXPLICA O QUE É ADORAÇÃO
  9. 9. 1. A capciosa pergunta do doutor da lei (Lc 10.25) • Conflito de interesses entre os religiosos da época e Jesus. • A questão suscitada pelo escriba estava relacionada com a vida eterna. • Jesus induz o escriba a trazer a resposta por meio de duas perguntas: Que está escrito na lei? Como lês? • Os líderes tinham a tendência de interpretar a lei de acordo com seus interesses. • O episódio demonstra que não é possível enganar a Deus. Adoração é coisa séria! Não deve ser dissimulada!
  10. 10. 2. "Amarás ao Senhor teu Deus" (v.27) • O doutor da Lei, ao responder, recorre a Dt 6.5. • A adoração não está relacionada com nossa percepção sobre quem é Deus (Êx 33.18-23; 2 Co 12.1-10). • A verdadeira adoração somente é possível por meio do conhecimento experiencial de Deus. • O nosso amor a Deus é demonstrado quando reconhecemos quem ele realmente é, nossa dependência e gratidão por meio de nosso testemunho pessoal.
  11. 11. 3. Adorando a Deus por meio do amor ao próximo • Geralmente não relacionamos o amor ao próximo como adoração à Deus (Lv 19.18). • Deus se revela no próximo. Quando buscamos o amor ao próximo nos aproximamos mais de Deus. • Quando respeitamos a dignidade inerente ao nosso próximo (Gn 1.26), Deus aceita como a adoração que lhe é devida (Jo 15.1-14). Do que vale grandes manifestações em eventos da igreja, se não amamos as pessoas que estão à nossa volta?
  12. 12. APLICAÇAO PRÁTICA Você se considera um verdadeiro adorador? Como tem se relacionado com o “próximo”?
  13. 13. PENSE Que chave de leitura temos utilizado para ler a Bíblia? Se compreendermos as Escrituras através do amor, misericórdia e graça, estaremos mais próximos do Pai.
  14. 14. PONTO IMPORTANTE O amor a Deus torna-se palpável quando nos dedicamos a construir uma vida digna àqueles que, em virtude da maldade e pecado, tiveram-na roubada (Mt 25.34- 40).
  15. 15. II - "MAS... E QUEM É MEU PRÓXIMO?"
  16. 16. 1. Como o doutor da Lei "lia" o mundo • O escriba quis justificar-se (v.29); mas desculpar-se de quê? • Será que o doutor não sabia a resposta de sua pergunta: "Quem é meu próximo?“ • Ele afirmava amar a Deus, mas não amava nem o seu próximo (os publicanos, os leprosos impuros, as meretrizes promíscuas, os samaritanos, entre outros). • Na cultura judaica o próximo era o “semelhante” do judeu (Lc 18.11).
  17. 17. 2. Uma parábola como resposta • Jesus tinha o hábito de utilizar parábolas para “dizer” grandes verdades. • A parábola do samaritano tinha um objetivo central de responder ao questionamento: "Quem é meu próximo?" • A parábola tem três personagens principais, além da vítima dos salteadores: o sacerdote, o levita e o samaritano. • O escriba não esperava que o “herói” da parábola seria o samaritano. • Todavia, geralmente os samaritanos são utilizados por Cristo nas parábolas para contrastar a falsa adoração dos judeus.
  18. 18. 3. O amor supera o ódio • O sacerdote e o levita representam o sistema religioso judaico que priorizava o legalismo e uma religiosidade de fachada. • O samaritano representa o povo socialmente rejeitado e considerado condenado na leitura do sistema religioso judaico. • O comportamento do samaritano demonstra a rejeição de Jesus pela espiritualidade de aparência e seu agrado com o amor e a prática da justiça. E hoje, em nossas igrejas, é diferente?
  19. 19. APLICAÇAO PRÁTICA Com qual motivação você tem interpretado a Bíblia? Qual exemplo você tem seguido: do sacerdote e do levita ou do samaritano? Quem é teu próximo?
  20. 20. PENSE A fé que desenvolvemos a partir de nosso encontro com Jesus tem nos tornado pessoas mais amorosas, misericordiosas, capazes de superar os preconceitos que a sociedade constituiu sobre nós?
  21. 21. PONTO IMPORTANTE Os judeus e os samaritanos são um exemplo típico do mal que as divergências culturais podem causar.
  22. 22. III - SALVAÇÃO, AMOR E ADORAÇÃO
  23. 23. 1. O desenvolvimento de uma adoração plena • O culto não pode ser nosso único momento de adoração. • Não é saudável que reduzamos nossa adoração apenas a louvores, pregações, orações e contribuições. • Devemos adorar com tudo o que somos, em todo o tempo (Sl 32.6; Ef 6.18), com tudo o que temos (At 20.35; Cl 3.22-25). • Antes de “entrar no altar da adoração” devemos manter uma boa relação com nosso irmão/próximo (Mt 5.23,24). • Adoração plena é sem culpa, simulação ou sacrifício. Ela acontece como um prêmio de uma vida de amor e livre do preconceito.
  24. 24. 2. Igreja, acolhimento e adoração • As práticas de nossas igrejas tem produzido que tipo de cristão? • Qual a relação da igreja com a cultura do consumismo e individualismo? • As pessoas se sentem livres para adorar a Deus em nossas igrejas? • Como estamos acolhendo as “pessoas diferentes” em nossas igrejas?
  25. 25. 3. Nós e os samaritanos • Quem são os samaritanos de nossa sociedade? • Jesus demonstrou que o Reino de Deus é inclusivo (Mt 9.10-13). • Jesus se aproximava de todo tipo de pessoas e sem a pretensão de mostrar superioridade, mas demonstrar seu amor (Fp 2.6-9; Hb 2.11). • Infelizmente, em nossas igrejas, a falta de diálogo religioso é uma constante, entre cristãos ou não cristãos.
  26. 26. APLICAÇAO PRÁTICA Com qual personagem da parábola você se identifica? Você entende que o seu relacionamento com o próximo tem sido aceito como adoração por Deus?
  27. 27. PENSE Como estão seus relacionamentos, dentro e fora da Igreja?
  28. 28. PONTO IMPORTANTE A Igreja precisa ser o lugar daqueles que estão em processo de cura, através da adoração e do amor.
  29. 29. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  30. 30. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nos aprendemos que: 1. Os líderes religiosos da época de jesus interpretavam as Escrituras de acordo com seus interesses. Jesus demonstra que o amor à Deus se demonstra por meio do amor ao próximo. 2. A parábola do bom samaritano condena o preconceito religioso e valoriza a prática do amor e da justiça. 3. O culto não pode ser nosso único momento de adoração, mas também a nossa convivência e tratamento com o próximo.
  31. 31. REFERÊNCIAS CABRAL, Elienai. Abraão: As experiências de nosso pai na fé. Rio de Janeiro: CPAD, 2002. COLSON, Charles & PEARCEY, Nancy. E Agora Como Viveremos? Rio de Janeiro: CPAD, 2000. DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. KESSLER, Nemuel. Deus não desistiu de você. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Em Espírito e em Verdade: a essência da adoração cristã. 4º Trim, Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016. NEVES, Natalino das. Justiça e Graça: um estudo da doutrina da salvação na Epístola aos Romanos. Rio de Janeiro: CPAD, 2015.
  32. 32. REFERÊNCIAS PALMER, Michael D. (Ed.). Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2001. SILVA. E. R. Adoração sem limite: Um coração aos pés de Cristo. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. SNODGRASS, K. Compreendendo todas as Parábolas de Jesus. Rio de Janeiro: CPAD, 2010. VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR., William. Dicionário Vine. 7ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
  33. 33. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 (TIM)

×