A procura de deus

3.945 visualizações

Publicada em

.

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.945
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
123
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A procura de deus

  1. 1. P A rocurade Deus
  2. 2. P A rocura de DeusRichard A. Bennett Publicado por: CROSS CURRENTS INTERNATIONAL MINISTRIES através do Trans World Radio P.O. Box 4232 Kempton Park 1620
  3. 3. Copyright © 1985, 1988, 1997, 1998, 2003, 2007 Cross Currents InternationalMinistries.Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida,gravada num sistema de base de dados, ou transmitido por quaisquer outros meios,sem autorização prévia e escrita do Cross Currents International.Emitido em Johannesburg, África do SulISBN: 978-0-620-39840-4 Distribuido por: Rádio Trans Mundial Caixa Postal 1526 Maputo Mozambique
  4. 4. Sem o encoragemento, o amor, o sacrifício e as orações da minha esposa, Dorothy, este livro não teria sido escrito.Assim como Paulo disse ao Phoebe, assim eudigo acerca dela: … Ela própria também tem ajudado a muitos … assim como a mim.
  5. 5. Tabela de ConteúdosPrólogo ixPrefácio xi1° CapítuloSerá que na realmente Deus existe? 12° CapítuloSerá que o seu guia espiritual pessoal é de confiança? 93° CapítuloComo é que Deus é? 254° CapítuloO que realmente divide as pessoas? 375° CapítuloQual é na realidade o problema? 536° CapítuloPorque é que as pessoas estão tão mal aconselhadas? 657° CapítuloSerá que Deus realmente me ama? 798° CapítuloOnde posso encontrar Vida? 1079° CapítuloComo é que posso fazer parte da família de Deus? 12310° CapítuloO que se segue? 135O minha obrigação na Fé 145
  6. 6. PrólogoE u de todo o coração recomendo este livro, À Procura de Deus, por duas razões. A primeira éque conheço o autor! Ele é um filho na Fé e para mimnão há melhor alegria do que saber que os meus filhosandam na verdade (3 João 4). A segunda razão é mais objectiva. O Dr. RichardBennett fez um trabalho esplêndido ao decifrarclaramente, concisamente e convincentemente ascoisas essenciais da relação entre Deus e os homens. A Bíblia diz-nos que Deus pôs eternidade noscorações dos homens… (Eclesiastes 3:11). Segue-se,portanto, que desde que os homens foram criados paraa eternidade, as coisas do tempo nunca podem perma-nentemente e completamante saciar. Existe um vaziosem fim, que só Deus pode preencher. S. Agostinho disse-o perfeitamente quando eledeclarou, “Ó Deus, Tu nos fizeste à Tua semelhançae as nossas almas não descansam até que estejamContigo.” Este livro ajuda-nos a seguir essa procura até nósencontrarmos descanso na vida e na relação pessoalcom o Deus Eterno. ix
  7. 7. À Procura de Deus A minha mais sincera oração é que multidõespossam ler as páginas que se seguem e prestematenção à mensagem que revela a glória de Deus e oseu eterno benefício. Dr. Stephen F. Olford “A Procura de Deus é um livro que eu recomendoa todos que estão `a procura da verdade na vida.É teologicamente lógico e ajudará as pessoas aestabelecerem uma sólida Cristandade. Vale a penaler!” Rev. Stephen Boakye-Yiadom Director Internacional Trans World Radio, África x
  8. 8. PrefácioN as nossas extensas viagens, eu e a minha mulher, Dorothy, conhecemos muitos amigosnas auto-estradas e atalhos da vida. Eles vieram demuitas culturas, ambientes económicos e níveiseducacionais diferentes. Nós não acreditamos que foi por acaso que nósencontrámos estas pessoas. Nem sequer é por acasoque este pequeno livro está nas suas mãos. Ao longo dos anos, a conversa mais importanteque nós tivemos com muitos dos nossos amigosconcentrou-se na nossa procura por Deus. Alguns dospensamentos que nós compartilhamos entre nós estãocontidos neste livro. A primeira edição de À Procura de Deus, daqual subsequentes revisões foram feitas, foi umprojecto pessoal de açcão de graças. Como o nosso25 aniversário de casamento se aproximava eu e aDorothy reflectimos sobre o que poderia ser a melhormaneira de expressar a nossa gratidão para com Deuspela Sua bondade para connosco. Que melhor maneira, nós pensámos, do queescrever, imprimir e dar a 25.000 pessoas a mensagemque lhes trará esperança e paz. Isso corresponderia a xi
  9. 9. À Procura de Deusmil por cada ano da nossa vida conjugal. Deus abençou esta pequena obra de amor àmedida que o livro foi distribuido pelo mundo. Todasas 25.000 cópias foram colocadas directamente nasmãos de pessoas em muitos países diferentes. A nossamaior alegria foi em receber cartas daqueles, quecomo resultado da leitura do livro À Procura de Deus,encontraram um novo objectivo na vida. Recebemos muitos pedidos, para que nóstraduzissemos este livro noutras línguas. Portanto, nósdecidimos em fazer a primeira revisão do texto paraeste objectivo com a oração que muitas mais pessoasatravés dos continentes do mundo serão ajudados nasua ‘Procura por Deus.’ Como resultado, para cimade três milhões de cópias em cinquenta línguas foramimprimidas e distribuídas por todos os lugares. E agoranós também oramos que esta quinta edição inglesatrará ajuda ainda a mais leitores. Os dois primeiros capítulos, não serão igualmenterelevantes a todos os leitores. O primeiro capítulofoi escrito para aquelas pessoas que possam pôr emdúvidas a existência de Deus. Embora o segundocapítulo, terá um interesse especial para aqueles queaprenderam a interrogar tudo, é de facto essencialpara todos os leitores, pois encoraja cada um de vós aavaliar as suas próprias atitudes e crenças. Estes capítulos preparatórios, contudo, sãoessenciais para tema geral, pois eles ajudam emestabelecer a credibilidade da informação restante.Os capítulos três a dez contêm verdades básicas que o xii
  10. 10. Prefácioajudará na sua busca ou procura por Deus. Portanto,nós alegremente colocamos esta nova edição nas mãosde Deus para abençoar como Ele melhor julgar. Ambos eu e a Dorothy desejamos assinalar osnossos agradecimentos a Deus pelo amor, orações eideias de muitas pessoas especiais que compartilharamconnosco as suas experiências pessoais com Deus.Eles são muitos para se mencionar os seus nomes. Paratodos estes amigos nós dizemos ‘Obrigado’. xiii
  11. 11. P A rocurade Deus
  12. 12. Geologia é uma autobiografia da terra,mas assim como todas as autobiografias, não retorna ao princípio. SIR CHARLES LYELL
  13. 13. 1° C apítuloSerá que na realidade,Deus existe?T alvez tenham havido momentos na sua vida quando as coisas pareciam tão frouxas que nãosó duvidou do amor de Deus mas também duvidoumesmo da Sua existência. Na Bíblia, a existência de Deus não está explicada:nem sequer está provada. Está simplesmente aceitecomo sendo verdade. A primeira frase da Bíblia Noprincípio Deus criou os céus e a terra (Génesis 1:1)é uma declaração pavorosa que é tão simples comoprofunda. Declara que Deus é, e que Ele é o Criadordo Universo. Há uns anos atrás a minha mulher tinha a posiçãosénior em emfermagem num dos mais prestigiososhospitais psiquiátricos da Europa. Um dia umpsiquiátra principal que se dizia de ateu, questionouDorothy acerca da sua fé. “Doutor,” ela respondeu“Sabe eu sinto muito respeito por si, como um chefeno seu ramo. O senhor é um estimado professor dauniversidade e também na sua profissão médica, o seunome é bastante respeitado. Poderei sugerir, contudo, 1
  14. 14. À Procura de Deusque antes que o senhor se intitule de ateu, leia aBíblia com o mesmo fervor que o caracterizou na suainvestigação psiquiátrica.” Ela então lembrou-o de alguns dos seus doentesque tinham sido recentementemente autorizadosa sairem da enfermaria crónica porque o poder deDeus tinha causado mudanças maravilhosas nassuas vidas. Ela mencionou um ou dois nomes quese transformaram tão dramaticamente, que eles jáestavam a ter vidas normais. A Dorothy contou aofamoso psiquiátra, como é que cada um destes doentesencontrou Deus duma maneira tão pessoal e essencial.O próprio doutor tinha profundo conhecimentoque estes doentes não mostraram melhoras com ostratamentos psiquiátricos mais modernos. Nem sequercomo um ateu, nem como um psiquiátra, ele podiaexplicar o fenómeno das mudanças nas suas vidas. Este médico, tinha acabado de dizer à Dorothy queele não acreditava em Deus, concluíndo esta conversapediu-lhe para orar por ele! Ele também lhe prometeuque, pela primeira vez na sua vida, ele iria começar aler a Bíblia com uma mentalidade mais aberta. Depois de sete semanas de uma leitura cuidadosa,o psiquiátra disse à Dorothy que ele não se consideravamais um ateu. Contudo ele ainda tinha um problema,pois ele reconheceu que para se ter uma verdadeiradedicação a Deus seria necessário uma mudançade estilo de vida. “O meu problema, deixou de serintelectual,” ele admitiu, “mas eu sinto-me que nãotenho vontade de aceitar as mudanças que aconteceriamse eu me tornasse um verdadeiro crente.” 2
  15. 15. Será que na realidade, Deus existe? Depois de termos orado durante dez anos pelonosso amigo médico, nós finalmente recebemos umacarta na qual ele nos falava da sua nova-encontradafé e da sua entrega pessoal a Deus. Nós sentimo-nosextremamente felizes, mas não muito surpreendidos,porque nós sabíamos que a fé começa pelo ouvir, e oouvir pela palavra de Deus (Romanos 10:17). Para ajudar a cada um de nós para O conheçer,Deus colocou dentro do nosso ser uma profundaconsciência intrínseca da Sua existência. Algumas pessoas escolhem em não acreditar emDeus, mas nunca houve uma única pessoa no PlanetaTerra que não podia deixar de acreditar em Deus. Mesmo no universo físico em si, Deus pôs muitasevidências da Sua própria existência. Quanto maisprofundo as ciências do nosso vigésimo primeiroséculo desvendam os segredos do universo, maisexorbitante se torna sugerir-se que tudo existe semum Construtor. Nunca alguém sugeria que uma naveespacial poderia alcançar o espaço, orbitar a Terra,e depois aterrar no momento e local esperado, semuma combinação de construtores génios, técnicos ematemáticos. Assim como, o pôr do sol, as estações, asgaláxias e os átomos, a força da gravidade e o poder doamor nunca poderiam existir sem o plano e a criaçãodo Deus Criador. Com certeza que é necessário um milhão de vezesmais de fé para acreditar que uma organizada e perfeitaCriação veio do “big bang” do que acreditar em Deus,o Criador, pois não pode haver criação sem primeirohaver um criador. 3
  16. 16. À Procura de Deus Até o governo que rejeitou a existência de Deus,expressou o facto da sua confiança no universo ser umde lei e ordem cada vez que manda um cosmonauta aoespaço. Sómente cooperando com estas leis podem osseus cosmonautas voltarem à terra, sem problemas.Não é estranho, então, que estas mesmas pessoasque confiam nas leis naturais rejeitem a existênciado Criador das Leis, a existência do PlaneadorSupremo? Novamente nós estamos conscientes do poderdevastador da destruição que se lança quando umabomba atómica explode. Contudo, já foi calculadoque cada e todos os segundos do sol se desprende ummontante de força igual a 5.000 biliões de bombasatómicas. E na comparação com outras estrelas commuita força, o nosso sol não é sequer muito grande;e nós ainda não sabemos de facto quantas estrelasexistem no universo. Embora milhões juntaram-se àvista do homem, estas estrelas podem ser sómente aborda externa do vasto desconhecido. Hoje, apesar dosastrónomos, reconhecerem que a energia desprendidaem algumas galáxias são biliões de vezes maiores doque a energia emitida pelo nosso próprio sol! Como éque tanto poder ou energia pode existir se não fosseum Criador, cujo poder não tem limites? Na verdade, a criação apresenta-nos a um Deus deCriação, a um Deus de Lei, e a um Deus com um PoderInfinito. A Bíblia diz: Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra 4
  17. 17. Será que na realidade, Deus existe? sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes. Em toda a extensão da terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. (Salmo 19:1-4). Porque as Suas coisas invisíveis [Deus], desde a criação do mundo, tanto o Seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem, pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inexcusáveis; (Aos Romanos 1:20). Portanto, não há desculpa para ninguém, emqualquer parte para negar a existência de Deus. Reflectindo sob a vastidão, a ordem e a forçaque Deus criou, faz com que muitas pessoas sesintam pequenas e insignificantes. O Rei David de Israel teve essa reacção eexpressou-a da seguinte maneira: Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; Que é o homem mortal, para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites? (Salmo 8:3,4). Hoje, o nosso conhecimento dos céus estreladosaumentou bastante porque telescópios gigantesintensificam a nossa visão do universo por milhõesde vezes e os satélites mostram-nos fotografias nesteplaneta terra, à medida que viajam através do espaçoexterior. Como resultado, nós também podemos sertentados a fazer a mesma pergunta, como a de David: 5
  18. 18. À Procura de Deus“Como é que pôde Deus que criou tudo isto, estarinteressado numa pessoa tão insignificante como eu?” Felizmente, contudo, a era do telescópio tambémé a era do microscópio. Hoje, também sabemos queexiste um mundo em miniatura, que só pode ser vistoatravés do microscópio, e que é tão incrível como aimensidão do espaço exterior. Até a luz é muito vulgarpara revelar os segredos deste domínio microscópicoínfimo. O que escapa a visão dum microscópiotradicional científico pode ser encontrado por ummicroscópio electrão, que revela com mais pormenoresa beleza, a criação, a lei, e a energia que se incorporano nosso infinitesimalmente-minuto mundo. Portanto, se alguma vez duvidar se Deus temalguém tão pequeno como você na Sua mente, ouçao fisicista nuclear dizer o quão importante é o maisínfimo para a conservação de todo o universo. Separeos neutrões e os protões do átomo por sómente1/12 trilião de uma polegada e, em vez da matériase encontrar ligado numa massa sólida, o mundoexplodiria de uma forma cósmica nuclear. Sim, opequeníssimo é tão importante como a grandeza paraa Criação de Deus. É tranquilizante saber que quando nós fazemos apergunta: O que é que o homem que Tu fizeste podepensar de Ti? Não é o tamanho dum homem quedetermina o seu valor. Pelo contrário, o nosso valorpessoal para Deus é atribuido sobre alguns factoresdiferentes. E Deus já nos revelou o porquê de sermostão importantes para Ele e o quão preciosos somos aoSeu olhar. 6
  19. 19. Será que na realidade, Deus existe? Contudo a criação em si fala da Criação, da lei edo poder de Deus, Deus escolheu uma outra maneirapara se revelar, como um Deus com uma misericórdiae amor infinito, Aquele que nada mais deseja do queo nosso melhor estar. Mas se você vai encontrar o talDeus, é indespensável que o seu guia espiritual seja deconfiança absoluta. Pare para considerar 1. Se atirasse ao ar uma mão cheia de limalhas de ferro, esperaria apanhar um relógio suiço, quando elas viessem de volta? 2. Pode o universo com todo o seu maravilhoso e complicado desenho, existir sem a mão do Deus-Criador? 3. Embora a criação o possa apontar para o Deus-Criador que se manifestou a si próprio como o Deus da criação, da lei e do poder, é a criação por si própria suficiente para o trazer à compreensão do amor e da misericórdia de Deus? 7
  20. 20. Uma cave escura pode facilmente seratravessada por alguém que tem um toche. PLATOA natureza é a luz sombria da entrada da cave; o toche são as Escrituras. A.H. STRONG
  21. 21. 2° C apítuloSerá que o seuguia espiritual é deconfiança?H á uns tempos atrás, os jornais falaram dum facto alarmante, que a perda de vidashumanas numa queda dum avião, foi causado por umsinal do radar errado. E ainda que aquele acidentetrágico apaga-se na insignificância quando comparadocom o que acontece se as pessoas puserem a suaconfiança num ‘sistema de radar espiritual’ que ospossa dirigir ao desastre espiritual. Hoje existem muitas vozes conflictuosas econfusas no mundo, cada uma proclamando em ser oconselheiro de Deus. Como é que vai saber, em quemconfiar? Na sua busca ou à procura por Deus, você nãopode conceder em ser guiado por uma voz falsa, poisos resultados na aposta são eternos. O primeiro ministro da Inglaterra W. E. Gladstoneescreveu: “A Bíblia está selada com uma origemespecial, e uma distância infinita separa-a de todos osseus concorrentes.” 9
  22. 22. À Procura de Deus O presidente Americano Abraham Lincoln disseuma vez: “Eu acredito que a Bíblia é a melhor ofertaque Deus deu aos homens.” Se bem que muitos dos grandes homens da históriatenham sem dúvida prestado declarações acerca dasua unicidade ou singularidade, a Bíblia realmentesobressai-se por si própria. O rei David foi claro acerca da credibilidade doseu guia espiritual. Ele disse: Lâmpada para os meuspés é a tua palavra, e luz para o meu caminho (Salmo119:105). Até hoje as pessoas acham que podem confiarque a Bíblia os pode guiar para Deus. Mesmo quetenham havido pessoas que tentaram destruir a suacredibilidade, a Bíblia encontra-se tanto firme e fielhoje como no passado; é verdadeiramente única entretodas as escritas do mundo. Porque as pessoas necessitam de terem a certezaque a Bíblia é única e autêntica, Deus selou-a commuitos selos que confirma em ser verdadeiramente “APalavra de Deus”. Tanto nas páginas das Escriturascomo também nos registos da história secular, uminvestigador honesto encontrará evidência irresistívelpara apoiar o facto de: Toda a Escritura é inspiradapor Deus (2 A Timóteo 3:16). Se a Bíblia tivesse sido escrita por um escritor,nós não nos surpreenderiamos que o seu tema sedesenvolvesse de uma maneira progressiva e ordenada.Este Livro dos Livros, contudo, não foi escrito poruma pessoa, mas por muitos autores diferentesprovenientes de culturas diversas durante alguns 10
  23. 23. Será que o seu guia espiritual é de confiança?séculos; Ainda assim contém um desenvolvimentoconsistente, ordenado e único da verdade acerca deDeus. Isso em si, é simplesmente exceptional, mais doque exceptional – é miraculoso! Adicionalmente, escavadores arqueológicosestão contínuamente descobrindo, novas evidênciasque suplementa a confirmação da exactidão históricados registos da Bíblia. Acontecimentos, que já foramridicularizados como ficção, já foram reconhecidospelas excavações dos arqueólogos modernos.* Sim, a Bíblia é de verdade o Livro de Deus,contendo a mensagem de Deus para todos ospovos. Apesar do facto de que a Bíblia é o Livro deDeus, algumas pessoas, ainda estão desligadas da sualeitura, por causa da ilusão popular que o mundo estádividido em dois grupos: os cientistas que enfrentamos factos, e os verdadeiros crentes que lhes fecham osseus olhos. A sugestão é que o verdadeiro cientista nãopode ser um crente verdadeiro. Hoje, contudo, existemmuitos cientistas famosos que rejeitam esta sugestão.Se bem que a Bíblia não é um livro científico, aondequer que toque nestas áreas, nunca foi descreditada por* Por exemplo, em 1868, um viajante alemão chamado Klein visitou a terraantiga de Moab, a qual é hoje chamada ‘Jordania.’ Ali ele descobriu uma pedramonumental na qual foram inscritas trinta e quatro linhas escritas por Mesha,o rei de Moab. Esta inscrição foi feita em comemoração da sua revolta contraIsrael. Ambos Omri e Ahab são mencionados em 2 Kings I e novamente nomonumento. Em ambos os casos dizem-nos que estes reis Israelistas eramopressores de Moab. Muitas das descobertas da época moderna confirmam aexactidão histórica dos registos bíblicos. 11
  24. 24. À Procura de Deusfactos científicos estabelecidos. Em vez disso, no seuplano e objectivo a Bíblia atinge fora do alcance daslimitações da ciência. Por exemplo, a ciência não consegue explicaro porquê da nossa existência aqui no Planeta Terra,nem sequer nos consegue dizer para onde vamosdepois da nossa vida terminar na terra, ou seja quandomorrermos. Nem sequer a ciência nos diz o significadoda vida, nem sequer o verdadeiro valor duma pessoa.Não interessa, o quão inteligente (ou simples) umapessoa possa ser, cada um de nós, necessita da ajudadivina para conhecer a verdade acerca de Deus. Porisso é que com certeza o filosófico e matemáticofrançês, Blaise Pascal, disse: “A realização supremada razão é para nos mostrar que existe um limite parase ser racional”. Nós nunca teríamos respostas certaspara as perguntas mais importantes da vida, se nãofosse através do Livro de Deus. Agora deixe-nos reconsiderar duas indicaçõesfortes de que a Bíblia é de facto o Livro de Deus. A primeira é a exactidão incrível das suas previsõesproféticas. A segunda é a poderosa e positiva influênciaque tem exercido nas vidas daquelas pessoas que têmseguido a sua mensagem sériamente. A exactidão Profética da Bíblia Existe dentro de muitos de nós uma curiosidadenatural, para sabermos o que é que o futuro nos trará.E a Bíblia revela-nos alguns dos acontecimentosmais importantes do futuro, muitos com fascinantes 12
  25. 25. Será que o seu guia espiritual é de confiança?e complexos pormenores. Agora pode muito bemperguntar: “Como é que pode ter tanta certeza?” Para se responder a esta pergunta deixe-nosimaginar que vai fazer uma caminhada nas suas fériasnum país onde nunca esteve anteriormente. O mapaque possui nas suas mãos é o seu único guia. Ontemvocê considerava que este mapa era totalmente deconfiança pois tinha indicado, que encontrou um rio edepois a vila onde dormiu ontem à noite. Hoje, tem quetomar um novo rumo. Diante de si está um territóriodesconhecido, mas o mapa indica que se voltar àesquerda atravessará florestas até chegar a uma grandelago. Agora você gostaria de ver esse lago, o que éque decidirá? Eu penso que vai seguir as instruçõesdo mapa e vai voltar à esquerda. Certamente, a razãode tomar este passo será o facto de ter confiança nasdirecções do mapa, pois no dia anterior este provouem ser um guia com exactidão e de confiança numterritório desconhecido. Disse-lhe o que ia encontrarantes de chegar ao local, e estava certo! Uma das provas mais notáveis de que a Bíblia éa Palavra de Deus é a sua única exatidão quando asprofecias futuras acontecerem. Nas suas páginas nóslemos muitas profecias que nas presentes prespectivas,nós sabemos que já aconteceram exactamente, mesmoque tenham sido profetizadas centenas de anos antes. Estas profecias dominam uma extensão notávelde acontecimentos, abrangendo todos os povos daterra, assim como incluíndo muitos pormenoresespecifícos acerca de Israel, e do Médio Oriente.Mesmo que o mais importante sejam as centenas 13
  26. 26. À Procura de Deusde profecias relacionadas com a vinda do Messias.Porque muitas destas profecias messiânicas fazemagora parte da história, nós reconhecemos o quãoinacreditável é a exactidão que elas foram em algunsdos seus pormenores extremos e distintos acerca donascimento, da vida e morte do Messias. Baseando-nos nos tais registos, é razoável (e certo)em assumir que o futuro se revelará, exactamente comoa Bíblia profetiza. E em cada ano, mais evidências daexactidão das profecias da Bíblia se revelam peranteos nossos olhos. De facto, ler-se a Bíblia é ler-se ojornal da amanhã. O dr. Wilbur Smith foi um aluno de longa data daBíblia. Ele teve em particular uma alegria em apontar-nos para os pormenores da exactidão das profecias daBíblia. Comparando com muitas profecias do VelhoTestamento que falam do Messias com os ensinamentosde outras que dizem-se que têm a verdade, WilburSmith notou, que “o Islão não aponta para nenhumasprofecias sobre a vinda de Maomé, muitas centenas deanos antes do seu nascimento. Nem nenhum fundadorde qualquer culto pode com exactidão identificarnenhum texto antigo que especificamente profetiza osseus aparecimentos.” Agora nós temos que reconhecer que existem astais chamadas ‘profecias’ que não necessitam de muitainspiração para saírem certas. Com a ajuda de computadores, nas entrevistas dosdias das eleições e com dados históricos as notíciasdos media conseguem por vezes adivinhar o vencedorduma eleição antes das caixas dos votos fecharem. 14
  27. 27. Será que o seu guia espiritual é de confiança?Com todas as estatísticas que se lhes encontram àdisposição, não é nada de extraordinário quandoeles ‘chamam’ o vencedor antes do tempo, e até elesalgumas vezes se enganam! Contudo, tente perguntar a algum jornalista paraidentificar os candidatos que façam parte da eleiçãodentro de vinte ou cinquenta anos. Pergunte-lhe quemganhará, e depois pergunte-lhe por pormenores acercade lugares onde os vencedores nascerão, os seusestilos de vida futuros, e até quais as circunstânciasque rodeam as suas mortes. Vá até mais longe, epergunte ao jornalista por informação exacta acerca doque acontecerá no Médio Oriente dentro de mil anos.Também pergunte-lhe para identificar cidades queserão aniquiladas durante esse longo período. Certamente que concordará que cada vez que ojornalista fará uma nova profecia a probabilidade daprofecia não se concretizar aumenta bastante. Issoserá, concerteza, a não ser que tenha sido o Deus daeternidade em dizer-lhe acerca do futuro; sómenteneste caso nós poderiamos esperar que o jornalistasoubesse o fim do princípio. E tais acontecimetoscomo nós sugerimos para o nosso jornalista commuitos pormenores complexos e até cobrindo uma eramais longa foi profeçado na Bíblia. A história da antiga cidade de Tiro, por exemplo,é um acontecimento inacreditável do que Deusprofetizou, que aconteceria a esta cidade. Se estiver disposto, primeiro leia as profecias queestão registadas em Ezequiel 26, versos 3-21, e depoisvolte para a Enciclopédia britânica e outros registos 15
  28. 28. À Procura de Deusda história. Nos dois lerá a mesma história, a primeiracomo profecia, e a segunda como história.Profecia: Muito tempo antes dos acontecimentos seconcretizarem, Deus profetizou um futuro turbulentopara a cidade de Tiro. Ele disse: Eis que estou aqui … e farei subir contra ti muitas nações, … elas destruirão os muros de Tiro, e derribarão as suas torres. Também foi dito, que no local que esta famosa cidade foi construida, seria reduzida a pó para fazer dela uma penha descalvada. Mais do que isso, foi profetizado que … As tuas pedras, e as tuas madeiras, e o teu pó serão lançados no meio das águas … Mas os pormenores extraordinários destas profecias não acabam aqui. Deus disse do Tiro antigo: … virás a ser um enxugadouro das redes (Ezequiel 26:3,4,12,14).História: Quando ler os registos históricos, verificaráque quando Nabucodonosor destruiu a velha (ocontinente) cidade de Tiro, ele certamente destruiu osmuros e torres simplesmente como foi profetizado.E mais tarde os engeneiros de Alexandre o Maiorreduziu a antiga cidade de Tiro a pó e deixou-a comouma penha descalvada. Quando eles atiraram os cascalhos da cidade aomar para fazerem uma passagem para a ilha, foi comofoi profetizado: as pedras e as madeiras e o pó foramatiradas à água. Sim, até hoje as ruínas da cidadeantiga de Tiro, estão subterradas nas águas do mar.Deus disse, que aconteceria, e aconteceu. 16
  29. 29. Será que o seu guia espiritual é de confiança? Apesar de existir uma cidade chamada Tiro, bemconhecida, no Médio Oriente, esta não é a antigacidade de Tiro, que foi finalmente destruida em 1291. Se fosse capaz de visitar o local da antiga cidadede Tiro, iria ver um maior número de acontecimentosextraordinários destas profecias. Ali, conseguiriavisitar algumas casitas dos pescadores todas juntas, napequena vila, aonde os barcos pescatórios iam à derivapara o mar, e as redes pescatórias estariam a secar nasrochas descalvadas! Como é que a sabedoria humanapoderia ter profetizado este futuro improvável, para talcidade comercial tão próspera como a cidade antigade Tiro? Peter Stoner comparou sete profecias acerca daAntiga Tiro, com os registos históricos. Depois de tercalculado a probabilidade matemática, que a profeciade Ezequiel, seria realizada, ele declarou: “Se Ezequiel tivesse olhado para Tiro, nos seusdias, e fizesse estas sete profecias com a sabedoriahumana, estas estimativas significariam que haveriauma probabilidade em 75.000.000 de todas serealizarem. Todas se concretizaram, no detalhe maisínfimo.” Agora, deixe-nos olhar para uma das profeciasacerca do nascimento dum bebé. Mateus, um aposentado trabalhador de impostosdo governo, relembra-se de quatro das muitas profe-cias que foram realizadas quando Jesus nasceu. Numadelas, Mateus referiu-se ao profeta Miquéas, quefez denúncias trovejantes contra os governantes im-postores do seu tempo. O coração de Miquéas estava 17
  30. 30. À Procura de Deusdorido porque enquanto ele viveu o seu país não tevegovernantes com liderança genuína. Contudo, Miqué-as viu um futuro brilhante quando Deus lhe mostrouque um dia um Governante nasceria. Ele até indicou olugar exacto do nascimento deste futuro líder. E tu, Beth-léem Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade (Miquéas 5:2). Deus revelou que o governador que era necessárioem Israel, nasceria em Beth-léem Efrata. Tal como Miquéas profetizou, Jesus nasceu, nãona casa da Sua família em Nazaré, mas em Beth-éem(Belém). Certamente, ninguém olharia para ogovernador da pequena Belém, que simplesmente erauma das muitas cidades da Judia. A probabilidade deEle nascer ali era inacreditável. Contudo, aconteceuassim como Miquéas profetizou. E isto é simplesmenteuma das centenas de tantas profecias fantásticas acercada vida de Jesus. Nós lemos que Deus declarou: Que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: ‘O meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade’ (Ísaias 46:10). As primeiras coisas desde a antiguidade as anunciei; sim, pronunciou-as a a minha boca, e eu as fiz ouvir: apressuradamente as fiz, e passaram. 18
  31. 31. Será que o seu guia espiritual é de confiança? … Por isso, to anunciei desde então, e to fiz ouvir, antes que acontecesse (Isaías 48:3,5). A História provou que estas profecias, feitas porDeus e registadas na Bíblia, são 100% certas. A Influência Poderosa da Bíblia A Segunda prova poderosa de que a Bíblia é aPalavra de Deus é a influência que tem exercido.Socialmente, culturalmente e individualmente amensagem da Bíblia dignificou a raça humana,sempre que e em qualquer parte que seja ensinada eacreditada. Mesmo antes da primeira edição deste livro, terido para a impressora, um novo amigo visitou a nossacasa. Juntos nós revisamos o manuscrito. Apesar denão estar totalmente dado à emoção, ele encontrava-sequase que em lágrimas ao lermos o 7 capítulo. Duasvezes que parámos para baixarmos a cabeça em oraçãopara dar benções a Deus cujo amor nós estávamos a ler.Juntos, nós agradeçemos a Deus pela Sua paciência, aSua misericórdia e por todas as provas do Seu amornas nossas vidas sem merecimento. À medida quenós sentiamos a presença vibrante, do Deus vivo, nósirradiávamos de alegria. Aquele dia foi especialmente significante para omeu amigo. Exactamente um ano antes, ele estavasentado sózinho num apartamento luxuoso, que faziaum contraste perfeito com a modestidade do lugaraonde nos encontrávamos. Mas naquele momento, a beleza que o rodeava,não lhe deu nenhuma felecidade. De facto, ele sentia- 19
  32. 32. À Procura de Deusse com um tal desespero, que não sentia grande desejode viver. Na sua procura pela felicidade pessoal,ele saciou todos os desejos animais da sua naturezahumana. Um hábito de cocaína, custou-lhe umafortuna. ‘Altos’ e ‘baixos’, brandy, e whisky, tudo fezparte do seu dia a dia. Durante anos, na Europa e à voltado mundo, ele andou em festas com os mais ricos dosricos, mas naquela noite ele estava só. Na sua solidão,as suas memórias trouxeram desânimo, agora estavammais profundas pelo que ele considerava haver umasituação mundial ameaçadora e assustadora. Para ele,não parecia haver saída. Com uma determinação firme, ele carregou a suapistola, pô-la ao pé da sua fonte e puxou o gatilho.“Sómente 1/8 fora do esquecimento” ele pensou,“depois a minha dor, acabará para sempre.” Naquelafracção de segundo, (o meu amigo, não sabe comoaconteceu) o programa na televisão mudou. Eleencontrou-se a ouvir, uma mensagem da Bíblia queapresentava uma esperança futura. À medida que ameia-noite se aproximava e simplesmente só, ele caiuao chão, diante do Deus vivo, para pedir perdão emisericórdia. Porque o poder de Deus transformou radicalmentea vida do meu amigo, o homem que estava diantede mim, não se parecia nada com aquele que eu vosdescrevi brevemente. Antes do seu nascimento os paisdele, tinham orado por ele; e apesar quando jovem,ele estudou os ensinamentos da Bíblia, ele recusou-se em aceitar a sua mensagem sériamente. No seu 20
  33. 33. Será que o seu guia espiritual é de confiança?mundo de riqueza e privilégios, ele revoltou-se contraDeus, e levou uma vida indisciplinada de imoralidadeinacreditável. Dessassete anos antes daquela noite inesquecível,quando ele realmente encontrou Deus o meu amigotinha comprado um livro com capas em cabedal.Continha páginas brancas. O seu objectivo era deanotar todos os acontecimentos significantes da suavida, a partir daquele dia. E contudo nada daquelesdessassete anos, de vida extravagante e perdida,merecia de ter sido mencionado. O facto é que durante todos aqueles anos, o meuamigo voltou as costas ao Deus vivo ele viajou umaestranha e insatifastória jornada espiritual falsa. Tudocomeçou com a leitura diária do seu horóscopo e umaobsessão com música roque e concertos de roque. Dentro de pouco tempo, ele envolveu-se nooculto. Mais tarde a sua fascinação com o Yoga levou-o ao estudo da filosofia Hindu, e ao envolvimentoeventual com o misticismo do oriente. Nada que eleexperimentou durante aqueles anos, mereceu umasimples entrada no seu livro de notas de cabedalcastanho. As suas páginas mantiveram-se brancas,com a dor do vazio até àquela noite memorávelquando ele conheceu Deus. Naquela noite o meu amigo registou a suaprimeira nota. Eu tive o prazer de ler aquilo queele escreveu. É uma conta sagrada e espiritual dumhomem necessitado que foi salvo pelo Deus de amor.De certeza que é maravilhoso. Com uma grande 21
  34. 34. À Procura de Deusmisericórdia, Deus quebrou a sua cegueira espirituale libertou-o do desespero e da morte, através do Seumaravilhoso amor e da sua verdade constante. É por causa da confusão espiritual do homemcomo a cegueira do meu amigo que Deus Se revelou,num livro que se chama Bíblia. Se você se afasta daBíblia, o único guia espiritual de confiança, você sefecha em desilusão e erros. Mas, se na sua busca porDeus, você se voltar para a Bíblia com uma menteaberta para aprender, você encontrará que contém todaa luz espiritual e direcção que você precisa. Só através do amor de Deus, nós podemos adquiriruma compreensão clara de Deus como Ele se revelou.Neste Livro, nós estamos expostos à Verdade em si, àPalavra de Deus, à Luz do Mundo. Senhor, a Sua Palavra subsiste, E nos guias nas nossas pegadas, Quem na Sua Palavra acredita Luz e felicidade recebe. 22
  35. 35. Será que o seu guia espiritual é de confiança?Pare para ponderar1. Existem alguns outros manuscritos ou ‘escrituras sagradas’ que se podem comparar com a Bíblia na sua exactidão na profetização de acontecimentos futuros?2. Conheçe, pessoalmente pessoas cujas vidas foram transformadas por causa deles seguirem a mensagem da Bíblia?3. Já alguma vez, rebaixou os únicos ensinamentos da Bíblia enquanto que ao mesmo tempo rejeitou lê-la com uma mente aberta? 23
  36. 36. Os problemas do céu e da terra, emboraeles fossem para nos confrontar juntos e deuma só vez, não seria nada comparado com o extraordinário problema de Deus: Que Ele é; como Ele é; e o que nós como seres morais devemos fazer acerca dele. A.W. TOZER
  37. 37. 3° C apítuloComo é que Deus é?A maior parte das pessoas num dado momento das suas vidas já perguntaram “Como é queDeus é?” Embora Deus tenha dado uma resposta a estapergunta, ainda há aqueles que preferem confiar na suaimaginação e na especulação do que ler na Bíblia oque Deus tenha a dizer acerca de Si. Estas pessoas realmente invertem uma declaraçãoimportante da Bíblia. Aonde Deus disse: Façamos ohomem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança(Génesis 1:26), eles dizem: “Façamos Deus à nossaimagem e semelhança.” E então eles mudam a glóriado Deus incorruptível, em semelhança da imagem dohomem corruptível (Aos Romanos 1:23). Todos os‘Deuses’ que têm sido criados pelo homem têm sidototalmente sem forças, e às vezes até grotescos ouridículos. Não interessa o quão inteligente uma pessoa é, elenunca poderá descobrir o Deus vivo, pela sabedoriaterrena ... Visto como, na sabedoria de Deus, o mundonão conheceu a Deus pela sua sabedoria (1 AosCoríntios 1:21). Se Deus pudesse ser descoberto pelasabedoria humana, Ele seria muito insignificante para 25
  38. 38. À Procura de Deusser Deus. Não é só isso, mas se a esperteza humanafosse necessária para descobrir Deus, então aquelaspessoas que talvez não fossem tão espertas estariamem desvantagem na sua procura por Ele. E esse nãoé o caso. Pelo contrário, a sabedoria espiritual está aoalcançe de todos. Está igualmente ao alcançe duma“senhora sem conhecimentos” africana, e dumprofessor universitário, pois a sabedoria espiritual nãoé adquirida através do processo académico. Está aoalcançe de todas as pessoas que são suficientementehumildes para reconheçerem que necessitam da ajudade Deus, na sua busca por Ele. Mas se algum de vós, não tem sabedoria, diga- lhe para pedir a Deus, que dá a todos os homens generosamente (Jaime 1:5). Esta tipo de sabedoria não é terrena mas é Divina, é dos Céus. É a sabedoria que nenhum dos governantes desta era (por exemplo, governantes que governam pelo sistema terreno) compreendeu ... mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus (1 Aos Coríntios 2:8,12). A Bíblia não é meramente uma tése religiosa;Ela é primáriamente o registo, de como Deus serevelou pessoalmente ao homem. E só Deus pôdedar-lhe a sabedoria espiritual que você precisa, paracompreender, quem ELE é, e o que Ele quer fazer nasua vida. 26
  39. 39. Como é que Deus é? Se lhe pedir, Deus se manifestará a si, atravésda Sua Palavra Sagrada. Nas nossas viagens, nós apercebemo-nos de umprofundo interesse espiritual e de conhecimentos, osquais muitos talvez considerem em lugares invulgarese entre pessoas pouco improváveis. Por exemplo,um dia nós encontrámos um grupo de rapazes jovensafricanos numa floresta do Quénia que se mostraraminteressados em compartilharem a sua fé e emaprenderem mais sobre as coisas de Deus. O sol equatorial depressa desapareceu atrás dohorizonte, trazendo o fim a um dia longo e ocupado.Assim que me sentei numa rocha, ao lado dumcaminho estreito empoeirado para descansar umbocadinho, ouvi um movimento no mato. Eu virei-mepara um raio esboçado da lua cheia, à medida que estareflectia, nums olhos pretos de um rapaz africano. Derepente este miúdo de dez anos de idade, assentou-sena rocha ao meu lado; depressa nos tornámos grandesamigos. Outros rapazes ouviram as nossas vozes e derepente se aproximaram, para ouvirem aquilo que nósestávamos a falar. O conhecimento deles acerca daBíblia impressionou-me bastante. “Porque é que Deus não deixou Moisés ver a suacara?” o meu pequeno amigo perguntou. Fascinado com esta pergunta, eu respondi aoperguntar ao jovem Joel, se ele se lembrava da oraçãode Moisés antes de Deus lhe ter dito, e, havendo eutirado a minha mão, me virás pelas costas mas a minhaface não se verá (Êxodo 33:23). 27
  40. 40. À Procura de Deus Moisés não sabia o quão irresistível seria em ver aglória de Deus. Contudo porque Deus é um Deus quese revela a si próprio, aquele que quer atrair o homema Si próprio, Ele mostrou-se o mais possível a Moisés,tanto quanto o profeta conseguia suportar. Se Deustivesse mostrado mais acerca de Si, Moisés teria ficadocompletamente definhado pela luz incandescente daSua presença. E acontecerá que, quando a minhaglória passar, te porei numa fenda da penha, e tecobrirei com a minha mão, até que eu haja passado(Êxodo 33:22). Vivendo no equador, os meus jovens amigossabiam que não poderiam olhar para a luz brilhantedo sol do meio-dia sem protegerem os seus olhos.Eles também sabiam que os insectos eram atraídosà luz na noite escura. Quando eu perguntei o queaconteceria se os insectos se mantivessem muito juntoà origem da luz, a sua resposta unânime foi a seguinte:“Eles morrerão.” Óbviamente, eles estavam a par,dos perigos do excesso da exposição à luz dos raiossolares. Eu tentei pensar numa outra ilustração, quepoderia ajudá-los a compreender as respostas àssuas perguntas. Todos os meus novos jovens amigossabiam das fraldas que envolviam os seus irmãos eirmãs bebés, e que os mantinham bem chegados aoscorações e à ternura das suas mães. Então eu disse-lhes da fralda que Deus enrolou à volta da terra. Entãoeu falei-lhes acerca das nuvens para investidura e daescuridão por envolvedouro da terra (Job 38:9). 28
  41. 41. Como é que Deus é? (Os cientistas chamam-lhe a camada de ozono.Esta delicada camada de oxigénio alotrópico filtraos raios ultra-violetas tóxicos do sol. Sem o sol nãoexistiria vida no planeta terra, mas a ternura de Deusnos protege duma intoxicação de energia solar, e dosseus efeitos cancerosos.) Os meus pequenos amigos, mostraram-separticularmente interessados, nas fraldas de Deus, àmedida que eu tentava explicar em termos simples,que nos protege a todos nós das terríveis queimaduras.Eu não sei, se eles compreenderam tudo aquilo oque eu lhes disse, mas os seus pequenos coraçõesternamente responderam ao amor e à glória de Deus,e nós tivemos juntos um tempo de oração precioso.Eles evidentemente sabiam, de uma maneira pessoal,que eles também gozavam da mesma protecção,que Moisés recebeu na sua procura de Deus. Ebásicamente, na nossa compreensão de que comoDeus é, a Bíblia nos diz: “O Senhor nosso Deus é oÚNICO Senhor” (Deuterónimo 6:4). A unicidade daSua Pessoa é uma verdade fundamental. Mas, para nos dar uma compreensão maiscompleta do que Ele é, Deus também Nos disse osSeus nomes. Na Bíblia os nomes são sempre consideradosimportantes, porque o seu significado é um meio dereflectir certos aspectos do carácter do portador. Cadanome que é usado, para se referir a Deus, tem umsignificado muito especial, e revela uma façeta únicado Sua Pessoa divina. 29
  42. 42. À Procura de Deus No Velho Testamento, existem três nomesprimários, que são usados para definir Deus: Yahweh,Elohim, e Adonai. Cada um tem um significadoespecial. Yahweh, é o primeiro nome a ser usado, eé mencionado mais do que 2000 vezes. Se bem queo nome Yahweh é supremo, existe evidentementetambém, uma importância e significado acerca doSeu nome, Elohim, que Deus não quer que nós oignoramos. O que é que poderia ser isto? Na língua inglesa, quando nós falamos no singular,nós falamos de um, e quando falamos no plural, nósreferimos a mais do que um. Contudo, e se bem que,nós falamos no plural, quando falamos em mais doque um, esse ‘um’ o hebreu original é mais meticuloso.Emprega ‘dupla’ quando se refere a ‘dois’ e ‘plural’,quando se refere a mais do que dois. A distinção entreduplo e plural (entre ‘dois’ e ‘três ou mais’) é muitosignificante. Elohim, é o primeiro nome na Bíbliausado para Deus. Em Hebreu, Elohim–referindo-seao Deus criador–nem sequer é singular ou duplo masestá no plural. “No princípio Deus [Elohim] criou os céus e aterra” (Génesis 1:1). Portanto, nós verificamos, queno primeiro verso da Bíblia–que é a Revelação pessoalde Deus para com o homem–existe a sugestão oucitação do conceito de três-em-um e de um-em-três dequem Deus é. Esta unidade de três tem sido por vezeschamada a Trindade. Depois da primeira insinuação da unidade detrês de Deus nós chegamos ao registo da criação dohomem por Deus. “E disse Deus: Façamos o homem 30
  43. 43. Como é que Deus é?à nossa imagem” (Génesis 1:26).* Ninguém se podeenganar que ambos ‘nós’ e os ‘nossos’ são pronomesem plural na língua inglesa. Mas, extraordináriamentena frase seguinte nós lemos: “Macho e fêmea Elecriou-os” (Génesis 1:27). Aqui, é óbvio que “Ele”pode simplesmente referir-se a uma pessoa. Portantocada uma destas referências a Deus como ‘um’ e a‘mais do que um’ é para Deus que se apresentou-Secomo Elohim. Um Deus como este, está muito além da capacidadeda sabedoria mundana para ser compreendido.Portanto para nos ajudar na nossa compreensão,Deus graciosamente deu “Mas nós não recebemoso espírito do mundo, mas o Espírito que provém deDeus, para que pudéssemos conhecer o que nos édado gratuitamente por Deus” (1 Aos Coríntios 2:12).Começando, com estas citações iniciais de como é queé Deus, a Bíblia gradualmente revela a Sua misteriosatri-unidade. Para se compreender este três-em-um e deum-em-três personagens de quem Deus é, irá ajudá-loa apreciar mais intensamente o Seu amor surpreedentepor si, quando ler o sétimo capítulo. Para nos ajudar a compreender algo da grandiosidadedo Seu amor, Deus progressivamente Se revela doprincípio ao fim da Bíblia. Ali nós somos apresentadosao Deus Pai, ao Deus Filho e ao Deus Espírito Santo.* É importante de se notar que a criação dos homens e das mulheres nunca podeser comparada com a criação do reino vegetal; nem sequer a forma mais elevadado desenvolvimento da evolução no reino animal. Não só os homens e as mulheresforam criados à imagem de ‘‘Deus” e portanto são uma criação única ao nívelmais elevado dos actos maravilhosos e criativos de Deus. Mais à frente nestelivro, esta singularidade o irá assegurar quem você realmente é. 31
  44. 44. À Procura de DeusAté agora, Ele revela-se em ser um único e ser parasempre um só Deus. As nossa mentes humanas sóconseguem compreender as bordas de tal conceito.Portanto, porque era impossível para o homem alcançare descobrir o verdadeiro Deus vivo, Ele teve a iniciativade Se apresentar a Si próprio ao homem. A revelação inteira da glória e da santidade deDeus, foi escondida aos olhos de Moisés. De qualquermaneira, na pessoa de Deus o Filho, Elohim reveloutanto de Si próprio, quanto o homem pode aguentar. Conforme o Novo Testamento, nós lemos: Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu nos nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo (2 Aos Coríntios 4:6). Simplesmente, pense nisto: quando o João olhoufixamente na cara de Jesus Cristo, ele proclamou: Nósvimos a sua glória, como a glória do unigénito do Pai(S. João 1:14). Mais tarde, João escreveu acerca disto, acercado seu encontro pessoal com Deus, e simplesmenteporque ele conheçeu Elohim, na pessoa de Jesus,ele viveu para contar a história! Todavia ele deu aconheçer muito claramente que o seu encontro foi defacto com o Deus da Eternidade, o Deus da Criação, oDeus de Moisés. Surpreendente como foi, este encontro pessoalentre João e o seu Deus-Criador, foi audível, visívele pálpavel. 32
  45. 45. Como é que Deus é? O que era desde o princípio, o que ouvimos, (o seu encontro audível) o que vimos com os nossos olhos (o seu encontro visível) ... E as nossas mãos tocaram (o seu encontro pálpavel) (1 S. João 1:1). Não, a informação que nós lemos na epístola deS. João não é relacionado com um registo de teologiaimpessoal. É proveniente do seu próprio encontro como Deus vivo. “Como é que tudo isto hoje, me ajuda?” Vocêpode perguntar. S. João, pode rápidamente respondera essa pergunta. Estas coisas, vos escrevemos, paraque o vosso gozo se cumpra (1 S. João 1:4). E domesmo modo, este livro que agora está a ler, está nassuas mãos, porque um amigo, deseja ardentemente,que você, também, tenha esta alegria profunda aoencontrar-se com o Deus vivo. S. João explica: O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão connosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com o Seu Filho, Jesus Cristo. Estas coisas vos escrevamos, para que o vosso gozo se cumpra (1 S. João 1:3,4). Sim, assim como a luz é atraente numa noiteescura, assim como a Luz da Glória de Deus, aindaatrai os homens para Ele. Hoje, no seu desejo, deconheçer como Deus é, também pode orar comMoisés: ‘Mostre-me a Sua Glória.’ 33
  46. 46. À Procura de DeusPare para ponderar1. Na sua procura por Deus, já leu a Bíblia ponderadamente?2. Vai pedir a Deus para Ele se lhe revelar, assim como se lê na Bíblia? Uma oração sugerida: “Ó Deus, se És o Deus que criou o Universo e o Deus que me ama, por favor revela-Te a mim, e mostra-me se Jesus Cristo é o Teu Filho o prometido Messias!”3. Reconheçe que se realmente adorar a Deus Ele tem que ser: Maior que a sua capacidade para descobri- Lo através da investigação humana: maior que a sua capacidade para O compreender absolutamete, na sua mente humana? 34
  47. 47. 35
  48. 48. Eu penso que compreendo um pouco danatureza humana, e eu digo-lhe que todosos antigos heróis foram homens, e eu sou um homem: Mas ninguém é igual a ele: Jesus Cristo foi mais do que um homem. NAPOLEON
  49. 49. 4° C apítuloO que é que realmentedivide as pessoas?O mundo de hoje, foi descrito como uma cidade global. Contudo, porque está povoado porvizinhos inimigos, esta cidade global tornou-segradualmente num lugar cada vez mais perigoso parase viver. À superfície, parece que os problemas que dividemos homens abrangem um grande circuito político,económico, doméstico e até questões industriais.Apesar destas àreas problemáticas causarem que aspessoas se afastem gradualmente e desanimadamentecada vez mais, ainda há um risco maior, mas menosreconhecido, a razão para o afastamento que existe nonosso mundo. Primeiro, deixe-nos brevemente ponderar ascausas óbvias da divisão entre as pessoas, e depoisvamos concentrarmo-nos na causa principal. Divisões óbviasPolíticamente: Os politicos confrontam-se unscom os outros com medo e desconfiança. Quando 37
  50. 50. À Procura de Deusse confrontam com pontos de vista irreconciliáveis,eles esperam que o poder militar lhes possa garantir asegurança futura da nação. Entretanto, os cidadãos dedicados elevam assuas vozes em favor da paz e do desmantelamentodo poder nuclear. Ironicamente, alguns de nós quetêm visto algumas destas desmonstrações de paz natelevisão, têm testemunhado que, na sua conducta, osparticipantes mostram o mesmo tipo de paixão da quala guerra se compõem.Economicamente: Desastres naturais tais com a seca,a escassez, a fome, os tremores de terra são problemasque estão como nunca a aumentar, particularmenteno terceiro mundo. Estes desastres juntam-se à dorcausada pela grande diferença económica entreas nações ricas e as nações pobres. Apesar da boavontade e dos sacrifícios de muitas pessoas que tentamem ajudar, é de facto uma observação triste que muitasvezes os ricos se tornam cada vez mais ricos e ospobres se tornam cada vez mais pobres.Domesticamente: Não é segredo nenhum, que hojea rotura dos casamentos e das vidas familiares têmatingido proporções epidémicas. Com lágrimas nosolhos, Letsoale disse: “A minha casa quebrou-se.” Eupensei que as quatro paredes da sua palhota africanase tinham destruído, mas eu em breve me inteirei que asua expressão de destruição era a maneira delicada doLetsoale dizer que a sua mulher o tinha deixado. Hojemuitas ‘casas’ estão a ser ‘destruídas’, pois estilos de 38
  51. 51. O que é que realmente divide as pessoas?vida esgoístas destróem relações amorosas.(Contudo,como nós iremos ver num capítulo mais à frente, oamor de Deus está à disposição de qualquer casalque deseje acimentar o seu casamento numa uniãopermanente.)Industrialmente: Nos empregos nós acostumamo-nosa ouvir acerca da insatisfação e tensão. Cedo no ano de1985 a controvérsia industrial mais fria do século vinte,foi terminada na Grã-Bretãnha. Apesar da greve e asconfrontações violentas nas ruas terem terminado, osprolongados resentimentos frios continuaram a ser umaferida aberta nas relações da organização dos operáriose também dentro da própria comunidade industrial.Quão diferente esta situação é do resultado da tensãoda organização dos operários que foram dominadasnas minas de carvão do Gales depois de semelhantesagitações operárias industriais em 1904. John Parrycontou-me a história pois ele viveu tal experiência. Quando eu conheci John, ele tinha 91 anos deidade, era um mineiro de carvão reformado, estavacompletamente cego, e sofria de uma doença pulmonarcrónica, chamada a doença dos mineiros. Sempre quepossível, a minha mulher e eu, visitámos a cabanadeste mineiro humilde, no Norte de Gales. Com umrir caloroso e uma alegria vibrante, John recontou-nos o que é que Deus fez no Gales quando Ele moveuem convicção e poder durante o Renascimento de1904 e 1905. Naquela altura ambos os mineiros e osseu patrões encontraram-se com o Deus vivo. Comoresultado directo eles encontraram conjuntamente, um 39
  52. 52. À Procura de Deusrespeito e confiança mútua. Que diferença entre 1905e 1985. John falou com uma alegria exuberante à medidaque ele reflectia sobre aqueles dias. Ele relembrou-se que muitas ‘casas públicas’ tiveram que fechar,porque súbitamente não havia necessidade de álcool.Ele também se relembrou cair no poço da minacom os seus companheiros mineiros e em conjuntocantarem canções de louvor a Deus. Ele ria por entredentes (de satisfação) à medida que ele reflectia: “Aspessoas ainda vêm ver-me e perguntam aonde é que oRenascimento aconteçeu.” Batendo no seu peito elerespondia: “Eu digo-lhes que aconteçeu aqui, e queagora mesmo aqui está!” A Verdadeira Divisão Mesmo que estas divisões possam ser muitoprofundas, existe algo que divide os homens de umamaneira assustadora que é permanente. É um perigoque presentemente ameaça destruir a tranquilidade demuitas nações. Pode ver, que as pessoas estão no fimde contas polarizadas pela sua compreensão confusaacerca de Deus! Na Sua revelação aos homens, Deus nuncacomprometeu a verdade acerca da Sua divinaExistência. Antes de Jesus Cristo nascer, Deusprometeu que Ele mandaria uma grande luz, paraajudar as pessoas a começarem a conhecê-Lo comoEle realmente é. Ele disse: O povo que anda nastrevas, virão uma grande grande luz (Isaías 9:2). 40
  53. 53. O que é que realmente divide as pessoas?Deus também deu pormenores em como esta luz, seriareconhecida: Porque um menino nascerá … um Filhose nos dará (Isaías 9:6). Com certeza, não haveria nada particularmentesignificante acerca desta declaração, se Deus tivessesómente dito, que uma criança iria nascer. Depois detudo, há sempre crianças a nascerem! De facto, nãoteria sido importante registar que uma criança havia denascer, se este facto, não estivesse ligado à promessade que um Filho havia de ser dado. E agora o que já foiprofecia, faz parte da história, pois o que Deus disseque havia de acontecer já aconteceu. Uma criançanasceu na terra; Dos Céus um Filho, foi dado. Atravésdo nascimento de uma criança, que foi uma oferta deum Filho, Deus mandou luz às pessoas que andavamàs apalpadelas na escuridão. Até hoje, aquela Luz,ainda afasta a escuridão, e de outra maneira, duvidardisso, seria esconder Deus dos nossos olhos. Para distinguir o nascimento do único Filho deDeus, e de o afastar de todos os outros, Deus prometeuque o nascimento do Seu Filho, seria autenticadocom um ‘sinal’ miraculoso: Eis que uma virgemconceberá, e dará à luz um filho, e o seu nome seráEmmanuel.(Isaías 7:14). Como é maravilhoso que o Seu próprio nomeEmmanuel significa “Deus connosco”. E atravésdo que foi transmitido por este nome, nós podemoscomeçar a apreciar como é que as boas notícias, sãodistintas de todos os ensinamentos de todas as outrasreligiões, assim está registado na Bíblia. Ao passo que 41
  54. 54. À Procura de Deusfalsas religiões tentam mostrar em como o homemtenta alcançar a Deus, a Bíblia é o registo de Deus emcomo Ele alcançou o homem. Como está registado na Bíblia, quando Deus Seestabeleçeu no Planeta Terra, uma virgem estavacom uma criança. E naquele dia quando o Criador doUniverso condescendeu para se tornar parte do tempoe do espaço isto também faz parte da história: Eis queem sonho, lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo:“José, filho de Espírito Santo” (S. Mateus 1:20). Emais tarde, depois de Jesus ter nascido, e de se tertornado num homem, Ele reclamou a Sua divindade napresença de scépticos adversos ao dizer: Eu e o MeuPai, somos Um (S. João 10:30). O astronauta Jim Irwin do Apollo XV escreveu:“Deus a andar na terra é mais importante do que ohomem andar na lua.” Certamente que nenhumaproeza que o homem tenha concluido no espaço pode-se comparar com o milagre daquele momento quandoDeus saiu da eternidade e entrou no tempo. Depois da profecia de que uma criança havia denascer e um Filho seria dado, ali segue-se um maispormenorizado “resumo” profético, desta Pessoaúnica: “O seu nome será: Maravilhoso Conselheiro,Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Doincremento do Seu governo ou da paz, não haverá fim”(Isaías 9:6,7). Certamente, tal mistura maravilhosa depoder e de objectivo, seria desejável se alguém viriaa tornar-se num governante do mundo bem sucedido.Até nos dias de hoje, nós procuramos governantes quenão tenham só conhecimentos para fazerem as coisas 42
  55. 55. O que é que realmente divide as pessoas?certas, mas também o poder ou força para as fazerem.Alguns governantes podem saber qual a acção que sedeve tomar, mas nenhum governante na história teveainda o poder e a sabedoria para produzir o estado dapaz eterna. O Príncipe da Paz tem ambas a Sabedoria e opoder para trazer a paz permanente a este mundo.Um dia Jesus retornará para governar o PlanetaTerra. Quando esse dia chegar, todas as fábricas dearmamento fecharão; todas as bombas atómicas queestam por explodir serão desmanteladas, e todos ossoldados ou guardas das fronteiras serão mandadospara as suas casas para sempre! O homem já demonstrou o quão inadequado e semprespectivas de bons resultados ele é, ao governar araça humana. Todos devem esperar pela Paz e justiçaaté que o próprio Príncipe da Paz domine o ceptro doimpério do universo! Então os homens converterão assuas armas em enxadões e as suas lanças em foices.Não levantará espada nação contra nação, nemaprenderão mais a guerrear (Isaías 2:4). Naquele diade paz: Porque a terra se encherá do conhecimentoda glória do Senhor, como as águias cobrem o mar(Habacuc 2:14). Não pode haver outra conclusãopara a história que pudesse satisfazer o Deus daeternidade. Mas antes desse dia de paz universal, sob a direcçãodo Nosso Senhor Jesus, a profunda e verdadeiradivisão entre os povos será vista claramente. E oconflicto que virá, será centralizado à volta da pessoade Nosso Jesus Cristo. 43
  56. 56. À Procura de Deus Portanto é muito importante que você tenha acerteza de quem é Jesus, o porquê da Sua vinda, e oque é que Ele fez por si, quando Ele aqui esteve. O livro do Génesis e o livro de S. João começamem maneiras semelhantes. No livro de Génesis nóslemos: No princípio, Deus criou os céus e a terra(Génesis 1:1). No livro de S. João nós lemos: Noprincípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus ... eo Verbo era Deus ... E todas as coisas foram feitas porEle (S. João 1:1,3). Deus que é chamado de Elohim emGénesis, é referido como ‘O Verbo’ no Evangelho deS. João. Elohim é a Palavra ou Verbo, e ele vestiu-sea si próprio com carne para andar entre a Sua própriacriação. O Verbo tornou-se em carne e viveu entre nós.No seu texto completo lê-se esta declaração pavorosa: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez ... Ele estava no mundo, e o mundo foi feito por Ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era Seu, e os seus não o reconheceram. Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no Seu nome ... E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigénito do Pai, cheio de graça e de verdade ... (S. João 1:1-3, 10-12,14). Como há muitos séculos atrás, Moisés e comoas pessoas desse tempo o discípulo Filipe também 44
  57. 57. O que é que realmente divide as pessoas?desejou saber como é que Deus é. O Filipe fez um especial pedido a Jesus quandoele disse: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta(S. João 14:8). Jesus suficientemente surpreendido,respondeu: Quem me vê a mim, vê o Pai (S. João14:9). Tal resposta tão surpreendente teria feito Jesusparecer-se com um idiota ou um enganador a não serse Ele fosse o próprio Deus. Ninguém seria capaz DeO acusar sériamente, em qualquer dos dois primeiroscasos. Se Ele não fosse Deus, Ele seria o maiorfalsificador ou impostor que o mundo já conheceu. Porisso nós temos que aceitar, que quando nós olhamospara Jesus, nós vemos Deus. É neste momento—a declaração de quem Jesusé—é que as pessoas começam a separarem-se. Numsentido, não é de se surpreender ou de admirar quandoJesus disse: Eu e o Pai Somos um (S. João 10:30),alguns encontraram Nele a resposta na sua procurapor Deus. Contudo, outros que não podiam concebera possibilidade de que Deus poderia ser tão humildedesta maneira, que reagiram duma maneira adversa.Jesus cativou alguns, mas Ele afastou outros; Apesarde haver aqueles que O seguiram, houve outros que Operseguiram e conspiraram a Sua morte. Até na Sua vida Jesus dividiu as pessoas. Eleclaramente declarou: Quem não está comigo está contra Mim (S. Mateus 12:30). Contudo, uma reacção inicial, não necessita deser uma resposta permanente. 45
  58. 58. À Procura de Deus Deixe-nos analisar um homem que era um inimigode Jesus e que se tornou num dos Seus discípulos.No princípio, Saul, que era um rabi judeu, detestavatanto os discípulos de Jesus, que ele os perseguiae até consentia que fossem mortos. Mas, depoisde se ter convertido, ele passou os seus restantesdias, venerando Jesus como o seu Senhor e Mestre.Eventualmente, ele alegremente sofreu grandestormentos, devido à sua lealdade para com Cristo. Oque é que foi diferente? Quando Saul, viajava para Damascus, ele viu“uma grande luz”. Aquela luz era tão brilhante queficou temporariamente cego. Saul intuitivamentesoube, contudo, que ele estava na presença de Deus. Usando a palavra grega de Yahweh, ele perguntou:Quem és tu, Senhor? Deus respondeu: Eu sou Jesus,a quem tu persegues (Actos 9:5). Naquele dia, Saul,soube que Yahweh e Jesus são um. Esta revelação mudou Saul, de ser um inimigode Jesus para se tornar no Apóstolo Paulo. A partirdaquele dia, ele dedicou completamente a sua vida aoNosso Senhor Jesus Cristo. Apesar de ele ter sofridomuito pela sua fé, ele passou o resto da sua vidaanunciando as Boas Notícias, que Deus tinha visitadoo Planeta Terra. A realidade de Jesus Cristo na vida dePaulo, transformou-o num dos maiores missionáriosde todos os tempos. As suas cartas estão cheias deconvicção que todas as coisas são criadas por Ele epara Ele, o Senhor Jesus Cristo (Colossenses 1:16). Como nós vimos, a Bíblia declara que Jesus deNazaré é o Deus o Filho, não é sómente um filho de 46
  59. 59. O que é que realmente divide as pessoas?Deus como os Mórmons, os Testemunhas de Jeováe muitos outros acreditam. Ele não foi sómente umprofeta de Deus, como o Islão ensina. Num esforçopara incluir os ensinamentos falsos de tais gruposmuitos escolhem em ignorar a revelação que Deus deude Si próprio. Isto é conhecido como ‘sincronização’o qual é definido no dicionário de Webster como um“tentado de combinar crenças diferentes.” Os Indus, por exemplo, reconheçem ‘Jesus’ porsimplesmente O adicionarem a eles, ao lado dosseus muitos ‘deuses’. Nós faremos bem em noslembrarmos que quando o Deus Elijah, o verdadeiroDeus vivo, confrontou os ídolos pagãs de Baal. Eledeitou-os ao chão, de faces para baixo, diante Dele. Damesma maneira todos os homens feitos pelos homemse todos os deuses concebidos pelos homens devemcair diante do Nosso Senhor Jesus Cristo, pois Ele é oDeus o Filho, que está eternamente com o Pai, e como Espírito Santo. Uma vez que nós compreendemos que JesusCristo é Deus, nós não devemos ter dificuldadesem acreditar no Seu nascimento virgem, e nos Seusmuitos milagres, na Sua morte e ressurreição, na Suaascenção aos Céus, e na Sua vinda breve à terra, empoder e glória. Porque Jesus Cristo, é ‘Muito Deus’,o criador do universo com todas as leis, e sistemas deapoio à vida, Ele transcendeu todas as leis, que Elepróprio criou, para os seus próprios objectivos de amore redenção. À volta da pessoa de Jesus de Nazaré, o mundoestá dividido. Os grupos separados estão alienados 47
  60. 60. À Procura de Deusuns dos outros, não consistem dos ‘teres’ e dos ‘nãoteres’, nem sequer dos que são politicamente fortes edos politicamente fracos, nem sequer de nações comideologias diferentes. A divisão real ou verdadeiraque existe, a qual foi causada quando Deus visitou aterra, é muito mais fundamental do que todas as outrasquestões que dividem a humanidade. Esta declaração definitiva, não é uma dramatizaçãoprofunda dos factos, pois o próprio Senhor Jesusdisse: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente Me amaríeis, pois Eu saí, e vim, de Deus; não vim de Mim mesmo, mas Ele Me enviou. Porque não entendeis a Minha linguagem? Por não poderdes ouvir a Minha palavra. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos do vosso pai; ele foi homícida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira (S. João 8:42-44). Será que é surpresa em se saber que assim comoexiste uma família de pessoas que acreditam quecujo Pai é Deus, assim também existe uma família depessoas que não acreditam, e que o seu cujo pai é odiabo? Nem todos são filhos de Deus. Pertencer-se àfamília de Deus ou à família do Satanás, estas são asalternativas eternas para ti e para mim. Não interessa o quão sincera a sua crença sejaacerca de Deus, você ainda pode estar ‘sinceramente’errado. É mentira, dizer-se que não interessa, o que é 48
  61. 61. O que é que realmente divide as pessoas?que uma pessoa acredita, desde que ela seja sincera. Damesma maneira, você pode comer veneno, enquantoque sinceramente estava a pensar que estava a tomarum remédio, mas ainda morreria! Honestamente, a raça humana está dividida emduas famílias. Todas as pessoas pertencem a umafamília ou à outra família: à Família de Deus ou àfamília do Diabo. É muito importante que você saibaa que família é que você pertence. E o primeiro passo,para se tornar num membro da família de Deus écompreender quem Deus é e o que é que Ele fez, aodar-nos o Seu Filho, Jesus. O nome ‘Jesus’ significa ‘Yahweh é salvação.’Então o anjo disse a José: ... E chamarás o Seu nome,JESUS; porque Ele salvará o seu povo dos seuspecados (S. Mateus 1:21). 49
  62. 62. À Procura de DeusPare para ponderar1. Desde o momento que seja sincero, será realmente importante que acredite em Deus?2. Qual é a causa principal da divisão entre as pessoas? Será que sejam causas políticas, económicas, domésticas ou industriais? Ou são causas espirituais e eternas?3. A qual das duas famílias que o Senhor Jesus descreveu, você gostaria de pertencer? 50
  63. 63. 51
  64. 64. Num sentido profundo da moral diabólica,mais do que qualquer outra coisa, subsiste o conhecimento da salvação de Deus.DR. ARNOLD (DIRECTOR DA RUGBY PUBLIC SCHOOL)
  65. 65. 5° C apítuloQual é, na realidade oproblema?N o princípio do vigésimo século, muitas pessoas estavam muito optimistas acerca do futuro destemundo. Elas acreditavam que se estava a entrar numaera dourada de paz e prosperidade. Muitos pensavamque as benções desta nova era, se poderia ver emtodos os países, mesmo nos países onde o desespero,as doenças e a pobreza absoluta provocavam umsofrimento indescritível. Mas, em 1914 as sirenes daguerra ouviram-se por toda a Europa. E hoje, ao terminar do vigésimo primeiro século,apesar de grandes e inacreditáveis descobertascientíficas, que nós testemunhámos, as pessoasparecem já não falarem dum futuro brilhante. Emvez, milhões de pessoas preocupam-se acerca dascapacidades absolutas das armas nucleares do arsenaldo mundo. A complexidade de ambos, do terrorismointernacional, e dos problemas nacionais causammuitos observadores pensativos em concluiremque nós vivemos num dos anos mais críticos eabsolutamente perigosos da história humana. Nós jáanalizamos a polarização das pessoas no mundo de 53
  66. 66. À Procura de Deushoje. O mesmo filamento da sociedade civilizada estásob ataque. O que se passou de errado? Num esforço para se responder a esta pergunta, oslíderes notáveis do mundo, encontram-se e dialogam.À medida que eles tocam nas questões e ouvem asteorias e propostas de cada um, o mundo continuaa mover-se de uma crise para outra. Indiferenteà quantidade de energia e ao dinheiro investido,ninguém parece ser capaz, de mudar a direcção queo mundo está a tomar. Os governadores e políticosdistinguíveis, cientistas e sábios brilhantes e homensde negócios perspicazes e banqueiros mundiais,reverentes doutores e sociólogos todos contribuiramcom os seus conhecimentos particulares. Ainda,nenhuma solução foi encontrada. E através destes homens de sabedoria, é raro, sealguma vez, a referência é feita ao que Deus declarou,ser o verdadeiro problema do homem—o problemabásico, que deve ser identificado, antes que umasolução seja encontrada. Só Deus, é que nos podefazer cientes ou sabedores dos nossos problemas reais.E é nesta altura que nós muitas vezes reconhecemosa diferença entre aqueles que realmente procuram aDeus, e aqueles que sómente têm uma curiosidadereligiosa. Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem(Genesis 1:26). Talvez pergunte: De que maneira é queo homem foi criado à imagem de Deus? Certamentenão à imagem física, pois o Senhor Jesus disse: Deus éEspírito (S. João 4:24). Deus não tem braços e pernase olhos como nós temos. E este Deus habita na luz 54
  67. 67. Qual é, na realidade o problema?inacessível, a quem nenhum dos homens viu nem podever (1 A Timóteo 6:16). Um homem invísivel nuncaexistiu. Portanto tem que existir algo mais valiosoacerca das pessoas do que os corpos em que elesvivem! É esta pessoa real que continua a viver, depoisdos corpos morrerem—a ‘pessoa’ que foi criada àimagem de Deus. A Bíblia revela que Deus tem uma mente, emoçõese força de vontade. E é nestas três áreas, que o homemfoi criado `a imagem de Deus. Porque Ele é Deus,contudo, o Seu intelecto, as Suas emoções e a Suavontade é infinita; noutras palavras, sem limites. Talé a Sua natureza. Pelo contraste, contudo, o homem éfinito. Até o brilhante Einstein teve uma mente finita.Nenhum homem pode saber tudo. Nenhum homempode amar sem limites, e definitivamente a vontade dohomem não é soberana no universo. Ele não é o mestreda sua sorte, nem sequer o capitão do seu destino. De outra maneira, a personalidade do homem, temuma capacidade espiritual de maneira a que seja capazde conheçer e de ter associacão com Deus. É por issoque a Bíblia clarifica que o homem é espírito e alma ecorpo (1 Aos Tessalonicences 5:23). Através do seu espírito, o homem tempossibilidades dadas por Deus, para se sentirintimamente relacionado com o Seu Criador. Atravésdo seu corpo, a personalidade do homem, (ou a almapor exemplo ou a sua capacidade de pensar, escolher ede amar) está relacionada com o mundo material. Desde o momemto que nós anotamos os registosBíblicos das prioridades as quais são pôrem o espírito 55
  68. 68. À Procura de Deusprimeiro, a alma em segundo e o corpo em terceirolugar, tudo está bem! Mas algo correu mal. Como resultado, paramuitas pessoas, a ordem está invertida: o corpotorna-se prioridade número um, a alma prioridadenúmero dois, e o espírito prioridade número três.Infelizmente no mundo de hoje, os interesses físicos,materiais e sensuais de muitas pessoas dominam osseus pensamentos, as suas decisões e as suas afeições,enquanto que as suas capacidades espirituais estãodormentes e mortas. Portanto, em vez de Deus,ser permitido em restaurar uma vida espiritual ede controlar a mesma pessoa que Ele criou, Ele ésecundário ou até é rejeitado, até chegar ao ponto denão poder haver comunicação entre estas pessoas queestão mal orientadas, e o seu Criador. A pessoa para a qual Deus está distante e não éreal, está de facto morta espiritualmente. Por outrolado, a pessoa que goza uma associação ou amizadecom Deus, está na verdade completamente vivo. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, mesmo quando estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (Aos Efésios 2:4,5). Todos os problemas deste mundo começaramna vontade do homem. Deus não criou as pessoaspara serem fantoches, os quais são incapazes de semovimentarem sem a vontade do outro. Ao puxar as 56
  69. 69. Qual é, na realidade o problema?cordelinhos as pessoas que manobram os fantoches,controlam todos os movimentos que o fantoche faz.Deus, por outro lado, deu-nos uma livre vontade, paraescolhermos o nosso comportamento. Mas com aoferta dessa livre vontade, nós também nos tornamosmoralmente responsáveis pelas decisões que fazemos.(Isso é o que dificilmente que se ouve dos psiquiátrasque ignoram a verdade da Bíblia.) A tragédia de primeira ordem aconteceu na raçahumana depois do homem ter sido criado. Entreas árvores do Jardim do Eden havia duas árvoresespeciais. Uma chamada A árvore da Vida; a outra, Aárvore do Conhecimento do Bem e do Mal. (Génesis2:9). Deus disse ao Adão e à Eva que eles podiamcomer de todas as árvores, excepto da Árvore doConhecimento do Bem e do Mal. E ao dar-lhes estaescolha, a escolha entre a obediência e a desobediência,Deus foi muito claro ao dizer que foi Ele que criou ohomem—o homem e a mulher—com uma livrevontade. Estava absolutamente à sua recreação se elesqueriam obedecer a Deus ou desobedecer a Deus. Istoera a sua própria decisão pessoal. Tristemente, o Adão e a Eva revoltaram-se contrao melhor que Deus pôs à disposição dos homens.Deus sabia de antemão que a sua decisão em seremdesobedientes traria a Si próprio um sofrimentoindescritível, e que havia de trazer dor a todos oshomens. Mas, no Seu amor pela Sua criação e sabendoque a glória que mais tarde viria estar à disposiçãodaqueles que fariam a escolha certa, Deus deu a todasas pessoas a liberdade de escolha. 57
  70. 70. À Procura de Deus O Satanás o mentiroso, usou a sua influênciapersuasiva em tentar o Adão e a Eva para fazerema escolha errada. Ele embelezou a fruta proíbida,sugerindo que se eles comessem essa fruta eles seriamparecidos a Deus. (Satanás ainda sugere que o homempode ser o seu próprio Deus. Mas conforme Deus éDeus e nunca pode ser menos que Deus, portanto ohomem é homem e nunca pode ser mais do que umhomem). Contudo, o Satanás seduziu o Adão e a Evaem executar a sua vontade contra a vontade de Deus.Como resultado, cada nova geração de pessoas estãoseparadas duma vital, pessoal e associação com oCriador, porque todas a gerações descendem de Adão.E: Pelo que, como por um homem entrou um pecadono mundo, e pelo pecado a morte, assim, também, amorte passou a todos os homens, por isso que todospecaram (Aos Romanos 5:12). Todos os cemitérios, todos os hospitais, todos osexércitos e todas as prisões que o mundo já teve, é oresultado da escolha errada do homem no princípioda criação. Este diabo fatal, na raça humana, que nóschamamos de pecado, é uma doença inata que está aafectar todos os povos. Não sómente, o pecado cortouseveramente a associação com Deus, mas também oafastou do seus homens semelhantes. Mas, tu e eu não somos só pecadores pornascimento, nós também somos pecadores poracções. Tanto quanto se relaciona com o nosso nascimento,o salmista comunicou-nos a todos nós, quando 58
  71. 71. Qual é, na realidade o problema?ele disse: Eis que em iniquidade fui formado e empecado me concebeu minha mãe (Salmo 51:5). Masesta condição herdada do pecado, não significa umadesculpa para os actos do pecado, que nós todos jácometemos. A Bíblia também afirma que nós somos—Os filhos da desobediência ... Entre os quais todosnós, também, antes andávamos, nos desejos da nossacarne e dos pensamentos; e éramos, por natureza,filhos da ira, como os outros também (Aos Efésios2:2,3). Sim, nós somos culpados diante de Deus, porcausa da nossa própria desobediência. Ninguém maispode ser culpado—nem a mulher, nem o amigo nemos pais. Até os nossos antecedentes, ou o ambienteem que nós vivemos não podem ser culpados. Tu ésresponsável pelos teus próprios pecados, assim comoeu sou responsável pelos meus. A razão principal que nós vimos tanta hostilidadee divisão entre as pessoas é porque o pecado é odenominador comum de todos nós. O pecado liga umateu a um crente e um árabe a um judeu. O pecadoliga as pessoas do Terceiro Mundo ás pessoas domundo industrial. O pecado liga o comunista a umcapitalista, um polícia a um criminoso, e um feministaa um homem chauvinista. As pessoas, quer que sejamprostitutas ou pregadores, quer que eles vivam noalto luxo ou em profunda pobreza, quer que sejaminstruídas ou analfabetas todos pecaram e destituídosestão da glória de Deus (Aos Romanos 3:23). Eo pecado é a causa básica de todas as tensões queexistem entre os homens. 59
  72. 72. À Procura de Deus Mas Jesus é a esperança dos pecadores! Eledisse: Porque eu não vim a chamar os justos, mas ospecadores, ao arrependimento (S. Mateus 9:13). Querseja por uma pequena ou longa distância, você e euperdemos a marca da santidade de Deus. A palavra‘pecado’ simplesmente significa ‘perder a marca’. Pornós próprios nós não conseguimos nada para corrigirisso. É uma esperança vã, pensar que nós podemosencontrar a paz de Deus, só sendo-se bom ou fazer-seo bem. Para se encontrar a paz com Deus é: Não vemdas obras, para que ninguém se glorie (Aos Efésios2:9). Por isso que quando falou da salvação, Jesusdisse: Misericórdia quero, e não sacrifício (S. Mateus9:13). Uma verdadeira compreensão para a misericórdiade Deus, traz um alívio extraordinário para as pessoasque estão fortemente agarrados pela seriedade dosseus pecados pessoais. Porque Deus é riquissímo em misericórdia (AosEfésios 2:4), tudo o que Ele pede, é que recebas asalvação como Sua oferta. Porque pela graça soissalvos. Por meio da fé, e isto não vem de vós: é umdom de Deus (Aos Efésios 2:8). O próprio Jesus,pagou com o sacrifício supremo para abrir a porta paraos pecadores estarem na presença divina de Deus. O Deus da misericórdia fez agora a vida abundante,ao alcançe gratuito de todos, através do Nosso SenhorJesus Cristo. Mas porque Ele deu-lhe uma vontade,Deus não o força em participar dessa vida. Da maneiracomo você irá reagir à oferta de Deus, da sua graça quenada tem a pagar é uma questão de grande urgência. 60
  73. 73. Qual é, na realidade o problema?Deus disse: nOuvi-te em tempo aceitável, e socorri-teno dia da salvação (2 Aos Coríntios 6:2). Agora—nãoum dia qualquer no futuro, depois de ter tentado emendireitar a sua vida por si próprio. Lembre-se queJesus disse: Porque eu não vim a chamar os justos,mas os pecadores (S. Mateus 9:13). Ser-se sincero acerca do seu verdadeiro problema,o problema do pecado, é o primeiro passo a tomarem direcção da sua solução. Os braços de Jesus,estão abertos para hoje o receber, qualquer que seja asituação em que se encontre, ou qualquer estado emque se encontre. Tudo o que Ele quer ouvir de si é oseguinte: Ó Deus, tem misericórdia de mim, o pecador(S. Lucas 18:13). Uma carta da prisão Max CA texto seguinte entre aspas foi recebido dum prisioneiro que se encontra numadas prisões com maior segurança na África do Sul. “O livro À procura de Deus ... ajudou-me em compreendera Palavra de Deus. Eu quero dizer, que este livro, ajudou-me aencontrar o verdadeiro caminho da vida. Eu acredito que você mecompreende. O meu amigo deu-me este livro ... Eu acredito queDeus é o Criador de todo o universo. Eu acredito que Deus meajudará agora que eu me encontro na prisão ...” – Reportagem submetida pelo Trans World Radio 61
  74. 74. À Procura de DeusPare para ponderar1. Tem a percepção, que hoje há algo tragicamente de errado com a sociedade?2. Quando está doente, é importante que o seu médico correctamente diagnostique a sua doença antes de lhe dar remédios?3. Como é que a Bíblia: Diagnostica o seu problema? Prescreve a medicação para o seu problema? 62
  75. 75. 63
  76. 76. Agora, havia um certo homem, que se chamava Simão, que em tempos outroraspraticava magia na cidade, e surpreendendo as pessoas da Samaria, que se consideravaem sendo o maior; e todos eles, desde o mais pequeno ao maior, prestavam-lhe atenção, diziam ‘Este homem é o que se chama o Grande Poder de Deus.’ DR. LUKE
  77. 77. 6° C apítuloPorque é que aspessoas estão tão malinformadas?Q uando eu era menino, eu vivi numa parte das Ilhas Britãnicas, sobre a qual os aviõesde bombardeamento inimigo contínuamente,sobrevoavam. Era o tempo da Guerra, e estesbombardeiros estavam no seus caminhos em direcçãoás areas em foco na zona industrial do centro e donorte da Inglaterra. Eu e os meus amigos, aprendemosa distinguir o zumbido dos bombardeiros inimigose o barulho dos nosso próprios aviões de Guerra.Quando nós víamos os holofotes iluminar um aviãoinimigo nos céus, nós ficávamos muito excitados. Nóssabíamos que as armas ‘Ack-Ack’ no chão ou uma‘luta aérea’, e por vezes como resultado final de umdos aviões ficar completamente destruido. Com a destruição dum avião inimigo, haviasempre a possibilidade de que alguns dos membrosda tripulação se pudessem salvar ao mandarem-senum pára-quedas. Para se fazer a vida díficil para ossobreviventes, para encontrarem o seu caminho e desse 65
  78. 78. À Procura de Deusmodo se escaparem e talvez retornarem com outroscarregamentos de bombas as autoridades destruíamos letreiros nas intersecções das ruas. Deste modo,práticamente não havia nenhums letreiros nas ruas. Contudo, nós rapazes sabíamos que fora da cidade,em Wootten Woods, ainda havia um letreiro pequeno,numa intersecção insignificante. Quando nós virámosaquele letreiro ao contrário e apontámos na direcçãoerrada, nós pensámos que na verdade nós estávamos aajudar o esforço da guerra. Nós, assim como as autoridades, queríamosconfundir todos os hóspedes que não eram bem-vindosnas nossas margens. Com certeza, se tal pessoa tivesseum mapa de confiança nas suas mãos, o facto de nãohaver letreiros nas intersecções, não apresentariamnenhuns problemas. Até a nossa idea de rapazolas, devirar os letreiros ao contrário, não teria feito confusãoao inimigo, a não ser que ele tivesse ignorado asinformações do seu mapa. Deus, fala-nos das espécies de pessoas, que na suabusca por Deus, serão mal informadas ou mal guiadaspor um falso letreiro. Para começar, qualquer pessoa que escolhe emignorar o facto que a existência deste maravilhosouniverso aponta para o Deus Criador tornar-se-á narealidade confusa! Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos ... e, como eles se não importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso ... (Aos Romanos 1:22,28). 66
  79. 79. Porque é que as pessoas estão tão mal informadas? E aquela mente depravada adorará os trabalhos dacriação, em vez do Próprio Criador. Um homem comum pensar claro, por outro lado, adorará o Criador.Deste modo, se você se recusar em acreditar queDeus criou o universo, Deus o entregará a uma mentecorrupta e o deixará acreditar numa idea tola acercada origem do universo. Uma mente depravada é umamente iludida ou enganada! Deus também avisa as pessoas, que se recusam emaceitar a Palavra de Deus como sendo a verdade, queelas seguirão prontamente num caminho deceptivo,num caminho que as levará à sua própria destruição. Narealidade, qualquer pessoa que escolha positivamentee activamente em não amar a verdade da Palavra deDeus, põe-se numa posição muito perigosa. Porque não receberam o amor da verdade para se salvarem ... E por isso Deus, lhes enviará a operação do erro, para que creiam na mentira ... (2 Aos Tessalonicenses 2:10,11). Uma vez, que uma pessoa tenha ignorado ourejeitado a verdade, ela prontamente abraça aquiloque é falso. Eu lembro-me bem, que uma vez quando eutentava encontrar o caminho para casa, através dumnevoeiro denso de Londres. Só para encontrar o meucaminho, à borda da estrada, eu precisava de toda aajuda possível. Até a luz do meu toche não se podiaver quando eu focava à distância de um braço. Deusdiz-nos, que uma grande ilusão, o que é realmente 67
  80. 80. À Procura de Deusparecida como um névoa mental, irá acompanhar ofim desta ordem presente das coisas no planeta terra,porque as pessoas terão rejeitado a verdade da Palavrade Deus. Os discípulos de Jesus perguntaram-Lhe,qual será o sinal da Tua vinda, e o sinal do fim detodos os tempos? Entre outras coisas Ele respondeu: Porque existirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos (S. Mateus 24:24). Mesmo agora, talvez esteja a dizer para si próprio:“Bem, eu não estou enganado.” Talvez até tenhaorgulho no facto que você pode fácilmente reconhecerum falso Cristo ou um falso profeta Mas pare por ummomento, e pense acerca da sua conclusão. Se, porquevocê não amou a verdade, Deus permitiria a Satanáspara enganar a sua mente, você certamente não seaperceberia disso. Se na realidade, soubesse que algumfalso profeta o tinha enganado, você na realidade nãotinha sido enganado, neste caso. Todo o engano, temque ser na mente, e alguém que é intelectualmenteorgulhoso achará díficil aceitar que a sua mente foiludibriada em acreditar numa mentira. Existem realmente dois tipos de pessoas queresistirão à verdade quando elas lêm a Bíblia, e assimabrirem-se às decepções ensinadas pelo mundo.Uma é a pessoa que é intelectualmente orgulhosa eaparentemente auto-suficiente. A outra é a pessoa que 68
  81. 81. Porque é que as pessoas estão tão mal informadas?é moralmente desobediente. Mas para todas as pessoasque realmente desejam fazer a vontade de Deus, oNosso Senhor Jesus tem uma promessa especial: “Sealgum homem quiser fazer a vontade dele, pela mesmadoutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo demim mesmo ...” (S. João 7:17). Se realmente deseja fazer a vontade de Deus, podeter a garantia que através da Bíblia Deus ensina-lo-áem o que acreditar e em o que não acreditar, e em comose deve comportar e em como não se deve comportar. Contudo, nós ainda devemos ter cuidado pararejeitar as palavras daqueles tais professores religiososque se nomearam a si próprios, mas que não ensinama verdadeira Palavra de Deus, e em vez disso, tentarãofazê-lo acreditar e praticar as coisas erradas. Nesta geração, alguns dos agentes de Satanás queapontam pessoas na direcção errada, são membros doscultos pseudocristãos. Qualquer pessoa que escolheuem rejeitar a verdade acerca de Deus o Pai, Deus oFilho e Deus o Espírito Santo—Três num e Um emTrês—é um falso profeta. Apesar que tais pessoascitem alguns versos isolados da Bíblia, eles totalmentedivorciam o texto do contexto e portanto promovemuma religião não-Bíblica. Você, pode sempre detectarum falso professor ao perguntar-lhe: “Quem é JesusCristo?” Isso é parte da razão do porquê de ser tãoimportante, que você saiba quem Ele é. Quando realmente saber que Jesus, é o Deus o Filho,até as sociedades secretas que têm uma camaradagem 69

×