SlideShare uma empresa Scribd logo
(In)disciplina e Violência na Escola Sociologia da Educação Docente: Dr.ª Márcia Cardoso Discente: Sónia Costa Escola Superior de Educação do Porto
(In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ A palavra disciplina pode ter dois significados: Nome que se pode dar a qualquer área de conhecimento estudada e ministrada num ambiente escolar ou académico; Ou é utilizada para indicar, em educação, a disposição dos alunos em seguir os ensinamentos e as regras de comportamento.  Wikipédia: Autor desconhecido
Indisciplina: Uma das mais comuns definições de indisciplina é quando o aluno impede que a escola cumpra os seus objectivos. Mas para que essa indisciplina aconteça ela tem origem em três aspectos: na escola, no professor e no aluno. - Na escola: quando não oferece a perspectiva de construir regras de convívio e de interacção. Pois a escola precisa de regras e normas que orientem o seu funcionamento e a sua convivência entre a comunidade escolar. Nesse sentido, as normas passam a ser compreendidas como condição necessária ao convívio social e escolar; Wikipédia: Autor desconhecido (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
- No professor: quando não constrói uma aula significativa, quando tolera que um aluno “quebre” regras estabelecidas. Um dos factores que mais estimula a indisciplina, ou a falta de consideração dos alunos pelo professor é a falta de coerência entre o que o professor diz e o que ele faz, entre os valores que ele tenta transmitir aos alunos e os que ele mesmo vive. Wikipédia:Autor desconhecido (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
No aluno: quando procura capturar atenção do professor ou certas posturas que a escola tem, desde que estes valores sejam cultivados.  Muitas crianças têm uma educação familiar totalmente autoritária, estão acostumadas a serem indisciplinadas e a receberem severos castigos. Por esta razão não conseguem viver num ambiente democrático. Mas também há, muitos pais que acabam por dar liberdade excessiva aos seus filhos, criando-os  indisciplinados, que não conseguem conviver com obrigações rotineiras e sentem-se frustrados quando não são o centro das atenções.  Wikipédia: Autor desconhecido (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Ou seja, as crianças precisam de ter regras (que impliquem valores e normas de conduta) e estas têm de surgir dos seus educadores, pais ou professores.  (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Nos dias de hoje, a indisciplina na Escola merece uma grande atenção por parte da sociedade. Com muita frequência realiza-se Conselhos disciplinares, polícia na escola, reforço de estruturas físicas em torno das escolas, por outro lado, organização de encontros, seminários, conferências, acções de formação, etc. Ao contrário do que se pensa, essa sensibilidade por parte da sociedade em relação ás questões da violência e indisciplina facilmente levam os alunos a gerar e amplificar ainda mais estas situações do que a suaviza-las.  * Correia, José Alberto et al (2003) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
A principal preocupação da Escola é a transmissão de conhecimentos, isto é, privilegia a dimensão cognitiva, esquecendo por vezes outras dimensões humanas indispensáveis para assegurar as competências sociais, técnicas, económicas e culturais, fundamentais para uma boa integração do indivíduo na sociedade actual. A importância da dimensão cognitiva é realmente importante, visto que é à Escola que compete assegurar.   Correia, José Alberto et al (2003) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
O  saber escolar  tem vindo a sofrer diversas alterações, visto que cada vez mais as funções da Escola são complexas nos domínios da regulação moral, legitimação política e da integração social onde a família, a religião ou as comunidades locais também podem contribuir para o desenvolvimento do indivíduo. Se a Escola tem de assegurar ao mesmo tempo o  saber escolar  e todas aquelas funções, o seu papel vai ser cada vez mais indistinguível entre  sucesso escolar  e  sucesso educativo .  ** Correia, José Alberto et al (2003) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
A disciplina/saber e a disciplina/comportamento sempre foi uma das constantes da escola, historicamente, era algo natural e não problemática encontra-se, hoje, profundamente alterado. A indisciplina, quando existia não constituía problema escolar, mas apenas uma questão comportamental de natureza individual. Hoje, a indisciplina já não é uma questão comportamental, tornou-se para grupos consideráveis da população escolar uma forma social de expressão, um modo de existência, uma cultura.   Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
A  universalização da escola, é também, a universalização da disciplina enquanto isso significa um programa social de moralização orientado em termos do bem e do mal que, contudo, já não tem a suportá-lo, pelo menos formalmente, um quadro estável de valores externos, social e institucionalmente protegido (nas famílias, nas igrejas ou no trabalho) que houvesse de ser interiorizado e reproduzido, como acontecia na existência clássica da escola. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
O aumento dos comportamentos de indisciplina e violência nas escolas tem vindo a ocorrer a largos passos, sobretudo nos últimos anos. Muitos professores, confrontados com tais comportamentos, sentem-se ansiosos antes de entrar na aula, durante a aula e depois das aulas.  Os pais receiam pelo que possa acontecer aos seus filhos.  Os alunos sentem um clima de insegurança e medo nas escolas.  *** Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Para alguns indivíduos, a escola é um problema, porque chegam lá e são sujeitos às suas práticas como, desde sempre, tivessem vivido no seio delas. Convém reflectirmos na violência que estas práticas acarretam na vida do indivíduo, porque não somos todos iguais, isto é, as competências cognitivas diferem de indivíduo para indivíduo e podem causar desigualdades entre os alunos se não forem tidas em conta pela ESCOLA.  **** (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ Veiga, Feliciano Henriques (2001)
O stress relacionado com a indisciplina é o factor mais influente no fracasso dos professores, sobretudo nos professores mais jovens e durante os primeiros dez anos de actividade profissional.  (Dortu, 1993; Galloway, 1987; Jesus, 1999; Veiga, 1995)  (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Poderemos perguntar:  Qual o maior factor da indisciplina escolar ou da violência juvenil?  Para uns é a falta de perspectivas quanto ao futuro, para outros um sintoma de rupturas. Num mundo cada vez mais global, a prevenção da indisciplina e da violência requer a família, em primeiro lugar e depois a escola, num apelo a cada um de nós, professores. A escola deve assumir a sua responsabilidade na formação da consciência moral dos jovens, quer através do tipo de conteúdos que ensina, quer através da maneira como tais conteúdos são transmitidos.  É aqui que surge a importância da comunicação, vivenciada, de escuta e de apoio, como poderoso instrumento de intervenção na disciplina escolar. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Em certas famílias e em algumas escolas continuam a existir as punições corporais. Alguns pais mantêm-se presos aos conteúdos autoritários do passado. Ignoram ainda, ou nem se lembram que a relação autoritária inibe a troca de argumentos e a educação.  (Oliveira, 1994; Teixeira, 1995; Veiga, 1997) O tempo de comunicação entre pais e filhos ou entre professores e alunos, aparece como escasso e não significativo. A falta de diálogo e reconhecimento afigura-se-nos como uma das maiores causas que leva os jovens a tomarem atitudes extremas e violentas . Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Numa época em que a escolaridade obrigatória força os alunos a irem à escola, muitos deles são maltratados, porque não se portam adequadamente. As escolas devem também ser responsabilizadas e os professores devem desenvolver estratégias para lidar com os comportamentos inadequados. Muitos alunos não aprendem, não porque não tenham capacidades para aprender, mas porque alguém os convenceu de que não tinham capacidades para aprender. Muitos alunos abandonam a escola convencidos de que “não têm cabeça” para a escola, não porque não tenham capacidades, mas porque alguém os foi levando a verem-se como sujeitos sem valor. Muitos destes alunos, assim excluídos, vão engrossar a marginalidade social.  Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Outros alunos permanecem na escola, mas, com os seus actos de extrema indisciplina e violência, impedem o funcionamento das aulas, danificam materiais e martirizam a vida dos professores. Face a um aluno indisciplinado, a primeira atitude a tomar é examinar a forma como se comunica com o aluno. A maneira como o professor comunica pode ter uma influência decisiva, poderá afectar a vida do aluno, para bem ou para mal, com o objectivo de chegar à mente de um aluno, o professor deve primeiro conquistar o seu coração.  Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
Tomás, 16 anos, acabava de receber uma nota negativa num exame de línguas. O professor escrevera estas palavras na sua prova:  “ Tudo muda; só a ignorância permanece. Tu és um exemplo perfeito desta imutabilidade”. O que pensam a cerca da mensagem deste professor? Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
(In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ Meninos cujos pais tão cedo saem De noite para longe ir trabalhar, Sem puder ver como tão bem vos caem As roupas que p’ra escola ides levar, Nem um beijinho em vosso rosto quente Nem um adeus de mão ao longe dar -Lembrai-vos que p’ra vos dar de presente O que ninguém lhes pode ofertar. Ó pais que só pensais em trabalhar Sem tempo para estar com vossos filhos, Lembrai-vos que não basta só amar! Será que à terra basta um bom lavrar? Será que bastam às flores do sol os brilhos? Sem água... O campo nada pode dar! Feliciano H. Veiga (2000)  Ó PAIS QUE SÓ PENSAIS EM TRABALHAR! COMENTÁRIOS AO POEMA
(In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ Bibliografia CORREIA, José Alberto et al (2003), Violência e Violências da e na Escola, Porto, Afrontamento VEIGA, Feliciano Henriques, Indisciplina e violência na escola, Práticas comunicacionais para professores e pais, 2ºedição, Almedina(2001)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Indisciplina na Sala de Aula
Indisciplina na Sala de AulaIndisciplina na Sala de Aula
Indisciplina na Sala de Aula
Raquel Camacho
 
PROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativa
PROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativaPROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativa
PROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativa
Marceliany Farias
 
Indisciplina na escola
Indisciplina na escolaIndisciplina na escola
Indisciplina na escola
Polly Lirio Rocha
 
A Indisciplina na Sala de Aula
A Indisciplina na Sala de AulaA Indisciplina na Sala de Aula
A Indisciplina na Sala de Aula
José Vaz
 
Projeto Nova Disciplina
Projeto Nova DisciplinaProjeto Nova Disciplina
Projeto Nova Disciplina
colegioloyolabh
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
Alice Bispo
 
Projeto Indisciplina x Aprendizagem
Projeto Indisciplina x AprendizagemProjeto Indisciplina x Aprendizagem
Projeto Indisciplina x Aprendizagem
celiaregiane
 
Indisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamental
Indisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamentalIndisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamental
Indisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamental
elianabizarro
 
A indisciplina na escola
A indisciplina na escolaA indisciplina na escola
A indisciplina na escola
Jessica Fonseca
 
Como se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplinaComo se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplina
Docência "in loco"
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
Carla Choffe
 
Slide da apresentação
Slide da apresentaçãoSlide da apresentação
Slide da apresentação
Teresa Cristina Gonçalves Leopoldo
 
INDISCIPLINA
INDISCIPLINAINDISCIPLINA
INDISCIPLINA
Glaucia Oliveira
 
A Indisciplina e o Processo Educativo.
A Indisciplina e o Processo Educativo.A Indisciplina e o Processo Educativo.
A Indisciplina e o Processo Educativo.
Natália Lopes
 
Indisciplina Na Sala de aula - Powerpoint
Indisciplina Na Sala de aula - PowerpointIndisciplina Na Sala de aula - Powerpoint
Indisciplina Na Sala de aula - Powerpoint
davidqwerty
 
Como se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplinaComo se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplina
Escola Estadual Deputado Emílio Justo
 
Indisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aulaIndisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aula
Natália Lopes
 
Apresentação projeto indisciplina
Apresentação projeto indisciplinaApresentação projeto indisciplina
Apresentação projeto indisciplina
bernadetefischerkrauze
 
A indisciplina na sala de aula
A indisciplina na sala de aulaA indisciplina na sala de aula
A indisciplina na sala de aula
Cida Queirós
 
Questionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplinaQuestionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplina
Teresa Moreira
 

Mais procurados (20)

Indisciplina na Sala de Aula
Indisciplina na Sala de AulaIndisciplina na Sala de Aula
Indisciplina na Sala de Aula
 
PROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativa
PROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativaPROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativa
PROJETO INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL - justificativa
 
Indisciplina na escola
Indisciplina na escolaIndisciplina na escola
Indisciplina na escola
 
A Indisciplina na Sala de Aula
A Indisciplina na Sala de AulaA Indisciplina na Sala de Aula
A Indisciplina na Sala de Aula
 
Projeto Nova Disciplina
Projeto Nova DisciplinaProjeto Nova Disciplina
Projeto Nova Disciplina
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
 
Projeto Indisciplina x Aprendizagem
Projeto Indisciplina x AprendizagemProjeto Indisciplina x Aprendizagem
Projeto Indisciplina x Aprendizagem
 
Indisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamental
Indisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamentalIndisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamental
Indisciplina escolar sentidos_atribuidos_alunos_ensino_fundamental
 
A indisciplina na escola
A indisciplina na escolaA indisciplina na escola
A indisciplina na escola
 
Como se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplinaComo se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplina
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
 
Slide da apresentação
Slide da apresentaçãoSlide da apresentação
Slide da apresentação
 
INDISCIPLINA
INDISCIPLINAINDISCIPLINA
INDISCIPLINA
 
A Indisciplina e o Processo Educativo.
A Indisciplina e o Processo Educativo.A Indisciplina e o Processo Educativo.
A Indisciplina e o Processo Educativo.
 
Indisciplina Na Sala de aula - Powerpoint
Indisciplina Na Sala de aula - PowerpointIndisciplina Na Sala de aula - Powerpoint
Indisciplina Na Sala de aula - Powerpoint
 
Como se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplinaComo se resolve a indisciplina
Como se resolve a indisciplina
 
Indisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aulaIndisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aula
 
Apresentação projeto indisciplina
Apresentação projeto indisciplinaApresentação projeto indisciplina
Apresentação projeto indisciplina
 
A indisciplina na sala de aula
A indisciplina na sala de aulaA indisciplina na sala de aula
A indisciplina na sala de aula
 
Questionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplinaQuestionário sobre indisciplina
Questionário sobre indisciplina
 

Destaque

Indisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aulaIndisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aula
Natália Lopes
 
Questionário sobre indisciplina na escola
Questionário sobre indisciplina na escolaQuestionário sobre indisciplina na escola
Questionário sobre indisciplina na escola
anappauladias
 
Indisciplina e violência na escola
Indisciplina e violência na escolaIndisciplina e violência na escola
Indisciplina e violência na escola
lucia_nunes
 
Projeto indisciplina na escola emapa
Projeto indisciplina na escola   emapaProjeto indisciplina na escola   emapa
Projeto indisciplina na escola emapa
EMBcae consultoria e assessoria educacional
 
Estás a desafiar me - indisciplina jcp
Estás a desafiar me - indisciplina jcpEstás a desafiar me - indisciplina jcp
Estás a desafiar me - indisciplina jcp
Universidade Católica Portuguesa
 
Projeto Arte sim, Violência não
Projeto   Arte sim, Violência nãoProjeto   Arte sim, Violência não
Projeto Arte sim, Violência não
Washington Luiz Ribeiro
 
Violencia Na Escola. Carol E Patti
Violencia Na Escola. Carol E PattiViolencia Na Escola. Carol E Patti
Violencia Na Escola. Carol E Patti
gatocachorro
 
Juventude em marcha contra a violência abertura e oração
Juventude em marcha contra a violência   abertura e oraçãoJuventude em marcha contra a violência   abertura e oração
Juventude em marcha contra a violência abertura e oração
Fabio Sexugi
 
violência na escola
violência na escolaviolência na escola
violência na escola
Maria Fernanda Faveret Ferreira
 
Orientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolar
Orientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolarOrientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolar
Orientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolar
Psicanalista Santos
 
Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolar
ProgramaEscolasTEIP
 
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
Psicanalista Santos
 
Métodos e Modelos de ensino
Métodos e Modelos de ensinoMétodos e Modelos de ensino
Métodos e Modelos de ensino
Universidade de Lisboa
 
Indisciplina escolar -_acoes_e_intervencoes
Indisciplina escolar -_acoes_e_intervencoesIndisciplina escolar -_acoes_e_intervencoes
Indisciplina escolar -_acoes_e_intervencoes
Rafaela Freitas
 
Power Point Mediação
Power Point MediaçãoPower Point Mediação
Power Point Mediação
tlvp
 
Projeto combate à violência escolar
Projeto combate à violência escolarProjeto combate à violência escolar
Projeto combate à violência escolar
Ministério Público de Santa Catarina
 
Conteudos
ConteudosConteudos
Conteudos
Silvia Lino
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
guest1c37d0
 
Ap mat 5 ano mod ii prof
Ap mat 5 ano mod ii profAp mat 5 ano mod ii prof
Ap mat 5 ano mod ii prof
con_seguir
 
Violência Escolar
Violência EscolarViolência Escolar
Violência Escolar
annokax
 

Destaque (20)

Indisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aulaIndisciplina na sala de aula
Indisciplina na sala de aula
 
Questionário sobre indisciplina na escola
Questionário sobre indisciplina na escolaQuestionário sobre indisciplina na escola
Questionário sobre indisciplina na escola
 
Indisciplina e violência na escola
Indisciplina e violência na escolaIndisciplina e violência na escola
Indisciplina e violência na escola
 
Projeto indisciplina na escola emapa
Projeto indisciplina na escola   emapaProjeto indisciplina na escola   emapa
Projeto indisciplina na escola emapa
 
Estás a desafiar me - indisciplina jcp
Estás a desafiar me - indisciplina jcpEstás a desafiar me - indisciplina jcp
Estás a desafiar me - indisciplina jcp
 
Projeto Arte sim, Violência não
Projeto   Arte sim, Violência nãoProjeto   Arte sim, Violência não
Projeto Arte sim, Violência não
 
Violencia Na Escola. Carol E Patti
Violencia Na Escola. Carol E PattiViolencia Na Escola. Carol E Patti
Violencia Na Escola. Carol E Patti
 
Juventude em marcha contra a violência abertura e oração
Juventude em marcha contra a violência   abertura e oraçãoJuventude em marcha contra a violência   abertura e oração
Juventude em marcha contra a violência abertura e oração
 
violência na escola
violência na escolaviolência na escola
violência na escola
 
Orientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolar
Orientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolarOrientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolar
Orientação educacional – mediação e intervenção diante da indisciplina escolar
 
Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolar
 
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...Projeto para o tcc   orientação educacional – mediação e  intervenção diante ...
Projeto para o tcc orientação educacional – mediação e intervenção diante ...
 
Métodos e Modelos de ensino
Métodos e Modelos de ensinoMétodos e Modelos de ensino
Métodos e Modelos de ensino
 
Indisciplina escolar -_acoes_e_intervencoes
Indisciplina escolar -_acoes_e_intervencoesIndisciplina escolar -_acoes_e_intervencoes
Indisciplina escolar -_acoes_e_intervencoes
 
Power Point Mediação
Power Point MediaçãoPower Point Mediação
Power Point Mediação
 
Projeto combate à violência escolar
Projeto combate à violência escolarProjeto combate à violência escolar
Projeto combate à violência escolar
 
Conteudos
ConteudosConteudos
Conteudos
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
 
Ap mat 5 ano mod ii prof
Ap mat 5 ano mod ii profAp mat 5 ano mod ii prof
Ap mat 5 ano mod ii prof
 
Violência Escolar
Violência EscolarViolência Escolar
Violência Escolar
 

Semelhante a (In)Disciplina Na Escola Comp

Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8
Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8
Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8
ANA GRALHEIRO
 
(In)disci..
(In)disci..(In)disci..
(In)disci..
Luciana
 
(In)disci..
(In)disci..(In)disci..
(In)disci..
Luciana
 
UFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptx
UFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptxUFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptx
UFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptx
analaco
 
Ética na escola.ppt
Ética na escola.pptÉtica na escola.ppt
Ética na escola.ppt
WennerPinheiro1
 
Trabalho insucesso escolar
Trabalho insucesso escolar Trabalho insucesso escolar
Trabalho insucesso escolar
Raquel Camacho
 
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
Azul Assessoria Acadêmica
 
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
Azul Assessoria Acadêmica
 
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
Azul Assessoria Acadêmica
 
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
Azul Assessoria Acadêmica
 

Semelhante a (In)Disciplina Na Escola Comp (20)

Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8
Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8
Indisciplina na-escola-comp-1213960488443201-8
 
(In)disci..
(In)disci..(In)disci..
(In)disci..
 
(In)disci..
(In)disci..(In)disci..
(In)disci..
 
UFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptx
UFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptxUFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptx
UFCD_10379_intervencao_socioeducativa.pptx
 
Ética na escola.ppt
Ética na escola.pptÉtica na escola.ppt
Ética na escola.ppt
 
Trabalho insucesso escolar
Trabalho insucesso escolar Trabalho insucesso escolar
Trabalho insucesso escolar
 
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
 
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
 
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
 
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...QUESTÃO 5   Considere a situação hipotética a seguir:  O Colégio Lecrescer of...
QUESTÃO 5 Considere a situação hipotética a seguir: O Colégio Lecrescer of...
 
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...QUESTÃO 2   Considere a situação hipotética a seguir:  João cursava o nono an...
QUESTÃO 2 Considere a situação hipotética a seguir: João cursava o nono an...
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
 
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...QUESTÃO 3   A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
QUESTÃO 3 A violência não é um fenômeno recente e nem uma característica ex...
 
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
 
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
 
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
ATIVIDADE 1 - MAT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONCEPÇÃO E ORGANIZAÇÃO - 54/2023
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com alg...
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
 
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...QUESTÃO 1   Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
QUESTÃO 1 Na fase adulta, a expectativa que se cria do relacionamento com a...
 

(In)Disciplina Na Escola Comp

  • 1. (In)disciplina e Violência na Escola Sociologia da Educação Docente: Dr.ª Márcia Cardoso Discente: Sónia Costa Escola Superior de Educação do Porto
  • 2. (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ A palavra disciplina pode ter dois significados: Nome que se pode dar a qualquer área de conhecimento estudada e ministrada num ambiente escolar ou académico; Ou é utilizada para indicar, em educação, a disposição dos alunos em seguir os ensinamentos e as regras de comportamento. Wikipédia: Autor desconhecido
  • 3. Indisciplina: Uma das mais comuns definições de indisciplina é quando o aluno impede que a escola cumpra os seus objectivos. Mas para que essa indisciplina aconteça ela tem origem em três aspectos: na escola, no professor e no aluno. - Na escola: quando não oferece a perspectiva de construir regras de convívio e de interacção. Pois a escola precisa de regras e normas que orientem o seu funcionamento e a sua convivência entre a comunidade escolar. Nesse sentido, as normas passam a ser compreendidas como condição necessária ao convívio social e escolar; Wikipédia: Autor desconhecido (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 4. - No professor: quando não constrói uma aula significativa, quando tolera que um aluno “quebre” regras estabelecidas. Um dos factores que mais estimula a indisciplina, ou a falta de consideração dos alunos pelo professor é a falta de coerência entre o que o professor diz e o que ele faz, entre os valores que ele tenta transmitir aos alunos e os que ele mesmo vive. Wikipédia:Autor desconhecido (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 5. No aluno: quando procura capturar atenção do professor ou certas posturas que a escola tem, desde que estes valores sejam cultivados. Muitas crianças têm uma educação familiar totalmente autoritária, estão acostumadas a serem indisciplinadas e a receberem severos castigos. Por esta razão não conseguem viver num ambiente democrático. Mas também há, muitos pais que acabam por dar liberdade excessiva aos seus filhos, criando-os indisciplinados, que não conseguem conviver com obrigações rotineiras e sentem-se frustrados quando não são o centro das atenções. Wikipédia: Autor desconhecido (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 6. Ou seja, as crianças precisam de ter regras (que impliquem valores e normas de conduta) e estas têm de surgir dos seus educadores, pais ou professores. (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 7. Nos dias de hoje, a indisciplina na Escola merece uma grande atenção por parte da sociedade. Com muita frequência realiza-se Conselhos disciplinares, polícia na escola, reforço de estruturas físicas em torno das escolas, por outro lado, organização de encontros, seminários, conferências, acções de formação, etc. Ao contrário do que se pensa, essa sensibilidade por parte da sociedade em relação ás questões da violência e indisciplina facilmente levam os alunos a gerar e amplificar ainda mais estas situações do que a suaviza-las. * Correia, José Alberto et al (2003) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 8. A principal preocupação da Escola é a transmissão de conhecimentos, isto é, privilegia a dimensão cognitiva, esquecendo por vezes outras dimensões humanas indispensáveis para assegurar as competências sociais, técnicas, económicas e culturais, fundamentais para uma boa integração do indivíduo na sociedade actual. A importância da dimensão cognitiva é realmente importante, visto que é à Escola que compete assegurar. Correia, José Alberto et al (2003) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 9. O saber escolar tem vindo a sofrer diversas alterações, visto que cada vez mais as funções da Escola são complexas nos domínios da regulação moral, legitimação política e da integração social onde a família, a religião ou as comunidades locais também podem contribuir para o desenvolvimento do indivíduo. Se a Escola tem de assegurar ao mesmo tempo o saber escolar e todas aquelas funções, o seu papel vai ser cada vez mais indistinguível entre sucesso escolar e sucesso educativo . ** Correia, José Alberto et al (2003) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 10. A disciplina/saber e a disciplina/comportamento sempre foi uma das constantes da escola, historicamente, era algo natural e não problemática encontra-se, hoje, profundamente alterado. A indisciplina, quando existia não constituía problema escolar, mas apenas uma questão comportamental de natureza individual. Hoje, a indisciplina já não é uma questão comportamental, tornou-se para grupos consideráveis da população escolar uma forma social de expressão, um modo de existência, uma cultura. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 11. A universalização da escola, é também, a universalização da disciplina enquanto isso significa um programa social de moralização orientado em termos do bem e do mal que, contudo, já não tem a suportá-lo, pelo menos formalmente, um quadro estável de valores externos, social e institucionalmente protegido (nas famílias, nas igrejas ou no trabalho) que houvesse de ser interiorizado e reproduzido, como acontecia na existência clássica da escola. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 12. O aumento dos comportamentos de indisciplina e violência nas escolas tem vindo a ocorrer a largos passos, sobretudo nos últimos anos. Muitos professores, confrontados com tais comportamentos, sentem-se ansiosos antes de entrar na aula, durante a aula e depois das aulas. Os pais receiam pelo que possa acontecer aos seus filhos. Os alunos sentem um clima de insegurança e medo nas escolas. *** Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 13. Para alguns indivíduos, a escola é um problema, porque chegam lá e são sujeitos às suas práticas como, desde sempre, tivessem vivido no seio delas. Convém reflectirmos na violência que estas práticas acarretam na vida do indivíduo, porque não somos todos iguais, isto é, as competências cognitivas diferem de indivíduo para indivíduo e podem causar desigualdades entre os alunos se não forem tidas em conta pela ESCOLA. **** (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ Veiga, Feliciano Henriques (2001)
  • 14. O stress relacionado com a indisciplina é o factor mais influente no fracasso dos professores, sobretudo nos professores mais jovens e durante os primeiros dez anos de actividade profissional. (Dortu, 1993; Galloway, 1987; Jesus, 1999; Veiga, 1995) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 15. Poderemos perguntar: Qual o maior factor da indisciplina escolar ou da violência juvenil? Para uns é a falta de perspectivas quanto ao futuro, para outros um sintoma de rupturas. Num mundo cada vez mais global, a prevenção da indisciplina e da violência requer a família, em primeiro lugar e depois a escola, num apelo a cada um de nós, professores. A escola deve assumir a sua responsabilidade na formação da consciência moral dos jovens, quer através do tipo de conteúdos que ensina, quer através da maneira como tais conteúdos são transmitidos. É aqui que surge a importância da comunicação, vivenciada, de escuta e de apoio, como poderoso instrumento de intervenção na disciplina escolar. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 16. Em certas famílias e em algumas escolas continuam a existir as punições corporais. Alguns pais mantêm-se presos aos conteúdos autoritários do passado. Ignoram ainda, ou nem se lembram que a relação autoritária inibe a troca de argumentos e a educação. (Oliveira, 1994; Teixeira, 1995; Veiga, 1997) O tempo de comunicação entre pais e filhos ou entre professores e alunos, aparece como escasso e não significativo. A falta de diálogo e reconhecimento afigura-se-nos como uma das maiores causas que leva os jovens a tomarem atitudes extremas e violentas . Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 17. Numa época em que a escolaridade obrigatória força os alunos a irem à escola, muitos deles são maltratados, porque não se portam adequadamente. As escolas devem também ser responsabilizadas e os professores devem desenvolver estratégias para lidar com os comportamentos inadequados. Muitos alunos não aprendem, não porque não tenham capacidades para aprender, mas porque alguém os convenceu de que não tinham capacidades para aprender. Muitos alunos abandonam a escola convencidos de que “não têm cabeça” para a escola, não porque não tenham capacidades, mas porque alguém os foi levando a verem-se como sujeitos sem valor. Muitos destes alunos, assim excluídos, vão engrossar a marginalidade social. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 18. Outros alunos permanecem na escola, mas, com os seus actos de extrema indisciplina e violência, impedem o funcionamento das aulas, danificam materiais e martirizam a vida dos professores. Face a um aluno indisciplinado, a primeira atitude a tomar é examinar a forma como se comunica com o aluno. A maneira como o professor comunica pode ter uma influência decisiva, poderá afectar a vida do aluno, para bem ou para mal, com o objectivo de chegar à mente de um aluno, o professor deve primeiro conquistar o seu coração. Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 19. Tomás, 16 anos, acabava de receber uma nota negativa num exame de línguas. O professor escrevera estas palavras na sua prova: “ Tudo muda; só a ignorância permanece. Tu és um exemplo perfeito desta imutabilidade”. O que pensam a cerca da mensagem deste professor? Veiga, Feliciano Henriques (2001) (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________
  • 20. (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ Meninos cujos pais tão cedo saem De noite para longe ir trabalhar, Sem puder ver como tão bem vos caem As roupas que p’ra escola ides levar, Nem um beijinho em vosso rosto quente Nem um adeus de mão ao longe dar -Lembrai-vos que p’ra vos dar de presente O que ninguém lhes pode ofertar. Ó pais que só pensais em trabalhar Sem tempo para estar com vossos filhos, Lembrai-vos que não basta só amar! Será que à terra basta um bom lavrar? Será que bastam às flores do sol os brilhos? Sem água... O campo nada pode dar! Feliciano H. Veiga (2000) Ó PAIS QUE SÓ PENSAIS EM TRABALHAR! COMENTÁRIOS AO POEMA
  • 21. (In)Disciplina na Escola __________________________________________________________ Bibliografia CORREIA, José Alberto et al (2003), Violência e Violências da e na Escola, Porto, Afrontamento VEIGA, Feliciano Henriques, Indisciplina e violência na escola, Práticas comunicacionais para professores e pais, 2ºedição, Almedina(2001)