SlideShare uma empresa Scribd logo
Língua Portuguesa
Qual o objetivo de um texto?
Por meio da linguagem, realizamos diferentes ações:
 transmitimos informações
 tentamos convencer o outro a fazer (ou dizer) algo
 assumimos compromissos
 ordenamos, pedimos
 demonstramos sentimentos
 construímos representações mentais sobre nosso mundo
Lembre-se:
Diferenciar que objetivo predomina em cada

situação de comunicação auxilia a compreender
melhor o que foi dito.
As funções da linguagem estão centradas nos

elementos da comunicação.
Elementos da comunicação
 Emissor - emite, codifica a mensagem
 Receptor - recebe, decodifica a mensagem
 Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor
 Referente - contexto relacionado a emissor e receptor;

assunto
 Código - conjunto de signos usado na transmissão e
recepção da mensagem
 Canal - meio pelo qual circula a mensagem
Comunicação
 Em certa ocasião uma família inglesa foi passar férias na

Alemanha.
 Numa pequena cidade, repararam em uma casa de campo
que lhes pareceu boa para passarem as férias de verão.
Falaram com o proprietário, um pastor protestante, e
pediram que lhes mostrasse a casa. Deixaram o aviso de
que voltariam no próximo verão.
 Uma vez na Inglaterra, discutindo acerca da planta da casa
a senhora se lembrou de não ter visto o "WC". Escreveram
imediatamente ao pastor para obter tal pormenor.
 A carta foi escrita assim:
"Gentil Pastor:
Sou membro da família que há pouco o visitou a fim de alugar
sua propriedade no próximo verão. Mas, como nos esquecemos
de um detalhe, muito agradeceríamos se nos informasse onde se
encontra o "WC"...
Julgando o pastor tratar-se da capela da seita inglesa "White
Chapel", respondeu assim:
"Gentil Senhora:
Recebi sua carta e tenho o prazer de comunicar-lhe que o local a
que se refere fica a doze quilômetros da casa. E isto é muito
cômodo, sobretudo se tem o hábito de ir freqüentemente; nesse
caso, é preferível levar comida para ficar o dia todo. Alguns vão a
pé, outros de bicicleta. Há lugar para 400 pessoas sentadas e 100
em pé. O ar é condicionado para evitar inconveniências de
aglomerações. Os assentos são de veludo e recomenda-se chegar
cedo para pegar lugar sentado.
As crianças sentam-se ao lado dos adultos e todos
cantam em coro. Na entrada, é fornecida uma folha de
papel para cada pessoa, mas, se alguém chegar depois
da distribuição, pode usar a folha do vizinho do lado.
Tal folha deverá ser restituída para ser usada todo mês.
Existem também amplificadores de som. Tudo é
recolhido para as crianças pobres da região. Fotógrafos
especiais tiram fotos para os jornais da cidade de modo
que todos possam ver seus semelhantes no
cumprimento de um dever tão humano.
Atenciosamente.
Língua, fala, níveis de fala,

linguagem, gramática
1. Língua:
Língua é um sistema de signos que serve de meio de

comunicação entre os membros de uma comunidade
linguística. Os signos de uma língua substituem os
objetos e os representam. Assim:

SIGNO LINGUÍSTICO =
SIGNIFICADO + SIGNIFICANTE
POLISSEMIA DO SIGNO : Vários significados
para um só significante
 Exemplos:
 Tem uma boa cabeça ( inteligente)
 Cabeça dura ( teimoso)
 cabeça de alfinete( extremidade)
 Da cabeça aos pés.( inteiro)
 cabeça da quadrilha ( chefe)
 sem pé nem cabeça ( sem sentido)
 cabeça de alho ( unidade)
 cada cabeça uma sentença ( indivíduo)
UNIVOCIDADE DO SIGNO: Apenas um
significado para um significante.
 Exemplo:
 MATEMÁTICA : ciência que estuda os números e suas relações.
 A língua é, portanto, um verdadeiro código social, enriquecido com o

passar do tempo e à disposição dos indivíduos para que dele se
apropriem adequadamente.
 É importante, ainda, observar as diferenças entre a língua falada e a
língua escrita. Desse modo, o usuário da língua terá um melhor
desempenho nas circunstância em que atua.
2. Fala:

 Denominamos fala ao uso que os membros da comunidade linguística

fazem da mesma língua. Em outras palavras, ele é o ato concreto e
individual das pessoas que se apropriam da língua comum e lhe
imprimem um estilo particular de expressão.
 Portanto, ao selecionar as palavras do código comum, sua cultura, seu

meio ambiente, etc. daí surgem os chamados estilos próprios e níveis de
fala.
3.Níveis de fala:

 Níveis de fala são os modos variados com que o individuo

usa a língua, de acordo com o meio sociocultural em que ele
vive. Nesse sentindo, distinguimos o nível comum do
literário, o coloquial do formal e o popular do erudito.
4. Linguagem:
 Linguagem é a capacidade comunicativa que têm os seres

humanos de usar qualquer sistema de sinais significativos,
expressando
seus
pensamentos,
sentimentos
e
experiências.
 Desse modo, desenhos, gestos, sons, cores, cheiro,
onomatopeias, palavras, etc... são formas de linguagem. A
linguagem é uma faculdade muito antiga da espécie
humana e deve ter precedido os elementos mais
rudimentares da cultura material.
Qual o objetivo de um texto?
Toda comunicação apresenta uma variedade

de funções, mas elas se apresentam
hierarquizadas, sendo uma dominante, de
acordo com o enfoque que o destinador quer
dar ou do efeito que quer causar no
recebedor.
 As funções da linguagem são as seguintes:
Funções da Linguagem

Função emotiva (ou expressiva)
 Centralizada no emissor, revela sua opinião, sua emoção.
 Nela prevalece a 1ª pessoa do singular, interjeições e

exclamações.
 É a linguagem das biografias, memórias, poesias líricas e
cartas de amor.
Ex.: “Estou tendo agora uma vertigem. Tenho um pouco
de medo. A que me levará minha liberdade? O que é isto
que estou te escrevendo? Isto me deixa solitária”.
Função Emotiva
Função Emotiva
Observe que este texto está centrado na
expressão dos sentimentos, emoções e
opiniões de um eu-lírico. É um texto
subjetivo, pessoal. Perceba que o destaque
dado ao emissor é reforçado pela presença
de verbos e pronomes na primeira pessoa:
“Às vezes me pinto nuvem”. Os textos líricos
que expressam o estado de alma do emissor
exemplificam a função emotiva da
linguagem.
Funções da Linguagem

Função referencial (ou denotativa)
 Centralizada no referente, quando o emissor procura

oferecer informações da realidade.
 Objetiva, direta, denotativa, prevalecendo a 3ª pessoa do
singular.
 Usada nas notícias de jornal e livros científicos,
descrições de fatos.
Ex.: Em 1665¸ Londres foi assolada pela peste negra
(peste bubônica) que dizimou grande parte de sua
população, provocando a quase total paralisação da
cidade e acarretando o fechamento de repartições
públicas.
Função Referencial
Função Referencial
Observe que o objetivo do texto é
simplesmente o de informar ao leitor, com o
máximo de clareza, o que é o cravo da pele e
como ele se constitui. A ênfase, portanto, é
dada ao conteúdo, às informações. Os textos
cuja linguagem têm função referencial são
dotados de objetividade, uma vez que visam
informar, traduzir ou explicar fatos da
realidade.
Funções da Linguagem

Função apelativa (ou conativa)
 Centraliza-se no receptor; o emissor procura influenciar

o comportamento do receptor.
 Como o emissor se dirige ao receptor, é comum o uso de
“tu” e “você”, além de verbos no imperativo.
 Usada nos discursos, sermões e propagandas que se
dirigem diretamente ao consumidor.
Ex.: Meu estimado povo. Que as bênçãos de Deus, senhor
todo-onipotente, desçam sobre vocês.
Função Apelativa
Função Apelativa
Funções da Linguagem

Função fática
 Centralizada no canal da comunicação.
 Testa a sua eficiência, a fim de observar se o receptor

entendeu o emissor.
 Linguagem das falas telefônicas, saudações e similares.
Ex.: Alô, Pedro! Tô passando aí pra te pegar, ok? Tá me
ouvindo? Alô!!
Função Fática
Função Fática

Observe que a preocupação do emissor é
manter contato com o destinatário, testando o
canal de comunicação. As falas do professor têm
uma função fática, para saber se Beto está
atento. O mesmo ocorre com o famoso “plim!
plim!” da Rede Globo, que tem a função de
chamar a atenção do espectador (que se
“distraiu” durante o intervalo comercial) para o
canal, no caso, a televisão.
Funções da Linguagem

Função poética
 Centralizada na mensagem, revelando recursos

imaginativos criados pelo emissor.
 Valorizam-se as palavras e suas combinações.
 É a linguagem figurada apresentada em obras literárias,
letras de música e em algumas propagandas.
Ex.: Moça do corpo dourado/ Do sol de lpanema/ O seu
balançado é mais que um poema/ É a coisa mais linda
que eu já vi passar...
Funções da Linguagem

Função metalingüística
 Centralizada no código, usa a linguagem para falar dela

mesma.
 A poesia que fala da poesia, um texto que comenta outro
texto, palavras que explicam o significado de outra
palavra, escrever sobre o ato de escrever, falar sobre o
ato de falar.
Ex.: protuberância s.f  do  Lat. *protuberantia, de
protuberare, fazer bojo; saliência; parte saliente;
elevação. excrescência, bossa; apófise.
Funções da linguagem

As funções da linguagem não existem isoladas em
cada
texto.
Embora
uma
delas
acabe
predominando,
elas
convivem,
mesclam-se,
entrecruzam-se o tempo todo, obtendo-se de suas
combinações os mais diferentes efeitos. O
importante é saber qual a função predominante no
texto, para então defini-lo.
1. O pai conversa com a filha ao telefone e diz que vai
chegar atrasado para o jantar.
Nesta situação, podemos dizer que o canal é:

a) o pai
b) a filha
c) fios de telefone
d) o código
e) a fala
2. Assinale a alternativa incorreta:

a) Só existe comunicação quando a pessoa que recebe a
mensagem entende o seu significado.
b) Para entender o significado de uma mensagem, não é
preciso conhecer o código.
c) As mensagens podem ser elaboradas com vários códigos,
formados de palavras, desenhos, números etc.
d) Para entender bem um código, é necessário conhecer suas
regras.
e) Conhecendo os elementos e regras de um código, podemos
combiná-los de várias maneiras, criando novas mensagens.
3. Uma pessoa é convidada a dar uma palestra em Espanhol. A
pessoa não aceita o convite, pois não sabia falar com fluência a
língua Espanhola. Se esta pessoa tivesse aceitado fazer esta
palestra seria um fracasso porque:

a) não dominava os signos
b) não dominava o código
c) não conhecia o referente
d) não conhecia o receptor
e) não conhecia a mensagem
4. Um guarda de trânsito percebe que o motorista de um carro
está em alta velocidade. Faz um gesto pedindo para ele parar.
Neste trecho o gesto que o guarda faz para o motorista parar,
podemos dizer que é:

a) o código que ele utiliza
b) o canal que ele utiliza
c) quem recebe a mensagem
d) quem envia a mensagem
e) o assunto da mensagem
5. A mãe de Felipe sacode-o levemente e o chama: “Felipe está na
hora de acordar”. O que está destacado é:

a) o emissor
b) o código
c) o canal
d) a mensagem
e) o referente
6. Podemos afirmar que Referente é:

a) quem recebe a mensagem
b) o assunto da mensagem
c) o que transmite a mensagem
d) quem envia a mensagem
e) o código usado para estabelecer comunicação
7. Considere os enunciados a seguir e assinale a
alternativa correta:
I – Todo processo comunicativo pressupõe a presença dos seguintes elementos:
emissor (que emite a mensagem); receptor (que recebe a mensagem);
código(conjunto de sinais combinados, através dos quais a mensagem é
transmitida); mensagem (algo que se quer transmitir); canal (meio físico através do
qual a mensagem é transmitida); referente ou contexto (assunto referido na
mensagem);
II – Sempre que falamos, estamos transmitindo uma mensagem a alguém, não
importando se a pessoa com quem estamos falando, conhece ou não nosso código
linguístico.
III – Podemos comunicar algo por meio de gestos, sinais, imagens, desde que estes
elementos sejam comuns ao nosso interlocutor (pessoa com quem falamos).
a)Somente a alternativa I está correta;
b As alternativas I e II estão incorretas;
c)Somente a alternativa III está correta;
d)As alternativas I e III estão corretas;
e) Nenhuma das alternativas é correta.
8.Das alternativas abaixo, assinale a incorreta

a) Para nos comunicarmos, podemos nos valer da linguagem verbal, ou
seja, podemos utilizar a palavra para transmitir nossa mensagem.
b) Outra forma de código linguístico possível na comunicação é a
linguagem não-verbal, que utiliza cores, desenhos, sons, gestos, etc., na
transmissão das mensagens.
c) Uma mensagem escrita em Língua Portuguesa será facilmente
compreendida por qualquer pessoa, mesmo que não tenha conhecimento
do código linguístico português.
d) Uma pessoa é capaz de compreender uma mensagem em inglês, desde
que conheça o código linguístico empregado.
e) Os seguintes itens podem ser considerados como canais de transmissão
de mensagens: televisão, revistas, jornais, livros, rádios, entre outros
9. A partir da frase “Tudo era caos até que se ergueu a Mente
para pôr ordem nas coisas”(Anaxágoras, filósofo e matemático grego)
podemos afirmar que:
I – A mensagem presente nesta frase é: a inteligência do homem permitiu
as grandes realizações que existem.
II – O emissor da mensagem é Anaxágoras.
III – O código linguístico utilizado é a Língua Portuguesa;
IV – O contexto / referente da mensagem é a inteligência humana
Assinale a alternativa correta
a) Somente a alternativa IV é correta;
b) Todas as alternativas são corretas;
c) As alternativas I e II são as únicas corretas;
d) As alternativas de I a IV estão corretas;
e) Somente a alternativa II é a correta.
10. (UFVI) Quando uma linguagem trata de si própria – por exemplo
um filme falando sobre os processos de filmagem, um poema
desvendando o ato de criação poética, um romance questionando o ato
de narrar – temos a metalinguagem.

Esta forma de linguagem predomina em todos os fragmentos, exceto:
a) “Amo-te como um bicho simplesmente/de um amor sem mistério e sem
virtude/com um desejo maciço e permanente.” (Vinicius de Morais)
b) “Proponho-me a que não seja complexo o que escreverei, embora
obrigada a usar as palavras que vos sustentam.” (Clarice Lispector)
c) “Não narro mais pelo prazer de saber. Narro pelo gosto de narrar, sopro
palavras e mais palavras, componho frases e mais frases.” (Silviano Santiago)
d) “Agarro o azul do poema pelo fio mais delgado de lã de seu discurso e
vou traçando as linhas do relâmpago no vidro opaco da janela.” (Gilberto
Mendonça Teles)

e) Que é Poesia? Uma ilha cercada de palavras por todos os lados.”
Ricardo)

(Cassiano
11. Assinale a alternativa em que a função apelativa da
linguagem é a que prevalece:

a) Trago no meu peito um sentimento de solidão sem fim… sem fim…
b) “Não discuto com o destino o que pintar eu assino.”
c) Machado de Assis é um dos maiores escritores brasileiros.
d) Conheça você também a obra desse grande mestre.
e) Semântica é o estudo da significação das palavras.
12. Identifique a frase em que a função predominante
da linguagem é a REFERENCIAL:

a) Dona Casemira vivia sozinha com seu cachorrinho.
b) Vem, Dudu!
c) Pobre Dona Casemira…
d) O que … O que foi que você disse?
e) Um cachorro falando?
RELACIONE AS COLUNAS ABAIXO:
 ( 1 ) Função Emotiva
 ( 2 ) Função Referencial
 ( 3 ) Função Poética
 ( 4 ) Função Metalinguística
 ( 5 ) Função Fática
 ( 6 ) Função Conativa

( ) Ênfase no Receptor /
Destinatário
( ) Ênfase no Emissor
( ) Ênfase na Mensagem
( ) Ênfase no Referente /
Assunto / Contexto
( ) Ênfase no Canal
( ) Ênfase no Código
RELACIONE AS COLUNAS ABAIXO:
 ( 1 ) Função Emotiva
 ( 2 ) Função Referencial
 ( 3 ) Função Poética
 ( 4 ) Função Metalinguística
 ( 5 ) Função Fática
 ( 6 ) Função Conativa

( 6) Ênfase no Receptor /
Destinatário
( 1) Ênfase no Emissor
(3 ) Ênfase na Mensagem
(2 ) Ênfase no Referente /
Assunto / Contexto
( 5) Ênfase no Canal
( 4) Ênfase no Código

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
7 de Setembro
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
Andreia Jaqueline Bach
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
Denise
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
Jirede Abisai
 
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMAAULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
Andriane Cursino
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
Ricardo Leandro Flores Ricalde
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Francis Paula
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
Maurício Marques
 
1. sequências textuais
1. sequências textuais1. sequências textuais
1. sequências textuais
Willame Raphael
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
Valeria Nunes
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Marilia Teddy
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Andriane Cursino
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
colveromachado
 
Romance
RomanceRomance
Romance
Mara Virginia
 
Poema concreto
Poema concreto Poema concreto
Poema concreto
Sonialira
 
Intertextualidade
Intertextualidade Intertextualidade
Intertextualidade
Denise
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Elaine Maia
 
Linguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação ILinguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação I
Jose Arnaldo Silva
 

Mais procurados (20)

Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
 
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMAAULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
 
1. sequências textuais
1. sequências textuais1. sequências textuais
1. sequências textuais
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
 
Romance
RomanceRomance
Romance
 
Poema concreto
Poema concreto Poema concreto
Poema concreto
 
Intertextualidade
Intertextualidade Intertextualidade
Intertextualidade
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
 
Linguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação ILinguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação I
 

Destaque

I unidade teste de redação - 8º 01 e 02
I unidade   teste de redação - 8º 01 e 02I unidade   teste de redação - 8º 01 e 02
I unidade teste de redação - 8º 01 e 02
dpport
 
Ficha de exercicio funcoes da linguagem
Ficha de exercicio funcoes da linguagemFicha de exercicio funcoes da linguagem
Ficha de exercicio funcoes da linguagem
NaraSomerhalder
 
4ª aula de redação 9ª ano ´´
4ª aula de redação  9ª ano ´´4ª aula de redação  9ª ano ´´
4ª aula de redação 9ª ano ´´
Vania Valva
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
rodineiamoraes
 
Português para meus amigos PLE
Português para meus amigos PLEPortuguês para meus amigos PLE
Português para meus amigos PLE
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
Renato Oliveira
 
Funções da linguagem aula 2 b
Funções da linguagem aula 2 bFunções da linguagem aula 2 b
Funções da linguagem aula 2 b
Daniele Bertollo
 
Questões de interpretação
Questões de interpretaçãoQuestões de interpretação
Questões de interpretação
CEM
 
Funções linguísticas
Funções linguísticasFunções linguísticas
Funções linguísticas
paulozac2012
 
Novo Acordo Ortografico
Novo Acordo OrtograficoNovo Acordo Ortografico
Novo Acordo Ortografico
Áquila Priscila
 
Portugues para niños
Portugues para niñosPortugues para niños
Portugues para niños
Jesica Roxana Torres Salinas
 
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e IdentidadesSegunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
ma.no.el.ne.ves
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
Estude Mais
 
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textualSegunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
ma.no.el.ne.ves
 
Elementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoElementos da comunicacao
Elementos da comunicacao
Sandra Paula
 
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
Joyce Nascimento
 
Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)
Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)
Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)
Vânia Salvo Orso
 
Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°
Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°
Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°
Dayane Dias
 
Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016
Josiel Silva
 
إنتاج واستخدام القصص الرقمية
إنتاج واستخدام القصص الرقميةإنتاج واستخدام القصص الرقمية
إنتاج واستخدام القصص الرقمية
Qena faculty of education , South Valley University
 

Destaque (20)

I unidade teste de redação - 8º 01 e 02
I unidade   teste de redação - 8º 01 e 02I unidade   teste de redação - 8º 01 e 02
I unidade teste de redação - 8º 01 e 02
 
Ficha de exercicio funcoes da linguagem
Ficha de exercicio funcoes da linguagemFicha de exercicio funcoes da linguagem
Ficha de exercicio funcoes da linguagem
 
4ª aula de redação 9ª ano ´´
4ª aula de redação  9ª ano ´´4ª aula de redação  9ª ano ´´
4ª aula de redação 9ª ano ´´
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Português para meus amigos PLE
Português para meus amigos PLEPortuguês para meus amigos PLE
Português para meus amigos PLE
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Funções da linguagem aula 2 b
Funções da linguagem aula 2 bFunções da linguagem aula 2 b
Funções da linguagem aula 2 b
 
Questões de interpretação
Questões de interpretaçãoQuestões de interpretação
Questões de interpretação
 
Funções linguísticas
Funções linguísticasFunções linguísticas
Funções linguísticas
 
Novo Acordo Ortografico
Novo Acordo OrtograficoNovo Acordo Ortografico
Novo Acordo Ortografico
 
Portugues para niños
Portugues para niñosPortugues para niños
Portugues para niños
 
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e IdentidadesSegunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
Segunda aplicação do enem 2013: Corpo, Tecnologias e Identidades
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
 
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textualSegunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2011, compreensão textual
 
Elementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoElementos da comunicacao
Elementos da comunicacao
 
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
 
Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)
Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)
Novo acordo ortográfico da língua portuguesa (guia rápido)
 
Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°
Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°
Comunicação Empresarial, 1°,2°,3°
 
Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016Gabarito epcar 2016
Gabarito epcar 2016
 
إنتاج واستخدام القصص الرقمية
إنتاج واستخدام القصص الرقميةإنتاج واستخدام القصص الرقمية
إنتاج واستخدام القصص الرقمية
 

Semelhante a Funções da linguagem

Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Verônica Carvalho
 
Funções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptxFunções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptx
Luana Lopes Martins
 
Funções da linguagem - Professor Jason lima
Funções da linguagem - Professor Jason limaFunções da linguagem - Professor Jason lima
Funções da linguagem - Professor Jason lima
jasonrplima
 
Funções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosFunções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercícios
Sônia Sochiarelli
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
dasmargensaocentro
 
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Elaine Junger
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Renata Haratani
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Andriane Cursino
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Ruddy's Santos
 
Portugues lucas
Portugues lucasPortugues lucas
Portugues lucas
Lukas Mello
 
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemLíngua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Éric Santos
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
Lilian Lima
 
Funções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason LimaFunções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason Lima
jasonrplima
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
nixsonmachado
 
figuras de linguagem.ppt
figuras de linguagem.pptfiguras de linguagem.ppt
figuras de linguagem.ppt
SecretariaMundeEduca
 
Linguagem e língua
Linguagem e línguaLinguagem e língua
Linguagem e língua
Maninho Walker
 
Linguagem e língua
Linguagem e línguaLinguagem e língua
Linguagem e língua
Maninho Walker
 
Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano
Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º AnoProfª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano
Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Ling.
Ling.Ling.
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
Pedro Barros
 

Semelhante a Funções da linguagem (20)

Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Funções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptxFunções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptx
 
Funções da linguagem - Professor Jason lima
Funções da linguagem - Professor Jason limaFunções da linguagem - Professor Jason lima
Funções da linguagem - Professor Jason lima
 
Funções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosFunções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercícios
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
 
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Portugues lucas
Portugues lucasPortugues lucas
Portugues lucas
 
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemLíngua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Funções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason LimaFunções da linguagem - professor Jason Lima
Funções da linguagem - professor Jason Lima
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
figuras de linguagem.ppt
figuras de linguagem.pptfiguras de linguagem.ppt
figuras de linguagem.ppt
 
Linguagem e língua
Linguagem e línguaLinguagem e língua
Linguagem e língua
 
Linguagem e língua
Linguagem e línguaLinguagem e língua
Linguagem e língua
 
Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano
Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º AnoProfª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano
Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano
 
Ling.
Ling.Ling.
Ling.
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
 

Mais de Maria De Lourdes Ramos

Erros de grafia
Erros de grafiaErros de grafia
Erros de grafia
Maria De Lourdes Ramos
 
Colocação pronominal
Colocação pronominalColocação pronominal
Colocação pronominal
Maria De Lourdes Ramos
 
Os dez pecados mortais de uma narrativa
Os dez pecados mortais de uma narrativaOs dez pecados mortais de uma narrativa
Os dez pecados mortais de uma narrativa
Maria De Lourdes Ramos
 
Exercícios sobre acentuação
Exercícios sobre acentuaçãoExercícios sobre acentuação
Exercícios sobre acentuação
Maria De Lourdes Ramos
 
Exercício sobre os porquês
Exercício sobre os porquês Exercício sobre os porquês
Exercício sobre os porquês
Maria De Lourdes Ramos
 
Exercício sobre colocação pronominal
Exercício sobre colocação pronominalExercício sobre colocação pronominal
Exercício sobre colocação pronominal
Maria De Lourdes Ramos
 
Interpretação de charges
Interpretação de chargesInterpretação de charges
Interpretação de charges
Maria De Lourdes Ramos
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Fonologia aula 01
Fonologia aula 01Fonologia aula 01
Fonologia aula 01
Maria De Lourdes Ramos
 
Interpretação de textos 1ª aula
Interpretação de textos 1ª aulaInterpretação de textos 1ª aula
Interpretação de textos 1ª aula
Maria De Lourdes Ramos
 
Exercício 01 fonolologia
Exercício  01 fonolologiaExercício  01 fonolologia
Exercício 01 fonolologia
Maria De Lourdes Ramos
 
Dicas de interpretação de textos
Dicas de interpretação de textosDicas de interpretação de textos
Dicas de interpretação de textos
Maria De Lourdes Ramos
 
Artigo
ArtigoArtigo
A língua portuguesa nos concursos
A língua portuguesa nos concursosA língua portuguesa nos concursos
A língua portuguesa nos concursos
Maria De Lourdes Ramos
 
Slide lima barreto
Slide lima barretoSlide lima barreto
Slide lima barreto
Maria De Lourdes Ramos
 
A segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasilA segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasil
Maria De Lourdes Ramos
 

Mais de Maria De Lourdes Ramos (16)

Erros de grafia
Erros de grafiaErros de grafia
Erros de grafia
 
Colocação pronominal
Colocação pronominalColocação pronominal
Colocação pronominal
 
Os dez pecados mortais de uma narrativa
Os dez pecados mortais de uma narrativaOs dez pecados mortais de uma narrativa
Os dez pecados mortais de uma narrativa
 
Exercícios sobre acentuação
Exercícios sobre acentuaçãoExercícios sobre acentuação
Exercícios sobre acentuação
 
Exercício sobre os porquês
Exercício sobre os porquês Exercício sobre os porquês
Exercício sobre os porquês
 
Exercício sobre colocação pronominal
Exercício sobre colocação pronominalExercício sobre colocação pronominal
Exercício sobre colocação pronominal
 
Interpretação de charges
Interpretação de chargesInterpretação de charges
Interpretação de charges
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 
Fonologia aula 01
Fonologia aula 01Fonologia aula 01
Fonologia aula 01
 
Interpretação de textos 1ª aula
Interpretação de textos 1ª aulaInterpretação de textos 1ª aula
Interpretação de textos 1ª aula
 
Exercício 01 fonolologia
Exercício  01 fonolologiaExercício  01 fonolologia
Exercício 01 fonolologia
 
Dicas de interpretação de textos
Dicas de interpretação de textosDicas de interpretação de textos
Dicas de interpretação de textos
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo
 
A língua portuguesa nos concursos
A língua portuguesa nos concursosA língua portuguesa nos concursos
A língua portuguesa nos concursos
 
Slide lima barreto
Slide lima barretoSlide lima barreto
Slide lima barreto
 
A segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasilA segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasil
 

Funções da linguagem

  • 2. Qual o objetivo de um texto? Por meio da linguagem, realizamos diferentes ações:  transmitimos informações  tentamos convencer o outro a fazer (ou dizer) algo  assumimos compromissos  ordenamos, pedimos  demonstramos sentimentos  construímos representações mentais sobre nosso mundo
  • 3. Lembre-se: Diferenciar que objetivo predomina em cada situação de comunicação auxilia a compreender melhor o que foi dito. As funções da linguagem estão centradas nos elementos da comunicação.
  • 4. Elementos da comunicação  Emissor - emite, codifica a mensagem  Receptor - recebe, decodifica a mensagem  Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor  Referente - contexto relacionado a emissor e receptor; assunto  Código - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem  Canal - meio pelo qual circula a mensagem
  • 5.
  • 6. Comunicação  Em certa ocasião uma família inglesa foi passar férias na Alemanha.  Numa pequena cidade, repararam em uma casa de campo que lhes pareceu boa para passarem as férias de verão. Falaram com o proprietário, um pastor protestante, e pediram que lhes mostrasse a casa. Deixaram o aviso de que voltariam no próximo verão.  Uma vez na Inglaterra, discutindo acerca da planta da casa a senhora se lembrou de não ter visto o "WC". Escreveram imediatamente ao pastor para obter tal pormenor.  A carta foi escrita assim:
  • 7. "Gentil Pastor: Sou membro da família que há pouco o visitou a fim de alugar sua propriedade no próximo verão. Mas, como nos esquecemos de um detalhe, muito agradeceríamos se nos informasse onde se encontra o "WC"... Julgando o pastor tratar-se da capela da seita inglesa "White Chapel", respondeu assim: "Gentil Senhora: Recebi sua carta e tenho o prazer de comunicar-lhe que o local a que se refere fica a doze quilômetros da casa. E isto é muito cômodo, sobretudo se tem o hábito de ir freqüentemente; nesse caso, é preferível levar comida para ficar o dia todo. Alguns vão a pé, outros de bicicleta. Há lugar para 400 pessoas sentadas e 100 em pé. O ar é condicionado para evitar inconveniências de aglomerações. Os assentos são de veludo e recomenda-se chegar cedo para pegar lugar sentado.
  • 8. As crianças sentam-se ao lado dos adultos e todos cantam em coro. Na entrada, é fornecida uma folha de papel para cada pessoa, mas, se alguém chegar depois da distribuição, pode usar a folha do vizinho do lado. Tal folha deverá ser restituída para ser usada todo mês. Existem também amplificadores de som. Tudo é recolhido para as crianças pobres da região. Fotógrafos especiais tiram fotos para os jornais da cidade de modo que todos possam ver seus semelhantes no cumprimento de um dever tão humano. Atenciosamente.
  • 9. Língua, fala, níveis de fala, linguagem, gramática
  • 10. 1. Língua: Língua é um sistema de signos que serve de meio de comunicação entre os membros de uma comunidade linguística. Os signos de uma língua substituem os objetos e os representam. Assim: SIGNO LINGUÍSTICO = SIGNIFICADO + SIGNIFICANTE
  • 11. POLISSEMIA DO SIGNO : Vários significados para um só significante  Exemplos:  Tem uma boa cabeça ( inteligente)  Cabeça dura ( teimoso)  cabeça de alfinete( extremidade)  Da cabeça aos pés.( inteiro)  cabeça da quadrilha ( chefe)  sem pé nem cabeça ( sem sentido)  cabeça de alho ( unidade)  cada cabeça uma sentença ( indivíduo)
  • 12. UNIVOCIDADE DO SIGNO: Apenas um significado para um significante.  Exemplo:  MATEMÁTICA : ciência que estuda os números e suas relações.  A língua é, portanto, um verdadeiro código social, enriquecido com o passar do tempo e à disposição dos indivíduos para que dele se apropriem adequadamente.  É importante, ainda, observar as diferenças entre a língua falada e a língua escrita. Desse modo, o usuário da língua terá um melhor desempenho nas circunstância em que atua.
  • 13. 2. Fala:  Denominamos fala ao uso que os membros da comunidade linguística fazem da mesma língua. Em outras palavras, ele é o ato concreto e individual das pessoas que se apropriam da língua comum e lhe imprimem um estilo particular de expressão.  Portanto, ao selecionar as palavras do código comum, sua cultura, seu meio ambiente, etc. daí surgem os chamados estilos próprios e níveis de fala.
  • 14. 3.Níveis de fala:  Níveis de fala são os modos variados com que o individuo usa a língua, de acordo com o meio sociocultural em que ele vive. Nesse sentindo, distinguimos o nível comum do literário, o coloquial do formal e o popular do erudito.
  • 15. 4. Linguagem:  Linguagem é a capacidade comunicativa que têm os seres humanos de usar qualquer sistema de sinais significativos, expressando seus pensamentos, sentimentos e experiências.  Desse modo, desenhos, gestos, sons, cores, cheiro, onomatopeias, palavras, etc... são formas de linguagem. A linguagem é uma faculdade muito antiga da espécie humana e deve ter precedido os elementos mais rudimentares da cultura material.
  • 16. Qual o objetivo de um texto? Toda comunicação apresenta uma variedade de funções, mas elas se apresentam hierarquizadas, sendo uma dominante, de acordo com o enfoque que o destinador quer dar ou do efeito que quer causar no recebedor.  As funções da linguagem são as seguintes:
  • 17. Funções da Linguagem Função emotiva (ou expressiva)  Centralizada no emissor, revela sua opinião, sua emoção.  Nela prevalece a 1ª pessoa do singular, interjeições e exclamações.  É a linguagem das biografias, memórias, poesias líricas e cartas de amor. Ex.: “Estou tendo agora uma vertigem. Tenho um pouco de medo. A que me levará minha liberdade? O que é isto que estou te escrevendo? Isto me deixa solitária”.
  • 19. Função Emotiva Observe que este texto está centrado na expressão dos sentimentos, emoções e opiniões de um eu-lírico. É um texto subjetivo, pessoal. Perceba que o destaque dado ao emissor é reforçado pela presença de verbos e pronomes na primeira pessoa: “Às vezes me pinto nuvem”. Os textos líricos que expressam o estado de alma do emissor exemplificam a função emotiva da linguagem.
  • 20. Funções da Linguagem Função referencial (ou denotativa)  Centralizada no referente, quando o emissor procura oferecer informações da realidade.  Objetiva, direta, denotativa, prevalecendo a 3ª pessoa do singular.  Usada nas notícias de jornal e livros científicos, descrições de fatos. Ex.: Em 1665¸ Londres foi assolada pela peste negra (peste bubônica) que dizimou grande parte de sua população, provocando a quase total paralisação da cidade e acarretando o fechamento de repartições públicas.
  • 22. Função Referencial Observe que o objetivo do texto é simplesmente o de informar ao leitor, com o máximo de clareza, o que é o cravo da pele e como ele se constitui. A ênfase, portanto, é dada ao conteúdo, às informações. Os textos cuja linguagem têm função referencial são dotados de objetividade, uma vez que visam informar, traduzir ou explicar fatos da realidade.
  • 23. Funções da Linguagem Função apelativa (ou conativa)  Centraliza-se no receptor; o emissor procura influenciar o comportamento do receptor.  Como o emissor se dirige ao receptor, é comum o uso de “tu” e “você”, além de verbos no imperativo.  Usada nos discursos, sermões e propagandas que se dirigem diretamente ao consumidor. Ex.: Meu estimado povo. Que as bênçãos de Deus, senhor todo-onipotente, desçam sobre vocês.
  • 26. Funções da Linguagem Função fática  Centralizada no canal da comunicação.  Testa a sua eficiência, a fim de observar se o receptor entendeu o emissor.  Linguagem das falas telefônicas, saudações e similares. Ex.: Alô, Pedro! Tô passando aí pra te pegar, ok? Tá me ouvindo? Alô!!
  • 28. Função Fática Observe que a preocupação do emissor é manter contato com o destinatário, testando o canal de comunicação. As falas do professor têm uma função fática, para saber se Beto está atento. O mesmo ocorre com o famoso “plim! plim!” da Rede Globo, que tem a função de chamar a atenção do espectador (que se “distraiu” durante o intervalo comercial) para o canal, no caso, a televisão.
  • 29. Funções da Linguagem Função poética  Centralizada na mensagem, revelando recursos imaginativos criados pelo emissor.  Valorizam-se as palavras e suas combinações.  É a linguagem figurada apresentada em obras literárias, letras de música e em algumas propagandas. Ex.: Moça do corpo dourado/ Do sol de lpanema/ O seu balançado é mais que um poema/ É a coisa mais linda que eu já vi passar...
  • 30. Funções da Linguagem Função metalingüística  Centralizada no código, usa a linguagem para falar dela mesma.  A poesia que fala da poesia, um texto que comenta outro texto, palavras que explicam o significado de outra palavra, escrever sobre o ato de escrever, falar sobre o ato de falar. Ex.: protuberância s.f  do  Lat. *protuberantia, de protuberare, fazer bojo; saliência; parte saliente; elevação. excrescência, bossa; apófise.
  • 31. Funções da linguagem As funções da linguagem não existem isoladas em cada texto. Embora uma delas acabe predominando, elas convivem, mesclam-se, entrecruzam-se o tempo todo, obtendo-se de suas combinações os mais diferentes efeitos. O importante é saber qual a função predominante no texto, para então defini-lo.
  • 32. 1. O pai conversa com a filha ao telefone e diz que vai chegar atrasado para o jantar. Nesta situação, podemos dizer que o canal é: a) o pai b) a filha c) fios de telefone d) o código e) a fala
  • 33. 2. Assinale a alternativa incorreta: a) Só existe comunicação quando a pessoa que recebe a mensagem entende o seu significado. b) Para entender o significado de uma mensagem, não é preciso conhecer o código. c) As mensagens podem ser elaboradas com vários códigos, formados de palavras, desenhos, números etc. d) Para entender bem um código, é necessário conhecer suas regras. e) Conhecendo os elementos e regras de um código, podemos combiná-los de várias maneiras, criando novas mensagens.
  • 34. 3. Uma pessoa é convidada a dar uma palestra em Espanhol. A pessoa não aceita o convite, pois não sabia falar com fluência a língua Espanhola. Se esta pessoa tivesse aceitado fazer esta palestra seria um fracasso porque: a) não dominava os signos b) não dominava o código c) não conhecia o referente d) não conhecia o receptor e) não conhecia a mensagem
  • 35. 4. Um guarda de trânsito percebe que o motorista de um carro está em alta velocidade. Faz um gesto pedindo para ele parar. Neste trecho o gesto que o guarda faz para o motorista parar, podemos dizer que é: a) o código que ele utiliza b) o canal que ele utiliza c) quem recebe a mensagem d) quem envia a mensagem e) o assunto da mensagem
  • 36. 5. A mãe de Felipe sacode-o levemente e o chama: “Felipe está na hora de acordar”. O que está destacado é: a) o emissor b) o código c) o canal d) a mensagem e) o referente
  • 37. 6. Podemos afirmar que Referente é: a) quem recebe a mensagem b) o assunto da mensagem c) o que transmite a mensagem d) quem envia a mensagem e) o código usado para estabelecer comunicação
  • 38. 7. Considere os enunciados a seguir e assinale a alternativa correta: I – Todo processo comunicativo pressupõe a presença dos seguintes elementos: emissor (que emite a mensagem); receptor (que recebe a mensagem); código(conjunto de sinais combinados, através dos quais a mensagem é transmitida); mensagem (algo que se quer transmitir); canal (meio físico através do qual a mensagem é transmitida); referente ou contexto (assunto referido na mensagem); II – Sempre que falamos, estamos transmitindo uma mensagem a alguém, não importando se a pessoa com quem estamos falando, conhece ou não nosso código linguístico. III – Podemos comunicar algo por meio de gestos, sinais, imagens, desde que estes elementos sejam comuns ao nosso interlocutor (pessoa com quem falamos). a)Somente a alternativa I está correta; b As alternativas I e II estão incorretas; c)Somente a alternativa III está correta; d)As alternativas I e III estão corretas; e) Nenhuma das alternativas é correta.
  • 39. 8.Das alternativas abaixo, assinale a incorreta a) Para nos comunicarmos, podemos nos valer da linguagem verbal, ou seja, podemos utilizar a palavra para transmitir nossa mensagem. b) Outra forma de código linguístico possível na comunicação é a linguagem não-verbal, que utiliza cores, desenhos, sons, gestos, etc., na transmissão das mensagens. c) Uma mensagem escrita em Língua Portuguesa será facilmente compreendida por qualquer pessoa, mesmo que não tenha conhecimento do código linguístico português. d) Uma pessoa é capaz de compreender uma mensagem em inglês, desde que conheça o código linguístico empregado. e) Os seguintes itens podem ser considerados como canais de transmissão de mensagens: televisão, revistas, jornais, livros, rádios, entre outros
  • 40. 9. A partir da frase “Tudo era caos até que se ergueu a Mente para pôr ordem nas coisas”(Anaxágoras, filósofo e matemático grego) podemos afirmar que: I – A mensagem presente nesta frase é: a inteligência do homem permitiu as grandes realizações que existem. II – O emissor da mensagem é Anaxágoras. III – O código linguístico utilizado é a Língua Portuguesa; IV – O contexto / referente da mensagem é a inteligência humana Assinale a alternativa correta a) Somente a alternativa IV é correta; b) Todas as alternativas são corretas; c) As alternativas I e II são as únicas corretas; d) As alternativas de I a IV estão corretas; e) Somente a alternativa II é a correta.
  • 41. 10. (UFVI) Quando uma linguagem trata de si própria – por exemplo um filme falando sobre os processos de filmagem, um poema desvendando o ato de criação poética, um romance questionando o ato de narrar – temos a metalinguagem. Esta forma de linguagem predomina em todos os fragmentos, exceto: a) “Amo-te como um bicho simplesmente/de um amor sem mistério e sem virtude/com um desejo maciço e permanente.” (Vinicius de Morais) b) “Proponho-me a que não seja complexo o que escreverei, embora obrigada a usar as palavras que vos sustentam.” (Clarice Lispector) c) “Não narro mais pelo prazer de saber. Narro pelo gosto de narrar, sopro palavras e mais palavras, componho frases e mais frases.” (Silviano Santiago) d) “Agarro o azul do poema pelo fio mais delgado de lã de seu discurso e vou traçando as linhas do relâmpago no vidro opaco da janela.” (Gilberto Mendonça Teles) e) Que é Poesia? Uma ilha cercada de palavras por todos os lados.” Ricardo) (Cassiano
  • 42. 11. Assinale a alternativa em que a função apelativa da linguagem é a que prevalece: a) Trago no meu peito um sentimento de solidão sem fim… sem fim… b) “Não discuto com o destino o que pintar eu assino.” c) Machado de Assis é um dos maiores escritores brasileiros. d) Conheça você também a obra desse grande mestre. e) Semântica é o estudo da significação das palavras.
  • 43. 12. Identifique a frase em que a função predominante da linguagem é a REFERENCIAL: a) Dona Casemira vivia sozinha com seu cachorrinho. b) Vem, Dudu! c) Pobre Dona Casemira… d) O que … O que foi que você disse? e) Um cachorro falando?
  • 44. RELACIONE AS COLUNAS ABAIXO:  ( 1 ) Função Emotiva  ( 2 ) Função Referencial  ( 3 ) Função Poética  ( 4 ) Função Metalinguística  ( 5 ) Função Fática  ( 6 ) Função Conativa ( ) Ênfase no Receptor / Destinatário ( ) Ênfase no Emissor ( ) Ênfase na Mensagem ( ) Ênfase no Referente / Assunto / Contexto ( ) Ênfase no Canal ( ) Ênfase no Código
  • 45. RELACIONE AS COLUNAS ABAIXO:  ( 1 ) Função Emotiva  ( 2 ) Função Referencial  ( 3 ) Função Poética  ( 4 ) Função Metalinguística  ( 5 ) Função Fática  ( 6 ) Função Conativa ( 6) Ênfase no Receptor / Destinatário ( 1) Ênfase no Emissor (3 ) Ênfase na Mensagem (2 ) Ênfase no Referente / Assunto / Contexto ( 5) Ênfase no Canal ( 4) Ênfase no Código