SlideShare uma empresa Scribd logo
Frei Luís de Sousa                                                                Almeida Garrett



                                     ACTO PRIMEIRO
                                       Quadro Síntese
Cenas    Personagens                Assunto                   Sinais que indicam o desenlace
                                                           Ao ler o episódio de Inês de Castro,
                                                           d’”Os Lusíadas”, Madalena compara o
   1     Madalena     Informações sobre o passado das      seu estado de espírito com o de Inês de
                      personagens.                         Castro (sente-se predestinada para a
                      Caracterização das personagens:      morte).
   2     Madalena;    D. Madalena; Manuel de Sousa         Telmo (coro da tragédia clássica)
         Telmo        Coutinho; Maria; D. João de          anuncia desgraças próximas, contínuos
                      Portugal e Telmo.                    agouros.
   3     Madalena;    Maria pergunta a Telmo sobre o        Sebastianismo de Maria (se o rei não
         Telmo; Maria romance que lhe prometeu sobre       morreu também d. João de Portugal
                      D. Sebastião. A mãe nem quer         não terá morrido).
                      ouvir falar disso.                   Tuberculose de Maria
   4     Madalena;    Maria não consegue entender a        Maria é dotada de uma prodigiosa
         Maria        preocupação dos pais                 imaginação (tem a “doença de
                      (relativamente ao regresso de D.     sonhar”).
                      Sebastião); Madalena não pode
                      revelar a causa das suas
                      preocupações.                       As papoilas que Maria traz murcham.
   5     Madalena;    Frei Jorge anuncia a intenção dos
         Maria; Frei  governadores de se instalarem em
         Jorge        casa de Manuel de Sousa
                      Coutinho para fugirem à peste que
                      ainda grassava em Lisboa.           Ouvido “apurado” de Maria que frei
   6     Madalena;    Miranda anuncia a chegada de        Jorge designa de “terrível sinal”.
         Maria; Frei  Manuel de Sousa Coutinho.
         Jorge;
         Miranda
   7     Madalena;    Manuel de Sousa Coutinho            Madalena fica aterrorizada com a ideia
         Maria; Frei  transmite à família a decisão de se da mudança. Frei Jorge, tentando
         Jorge;       mudarem para o palácio que fora     sossegar Madalena, diz que ficarão
         Miranda;     de D. João de Portugal              “quase debaixo dos mesmos telhados”
         Manuel de
         Sousa
   8     Madalena;    As duas personagens vivem um        Mudança de espaço (palácio de D.
         Manuel de    conflito dominado pelas oposições João de Portugal) – mais do que o
         Sousa        passado /presente, razão/coração. regresso ao passado é o regresso do
                      Madalena não quer voltar à casa     passado.
                      de D. João de Portugal; para ela é
                      uma questão de vida ou morte,
                      que Manuel de Sousa interpreta
                      como uma teimosia
                      incompreensível (“caprichos”).
9 e 10   Madalena;    Telmo anuncia a chegada da
         Manuel de    comitiva dos governadores a
         Sousa;       Almada
         Telmo;
                                                                                                   1
Frei Luís de Sousa                                                                   Almeida Garrett

         Miranda e       Manuel da Sousa certifica-se que
         outros          todas as providências foram
         criados; Frei   tomadas e ordena que Madalena e
         Jorge           Maria partam para a “nova” casa.
  11     Manuel de       Manuel de Sousa ateia fogo à sua    Manuel de Sousa fala da morte do pai
         Sousa;          casa.                               e do que poderá vir a acontecer-lhe, a
         Miranda e                                           ele, na sequência da sua atitude.
         outros
         criados
  12     Todos           Incêndio do palácio de Manuel de    O retrato de Manuel de Sousa arde no
                         Sousa.                              incêndio.


                                       ACTO SEGU DO
                                         Quadro Síntese
Cenas    Personagens                 Assunto                     Sinais que indicam o desenlace
                       Maria conta a Telmo, como a           Maria Recita os primeiros versos da
                       mãe, ao entrar no palácio que         novela trágica “Menina e Moça”, de
   1     Maria, Telmo habitara, fica aterrorizada com o      Bernardim Ribeiro, contemporâneo de
                       retrato de D. João e recrimina os     Camões. É referida a causa da doença
                       seus agouros, que se encontra         de D. Madalena - o retrato de D.
                       doente há 8 dias; interessa-se        Manuel que ardeu no incêndio e o ter
                       pelos três retratos que se            revisto o retrato do seu primeiro
                       encontram na sala e, sabendo já       marido, logo que entrou neste palácio
                       que um deles é de D. João, 1º         – é um prognóstico fatal de uma perda
                       marido de sua mãe, pretende que       ainda maior.
                       Telmo o confirme. D: Manuel está
                       escondido, temendo as represálias
                       dos Governadores
   2     Maria,        È Manual de Sousa, que vem de         Maria continua febril e “sabe tudo”;
         Telmo, D.     visita, quem revela a Maria a         “feiticeira”- como é tratada pelo pai.
         Manuel        identidade da personagem do 3º
   3     Maria, D.     retrato e tece grandes elogios a D.    Manuel de Sousa diz a Maria que
         Manuel        João de Portugal, não                 aquela casa é quase um convento e que
                       demonstrando qualquer indício de      para frades de S. Domingos só lhes
                       ciúme.                                falta o hábito…
   4     Maria, D.     Frei Jorge anuncia a Manuel de        Soror Joana (D. Joana de Castro e
         Manuel,       Sousa a decisão dos governadores      Mendonça) fora casada com o conde
         Jorge         de esquecer a sua atitude. Manuel     de Vimioso, D. Luís de Portugal. A
                       de Sousa pretende deslocar-se a       determinada altura das suas vidas
                       Lisboa ao convento do                 decidem os dois professar: ela entra no
                       Sacramento e Maria pede-lhe para      convento do Sacramento e ele em S.
                       o acompanhar a fim de conhecer        Domingos de Benfica.
                       soror Joana.
   5     Madalena;     Madalena afirma que está curada       Quando toma consciência que se está
         Manuel de     do seu mal (o terror de perder D.     numa 6ª feira, Madalena fica
         Sousa, Maria, Manuel), mas continua a mostrar-      aterrorizada: “Este dia de hoje é o
         Frei Jorge    se, ao longo de toda a cena,          pior…”
   6     Madalena;     preocupada com a viagem que o
         Manuel de     seu marido vais fazer a Lisboa,

                                                                                                      2
Frei Luís de Sousa                                                                     Almeida Garrett

         Sousa, Maria,   receosa por ter de ficar sozinha,
         Frei Jorge      acabando por se resignar. Pede a
   7     Madalena;       Manuel que também leve Telmo,          Madalena despede-se do marido e da
         Manuel de       para acompanhar Maria, No              filha como se fosse para sempre: “Vão,
         Sousa, Maria,   momento da partida, Madalena           vão…adeus”
         Frei Jorge,     chora e mostra-se muito
         Telmo,          preocupada com a saúde da filha.
         Doroteia
   8     Madalena,       Madalena despede-se de Manuel          Madalena não consegue entender a
         Manuel,         de Sousa, abraçando-o                  atitude dos condes de Vimioso que se
         Jorge           repetidamente como se ele fosse        enterram vivos depois de tantos anos
                         embarcar “num galeão par a             de amor.
                         Índia”. Referindo-se a soror
                         Joana, Jorge diz que a perfeição
                         verdadeira é a do Evangelho
                         “Deixa tudo e segue-me”
   9     Jorge           Preocupado com todo o ambiente
                         que vive à sua volta, o próprio frei
                         começa a “sentir” que alguma
                         desgraça está para acontecer.
  10     Madalena,       Madalena revela a Jorge a razão    È sempre á 6ª feira que aconteceram
         Jorge           que está na origem dos seus        coisas importantes na sua vida (fazia
                         medos: amou Manuel desde o         anos que causou com D. João, que D.
                         primeiro instante em que o viu,    Sebastião desapareceu em Alcácer
                         era ainda casada com D. João.      Quibir, que se apaixonou por D.
                         “Pecou”, teme ser castigada.       Manuel). A repetição do advérbio -
                                                            Hoje
  11     Madalena,       Miranda anuncia a chegada de um O Romeiro só dará o recado que traz
         Jorge,          Romeiro, vindo da terra santa, que da Palestina a Madalena
         Miranda         deseja falar com D. Madalena.
  12     Madalena,       Jorge e Madalena recebem o
         Jorge           romeiro
  13     Madalena,                                          Quando Frei Jorge, apontando para
         Jorge,                                             Madalena, pergunta ao Romeiro se é
         Miranda,                                           aquela pessoa com quem deseja falar –
         Romeiro                                            “A mesma”- pode indiciar que a
                                                            reconhece
  14     Madalena,       O Romeiro vai-se dando a           Atinge-se o clímax da acção – D. João
         Jorge,          conhecer aos poucos,               de Portugal está vivo.
         Romeiro         respondendo às perguntas dos
                         dois, acrescentando afirmações a
                         seu respeito. Madalena fica
                         aterrorizada quando percebe que
                         D. João está vivo – o seu
                         casamento fica inválido e a sua
                         filha ilegítima - sai de cena
                         gritando
  15     Jorge,          Questionado por Jorge sobra a sua O Romeiro é D. João de Portugal.
         Romeiro         identidade, reponde – “ inguém”
                         e aponta para o quadro de D. João
                                         ACTO TERCEIRO
                                                                                                       3
Frei Luís de Sousa                                                                    Almeida Garrett

                                         Quadro Síntese
Cenas    Personagens                                       Assunto
                         Manuel, que até então parece um homem racional e decidido, apresenta-se,
                         agora, emotivo e atormentado sobretudo em relação ao destino de Maria.
   1     Manuel,         Chega a afirmar que prefere vê-la morta pela doença que a consome que de
         Jorge           vergonha pela situação de ilegitimidade em que agora se encontra. Sente-se
                         responsável por toda a desgraça. O seu discurso é, por vezes, contraditório.
                         A sua entrada para o convento é, nas suas próprias palavras, a sua morte –
                         “morri hoje…”
                         Maria, que vinha já doente de Lisboa, ficou pior depois de ver em que
                         estado se encontrava sua mãe.
                         Frei Jorge informa Manuel que está tudo tratado e que ele e Madalena
                         tomarão o hábito ainda naquele dia. Informa-o também que apenas eles e o
                         arcebispo conhecem a verdadeira identidade do Romeiro.
   2     Manuel,         Telmo traz notícias de Maria, está melhor, mas muito abatida e muito fraca.
   3     Jorge, Telmo
         e irmão
         Converso
   4     Telmo           Telmo mostra-se mudado. É grande o seu conflito interior: deve ficar ao
                         lado de sua “filha” ou de seu “filho”. Dividido entre o passado e o presente
                         oferece a sua vida pela de Maria.
   5     Telmo,          Telmo reconhece, no Romeiro, a Voz de D. João de Portugal, avivando
         Romeiro         cada vez mais a sua divisão interior. O Romeiro pede a Telmo que ajude a
                         evitar a desgraça desta família, ordenando-lhe que diga que o romeiro é um
                         impostor.
   6     Telmo,          Última ilusão de D. João, que ouvindo D. Madalena chamar elo marido,
         Romeiro,        pensou que era ele.
         Madalena (de
         fora)
   7     Madalena,       Telmo transmite a Frei Jorge o “recado” que o Romeiro lhe tinha dado na
         Telmo, Jorge,   cena anterior, porém Jorge não permite que este seja dado.
         Manuel
   8     Madalena,       Madalena tenta, ainda, evitar a ida para o convento, dando conta das suas
         Manuel,         dúvidas em relação à veracidade do que foi dito pelo Romeiro. No entanto,
         Jorge           Manuel e Jorge sabem que tudo é verdade e que o Romeiro não é mais do
                         que D. João de Portugal, não havendo maneira de recuar. D. Madalena
                         acaba por aceitar o seu destino.
   9     Madalena,
         Jorge, coro
         de Frades
  10     Coro de
         frades,         Dá início à cerimónia da Tomada do Hábito
         arcebispo,
         prior de
         Benfica,
         Manuel,
         Madalena,
         Jorge
  11     Arcebispo,      Maria interrompe a cerimónia da Tomada do Hábito, dando origem á cena
         prior de        mais melodramática deste drama. Alienada pela febre exprime, em delírio,
         Benfica,        de forma violenta, uma profunda revolta contra Deus que separa os pais de
                                                                                                        4
Frei Luís de Sousa                                                            Almeida Garrett

         Manuel,      sua filha tão querida e amada.
         Madalena,
         Maria
  12     Arcebispo,   A voz do Romeiro, que Maria ainda ouve pedindo a Telmo que os salve
         prior de     pois ainda está a tempo, desfere o golpe fatal, Maria morre.
         Benfica,
         Manuel,
         Madalena,
         Telmo,
         Romeiro




                                                                                            5

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasFrei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Maria Rodrigues
 
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente   resumo por ato e cenaUm auto de gil vicente   resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Helena Coutinho
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
AnaGomes40
 
Os Maias estrutura
Os Maias estruturaOs Maias estrutura
Os Maias estrutura
CostaIdalina
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
EuniceCarmo
 
Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
António Fernandes
 
Estrutura do Frei_Luis_de_Sousa
Estrutura do Frei_Luis_de_SousaEstrutura do Frei_Luis_de_Sousa
Estrutura do Frei_Luis_de_Sousa
gracacruz
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
Helena Coutinho
 
Memorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. VMemorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. V
12º A Golegã
 
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura ClássicaFrei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
nelsonalves70
 
Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização
Sofia Yuna
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
António Fernandes
 
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power PointD. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
mauro dinis
 
Memorial do Convento - Cap. IV
Memorial do Convento - Cap. IVMemorial do Convento - Cap. IV
Memorial do Convento - Cap. IV
12º A Golegã
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
beonline5
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
CatarinaNeivas
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Maria Góis
 

Mais procurados (20)

Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasFrei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
 
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente   resumo por ato e cenaUm auto de gil vicente   resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Os Maias estrutura
Os Maias estruturaOs Maias estrutura
Os Maias estrutura
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
 
Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
 
Estrutura do Frei_Luis_de_Sousa
Estrutura do Frei_Luis_de_SousaEstrutura do Frei_Luis_de_Sousa
Estrutura do Frei_Luis_de_Sousa
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Memorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. VMemorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. V
 
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura ClássicaFrei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
Frei Luis de Sousa - Estrutura Clássica
 
Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power PointD. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
D. Madalena - Frei Luis de Sousa - Power Point
 
Memorial do Convento - Cap. IV
Memorial do Convento - Cap. IVMemorial do Convento - Cap. IV
Memorial do Convento - Cap. IV
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
Estruturas externa-e-interna de "Frei Luís de Sousa"
 

Destaque

Frei luis de sousa
Frei luis de sousaFrei luis de sousa
Frei luis de sousa
Maria da Paz
 
Apresentação do programa do 11º ano [1]
Apresentação do programa do 11º ano [1]Apresentação do programa do 11º ano [1]
Apresentação do programa do 11º ano [1]
aramalho340
 
RelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E FilhosRelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E Filhos
raquel
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
Helena Coutinho
 
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Liliana
 
Apontamentos do texto dramatico
Apontamentos do texto dramaticoApontamentos do texto dramatico
Apontamentos do texto dramatico
mariananunes1998
 
Categorias Narrativa
Categorias NarrativaCategorias Narrativa
Categorias Narrativa
nelsonalves70
 
Pt7cdr solucoes testes
Pt7cdr solucoes testesPt7cdr solucoes testes
Pt7cdr solucoes testes
7f14_15
 
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
complementoindirecto
 
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito? E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
João Paulo Proença
 
BE - O futuro chega depressa
BE - O futuro chega depressaBE - O futuro chega depressa
BE - O futuro chega depressa
Isabel Mendinhos
 
Texto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaTexto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?
Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?
Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?
GILT (Games, Interaction and Learning Technologies) IS Engenharia do Porto
 
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXIA lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
Antonio Dias de Figueiredo
 
Ciência em Linha em Espinho
Ciência em Linha em  EspinhoCiência em Linha em  Espinho
Ciência em Linha em Espinho
António Pires
 
Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.
nelsonalves70
 

Destaque (16)

Frei luis de sousa
Frei luis de sousaFrei luis de sousa
Frei luis de sousa
 
Apresentação do programa do 11º ano [1]
Apresentação do programa do 11º ano [1]Apresentação do programa do 11º ano [1]
Apresentação do programa do 11º ano [1]
 
RelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E FilhosRelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E Filhos
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
 
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
 
Apontamentos do texto dramatico
Apontamentos do texto dramaticoApontamentos do texto dramatico
Apontamentos do texto dramatico
 
Categorias Narrativa
Categorias NarrativaCategorias Narrativa
Categorias Narrativa
 
Pt7cdr solucoes testes
Pt7cdr solucoes testesPt7cdr solucoes testes
Pt7cdr solucoes testes
 
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
A Linguagem em "Frei Luís de Sousa"
 
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito? E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
 
BE - O futuro chega depressa
BE - O futuro chega depressaBE - O futuro chega depressa
BE - O futuro chega depressa
 
Texto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaTexto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação Crítica
 
Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?
Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?
Desligar ou ligar os dispositivos móveis na sala de aula?
 
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXIA lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
 
Ciência em Linha em Espinho
Ciência em Linha em  EspinhoCiência em Linha em  Espinho
Ciência em Linha em Espinho
 
Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.Frei Luís de Sousa - Classificação.
Frei Luís de Sousa - Classificação.
 

Semelhante a Frei Luís de Sousa - Quadro Síntese

1 enredo
1  enredo1  enredo
frei luis de sousa
 frei luis de sousa frei luis de sousa
frei luis de sousa
Tatiana Raquel
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
Helena Coutinho
 
Sistematizacao (1)
Sistematizacao (1)Sistematizacao (1)
Sistematizacao (1)
Joao Pedro Monteiro
 
Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2
Anabela Torres
 
Resumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousaResumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousa
jomadeira
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74
luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72
luisprista
 
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
helder goncalves
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
luisprista
 
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maiasEsboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Maria Rodrigues
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
Filipe Leal
 
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptxTRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
JMTCS
 
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31
luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
luisprista
 
Frei 11 ct1 v1
Frei 11 ct1 v1Frei 11 ct1 v1
Frei 11 ct1 v1
Maria Campeão
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
luisprista
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Zita Dias
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74
luisprista
 

Semelhante a Frei Luís de Sousa - Quadro Síntese (20)

1 enredo
1  enredo1  enredo
1 enredo
 
frei luis de sousa
 frei luis de sousa frei luis de sousa
frei luis de sousa
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
 
Sistematizacao (1)
Sistematizacao (1)Sistematizacao (1)
Sistematizacao (1)
 
Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2Frei luis de sousa resumos 2
Frei luis de sousa resumos 2
 
Resumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousaResumo de-frei-luis-de-sousa
Resumo de-frei-luis-de-sousa
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 73-74
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 71-72
 
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
Os acontecimentos na obra frei luís de sousa que espelham cada um dos element...
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 71 72
 
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maiasEsboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
Esboço de estudo paralelo de frei luís de sousa e os maias
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptxTRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
TRAGEDIA_MAIAS_FREI LUIS.pptx
 
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
Frei Luís de Sousa - 2ª G - 2011
 
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31
Apresentação para décimo primeiro ano, aula 31
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 85-86
 
Frei 11 ct1 v1
Frei 11 ct1 v1Frei 11 ct1 v1
Frei 11 ct1 v1
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6 aula 73 74
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 

Frei Luís de Sousa - Quadro Síntese

  • 1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett ACTO PRIMEIRO Quadro Síntese Cenas Personagens Assunto Sinais que indicam o desenlace Ao ler o episódio de Inês de Castro, d’”Os Lusíadas”, Madalena compara o 1 Madalena Informações sobre o passado das seu estado de espírito com o de Inês de personagens. Castro (sente-se predestinada para a Caracterização das personagens: morte). 2 Madalena; D. Madalena; Manuel de Sousa Telmo (coro da tragédia clássica) Telmo Coutinho; Maria; D. João de anuncia desgraças próximas, contínuos Portugal e Telmo. agouros. 3 Madalena; Maria pergunta a Telmo sobre o Sebastianismo de Maria (se o rei não Telmo; Maria romance que lhe prometeu sobre morreu também d. João de Portugal D. Sebastião. A mãe nem quer não terá morrido). ouvir falar disso. Tuberculose de Maria 4 Madalena; Maria não consegue entender a Maria é dotada de uma prodigiosa Maria preocupação dos pais imaginação (tem a “doença de (relativamente ao regresso de D. sonhar”). Sebastião); Madalena não pode revelar a causa das suas preocupações. As papoilas que Maria traz murcham. 5 Madalena; Frei Jorge anuncia a intenção dos Maria; Frei governadores de se instalarem em Jorge casa de Manuel de Sousa Coutinho para fugirem à peste que ainda grassava em Lisboa. Ouvido “apurado” de Maria que frei 6 Madalena; Miranda anuncia a chegada de Jorge designa de “terrível sinal”. Maria; Frei Manuel de Sousa Coutinho. Jorge; Miranda 7 Madalena; Manuel de Sousa Coutinho Madalena fica aterrorizada com a ideia Maria; Frei transmite à família a decisão de se da mudança. Frei Jorge, tentando Jorge; mudarem para o palácio que fora sossegar Madalena, diz que ficarão Miranda; de D. João de Portugal “quase debaixo dos mesmos telhados” Manuel de Sousa 8 Madalena; As duas personagens vivem um Mudança de espaço (palácio de D. Manuel de conflito dominado pelas oposições João de Portugal) – mais do que o Sousa passado /presente, razão/coração. regresso ao passado é o regresso do Madalena não quer voltar à casa passado. de D. João de Portugal; para ela é uma questão de vida ou morte, que Manuel de Sousa interpreta como uma teimosia incompreensível (“caprichos”). 9 e 10 Madalena; Telmo anuncia a chegada da Manuel de comitiva dos governadores a Sousa; Almada Telmo; 1
  • 2. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett Miranda e Manuel da Sousa certifica-se que outros todas as providências foram criados; Frei tomadas e ordena que Madalena e Jorge Maria partam para a “nova” casa. 11 Manuel de Manuel de Sousa ateia fogo à sua Manuel de Sousa fala da morte do pai Sousa; casa. e do que poderá vir a acontecer-lhe, a Miranda e ele, na sequência da sua atitude. outros criados 12 Todos Incêndio do palácio de Manuel de O retrato de Manuel de Sousa arde no Sousa. incêndio. ACTO SEGU DO Quadro Síntese Cenas Personagens Assunto Sinais que indicam o desenlace Maria conta a Telmo, como a Maria Recita os primeiros versos da mãe, ao entrar no palácio que novela trágica “Menina e Moça”, de 1 Maria, Telmo habitara, fica aterrorizada com o Bernardim Ribeiro, contemporâneo de retrato de D. João e recrimina os Camões. É referida a causa da doença seus agouros, que se encontra de D. Madalena - o retrato de D. doente há 8 dias; interessa-se Manuel que ardeu no incêndio e o ter pelos três retratos que se revisto o retrato do seu primeiro encontram na sala e, sabendo já marido, logo que entrou neste palácio que um deles é de D. João, 1º – é um prognóstico fatal de uma perda marido de sua mãe, pretende que ainda maior. Telmo o confirme. D: Manuel está escondido, temendo as represálias dos Governadores 2 Maria, È Manual de Sousa, que vem de Maria continua febril e “sabe tudo”; Telmo, D. visita, quem revela a Maria a “feiticeira”- como é tratada pelo pai. Manuel identidade da personagem do 3º 3 Maria, D. retrato e tece grandes elogios a D. Manuel de Sousa diz a Maria que Manuel João de Portugal, não aquela casa é quase um convento e que demonstrando qualquer indício de para frades de S. Domingos só lhes ciúme. falta o hábito… 4 Maria, D. Frei Jorge anuncia a Manuel de Soror Joana (D. Joana de Castro e Manuel, Sousa a decisão dos governadores Mendonça) fora casada com o conde Jorge de esquecer a sua atitude. Manuel de Vimioso, D. Luís de Portugal. A de Sousa pretende deslocar-se a determinada altura das suas vidas Lisboa ao convento do decidem os dois professar: ela entra no Sacramento e Maria pede-lhe para convento do Sacramento e ele em S. o acompanhar a fim de conhecer Domingos de Benfica. soror Joana. 5 Madalena; Madalena afirma que está curada Quando toma consciência que se está Manuel de do seu mal (o terror de perder D. numa 6ª feira, Madalena fica Sousa, Maria, Manuel), mas continua a mostrar- aterrorizada: “Este dia de hoje é o Frei Jorge se, ao longo de toda a cena, pior…” 6 Madalena; preocupada com a viagem que o Manuel de seu marido vais fazer a Lisboa, 2
  • 3. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett Sousa, Maria, receosa por ter de ficar sozinha, Frei Jorge acabando por se resignar. Pede a 7 Madalena; Manuel que também leve Telmo, Madalena despede-se do marido e da Manuel de para acompanhar Maria, No filha como se fosse para sempre: “Vão, Sousa, Maria, momento da partida, Madalena vão…adeus” Frei Jorge, chora e mostra-se muito Telmo, preocupada com a saúde da filha. Doroteia 8 Madalena, Madalena despede-se de Manuel Madalena não consegue entender a Manuel, de Sousa, abraçando-o atitude dos condes de Vimioso que se Jorge repetidamente como se ele fosse enterram vivos depois de tantos anos embarcar “num galeão par a de amor. Índia”. Referindo-se a soror Joana, Jorge diz que a perfeição verdadeira é a do Evangelho “Deixa tudo e segue-me” 9 Jorge Preocupado com todo o ambiente que vive à sua volta, o próprio frei começa a “sentir” que alguma desgraça está para acontecer. 10 Madalena, Madalena revela a Jorge a razão È sempre á 6ª feira que aconteceram Jorge que está na origem dos seus coisas importantes na sua vida (fazia medos: amou Manuel desde o anos que causou com D. João, que D. primeiro instante em que o viu, Sebastião desapareceu em Alcácer era ainda casada com D. João. Quibir, que se apaixonou por D. “Pecou”, teme ser castigada. Manuel). A repetição do advérbio - Hoje 11 Madalena, Miranda anuncia a chegada de um O Romeiro só dará o recado que traz Jorge, Romeiro, vindo da terra santa, que da Palestina a Madalena Miranda deseja falar com D. Madalena. 12 Madalena, Jorge e Madalena recebem o Jorge romeiro 13 Madalena, Quando Frei Jorge, apontando para Jorge, Madalena, pergunta ao Romeiro se é Miranda, aquela pessoa com quem deseja falar – Romeiro “A mesma”- pode indiciar que a reconhece 14 Madalena, O Romeiro vai-se dando a Atinge-se o clímax da acção – D. João Jorge, conhecer aos poucos, de Portugal está vivo. Romeiro respondendo às perguntas dos dois, acrescentando afirmações a seu respeito. Madalena fica aterrorizada quando percebe que D. João está vivo – o seu casamento fica inválido e a sua filha ilegítima - sai de cena gritando 15 Jorge, Questionado por Jorge sobra a sua O Romeiro é D. João de Portugal. Romeiro identidade, reponde – “ inguém” e aponta para o quadro de D. João ACTO TERCEIRO 3
  • 4. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett Quadro Síntese Cenas Personagens Assunto Manuel, que até então parece um homem racional e decidido, apresenta-se, agora, emotivo e atormentado sobretudo em relação ao destino de Maria. 1 Manuel, Chega a afirmar que prefere vê-la morta pela doença que a consome que de Jorge vergonha pela situação de ilegitimidade em que agora se encontra. Sente-se responsável por toda a desgraça. O seu discurso é, por vezes, contraditório. A sua entrada para o convento é, nas suas próprias palavras, a sua morte – “morri hoje…” Maria, que vinha já doente de Lisboa, ficou pior depois de ver em que estado se encontrava sua mãe. Frei Jorge informa Manuel que está tudo tratado e que ele e Madalena tomarão o hábito ainda naquele dia. Informa-o também que apenas eles e o arcebispo conhecem a verdadeira identidade do Romeiro. 2 Manuel, Telmo traz notícias de Maria, está melhor, mas muito abatida e muito fraca. 3 Jorge, Telmo e irmão Converso 4 Telmo Telmo mostra-se mudado. É grande o seu conflito interior: deve ficar ao lado de sua “filha” ou de seu “filho”. Dividido entre o passado e o presente oferece a sua vida pela de Maria. 5 Telmo, Telmo reconhece, no Romeiro, a Voz de D. João de Portugal, avivando Romeiro cada vez mais a sua divisão interior. O Romeiro pede a Telmo que ajude a evitar a desgraça desta família, ordenando-lhe que diga que o romeiro é um impostor. 6 Telmo, Última ilusão de D. João, que ouvindo D. Madalena chamar elo marido, Romeiro, pensou que era ele. Madalena (de fora) 7 Madalena, Telmo transmite a Frei Jorge o “recado” que o Romeiro lhe tinha dado na Telmo, Jorge, cena anterior, porém Jorge não permite que este seja dado. Manuel 8 Madalena, Madalena tenta, ainda, evitar a ida para o convento, dando conta das suas Manuel, dúvidas em relação à veracidade do que foi dito pelo Romeiro. No entanto, Jorge Manuel e Jorge sabem que tudo é verdade e que o Romeiro não é mais do que D. João de Portugal, não havendo maneira de recuar. D. Madalena acaba por aceitar o seu destino. 9 Madalena, Jorge, coro de Frades 10 Coro de frades, Dá início à cerimónia da Tomada do Hábito arcebispo, prior de Benfica, Manuel, Madalena, Jorge 11 Arcebispo, Maria interrompe a cerimónia da Tomada do Hábito, dando origem á cena prior de mais melodramática deste drama. Alienada pela febre exprime, em delírio, Benfica, de forma violenta, uma profunda revolta contra Deus que separa os pais de 4
  • 5. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett Manuel, sua filha tão querida e amada. Madalena, Maria 12 Arcebispo, A voz do Romeiro, que Maria ainda ouve pedindo a Telmo que os salve prior de pois ainda está a tempo, desfere o golpe fatal, Maria morre. Benfica, Manuel, Madalena, Telmo, Romeiro 5