SlideShare uma empresa Scribd logo
Fluxo de energia e pirâmides
ecológicas
Professora Silvana Sanches Botelho – Ecologia 1 ano E.M.
Cadeia alimentar
A energia contida na matéria orgânica é transferida de um organismo para o
outro através da cadeia alimentar. Tudo inicia-se com a ação dos produtores.
O que ocorre com energia
A cada nível trófico da cadeia alimentar perde-se 90 % da
energia adquirida com a alimentação. Por isso ela é
decrescente
Cada um dos organismo
consumiu 90% da energia
adquirida em sua
sobrevivência, restando
apenas 10% para o nível
trófico seguinte.
Logo, do ponto de vista ecológico, terá receberá maior
quantidade de energia os consumidores mais próximos dos
produtores.
Pirâmides ecológicas
São as representações gráficas da estrutura trófica de um
ecossistema.
Existem três tipos de pirâmides
ecológicas
Energia
Indica a quantidade de energia
presente em cada nível trófico
Indica a quantidade de
indivíduos presente em cada
nível trófico
Indica a quantidade de matéria
orgânica presente em cada
nível trófico
Números
Biomassa
Pirâmide de energia: Só tem uma formatação devido a
característica do fluxo de energia
Consumidor 2
Consumidor 1
Produtor
Pirâmide de números: pode se apresentar de diferentes
maneiras, devido a quantidade de indivíduos para cada N.T.
Pirâmide direta
Para que se mantenha em equilíbrio, o número de predadores será sempre
menor em relação ao de presas.
Pirâmide de números: pode se apresentar de diferentes
maneiras, devido a quantidade de indivíduos para cada N.T.
Algumas vezes, a base não se apresenta larga, como nos casos em que um único
produtor serve de alimento para uma grande quantidade de consumidores
primários. Ela ocorre normalmente quando o produtor apresenta grande porte,
uma árvore, por exemplo. Nesses casos, temos uma pirâmide invertida.
joaninhas
pulgões
roseira
Pirâmide de números: pode se apresentar de diferentes
maneiras, devido a quantidade de indivíduos para cada N.T.
O número de parasitas será sempre maior em relação ao
seu hospedeiro.
pulgas
Pés de capim
antas
• Estamos falando da quantidade de matéria orgânica,
despreza-se a água, disponível em cada nível trófico.
Pirâmide de biomassa
A maior parte da biomassa
adquirida com a alimentação é
transformada em energia e outra é
eliminada sob a forma de fezes e
urina. Resta apenas uma pequena
parcela que incorpora-se ao
indivíduo.
Normalmente, nesses casos, há uma pirâmide com base maior que o
ápice. Entretanto, existem casos em que ela se apresenta invertida. É o
caso dos ambientes aquáticos, onde os produtores possuem uma vida
muito curta, são pequenos e multiplicam-se rapidamente, acumulando,
assim, pouca matéria.
Pirâmide de biomassa
Fitoplâncton- algas
microscópicas
Zooplâncton crustáceos
microscópicos
fim
Professora Silvana Sanches Botelho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
mainamgar
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
URCA
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Bio Sem Limites
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
Gabriela de Lima
 
Ecologia de Populações
Ecologia de PopulaçõesEcologia de Populações
Ecologia de Populações
Gabriela de Lima
 
Adaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivosAdaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivos
Rosana Santos Quirino
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos. Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Silvana Sanches
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Leonardo Kaplan
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
Turma Olímpica
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Ronaldo Santana
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Metabolismo Energético
Metabolismo EnergéticoMetabolismo Energético
Metabolismo Energético
Killer Max
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
Silvana Sanches
 
_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx
_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx
_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx
Silvana Sanches
 
Células
CélulasCélulas
Células
Cláudia Moura
 
Fatores bioticos e abioticos
Fatores bioticos e abioticosFatores bioticos e abioticos
Fatores bioticos e abioticos
Marcia Bantim
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
infoeducp2
 

Mais procurados (20)

Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Ecologia de Populações
Ecologia de PopulaçõesEcologia de Populações
Ecologia de Populações
 
Adaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivosAdaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivos
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos. Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
Os cinco Grandes Reinos- classificação dos seres vivos.
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
 
Metabolismo Energético
Metabolismo EnergéticoMetabolismo Energético
Metabolismo Energético
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
 
_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx
_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx
_ciclos biogeoquímicos ppt.pptx
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
Fatores bioticos e abioticos
Fatores bioticos e abioticosFatores bioticos e abioticos
Fatores bioticos e abioticos
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 

Destaque

Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
Pelo Siro
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
koala69panda
 
PiráMides EcolóGicas
PiráMides EcolóGicasPiráMides EcolóGicas
PiráMides EcolóGicas
Aranzazu
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
Tiago Henriques
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
isabelalexandrapinto
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
Catir
 
03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc
03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc
03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc
Teresa Monteiro
 
Parámetros tróficos y pirámides ecológicas
Parámetros tróficos y pirámides ecológicasParámetros tróficos y pirámides ecológicas
Parámetros tróficos y pirámides ecológicas
cesarelo
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria iiFluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Cristina Vitória
 
Fluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materiaFluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materia
Rita Pereira
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
Catir
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
Catir
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
mariacarmoteixeira
 
Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013
Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013
Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013
Esquadrão Do Conhecimento
 
Apostila resumo ecologia
Apostila resumo   ecologiaApostila resumo   ecologia
Apostila resumo ecologia
grupev
 
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
Aula 3   cadeia, teia e piramedesAula 3   cadeia, teia e piramedes
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
Grupo UNIASSELVI
 
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
agendab
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Leandro Amorim
 

Destaque (20)

Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
PiráMides EcolóGicas
PiráMides EcolóGicasPiráMides EcolóGicas
PiráMides EcolóGicas
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc
03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc
03 fluxo de energia e ciclo de matéria 20102011_tc
 
Parámetros tróficos y pirámides ecológicas
Parámetros tróficos y pirámides ecológicasParámetros tróficos y pirámides ecológicas
Parámetros tróficos y pirámides ecológicas
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria iiFluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
 
Fluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materiaFluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materia
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
 
Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013
Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013
Biologia Esquadrão do Conhecimento VIP 2013
 
Apostila resumo ecologia
Apostila resumo   ecologiaApostila resumo   ecologia
Apostila resumo ecologia
 
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
Aula 3   cadeia, teia e piramedesAula 3   cadeia, teia e piramedes
Aula 3 cadeia, teia e piramedes
 
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
Slide: Por favor, não defendam a natureza! Biologia. PARTE 1.
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Semelhante a Fluxo de energia e pirâmides ecológicas

Piramide
PiramidePiramide
Piramide
Lucilo Campos
 
Cadeias alimentares
Cadeias alimentares Cadeias alimentares
Cadeias alimentares
Bianca Lima
 
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Marcelo Gomes
 
3S Ecologia 2014
3S Ecologia 20143S Ecologia 2014
3S Ecologia 2014
Ionara Urrutia Moura
 
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
CIN
 
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdfEcologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
LucasVideira1
 
resumo quadro.docx
resumo quadro.docxresumo quadro.docx
resumo quadro.docx
TainReis15
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Particular
 
Seminário "
Seminário "Seminário "
Seminário "
Leandro Amorim
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
LarissiFial
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
Pedro .
 
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
Roberto Bagatini
 
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Med. Veterinária 2011
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Leonardo Alves
 
Fluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaFluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matéria
adelinacgomes
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
helder raposo
 
ecossistema 1 ano.pptx
ecossistema 1 ano.pptxecossistema 1 ano.pptx
ecossistema 1 ano.pptx
rafaelbrandao22
 
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptxresumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
MarcelinoAraujo3
 

Semelhante a Fluxo de energia e pirâmides ecológicas (20)

Piramide
PiramidePiramide
Piramide
 
Cadeias alimentares
Cadeias alimentares Cadeias alimentares
Cadeias alimentares
 
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
 
3S Ecologia 2014
3S Ecologia 20143S Ecologia 2014
3S Ecologia 2014
 
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
 
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdfEcologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
 
resumo quadro.docx
resumo quadro.docxresumo quadro.docx
resumo quadro.docx
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Seminário "
Seminário "Seminário "
Seminário "
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
 
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
 
Fluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaFluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matéria
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
 
ecossistema 1 ano.pptx
ecossistema 1 ano.pptxecossistema 1 ano.pptx
ecossistema 1 ano.pptx
 
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptxresumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
 

Mais de Silvana Sanches

cmsp tecnologias da vida moderna.pptx
cmsp tecnologias da vida moderna.pptxcmsp tecnologias da vida moderna.pptx
cmsp tecnologias da vida moderna.pptx
Silvana Sanches
 
conceitos ecológicos.pptx
conceitos ecológicos.pptxconceitos ecológicos.pptx
conceitos ecológicos.pptx
Silvana Sanches
 
Biodiversidade / Taxonomia
Biodiversidade / TaxonomiaBiodiversidade / Taxonomia
Biodiversidade / Taxonomia
Silvana Sanches
 
Cérebro adolescente
Cérebro adolescenteCérebro adolescente
Cérebro adolescente
Silvana Sanches
 
Biotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células troncoBiotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células tronco
Silvana Sanches
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
Silvana Sanches
 
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESEMetabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Silvana Sanches
 
Tipos de transportes de substâncias através de biomembranas
Tipos de transportes de substâncias através de biomembranasTipos de transportes de substâncias através de biomembranas
Tipos de transportes de substâncias através de biomembranas
Silvana Sanches
 
Organização celular 2
Organização celular 2Organização celular 2
Organização celular 2
Silvana Sanches
 
Vírus e vacinas - professora silvana
Vírus e vacinas - professora silvanaVírus e vacinas - professora silvana
Vírus e vacinas - professora silvana
Silvana Sanches
 
Evolução e especiação - professora Silvana Sanches
Evolução e especiação - professora Silvana SanchesEvolução e especiação - professora Silvana Sanches
Evolução e especiação - professora Silvana Sanches
Silvana Sanches
 
Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.
Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.
Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.
Silvana Sanches
 
áCidos nucléicos dna e rna
áCidos nucléicos   dna e rnaáCidos nucléicos   dna e rna
áCidos nucléicos dna e rna
Silvana Sanches
 
Herança biológica
Herança biológicaHerança biológica
Herança biológica
Silvana Sanches
 

Mais de Silvana Sanches (14)

cmsp tecnologias da vida moderna.pptx
cmsp tecnologias da vida moderna.pptxcmsp tecnologias da vida moderna.pptx
cmsp tecnologias da vida moderna.pptx
 
conceitos ecológicos.pptx
conceitos ecológicos.pptxconceitos ecológicos.pptx
conceitos ecológicos.pptx
 
Biodiversidade / Taxonomia
Biodiversidade / TaxonomiaBiodiversidade / Taxonomia
Biodiversidade / Taxonomia
 
Cérebro adolescente
Cérebro adolescenteCérebro adolescente
Cérebro adolescente
 
Biotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células troncoBiotecnologia clonagem e células tronco
Biotecnologia clonagem e células tronco
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESEMetabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
 
Tipos de transportes de substâncias através de biomembranas
Tipos de transportes de substâncias através de biomembranasTipos de transportes de substâncias através de biomembranas
Tipos de transportes de substâncias através de biomembranas
 
Organização celular 2
Organização celular 2Organização celular 2
Organização celular 2
 
Vírus e vacinas - professora silvana
Vírus e vacinas - professora silvanaVírus e vacinas - professora silvana
Vírus e vacinas - professora silvana
 
Evolução e especiação - professora Silvana Sanches
Evolução e especiação - professora Silvana SanchesEvolução e especiação - professora Silvana Sanches
Evolução e especiação - professora Silvana Sanches
 
Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.
Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.
Sistema imune professora silvana sanches 1 ano E.M.
 
áCidos nucléicos dna e rna
áCidos nucléicos   dna e rnaáCidos nucléicos   dna e rna
áCidos nucléicos dna e rna
 
Herança biológica
Herança biológicaHerança biológica
Herança biológica
 

Último

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 

Fluxo de energia e pirâmides ecológicas

  • 1. Fluxo de energia e pirâmides ecológicas Professora Silvana Sanches Botelho – Ecologia 1 ano E.M.
  • 2. Cadeia alimentar A energia contida na matéria orgânica é transferida de um organismo para o outro através da cadeia alimentar. Tudo inicia-se com a ação dos produtores.
  • 3. O que ocorre com energia A cada nível trófico da cadeia alimentar perde-se 90 % da energia adquirida com a alimentação. Por isso ela é decrescente
  • 4. Cada um dos organismo consumiu 90% da energia adquirida em sua sobrevivência, restando apenas 10% para o nível trófico seguinte.
  • 5. Logo, do ponto de vista ecológico, terá receberá maior quantidade de energia os consumidores mais próximos dos produtores.
  • 6. Pirâmides ecológicas São as representações gráficas da estrutura trófica de um ecossistema.
  • 7. Existem três tipos de pirâmides ecológicas Energia Indica a quantidade de energia presente em cada nível trófico Indica a quantidade de indivíduos presente em cada nível trófico Indica a quantidade de matéria orgânica presente em cada nível trófico Números Biomassa
  • 8. Pirâmide de energia: Só tem uma formatação devido a característica do fluxo de energia Consumidor 2 Consumidor 1 Produtor
  • 9. Pirâmide de números: pode se apresentar de diferentes maneiras, devido a quantidade de indivíduos para cada N.T. Pirâmide direta Para que se mantenha em equilíbrio, o número de predadores será sempre menor em relação ao de presas.
  • 10. Pirâmide de números: pode se apresentar de diferentes maneiras, devido a quantidade de indivíduos para cada N.T. Algumas vezes, a base não se apresenta larga, como nos casos em que um único produtor serve de alimento para uma grande quantidade de consumidores primários. Ela ocorre normalmente quando o produtor apresenta grande porte, uma árvore, por exemplo. Nesses casos, temos uma pirâmide invertida. joaninhas pulgões roseira
  • 11. Pirâmide de números: pode se apresentar de diferentes maneiras, devido a quantidade de indivíduos para cada N.T. O número de parasitas será sempre maior em relação ao seu hospedeiro. pulgas Pés de capim antas
  • 12. • Estamos falando da quantidade de matéria orgânica, despreza-se a água, disponível em cada nível trófico. Pirâmide de biomassa A maior parte da biomassa adquirida com a alimentação é transformada em energia e outra é eliminada sob a forma de fezes e urina. Resta apenas uma pequena parcela que incorpora-se ao indivíduo.
  • 13. Normalmente, nesses casos, há uma pirâmide com base maior que o ápice. Entretanto, existem casos em que ela se apresenta invertida. É o caso dos ambientes aquáticos, onde os produtores possuem uma vida muito curta, são pequenos e multiplicam-se rapidamente, acumulando, assim, pouca matéria. Pirâmide de biomassa Fitoplâncton- algas microscópicas Zooplâncton crustáceos microscópicos