SlideShare uma empresa Scribd logo
Colégio São Paulo Apóstolo
     Professor Jaison
          3º Ano
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
TEIA ALIMENTAR
É um conjunto de cadeias alimentares interconectadas,
geralmente representado como um diagrama das relações
entre os diversos organismos de um ecossistema. Nas teias
aparecem os organismos onívoros.
Por que é difícil encontrarmos cadeias alimentares
                   com muito elos?
        A transformação da energia luminosa em química,
denominada fotossíntese, é responsável pela entrada de energia nos
ecossistemas.
        Um aspecto importante para se entender a transferência de
energia dentro de uma cadeia alimentar é a compreensão da primeira
Lei da Termodinâmica, que diz: “A energia não pode ser criada nem
destruída, e sim transformada.” Outro aspecto importante é o fato de
que a quantidade de energia disponível diminui à medida que é
transferida de um nível trófico ao outro.
        A explicação para este decréscimo energético de um nível
trófico ao outro é o fato de cada organismo gasta grande parte da
energia absorvida na manutenção das funções vitais.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
Aula ecologia.
O Ciclo   do Carbono
O Carbono é um elemento
químico presente em todos
os organismos.




   Também está
   presente dissolvido na
   água do mar




   e na atmosfera.




   Faz parte das
   conchas...
do diamante




   do carvão e da grafite.
Ciclo do Carbono
Aula ecologia.
CICLO DO OXIGÊNIO


             O2




E
S
T
N
Í
O
F




    RESPIRAÇÃO
       SERES      COMBUSTÃO   DECOMPOSIÇÃO
       VIVOS
Aula ecologia.
Aula ecologia.
CICLO DO NITROGÊNIO
Aula ecologia.
Aula ecologia.
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
DEFINIÇÃO:

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DA QUANTIDADE DE INDIVÍDUOS,
DA BIOMASSA E DA ENERGIA EM CADA NÍVEL TRÓFICO.


TIPOS DE PIRÂMIDES ECOLÓGICAS

   PIRÂMIDE DE NÚMEROS

   PIRÂMIDE DE BIOMASSA

   PIRÂMIDE DE ENERGIA
• Numero de individuos da cadeia
  COBRA   (1)                          PROTOZOARIOS        (1000)
      RATO (15)                          CUPIM
                                          (100)
      MILHO (100)                          (1)    ARVORE


                     ARANHAS (100)

                    DROSOFILAS (300)

                           (1)   BANANEIRA


                NAO HA PADRAO UNICO !!!
Aula ecologia.
- Massa de matéria orgânica
-Normalmente se apresenta com a base
               alargada

            HOMEM
                    AVE

                COBRA

                    RATO

                 MILHO
NO AMBIENTE AQUATICO:

                ZOOPLÂNCTON


                FITOPLÂNCTON


A taxa de reproduçao do fitoplâncton é
  muito elevada e a reposiçao de sua
  biomassa é muito rapida
- NUNCA é invertida
- Leis da termodinâmica
- O fluxo de energia é UNIDIRECIONAL
• 1ª Lei da termodinâmica
 “A energia nao pode ser criada ou
  destruida”
• 2ª Lei da termodinâmica
 “Em todo o processo de transferência de
  energia, ha uma perda de energia util”

 FLUXO UNIDIRECIONAL DE ENERGIA
MILHO  RATO  COBRA  FALCAO

FLUXO DE ENERGIA: UNIDIRECIONAL
FLUXO DE MATERIA: CICLICO

       Os materiais nao sao perdidos
 Excreçao/organismos mortos  decompositores

                         retoram ao ecossistema
Aula ecologia.
PPB – R = PPL
TODA A ENERGIA ABSORVIDA PELO
    VEGETAL = PRODUTIVIDADE
        PRIMARIA BRUTA
   ENERGIA DISPONIVEL PARA O
     PROXIMO NIVEL TROFICO =
 PRODUTIVIDADE PRIMARIA LIQUIDA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Bio Sem Limites
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
Rebeca Vale
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
Gisele A. Barbosa
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
César Milani
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
César Milani
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
Kamila Joyce
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
Rebeca Vale
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
Gabriela de Lima
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Silvana Sanches
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evolução
Kamila Joyce
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
Turma Olímpica
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
profatatiana
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
Iuri Fretta Wiggers
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
Reinan Santos
 
V.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologia
Rebeca Vale
 
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendelA primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
mainamgar
 
Biodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicosBiodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicos
Gabriela Cristina Sganzerla
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Marcia Bantim
 

Mais procurados (20)

Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evolução
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
 
V.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologia
 
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendelA primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
 
Biodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicosBiodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicos
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
 

Destaque

Aula de ecologia
Aula de ecologiaAula de ecologia
Aula de ecologia
Ilsoflavio
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
FRANCISCO COSTA
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
Fernanda Reis Dias
 
Ecologia para 6º ano
Ecologia para 6º anoEcologia para 6º ano
Ecologia para 6º ano
Jéssica Lamblet
 
Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]
Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]
Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]
Jade
 
Trabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologiaTrabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologia
Jorgelgl
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
CPM
 
Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
Ilsoflavio
 
I.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivosI.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivos
Rebeca Vale
 
1 n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)
1  n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)1  n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)
1 n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)
Ana Conceição
 
II.2 Os seres vivos e suas interações
II.2 Os seres vivos e suas interaçõesII.2 Os seres vivos e suas interações
II.2 Os seres vivos e suas interações
Rebeca Vale
 
II.1 O mundo dos seres vivos
II.1 O mundo dos seres vivosII.1 O mundo dos seres vivos
II.1 O mundo dos seres vivos
Rebeca Vale
 
Interações entre os seres vivos
Interações  entre os seres vivosInterações  entre os seres vivos
Interações entre os seres vivos
Cláudia Padao Rovani
 
I.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambienteI.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambiente
Rebeca Vale
 
Lei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De FaradayLei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De Faraday
dalgo
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
Maria Barroso
 
Física lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnéticaFísica lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnética
Felipe Bueno
 
Ecologia
Ecologia  Ecologia
Ecologia
Vanessa Anzolin
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
Wanderson Saraiva de Paula
 

Destaque (20)

Aula de ecologia
Aula de ecologiaAula de ecologia
Aula de ecologia
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
 
Ecologia para 6º ano
Ecologia para 6º anoEcologia para 6º ano
Ecologia para 6º ano
 
Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]
Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]
Aulas De Ecologia E Meio Ambiente1[1]
 
Trabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologiaTrabalho sobre ecologia
Trabalho sobre ecologia
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
 
Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
 
I.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivosI.2 características dos seres vivos
I.2 características dos seres vivos
 
1 n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)
1  n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)1  n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)
1 n¡veis de organiza‡æo num ecossistema(1)
 
II.2 Os seres vivos e suas interações
II.2 Os seres vivos e suas interaçõesII.2 Os seres vivos e suas interações
II.2 Os seres vivos e suas interações
 
II.1 O mundo dos seres vivos
II.1 O mundo dos seres vivosII.1 O mundo dos seres vivos
II.1 O mundo dos seres vivos
 
Interações entre os seres vivos
Interações  entre os seres vivosInterações  entre os seres vivos
Interações entre os seres vivos
 
I.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambienteI.1 Os seres vivos e o ambiente
I.1 Os seres vivos e o ambiente
 
Lei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De FaradayLei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De Faraday
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 
Milagre Economico
Milagre EconomicoMilagre Economico
Milagre Economico
 
Física lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnéticaFísica lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnética
 
Ecologia
Ecologia  Ecologia
Ecologia
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
 

Semelhante a Aula ecologia.

Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Renata Lemos Garcia
 
12 - ecologia I
12 - ecologia I12 - ecologia I
12 - ecologia I
Marcus Magarinho
 
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
CIN
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
elisamello
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Antonio Fernandes
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Magali Feldmann
 
Trabalho de biologia do gabi
Trabalho de biologia do gabiTrabalho de biologia do gabi
Trabalho de biologia do gabi
Roberto Bagatini
 
Cicloener
CicloenerCicloener
Cicloener
uendell
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
IsauraSilva13
 
Cadeias alimentares
Cadeias alimentares Cadeias alimentares
Cadeias alimentares
Bianca Lima
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
emanuel
 
peixes.ppt
peixes.pptpeixes.ppt
peixes.ppt
AlmiraLicesilva
 
peixes.ppt
peixes.pptpeixes.ppt
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
Angela Boucinha
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
Pedro .
 
Ecologia 1
Ecologia 1Ecologia 1
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
URCA
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
LarissiFial
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Nanda Freitas
 
3S Ecologia 2014
3S Ecologia 20143S Ecologia 2014
3S Ecologia 2014
Ionara Urrutia Moura
 

Semelhante a Aula ecologia. (20)

Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
 
12 - ecologia I
12 - ecologia I12 - ecologia I
12 - ecologia I
 
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Trabalho de biologia do gabi
Trabalho de biologia do gabiTrabalho de biologia do gabi
Trabalho de biologia do gabi
 
Cicloener
CicloenerCicloener
Cicloener
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
 
Cadeias alimentares
Cadeias alimentares Cadeias alimentares
Cadeias alimentares
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
peixes.ppt
peixes.pptpeixes.ppt
peixes.ppt
 
peixes.ppt
peixes.pptpeixes.ppt
peixes.ppt
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Ecologia 1
Ecologia 1Ecologia 1
Ecologia 1
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
3S Ecologia 2014
3S Ecologia 20143S Ecologia 2014
3S Ecologia 2014
 

Último

Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 

Aula ecologia.

  • 1. Colégio São Paulo Apóstolo Professor Jaison 3º Ano
  • 22. TEIA ALIMENTAR É um conjunto de cadeias alimentares interconectadas, geralmente representado como um diagrama das relações entre os diversos organismos de um ecossistema. Nas teias aparecem os organismos onívoros.
  • 23. Por que é difícil encontrarmos cadeias alimentares com muito elos? A transformação da energia luminosa em química, denominada fotossíntese, é responsável pela entrada de energia nos ecossistemas. Um aspecto importante para se entender a transferência de energia dentro de uma cadeia alimentar é a compreensão da primeira Lei da Termodinâmica, que diz: “A energia não pode ser criada nem destruída, e sim transformada.” Outro aspecto importante é o fato de que a quantidade de energia disponível diminui à medida que é transferida de um nível trófico ao outro. A explicação para este decréscimo energético de um nível trófico ao outro é o fato de cada organismo gasta grande parte da energia absorvida na manutenção das funções vitais.
  • 32. O Ciclo do Carbono
  • 33. O Carbono é um elemento químico presente em todos os organismos. Também está presente dissolvido na água do mar e na atmosfera. Faz parte das conchas...
  • 34. do diamante do carvão e da grafite.
  • 37. CICLO DO OXIGÊNIO O2 E S T N Í O F RESPIRAÇÃO SERES COMBUSTÃO DECOMPOSIÇÃO VIVOS
  • 43. PIRÂMIDES ECOLÓGICAS DEFINIÇÃO: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DA QUANTIDADE DE INDIVÍDUOS, DA BIOMASSA E DA ENERGIA EM CADA NÍVEL TRÓFICO. TIPOS DE PIRÂMIDES ECOLÓGICAS PIRÂMIDE DE NÚMEROS PIRÂMIDE DE BIOMASSA PIRÂMIDE DE ENERGIA
  • 44. • Numero de individuos da cadeia COBRA (1) PROTOZOARIOS (1000) RATO (15) CUPIM (100) MILHO (100) (1) ARVORE ARANHAS (100) DROSOFILAS (300) (1) BANANEIRA NAO HA PADRAO UNICO !!!
  • 46. - Massa de matéria orgânica -Normalmente se apresenta com a base alargada HOMEM AVE COBRA RATO MILHO
  • 47. NO AMBIENTE AQUATICO: ZOOPLÂNCTON FITOPLÂNCTON A taxa de reproduçao do fitoplâncton é muito elevada e a reposiçao de sua biomassa é muito rapida
  • 48. - NUNCA é invertida - Leis da termodinâmica - O fluxo de energia é UNIDIRECIONAL
  • 49. • 1ª Lei da termodinâmica “A energia nao pode ser criada ou destruida” • 2ª Lei da termodinâmica “Em todo o processo de transferência de energia, ha uma perda de energia util”  FLUXO UNIDIRECIONAL DE ENERGIA
  • 50. MILHO  RATO  COBRA  FALCAO FLUXO DE ENERGIA: UNIDIRECIONAL FLUXO DE MATERIA: CICLICO Os materiais nao sao perdidos Excreçao/organismos mortos  decompositores retoram ao ecossistema
  • 52. PPB – R = PPL TODA A ENERGIA ABSORVIDA PELO VEGETAL = PRODUTIVIDADE PRIMARIA BRUTA ENERGIA DISPONIVEL PARA O PROXIMO NIVEL TROFICO = PRODUTIVIDADE PRIMARIA LIQUIDA