SlideShare uma empresa Scribd logo
ENGENHARIA AGRONÔMICA
J.O.MENTEN; P.F.KREYCI
XXVIII Semana Agronômica - FEIT/UEMG – Ituitaba MG - 22/05/13
CONTEÚDO
 Introdução
 Instituições do Agro
 Atribuições Profissionais
 Mercado deTrabalho
 Perfil Profissional
 Formação: Estrutura Curricular
INTRODUÇÃO
ENGENHARIA AGRONÔMICA
• Agronomia - conjunto das ciências e
princípios que regem a pratica da
agricultura;
• Agricultura – Arte e ciência de produzir
vegetais e animais úteis ao homem,
respeitando o ambiente e as pessoas.
OS MAIORES PROBLEMAS PARA
HUMANIDADE
6. EDUCAÇÃO
7. DEMOCRACIA
8. POPULAÇÃO
9. DOENÇAS
10. TERRORISMO & GUERRA
11. SANEAMENTO BÁSICO*
12. MORADIA*
13. TRANSPORTE*
1. ENERGIA
2. ALIMENTOS
3. ÁGUA
4. MEIO AMBIENTE/ CATÁSTROFES NATURAIS*
5. POBREZA/ EMPREGO*
Fonte: MacDiarmid e Rodrigues em:
AGRONEGÓCIO BRASILEIRO
“AGRO”
BRASIL: AGRO
 Agentes Econômico
 5 milhões de propriedades rurais;
 60 mil agroindústrias;
 300 mil estabelecimentos comerciais;
 Importância Econômica
 25% do PIB nacional;
 35% do PEA – 17 milhões de empregos;
 36% das exportações.
BRASIL: UM SÓ AGRO
CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRIBUSINESS 2007
EMPREENDEDORES
ALTATECNOLOGIA
SUSTENTABILIDADE
AGRO
Insumos;
Máquinas;
Seguro;
Planejamento;
Financiamento.
Produção;
Administração;
Assistência Técnica.
Armazenamento;
Transporte;
Agroindústrias;
Mercado Externo.
10% PIB Brasil
25% PIB Brasil
65% PIB Brasil
Antes da Porteira
Dentro da Porteira
Depois da Porteira
IMPORTÂNCIA DO AGRO
Energia
Ornamentais
Medicinais/
condimentaresFibras
Alimento
AGRO
tendências
 Aumento do Consumo
 Novos Padrões de Alimentação
 Alteração da Matriz Energética
 Exigências quanto à Qualidade
ALIMENTO
Coletor/ Caçador
Agricultura
Malthus
RevoluçãoVerde (Borlaug)
Cerrado Brasileiro
ALTERAÇÃO NA MATRIZ
ENERGÉTICA
Fontes: Nakícenovic,Grübler and MaConald, 1998 e Energy Information Administration - EIA/USA
Até 2030, a demanda mundial por energia deverá crescer 58%.
Desafio para a humanidade: DIVERSIFICAR AS FONTES DE ENERGIA
BRASIL: POPULAÇÃO
Urbana – 85%
Rural – 15%
 Pobreza Extrema: 50% Rural
 7 milhões pessoas
 Agro – 17 milhões de trabalhadores
 35% do Emprego no Brasil
 5 milhões de propriedades rurais
USO DATERRA NO BRASIL
USO DATERRA NO BRASIL
ÁreaTotal: 851 milhões de ha
 Vegetação Nativa: 554 mi ha (65%)
 Florestas: 354 mi ha / APP 135 mi ha
 Cerrado/ outras: 200 mi ha
 Agropecuária: 258 mi ha (30%)
 Pastagens: 198 mi ha (23%)
 Agricultura (grãos, cana, florestas plantadas,
frutas, hortaliças) – 60 mi ha (7%)
 Urbanização/ Outros – 39 mi ha (5%)
USO DATERRA NO BRASIL
Vegetação Nativa
 Áreas Protegidas Públicas:
 Unidades de Conservação/ Parques
 Terras Indígenas (668 unidades)/ 110 mi ha/ 0,42%
da população;
 Áreas Protegidas Privadas – 135 mi ha APPs
 Áreas Não Protegidas;
Fonte: IBGE-PAM (2010) e Censo Agropecuário (2006), MMA
PECUÁRIA - BRASIL
 Pastagens: 200 mi ha
 Lotação: 200 mi cabeças
 Lotação: 200 mi cabeças
 Pastagens: 66 mi ha
Liberação de 134 mi ha
ALIMENTOS, AGROENERGIA, FIBRAS
1 cabeça /ha
MELHOR
PASTAGEM
3 cabeça /ha
PECUÁRIA - BRASIL
ATUAL = Pastagens Degradadas
FUTURO
 Pastagens cultivadas / Adubo/Variedades Melhoradas
 ILP: Integração Lavoura- Pecuária
 ILPF: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta
 ABC: Agricultura de Baixo Carbono
 Redução Emissão GEE: Gases Efeito Estufa
1 cabeça/ha - 3 cabeças/ha
MAIOR SUSTENTABILIDADE ↑ Lucro
Conservação do Solo
↑ Salário Trabalhador
IMPORTÂNCIA DO AGRO
Segmento “AGRO” é um dos mais demandados quanto a:
SUSTENTABILIDADE
Econômica
(economicamente
viável)
Ambiental
(ambientalmente
sustentável)
Social
(socialmente justo)
RELEVÂNCIA DA AGRICULTURA
 Produtividade/Tecnologia
 Geração de Emprego e Renda
 Fixação do Homem no Campo/ Sucessão
 Melhoria na qualidade de vida
 EconomiaVerde
 Respeito ao Ambiente
 Seqüestro de Carbono/ Redução de GEE
AVANÇOS DA AGRICULTURA
 Plantio Direto
 Agroconhecimento
 ILP/ ILPF
 Agricultura de Precisão
 Imagem/ Reputação
 Certificação/ Rastreabilidade
DESAFIOS DO AGRO
 Legislação Ambiental
 LegislaçãoTrabalhista
 Infraestrutura/ Logística
 Política Fundiária/ Segurança
 Crédito Rural
 Seguro Rural
 Negociação Internacional
 Tributação
 Pesquisa Agropecuária
 Defesa Agropecuária
DIA DO AGRICULTOR
28 DE JULHO
 Decreto n° 48630/1960 (JK)
 Mesma data:Aniversário MAPA (2013- 153
anos)
Agricultor Brasileiro
Atual
• Vocação/ Dedicação
• Empreendedor
• Trabalhador
• Ecologista
Imaginário da Sociedade/ PercepçãoAntiga
• “JecaTatu”/ Caipira
• Explorador/ Prepotente/ “Coronel”
• “Chorão”/ Benefícios do Governo
• Destruidor de matas/ Poluidor de
águas
CARNAVAL – RIO 2013
• Campeã –Vila Isabel = AGRO
• Vice-Campeã – Beija-Flor = Manga Larga
Marchador
O AGRO FOI PARA A AVENIDA
• Melhor imagem e reputação
• Valorização/ Popularização
INSTITUIÇÕES DO AGRO
INSTITUIÇÕES DO AGRO
 Públicas:
 Federais;
 Estaduais;
 Municipais;
 Privadas.
INSTITUIÇÕES NO MUNDO
Organização para a Cooperação e
Desenvolvimento EconômicoFood and Agriculture Organization
Departamento de Agricultura dos
Estados Unidos
INSTITUIÇÕES FEDERAIS
Empresa Brasileira de Pesquisa
Agropecuária
Instituto Nacional de
Colonização e Reforma Agrária
Empresa de AssistênciaTécnica e
Extensão Rural
INSTITUIÇÕES ESTADUAIS
INSTITUIÇÕES ESTADUAIS
Coordenadoria de Defesa
Agropecuária
Instituto deTerras do Estado
de São Paulo
INSTITUIÇÕES MUNICIPAIS
INSTITUIÇÕES PRIVADAS
INSTITUIÇÕES PRIVADAS
Associação brasileira do
agronegócio
Federação das Indústrias do Estado de São Paulo
CONSELHO X ASSOCIAÇÃO X
SINDICATO
1º - Associações
2º - Agrônomos
3º - Agronomia
4º - Agricultura
5º - Agropecuária
6º - Agroindústria
SÍMBOLO AGRONOMIA
ATRIBUIÇÕES DO
ENGENHEIRO AGRONOMO
RESOLUÇÃO 1010/2005 - CONFEA
 Regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades,
competências e caracterização do âmbito de atuação dos
profissionais do sistema CONFEA/CREA.
Em vigor a partir de 1º de Julho de 2.007.
Efeitos sobre formandos a partir de 2.012.
Engenheiro (Pleno)
Tecnólogo
Técnico
18 Atividades
ATRIBUIÇÕES
Campo de Atuação
Atividades
COMPETÊNCIAS
ATRIBUIÇÕES
ENGENHARIA AGRONÔMICA
CAMPOS DE ATUAÇÃO
Áreas de Conhecimento: Setores Básicos
 Biológicas (23%)
1. Biologia Geral
2. BiologiaVegetal
3. BiologiaAnimal
 Humanas (15%)
1. Comunicação e Expressão
2. Metodologia Científica eTecnológica
ENGENHARIA AGRONÔMICA
CAMPOS DE ATUAÇÃO
 Exatas (62%)
1. Matemática
2. Física
3. Química
4. Estatística
5. Expressão Gráfica
6. Informática
7. Elementos de Cartografia e Astronomia
8. Dinâmica de Fluidos Geofísicos
ENGENHARIA AGRONÔMICA
CAMPOS DE ATUAÇÃO
 Áreas de Conhecimento: Profissionalizantes
“Grandes Áreas”
1. ProduçãoVegetal
2. Produção Animal
3. Biotecnologia
4. Engenharia de Biossistemas
5. Processamento de Produtos Agropecuários
6. Economia, Administração e Sociologia Rural
7. Recursos Naturais/ Manejo Ambiental
PRODUÇÃO VEGETAL
PRODUÇÃO ANIMAL
BIOTECNOLOGIA
ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS
PROCESSAMENTO DE PRODUTOS
AGROPECUÁRIOS
ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E
SOCIOLOGIA RURAL
RECURSOS NATURAIS / MANEJO
AMBIENTAL
ENGENHARIA AGRONÔMICA
CAMPOS DE ATUAÇÃO
Exclusividade
Compartilhamento outras profissões
(Sombreamento)
ProduçãoVegetal:
Áreas de Conhecimento (25%)
1. Fitotecnia
2. FisiologiaVegetal
3. Genética e Melhoramento *
4. Floricultura, Parques e Jardins
5. Fitossanidade
6. Microbiologia *
7. Fitopatologia
8. Manejo Integrado de Pragas
9. Nutrição de Plantas e Adubação
* Pertence a mais de uma grande área.
ProduçãoVegetal:
Áreas de Conhecimento (25%)
10. Sistemas de Produção e Agropecuária *
11. Silvicultura
12. Manejo e Produção Florestal
13. Patologia Florestal
14. Dendrometria
15. Incêndios Florestais
16. Inventário Florestal
17. SistemasAgroflorestais
18. Integração Lavoura – Pecuária – Floresta
19. Produtos Florestais não Madeireiros
* Pertence a mais de uma grande área.
Produção Animal:
Áreas de Conhecimento (10%)
1. Zootecnia
2. FisiologiaAnimal
3. Genética e Melhorament0 *
4. Microbiologia *
5. Piscicultura
6. Aquicultura
7. Sistemas de Produção Agropecuária
8. Integração Lavoura – Pecuária
* Pertence a mais de uma grande área.
Biotecnologia:
Áreas de Conhecimento (14%)
1. Biotecnologia
2. Genética e Melhoramento *
3. Microbiologia
* Pertence a mais de uma grande área.
Processamento de Produtos Agropecuários:
Áreas de Conhecimento (17%)
1. Microbiologia *
2. Produtos Agropecuários
3. Tecnologia de Produção de Produtos
Agropecuários
4. Tecnologia de Produtos de Pesca
5. SistemasAgroindustriais
6. Tecnologia de Pós- Colheita
7. Certificação
8. Industrialização de Produtos Florestais
* Pertence a mais de uma grande área.
Processamento de Produtos Agropecuários:
Áreas de Conhecimento (17%)
9. Biodeterioração e Preservação de Madeira
10. Polpa e Papel
11. Propriedades da Madeira
12. Química da Madeira
13. Serraria e Secagem
14. Recursos Energéticos
* Pertence a mais de uma grande área.
Engenharia de Biossistemas:
Áreas de Conhecimento (24%)
1. Metereologia e Climatologia
2. Eletricidade Aplicada
3. Energia e Eletricidade Agrícola
4. Recursos Energéticos *
5. Máquinas e Motores
6. Motores, Máquinas, Mecanização eTransporte
Agrícola
7. Elementos de Máquinas
8. Colheita
9. Hidrologia
10. Hidráulica
* Pertence a mais de uma grande área.
Engenharia de Biossistemas:
Áreas de Conhecimento (24%)
11. Sistemas de Irrigação e Drenagem
12. Construções de Barragens eTanques
13. Construções Rurais
14. Estruturas de Madeira
15. Estruturas para Máquinas e Edificações
16. Cartografia, Geoprocessamento e
Georreferenciamento
17. Automação e Controle de Sistemas Agrícolas
18. Tecnologia e Resistência dos Materiais
19. Fenômenos deTransporte
20. Ergonomia
* Pertence a mais de uma grande área.
Economia, Administração e Sociologia Rural:
Áreas de Conhecimento (8%)
1. Comunicação, Ética e Legislação
2. Economia Agrícola
3. AdministraçãoAgrícola
4. Extensão Rural e Sociologia
5. Otimização de SistemasAgrícolas
6. Política e Desenvolvimento Rural
7. Gestão Empresarial e Marketing do Agronegócio
Recursos Naturais/ Manejo Ambiental:
Áreas de Conhecimento (12%)
1. Microbiologia
2. Solos, Manejo e Conservação do Solo e da Água
3. Botânica
4. Dendrologia
5. Ecologia
6. Ecossistemas Aquáticos
7. Manejo de Bacias Hidrográficas
8. Inventário Florestal *
9. Manejo e Gestão Ambiental
10. Saneamento e Gestão Ambiental
* Pertence a mais de uma grande área.
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
ATIVIDADES
Projeto
Direção
Consultoria
Ensino/ Pesquisa
Fiscalização
Orçamento
Execução
Manutenção
COMPLEXIDADE
Grande
ENGENHEIROS
Média
TECNÓLOGOS
Baixa
TÉCNICOS
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
BRASIL 2010
 Número de Cursos – 227
 Número deVagas Oferecidas – 17.270
 Número de Candidatos Inscritos – 72.311
 Número de Alunos Matriculados – 50.653
 Número de Concluintes – 6.781
 Número de Ingressantes – 14.177
Fontes: MEC/INEP;CONFEA; Sist. Inf. Cadastrais
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
BRASIL 2010
2011 – REGISTRADOS
 Número de profissionais “Agronomia” – 90.665
 Número de Engenheiros Agrônomos - 76.359
Número de Engenheiros Agrônomos
Necessários?
RESPONSABILIDADETÉCNICA
Intervenções/Ações
Homem
Ambiente
Economia
Risco
A.R.T.
Anotação de ResponsabilidadeTécnica
RESPONSABILIDADETÉCNICA
Exemplos
 Cultivo de soja/ eucalipto
 Criação de suínos
 Desenvolvimento genótipos “ melhorados”
 Produção de Açúcar e Etanol
 Preparo de solo/ semeadura
 Viabilidade de empresa agropecuária
 Utilização do solo/ água
A.R.T.
Anotação de ResponsabilidadeTécnica
MERCADO DE TRABALHO
TIPOS DE TRABALHO NO AGRO
 Setor Público
 Ensino;
 Pesquisa;
 AssistênciaTécnica/ Extensão;
 Fiscalização.
TIPOS DETRABALHO NO AGRO
 Setor Privado/ Empresas
 Planejamento/ Crédito/ Seguro/ Insumos: Produção,
Distribuição (Prod. Fito., Sementes, Mudas);
 Máquinas/ Equipamentos: Produção, Distribuição;
 Comercialização/Transporte/ Armazenamento;
 Transformação/ Agroindústria;
 Ensino/ Pesquisa/ AssistênciaTécnica.
TIPOS DETRABALHO NO AGRO
 Prestação de Serviços/ Autônomos
 Terceirização;
 Assessoria;
 Consultoria.
EMPREGO FORMAL
X
DONO DO PRÓPRIO NEGÓCIO
CIÊNCIAS AGRÁRIAS:
MERCADO DETRABALHO
 Agroenergia;
 Biotecnologia;
 Agricultura de Precisão;
 Processamento de Alimentos;
 Gestão da Produção;
 Mecanização;
 Logística;
 Informação.
PERFIL PROFISSIONAL
PROFISSIONAL DEMANDADO PELO
AGRO
 Formação adequada;
 Atualização constante;
 Bem informado;
 Aprimoramento das características mais
importantes.
CARACTERÍSTICAS
IMPORTANTES
Análise do Perfil do Profissional Demandado pelo Agronegócio Brasileiro
8,91
8,36
7,38
6,56
7
5,61
8,88
7,69
7,13
6,15 5,99
4,88
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Qualidades
Pessoais
Comunicação e
expressão
Economia e
gestão
Métodos
quantitativos
computacionais e
sist. De
informação
Tecnologias de
produção
Experiência
profissional
desejada
PontuaçõesMédiasAtribuidasaosTópicos
Pesquisa 2000 Pesquisa 2004
INVESTIR NAS COMPETÊNCIAS
 Ética;
 Responsabilidade;
 Comunicação;
 Relacionamento;
 Espírito de Equipe;
 Objetividade;
 Liderança;
 Empreendedorismo;
 ConhecimentoTécnico
 Visões Global e Processual.
ENGENHEIRO AGRONÔMO
Atuar em processos com risco potencial ao
homem, ao ambiente e a economia
(sustentabilidade)
Profissionais da área tecnológica qualificados
Bem Formados!
PERFIL PROFISSIONAL:
GRANDES EMPRESAS
 Engenheiro (Civil);
 PG ou MBA em finanças;
 Estudo/Trabalho exterior;
 Trabalho voluntário;
 MBA Gestão de Projetos/ Administração/
Mercado Internacional;
 Inglês, Espanhol, Mandarim;
 > 10 anos de Mercado;
 Morar longe de grandes centros.
PERFIL PROFISSIONAL:
GRANDES EMPRESAS
Técnico + Gestão
Salário Inicial = R$ 10.000,00
Exemplo: “Agrônomo que estuda biotecnologia”
Fonte:Veja, 22/05/12, p. 78-79
10 ÁREAS PROFISSIONAIS MAIS
DEMANDADAS
AGRONEGÓCIO
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
(Área de Concentração – Biotecnologia)
Fonte:Veja, 22/05/12, p.81
FORMAÇÃO
ESTRUTURA CURRICULAR
FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DE
ENGENHARIA AGRONÔMICA
 Currículo Escolar:
 Base Sólida;
 Incluir aspectos econômicos, sociais, ambientais;
 Ênfase a atividades práticas;
 Priorizar estágios;
 Participativa – Seminários, experimentos, congressos.
AGRO: CURSOS DE GRADAÇÃO
AFINS
 EngenhariaAgronômica;
 Engenharia Florestal;
 MedicinaVeterinária;
 Engenharia de Alimentos;
 EngenhariaAgrícola;
 Ciência eTecnologia de Alimentos;
 Engenharia de Pesca/ Aqüicultura;
 Nutrição.
AGRO: CURSOS DE GRADAÇÃO
AFINS
 Bacharelado em Agronegócio;
 Engenharia de Produção Agroindustrial;
 Administração Agroindustrial;
 Administração;
 Economia;
 Gestão;
 Engenharia Ambiental
FORMAÇÃO
 Tipo de Conhecimento:
 Básico;
 Profissionalizante.
 Conhecimento Básico – 3 setores:
 Biológicas;
 Exatas;
 Humanas.
FORMAÇÃO
 Áreas de Conhecimento – 7 Áreas
 ProduçãoVegetal;
 Produção Animal;
 Recursos Naturais/ Manejo Ambiental;
 Processamento de Produtos Agropecuários;
 Engenharia de Biossistemas;
 Biotecnologia;
 Economia, Administração e Sociologia Agrícola.
TÍTULO
ENGENHEIRO AGRÔNOMO – Decreto-Lei nº
9585/1.966 – Concede o título de Engenheiro
Agrônomo aos diplomados para
estabelecimento de ensino superior de
Agronomia.
Título de Agrônomo – concedido anteriormente,
equiparado a EngenheiroAgrônomo.
COLAÇÃO DE GRAU
JURAMENTO
“Prometo, que no exercício da profissão de
Engenheiro Agrônomo, cooperarei, sempre,
para o desenvolvimento da agricultura e para
a grandeza e prosperidade do Brasil”
MUITO OBRIGADO
jomenten@usp.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose
Raví Emanoel de Melo
 
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptxAULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
MateusGonalves85
 
Agronomia
AgronomiaAgronomia
Políticas Agrícolas
Políticas AgrícolasPolíticas Agrícolas
Políticas Agrícolas
Geagra UFG
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
Willian Passos
 
Sistemas Agroflorestais
Sistemas AgroflorestaisSistemas Agroflorestais
Sistemas Agroflorestais
cineone
 
Forragicultura aula1
Forragicultura aula1Forragicultura aula1
Forragicultura aula1
Natália A Koritiaki
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentávelAgricultura sustentável
Agricultura sustentável
Kelwin Souza
 
Agricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no BrasilAgricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no Brasil
FAO
 
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de PlantasManejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
AgriculturaSustentavel
 
Introdução ao Agronegocio
Introdução ao AgronegocioIntrodução ao Agronegocio
Introdução ao Agronegocio
Antonio Meneghetti Faculdade
 
Controle biológico
Controle biológicoControle biológico
Controle biológico
unesp
 
Aula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiarAula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiar
Cris Godoy
 
Tecnologias Socioambientais para Agricultura Familiar
Tecnologias Socioambientais para Agricultura FamiliarTecnologias Socioambientais para Agricultura Familiar
Tecnologias Socioambientais para Agricultura Familiar
Sebastião Nascimento
 
Introducao agroecologia
Introducao agroecologiaIntroducao agroecologia
Introducao agroecologia
elisandraca
 
Adubação Alternativa e Plantas de Cobertura
Adubação Alternativa e Plantas de CoberturaAdubação Alternativa e Plantas de Cobertura
Adubação Alternativa e Plantas de Cobertura
Geagra UFG
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentável Agricultura sustentável
Agricultura sustentável
Samanta Lacerda
 
Sistemas agroindustriais
Sistemas agroindustriaisSistemas agroindustriais
Sistemas agroindustriais
Silene Barreto
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
Fabíola Mello
 
AGROECOLOGIA
AGROECOLOGIAAGROECOLOGIA
AGROECOLOGIA
Karlla Costa
 

Mais procurados (20)

Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose Teoria da Trofobiose
Teoria da Trofobiose
 
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptxAULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
 
Agronomia
AgronomiaAgronomia
Agronomia
 
Políticas Agrícolas
Políticas AgrícolasPolíticas Agrícolas
Políticas Agrícolas
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
 
Sistemas Agroflorestais
Sistemas AgroflorestaisSistemas Agroflorestais
Sistemas Agroflorestais
 
Forragicultura aula1
Forragicultura aula1Forragicultura aula1
Forragicultura aula1
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentávelAgricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
Agricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no BrasilAgricultura familiar no Brasil
Agricultura familiar no Brasil
 
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de PlantasManejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
 
Introdução ao Agronegocio
Introdução ao AgronegocioIntrodução ao Agronegocio
Introdução ao Agronegocio
 
Controle biológico
Controle biológicoControle biológico
Controle biológico
 
Aula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiarAula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiar
 
Tecnologias Socioambientais para Agricultura Familiar
Tecnologias Socioambientais para Agricultura FamiliarTecnologias Socioambientais para Agricultura Familiar
Tecnologias Socioambientais para Agricultura Familiar
 
Introducao agroecologia
Introducao agroecologiaIntroducao agroecologia
Introducao agroecologia
 
Adubação Alternativa e Plantas de Cobertura
Adubação Alternativa e Plantas de CoberturaAdubação Alternativa e Plantas de Cobertura
Adubação Alternativa e Plantas de Cobertura
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentável Agricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
Sistemas agroindustriais
Sistemas agroindustriaisSistemas agroindustriais
Sistemas agroindustriais
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
 
AGROECOLOGIA
AGROECOLOGIAAGROECOLOGIA
AGROECOLOGIA
 

Semelhante a Engenharia Agronômica

Aula 2 cenario_nacional
Aula 2 cenario_nacionalAula 2 cenario_nacional
Aula 2 cenario_nacional
Instituto Federal do Maranhão
 
Tinoco
TinocoTinoco
Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...
Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...
Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...
Instituto Besc
 
Agricultura biológica
Agricultura biológicaAgricultura biológica
Agricultura biológica
FtimaCanio
 
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelliFontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
João Siqueira da Mata
 
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelliFontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
João Siqueira da Mata
 
Agricultura biologica
Agricultura biologicaAgricultura biologica
Agricultura biologica
Nuno Lemos
 
Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014
Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014
Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014
Pedro Aguiar Pinto
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
AgriculturaSustentavel
 
Apresentação wanderlei pignati cba agroecologia 2013
Apresentação wanderlei pignati   cba agroecologia 2013Apresentação wanderlei pignati   cba agroecologia 2013
Apresentação wanderlei pignati cba agroecologia 2013
Agroecologia
 
AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014
AgriculturaSustentavel
 
Page1 13-134
Page1 13-134Page1 13-134
Page1 13-134
mvezzone
 
José guilherme tollstadius leal
José guilherme tollstadius lealJosé guilherme tollstadius leal
José guilherme tollstadius leal
Boas Práticas Agrícolas
 
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
PIFOZ
 
Poluição Ambiental - Tema Poluição Agricola
Poluição  Ambiental - Tema Poluição AgricolaPoluição  Ambiental - Tema Poluição Agricola
Poluição Ambiental - Tema Poluição Agricola
Lukas Lima
 
Epamig braquiaria
Epamig braquiariaEpamig braquiaria
Epamig braquiaria
Carla Tatiana
 
1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez
1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez
1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez
crisqueda
 
Segurança Alimentar
Segurança AlimentarSegurança Alimentar
Segurança Alimentar
Fonte Comunicação
 
AgroecologiaCapacitacaoset2015.ppt
AgroecologiaCapacitacaoset2015.pptAgroecologiaCapacitacaoset2015.ppt
AgroecologiaCapacitacaoset2015.ppt
TlitaTonolli
 
Programa de agroindustrializacao da agric familiar
Programa de agroindustrializacao da agric familiarPrograma de agroindustrializacao da agric familiar
Programa de agroindustrializacao da agric familiar
Resende Rocha
 

Semelhante a Engenharia Agronômica (20)

Aula 2 cenario_nacional
Aula 2 cenario_nacionalAula 2 cenario_nacional
Aula 2 cenario_nacional
 
Tinoco
TinocoTinoco
Tinoco
 
Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...
Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...
Potenciais de crescimento da silvicultura, agrossilvicultura e competitividad...
 
Agricultura biológica
Agricultura biológicaAgricultura biológica
Agricultura biológica
 
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelliFontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
 
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelliFontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
 
Agricultura biologica
Agricultura biologicaAgricultura biologica
Agricultura biologica
 
Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014
Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014
Princípios agronómicos da Producao vegetal 2014
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
 
Apresentação wanderlei pignati cba agroecologia 2013
Apresentação wanderlei pignati   cba agroecologia 2013Apresentação wanderlei pignati   cba agroecologia 2013
Apresentação wanderlei pignati cba agroecologia 2013
 
AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014
 
Page1 13-134
Page1 13-134Page1 13-134
Page1 13-134
 
José guilherme tollstadius leal
José guilherme tollstadius lealJosé guilherme tollstadius leal
José guilherme tollstadius leal
 
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
 
Poluição Ambiental - Tema Poluição Agricola
Poluição  Ambiental - Tema Poluição AgricolaPoluição  Ambiental - Tema Poluição Agricola
Poluição Ambiental - Tema Poluição Agricola
 
Epamig braquiaria
Epamig braquiariaEpamig braquiaria
Epamig braquiaria
 
1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez
1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez
1ªCircular 3 Cnhb 1 Cnpab Aph Apez
 
Segurança Alimentar
Segurança AlimentarSegurança Alimentar
Segurança Alimentar
 
AgroecologiaCapacitacaoset2015.ppt
AgroecologiaCapacitacaoset2015.pptAgroecologiaCapacitacaoset2015.ppt
AgroecologiaCapacitacaoset2015.ppt
 
Programa de agroindustrializacao da agric familiar
Programa de agroindustrializacao da agric familiarPrograma de agroindustrializacao da agric familiar
Programa de agroindustrializacao da agric familiar
 

Mais de AgriculturaSustentavel

Markesalq - Boletim Sensorial
Markesalq -  Boletim SensorialMarkesalq -  Boletim Sensorial
Markesalq - Boletim Sensorial
AgriculturaSustentavel
 
Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...
Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...
Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...
AgriculturaSustentavel
 
MOFO BRANCO DA SOJA
MOFO BRANCO DA SOJAMOFO BRANCO DA SOJA
MOFO BRANCO DA SOJA
AgriculturaSustentavel
 
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizadoAs perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
AgriculturaSustentavel
 
Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...
Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...
Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...
AgriculturaSustentavel
 
Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável
Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola SustentávelSistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável
Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável
AgriculturaSustentavel
 
Ccas caderno técnico cultivar
Ccas caderno técnico cultivarCcas caderno técnico cultivar
Ccas caderno técnico cultivar
AgriculturaSustentavel
 
Os Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiro
Os Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiroOs Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiro
Os Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiro
AgriculturaSustentavel
 
O Agronegócio Sobe No Gosto do Povo
O Agronegócio Sobe No Gosto do PovoO Agronegócio Sobe No Gosto do Povo
O Agronegócio Sobe No Gosto do Povo
AgriculturaSustentavel
 
Desafios Tecno-Científicos da Agricultura Brasileira
Desafios Tecno-Científicos da Agricultura BrasileiraDesafios Tecno-Científicos da Agricultura Brasileira
Desafios Tecno-Científicos da Agricultura Brasileira
AgriculturaSustentavel
 
A Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma Sustentável
A Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma SustentávelA Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma Sustentável
A Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma Sustentável
AgriculturaSustentavel
 
Os Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro Sustentável
Os Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro SustentávelOs Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro Sustentável
Os Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro Sustentável
AgriculturaSustentavel
 

Mais de AgriculturaSustentavel (12)

Markesalq - Boletim Sensorial
Markesalq -  Boletim SensorialMarkesalq -  Boletim Sensorial
Markesalq - Boletim Sensorial
 
Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...
Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...
Situação e Perspectivas do Controle de Qualidade Sanitária de Sementes no Bra...
 
MOFO BRANCO DA SOJA
MOFO BRANCO DA SOJAMOFO BRANCO DA SOJA
MOFO BRANCO DA SOJA
 
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizadoAs perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
 
Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...
Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...
Impactos socioeconômicos e ambientais na adoção de sistemas integrados de pro...
 
Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável
Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola SustentávelSistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável
Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável
 
Ccas caderno técnico cultivar
Ccas caderno técnico cultivarCcas caderno técnico cultivar
Ccas caderno técnico cultivar
 
Os Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiro
Os Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiroOs Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiro
Os Desafios na Agro Sociedade como o mundo vê o agro brasileiro
 
O Agronegócio Sobe No Gosto do Povo
O Agronegócio Sobe No Gosto do PovoO Agronegócio Sobe No Gosto do Povo
O Agronegócio Sobe No Gosto do Povo
 
Desafios Tecno-Científicos da Agricultura Brasileira
Desafios Tecno-Científicos da Agricultura BrasileiraDesafios Tecno-Científicos da Agricultura Brasileira
Desafios Tecno-Científicos da Agricultura Brasileira
 
A Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma Sustentável
A Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma SustentávelA Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma Sustentável
A Capacidade do Agro Brasileiro de Produzir de Forma Sustentável
 
Os Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro Sustentável
Os Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro SustentávelOs Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro Sustentável
Os Desafios da Infraestrutura e Logística para o Agro Sustentável
 

Engenharia Agronômica

  • 1. ENGENHARIA AGRONÔMICA J.O.MENTEN; P.F.KREYCI XXVIII Semana Agronômica - FEIT/UEMG – Ituitaba MG - 22/05/13
  • 2. CONTEÚDO  Introdução  Instituições do Agro  Atribuições Profissionais  Mercado deTrabalho  Perfil Profissional  Formação: Estrutura Curricular
  • 4. ENGENHARIA AGRONÔMICA • Agronomia - conjunto das ciências e princípios que regem a pratica da agricultura; • Agricultura – Arte e ciência de produzir vegetais e animais úteis ao homem, respeitando o ambiente e as pessoas.
  • 5. OS MAIORES PROBLEMAS PARA HUMANIDADE 6. EDUCAÇÃO 7. DEMOCRACIA 8. POPULAÇÃO 9. DOENÇAS 10. TERRORISMO & GUERRA 11. SANEAMENTO BÁSICO* 12. MORADIA* 13. TRANSPORTE* 1. ENERGIA 2. ALIMENTOS 3. ÁGUA 4. MEIO AMBIENTE/ CATÁSTROFES NATURAIS* 5. POBREZA/ EMPREGO* Fonte: MacDiarmid e Rodrigues em: AGRONEGÓCIO BRASILEIRO “AGRO”
  • 6. BRASIL: AGRO  Agentes Econômico  5 milhões de propriedades rurais;  60 mil agroindústrias;  300 mil estabelecimentos comerciais;  Importância Econômica  25% do PIB nacional;  35% do PEA – 17 milhões de empregos;  36% das exportações.
  • 7. BRASIL: UM SÓ AGRO CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRIBUSINESS 2007 EMPREENDEDORES ALTATECNOLOGIA SUSTENTABILIDADE
  • 9. IMPORTÂNCIA DO AGRO Energia Ornamentais Medicinais/ condimentaresFibras Alimento AGRO tendências  Aumento do Consumo  Novos Padrões de Alimentação  Alteração da Matriz Energética  Exigências quanto à Qualidade
  • 11. ALTERAÇÃO NA MATRIZ ENERGÉTICA Fontes: Nakícenovic,Grübler and MaConald, 1998 e Energy Information Administration - EIA/USA Até 2030, a demanda mundial por energia deverá crescer 58%. Desafio para a humanidade: DIVERSIFICAR AS FONTES DE ENERGIA
  • 12. BRASIL: POPULAÇÃO Urbana – 85% Rural – 15%  Pobreza Extrema: 50% Rural  7 milhões pessoas  Agro – 17 milhões de trabalhadores  35% do Emprego no Brasil  5 milhões de propriedades rurais
  • 13. USO DATERRA NO BRASIL
  • 14. USO DATERRA NO BRASIL ÁreaTotal: 851 milhões de ha  Vegetação Nativa: 554 mi ha (65%)  Florestas: 354 mi ha / APP 135 mi ha  Cerrado/ outras: 200 mi ha  Agropecuária: 258 mi ha (30%)  Pastagens: 198 mi ha (23%)  Agricultura (grãos, cana, florestas plantadas, frutas, hortaliças) – 60 mi ha (7%)  Urbanização/ Outros – 39 mi ha (5%)
  • 15. USO DATERRA NO BRASIL Vegetação Nativa  Áreas Protegidas Públicas:  Unidades de Conservação/ Parques  Terras Indígenas (668 unidades)/ 110 mi ha/ 0,42% da população;  Áreas Protegidas Privadas – 135 mi ha APPs  Áreas Não Protegidas; Fonte: IBGE-PAM (2010) e Censo Agropecuário (2006), MMA
  • 16. PECUÁRIA - BRASIL  Pastagens: 200 mi ha  Lotação: 200 mi cabeças  Lotação: 200 mi cabeças  Pastagens: 66 mi ha Liberação de 134 mi ha ALIMENTOS, AGROENERGIA, FIBRAS 1 cabeça /ha MELHOR PASTAGEM 3 cabeça /ha
  • 17. PECUÁRIA - BRASIL ATUAL = Pastagens Degradadas FUTURO  Pastagens cultivadas / Adubo/Variedades Melhoradas  ILP: Integração Lavoura- Pecuária  ILPF: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta  ABC: Agricultura de Baixo Carbono  Redução Emissão GEE: Gases Efeito Estufa 1 cabeça/ha - 3 cabeças/ha MAIOR SUSTENTABILIDADE ↑ Lucro Conservação do Solo ↑ Salário Trabalhador
  • 18. IMPORTÂNCIA DO AGRO Segmento “AGRO” é um dos mais demandados quanto a: SUSTENTABILIDADE Econômica (economicamente viável) Ambiental (ambientalmente sustentável) Social (socialmente justo)
  • 19. RELEVÂNCIA DA AGRICULTURA  Produtividade/Tecnologia  Geração de Emprego e Renda  Fixação do Homem no Campo/ Sucessão  Melhoria na qualidade de vida  EconomiaVerde  Respeito ao Ambiente  Seqüestro de Carbono/ Redução de GEE
  • 20. AVANÇOS DA AGRICULTURA  Plantio Direto  Agroconhecimento  ILP/ ILPF  Agricultura de Precisão  Imagem/ Reputação  Certificação/ Rastreabilidade
  • 21. DESAFIOS DO AGRO  Legislação Ambiental  LegislaçãoTrabalhista  Infraestrutura/ Logística  Política Fundiária/ Segurança  Crédito Rural  Seguro Rural  Negociação Internacional  Tributação  Pesquisa Agropecuária  Defesa Agropecuária
  • 22. DIA DO AGRICULTOR 28 DE JULHO  Decreto n° 48630/1960 (JK)  Mesma data:Aniversário MAPA (2013- 153 anos) Agricultor Brasileiro Atual • Vocação/ Dedicação • Empreendedor • Trabalhador • Ecologista Imaginário da Sociedade/ PercepçãoAntiga • “JecaTatu”/ Caipira • Explorador/ Prepotente/ “Coronel” • “Chorão”/ Benefícios do Governo • Destruidor de matas/ Poluidor de águas
  • 23. CARNAVAL – RIO 2013 • Campeã –Vila Isabel = AGRO • Vice-Campeã – Beija-Flor = Manga Larga Marchador O AGRO FOI PARA A AVENIDA • Melhor imagem e reputação • Valorização/ Popularização
  • 25. INSTITUIÇÕES DO AGRO  Públicas:  Federais;  Estaduais;  Municipais;  Privadas.
  • 26. INSTITUIÇÕES NO MUNDO Organização para a Cooperação e Desenvolvimento EconômicoFood and Agriculture Organization Departamento de Agricultura dos Estados Unidos
  • 27. INSTITUIÇÕES FEDERAIS Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Empresa de AssistênciaTécnica e Extensão Rural
  • 29. INSTITUIÇÕES ESTADUAIS Coordenadoria de Defesa Agropecuária Instituto deTerras do Estado de São Paulo
  • 32. INSTITUIÇÕES PRIVADAS Associação brasileira do agronegócio Federação das Indústrias do Estado de São Paulo
  • 33. CONSELHO X ASSOCIAÇÃO X SINDICATO
  • 34. 1º - Associações 2º - Agrônomos 3º - Agronomia 4º - Agricultura 5º - Agropecuária 6º - Agroindústria SÍMBOLO AGRONOMIA
  • 36. RESOLUÇÃO 1010/2005 - CONFEA  Regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades, competências e caracterização do âmbito de atuação dos profissionais do sistema CONFEA/CREA. Em vigor a partir de 1º de Julho de 2.007. Efeitos sobre formandos a partir de 2.012. Engenheiro (Pleno) Tecnólogo Técnico 18 Atividades
  • 38. ENGENHARIA AGRONÔMICA CAMPOS DE ATUAÇÃO Áreas de Conhecimento: Setores Básicos  Biológicas (23%) 1. Biologia Geral 2. BiologiaVegetal 3. BiologiaAnimal  Humanas (15%) 1. Comunicação e Expressão 2. Metodologia Científica eTecnológica
  • 39. ENGENHARIA AGRONÔMICA CAMPOS DE ATUAÇÃO  Exatas (62%) 1. Matemática 2. Física 3. Química 4. Estatística 5. Expressão Gráfica 6. Informática 7. Elementos de Cartografia e Astronomia 8. Dinâmica de Fluidos Geofísicos
  • 40. ENGENHARIA AGRONÔMICA CAMPOS DE ATUAÇÃO  Áreas de Conhecimento: Profissionalizantes “Grandes Áreas” 1. ProduçãoVegetal 2. Produção Animal 3. Biotecnologia 4. Engenharia de Biossistemas 5. Processamento de Produtos Agropecuários 6. Economia, Administração e Sociologia Rural 7. Recursos Naturais/ Manejo Ambiental
  • 47. RECURSOS NATURAIS / MANEJO AMBIENTAL
  • 48. ENGENHARIA AGRONÔMICA CAMPOS DE ATUAÇÃO Exclusividade Compartilhamento outras profissões (Sombreamento)
  • 49. ProduçãoVegetal: Áreas de Conhecimento (25%) 1. Fitotecnia 2. FisiologiaVegetal 3. Genética e Melhoramento * 4. Floricultura, Parques e Jardins 5. Fitossanidade 6. Microbiologia * 7. Fitopatologia 8. Manejo Integrado de Pragas 9. Nutrição de Plantas e Adubação * Pertence a mais de uma grande área.
  • 50. ProduçãoVegetal: Áreas de Conhecimento (25%) 10. Sistemas de Produção e Agropecuária * 11. Silvicultura 12. Manejo e Produção Florestal 13. Patologia Florestal 14. Dendrometria 15. Incêndios Florestais 16. Inventário Florestal 17. SistemasAgroflorestais 18. Integração Lavoura – Pecuária – Floresta 19. Produtos Florestais não Madeireiros * Pertence a mais de uma grande área.
  • 51. Produção Animal: Áreas de Conhecimento (10%) 1. Zootecnia 2. FisiologiaAnimal 3. Genética e Melhorament0 * 4. Microbiologia * 5. Piscicultura 6. Aquicultura 7. Sistemas de Produção Agropecuária 8. Integração Lavoura – Pecuária * Pertence a mais de uma grande área.
  • 52. Biotecnologia: Áreas de Conhecimento (14%) 1. Biotecnologia 2. Genética e Melhoramento * 3. Microbiologia * Pertence a mais de uma grande área.
  • 53. Processamento de Produtos Agropecuários: Áreas de Conhecimento (17%) 1. Microbiologia * 2. Produtos Agropecuários 3. Tecnologia de Produção de Produtos Agropecuários 4. Tecnologia de Produtos de Pesca 5. SistemasAgroindustriais 6. Tecnologia de Pós- Colheita 7. Certificação 8. Industrialização de Produtos Florestais * Pertence a mais de uma grande área.
  • 54. Processamento de Produtos Agropecuários: Áreas de Conhecimento (17%) 9. Biodeterioração e Preservação de Madeira 10. Polpa e Papel 11. Propriedades da Madeira 12. Química da Madeira 13. Serraria e Secagem 14. Recursos Energéticos * Pertence a mais de uma grande área.
  • 55. Engenharia de Biossistemas: Áreas de Conhecimento (24%) 1. Metereologia e Climatologia 2. Eletricidade Aplicada 3. Energia e Eletricidade Agrícola 4. Recursos Energéticos * 5. Máquinas e Motores 6. Motores, Máquinas, Mecanização eTransporte Agrícola 7. Elementos de Máquinas 8. Colheita 9. Hidrologia 10. Hidráulica * Pertence a mais de uma grande área.
  • 56. Engenharia de Biossistemas: Áreas de Conhecimento (24%) 11. Sistemas de Irrigação e Drenagem 12. Construções de Barragens eTanques 13. Construções Rurais 14. Estruturas de Madeira 15. Estruturas para Máquinas e Edificações 16. Cartografia, Geoprocessamento e Georreferenciamento 17. Automação e Controle de Sistemas Agrícolas 18. Tecnologia e Resistência dos Materiais 19. Fenômenos deTransporte 20. Ergonomia * Pertence a mais de uma grande área.
  • 57. Economia, Administração e Sociologia Rural: Áreas de Conhecimento (8%) 1. Comunicação, Ética e Legislação 2. Economia Agrícola 3. AdministraçãoAgrícola 4. Extensão Rural e Sociologia 5. Otimização de SistemasAgrícolas 6. Política e Desenvolvimento Rural 7. Gestão Empresarial e Marketing do Agronegócio
  • 58. Recursos Naturais/ Manejo Ambiental: Áreas de Conhecimento (12%) 1. Microbiologia 2. Solos, Manejo e Conservação do Solo e da Água 3. Botânica 4. Dendrologia 5. Ecologia 6. Ecossistemas Aquáticos 7. Manejo de Bacias Hidrográficas 8. Inventário Florestal * 9. Manejo e Gestão Ambiental 10. Saneamento e Gestão Ambiental * Pertence a mais de uma grande área.
  • 60. ENGENHEIRO AGRÔNOMO BRASIL 2010  Número de Cursos – 227  Número deVagas Oferecidas – 17.270  Número de Candidatos Inscritos – 72.311  Número de Alunos Matriculados – 50.653  Número de Concluintes – 6.781  Número de Ingressantes – 14.177 Fontes: MEC/INEP;CONFEA; Sist. Inf. Cadastrais
  • 61. ENGENHEIRO AGRÔNOMO BRASIL 2010 2011 – REGISTRADOS  Número de profissionais “Agronomia” – 90.665  Número de Engenheiros Agrônomos - 76.359 Número de Engenheiros Agrônomos Necessários?
  • 63. RESPONSABILIDADETÉCNICA Exemplos  Cultivo de soja/ eucalipto  Criação de suínos  Desenvolvimento genótipos “ melhorados”  Produção de Açúcar e Etanol  Preparo de solo/ semeadura  Viabilidade de empresa agropecuária  Utilização do solo/ água A.R.T. Anotação de ResponsabilidadeTécnica
  • 65. TIPOS DE TRABALHO NO AGRO  Setor Público  Ensino;  Pesquisa;  AssistênciaTécnica/ Extensão;  Fiscalização.
  • 66. TIPOS DETRABALHO NO AGRO  Setor Privado/ Empresas  Planejamento/ Crédito/ Seguro/ Insumos: Produção, Distribuição (Prod. Fito., Sementes, Mudas);  Máquinas/ Equipamentos: Produção, Distribuição;  Comercialização/Transporte/ Armazenamento;  Transformação/ Agroindústria;  Ensino/ Pesquisa/ AssistênciaTécnica.
  • 67. TIPOS DETRABALHO NO AGRO  Prestação de Serviços/ Autônomos  Terceirização;  Assessoria;  Consultoria. EMPREGO FORMAL X DONO DO PRÓPRIO NEGÓCIO
  • 68. CIÊNCIAS AGRÁRIAS: MERCADO DETRABALHO  Agroenergia;  Biotecnologia;  Agricultura de Precisão;  Processamento de Alimentos;  Gestão da Produção;  Mecanização;  Logística;  Informação.
  • 70. PROFISSIONAL DEMANDADO PELO AGRO  Formação adequada;  Atualização constante;  Bem informado;  Aprimoramento das características mais importantes.
  • 71. CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES Análise do Perfil do Profissional Demandado pelo Agronegócio Brasileiro 8,91 8,36 7,38 6,56 7 5,61 8,88 7,69 7,13 6,15 5,99 4,88 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Qualidades Pessoais Comunicação e expressão Economia e gestão Métodos quantitativos computacionais e sist. De informação Tecnologias de produção Experiência profissional desejada PontuaçõesMédiasAtribuidasaosTópicos Pesquisa 2000 Pesquisa 2004
  • 72. INVESTIR NAS COMPETÊNCIAS  Ética;  Responsabilidade;  Comunicação;  Relacionamento;  Espírito de Equipe;  Objetividade;  Liderança;  Empreendedorismo;  ConhecimentoTécnico  Visões Global e Processual.
  • 73. ENGENHEIRO AGRONÔMO Atuar em processos com risco potencial ao homem, ao ambiente e a economia (sustentabilidade) Profissionais da área tecnológica qualificados Bem Formados!
  • 74. PERFIL PROFISSIONAL: GRANDES EMPRESAS  Engenheiro (Civil);  PG ou MBA em finanças;  Estudo/Trabalho exterior;  Trabalho voluntário;  MBA Gestão de Projetos/ Administração/ Mercado Internacional;  Inglês, Espanhol, Mandarim;  > 10 anos de Mercado;  Morar longe de grandes centros.
  • 75. PERFIL PROFISSIONAL: GRANDES EMPRESAS Técnico + Gestão Salário Inicial = R$ 10.000,00 Exemplo: “Agrônomo que estuda biotecnologia” Fonte:Veja, 22/05/12, p. 78-79
  • 76. 10 ÁREAS PROFISSIONAIS MAIS DEMANDADAS AGRONEGÓCIO ENGENHEIRO AGRÔNOMO (Área de Concentração – Biotecnologia) Fonte:Veja, 22/05/12, p.81
  • 78. FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENGENHARIA AGRONÔMICA  Currículo Escolar:  Base Sólida;  Incluir aspectos econômicos, sociais, ambientais;  Ênfase a atividades práticas;  Priorizar estágios;  Participativa – Seminários, experimentos, congressos.
  • 79. AGRO: CURSOS DE GRADAÇÃO AFINS  EngenhariaAgronômica;  Engenharia Florestal;  MedicinaVeterinária;  Engenharia de Alimentos;  EngenhariaAgrícola;  Ciência eTecnologia de Alimentos;  Engenharia de Pesca/ Aqüicultura;  Nutrição.
  • 80. AGRO: CURSOS DE GRADAÇÃO AFINS  Bacharelado em Agronegócio;  Engenharia de Produção Agroindustrial;  Administração Agroindustrial;  Administração;  Economia;  Gestão;  Engenharia Ambiental
  • 81. FORMAÇÃO  Tipo de Conhecimento:  Básico;  Profissionalizante.  Conhecimento Básico – 3 setores:  Biológicas;  Exatas;  Humanas.
  • 82. FORMAÇÃO  Áreas de Conhecimento – 7 Áreas  ProduçãoVegetal;  Produção Animal;  Recursos Naturais/ Manejo Ambiental;  Processamento de Produtos Agropecuários;  Engenharia de Biossistemas;  Biotecnologia;  Economia, Administração e Sociologia Agrícola.
  • 83. TÍTULO ENGENHEIRO AGRÔNOMO – Decreto-Lei nº 9585/1.966 – Concede o título de Engenheiro Agrônomo aos diplomados para estabelecimento de ensino superior de Agronomia. Título de Agrônomo – concedido anteriormente, equiparado a EngenheiroAgrônomo.
  • 84. COLAÇÃO DE GRAU JURAMENTO “Prometo, que no exercício da profissão de Engenheiro Agrônomo, cooperarei, sempre, para o desenvolvimento da agricultura e para a grandeza e prosperidade do Brasil”