SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 58
Baixar para ler offline
ENCONTROS CBoK
Capítulo 2
Gerenciamento de Processos de Negócios
20/09/2017
Jorge Ramalho
Apresentação
• CBPP pela ABPMP Internacional
• Especialista em:
• Gestão da Qualidade – UFBA
• Gestão de negócios – UCSAL
• Gestão de empresas de TI – UNIJORGE
• Psicologia organizacional - UNIFACS
• Engenheiro Eletricista pela UFBA
• Diretor de qualidade da CONSISTE CONSULTORIA E SISTEMAS
BPM CBoK
MUNDO LÍQUIDO
 As disciplinas de qualidade e processos mudaram o destino
do Japão.
 Mercado globalizado requer maior agilidade nas entregas,
menores custos, maior qualidade no desenvolvimento dos
produtos e para gerar maior satisfação aos seus clientes.
(HAMMER, 1990)
MUNDO LÍQUIDO
 Ampliação de oferta de produtos e necessidade de
monitoramento contínuo dos processos de negócio e seus
respectivos desempenhos. (KAPLAN & NORTON, 2004)
 Criação de valor para os clientes por meio de processos
interfuncionais de negócio. (PAIM, 2007)
 “as empresas competem no ambiente do século XXI e, no
entanto, ainda adotam práticas de gestão do século XX”.
(HAMEL, 2007)
MUNDO LÍQUIDO
ProcessoPROCESSOS DE NEGÓCIO
Decomposição do processo por
afinidade, objetivo ou resultado
SUBPROCESSO
Grupo de atividades e competências
especializadas
FUNÇÃO DE NEGÓCIO
Conjunto de tarefasATIVIDADE
Conjunto de passos ou açõesTAREFA
Modalidade de execução da tarefaCENÁRIO
Ação em nível atômicoPASSO
INTELECTUALOPERACIONAL
LÓGICOFÍSICO
CAPÍTULO 2 - INTRODUÇÃO
FUNÇÕES
ATIVIDADES
SUBPROCESSO
ATIVIDADESOBTER PEDIDO
DO CLIENTE
COBRAR
DO CLIENTE
ENTREGAR
AO CLIENTE
VISÃOLÓGICAVISÃOFÍSICA
VENDAS FINANÇAS DISTRIBUIÇÃO
OBTER
PEDIDO
PAGAR
FORNECEDOR
COBRAR
CLIENTE
ENTREGAR
PRODUTOS
CAPÍTULO 2 - INTRODUÇÃO
DA VENDA À ENTREGA
Pessoas que interagem para
executar um conjunto de
atividades de entrega de valor
para os clientes e gerar retorno às
partes interessadas.
NEGÓCIO (contexto)
Processo é uma agregação de
atividades e comportamentos
executados por humanos ou
máquinas para alcançar um ou
mais resultados.
PROCESSO
É um trabalho que agrega valor
para os clientes ou apoia outros
processos.
Ponta a ponta, interfuncional ou
até interorganizacional.
PROCESSO DE NEGÓCIO
1. PRIMÁRIO
2. SUPORTE
3. GERENCIAMENTO
TIPOS DE PROCESSOS
CADEIA DE VALOR – MODELO CLÁSSICO
OPERAÇÕES
LOGÍSTICADEENTRADA
LOGÍSTICADESAÍDA
MARKETINGEVENDAS
SERVIÇOS
American Productivity & Quality Center
ENGAJAR CLIENTES FAZER NEGÓCIO
SATISFAZER
EXPECTATIVAS
PRESTAR SERVIÇOS
PCP ENGENHARIA MANUTENÇÃO QUALIDADE
GESTÃO DE
PESSOAS
GESTÃO DE METAS GESTÃO DE INTERFACES
GESTÃO DOS
INDICADORES
BSC/BI/BAM
DE GERENCIAMENTO
SUPORTE
PRIMÁRIO
CADEIA DE VALOR – BASEADA EM PROCESSOS
PROCESSOS PRIMÁRIOS
 Processos de ponta a ponta.
 Entrega valor diretamente para o cliente.
 Atividades essenciais que uma organização cumpre
para executar a sua missão.
 Constrói a percepção de valor por parte do cliente.
 Devem ser estabelecidos da perspectiva do cliente e
dos “Momentos Verdade”.
 Conhecidos como processos finalísticos, processos
essenciais, processos principais
 Proveem suporte aos processos primários.
 Podem prover suporte a outros processos de suporte
ou processos gerenciais.
 Entregam valor para outros processos e não
diretamente para o cliente.
 São tão importante para a organização quanto os
processos primários que suportam.
 Conhecidos como processos de apoio, processos
secundário.
PROCESSOS DE SUPORTE
 Medem, monitoram e controlam atividades do
negócio.
 Administração do presente e do futuro da
organização.
 Asseguram que os processos primários e de suporte
atinjam suas metas.
 Não agregam valor diretamente para o cliente
 Conhecidos como processos de gestão, processos de
monitoramento.
PROCESSOS DE GERENCIAMENTO
 Instância de Processo é cada execução de um
processo.
 Para um processo de atendimento ao cliente, cada
atendimento realizado é uma instância do processo.
INSTÂNCIA DE PROCESSO
Se refere a grupos de atividades e competências
especializadas relacionadas a objetivos ou tarefas
particulares.
 São representadas como departamentos (tais como
vendas, finanças, produção)
 Orientação vertical de comando e controle
 Especialização para gerenciamento de um determinado
recurso
FUNÇÃO DE NEGÓCIO
FUNÇÃO DE NEGÓCIO
FUNÇÃO RECURSO GERENCIADO
Marketing Mercado (Consumidores, concorrentes)
Suprimentos Materiais e insumos
Distribuição Logística
Recursos Humanos Profissionais
Finanças Dinheiro
Patrimônio Bens
Qualidade Normas e padrões
RECURSOS DO NEGÓCIO
Planejamento
Aquisição
IncorporaçãoAdministração
Desincorpo-
ração
Os recursos
gerenciados pelas
funções do
negócio
obedecem um
ciclo de vida
RECURSOS DO NEGÓCIO
CICLO DE VIDA
FINANÇAS
(recurso = dinheiro)
Recursos Humanos
(recurso = profissionais)
Planejamento do Recurso Planejamento Financeiro Planejamento de RH
Aquisição do Recurso Faturamento Recrutamento e seleção
Incorporação do Recurso Cobrança, captação Admissão
Administração do Recurso Fluxo de Caixa Administração de RH
Desincorporação do Recurso Pagamentos Desligamento
PROCESSOS x FUNÇÃO
ORGANIZAÇÃO
TRADICIONAL POR FUNÇÃO
ORGANIZAÇÃO POR
PROCESSOS
ClienteSatisfeito
Presidente
ESCRITÓRIO
PROCESSOS
Gerenciamento departamental
Gerenciamentoprocessos
Logística Produção Manutenção Vendas
Do Requisito ao Serviço
Do Recrut. Ao Desligamento
Da prospecção ao Cliente
Do pedido ao caixa
Do estoque ao consumo
Clientecomnecessidades
Melhor alocação de recursos
PROCESSOS x FUNÇÃO
Valores, Crenças, Liderança e Cultura
 Alicerce do ambiente onde a organização opera
 Influencia e guia o comportamento e a Estrutura
Organizacional
 Determinam o sucesso ou o fracasso das inciativas
empreendidas pela organização
 O compromisso com o valor do processo e do cliente
é o alicerce da prática de BPM estão do século XX”.
(HAMEL, 2007)
Compromisso Organizacional
Direção
Vendas Marketing Finanças Produção
BPM DEFINIÇÃO &
CONCEITOS BÁSICOS
1. BPM é uma disciplina gerencial
2. BPM não é uma prescrição de estrutura de
trabalho, metodologia ou conjunto de
ferramentas
3. BPM é uma capacidade básica interna
4. BPM visa entregar valor para o cliente
5. BPM trata o trabalho ponta a ponta e a
orquestração das atividades ao longo das funções
de negócio
BPM - CONCEITOS BÁSICOS
6. BPM trata O QUE, ONDE, QUANDO, POR QUE,
COMO e POR QUEM o trabalho é realizado
7. Os meios pelos quais os processos de negócio
são definidos e representados devem ser
adequados à finalidade e aptos para uso
8. Processos de negócio devem ser gerenciados em
um ciclo contínuo para manter sua integridade e
permitir a transformação
BPM - CONCEITOS BÁSICOS
9. BPM requer investimento nas capacidades de
negócio
10.As capacidades são desenvolvidas ao longo de
uma curva de maturidade em processos
11. A implementação de BPM requer novos papéis e
responsabilidades
BPM - CONCEITOS BÁSICOS
12. A tecnologia desempenha papel de apoio e não
de liderança na implementação de BPM
13. Implementação de BPM é uma decisão
estratégica e requer patrocínio da liderança
executiva
14. Processos de negócio intensivos em
conhecimento devem ser identificados e
tratados adequadamente
BPM - CONCEITOS BÁSICOS
É uma disciplina gerencial que integra
estratégias e objetivos de uma
organização com expectativas e
necessidades de clientes, por meio
do foco em processos ponta a ponta.
DEFINIÇÃO DE BPM
(BPM – Business Process Management)
BPM engloba estratégias, objetivos,
culturas, estruturas organizacionais,
papéis, políticas, métodos e tecnologias
para analisar, desenhar, implementar,
gerenciar desempenho, transformar e
estabelecer a governança de processos.
DEFINIÇÃO DE BPM
(BPM – Business Process Management)
Disciplina gerencial é um
conjunto de conhecimentos que
trata de princípios e práticas de
administração para orientar
recursos organizacionais em
direção a objetivos definidos.
1 BPM É UMA DISCIPLINA GERENCIAL
 BPM é uma disciplina gerencial que
presume que os objetivos organizacionais
podem ser alcançados com mais êxito por
meio do gerenciamento de processos.
 Compreende um corpo de conhecimento
composto por princípios e melhores
práticas para orientar uma organização.
1 BPM É UMA DISCIPLINA GERENCIAL
 Não é uma metodologia prescrita ou um
kit de ferramentas.
2 BPM NÃO É UMA PRESCRIÇÃO
The Open Group Architecture Forum
Diferentes estruturas de trabalho,
metodologias e ferramentas podem
ser aplicadas para definição
desenho, execução monitoramento,
análise e controle de processos de
negócio.
2 BPM NÃO É UMA PRESCRIÇÃO
MÉTODOS PESSOAS TECNOLOGIA
OBJETIVOS
ESTRATÉGICOS
3 BPM É UMA CAPACIDADE BÁSICA
INTERNA.
 Donos de Processos – Responsáveis em última
instância
 Gerentes de Processos – Acompanham e monitoram
 Arquitetos de Processos – Compreendem o inter-
relacionamento
 Analistas de Processos – “AS-IS”
 Designers de Processos – “TO-BE”
3 BPM é uma capacidade básica
interna.
4 BPM visa a entrega de valor ao
cliente
Organizações existem para entregar valor para os clientes por meio
de seus produtos e/ou serviços.
Objetivos organizacionais devem, portanto, estar conectados à
entrega de valor para os clientes.
Processos de negócio são os meios pelos quais produtos e
serviços são criados e entregues para os clientes.
Gerenciamento de Processos de Negócio estabelece a forma pela
qual os processos de negócio são gerenciados, executados e
transformados.
Portanto, objetivos organizacionais podem ser atingidos por meio
de um gerenciamento centrado em processos de negócio.
4 CONEXÃO COM OBJETIVOS ESTRATÉGICOS
ANÁLISE LIBERAÇÃO
FUNÇÕES DO NEGÓCIO
FUNÇÃO 1 FUNÇÃO 2 FUNÇÃO 3 FUNÇÃO 4
Atividade
2a
Atividade
1a
Atividade
3a
Atividade
4a
Handoff Handoff Handoff
Atividade
2a
Atividade
1b
Atividade
c3 Atividade 4f
Handoff Handoff Handoff
Evento de
Iniciação
Evento de
Iniciação
Saída do
Processo
Saída do
Processo
5 TRABALHO PONTA A PONTA
BPM trata o trabalho ponta a ponta
e a orquestração das atividades ao longo das funções do negócio.
6 CONCEITOS FUNDAMENTAIS
BPM trata O QUE, ONDE, QUANDO, POR QUE, COMO e POR QUEM o trabalho é realizado.
 Os meios pelos quais os processos de negócio são
definidos e representados devem ser adequados à
finalidade e aptos para uso.
 Adequado ao propósito – Conter as informações
necessárias para atender as questões de O QUE,
ONDE, QUANDO, POR QUE, COMO e POR QUEM.
 Adequado ao uso – Apresentar de forma estruturada
essas informações de maneira eficaz e eficiente.
7 PROCESSOS: ADEQUAÇÃO À
FINALIDADE
Planeja-
mento
Análise
Desenho
Implemen-
tação
Monitora-
mento
e controle
Refina-
mento
Processos de negócio
devem ser
gerenciados em um
ciclo contínuo para
manter sua
integridade e
permitir a
transformação.
CICLO
DE
VIDA
8 PROCESSOS GERIDOS COMO CICLOS CONTÍNUOS
Objetivos alcançados
Métodos executados
Ações imediatas
Ações futuras
Objetivos
Métodos
Treinar
Executar
A P
C D
META
RESULTADO
8 CICLOS DE VIDA
Metas operacionais
•Apoiam metas funcionais
Metas funcionais
•Apoiam metas de processo
Metas de processo
•Contribuem para a satisfação de
cliente
8 CICLOS DE VIDA
9 BPM REQUER INVESTIMENTO NAS
CAPACIDADES DO NEGÓCIO
 Medir a satisfação do cliente
 Medir a eficiência e eficácia do serviço
 Identificar oportunidades para mudança e melhoria de
processos
 Alinhar oportunidades de melhoria de processos aos
objetivos estratégicos e priorizá-las apropriadamente
 Construir oportunidades de melhoria de processos no
desenho “TO-BE” e implementar de forma eficas e eficiente o
desenho nas operações
 Medir o retorno sobre o investimento
10 CURVAS DE MATURIDADE
VENDAS DISTRIBUIÇÃOFINANÇAS
Administração
Handoff
Handoff
11 BPM REQUER NOVOS PAPEIS E
RESPONSABILIDADES
A prática de BPM baseada em um
método sólido, mas sem suporte de
tecnologia, pode ser bem-sucedida.
Um esforço de BPM baseado em
tecnologia, mas sem método, está
fadado ao fracasso.
12 TECNOLOGIA: PAPEL DE APOIO
12 TECNOLOGIA: PAPEL DE APOIO
 A tecnologia da informação desempenha papel de
apoio e não de liderança na implementação de BPM.
 A tecnologia da informação (TI) é um facilitador de
BPM.
 BPM não é um projeto de TI.
 É uma aplicação coordenada de práticas de
gerenciamento de processos que podem ser
habilitadas por tecnologia.
13 IMPLANTAR BPM É DECISÃO
ESTRATÉGICA REQUER LIDERANÇA
14 PROCESSOS DE NEGÓCIO
INTENSIVOS EM CONHECIMENTO
BPM é uma jornada, não um destino.
A adoção de BPM reforça a vantagem competitiva
das organizações.
Organizações centradas em BPM desfrutam de
maior alinhamento entre a estratégia e a operação,
maior resiliência operacional, conformidade menos
intrusiva e, aumento de produtividade.
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Jorge Ramalho - CBPP
jojpramalho@gmail.com
(71) 9 8814-7080
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2012 Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)
2012   Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)2012   Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)
2012 Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)josesifuentes
 
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.JrAulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.JrSergio Luis Seloti Jr
 
Alinhando Processos com Estratégia 2011
Alinhando Processos com Estratégia 2011Alinhando Processos com Estratégia 2011
Alinhando Processos com Estratégia 2011wingscreative
 
Marcio iti lv3_6_melhoria_deservicos
Marcio iti lv3_6_melhoria_deservicosMarcio iti lv3_6_melhoria_deservicos
Marcio iti lv3_6_melhoria_deservicosfernandao777
 
Dimensões da Inovação Mapeamento de processos
Dimensões da Inovação Mapeamento de processosDimensões da Inovação Mapeamento de processos
Dimensões da Inovação Mapeamento de processosCláudio Peixoto Marcília
 
Apresentação Comercial - CSU Contact
Apresentação Comercial - CSU ContactApresentação Comercial - CSU Contact
Apresentação Comercial - CSU ContactCSURIWEB
 
Lanto Institucional Maio 2010
Lanto Institucional Maio 2010Lanto Institucional Maio 2010
Lanto Institucional Maio 2010fnimer
 
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]Raíssa Alencar
 
[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...
[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...
[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...EloGroup
 
Adm de produã§ã£o e materiais na 2011-1 - seã§ã£o 02
Adm de produã§ã£o e materiais   na 2011-1 - seã§ã£o 02Adm de produã§ã£o e materiais   na 2011-1 - seã§ã£o 02
Adm de produã§ã£o e materiais na 2011-1 - seã§ã£o 02fabriciofarasi
 
Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico
Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico
Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico Grupo Treinar
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Andrei Maturano
 

Mais procurados (14)

2012 Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)
2012   Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)2012   Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)
2012 Jose Sifuentes Personal Biography (Clients)
 
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.JrAulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
 
Alinhando Processos com Estratégia 2011
Alinhando Processos com Estratégia 2011Alinhando Processos com Estratégia 2011
Alinhando Processos com Estratégia 2011
 
Marcio iti lv3_6_melhoria_deservicos
Marcio iti lv3_6_melhoria_deservicosMarcio iti lv3_6_melhoria_deservicos
Marcio iti lv3_6_melhoria_deservicos
 
Dimensões da Inovação Mapeamento de processos
Dimensões da Inovação Mapeamento de processosDimensões da Inovação Mapeamento de processos
Dimensões da Inovação Mapeamento de processos
 
Apresentação Comercial - CSU Contact
Apresentação Comercial - CSU ContactApresentação Comercial - CSU Contact
Apresentação Comercial - CSU Contact
 
Lanto Institucional Maio 2010
Lanto Institucional Maio 2010Lanto Institucional Maio 2010
Lanto Institucional Maio 2010
 
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
Mapeamento dos Processos - Consultec Jr [Versão 3.0]
 
[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...
[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...
[BPM DAY DF 2012] EMATER, EMBRAPA E SEBRAE – Árvore da Realidade Atual e Mape...
 
Conceitos Ae
Conceitos AeConceitos Ae
Conceitos Ae
 
Adm de produã§ã£o e materiais na 2011-1 - seã§ã£o 02
Adm de produã§ã£o e materiais   na 2011-1 - seã§ã£o 02Adm de produã§ã£o e materiais   na 2011-1 - seã§ã£o 02
Adm de produã§ã£o e materiais na 2011-1 - seã§ã£o 02
 
Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico
Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico
Curso Balanced Scorecard como Ferramenta para o Planejamento Estrategico
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
 

Semelhante a Encontros CBOK 2017 - BA capítulo 2

Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...
Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...
Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...Iris Nunes, PMP®, PSM I
 
Apresentação- transformação organizacional com bpm
Apresentação-  transformação organizacional com bpmApresentação-  transformação organizacional com bpm
Apresentação- transformação organizacional com bpmCelebroni BPM
 
Michael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de Caso
Michael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de CasoMichael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de Caso
Michael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de CasoEloGroup
 
Michael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de Caso
Michael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de CasoMichael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de Caso
Michael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de CasoEloGroup
 
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart CapoteAE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart CapoteFernando Botafogo
 
Ebook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de NegóciosEbook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de NegóciosIdeia Consultoria
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de ProcessosEloGroup
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de ProcessosEloGroup
 
Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...
Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...
Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...Mauricio Bitencourt, CBPP
 
Fsw Institucional 2007
Fsw  Institucional 2007Fsw  Institucional 2007
Fsw Institucional 2007guest269cc8
 
Gestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do Negócio
Gestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do NegócioGestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do Negócio
Gestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do NegócioAndre Duprat Chaulet
 
Michael Rosemann – O valor de BPM
 Michael Rosemann – O valor de BPM  Michael Rosemann – O valor de BPM
Michael Rosemann – O valor de BPM EloGroup
 
Michael Rosmann - O valor de BPM
Michael Rosmann - O valor de BPMMichael Rosmann - O valor de BPM
Michael Rosmann - O valor de BPMEloGroup
 
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcaseBpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcasePATH ITTS - DATA GOVERNANCE INNOVATION
 

Semelhante a Encontros CBOK 2017 - BA capítulo 2 (20)

Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...
Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...
Relacionamento entre Gerenciamento de Projetos e Gerenciamento de Processos d...
 
Processos
ProcessosProcessos
Processos
 
Apresentação Oportunitta Consultoria
Apresentação Oportunitta ConsultoriaApresentação Oportunitta Consultoria
Apresentação Oportunitta Consultoria
 
Apresentação- transformação organizacional com bpm
Apresentação-  transformação organizacional com bpmApresentação-  transformação organizacional com bpm
Apresentação- transformação organizacional com bpm
 
Michael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de Caso
Michael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de CasoMichael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de Caso
Michael Rosemann – Governança de BPM – Estudos de Caso
 
Michael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de Caso
Michael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de CasoMichael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de Caso
Michael Rosemann - Governança de BPM - Estudos de Caso
 
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart CapoteAE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
AE Rio 2011 - ABPMP - Gart Capote
 
Ebook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de NegóciosEbook Processos Poderosos de Negócios
Ebook Processos Poderosos de Negócios
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi – Escritório de Processos
 
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
[BPM DAY RJ 2013] Oi - Escritório de Processos
 
Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...
Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...
Antes de automatizar processos e regras de negócio com BPMS e SOA: otimizar o...
 
Fsw Institucional 2007
Fsw  Institucional 2007Fsw  Institucional 2007
Fsw Institucional 2007
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Bpm Novo Paradigma
Bpm   Novo ParadigmaBpm   Novo Paradigma
Bpm Novo Paradigma
 
Gestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do Negócio
Gestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do NegócioGestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do Negócio
Gestão de Supply Chain & Operações conectada a Gestão do Negócio
 
Michael Rosemann – O valor de BPM
 Michael Rosemann – O valor de BPM  Michael Rosemann – O valor de BPM
Michael Rosemann – O valor de BPM
 
Michael Rosmann - O valor de BPM
Michael Rosmann - O valor de BPMMichael Rosmann - O valor de BPM
Michael Rosmann - O valor de BPM
 
Apresentação SupriQual junho 2014
Apresentação SupriQual junho 2014Apresentação SupriQual junho 2014
Apresentação SupriQual junho 2014
 
Apresentação SupriQual
Apresentação SupriQualApresentação SupriQual
Apresentação SupriQual
 
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcaseBpm gestao de processos empresariais   apresentação executiva - 20101215-semcase
Bpm gestao de processos empresariais apresentação executiva - 20101215-semcase
 

Encontros CBOK 2017 - BA capítulo 2

  • 1. ENCONTROS CBoK Capítulo 2 Gerenciamento de Processos de Negócios 20/09/2017
  • 2. Jorge Ramalho Apresentação • CBPP pela ABPMP Internacional • Especialista em: • Gestão da Qualidade – UFBA • Gestão de negócios – UCSAL • Gestão de empresas de TI – UNIJORGE • Psicologia organizacional - UNIFACS • Engenheiro Eletricista pela UFBA • Diretor de qualidade da CONSISTE CONSULTORIA E SISTEMAS
  • 5.  As disciplinas de qualidade e processos mudaram o destino do Japão.  Mercado globalizado requer maior agilidade nas entregas, menores custos, maior qualidade no desenvolvimento dos produtos e para gerar maior satisfação aos seus clientes. (HAMMER, 1990) MUNDO LÍQUIDO
  • 6.  Ampliação de oferta de produtos e necessidade de monitoramento contínuo dos processos de negócio e seus respectivos desempenhos. (KAPLAN & NORTON, 2004)  Criação de valor para os clientes por meio de processos interfuncionais de negócio. (PAIM, 2007)  “as empresas competem no ambiente do século XXI e, no entanto, ainda adotam práticas de gestão do século XX”. (HAMEL, 2007) MUNDO LÍQUIDO
  • 7. ProcessoPROCESSOS DE NEGÓCIO Decomposição do processo por afinidade, objetivo ou resultado SUBPROCESSO Grupo de atividades e competências especializadas FUNÇÃO DE NEGÓCIO Conjunto de tarefasATIVIDADE Conjunto de passos ou açõesTAREFA Modalidade de execução da tarefaCENÁRIO Ação em nível atômicoPASSO INTELECTUALOPERACIONAL LÓGICOFÍSICO CAPÍTULO 2 - INTRODUÇÃO
  • 8. FUNÇÕES ATIVIDADES SUBPROCESSO ATIVIDADESOBTER PEDIDO DO CLIENTE COBRAR DO CLIENTE ENTREGAR AO CLIENTE VISÃOLÓGICAVISÃOFÍSICA VENDAS FINANÇAS DISTRIBUIÇÃO OBTER PEDIDO PAGAR FORNECEDOR COBRAR CLIENTE ENTREGAR PRODUTOS CAPÍTULO 2 - INTRODUÇÃO DA VENDA À ENTREGA
  • 9. Pessoas que interagem para executar um conjunto de atividades de entrega de valor para os clientes e gerar retorno às partes interessadas. NEGÓCIO (contexto)
  • 10. Processo é uma agregação de atividades e comportamentos executados por humanos ou máquinas para alcançar um ou mais resultados. PROCESSO
  • 11. É um trabalho que agrega valor para os clientes ou apoia outros processos. Ponta a ponta, interfuncional ou até interorganizacional. PROCESSO DE NEGÓCIO
  • 12. 1. PRIMÁRIO 2. SUPORTE 3. GERENCIAMENTO TIPOS DE PROCESSOS
  • 13. CADEIA DE VALOR – MODELO CLÁSSICO OPERAÇÕES LOGÍSTICADEENTRADA LOGÍSTICADESAÍDA MARKETINGEVENDAS SERVIÇOS
  • 14. American Productivity & Quality Center
  • 15. ENGAJAR CLIENTES FAZER NEGÓCIO SATISFAZER EXPECTATIVAS PRESTAR SERVIÇOS PCP ENGENHARIA MANUTENÇÃO QUALIDADE GESTÃO DE PESSOAS GESTÃO DE METAS GESTÃO DE INTERFACES GESTÃO DOS INDICADORES BSC/BI/BAM DE GERENCIAMENTO SUPORTE PRIMÁRIO CADEIA DE VALOR – BASEADA EM PROCESSOS
  • 16. PROCESSOS PRIMÁRIOS  Processos de ponta a ponta.  Entrega valor diretamente para o cliente.  Atividades essenciais que uma organização cumpre para executar a sua missão.  Constrói a percepção de valor por parte do cliente.  Devem ser estabelecidos da perspectiva do cliente e dos “Momentos Verdade”.  Conhecidos como processos finalísticos, processos essenciais, processos principais
  • 17.  Proveem suporte aos processos primários.  Podem prover suporte a outros processos de suporte ou processos gerenciais.  Entregam valor para outros processos e não diretamente para o cliente.  São tão importante para a organização quanto os processos primários que suportam.  Conhecidos como processos de apoio, processos secundário. PROCESSOS DE SUPORTE
  • 18.  Medem, monitoram e controlam atividades do negócio.  Administração do presente e do futuro da organização.  Asseguram que os processos primários e de suporte atinjam suas metas.  Não agregam valor diretamente para o cliente  Conhecidos como processos de gestão, processos de monitoramento. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO
  • 19.  Instância de Processo é cada execução de um processo.  Para um processo de atendimento ao cliente, cada atendimento realizado é uma instância do processo. INSTÂNCIA DE PROCESSO
  • 20. Se refere a grupos de atividades e competências especializadas relacionadas a objetivos ou tarefas particulares.  São representadas como departamentos (tais como vendas, finanças, produção)  Orientação vertical de comando e controle  Especialização para gerenciamento de um determinado recurso FUNÇÃO DE NEGÓCIO
  • 21. FUNÇÃO DE NEGÓCIO FUNÇÃO RECURSO GERENCIADO Marketing Mercado (Consumidores, concorrentes) Suprimentos Materiais e insumos Distribuição Logística Recursos Humanos Profissionais Finanças Dinheiro Patrimônio Bens Qualidade Normas e padrões
  • 22. RECURSOS DO NEGÓCIO Planejamento Aquisição IncorporaçãoAdministração Desincorpo- ração Os recursos gerenciados pelas funções do negócio obedecem um ciclo de vida
  • 23. RECURSOS DO NEGÓCIO CICLO DE VIDA FINANÇAS (recurso = dinheiro) Recursos Humanos (recurso = profissionais) Planejamento do Recurso Planejamento Financeiro Planejamento de RH Aquisição do Recurso Faturamento Recrutamento e seleção Incorporação do Recurso Cobrança, captação Admissão Administração do Recurso Fluxo de Caixa Administração de RH Desincorporação do Recurso Pagamentos Desligamento
  • 24. PROCESSOS x FUNÇÃO ORGANIZAÇÃO TRADICIONAL POR FUNÇÃO ORGANIZAÇÃO POR PROCESSOS
  • 25. ClienteSatisfeito Presidente ESCRITÓRIO PROCESSOS Gerenciamento departamental Gerenciamentoprocessos Logística Produção Manutenção Vendas Do Requisito ao Serviço Do Recrut. Ao Desligamento Da prospecção ao Cliente Do pedido ao caixa Do estoque ao consumo Clientecomnecessidades Melhor alocação de recursos PROCESSOS x FUNÇÃO
  • 26. Valores, Crenças, Liderança e Cultura  Alicerce do ambiente onde a organização opera  Influencia e guia o comportamento e a Estrutura Organizacional  Determinam o sucesso ou o fracasso das inciativas empreendidas pela organização  O compromisso com o valor do processo e do cliente é o alicerce da prática de BPM estão do século XX”. (HAMEL, 2007)
  • 29. 1. BPM é uma disciplina gerencial 2. BPM não é uma prescrição de estrutura de trabalho, metodologia ou conjunto de ferramentas 3. BPM é uma capacidade básica interna 4. BPM visa entregar valor para o cliente 5. BPM trata o trabalho ponta a ponta e a orquestração das atividades ao longo das funções de negócio BPM - CONCEITOS BÁSICOS
  • 30. 6. BPM trata O QUE, ONDE, QUANDO, POR QUE, COMO e POR QUEM o trabalho é realizado 7. Os meios pelos quais os processos de negócio são definidos e representados devem ser adequados à finalidade e aptos para uso 8. Processos de negócio devem ser gerenciados em um ciclo contínuo para manter sua integridade e permitir a transformação BPM - CONCEITOS BÁSICOS
  • 31. 9. BPM requer investimento nas capacidades de negócio 10.As capacidades são desenvolvidas ao longo de uma curva de maturidade em processos 11. A implementação de BPM requer novos papéis e responsabilidades BPM - CONCEITOS BÁSICOS
  • 32. 12. A tecnologia desempenha papel de apoio e não de liderança na implementação de BPM 13. Implementação de BPM é uma decisão estratégica e requer patrocínio da liderança executiva 14. Processos de negócio intensivos em conhecimento devem ser identificados e tratados adequadamente BPM - CONCEITOS BÁSICOS
  • 33. É uma disciplina gerencial que integra estratégias e objetivos de uma organização com expectativas e necessidades de clientes, por meio do foco em processos ponta a ponta. DEFINIÇÃO DE BPM (BPM – Business Process Management)
  • 34. BPM engloba estratégias, objetivos, culturas, estruturas organizacionais, papéis, políticas, métodos e tecnologias para analisar, desenhar, implementar, gerenciar desempenho, transformar e estabelecer a governança de processos. DEFINIÇÃO DE BPM (BPM – Business Process Management)
  • 35. Disciplina gerencial é um conjunto de conhecimentos que trata de princípios e práticas de administração para orientar recursos organizacionais em direção a objetivos definidos. 1 BPM É UMA DISCIPLINA GERENCIAL
  • 36.  BPM é uma disciplina gerencial que presume que os objetivos organizacionais podem ser alcançados com mais êxito por meio do gerenciamento de processos.  Compreende um corpo de conhecimento composto por princípios e melhores práticas para orientar uma organização. 1 BPM É UMA DISCIPLINA GERENCIAL
  • 37.  Não é uma metodologia prescrita ou um kit de ferramentas. 2 BPM NÃO É UMA PRESCRIÇÃO The Open Group Architecture Forum
  • 38. Diferentes estruturas de trabalho, metodologias e ferramentas podem ser aplicadas para definição desenho, execução monitoramento, análise e controle de processos de negócio. 2 BPM NÃO É UMA PRESCRIÇÃO
  • 39. MÉTODOS PESSOAS TECNOLOGIA OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 3 BPM É UMA CAPACIDADE BÁSICA INTERNA.
  • 40.  Donos de Processos – Responsáveis em última instância  Gerentes de Processos – Acompanham e monitoram  Arquitetos de Processos – Compreendem o inter- relacionamento  Analistas de Processos – “AS-IS”  Designers de Processos – “TO-BE” 3 BPM é uma capacidade básica interna.
  • 41. 4 BPM visa a entrega de valor ao cliente
  • 42. Organizações existem para entregar valor para os clientes por meio de seus produtos e/ou serviços. Objetivos organizacionais devem, portanto, estar conectados à entrega de valor para os clientes. Processos de negócio são os meios pelos quais produtos e serviços são criados e entregues para os clientes. Gerenciamento de Processos de Negócio estabelece a forma pela qual os processos de negócio são gerenciados, executados e transformados. Portanto, objetivos organizacionais podem ser atingidos por meio de um gerenciamento centrado em processos de negócio. 4 CONEXÃO COM OBJETIVOS ESTRATÉGICOS
  • 43.
  • 44. ANÁLISE LIBERAÇÃO FUNÇÕES DO NEGÓCIO FUNÇÃO 1 FUNÇÃO 2 FUNÇÃO 3 FUNÇÃO 4 Atividade 2a Atividade 1a Atividade 3a Atividade 4a Handoff Handoff Handoff Atividade 2a Atividade 1b Atividade c3 Atividade 4f Handoff Handoff Handoff Evento de Iniciação Evento de Iniciação Saída do Processo Saída do Processo 5 TRABALHO PONTA A PONTA BPM trata o trabalho ponta a ponta e a orquestração das atividades ao longo das funções do negócio.
  • 45. 6 CONCEITOS FUNDAMENTAIS BPM trata O QUE, ONDE, QUANDO, POR QUE, COMO e POR QUEM o trabalho é realizado.
  • 46.  Os meios pelos quais os processos de negócio são definidos e representados devem ser adequados à finalidade e aptos para uso.  Adequado ao propósito – Conter as informações necessárias para atender as questões de O QUE, ONDE, QUANDO, POR QUE, COMO e POR QUEM.  Adequado ao uso – Apresentar de forma estruturada essas informações de maneira eficaz e eficiente. 7 PROCESSOS: ADEQUAÇÃO À FINALIDADE
  • 47. Planeja- mento Análise Desenho Implemen- tação Monitora- mento e controle Refina- mento Processos de negócio devem ser gerenciados em um ciclo contínuo para manter sua integridade e permitir a transformação. CICLO DE VIDA 8 PROCESSOS GERIDOS COMO CICLOS CONTÍNUOS
  • 48. Objetivos alcançados Métodos executados Ações imediatas Ações futuras Objetivos Métodos Treinar Executar A P C D META RESULTADO 8 CICLOS DE VIDA
  • 49. Metas operacionais •Apoiam metas funcionais Metas funcionais •Apoiam metas de processo Metas de processo •Contribuem para a satisfação de cliente 8 CICLOS DE VIDA
  • 50. 9 BPM REQUER INVESTIMENTO NAS CAPACIDADES DO NEGÓCIO  Medir a satisfação do cliente  Medir a eficiência e eficácia do serviço  Identificar oportunidades para mudança e melhoria de processos  Alinhar oportunidades de melhoria de processos aos objetivos estratégicos e priorizá-las apropriadamente  Construir oportunidades de melhoria de processos no desenho “TO-BE” e implementar de forma eficas e eficiente o desenho nas operações  Medir o retorno sobre o investimento
  • 51. 10 CURVAS DE MATURIDADE
  • 53. A prática de BPM baseada em um método sólido, mas sem suporte de tecnologia, pode ser bem-sucedida. Um esforço de BPM baseado em tecnologia, mas sem método, está fadado ao fracasso. 12 TECNOLOGIA: PAPEL DE APOIO
  • 54. 12 TECNOLOGIA: PAPEL DE APOIO  A tecnologia da informação desempenha papel de apoio e não de liderança na implementação de BPM.  A tecnologia da informação (TI) é um facilitador de BPM.  BPM não é um projeto de TI.  É uma aplicação coordenada de práticas de gerenciamento de processos que podem ser habilitadas por tecnologia.
  • 55. 13 IMPLANTAR BPM É DECISÃO ESTRATÉGICA REQUER LIDERANÇA
  • 56. 14 PROCESSOS DE NEGÓCIO INTENSIVOS EM CONHECIMENTO
  • 57. BPM é uma jornada, não um destino. A adoção de BPM reforça a vantagem competitiva das organizações. Organizações centradas em BPM desfrutam de maior alinhamento entre a estratégia e a operação, maior resiliência operacional, conformidade menos intrusiva e, aumento de produtividade. CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 58. Jorge Ramalho - CBPP jojpramalho@gmail.com (71) 9 8814-7080 Obrigado!