SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo - MOD-1
- HISTÓRIA DA GRAMÁTICA TRADICIONAL.
Responsáveis: Prof.Johnny José Mafra; Prof. Sueli Coelho; Prof. Lorenzo Vitral; Profa.
Eunice Nicolau; Profa. Márcia Rumeu; Prof.Heloisa Penna; Prof. Antônio Martinez.

Ementa:

Estudo da epistemologia do pensamento gramatical, entendendo-o como uma forma de se
teorizar sobre a lingua(gem). Origens filosóficas da gramática: contribuições de Platão e dos
sofistas até os escolásticos medievais, passando pelo período romano. Origem do teor
normativista característico da gramática tradicional. Legados do período medieval, da
renascença e a influência da tradição hindu para a constituição do saber gramatical.
Apresentação das primeiras gramáticas da língua portuguesa.
Bibliografia Básica:

BORBA, F. da S. Introdução aos estudos linguísticos. São Paulo: C.E.N., 1967.
KRISTEVA, J. História da linguagem. Trad. Maria Margarida Barahona. Edições 70: Lisboa,
1969.
LYONS, J. Introdução à linguística teórica. São Paulo: C.E.N., 1979.
MATTOS E SILVA, R. V. Tradição gramatical e gramática tradicional. 5. ed. São Paulo:
Contexto, 2002. (Repensando a Língua Portuguesa)
NEVES, M. H. M. A vertente grega da gramática tradicional. São Paulo: Hucitec, Fapesp,
1987a.
NEVES, M. H. M. A gramática: história, teoria e análise, ensino. São Paulo: Editora da
UNESP, 2002.
- TEORIA TRADICIONAL: MORFOLOGIA
Responsáveis: Prof. Luís Carlos Rocha; Prof. Maria Cândida Seabra; Profa. Márcia Rumeu.
Ementa:
Descrição da estrutura interna das palavras do português à luz da gramática tradicional.
Abordagem crítica de fenômenos morfológicos do português tais como a distinção entre
vocábulo formal e vocábulo fonológico, os mecanismos de flexão e de derivação e os
principais processos de formação de palavras. Confronto entre as perspectivas prescritivista e
descritivista de análise das estruturas morfológicas das palavras da língua portuguesa.
Bibliografia básica:
CÂMARA JR. J. M. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes. 31ª ed. 2000.
CARONE, F. B. Formação de Palavras. Morfossintaxe. São Paulo: Ática. 9ª ed. p. 36-45.
2003.
GONÇALVES, C. A. Flexão e Derivação: o grau. VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. Ensino
de gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto. p. 149-168. 2007.
MONTEIRO, J. L. Morfologia Portuguesa. Campinas: Pontes. 4ª ed. 2002.
PETTER, M. M. T. Morfologia. In.: FIORIN, J. L. (Org.) Introdução à Linguística II:
princípios de análise. São Paulo: Contexto, p. 59-79. 2003.
ROSA, M. C. Introdução à morfologia. São Paulo: Contexto. 2000.
ZANOTTO, N. Estrutura mórfica da língua portuguesa. Rio de Janeiro, RJ: Lucerna; Caxias
do Sul: Educs. 2006.
DICIONÁRIOS:
CUNHA, A. G. Dicionário Etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira Editora. 1982.
TRASK, R. L. Dicionário de linguagem e linguística. Tradução de Rodolfo Ilari; revisão
técnica de Ingedore Villaça Koch, Thaís Cristófaro Silva. São Paulo: Contexto. 2008.
GRAMÁTICAS:
BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Lucerna. 1999.
CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro:
Nova Fronteira. 1985.
ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José
Olympio. 1972.
- TEORIA TRADICIONAL: SINTAXE
Responsáveis: Profa. Eunice Nicolau; Prof. Lorenzo Vitral; Profa. Jânia Ramos; Profa.
Márcia Rumeu; Prof. Johnny José Mafra; Prof. Heloisa Penna; Prof. José Carlos de Azeredo;
Profa. Sueli Coelho.
Ementa:
Estudo da sintaxe sob a perspectiva da gramática tradicional, identificando-se seu objeto de
estudo e suas subdivisões, considerando-se, para tanto, o ponto de vista das funções e das
relações. Análise das categorias de descrição gramatical, passando pelas noções de frase,
oração, período, termos essenciais, termos integrantes e termos acessórios, finalizando com a
discussão dos conceitos de coordenação e de subordinação, tanto no âmbito do período
simples, quanto no do período composto.

Bibliografia básica:
BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 34 ed. SP,CIA Ed.Nacional, 1992.
BRANDÃO, Cláudio. Sintaxe clássica portuguêsa. Belo Horizonte: Imprensa da
Universidade de Minas Gerais, edição do autor, 1963.
CUNHA, C. & CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. RJ, Nova
Fronteira, 1985.
KURY, A.da Gama. Novas Lições de Análise Sintática. 3 ed. SP, Ática, 1987.
LUFT, Celso Pedro. Moderna Gramática Brasileira. 9 ed. RJ, Editora Globo, 1989.
MELO, Gladstone Chaves de. Gramática fundamental da língua portuguesa. 3 ed. Rio de
Janeiro, Ao Livro Técnico, 1978.
PEREIRA, Eduardo Carlos. Gramática expositiva: curso superior. 107. ed. São Paulo:
Companhia Editora Nacional, 1957.
RIBEIRO, Ernesto Carneiro. Serões grammaticaes. 2. ed. Bahia Estabelecimento dos dois
mundos, 1915.
ROCHA LIMA, C. H. da. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. 28 ed. Rio de Janeiro,
José Olympio, 1987.
- REVISÃO DE TEXTOS: ASPECTOS FORMAIS
Responsáveis: Profa. Eliane Mourão; Profa. Leandra Antunes; Profa. Sueli Coelho; Prof.
Johnny José Mafra.
Ementa:
Estudo da norma culta tendo em vista sua definição e as condições do seu emprego em textos
escritos e falados. Discussão sobre a revisão de textos como atividade com função de garantir
o uso adequado da língua e desenvolver a percepção em relação à arquitetura formal do texto.
Análise de textos que exigem o emprego da norma culta evidenciando-se os problemas
gramaticais mais recorrentes na produção escrita escolar.
Bibliografia básica:
AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha,
2008.
CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
FARACO, Carlos Alberto. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola
Editorial, 2008.
GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 18. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV,
2000.
LUFT, Celso Pedro. Dicionário Prático de Regência Nominal. São Paulo: Ática, 1992.
LUFT, Celso Pedro. Dicionário Prático de Regência Verbal. São Paulo: Ática, 1996.
RODRIGUES, Vera Cristina. Dicionário Houaiss de verbos da língua portuguesa. Rio de
Janeiro: Objetiva, 2003.
- MORFOLOGIA: ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS.
Responsáveis: Prof. Luís Carlos Rocha; Prof. Maria Cândida Seabra; Profa. Márcia Rumeu.
Ementa:
Descrição crítica dos processos de formação das palavras e das classes de palavras, visando à
discussão de sua aplicabilidade ao ensino de língua portuguesa. Discussão, à luz da
gramaticalização, a produtividade dos processos de ampliação do acervo lexical do português.
Bibliografia básica:
BASILIO, M. Teoria Lexical. Rio de Janeiro: 7ª ed. Ática. 2001.
__________. Derivação e mudança de classe: padrões gerais e motivações. Formação e
classes de palavras no português do Brasil. São Paulo: Contexto. p. 27-31. 2004.
COHEN, M. A. A. M. Reexame de um caso clássico à luz de novos dados: a gramaticalização
e a reanálise de mente. VITRAL, L.; COELHO, S. (Orgs.) Estudos de processos de
gramaticalização: metodologias e aplicações. Campinas, SP: Mercado de Letras, p. 57-74.
2010.
FERRAZ, A. P. A inovação lexical e a dimensão social da língua. SEABRA, M. C. T. C. de.
(Org.) O léxico em estudo. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, p. 217-234. 2006.
LOPES, C. R. S. Pronomes pessoais. VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. (Orgs.) Ensino de
gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto, p. 103- 119. 2007.
PERINI-SANTOS, P.; MELLO, H. Inovações na Morfologia do Português Brasileiro:
tendências para a ampliação do léxico por gramaticalização, lexicalização, analogia. Domínios
de

linguagem.

Revista

Eletrônica

de

Linguística

(http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem) Volume 5, nº 2 – 2º semestre 2011.
PINILLA, M. A. Classes de palavras. VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. (Orgs.) Ensino de
gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto, p. 169-183. 2007.
SEABRA, M. C. T. C. de. (Org.) O léxico em estudo. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da
UFMG. 2006.
VIANA, J. B. S.; LOPES, C. R. S. A variação entre Nós e A gente: uma comparação entre o
português europeu e o português brasileiro. MARTINS, M. A.; ABRAÇADO, J. (Orgs.)
Revista do GELNE - Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste. Natal: EDUFRN, Volume
14, Número Especial. p. 95-116.
DICIONÁRIOS:
CUNHA, A. G. Dicionário Etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira Editora. 1982.
TRASK, R. L. Dicionário de linguagem e linguística. Tradução de Rodolfo Ilari; revisão
técnica de Ingedore Villaça Koch, Thaís Cristófaro Silva. São Paulo: Contexto. 2008.
GRAMÁTICAS:
BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Lucerna. 1999.
CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro:
Nova Fronteira. 1985.
ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José
Olympio. 1972.
- SINTAXE: ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS.
Responsáveis: Profa. Eunice Nicolau; Prof. Lorenzo Vitral; Profa. Jânia Ramos; Profa. Márcia
Rumeu; Prof.Johnny José Mafra; Prof. José Carlos de Azeredo.
Ementa:
Problematização da perspectiva teórica tradicional, levando-se em conta os critérios de análise
empregados pelos manuais gramaticais. As insuficiências da perspectiva tradicional no que se
refere ao uso inconsistente dos critérios de análise, resultando em dificuldade de
conceituação, em exemplificação inadequada e em ausência de sistematicidade teórica.
Principais noções que orientam a reflexão sintática contemporânea, sobretudo, os
pressupostos da teoria gerativa a qual parte da noção de gramática internalizada.

Bibliografia básica:
CASTILHO,A.T.de. Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.
CHOMSKY,N. O Programa Minimalista. Lisboa: Editorial Caminho, 1999 (tradução e
apresentação de Eduardo Raposo).
HAUY,A.B. Da Necessidade de uma Gramática-Padrão da Língua Portuguesa.São Paulo:
Ática, 1986.
MIOTO,C; SILVA,M.C.F.; LOPES,R.E.V. Novo Manual de Sintaxe. Florianópolis: Insular,
2004.
PERINI, Mário A. Para uma nova gramática do português. São Paulo: Ática, 2007; 1a
edição, 1985.
RAPOSO,E. Teoria da Gramática: a faculdade da linguagem. Lisboa: Editorial
Caminho,1992.
- SINTAXE: FENÔMENOS CONTEMPORÂNEOS DO PORTUGUÊS DO BRASIL.
Responsáveis: Profa. Jânia Ramos; Profa. Márcia Rumeu; Prof.Johnny José Mafra; Prof. José
Carlos de Azeredo; Profa. Eunice Nicolau; Prof. Lorenzo Vitral.
Ementa:
Fenômenos sintáticos mais estudados do português do Brasil contemporâneo, tomando por
base os quadros teóricos da teoria gerativa e da teoria da variação e mudança.Destaque para a
fenomenologia do sujeito nulo e sua relação com os paradigmas da concordância verbal; o
apagamento do objeto; as formas pronominais plenas e reduzidas e a formação das orações
relativas.
Bibliografia básica:
CASTILHO,A.T.de. Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.
CYRINO,S.M.L.O Objeto Nulo no Português do Brasil: um estudo sintático-diacrônico.
Londrina:Editora da UEL,1997.
NICOLAU,E.M.das D.As Propriedades de Sujeito Nulo e a Ordem V-S no Português
Brasileiro. Tese de doutoramento: Unicamp, 1995.
ROBERTS,I;KATO,M.A. Português Brasileiro. Uma viagem diacrônica.Campinas: Editora
da Unicamp, 1993.
TARALLO,F.A Pesquisa Sociolinguística. São Paulo: Ática, 1990.
VITRAL,L.;RAMOS,J. Gramaticalização: uma abordagem formal. Rio de Janeiro: Tempo
Brasileiro, 2006.
- GRAMÁTICA E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA COM FOCO NO ENSINO.
Responsável: Prof. Evelyne Dogliani; Profa. Jânia Ramos; Profa. Eunice Nicolau.
Ementa:
Heterogeneidade linguítica como propriedade natural e constitutiva das línguas vivas.
Padronização lingüística, com ênfase no papel que a escola tem neste processo. Processos de
padronização lingüística efetivados na Inglaterra, França e no Brasil. Contribuições recentes
da sociolingüística ao ensino de língua materna.
Bibliografia básica:
TARALLO, F.L. (1985) A pesquisa sociolingüística. São Paulo: Ática.
MILROY, J. and MILROY, L. Authority in Language: investigating stantard English (3a.ed)
. London: Routledge.
LABOV, W. Padrões Sociolingüísticos. São Paulo: Parábola, 2008 [1972].
BORTONI-RICARDO, S.M, MACHADO, Veruska Ribeiro e CASTANHEIRA, Salete
Flôres. Formação do Professor como agente letrador.São Paulo: Contexto, 2010.
BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna. São Paulo: Parábola, 2004.
RAMOS, J.M. O espaço da Oralidade na Sala de Aula. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
-ENSINO DE GRAMÁTICA 1: NOVAS PERSPECTIVAS
Responsáveis: Prof. Mário Perini; Profa. Adriane Sartori, Prof. Lorenzo Vitral; Prof. Johnny
Mafra; Prof.José Carlos de Azeredo.
Ementa:
Articulação de três linhas de reflexão: 1- a polissemia do termo gramática, tendo em vista
especialmente o trinômio conhecimento/análise/prescrição, 2- a operacionalização do ensino
gramatical como tomada de consciência sobre o funcionamento da língua, e 3- a relevância da
prática da análise gramatical para a ampliação e o aperfeiçoamento da leitura e da expressão.
Relativamente ao item 1, faremos um rápido percurso histórico, buscando desconstruir a
imagem da gramática como uma espécie de ‘camisa de força’ da linguagem e pondo em seu
lugar a imagem da gramática como meio de organizar as ideias. Relativamente ao item 2,
enfatizaremos a importância da observação dos fatos e da descoberta das regularidades por
meio da reflexão como estratégia para desenvolver no estudante a consciência gramatical.
Relativamente ao item 3, analisaremos a funcionalidade de diferentes estratégias de ensino e
sua relação com as habilidades de expressão e leitura.
Bibliografia básica:
AZEREDO, José Carlos de. Para que serve o ensino da análise gramatical? In: ____.
Fundamentos de gramática do português. 5 edição revista. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.
FRANCHI, Carlos et alii. Mas o que é mesmo "gramática"? (Organizado por Sírio Possenti).
São Paulo: Parábola, 2006.
NEVES, Maria Helena de Moura. Que gramática estudar na escola? Norma e uso da língua
portuguesa. São Paulo: Contexto, 2003.
TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de
gramática no 1°. e 2°. graus. São Paulo: Cortez, 1996.
UCHÔA, Carlos Eduardo Falcão. O ensino da gramática: caminhos e descaminhos. Rio de
Janeiro: Lucerna, 2007.
- ENSINO DE GRAMÁTICA 2: NOVAS PERSPECTIVAS
Responsáveis: Prof. Mário Perini; Profa. Adriane Sartori, Prof. Lorenzo Vitral; Prof. Johnny
Mafra; Prof.José Carlos de Azeredo.
Ementa:
Reflexão sobre os fenômenos gramaticais do português. Os tópicos a serem abordados têm a
ver com os objetivos do ensino de gramática, as bases do pensamento gramatical e o exame de
alguns setores da gramática portuguesa, como classes e funções, construções, valências e a
estrutura do sintagma nominal.
Bibliografia básica:
AZEREDO, José Carlos de (2008)Gramática Houaiss da língua portuguesa. São
Paulo: Publifolha.
BAGNO, Marcos (2003)A norma oculta: língua e poder na sociedade brasileira. São
Paulo: Parábola.
PERINI, Mário A. (2007; 1a edição, 1985) Para uma nova gramática do português. São
Paulo: Ática.
PERINI, Mário A. (2006)Princípios de linguística descritiva. São Paulo: Parábola.
POSSENTI, Sírio (1996)Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas:
Mercado Letras.
- ENSINO DE GRAMÁTICA 3: NOVAS PERSPECTIVAS
Responsáveis: Prof. Mário Perini; Profa. Adriane Sartori; Prof. Lorenzo Vitral; Prof. Johnny
Mafra; Prof.José Carlos de Azeredo.
Ementa:
Desenvolver a capacidade reflexiva dos alunos tomando como objeto de estudo as
propriedades estruturais da linguagem tal qual se estabelecem na língua portuguesa. A
descrição dessas propriedades considera a necessidade de distinguir as modalidades da fala e
da escrita e inclui a discussão da análise e nomenclatura tradicionais a partir de conceitos
desenvolvidos na lingüística contemporânea. Os conteúdos são explorados de acordo com sua
aplicabilidade no ensino de língua materna, o que prevê a realização de exercícios e discussão
sobre materiais didáticos a ser utilizados em sala de aula.
Bibliografia básica:
ANTUNES, Irandé. Muito além da gramática: por um ensino de línguas sem pedras no
caminho. São Paulo: Parábola Editorial, 2007. (Estratégias de Ensino, 5).
AZEREDO, José Carlos de (2008)Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo:
Publifolha.
CASTILHO,A.Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto,2010.
PERINI, Mário A. (2006)Princípios de linguística descritiva. São Paulo: Parábola.
VIEIRA,S.R.;BRANDÃO;S.F.Ensino

de

Gramática:descrição

e

uso.

São

Paulo:Contexto,2007
VITRAL,L. Gramática Inteligente do Português do Brasil. Belo Horizonte:FALE/UFMG,
inédito,2012
- METODOLOGIA DO TRABALHO MONOGRÁFICO
Responsáveis: Prof. Johnny José Mafra; Profa. Leandra Antunes.
Ementa:
A disciplina propõe formar competência para elaboração de monografia, partindo do
conhecimento do gênero “monografia” e seus diferentes tipos ou espécies, os trabalhos de
síntese ou os trabalhos originais. Quanto à síntese monográfica e à monografia original serão
observadas as seguintes condições: ter um problema ou assunto, fazer o projeto, ler, anotar;
redigir a monografia de acordo com as normas bibliográficas. Na elaboração da monografia,
serão levados em conta os temas ou problemas objeto das diferentes disciplinas do curso
Bibliografia básica:
BAUER. M. W. & GASDELL. G. (eds). Pesquisa qualitativa com texto, imagem em som. 3.
ed. Petrópolis: Vozes, 2004.
FRANÇA, Júnia Lessa et aliae. Manual para normalização de publicações técnicocientíficas. 4. ed. rev. e ampl.. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998. 213 p.
LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa. São Paulo: EDUC, 2000.
MACHADO, A. R. (coord.), LOUSADA, E. e ABREU-TARDELLI, L. S. Planejar gêneros
acadêmicos: escrita científica – texto acadêmico – diário de pesquisa - metodologia. 3. ed.
São Paulo: Parábola Editorial, 2008. (Leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos, v.
3) MACHADO, A. R. (coord.), LOUSADA, E. e ABREU-TARDELLI, L. S. Resenha. 5. ed.
São Paulo: Parábola Editorial, 2008. (Leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos, v.
2) MAFRA, Johnny José. Ler e tomar notas: primeiros passos da pesquisa bibliográfica.
Orientações para produção de textos acadêmicos. 3.ed. rev. Belo Horizonte: PUC Minas,
2011. 148p.
PERROTA, C. Um texto para chamar de seu: preliminares sobre a produção do texto
acadêmico. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
RUIZ, J. A. Metodologia científica; guia para eficiência nos estudos. 2.ed. São Paulo: Atlas,
1980. 170 p.
SALVADOR, A. D. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica: elaboração de trabalhos
científicos. 6. ed. Porto Alegre: Sulina, 1977. 254 p.
SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 13. ed. rev. e ampl. São Paulo:
Cortez/Autores Associados, 1986. 237 p.
TARALLO, Fernando. A pesquisa sócio-linguística. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997. 96 p.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Potugues - Libras Completo
Potugues - Libras CompletoPotugues - Libras Completo
Potugues - Libras Completo
Hudson Augusto
 
O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...
O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...
O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...
pattyarosa
 
524396 pesquisa-linguistica-aplicada
524396 pesquisa-linguistica-aplicada524396 pesquisa-linguistica-aplicada
524396 pesquisa-linguistica-aplicada
CArlos Lima Dos Santos
 
1 ciclo leitura_escrita
1 ciclo leitura_escrita1 ciclo leitura_escrita
1 ciclo leitura_escrita
Beta Sá
 
Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009
Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009
Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009
ADRIANA BECKER
 
Avaliação metas português (3º ano)
Avaliação metas português (3º ano)Avaliação metas português (3º ano)
Avaliação metas português (3º ano)
Marta Isabel
 
Bemvindo profesor
Bemvindo profesorBemvindo profesor
Bemvindo profesor
Hubert James Mendoza Rojas
 
Conclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciais
Conclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciaisConclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciais
Conclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciais
Nina Antonioli
 
Aspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enemAspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enem
ma.no.el.ne.ves
 
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesaLínguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Sergiouesc
 
Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212
Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212
Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212
liliane anto
 
L&l 2007-54
L&l 2007-54L&l 2007-54
L&l 2007-54
sioliv
 
Grelha de reg aval metas de port 1parteturma
Grelha de reg aval  metas de port 1parteturmaGrelha de reg aval  metas de port 1parteturma
Grelha de reg aval metas de port 1parteturma
Marta Isabel
 
Breve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesaBreve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesa
Fabiana Pinto
 
TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...
TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...
TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...
ivanil39
 
Apostila português
Apostila portuguêsApostila português
Apostila português
Mariana Cabral
 
Gramática da língua portuguesa pasquale cipro neto
Gramática da língua portuguesa   pasquale cipro netoGramática da língua portuguesa   pasquale cipro neto
Gramática da língua portuguesa pasquale cipro neto
prof.aldemir2010
 
Oralidade me
Oralidade meOralidade me
Oralidade me
6066
 
A gramática no livro didático do ensino médio
A gramática no livro didático do ensino médioA gramática no livro didático do ensino médio
A gramática no livro didático do ensino médio
Giselle Palhares
 
Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Alfabetização e ortografia cagliari (1)Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Carla Fernanda Matté Marengo
 

Mais procurados (20)

Potugues - Libras Completo
Potugues - Libras CompletoPotugues - Libras Completo
Potugues - Libras Completo
 
O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...
O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...
O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA NA VISÃO DOS PROFESSORES EM EXERCÍCIO DA EDUCAÇÃO...
 
524396 pesquisa-linguistica-aplicada
524396 pesquisa-linguistica-aplicada524396 pesquisa-linguistica-aplicada
524396 pesquisa-linguistica-aplicada
 
1 ciclo leitura_escrita
1 ciclo leitura_escrita1 ciclo leitura_escrita
1 ciclo leitura_escrita
 
Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009
Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009
Linguística aplicada em_língua_inglesa_i_-_primeira_aula_-_fevereiro_2009
 
Avaliação metas português (3º ano)
Avaliação metas português (3º ano)Avaliação metas português (3º ano)
Avaliação metas português (3º ano)
 
Bemvindo profesor
Bemvindo profesorBemvindo profesor
Bemvindo profesor
 
Conclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciais
Conclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciaisConclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciais
Conclusao: Avaliacao dos dicionarios escolares para series iniciais
 
Aspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enemAspectos de história da língua portuguesa no enem
Aspectos de história da língua portuguesa no enem
 
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesaLínguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
 
Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212
Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212
Plano de ensino de lngua portuguesa turmas 2211 e 2212
 
L&l 2007-54
L&l 2007-54L&l 2007-54
L&l 2007-54
 
Grelha de reg aval metas de port 1parteturma
Grelha de reg aval  metas de port 1parteturmaGrelha de reg aval  metas de port 1parteturma
Grelha de reg aval metas de port 1parteturma
 
Breve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesaBreve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesa
 
TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...
TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...
TRABALHANDO A SINTAXE A PARTIR DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO: “DIÁLOGO LINGUA ...
 
Apostila português
Apostila portuguêsApostila português
Apostila português
 
Gramática da língua portuguesa pasquale cipro neto
Gramática da língua portuguesa   pasquale cipro netoGramática da língua portuguesa   pasquale cipro neto
Gramática da língua portuguesa pasquale cipro neto
 
Oralidade me
Oralidade meOralidade me
Oralidade me
 
A gramática no livro didático do ensino médio
A gramática no livro didático do ensino médioA gramática no livro didático do ensino médio
A gramática no livro didático do ensino médio
 
Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Alfabetização e ortografia cagliari (1)Alfabetização e ortografia cagliari (1)
Alfabetização e ortografia cagliari (1)
 

Destaque

Ementas gestão da qualidade
Ementas   gestão da qualidadeEmentas   gestão da qualidade
Ementas gestão da qualidade
Acácio Ponciano Rodrigues
 
EMENTAS
EMENTASEMENTAS
EMENTAS
EMENTASEMENTAS
Projeto pnaic
Projeto pnaicProjeto pnaic
Projeto pnaic
Wilma Freire
 
Instrução normativa nº 15.2008
Instrução normativa nº 15.2008Instrução normativa nº 15.2008
Instrução normativa nº 15.2008
elannialins
 
Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)
Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)
Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)
lucar2010
 
Instrução normativa nº 02 nova
Instrução normativa nº 02 novaInstrução normativa nº 02 nova
Instrução normativa nº 02 nova
ellannia
 
Elaboração de ementas
Elaboração de ementasElaboração de ementas
Elaboração de ementas
Anabela Branco
 
Educação no brasil
Educação no brasilEducação no brasil
Educação no brasil
Deyved3
 
Apresentação da Disciplina
Apresentação da DisciplinaApresentação da Disciplina
Apresentação da Disciplina
Robson Santos
 
Custos ementa custos
Custos ementa custosCustos ementa custos
Custos ementa custos
custos contabil
 
Formação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de cienciasFormação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de ciencias
Arminda Almeida da Rosa
 
5 a ementa
5 a ementa5 a ementa
5 a ementa
franciscacanelas
 
ENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOS
ENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOSENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOS
ENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOS
janinedepine
 
Plano de aula de ciencias
Plano de aula de cienciasPlano de aula de ciencias
Plano de aula de ciencias
Rosinhamk
 
Planejamento Escolar
Planejamento EscolarPlanejamento Escolar
Planejamento Escolar
André Pereira Rocha
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
Joao Balbi
 
Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014
Graça Sousa
 
Planejamento de Ensino
Planejamento de EnsinoPlanejamento de Ensino
Planejamento de Ensino
Lene Reis
 
Planejamento pedagogico
Planejamento pedagogicoPlanejamento pedagogico
Planejamento pedagogico
straraposa
 

Destaque (20)

Ementas gestão da qualidade
Ementas   gestão da qualidadeEmentas   gestão da qualidade
Ementas gestão da qualidade
 
EMENTAS
EMENTASEMENTAS
EMENTAS
 
EMENTAS
EMENTASEMENTAS
EMENTAS
 
Projeto pnaic
Projeto pnaicProjeto pnaic
Projeto pnaic
 
Instrução normativa nº 15.2008
Instrução normativa nº 15.2008Instrução normativa nº 15.2008
Instrução normativa nº 15.2008
 
Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)
Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)
Ementa ano lectivo 2013 e 2014.2ºp(6 a 10 de janeiro)
 
Instrução normativa nº 02 nova
Instrução normativa nº 02 novaInstrução normativa nº 02 nova
Instrução normativa nº 02 nova
 
Elaboração de ementas
Elaboração de ementasElaboração de ementas
Elaboração de ementas
 
Educação no brasil
Educação no brasilEducação no brasil
Educação no brasil
 
Apresentação da Disciplina
Apresentação da DisciplinaApresentação da Disciplina
Apresentação da Disciplina
 
Custos ementa custos
Custos ementa custosCustos ementa custos
Custos ementa custos
 
Formação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de cienciasFormação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de ciencias
 
5 a ementa
5 a ementa5 a ementa
5 a ementa
 
ENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOS
ENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOSENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOS
ENSINO FUNDAMENTAL 9 ANOS
 
Plano de aula de ciencias
Plano de aula de cienciasPlano de aula de ciencias
Plano de aula de ciencias
 
Planejamento Escolar
Planejamento EscolarPlanejamento Escolar
Planejamento Escolar
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014
 
Planejamento de Ensino
Planejamento de EnsinoPlanejamento de Ensino
Planejamento de Ensino
 
Planejamento pedagogico
Planejamento pedagogicoPlanejamento pedagogico
Planejamento pedagogico
 

Semelhante a Ementas disciplinas-cegrae

Referências modelo
Referências modeloReferências modelo
Referências modelo
Dario M.Galdino Galdino
 
Programa lp ii
Programa lp iiPrograma lp ii
Programa lp ii
Thaise Leal
 
Referências bibliográficas ef_língua_portuguesa
Referências bibliográficas ef_língua_portuguesaReferências bibliográficas ef_língua_portuguesa
Referências bibliográficas ef_língua_portuguesa
Greice Lisian Folk Fonseca
 
Francisco freitas dll 2010.2
Francisco freitas dll 2010.2Francisco freitas dll 2010.2
Francisco freitas dll 2010.2
DLLURCA
 
Estágio supervisionado ii
Estágio supervisionado iiEstágio supervisionado ii
Estágio supervisionado ii
Adriana Dalla Vecchia
 
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
Luna Karoline
 
Programa educação bilingue2
Programa educação bilingue2Programa educação bilingue2
Programa educação bilingue2
Erica Aparecida Garrutti
 
EMENTAS
EMENTASEMENTAS
20130207110206anexo10
20130207110206anexo1020130207110206anexo10
20130207110206anexo10
afermartins
 
Teoria 2011 1 parte 1
Teoria 2011 1  parte 1Teoria 2011 1  parte 1
Teoria 2011 1 parte 1
Camilla Pereira
 
Parte 3 linguística geral apresentação
Parte 3   linguística geral apresentaçãoParte 3   linguística geral apresentação
Parte 3 linguística geral apresentação
Mariana Correia
 
Questões Teóricas em Pesquisas de Linguas de Sinais
Questões Teóricas em Pesquisas de Linguas de SinaisQuestões Teóricas em Pesquisas de Linguas de Sinais
Questões Teóricas em Pesquisas de Linguas de Sinais
asustecnologia
 
Bibliografia conc
Bibliografia concBibliografia conc
Bibliografia conc
pedagogia para licenciados
 
CLAFPL
CLAFPLCLAFPL
Bibliografia
BibliografiaBibliografia
Bibliografia
afermartins
 
Letras apresentataçaometaplasmos
Letras apresentataçaometaplasmosLetras apresentataçaometaplasmos
Letras apresentataçaometaplasmos
lulu barros
 
Tendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística AplicadaTendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística Aplicada
Vera Menezes
 
Processo Seletivo 2014 - Anexo I
Processo Seletivo 2014 - Anexo IProcesso Seletivo 2014 - Anexo I
Processo Seletivo 2014 - Anexo I
blog2012
 
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
Junior Ferreira
 
Ementa: Linguagem e Interpretação de Textos Jurídicos
Ementa: Linguagem e Interpretação de Textos JurídicosEmenta: Linguagem e Interpretação de Textos Jurídicos
Ementa: Linguagem e Interpretação de Textos Jurídicos
Renato Souza
 

Semelhante a Ementas disciplinas-cegrae (20)

Referências modelo
Referências modeloReferências modelo
Referências modelo
 
Programa lp ii
Programa lp iiPrograma lp ii
Programa lp ii
 
Referências bibliográficas ef_língua_portuguesa
Referências bibliográficas ef_língua_portuguesaReferências bibliográficas ef_língua_portuguesa
Referências bibliográficas ef_língua_portuguesa
 
Francisco freitas dll 2010.2
Francisco freitas dll 2010.2Francisco freitas dll 2010.2
Francisco freitas dll 2010.2
 
Estágio supervisionado ii
Estágio supervisionado iiEstágio supervisionado ii
Estágio supervisionado ii
 
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
 
Programa educação bilingue2
Programa educação bilingue2Programa educação bilingue2
Programa educação bilingue2
 
EMENTAS
EMENTASEMENTAS
EMENTAS
 
20130207110206anexo10
20130207110206anexo1020130207110206anexo10
20130207110206anexo10
 
Teoria 2011 1 parte 1
Teoria 2011 1  parte 1Teoria 2011 1  parte 1
Teoria 2011 1 parte 1
 
Parte 3 linguística geral apresentação
Parte 3   linguística geral apresentaçãoParte 3   linguística geral apresentação
Parte 3 linguística geral apresentação
 
Questões Teóricas em Pesquisas de Linguas de Sinais
Questões Teóricas em Pesquisas de Linguas de SinaisQuestões Teóricas em Pesquisas de Linguas de Sinais
Questões Teóricas em Pesquisas de Linguas de Sinais
 
Bibliografia conc
Bibliografia concBibliografia conc
Bibliografia conc
 
CLAFPL
CLAFPLCLAFPL
CLAFPL
 
Bibliografia
BibliografiaBibliografia
Bibliografia
 
Letras apresentataçaometaplasmos
Letras apresentataçaometaplasmosLetras apresentataçaometaplasmos
Letras apresentataçaometaplasmos
 
Tendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística AplicadaTendências em Linguística Aplicada
Tendências em Linguística Aplicada
 
Processo Seletivo 2014 - Anexo I
Processo Seletivo 2014 - Anexo IProcesso Seletivo 2014 - Anexo I
Processo Seletivo 2014 - Anexo I
 
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
 
Ementa: Linguagem e Interpretação de Textos Jurídicos
Ementa: Linguagem e Interpretação de Textos JurídicosEmenta: Linguagem e Interpretação de Textos Jurídicos
Ementa: Linguagem e Interpretação de Textos Jurídicos
 

Último

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 

Último (20)

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 

Ementas disciplinas-cegrae

  • 1. Módulo - MOD-1 - HISTÓRIA DA GRAMÁTICA TRADICIONAL. Responsáveis: Prof.Johnny José Mafra; Prof. Sueli Coelho; Prof. Lorenzo Vitral; Profa. Eunice Nicolau; Profa. Márcia Rumeu; Prof.Heloisa Penna; Prof. Antônio Martinez. Ementa: Estudo da epistemologia do pensamento gramatical, entendendo-o como uma forma de se teorizar sobre a lingua(gem). Origens filosóficas da gramática: contribuições de Platão e dos sofistas até os escolásticos medievais, passando pelo período romano. Origem do teor normativista característico da gramática tradicional. Legados do período medieval, da renascença e a influência da tradição hindu para a constituição do saber gramatical. Apresentação das primeiras gramáticas da língua portuguesa. Bibliografia Básica: BORBA, F. da S. Introdução aos estudos linguísticos. São Paulo: C.E.N., 1967. KRISTEVA, J. História da linguagem. Trad. Maria Margarida Barahona. Edições 70: Lisboa, 1969. LYONS, J. Introdução à linguística teórica. São Paulo: C.E.N., 1979. MATTOS E SILVA, R. V. Tradição gramatical e gramática tradicional. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2002. (Repensando a Língua Portuguesa) NEVES, M. H. M. A vertente grega da gramática tradicional. São Paulo: Hucitec, Fapesp, 1987a. NEVES, M. H. M. A gramática: história, teoria e análise, ensino. São Paulo: Editora da UNESP, 2002.
  • 2. - TEORIA TRADICIONAL: MORFOLOGIA Responsáveis: Prof. Luís Carlos Rocha; Prof. Maria Cândida Seabra; Profa. Márcia Rumeu. Ementa: Descrição da estrutura interna das palavras do português à luz da gramática tradicional. Abordagem crítica de fenômenos morfológicos do português tais como a distinção entre vocábulo formal e vocábulo fonológico, os mecanismos de flexão e de derivação e os principais processos de formação de palavras. Confronto entre as perspectivas prescritivista e descritivista de análise das estruturas morfológicas das palavras da língua portuguesa. Bibliografia básica: CÂMARA JR. J. M. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes. 31ª ed. 2000. CARONE, F. B. Formação de Palavras. Morfossintaxe. São Paulo: Ática. 9ª ed. p. 36-45. 2003. GONÇALVES, C. A. Flexão e Derivação: o grau. VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. Ensino de gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto. p. 149-168. 2007. MONTEIRO, J. L. Morfologia Portuguesa. Campinas: Pontes. 4ª ed. 2002. PETTER, M. M. T. Morfologia. In.: FIORIN, J. L. (Org.) Introdução à Linguística II: princípios de análise. São Paulo: Contexto, p. 59-79. 2003. ROSA, M. C. Introdução à morfologia. São Paulo: Contexto. 2000. ZANOTTO, N. Estrutura mórfica da língua portuguesa. Rio de Janeiro, RJ: Lucerna; Caxias do Sul: Educs. 2006. DICIONÁRIOS: CUNHA, A. G. Dicionário Etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira Editora. 1982. TRASK, R. L. Dicionário de linguagem e linguística. Tradução de Rodolfo Ilari; revisão técnica de Ingedore Villaça Koch, Thaís Cristófaro Silva. São Paulo: Contexto. 2008. GRAMÁTICAS: BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Lucerna. 1999. CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1985. ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio. 1972.
  • 3. - TEORIA TRADICIONAL: SINTAXE Responsáveis: Profa. Eunice Nicolau; Prof. Lorenzo Vitral; Profa. Jânia Ramos; Profa. Márcia Rumeu; Prof. Johnny José Mafra; Prof. Heloisa Penna; Prof. José Carlos de Azeredo; Profa. Sueli Coelho. Ementa: Estudo da sintaxe sob a perspectiva da gramática tradicional, identificando-se seu objeto de estudo e suas subdivisões, considerando-se, para tanto, o ponto de vista das funções e das relações. Análise das categorias de descrição gramatical, passando pelas noções de frase, oração, período, termos essenciais, termos integrantes e termos acessórios, finalizando com a discussão dos conceitos de coordenação e de subordinação, tanto no âmbito do período simples, quanto no do período composto. Bibliografia básica: BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 34 ed. SP,CIA Ed.Nacional, 1992. BRANDÃO, Cláudio. Sintaxe clássica portuguêsa. Belo Horizonte: Imprensa da Universidade de Minas Gerais, edição do autor, 1963. CUNHA, C. & CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. RJ, Nova Fronteira, 1985. KURY, A.da Gama. Novas Lições de Análise Sintática. 3 ed. SP, Ática, 1987. LUFT, Celso Pedro. Moderna Gramática Brasileira. 9 ed. RJ, Editora Globo, 1989. MELO, Gladstone Chaves de. Gramática fundamental da língua portuguesa. 3 ed. Rio de Janeiro, Ao Livro Técnico, 1978. PEREIRA, Eduardo Carlos. Gramática expositiva: curso superior. 107. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957. RIBEIRO, Ernesto Carneiro. Serões grammaticaes. 2. ed. Bahia Estabelecimento dos dois mundos, 1915. ROCHA LIMA, C. H. da. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. 28 ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1987.
  • 4. - REVISÃO DE TEXTOS: ASPECTOS FORMAIS Responsáveis: Profa. Eliane Mourão; Profa. Leandra Antunes; Profa. Sueli Coelho; Prof. Johnny José Mafra. Ementa: Estudo da norma culta tendo em vista sua definição e as condições do seu emprego em textos escritos e falados. Discussão sobre a revisão de textos como atividade com função de garantir o uso adequado da língua e desenvolver a percepção em relação à arquitetura formal do texto. Análise de textos que exigem o emprego da norma culta evidenciando-se os problemas gramaticais mais recorrentes na produção escrita escolar. Bibliografia básica: AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2008. CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. FARACO, Carlos Alberto. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola Editorial, 2008. GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 18. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000. LUFT, Celso Pedro. Dicionário Prático de Regência Nominal. São Paulo: Ática, 1992. LUFT, Celso Pedro. Dicionário Prático de Regência Verbal. São Paulo: Ática, 1996. RODRIGUES, Vera Cristina. Dicionário Houaiss de verbos da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2003.
  • 5. - MORFOLOGIA: ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS. Responsáveis: Prof. Luís Carlos Rocha; Prof. Maria Cândida Seabra; Profa. Márcia Rumeu. Ementa: Descrição crítica dos processos de formação das palavras e das classes de palavras, visando à discussão de sua aplicabilidade ao ensino de língua portuguesa. Discussão, à luz da gramaticalização, a produtividade dos processos de ampliação do acervo lexical do português. Bibliografia básica: BASILIO, M. Teoria Lexical. Rio de Janeiro: 7ª ed. Ática. 2001. __________. Derivação e mudança de classe: padrões gerais e motivações. Formação e classes de palavras no português do Brasil. São Paulo: Contexto. p. 27-31. 2004. COHEN, M. A. A. M. Reexame de um caso clássico à luz de novos dados: a gramaticalização e a reanálise de mente. VITRAL, L.; COELHO, S. (Orgs.) Estudos de processos de gramaticalização: metodologias e aplicações. Campinas, SP: Mercado de Letras, p. 57-74. 2010. FERRAZ, A. P. A inovação lexical e a dimensão social da língua. SEABRA, M. C. T. C. de. (Org.) O léxico em estudo. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, p. 217-234. 2006. LOPES, C. R. S. Pronomes pessoais. VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. (Orgs.) Ensino de gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto, p. 103- 119. 2007. PERINI-SANTOS, P.; MELLO, H. Inovações na Morfologia do Português Brasileiro: tendências para a ampliação do léxico por gramaticalização, lexicalização, analogia. Domínios de linguagem. Revista Eletrônica de Linguística (http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem) Volume 5, nº 2 – 2º semestre 2011. PINILLA, M. A. Classes de palavras. VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. (Orgs.) Ensino de gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto, p. 169-183. 2007. SEABRA, M. C. T. C. de. (Org.) O léxico em estudo. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG. 2006. VIANA, J. B. S.; LOPES, C. R. S. A variação entre Nós e A gente: uma comparação entre o português europeu e o português brasileiro. MARTINS, M. A.; ABRAÇADO, J. (Orgs.) Revista do GELNE - Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste. Natal: EDUFRN, Volume 14, Número Especial. p. 95-116. DICIONÁRIOS:
  • 6. CUNHA, A. G. Dicionário Etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira Editora. 1982. TRASK, R. L. Dicionário de linguagem e linguística. Tradução de Rodolfo Ilari; revisão técnica de Ingedore Villaça Koch, Thaís Cristófaro Silva. São Paulo: Contexto. 2008. GRAMÁTICAS: BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Lucerna. 1999. CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1985. ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio. 1972. - SINTAXE: ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS. Responsáveis: Profa. Eunice Nicolau; Prof. Lorenzo Vitral; Profa. Jânia Ramos; Profa. Márcia Rumeu; Prof.Johnny José Mafra; Prof. José Carlos de Azeredo. Ementa: Problematização da perspectiva teórica tradicional, levando-se em conta os critérios de análise empregados pelos manuais gramaticais. As insuficiências da perspectiva tradicional no que se refere ao uso inconsistente dos critérios de análise, resultando em dificuldade de conceituação, em exemplificação inadequada e em ausência de sistematicidade teórica. Principais noções que orientam a reflexão sintática contemporânea, sobretudo, os pressupostos da teoria gerativa a qual parte da noção de gramática internalizada. Bibliografia básica: CASTILHO,A.T.de. Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010. CHOMSKY,N. O Programa Minimalista. Lisboa: Editorial Caminho, 1999 (tradução e apresentação de Eduardo Raposo). HAUY,A.B. Da Necessidade de uma Gramática-Padrão da Língua Portuguesa.São Paulo: Ática, 1986. MIOTO,C; SILVA,M.C.F.; LOPES,R.E.V. Novo Manual de Sintaxe. Florianópolis: Insular, 2004. PERINI, Mário A. Para uma nova gramática do português. São Paulo: Ática, 2007; 1a
  • 7. edição, 1985. RAPOSO,E. Teoria da Gramática: a faculdade da linguagem. Lisboa: Editorial Caminho,1992. - SINTAXE: FENÔMENOS CONTEMPORÂNEOS DO PORTUGUÊS DO BRASIL. Responsáveis: Profa. Jânia Ramos; Profa. Márcia Rumeu; Prof.Johnny José Mafra; Prof. José Carlos de Azeredo; Profa. Eunice Nicolau; Prof. Lorenzo Vitral. Ementa: Fenômenos sintáticos mais estudados do português do Brasil contemporâneo, tomando por base os quadros teóricos da teoria gerativa e da teoria da variação e mudança.Destaque para a fenomenologia do sujeito nulo e sua relação com os paradigmas da concordância verbal; o apagamento do objeto; as formas pronominais plenas e reduzidas e a formação das orações relativas. Bibliografia básica: CASTILHO,A.T.de. Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010. CYRINO,S.M.L.O Objeto Nulo no Português do Brasil: um estudo sintático-diacrônico. Londrina:Editora da UEL,1997. NICOLAU,E.M.das D.As Propriedades de Sujeito Nulo e a Ordem V-S no Português Brasileiro. Tese de doutoramento: Unicamp, 1995. ROBERTS,I;KATO,M.A. Português Brasileiro. Uma viagem diacrônica.Campinas: Editora da Unicamp, 1993. TARALLO,F.A Pesquisa Sociolinguística. São Paulo: Ática, 1990. VITRAL,L.;RAMOS,J. Gramaticalização: uma abordagem formal. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2006. - GRAMÁTICA E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA COM FOCO NO ENSINO. Responsável: Prof. Evelyne Dogliani; Profa. Jânia Ramos; Profa. Eunice Nicolau. Ementa: Heterogeneidade linguítica como propriedade natural e constitutiva das línguas vivas.
  • 8. Padronização lingüística, com ênfase no papel que a escola tem neste processo. Processos de padronização lingüística efetivados na Inglaterra, França e no Brasil. Contribuições recentes da sociolingüística ao ensino de língua materna. Bibliografia básica: TARALLO, F.L. (1985) A pesquisa sociolingüística. São Paulo: Ática. MILROY, J. and MILROY, L. Authority in Language: investigating stantard English (3a.ed) . London: Routledge. LABOV, W. Padrões Sociolingüísticos. São Paulo: Parábola, 2008 [1972]. BORTONI-RICARDO, S.M, MACHADO, Veruska Ribeiro e CASTANHEIRA, Salete Flôres. Formação do Professor como agente letrador.São Paulo: Contexto, 2010. BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna. São Paulo: Parábola, 2004. RAMOS, J.M. O espaço da Oralidade na Sala de Aula. São Paulo: Martins Fontes, 1997. -ENSINO DE GRAMÁTICA 1: NOVAS PERSPECTIVAS Responsáveis: Prof. Mário Perini; Profa. Adriane Sartori, Prof. Lorenzo Vitral; Prof. Johnny Mafra; Prof.José Carlos de Azeredo. Ementa: Articulação de três linhas de reflexão: 1- a polissemia do termo gramática, tendo em vista especialmente o trinômio conhecimento/análise/prescrição, 2- a operacionalização do ensino gramatical como tomada de consciência sobre o funcionamento da língua, e 3- a relevância da prática da análise gramatical para a ampliação e o aperfeiçoamento da leitura e da expressão. Relativamente ao item 1, faremos um rápido percurso histórico, buscando desconstruir a imagem da gramática como uma espécie de ‘camisa de força’ da linguagem e pondo em seu lugar a imagem da gramática como meio de organizar as ideias. Relativamente ao item 2, enfatizaremos a importância da observação dos fatos e da descoberta das regularidades por meio da reflexão como estratégia para desenvolver no estudante a consciência gramatical. Relativamente ao item 3, analisaremos a funcionalidade de diferentes estratégias de ensino e sua relação com as habilidades de expressão e leitura. Bibliografia básica:
  • 9. AZEREDO, José Carlos de. Para que serve o ensino da análise gramatical? In: ____. Fundamentos de gramática do português. 5 edição revista. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010. FRANCHI, Carlos et alii. Mas o que é mesmo "gramática"? (Organizado por Sírio Possenti). São Paulo: Parábola, 2006. NEVES, Maria Helena de Moura. Que gramática estudar na escola? Norma e uso da língua portuguesa. São Paulo: Contexto, 2003. TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1°. e 2°. graus. São Paulo: Cortez, 1996. UCHÔA, Carlos Eduardo Falcão. O ensino da gramática: caminhos e descaminhos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007. - ENSINO DE GRAMÁTICA 2: NOVAS PERSPECTIVAS Responsáveis: Prof. Mário Perini; Profa. Adriane Sartori, Prof. Lorenzo Vitral; Prof. Johnny Mafra; Prof.José Carlos de Azeredo. Ementa: Reflexão sobre os fenômenos gramaticais do português. Os tópicos a serem abordados têm a ver com os objetivos do ensino de gramática, as bases do pensamento gramatical e o exame de alguns setores da gramática portuguesa, como classes e funções, construções, valências e a estrutura do sintagma nominal. Bibliografia básica: AZEREDO, José Carlos de (2008)Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha. BAGNO, Marcos (2003)A norma oculta: língua e poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola. PERINI, Mário A. (2007; 1a edição, 1985) Para uma nova gramática do português. São Paulo: Ática. PERINI, Mário A. (2006)Princípios de linguística descritiva. São Paulo: Parábola. POSSENTI, Sírio (1996)Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: Mercado Letras.
  • 10. - ENSINO DE GRAMÁTICA 3: NOVAS PERSPECTIVAS Responsáveis: Prof. Mário Perini; Profa. Adriane Sartori; Prof. Lorenzo Vitral; Prof. Johnny Mafra; Prof.José Carlos de Azeredo. Ementa: Desenvolver a capacidade reflexiva dos alunos tomando como objeto de estudo as propriedades estruturais da linguagem tal qual se estabelecem na língua portuguesa. A descrição dessas propriedades considera a necessidade de distinguir as modalidades da fala e da escrita e inclui a discussão da análise e nomenclatura tradicionais a partir de conceitos desenvolvidos na lingüística contemporânea. Os conteúdos são explorados de acordo com sua aplicabilidade no ensino de língua materna, o que prevê a realização de exercícios e discussão sobre materiais didáticos a ser utilizados em sala de aula. Bibliografia básica: ANTUNES, Irandé. Muito além da gramática: por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola Editorial, 2007. (Estratégias de Ensino, 5). AZEREDO, José Carlos de (2008)Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha. CASTILHO,A.Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto,2010. PERINI, Mário A. (2006)Princípios de linguística descritiva. São Paulo: Parábola. VIEIRA,S.R.;BRANDÃO;S.F.Ensino de Gramática:descrição e uso. São Paulo:Contexto,2007 VITRAL,L. Gramática Inteligente do Português do Brasil. Belo Horizonte:FALE/UFMG, inédito,2012 - METODOLOGIA DO TRABALHO MONOGRÁFICO Responsáveis: Prof. Johnny José Mafra; Profa. Leandra Antunes. Ementa: A disciplina propõe formar competência para elaboração de monografia, partindo do conhecimento do gênero “monografia” e seus diferentes tipos ou espécies, os trabalhos de síntese ou os trabalhos originais. Quanto à síntese monográfica e à monografia original serão observadas as seguintes condições: ter um problema ou assunto, fazer o projeto, ler, anotar; redigir a monografia de acordo com as normas bibliográficas. Na elaboração da monografia, serão levados em conta os temas ou problemas objeto das diferentes disciplinas do curso
  • 11. Bibliografia básica: BAUER. M. W. & GASDELL. G. (eds). Pesquisa qualitativa com texto, imagem em som. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2004. FRANÇA, Júnia Lessa et aliae. Manual para normalização de publicações técnicocientíficas. 4. ed. rev. e ampl.. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998. 213 p. LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa. São Paulo: EDUC, 2000. MACHADO, A. R. (coord.), LOUSADA, E. e ABREU-TARDELLI, L. S. Planejar gêneros acadêmicos: escrita científica – texto acadêmico – diário de pesquisa - metodologia. 3. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2008. (Leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos, v. 3) MACHADO, A. R. (coord.), LOUSADA, E. e ABREU-TARDELLI, L. S. Resenha. 5. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2008. (Leitura e produção de textos técnicos e acadêmicos, v. 2) MAFRA, Johnny José. Ler e tomar notas: primeiros passos da pesquisa bibliográfica. Orientações para produção de textos acadêmicos. 3.ed. rev. Belo Horizonte: PUC Minas, 2011. 148p. PERROTA, C. Um texto para chamar de seu: preliminares sobre a produção do texto acadêmico. São Paulo: Martins Fontes, 2004. RUIZ, J. A. Metodologia científica; guia para eficiência nos estudos. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1980. 170 p. SALVADOR, A. D. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica: elaboração de trabalhos científicos. 6. ed. Porto Alegre: Sulina, 1977. 254 p. SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 13. ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1986. 237 p. TARALLO, Fernando. A pesquisa sócio-linguística. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997. 96 p.