SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
A CIVILIZAÇÃO ROMANA




Profª. Fatima Freitas
LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA
                                               Ao norte da península viviam os
 Roma localiza-se na Itália, na região do    lígures, e ao sul viviam os sículos,
Lácio. A Península faz divisa ao sul com o        povos nativos da região.
  mar Mediterrâneo, a leste com o mar
  Adriático e a oeste com o mar Tirreno.

                                                  Por volta do II milênio a.C.,
                                                    os árias da Ásia Central,
                                                  migraram para a península
                                                 Itálica, e ficaram conhecidos
                                                 como italiotas, que estavam
                                                     divididos em: úmbrios,
                                                   sabinos, équos, samnitas,
                                                    volscos, oscos e latinos.



  A partir do I milênio a.C., os etruscos, de origem desconhecida se fixaram
  na região da Etrúria, região compreendida entre os rios Tibre (sul) e Arno
                          (norte) e os Montes Apeninos.
ORIGEM HISTÓRICA DE ROMA
Por volta do século VIII a.C., os latinos fundaram várias aldeias no monte Palatino,
uma das sete colinas da região do Lácio. Ali praticavam a agricultura e o pastoreio

                                                            Aquele era um local de
                                                      entroncamento de rotas comerciais
                                                      que cruzavam a península. A aldeia
                                                       passou a atrair pessoas de outras
                                                                   regiões.



                                                      Por volta do século VII a.C.já haviam
                                                       várias vilas latinas na região, mais
                                                           ou menos 80 mil pessoas.

                                                       Provavelmente nessa época os
                                                        etruscos invadiram o Lácio e,
                                                          impondo seus costumes,
                                                                  unificaram
                                                        todos os vilarejos numa única
              Vista parcial do Monte Palatino                       cidade:
                  Ruínas do palácio real.                           ROMA
ORIGEM LENDÁRIA DE ROMA
Segundo a tradição literária (lendária) escrita pelo poeta romano Virgílio conta que Roma foi
 fundada pelos irmãos gêmeos Rômulo e Remo, netos do rei Numitor de Alba Longa, cujo
                         trono fora usurpado por seu irmão Amúlio.
Segundo a narrativa, ele e seu irmão gêmeo, Remo, seriam descendentes de Enéias , filho
                          de Anquises de Tróia, e da deusa Vênus.
    Os gêmeos foram lançados no rio Tibre dentro de um cesto, por ordem o tio, o cesto
 encalhou às margens do rio junto ao Monte Palatino e foram encontrados e amamentados
                                         por uma loba.
    Posteriormente um pastor Faustolo acolheu as crianças, cuidando de sua guarda e
                                          educação.
 Quando adultos, reconquistaram o trono para o avô e obtiveram permissão para fundarem
                     Roma na região onde a loba os havia encontrado.
 Para ficar com o reinado da cidade- fundada em 753 a.C. – Rômulo matou o irmão Remo
                            tornando-se o primeiro rei da cidade.

                                              .



                                              Loba Capitolina - Rômulo e Remo sendo
                                               amamentados por uma loba, segundo
                                                   as antigas tradições romanas.
• Os habitantes de Roma estabeleceram uma organização sociopolítica com
  base nas gentis, grandes sociedades familiares chefiadas por um patriarca
  (denominado pater famílias).
• Além de exercer a função dos chefes, o patriarca era responsável pelo
  culto familiar, e tinha poderes para controlar a vida de seus parentes e
  subordinados.

               OS ETRUSCOS
•   Habitavam uma região da península conhecida como Etrúria, localizada ao
    norte do Lácio, região rica em ferro e cobre.
•   Eles fundaram cidades prósperas como tarquínia, Volterra e Arezzo.
•   Eram excelentes navegadores e praticavam o comércio marítimo com os
    povos vizinhos, principalmente com os gregos.
•   Os romanos mantinham intenso contato com os etruscos e herdaram
    grande parte de sua cultura, como técnicas agrícolas, urbanísticas e
    arquitetônicas, métodos de organização militar e administrativas.
•   Absorveram crenças religiosas, danças, jogos, corridas e lutas.
INFLUÊNCIAS ETRUSCAS




O hábito de usar túnicas




             Roma se transformou em
             um grande pólo comercial
                                                       Houve uma gradual adaptação dos alfabetos
                                                       Etrusco e Grego, originando o alfabeto Latino,
                      Os etruscos ensinaram os                    que utilizamos até hoje.
                    Latinos a pavimentar estradas,
                   drenar pântanos, construir pontes
                          e redes de esgotos
SOCIEDADE ROMANA
                                  Por essa época a sociedade romana era formada majoritariamente
                                                de indivíduos livres, divididos entre:

           0 1- PATRÍCIOS
   Eram o grupo detentor de maior poder.
Formado por grandes proprietários de terras,                                   03- CLIENTES
  que acreditavam descender de Rômulo.                                       Em geral, ex-escravos.
                                                                           Dependiam completamente
                                          02- PLEBEUS                            dos patrícios.
                                 Composto de artesãos, comerciantes
                                      e pequenos proprietários.
                                 Não podiam casar com patrícios nem
                                 exercer cargos públicos ou religiosos.         04- ESCRAVOS
                                    Tinham que servir no exército.      Prisioneiros de guerra ou devedores.
                                                                        Eram usados nos trabalhos pesados.
                                                                         Seus donos tinham poder de vida e
                                                                                 de morte sobre eles
EVOLUÇÃO POLÍTICA DE ROMA

MONARQUIA
(753 a.C. á 509 a.C.)                             REPÚBLICA
Governada por reis etruscos que                  (509 a.C. à 27 a.C)            IMPÉRIO
detinham poderes quase absolutos:        Era governada por uma complexa         (27 a.C. à 476 d.C.)
Governava a cidade, o exército,            estrutura político-administrativa    Período de maior expansão e
os júris e os cultos religiosos.      formada por: Magistraturas (executivo),   brilho da civilização romana.
Um desses reis, Numa Pompílio,         Senado: (legislativo) o mais poderoso    Neste período Roma passa a
foi o responsável pela criação do      e Assembléias: que elegia senadores      ser governada por
calendário lunar. Em 509 a.C. os                     e cônsules.                imperadores
etruscos forma expulsos do Lácio,      Período de grande expansão territorial   que centralizam os poderes
a monarquia foi extinta e substituída   e de domínio sobre os demais povos      em
pela república.                                 da Europa na época.             suas mãos chegando a serem
                                                                                confundidos com deuses
REI




                                                COMITIA CURIATA
       SENADO




                                    Assembléia de representantes
Era um Conselho de Anciãos:              de famílias livres.
Davam conselhos e indicavam            Aprovava ou rejeitava a
            reis.                            indicação
  Era formado por patrícios                   dos reis
• Segundo a tradição Roma teve sete reis, sendo o
  primeiro Rômulo, logicamente teve mais devido ao longo
  período.
• A maioria dos reis eram de origem etrusca e exercia o
  controle administrativo, judicial, militar e religioso.
• A Monarquia vigorou até aproximadamente 510 a.C.,
  quando um grupo de patrícios se revoltou contra o rei
  etrusco Tarquíneo II, o Soberbo.
• O rei havia feito algumas concessões aos plebeus,
  permitindo-lhes exercer maior participação política.
• Descontentes, os patrícios o expulsaram da cidade
  juntamente com os demais etruscos que ali habitavam,
  derrubando assim a monarquia e implantaram a
  República em Roma.
ÓRGÃOS E CARGOS DA REPÚBLICA
    MAGISTRADOS                        SENADO                                  ASSEMBLÉIAS
      (executivo)




2 Cônsules = administração e
          exército                                                       tribal = elegia alguns
                                  Senadores = homens originários         magistrados
Censores = encarregados de                 de famílias patrícias.
          realizar o censo                                               centurial = elegia os
Edis = cuidavam da segurança       O cargo de senador era vitalício.     Senadores
                                 Os senadores elaboravam as leis e       e decidia sobre a guerra e a
                                                                         paz
Pretores – administravam a                    tomavam
justiça                         as decisões políticas mais importantes
                                                                          Curial= tratava de assuntos
Tribuno da Plebe= defendia os                                             ligados aos cultos religiosos
interesses dos plebeus no
Senado.
•   Logo nos primeiros anos da República, os romanos se lançaram à conquista dos
    povos vizinhos e, devido à política expansionista, no século III a.C., já haviam
    conquistado toda a península itálica.
•   No século III a.C., quando o expansionismo romano atingiu o sul da península
    itálica, a região era ocupada por cartagineses , chamados pelos romanos de
    púnicos.
•   Os cartagineses eram originários de Cartago, uma cidade-estado fundada pelos
    fenícios no litoral norte da África, local estratégico que lhes possibilitou dominar o
    comércio no mar Mediterrâneo.
•   Roma estava em processo de expansão territorial e econômica e, com isso,
    aproximou-se de territórios cartagineses, entrando em conflito pela disputa das
    rotas comerciais.
•   Durante um período de pouco mais de cem anos, ocorreram três Guerras Púnicas,
    intercaladas por períodos de paz entre os dois povos.
•   A primeira ocorreu entre 264 e 261, a Segunda entre 218 e 202, e a Terceira, no
    período de 149 a 146 a.C., onde Cartago foi destruída e os romanos passaram a
    dominar os territórios cartagineses e dominou as regiões ocidentais (Península
    Ibérica e Gália) e oriental (Macedônia, Grécia e Ásia Menor).
•   Nessa época o mar Mediterrâneo ficou conhecido como mare nostrum, pois os
    territórios ao redor desse mar, ficou controlado pelos romanos.
GUERRAS PÚNICAS
O TRABALHO ESCRAVO
  O escravo realizava trabalhos nos mais diversos
 setores da economia, sobrando assim muito tempo
livre aos patrícios para as atividades administrativas
                       e ao ócio.
   Resistindo à exploração a que eram submetidos
  os escravos organizaram várias revoltas durante a
                       República.
  Entre 136 e 132 a.C. saquearam a Sicília, e entre
 73 e 71 a.C quase 80 mil escravos, sob a liderança
    de um escravo gladiador chamado Espártaco,
  organizou um forte exército, que ameaçou o poder
          de Roma durante quase dois anos.
Só em 71 a.C. uma força do exército romano, sob o
   comando de Licínio Crasso, conseguiu vencer o
   exército de escravos rebeldes foi extremamente
        dura, para servir de exemplo a todos.
     Mais de 6 mil seguidores de Espártaco foram
     presos e crucificados em diversos locais das
                  estradas romanas.
CONSEQUENCIAS DO EXPANSIONISMO ROMANO
• O aumento do número de escravos: devido as guerras de conquista, pois as
  populações derrotadas eram escravizadas e vendidas para os romanos ricos.
• A presença do escravo era comum no cotidiano da população urbana e rural.
• Eles realizavam diversos trabalhos como produção de alimentos, mineração,
  construção de obras públicas e serviços domésticos, sendo que alguns
  realizavam trabalhos intelectuais como os gregos que ministravam aulas.
• As dificuldades da plebe: os pequenos proprietários rurais plebeus que
  lutavam nas guerras, não podiam cultivar suas terras e acabavam
  endividando-se, e para pagar as dívidas, entregavam suas terras aos
  patrícios e plebeus enriquecidos, e migravam para as cidades, ocorrendo
  assim a concentração de terras e o êxodo rural.
• Era difícil encontrar trabalho, devido à grande quantidade de escravos.
CONFLITOS ENTRE PATRÍCIOS E PLEBEUS
  •    Diante dessa situação, os plebeus se organizaram e começaram a reivindicar
       medidas governamentais que aumentassem sua participação política e,
       consequentemente, melhorassem as suas condições de vida.
  •    Eles podiam vetar as decisões do Senado que prejudicassem os plebeus, por meio
       de lutas, conseguiram implementação de algumas leis, vejamos algumas:


                                                    Leis aprovadas




  LEI CANULÉIA –              Leis Licínias – séc. IV   Lei Hortênsia – séc.    Lei Olgúnia –
    SÉC. V a.C.                         a.C.                    III a.C.            - lei que
                                     - Leis que         - Lei que determinou permitiu direitos
     - Lei que aboliu a
                               determinaram o direito      que os decretos
proibição de casamentos                                                        religiosos iguais
entre patrícios e plebeus     dos plebeus ao acesso        aprovados pelos
                                 às terras públicas                            entre patrícios e
 ricos. Com isso os ricos                               plebeus (plebiscitum)
                              (conquistadas por meio                                plebeus
podiam casar-se com um                                    passariam a valer
 patrício afim de facilitar    de guerras) e às altas   para toda a república.
sua ascensão na política       magistraturas como o
          romana.                    consulado.
A REFORMA AGRÁRIA EM
                                        ROMA

•   Tentativa dos irmãos Tibério e Caio Graco de reduzir as desigualdades sociais
    geradas pela concentração de terras que com o apoio da plebe rural, apresentou
    uma proposta de lei de reforma agrária das terras públicas em pequenos lotes a
    serem distribuídos a cidadãos pobres.
•   A proposta desagradou alguns nobres e Tibério foi assassinado em 132 a.C.
•   Alguns anos mais tarde Caio Graco alcançou popularidade entre os plebeus e
    conseguiu implementar a reforma agrária em algumas regiões dominadas por
    Roma.
•   Ele perdeu o apoio da plebe urbana, seus partidários decidiram pegar em armas
    para tentar manter as reformas.
•   O Senado concedeu plenos poderes ao exército que massacrou os revoltosos em
    121 a.C., e as leis aprovadas foram abolidas.
A PROFISSIONALIZAÇÃO DO EXÉRCITO
       •   Como consequencia do expansionismo, o exército
           passou por uma reestruturação que fez dele uma
           instituição importante para a manutenção e a
           continuidade da expansão dos territórios romanos.
       •   Os generais vitoriosos desfrutavam de grande
           popularidade e utilizavam a fidelidade dos soldados
           para ascender na carreira política.

           • Mário foi um desses generais, nobre de origem plebéia,
           casou-se com uma patrícia, foi eleito cônsul em 104 a.C. e
           com o apoio da plebe promoveu profundas reformas no
           exército, entre elas citamos a abolição da exigência de
           possuir bens para ingressar no exército, e os soldados
           passaram a receber salário para os que se apresentavam
           voluntariamente.
           • Com essas reformas, o exército passou a ser permanente
           e profissional, por isso a carreira militar tornou-se uma boa
           poção de trabalho para muitos homens pobres.
           • O exército também foi utilizado em diferentes situações
           pelos generais como um importante instrumento político
           ameaçando a hegemonia política do Senado.
A CRISE DA REPÚBLICA ROMANA
                                                                                 JÚLIO CÉSAR
                        SILA = tornou-se o primeiro general a
                       entrar em Roma com suas tropas, e com
                       o apoio dos nobres foi nomeado ditador
                               pelo Senado em 81 a.C.


   SILA

  JÚLIO CÉSAR = foi cônsul, tribuno, sumo sacerdote e líder dos plebeus que em 60 a.C.
 formou uma aliança com os generais Crasso e Pompeu e foi eleito cônsul, formando o 1º.
   Triunvirato e dividiram entre si os territórios anexados à república, reduzindo o poder do
                                              Senado.
  Em 529 a.C., o general Crasso morreu em combate, os senadores declararam Pompeu o
                       único cônsul de Roma, pondo fim ao 1º. Triunvirato.
Júlio César estava combatendo na Gália (França), e ao retornar marchou com seu exército
 para Roma, forçando Pompeu a fugir para a Grécia, onde acabou derrotado e o senado o
                                          elegeu ditador.
       Sob seu governo promoveu uma reorganização político-administrativa em Roma,
distribuíram-se terras entre os soldados, impulsionou a colonização das áreas conquistadas,
                 construíram-se estradas e edifícios e reformulou o calendário.
 Gradativamente ele foi assumindo ele assumiu os títulos máximos da República até que se
   tornou ditador perpétuo em 44 a.C. e nesse mesmo ano foi assassinado no Senado por
               conspiradores contrários à centralização do poder em suas mãos.
O SEGUNDO TRIUNVIRATO




    Marco Antônio
       43 a.C.            Caio Otávio                 Lépido
                            43 a.C.                   43 a.C.

  Depois do assassinato de Júlio César, estabeleceu o 2º. Triunvirato
              formado por Marco Antônio, Otávio e Lépido.
   Otávio era sobrinho de César perseguiu os assassinos de seu tio,
derrotou Lépido e Marco Antônio que tinha uma relação com Cleópatra e
                  assumiu sozinho o poder em 31 a.C.
 Ele seguiu o exemplo de César, foi acumulando os títulos máximos da
   República até receber em 27 a.C., o título de augustus (sagrado,
                              venerado).
Otávio augusto, tornou-se assim o 1º. Imperador de Roma, pondo fim à
                              República.
Filmes relacionados com o tema:

Spártacus
Cleópatra
Júlio César
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

• História Coleção Novo Olhar – Marco
  Pellegrini – Editora FTD
• História Global – Gilberto Cotrim – Editora
  Saraiva
• Imagens Google

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Aula de história – 6º ano grecia antiga
Aula de história – 6º ano   grecia antigaAula de história – 6º ano   grecia antiga
Aula de história – 6º ano grecia antiga
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
 
1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
 
Grecia Antiga
Grecia Antiga Grecia Antiga
Grecia Antiga
 
Atenas
AtenasAtenas
Atenas
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 

Semelhante a Romanos monarquia e república (20)

ROMA
ROMAROMA
ROMA
 
Civilização
CivilizaçãoCivilização
Civilização
 
roma
romaroma
roma
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Romanos
RomanosRomanos
Romanos
 
Os romanos
Os romanosOs romanos
Os romanos
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Roma 1
Roma 1Roma 1
Roma 1
 
Os Romanos em Portugal
Os Romanos em PortugalOs Romanos em Portugal
Os Romanos em Portugal
 
Mundo romano
Mundo romanoMundo romano
Mundo romano
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
Roma antiga-resumo-ilustrado
Roma antiga-resumo-ilustradoRoma antiga-resumo-ilustrado
Roma antiga-resumo-ilustrado
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Roma monarquia
Roma monarquiaRoma monarquia
Roma monarquia
 
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Capítulo 9 - Roma Antiga
Capítulo 9 - Roma AntigaCapítulo 9 - Roma Antiga
Capítulo 9 - Roma Antiga
 

Mais de Fatima Freitas

Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosFatima Freitas
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresFatima Freitas
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaFatima Freitas
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilFatima Freitas
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido Fatima Freitas
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. anoFatima Freitas
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1Fatima Freitas
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos euaFatima Freitas
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaFatima Freitas
 

Mais de Fatima Freitas (20)

Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
Rio + 20
Rio + 20Rio + 20
Rio + 20
 
Guerra da coreia
Guerra da coreiaGuerra da coreia
Guerra da coreia
 
Revolução chinesa
Revolução chinesaRevolução chinesa
Revolução chinesa
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planeta
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasil
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Indígenas do brasil
Indígenas do brasilIndígenas do brasil
Indígenas do brasil
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colônia
 

Último

QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 

Último (20)

QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 

Romanos monarquia e república

  • 2. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA Ao norte da península viviam os Roma localiza-se na Itália, na região do lígures, e ao sul viviam os sículos, Lácio. A Península faz divisa ao sul com o povos nativos da região. mar Mediterrâneo, a leste com o mar Adriático e a oeste com o mar Tirreno. Por volta do II milênio a.C., os árias da Ásia Central, migraram para a península Itálica, e ficaram conhecidos como italiotas, que estavam divididos em: úmbrios, sabinos, équos, samnitas, volscos, oscos e latinos. A partir do I milênio a.C., os etruscos, de origem desconhecida se fixaram na região da Etrúria, região compreendida entre os rios Tibre (sul) e Arno (norte) e os Montes Apeninos.
  • 3. ORIGEM HISTÓRICA DE ROMA Por volta do século VIII a.C., os latinos fundaram várias aldeias no monte Palatino, uma das sete colinas da região do Lácio. Ali praticavam a agricultura e o pastoreio Aquele era um local de entroncamento de rotas comerciais que cruzavam a península. A aldeia passou a atrair pessoas de outras regiões. Por volta do século VII a.C.já haviam várias vilas latinas na região, mais ou menos 80 mil pessoas. Provavelmente nessa época os etruscos invadiram o Lácio e, impondo seus costumes, unificaram todos os vilarejos numa única Vista parcial do Monte Palatino cidade: Ruínas do palácio real. ROMA
  • 4. ORIGEM LENDÁRIA DE ROMA Segundo a tradição literária (lendária) escrita pelo poeta romano Virgílio conta que Roma foi fundada pelos irmãos gêmeos Rômulo e Remo, netos do rei Numitor de Alba Longa, cujo trono fora usurpado por seu irmão Amúlio. Segundo a narrativa, ele e seu irmão gêmeo, Remo, seriam descendentes de Enéias , filho de Anquises de Tróia, e da deusa Vênus. Os gêmeos foram lançados no rio Tibre dentro de um cesto, por ordem o tio, o cesto encalhou às margens do rio junto ao Monte Palatino e foram encontrados e amamentados por uma loba. Posteriormente um pastor Faustolo acolheu as crianças, cuidando de sua guarda e educação. Quando adultos, reconquistaram o trono para o avô e obtiveram permissão para fundarem Roma na região onde a loba os havia encontrado. Para ficar com o reinado da cidade- fundada em 753 a.C. – Rômulo matou o irmão Remo tornando-se o primeiro rei da cidade. . Loba Capitolina - Rômulo e Remo sendo amamentados por uma loba, segundo as antigas tradições romanas.
  • 5. • Os habitantes de Roma estabeleceram uma organização sociopolítica com base nas gentis, grandes sociedades familiares chefiadas por um patriarca (denominado pater famílias). • Além de exercer a função dos chefes, o patriarca era responsável pelo culto familiar, e tinha poderes para controlar a vida de seus parentes e subordinados. OS ETRUSCOS • Habitavam uma região da península conhecida como Etrúria, localizada ao norte do Lácio, região rica em ferro e cobre. • Eles fundaram cidades prósperas como tarquínia, Volterra e Arezzo. • Eram excelentes navegadores e praticavam o comércio marítimo com os povos vizinhos, principalmente com os gregos. • Os romanos mantinham intenso contato com os etruscos e herdaram grande parte de sua cultura, como técnicas agrícolas, urbanísticas e arquitetônicas, métodos de organização militar e administrativas. • Absorveram crenças religiosas, danças, jogos, corridas e lutas.
  • 6. INFLUÊNCIAS ETRUSCAS O hábito de usar túnicas Roma se transformou em um grande pólo comercial Houve uma gradual adaptação dos alfabetos Etrusco e Grego, originando o alfabeto Latino, Os etruscos ensinaram os que utilizamos até hoje. Latinos a pavimentar estradas, drenar pântanos, construir pontes e redes de esgotos
  • 7. SOCIEDADE ROMANA Por essa época a sociedade romana era formada majoritariamente de indivíduos livres, divididos entre: 0 1- PATRÍCIOS Eram o grupo detentor de maior poder. Formado por grandes proprietários de terras, 03- CLIENTES que acreditavam descender de Rômulo. Em geral, ex-escravos. Dependiam completamente 02- PLEBEUS dos patrícios. Composto de artesãos, comerciantes e pequenos proprietários. Não podiam casar com patrícios nem exercer cargos públicos ou religiosos. 04- ESCRAVOS Tinham que servir no exército. Prisioneiros de guerra ou devedores. Eram usados nos trabalhos pesados. Seus donos tinham poder de vida e de morte sobre eles
  • 8. EVOLUÇÃO POLÍTICA DE ROMA MONARQUIA (753 a.C. á 509 a.C.) REPÚBLICA Governada por reis etruscos que (509 a.C. à 27 a.C) IMPÉRIO detinham poderes quase absolutos: Era governada por uma complexa (27 a.C. à 476 d.C.) Governava a cidade, o exército, estrutura político-administrativa Período de maior expansão e os júris e os cultos religiosos. formada por: Magistraturas (executivo), brilho da civilização romana. Um desses reis, Numa Pompílio, Senado: (legislativo) o mais poderoso Neste período Roma passa a foi o responsável pela criação do e Assembléias: que elegia senadores ser governada por calendário lunar. Em 509 a.C. os e cônsules. imperadores etruscos forma expulsos do Lácio, Período de grande expansão territorial que centralizam os poderes a monarquia foi extinta e substituída e de domínio sobre os demais povos em pela república. da Europa na época. suas mãos chegando a serem confundidos com deuses
  • 9.
  • 10. REI COMITIA CURIATA SENADO Assembléia de representantes Era um Conselho de Anciãos: de famílias livres. Davam conselhos e indicavam Aprovava ou rejeitava a reis. indicação Era formado por patrícios dos reis
  • 11. • Segundo a tradição Roma teve sete reis, sendo o primeiro Rômulo, logicamente teve mais devido ao longo período. • A maioria dos reis eram de origem etrusca e exercia o controle administrativo, judicial, militar e religioso. • A Monarquia vigorou até aproximadamente 510 a.C., quando um grupo de patrícios se revoltou contra o rei etrusco Tarquíneo II, o Soberbo. • O rei havia feito algumas concessões aos plebeus, permitindo-lhes exercer maior participação política. • Descontentes, os patrícios o expulsaram da cidade juntamente com os demais etruscos que ali habitavam, derrubando assim a monarquia e implantaram a República em Roma.
  • 12.
  • 13. ÓRGÃOS E CARGOS DA REPÚBLICA MAGISTRADOS SENADO ASSEMBLÉIAS (executivo) 2 Cônsules = administração e exército tribal = elegia alguns Senadores = homens originários magistrados Censores = encarregados de de famílias patrícias. realizar o censo centurial = elegia os Edis = cuidavam da segurança O cargo de senador era vitalício. Senadores Os senadores elaboravam as leis e e decidia sobre a guerra e a paz Pretores – administravam a tomavam justiça as decisões políticas mais importantes Curial= tratava de assuntos Tribuno da Plebe= defendia os ligados aos cultos religiosos interesses dos plebeus no Senado.
  • 14. Logo nos primeiros anos da República, os romanos se lançaram à conquista dos povos vizinhos e, devido à política expansionista, no século III a.C., já haviam conquistado toda a península itálica. • No século III a.C., quando o expansionismo romano atingiu o sul da península itálica, a região era ocupada por cartagineses , chamados pelos romanos de púnicos. • Os cartagineses eram originários de Cartago, uma cidade-estado fundada pelos fenícios no litoral norte da África, local estratégico que lhes possibilitou dominar o comércio no mar Mediterrâneo. • Roma estava em processo de expansão territorial e econômica e, com isso, aproximou-se de territórios cartagineses, entrando em conflito pela disputa das rotas comerciais. • Durante um período de pouco mais de cem anos, ocorreram três Guerras Púnicas, intercaladas por períodos de paz entre os dois povos. • A primeira ocorreu entre 264 e 261, a Segunda entre 218 e 202, e a Terceira, no período de 149 a 146 a.C., onde Cartago foi destruída e os romanos passaram a dominar os territórios cartagineses e dominou as regiões ocidentais (Península Ibérica e Gália) e oriental (Macedônia, Grécia e Ásia Menor). • Nessa época o mar Mediterrâneo ficou conhecido como mare nostrum, pois os territórios ao redor desse mar, ficou controlado pelos romanos.
  • 16. O TRABALHO ESCRAVO  O escravo realizava trabalhos nos mais diversos setores da economia, sobrando assim muito tempo livre aos patrícios para as atividades administrativas e ao ócio.  Resistindo à exploração a que eram submetidos os escravos organizaram várias revoltas durante a República.  Entre 136 e 132 a.C. saquearam a Sicília, e entre 73 e 71 a.C quase 80 mil escravos, sob a liderança de um escravo gladiador chamado Espártaco, organizou um forte exército, que ameaçou o poder de Roma durante quase dois anos. Só em 71 a.C. uma força do exército romano, sob o comando de Licínio Crasso, conseguiu vencer o exército de escravos rebeldes foi extremamente dura, para servir de exemplo a todos.  Mais de 6 mil seguidores de Espártaco foram presos e crucificados em diversos locais das estradas romanas.
  • 17. CONSEQUENCIAS DO EXPANSIONISMO ROMANO • O aumento do número de escravos: devido as guerras de conquista, pois as populações derrotadas eram escravizadas e vendidas para os romanos ricos. • A presença do escravo era comum no cotidiano da população urbana e rural. • Eles realizavam diversos trabalhos como produção de alimentos, mineração, construção de obras públicas e serviços domésticos, sendo que alguns realizavam trabalhos intelectuais como os gregos que ministravam aulas. • As dificuldades da plebe: os pequenos proprietários rurais plebeus que lutavam nas guerras, não podiam cultivar suas terras e acabavam endividando-se, e para pagar as dívidas, entregavam suas terras aos patrícios e plebeus enriquecidos, e migravam para as cidades, ocorrendo assim a concentração de terras e o êxodo rural. • Era difícil encontrar trabalho, devido à grande quantidade de escravos.
  • 18. CONFLITOS ENTRE PATRÍCIOS E PLEBEUS • Diante dessa situação, os plebeus se organizaram e começaram a reivindicar medidas governamentais que aumentassem sua participação política e, consequentemente, melhorassem as suas condições de vida. • Eles podiam vetar as decisões do Senado que prejudicassem os plebeus, por meio de lutas, conseguiram implementação de algumas leis, vejamos algumas: Leis aprovadas LEI CANULÉIA – Leis Licínias – séc. IV Lei Hortênsia – séc. Lei Olgúnia – SÉC. V a.C. a.C. III a.C. - lei que - Leis que - Lei que determinou permitiu direitos - Lei que aboliu a determinaram o direito que os decretos proibição de casamentos religiosos iguais entre patrícios e plebeus dos plebeus ao acesso aprovados pelos às terras públicas entre patrícios e ricos. Com isso os ricos plebeus (plebiscitum) (conquistadas por meio plebeus podiam casar-se com um passariam a valer patrício afim de facilitar de guerras) e às altas para toda a república. sua ascensão na política magistraturas como o romana. consulado.
  • 19. A REFORMA AGRÁRIA EM ROMA • Tentativa dos irmãos Tibério e Caio Graco de reduzir as desigualdades sociais geradas pela concentração de terras que com o apoio da plebe rural, apresentou uma proposta de lei de reforma agrária das terras públicas em pequenos lotes a serem distribuídos a cidadãos pobres. • A proposta desagradou alguns nobres e Tibério foi assassinado em 132 a.C. • Alguns anos mais tarde Caio Graco alcançou popularidade entre os plebeus e conseguiu implementar a reforma agrária em algumas regiões dominadas por Roma. • Ele perdeu o apoio da plebe urbana, seus partidários decidiram pegar em armas para tentar manter as reformas. • O Senado concedeu plenos poderes ao exército que massacrou os revoltosos em 121 a.C., e as leis aprovadas foram abolidas.
  • 20. A PROFISSIONALIZAÇÃO DO EXÉRCITO • Como consequencia do expansionismo, o exército passou por uma reestruturação que fez dele uma instituição importante para a manutenção e a continuidade da expansão dos territórios romanos. • Os generais vitoriosos desfrutavam de grande popularidade e utilizavam a fidelidade dos soldados para ascender na carreira política. • Mário foi um desses generais, nobre de origem plebéia, casou-se com uma patrícia, foi eleito cônsul em 104 a.C. e com o apoio da plebe promoveu profundas reformas no exército, entre elas citamos a abolição da exigência de possuir bens para ingressar no exército, e os soldados passaram a receber salário para os que se apresentavam voluntariamente. • Com essas reformas, o exército passou a ser permanente e profissional, por isso a carreira militar tornou-se uma boa poção de trabalho para muitos homens pobres. • O exército também foi utilizado em diferentes situações pelos generais como um importante instrumento político ameaçando a hegemonia política do Senado.
  • 21. A CRISE DA REPÚBLICA ROMANA JÚLIO CÉSAR SILA = tornou-se o primeiro general a entrar em Roma com suas tropas, e com o apoio dos nobres foi nomeado ditador pelo Senado em 81 a.C. SILA JÚLIO CÉSAR = foi cônsul, tribuno, sumo sacerdote e líder dos plebeus que em 60 a.C. formou uma aliança com os generais Crasso e Pompeu e foi eleito cônsul, formando o 1º. Triunvirato e dividiram entre si os territórios anexados à república, reduzindo o poder do Senado. Em 529 a.C., o general Crasso morreu em combate, os senadores declararam Pompeu o único cônsul de Roma, pondo fim ao 1º. Triunvirato. Júlio César estava combatendo na Gália (França), e ao retornar marchou com seu exército para Roma, forçando Pompeu a fugir para a Grécia, onde acabou derrotado e o senado o elegeu ditador. Sob seu governo promoveu uma reorganização político-administrativa em Roma, distribuíram-se terras entre os soldados, impulsionou a colonização das áreas conquistadas, construíram-se estradas e edifícios e reformulou o calendário. Gradativamente ele foi assumindo ele assumiu os títulos máximos da República até que se tornou ditador perpétuo em 44 a.C. e nesse mesmo ano foi assassinado no Senado por conspiradores contrários à centralização do poder em suas mãos.
  • 22. O SEGUNDO TRIUNVIRATO Marco Antônio 43 a.C. Caio Otávio Lépido 43 a.C. 43 a.C.  Depois do assassinato de Júlio César, estabeleceu o 2º. Triunvirato formado por Marco Antônio, Otávio e Lépido.  Otávio era sobrinho de César perseguiu os assassinos de seu tio, derrotou Lépido e Marco Antônio que tinha uma relação com Cleópatra e assumiu sozinho o poder em 31 a.C.  Ele seguiu o exemplo de César, foi acumulando os títulos máximos da República até receber em 27 a.C., o título de augustus (sagrado, venerado). Otávio augusto, tornou-se assim o 1º. Imperador de Roma, pondo fim à República.
  • 23. Filmes relacionados com o tema: Spártacus Cleópatra Júlio César
  • 24. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • História Coleção Novo Olhar – Marco Pellegrini – Editora FTD • História Global – Gilberto Cotrim – Editora Saraiva • Imagens Google