SlideShare uma empresa Scribd logo
História . Aula 01   Colonização da América Espanhola 1 - Introdução Colonização da América Espanhola  A viagem de Colombo à América , em 1942, trouxe à Espanha perspectiva de enriquecimento, pois ele acreditava ter encontrado um novo caminho para as Índias. Mesmo nas expedições subseqüentes, desde o ano seguinte, Colombo manteve a mesma cresça e conforme procurava as riquezas orientais fundou vilas e povoados, iniciando a ocupação da América. Uma visão superficial a respeito da chegada e presença dos europeus na América nos leva a concluir que eles foram bem sucedidos na conquista e colonização da América. Como foi o encontro de culturas (européia e indígena)? Foi encontro, confronto ou desencontro? Os europeus conseguiram tudo o que queriam ou tiveram que ceder em algum aspecto? Como os indígenas reagiram? Todos os povos indígenas reagiram da mesma forma diante dos europeus? Como explicar a "dominação" de um povo em menor número (europeus que vieram para a América) sobre um grupo muito mais numeroso?
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   “  A 16  de setembro, ‘ vimos flutuar pequenos maços de ervas que pareciam ainda frescas..., o que fez todos acreditarem que a terra se aproximava’. Nos dias seguintes, ‘as ervas apareceram em quantidades maiores...; o mar parecia coagulado’. Entretanto, ‘ a 10 de outubro, os marinheiros queixaram-se da duração da viagem e, com ameaças, recusaram-se a ir adiante. O almirante reanimou sua coragem do melhor modo possível, dando-lhes boa esperança  das vantagens que poderiam obter da expedição. Acrescentou que de resto suas queixas de nada serviriam porque ele tinha partido para  dirigir-se às Índias  e pretendia prosseguir a viagem até que  as encontrasse, com a ajuda  do Senhor’. No dia seguinte, pescamos ‘um pedaço de madeira que parecia ter sido talhado a ferro, um pedaço de cana, uma erva terrestre e uma tabuinha... Por volta das dez horas da noite, o almirante viu uma luz... Era como uma vela cuja luz subia e abaixava. Também, quando os marinheiros se reuniram para contar o salve ( prece à Virgem que inicia pelas palavras: salve, rainha), o almirante avisou-os e pediu-lhes para fazer boa guarda e observar bem lado da terra, prometendo dar um gibão de seda àquele que fosse o primeiro a avistá-la, e isto sem prejuízo das outras recompensas prometidas pelo rei e pela rainha. Às duas horas após a meia-noite, avistamos a terra realmente’.”  ( COLOMBO, Cristóvão. In: ISAAC, J. & ALBA, A. História Universal – Idade  Média. São Paulo, Mestre Jou, 1967. p. 193.)
História . Aula 01   2 –  As disputas ibéricas: os tratados ultramarinos Colonização da América Espanhola  A corrida expansionista de Portugal e Espanha gerou, já na segunda metade do século XV, inevitáveis conflitos e inúmeras controvérsias acerca do direito de posse sobre as terras descobertas ou a descobrir. Com o objetivo de definir os direitos de cada país, formularam-se diversos tratados: T RATADO DE TOLEDO(1480):  Esse tratado, que garantia a Portugal as terras a descobrir ao sul das ilhas Canárias, constituiu uma importante vitória da diplomacia lusitana, pois assegurava a Portugal a rota das Índias pelo sul da África.
História . Aula 01  C olonização Espanhola da América   BULA INTERCOETERA( 1493):  Determinava a partilha do mundo  ultramarino entre espanhóis  e portugueses. Um meridiano situado 100 léguas a  oeste do arquipélago de Cabo Verde destinava a Portugal todos os  territórios  a leste e à Espanha,  as terras localizadas a oeste  do meridiano. Conforme o Trat. de Toledo
História . Aula 01  Colonização Espanhola da América Sentindo-se prejudicados, os portugueses contestaram energicamente  a  BULA INTERCOETERA  e exigiram sua reformulação. Depois de um período de negociações entre os dois países, um acordo foi celebrado em 1494, na cidade de Tordesilhas, na Espanha.  TRATADO DE TORDESILHAS:   Substituindo a linha divisória anterior por outra, situada a 370  léguas das ilhas de Cabo Verde. Com esse tratado, tornavam-se mais amplas para Portugal as possibilidades  de conquistar terras no Atlântico Ocidental, cuja existência já  era do conhecimento dos portugueses.
História . Aula 01  Colonização da América  Espanhola 3 –  A França contesta o Tratado de Tordesilhas   A contestação francesa ao Tratado de Tordesilhas teve no monarca Francisco I o mais veemente representante. Em 1540 chegou a dizer que “ ‘  o sol brilhava tanto para ele como para os outros’ e que ‘gostaria de ver o testamento de Adão para saber de que forma este dividiria o mundo ...’ Declarou também que só a ocupação criava o direito, que descobrir um país, isto é, vê-lo ou atravessá-lo, não constituía um ato de posse e que considerava como domínio estrangeiro unicamente ‘ os lugares habitados e defendidos’. São essas as bases da colonização moderna”.  MOUSNIER, Roland. História geral das civilizações. Os século XVI e XVII. P. 163.
História . Aula 01   4 – As conquistas espanholas no século XVI Revolução Industrial  1502 – 1504 – Cristóvão Colombo faz  a sua quarta e última viagem à América, na qual explora a costa de Honduras e Nicarágua atuais. 1504 – Américo Vespúcio faz o primeiro reconhecimento do rio Amazonas. 1508 – Vicente Pinzón  e João Dias Solis atingem a península de Iucatã, no México atual. 1512 – Ponce de León atinge o atual estado norte-americano da Flórida . 1513 – Vasco Nuñes de Balboa chega ao Oceano Pacífico pela América Central.
História . Aula 01   Colonização da América Espanhola  1515 – João Dias de Solis entra no estuário do rio da Prata. 1519 – 1522 – Fernão de Magalhães começa, em 1519, a primeira viagem de circunavegação, na qual descobre o estreito que liga o Oceano Atlântico ao Pacífico, no extremo sul da América. Morre nas Filipinas, em 1521. Sua viagem é completada em 1522 por Sebastião El Caño. 1519 – Hernán Cortez impõe o domínio espanhol sobre o território dos astecas, no México atual. 1531 – 1533 – Francisco Pizzaro conquista o Império Inca. 1542 – Ruy López de Villalobos reconhece o arquipélago das Filipinas. 1545 – Os espanhóis descobrem as minas de prata de Potosí ( na Bolívia atual)
História . Aula 01   5 – A América Pré-Colombiana Colonização da América Espanhola  5.1  – Os Maias(Séculos VII ao IX) SOCIEDADE A sociedade Maia era dividida em quatro camadas: Nobres:  chefes, guerreiros e administradores; Sacerdotes:  controlavam a religião  e a produção cultural; Povo:  exercia   todas as funções produtivas; Escravos:  prisioneiros de guerra.
História . Aula 01   ECONOMIA Colonização da América Espanhola  Praticavam a agricultura( milho, algodão, feijão, tomate, batata e cacau. Utilizavam a irrigação e as queimadas como técnicas de cultivo. Praticavam o artesanato, fabricando tecidos de algodão, peças de cerâmica, objetos de ouro e cobre Praticavam o comércio baseado na troca de produtos. RELIGIÃO Eram politeístas; adoravam os animais, as plantas e as pedras. CURIOSIDADES A organização política era  baseada em cidades autônomas, tais como Palenque e Yaxchilán. Não chegou a se formar ali um império centralizado. Conheciam  os eclipses solares e o movimento dos planetas; Desenvolveram o calendário, a escrita hieroglífica; Na matemática, criaram o símbolo para representar o  zero  e desenvolveram noções  sobre o princípio do valor negativo.
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   5.2 – Os Astecas ( séculos XII ao XVI) SOCIEDADE A sociedade asteca estava organizada da seguinte forma: Governante supremo:  comandante militar, dirigia a política externa; Grupo dominante:  sacerdotes  e chefes guerreiros; Pochtecas:  grandes comerciantes; Povo:  trabalhadores urbanos e rurais; Escravos:  prisioneiros de guerra; ECONOMIA Praticavam a agricultura( milho,  feijão, melão, baunilha, cacau, cacau algodão e tabaco). Utilizavam a irrigação e o sistema de Chinampas como técnicas de cultivo. Praticavam o artesanato fabricando roupas(para o consumo), cerâmicas, jóias e tecidos( para o mercado urbano). Praticavam o comércio a distância e usavam o cacau como moeda.
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   RELIGIÃO A religião dos astecas sofreu muitas influências de vários povos por eles conquistados.  Eram politeístas e praticavam rituais de sacrifícios humanos. CURIOSIDADES A arquitetura era caracterizada pela organização urbanística das cidades, que eram construídas em torno de praças matematicamente planejadas; Desenvolveram o calendário solar; Na matemática, eram hábeis em cálculos aplicados à arquitetura, criaram um sistema numérico vigesimal. Eram habilidosos nos trabalhos de ourivesaria. Esculpiam o jade e o cristal de rocha, representando figuras humanas e animais. Faziam máscaras rituais em ouro maciço, incrustadas de jade e turquesa.
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   5.3  – Os Incas (Séculos XIII ao XVI) SOCIEDADE A sociedade inca estava organizada  de forma hierárquica: Inca  (Filho do sol): Imperador; Alta Nobreza : família do Inca , altos funcionários e sacerdotes; Nobreza:  curacas ( chefes locais) juízes e comandantes militares; Camada Média:  artesãos, militares, e contabilistas; Camponeses:  massa da população; Escravos:  ligados aos curacas e ao Inca.
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   ECONOMIA Praticavam a agricultura( mandioca, abacate, milho, feijão, algodão, amendoim e batata , milho); Utilizavam a irrigação, canais,  aquedutos, represas e sistema de terraços como técnicas de cultivo. Usavam o  guano  (excremento de aves marinhas) como adubo;  Domesticavam a lhama e o porquinho da índia; Praticavam o artesanato fabricando cerâmicas, objetos de ouro e tecidos. Praticavam o comércio local, baseado na troca de produtos. RELIGIÃO Eram politeístas  e adoravam o sol, a terra, a lua, o mar e as montanhas. Realizavam ritualmente sacrifícios humanos CURIOSIDADES Estavam organizados em um império de grande extensão. Na arquitetura, destacavam-se por apresentar grandes construções de pedra e adobe (destaque para as cidades de Machu Picchu e Cuzco);  Na matemática, criaram um sistema numérico decimal. Usavam os quipos(cordões com nós) para fazer cálculos;
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   A arte asteca A arte maia A arte inca
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   6 – A Estrutura política metropolitana O processo de exploração da América colonial foi marcado pela pequena participação da Coroa, devido à preocupação espanhola com os problemas europeus, fazendo com que a conquista fosse comandada pela iniciativa particular, mediante o sistema de CAPITULAÇÕES . CAPITULAÇÕES – Contratos  em que a Coroa concedia permissão para explorar, conquistar e povoar terras, fixando direitos e  deveres recíprocos. CASA DE CONTRATAÇÃO – Criada em 1503 e sediada em Sevilha; era responsável pelo controle de todo o comércio realizado com as colônias da América e foi responsável pelo estabelecimento do regime de porto único. CONSELHO DAS ÍNDIAS – Criado em 1524, por Carlos V; a este órgão cabia as decisões políticas em relação às colônias, nomeando vice-reis e capitães gerais, autoridades militares e judiciais. JUÍZES DE RESIDÊNCIA – Cargo responsável por apurar irregularidades na gestão de algum funcionário da metrópole na colônia. VISITADOR – Cargo responsável por fiscalizar um órgão metropolitano ou mesmo um vice-reino, normalmente para apurar abusos cometidos.
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   7 – A Estrutura política colonial Nas colônias, o poder dos adelantados (responsáveis pela colonização) foi  eliminado com a formação dos Vice–reinados  e das  Capitanias Gerais. O território colonial foi dividido em 4 Vice-reinados: Nova Espanha; Peru; Rio da Prata; Nova Granada; Posteriormente, o território foi redividido, surgindo as Capitanias Gerais, áreas consideradas estratégicas ou não colonizadas. Os Vice-reis eram nomeados pelo Conselho das Índias e possuíam amplos poderes.
Nas colônias, havia outras duas instâncias de poder: AUDIÊNCIAS – Formadas pelos ouvidores; possuíam a função judiciária na América.  Com o tempo, passaram a ter  funções administrativas.  CABILDOS – Eram equivalentes às câmaras municipais e somente podiam participar os elementos da  elite colonial. Estavam subordinados às leis espanholas, mas tinham autonomia para promover a administração local e municipal.
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   8– A Exploração Colonial A exploração do ouro e,  principalmente, da prata passou a ser o eixo da colonização espanhola, durante os séculos XVI e XVII. A produção colonial foi organizada a partir da exploração da mão-de-obra indígena.  Formas de exploração dos nativos: MITA – Os indígenas eram tirados de suas comunidades para trabalhar nas minas por um prazo determinado  e sob um pagamento irrisório. ENCOMIENDA -  A Coroa encomendava a captura de indígenas a um intermediário -  encomendero –  e os   distribuía  aos colonizadores, que recebiam o índio como seu servo. A servidão era justificada como um pagamento de tributos, feitos pelos  índios em forma de serviço, por receberam proteção e educação cristã. Mina da Potosí
História . Aula  01  Colonização da América Espanhola   9– A Sociedade Colonial Organizada com base na exploração estabelecida pelo mercantilismo metropolitano, a sociedade colonial apresentava no topo da escala  hierárquica os  chapetones   (espanhóis da metrópole que ocupavam altos postos militares e civis) e o  clero.   A aristocracia colonial era constituída de espanhóis nascidos  na América os  criollos   (grandes proprietários  e comerciantes  que, por constituírem a elite colonial, participavam das Câmaras Municipais , denominadas  cabildos. Abaixo deles, vinham os  mestiços  e, em seguida, os  escravos negros   (numericamente insignificante) e os  índios ,  grupo mais populoso, submetido à  mita e à encomienda  .   10 – Conclusão Sessenta anos após a “descoberta”, a América, desde o Mississipi até o Rio da Prata e o Mapocho, estava já recoberta de cruzes: cruzes de cemitérios e de templos com suas correspondentes cidades. Os moradores dessas cidades foram dizimados. Um século e meio após a conquista, tinham desaparecido quase 100 milhões de seres humanos. Dos 25 milhões de indígenas que habitavam o México, em 1500, só restava um milhão em 1600.  Segundo as palavras do poeta chileno Pablo Neruda , "... a espada, a cruz e a fome dizimaram a família selvagem.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
edna2
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Aulas de História
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
Edenilson Morais
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
dmflores21
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
Aulas de História
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Nila Michele Bastos Santos
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
7 de Setembro
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
Daniel Alves Bronstrup
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Douglas Barraqui
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
harlissoncarvalho
 
África Medieval - 7º Ano (2017)
África Medieval - 7º Ano (2017)África Medieval - 7º Ano (2017)
África Medieval - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
O imperialismo na àfrica e na ásia
O imperialismo na àfrica e na ásiaO imperialismo na àfrica e na ásia
O imperialismo na àfrica e na ásia
Josemiqueias Jesus Freitas
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
harlissoncarvalho
 

Mais procurados (20)

Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
África Medieval - 7º Ano (2017)
África Medieval - 7º Ano (2017)África Medieval - 7º Ano (2017)
África Medieval - 7º Ano (2017)
 
O imperialismo na àfrica e na ásia
O imperialismo na àfrica e na ásiaO imperialismo na àfrica e na ásia
O imperialismo na àfrica e na ásia
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
13 colônias inglesas
13 colônias inglesas13 colônias inglesas
13 colônias inglesas
 

Destaque

Fundamentos serviço social lula e neo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social   lula e neo - 1 º semestreFundamentos serviço social   lula e neo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social lula e neo - 1 º semestre
Daniele Rubim
 
Governo FHC - governo LULA
Governo FHC -    governo LULAGoverno FHC -    governo LULA
Governo FHC - governo LULA
Edenilson Morais
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Idade Media
Idade MediaIdade Media
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Marcelo Lillyan Montes
 
GOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis John
GOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis JohnGOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis John
GOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis John
ElvisJohnR
 
Espanha
EspanhaEspanha
Espanha
mamute7
 
A conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaA conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américa
Fernando Fagundes
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
Edenilson Morais
 

Destaque (9)

Fundamentos serviço social lula e neo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social   lula e neo - 1 º semestreFundamentos serviço social   lula e neo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social lula e neo - 1 º semestre
 
Governo FHC - governo LULA
Governo FHC -    governo LULAGoverno FHC -    governo LULA
Governo FHC - governo LULA
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Idade Media
Idade MediaIdade Media
Idade Media
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
GOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis John
GOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis JohnGOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis John
GOVERNO LULA e DILMA - Prof. Elvis John
 
Espanha
EspanhaEspanha
Espanha
 
A conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américaA conquista e a colonização espanhola na américa
A conquista e a colonização espanhola na américa
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 

Semelhante a Colonização da América Espanhola

A Colonização da América
A Colonização da AméricaA Colonização da América
A Colonização da América
Gabriel Caseiro
 
Hist Ro aula 01 - Latitude 10.pptx
Hist Ro aula 01 - Latitude 10.pptxHist Ro aula 01 - Latitude 10.pptx
Hist Ro aula 01 - Latitude 10.pptx
LucianoFrana19
 
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
1º ano   expansão marítima européia e absolutismo1º ano   expansão marítima européia e absolutismo
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
Daniel Alves Bronstrup
 
1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo
1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo
1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo
Daniel Alves Bronstrup
 
A Colonização da América + Escravidão na América Latina
A Colonização da América + Escravidão na América LatinaA Colonização da América + Escravidão na América Latina
A Colonização da América + Escravidão na América Latina
Gabriel Caseiro
 
Colonizacao da America
Colonizacao da AmericaColonizacao da America
Colonizacao da America
Elisângela Martins Rodrigues
 
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Juliana
 
História 2º bimestre – 2º ano
História 2º bimestre – 2º anoHistória 2º bimestre – 2º ano
História 2º bimestre – 2º ano
dinicmax
 
BRASIL - PRÉ COLONIAL
BRASIL - PRÉ COLONIAL BRASIL - PRÉ COLONIAL
BRASIL - PRÉ COLONIAL
KEILARFREITAS
 
Colonização Espanhola.ppt
Colonização Espanhola.pptColonização Espanhola.ppt
Colonização Espanhola.ppt
CyrusDraks
 
2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola
Paulo Alexandre
 
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
RobsonCamposdeAbreu
 
A conquista da América pelos Espanhóis
A conquista da América pelos EspanhóisA conquista da América pelos Espanhóis
A conquista da América pelos Espanhóis
Victor Martins
 
Povos pré-colombianos.ppt
Povos pré-colombianos.pptPovos pré-colombianos.ppt
Povos pré-colombianos.ppt
Welington Ernane Porfírio
 
Expansão marítima: aspectos culturais e tecnológicos
Expansão marítima:  aspectos culturais e tecnológicosExpansão marítima:  aspectos culturais e tecnológicos
Expansão marítima: aspectos culturais e tecnológicos
araujombarbara
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
Jean Carlos Nunes Paixão
 
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
Sheila Soarte
 
AMERICA-ESPANHOLA.ppt
AMERICA-ESPANHOLA.pptAMERICA-ESPANHOLA.ppt
AMERICA-ESPANHOLA.ppt
Cristiano de Sousa
 
HISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANA
HISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANAHISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANA
HISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANA
JaneLima61
 
América Espanhola
América EspanholaAmérica Espanhola
América Espanhola
vaniareginahistoria1
 

Semelhante a Colonização da América Espanhola (20)

A Colonização da América
A Colonização da AméricaA Colonização da América
A Colonização da América
 
Hist Ro aula 01 - Latitude 10.pptx
Hist Ro aula 01 - Latitude 10.pptxHist Ro aula 01 - Latitude 10.pptx
Hist Ro aula 01 - Latitude 10.pptx
 
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
1º ano   expansão marítima européia e absolutismo1º ano   expansão marítima européia e absolutismo
1º ano expansão marítima européia e absolutismo
 
1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo
1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo
1º ano - Expansão Marítima Européia e Absolutismo
 
A Colonização da América + Escravidão na América Latina
A Colonização da América + Escravidão na América LatinaA Colonização da América + Escravidão na América Latina
A Colonização da América + Escravidão na América Latina
 
Colonizacao da America
Colonizacao da AmericaColonizacao da America
Colonizacao da America
 
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
Conquista e Colonização da América (Espanhola e Portuguesa)
 
História 2º bimestre – 2º ano
História 2º bimestre – 2º anoHistória 2º bimestre – 2º ano
História 2º bimestre – 2º ano
 
BRASIL - PRÉ COLONIAL
BRASIL - PRÉ COLONIAL BRASIL - PRÉ COLONIAL
BRASIL - PRÉ COLONIAL
 
Colonização Espanhola.ppt
Colonização Espanhola.pptColonização Espanhola.ppt
Colonização Espanhola.ppt
 
2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola
 
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
 
A conquista da América pelos Espanhóis
A conquista da América pelos EspanhóisA conquista da América pelos Espanhóis
A conquista da América pelos Espanhóis
 
Povos pré-colombianos.ppt
Povos pré-colombianos.pptPovos pré-colombianos.ppt
Povos pré-colombianos.ppt
 
Expansão marítima: aspectos culturais e tecnológicos
Expansão marítima:  aspectos culturais e tecnológicosExpansão marítima:  aspectos culturais e tecnológicos
Expansão marítima: aspectos culturais e tecnológicos
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
 
AMERICA-ESPANHOLA.ppt
AMERICA-ESPANHOLA.pptAMERICA-ESPANHOLA.ppt
AMERICA-ESPANHOLA.ppt
 
HISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANA
HISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANAHISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANA
HISTORIA DA AMERICA - AMERICA PRÉ COLOMBIANA
 
América Espanhola
América EspanholaAmérica Espanhola
América Espanhola
 

Mais de Edenilson Morais

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Edenilson Morais
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
Edenilson Morais
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
Edenilson Morais
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
Edenilson Morais
 
História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
Edenilson Morais
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Edenilson Morais
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
Edenilson Morais
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
Edenilson Morais
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
Edenilson Morais
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Edenilson Morais
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
Edenilson Morais
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
Edenilson Morais
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
Edenilson Morais
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
Edenilson Morais
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
Edenilson Morais
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Edenilson Morais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
Edenilson Morais
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
Edenilson Morais
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
Edenilson Morais
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
Edenilson Morais
 

Mais de Edenilson Morais (20)

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
 
História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
 

Último

1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 

Último (20)

1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 

Colonização da América Espanhola

  • 1. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 1 - Introdução Colonização da América Espanhola A viagem de Colombo à América , em 1942, trouxe à Espanha perspectiva de enriquecimento, pois ele acreditava ter encontrado um novo caminho para as Índias. Mesmo nas expedições subseqüentes, desde o ano seguinte, Colombo manteve a mesma cresça e conforme procurava as riquezas orientais fundou vilas e povoados, iniciando a ocupação da América. Uma visão superficial a respeito da chegada e presença dos europeus na América nos leva a concluir que eles foram bem sucedidos na conquista e colonização da América. Como foi o encontro de culturas (européia e indígena)? Foi encontro, confronto ou desencontro? Os europeus conseguiram tudo o que queriam ou tiveram que ceder em algum aspecto? Como os indígenas reagiram? Todos os povos indígenas reagiram da mesma forma diante dos europeus? Como explicar a "dominação" de um povo em menor número (europeus que vieram para a América) sobre um grupo muito mais numeroso?
  • 2. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola “ A 16 de setembro, ‘ vimos flutuar pequenos maços de ervas que pareciam ainda frescas..., o que fez todos acreditarem que a terra se aproximava’. Nos dias seguintes, ‘as ervas apareceram em quantidades maiores...; o mar parecia coagulado’. Entretanto, ‘ a 10 de outubro, os marinheiros queixaram-se da duração da viagem e, com ameaças, recusaram-se a ir adiante. O almirante reanimou sua coragem do melhor modo possível, dando-lhes boa esperança das vantagens que poderiam obter da expedição. Acrescentou que de resto suas queixas de nada serviriam porque ele tinha partido para dirigir-se às Índias e pretendia prosseguir a viagem até que as encontrasse, com a ajuda do Senhor’. No dia seguinte, pescamos ‘um pedaço de madeira que parecia ter sido talhado a ferro, um pedaço de cana, uma erva terrestre e uma tabuinha... Por volta das dez horas da noite, o almirante viu uma luz... Era como uma vela cuja luz subia e abaixava. Também, quando os marinheiros se reuniram para contar o salve ( prece à Virgem que inicia pelas palavras: salve, rainha), o almirante avisou-os e pediu-lhes para fazer boa guarda e observar bem lado da terra, prometendo dar um gibão de seda àquele que fosse o primeiro a avistá-la, e isto sem prejuízo das outras recompensas prometidas pelo rei e pela rainha. Às duas horas após a meia-noite, avistamos a terra realmente’.” ( COLOMBO, Cristóvão. In: ISAAC, J. & ALBA, A. História Universal – Idade Média. São Paulo, Mestre Jou, 1967. p. 193.)
  • 3. História . Aula 01 2 – As disputas ibéricas: os tratados ultramarinos Colonização da América Espanhola A corrida expansionista de Portugal e Espanha gerou, já na segunda metade do século XV, inevitáveis conflitos e inúmeras controvérsias acerca do direito de posse sobre as terras descobertas ou a descobrir. Com o objetivo de definir os direitos de cada país, formularam-se diversos tratados: T RATADO DE TOLEDO(1480): Esse tratado, que garantia a Portugal as terras a descobrir ao sul das ilhas Canárias, constituiu uma importante vitória da diplomacia lusitana, pois assegurava a Portugal a rota das Índias pelo sul da África.
  • 4. História . Aula 01 C olonização Espanhola da América BULA INTERCOETERA( 1493): Determinava a partilha do mundo ultramarino entre espanhóis e portugueses. Um meridiano situado 100 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde destinava a Portugal todos os territórios a leste e à Espanha, as terras localizadas a oeste do meridiano. Conforme o Trat. de Toledo
  • 5. História . Aula 01 Colonização Espanhola da América Sentindo-se prejudicados, os portugueses contestaram energicamente a BULA INTERCOETERA e exigiram sua reformulação. Depois de um período de negociações entre os dois países, um acordo foi celebrado em 1494, na cidade de Tordesilhas, na Espanha. TRATADO DE TORDESILHAS: Substituindo a linha divisória anterior por outra, situada a 370 léguas das ilhas de Cabo Verde. Com esse tratado, tornavam-se mais amplas para Portugal as possibilidades de conquistar terras no Atlântico Ocidental, cuja existência já era do conhecimento dos portugueses.
  • 6. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 3 – A França contesta o Tratado de Tordesilhas A contestação francesa ao Tratado de Tordesilhas teve no monarca Francisco I o mais veemente representante. Em 1540 chegou a dizer que “ ‘ o sol brilhava tanto para ele como para os outros’ e que ‘gostaria de ver o testamento de Adão para saber de que forma este dividiria o mundo ...’ Declarou também que só a ocupação criava o direito, que descobrir um país, isto é, vê-lo ou atravessá-lo, não constituía um ato de posse e que considerava como domínio estrangeiro unicamente ‘ os lugares habitados e defendidos’. São essas as bases da colonização moderna”. MOUSNIER, Roland. História geral das civilizações. Os século XVI e XVII. P. 163.
  • 7. História . Aula 01 4 – As conquistas espanholas no século XVI Revolução Industrial 1502 – 1504 – Cristóvão Colombo faz a sua quarta e última viagem à América, na qual explora a costa de Honduras e Nicarágua atuais. 1504 – Américo Vespúcio faz o primeiro reconhecimento do rio Amazonas. 1508 – Vicente Pinzón e João Dias Solis atingem a península de Iucatã, no México atual. 1512 – Ponce de León atinge o atual estado norte-americano da Flórida . 1513 – Vasco Nuñes de Balboa chega ao Oceano Pacífico pela América Central.
  • 8. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 1515 – João Dias de Solis entra no estuário do rio da Prata. 1519 – 1522 – Fernão de Magalhães começa, em 1519, a primeira viagem de circunavegação, na qual descobre o estreito que liga o Oceano Atlântico ao Pacífico, no extremo sul da América. Morre nas Filipinas, em 1521. Sua viagem é completada em 1522 por Sebastião El Caño. 1519 – Hernán Cortez impõe o domínio espanhol sobre o território dos astecas, no México atual. 1531 – 1533 – Francisco Pizzaro conquista o Império Inca. 1542 – Ruy López de Villalobos reconhece o arquipélago das Filipinas. 1545 – Os espanhóis descobrem as minas de prata de Potosí ( na Bolívia atual)
  • 9. História . Aula 01 5 – A América Pré-Colombiana Colonização da América Espanhola 5.1 – Os Maias(Séculos VII ao IX) SOCIEDADE A sociedade Maia era dividida em quatro camadas: Nobres: chefes, guerreiros e administradores; Sacerdotes: controlavam a religião e a produção cultural; Povo: exercia todas as funções produtivas; Escravos: prisioneiros de guerra.
  • 10. História . Aula 01 ECONOMIA Colonização da América Espanhola Praticavam a agricultura( milho, algodão, feijão, tomate, batata e cacau. Utilizavam a irrigação e as queimadas como técnicas de cultivo. Praticavam o artesanato, fabricando tecidos de algodão, peças de cerâmica, objetos de ouro e cobre Praticavam o comércio baseado na troca de produtos. RELIGIÃO Eram politeístas; adoravam os animais, as plantas e as pedras. CURIOSIDADES A organização política era baseada em cidades autônomas, tais como Palenque e Yaxchilán. Não chegou a se formar ali um império centralizado. Conheciam os eclipses solares e o movimento dos planetas; Desenvolveram o calendário, a escrita hieroglífica; Na matemática, criaram o símbolo para representar o zero e desenvolveram noções sobre o princípio do valor negativo.
  • 11. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 5.2 – Os Astecas ( séculos XII ao XVI) SOCIEDADE A sociedade asteca estava organizada da seguinte forma: Governante supremo: comandante militar, dirigia a política externa; Grupo dominante: sacerdotes e chefes guerreiros; Pochtecas: grandes comerciantes; Povo: trabalhadores urbanos e rurais; Escravos: prisioneiros de guerra; ECONOMIA Praticavam a agricultura( milho, feijão, melão, baunilha, cacau, cacau algodão e tabaco). Utilizavam a irrigação e o sistema de Chinampas como técnicas de cultivo. Praticavam o artesanato fabricando roupas(para o consumo), cerâmicas, jóias e tecidos( para o mercado urbano). Praticavam o comércio a distância e usavam o cacau como moeda.
  • 12. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola RELIGIÃO A religião dos astecas sofreu muitas influências de vários povos por eles conquistados. Eram politeístas e praticavam rituais de sacrifícios humanos. CURIOSIDADES A arquitetura era caracterizada pela organização urbanística das cidades, que eram construídas em torno de praças matematicamente planejadas; Desenvolveram o calendário solar; Na matemática, eram hábeis em cálculos aplicados à arquitetura, criaram um sistema numérico vigesimal. Eram habilidosos nos trabalhos de ourivesaria. Esculpiam o jade e o cristal de rocha, representando figuras humanas e animais. Faziam máscaras rituais em ouro maciço, incrustadas de jade e turquesa.
  • 13. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 5.3 – Os Incas (Séculos XIII ao XVI) SOCIEDADE A sociedade inca estava organizada de forma hierárquica: Inca (Filho do sol): Imperador; Alta Nobreza : família do Inca , altos funcionários e sacerdotes; Nobreza: curacas ( chefes locais) juízes e comandantes militares; Camada Média: artesãos, militares, e contabilistas; Camponeses: massa da população; Escravos: ligados aos curacas e ao Inca.
  • 14. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola ECONOMIA Praticavam a agricultura( mandioca, abacate, milho, feijão, algodão, amendoim e batata , milho); Utilizavam a irrigação, canais, aquedutos, represas e sistema de terraços como técnicas de cultivo. Usavam o guano (excremento de aves marinhas) como adubo; Domesticavam a lhama e o porquinho da índia; Praticavam o artesanato fabricando cerâmicas, objetos de ouro e tecidos. Praticavam o comércio local, baseado na troca de produtos. RELIGIÃO Eram politeístas e adoravam o sol, a terra, a lua, o mar e as montanhas. Realizavam ritualmente sacrifícios humanos CURIOSIDADES Estavam organizados em um império de grande extensão. Na arquitetura, destacavam-se por apresentar grandes construções de pedra e adobe (destaque para as cidades de Machu Picchu e Cuzco); Na matemática, criaram um sistema numérico decimal. Usavam os quipos(cordões com nós) para fazer cálculos;
  • 15. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola A arte asteca A arte maia A arte inca
  • 16. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 6 – A Estrutura política metropolitana O processo de exploração da América colonial foi marcado pela pequena participação da Coroa, devido à preocupação espanhola com os problemas europeus, fazendo com que a conquista fosse comandada pela iniciativa particular, mediante o sistema de CAPITULAÇÕES . CAPITULAÇÕES – Contratos em que a Coroa concedia permissão para explorar, conquistar e povoar terras, fixando direitos e deveres recíprocos. CASA DE CONTRATAÇÃO – Criada em 1503 e sediada em Sevilha; era responsável pelo controle de todo o comércio realizado com as colônias da América e foi responsável pelo estabelecimento do regime de porto único. CONSELHO DAS ÍNDIAS – Criado em 1524, por Carlos V; a este órgão cabia as decisões políticas em relação às colônias, nomeando vice-reis e capitães gerais, autoridades militares e judiciais. JUÍZES DE RESIDÊNCIA – Cargo responsável por apurar irregularidades na gestão de algum funcionário da metrópole na colônia. VISITADOR – Cargo responsável por fiscalizar um órgão metropolitano ou mesmo um vice-reino, normalmente para apurar abusos cometidos.
  • 17. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 7 – A Estrutura política colonial Nas colônias, o poder dos adelantados (responsáveis pela colonização) foi eliminado com a formação dos Vice–reinados e das Capitanias Gerais. O território colonial foi dividido em 4 Vice-reinados: Nova Espanha; Peru; Rio da Prata; Nova Granada; Posteriormente, o território foi redividido, surgindo as Capitanias Gerais, áreas consideradas estratégicas ou não colonizadas. Os Vice-reis eram nomeados pelo Conselho das Índias e possuíam amplos poderes.
  • 18. Nas colônias, havia outras duas instâncias de poder: AUDIÊNCIAS – Formadas pelos ouvidores; possuíam a função judiciária na América. Com o tempo, passaram a ter funções administrativas. CABILDOS – Eram equivalentes às câmaras municipais e somente podiam participar os elementos da elite colonial. Estavam subordinados às leis espanholas, mas tinham autonomia para promover a administração local e municipal.
  • 19. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 8– A Exploração Colonial A exploração do ouro e, principalmente, da prata passou a ser o eixo da colonização espanhola, durante os séculos XVI e XVII. A produção colonial foi organizada a partir da exploração da mão-de-obra indígena. Formas de exploração dos nativos: MITA – Os indígenas eram tirados de suas comunidades para trabalhar nas minas por um prazo determinado e sob um pagamento irrisório. ENCOMIENDA - A Coroa encomendava a captura de indígenas a um intermediário - encomendero – e os distribuía aos colonizadores, que recebiam o índio como seu servo. A servidão era justificada como um pagamento de tributos, feitos pelos índios em forma de serviço, por receberam proteção e educação cristã. Mina da Potosí
  • 20. História . Aula 01 Colonização da América Espanhola 9– A Sociedade Colonial Organizada com base na exploração estabelecida pelo mercantilismo metropolitano, a sociedade colonial apresentava no topo da escala hierárquica os chapetones (espanhóis da metrópole que ocupavam altos postos militares e civis) e o clero. A aristocracia colonial era constituída de espanhóis nascidos na América os criollos (grandes proprietários e comerciantes que, por constituírem a elite colonial, participavam das Câmaras Municipais , denominadas cabildos. Abaixo deles, vinham os mestiços e, em seguida, os escravos negros (numericamente insignificante) e os índios , grupo mais populoso, submetido à mita e à encomienda . 10 – Conclusão Sessenta anos após a “descoberta”, a América, desde o Mississipi até o Rio da Prata e o Mapocho, estava já recoberta de cruzes: cruzes de cemitérios e de templos com suas correspondentes cidades. Os moradores dessas cidades foram dizimados. Um século e meio após a conquista, tinham desaparecido quase 100 milhões de seres humanos. Dos 25 milhões de indígenas que habitavam o México, em 1500, só restava um milhão em 1600.  Segundo as palavras do poeta chileno Pablo Neruda , "... a espada, a cruz e a fome dizimaram a família selvagem.