SlideShare uma empresa Scribd logo
  Unidade 4  O CLIMA  57
Ficha 17  Elaborar um gráfico
termopluviométrico4Unidade
Consulta as páginas 126 e 127
do teu manual.
1 	 Preparação do gráfico.
	 No papel milimétrico da figura estão traçados três eixos:
	 •	No eixo horizontal, estão colocadas as iniciais de cada um dos meses do ano.
	 •	No eixo vertical da esquerda, estão representados os valores da temperatura em graus
Celsius (ºC).
	 •	No eixo vertical da direita, estão representados os valores da precipitação em milímetros (mm).
2 	 Representação dos dados.
	2.1	 Constrói o gráfico termopluviométrico relativo à estação meteorológica de Barcelona, de acordo
com as seguintes orientações e os dados do quadro abaixo.
	 Temperatura — Representa-se colocando um ponto no centro
do mês à altura do respetivo valor, na escala das temperaturas.
Uma vez marcados todos os meses, unem-se os pontos com uma linha
vermelha.
	 Precipitação — Representa-se através de uma coluna de cor azul
para cada mês. A altura da coluna deve coincidir com o respetivo valor,
na escala das precipitações.
			Considera agora os dados registados na estação meteorológica de Barcelona (latitude: 41º N;
altitude: 12 metros), que devem ser colocados no título do gráfico, assim como o nome
da estação meteorológica.
30
25
20
15
10
5
70
60
50
40
30
20
10
Precipitação
mm
Temperatura
°C
J F M A M J J A S O N D
J F M A M J J A S O N DMês
9,5 10,3 12,3 14,6 17,7 21,5 24,3 24,3 21,6 17,6 13,5 10,3T (ºC)
30 40 53 45 54 40 30 47 83 77 54 49P (mm)
Repara que P 5 2T
58  Tema II  MEIO NATURAL
J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N DJ F M A M J J A S O N D
50
40
30
20
10
0
240
230
220
210
200
190
180
170
160
150
140
130
120
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
50
40
30
20
10
0
180
170
160
150
140
130
120
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
50
40
30
20
10
0
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
(Latitude 37° 29' N; Longitude 5° 96' O;Altitude 30 m)
SEVILHA, Espanha
Temperatura/ºC Precipitação/mm
(Latitude 7° 26' N; Longitude 16° 40' O;Altitude 27 m)
IBADAN, Nigéria
Temperatura/ºC Precipitação/mm
(Latitude 60° 24' N; Longitude 5° 19' E;Altitude 43 m)
BERGEN, Noruega
Temperatura/ºC Precipitação/mm
3 	 De acordo com o quadro e o gráfico termopluviométrico que construíste no exercício anterior,
responde às questões.
	3.1	 Localiza Barcelona num mapa.
	3.2	 Refere o mês em que se registou a temperatura média mais elevada.
		
	3.3	 Refere o mês em que se registou a temperatura média mais baixa.
		
	3.4	 Calcula o valor da amplitude térmica anual.
	3.5	 Refere os meses do ano em que se registaram os máximos de precipitação.
		
	3.6	 Menciona os meses do ano em que se registaram os mínimos de precipitação.
		
	3.7	 Enumera os meses secos.
		
	3.8	 Classifica o clima de Barcelona.
		
	3.9	 Menciona outras duas regiões europeias que apresentam o tipo de clima anteriormente
apontado.
		
4 	 Observa os gráficos termopluviométricos.
	4.1	 Refere o gráfico que representa um clima semelhante ao de Barcelona.
	4.2	 Identifica o tipo de clima representado no gráfico B.
	4.3	 Refere o número de meses secos do clima C.
Ficha 17
Realizei esta ficha em / / .
A
B
C
Julho e agosto (24,3 °C).
Janeiro (9,5 °C).
24,3 – 9,5 = 14,8 °C
Setembro e outubro.
Janeiro e julho (30 mm).
Há 3 meses secos: junho, julho e agosto.
Clima temperado mediterrânico.
Todo o sul da Europa, junto à bacia do mar Mediterrâneo.
É o gráfico A, de Sevilha.
Clima temperado marítimo.
Ibadan tem 4 meses secos.
  Unidade 4  O CLIMA  59
Ficha 18  Os climas4Unidade
1 	 Observa a figura, que mostra a distribuição da temperatura por zonas.
	1.1	 Faz corresponder cada um dos seguintes climas às diferentes zonas climáticas.
		
Zona climática Tipo de clima
Equatorial
Tropical seco
Mediterrânico
Continental
Subpolar
	1.2	 Descreve como se processa a variação da temperatura com a latitude.
		
		
		
		
		
	1.3	 Explica por que razão existe esta diferença de temperatura nas diferentes latitudes.
		
		
		
		
		
		
Consulta as páginas 128 a 137
do teu manual.
Equador
Trópico de Câncer
Círculo Polar Ártico
Círculo Polar Antártico
Trópico de Capricórnio
Zonas frias
Zonas frias
Zonas temperadas
Zonas temperadas
Zonas quentes
Em termos gerais, à medida que aumenta a latitude, diminui a temperatura. Desta forma, as regiões perto
do equador são as mais quentes, enquanto a região polar é a mais fria.
Existe uma variação zonal das temperaturas com a latitude que é consequência da variabilidade da obliquidade
dos raios solares e da diferente duração dos dias e das noites. Nas regiões próximas do equador os raios solares
são pouco oblíquos e, por isso, aquecem mais, enquanto nas regiões polares são muito oblíquos, pelo que
aquecem pouco. Em relação à duração dos dias e das noites, nas regiões equatoriais a duração dos dias
é sempre igual à das noites, enquanto nas altas latitudes ocorrem enormes variações, chegando a ser noite
ou dia ao longo de vários meses seguidos.
Quente
Quente
Temperada
Temperada
Fria
60  Tema II  MEIO NATURAL
2 	 Classifica as frases seguintes como verdadeiras (V) ou falsas (F).
	 A.	 No clima temperado continental, o período mais seco corresponde à estação mais quente.	 
	 B.	 As chuvas convectivas são características das regiões mais quentes.	 
	 C.	 As precipitações no clima polar são abundantes e ocorrem ao longo de todo o ano.	 
	 D.	 O clima equatorial tem elevadas amplitudes térmicas anuais.	 
	 E.	 No interior dos continentes verificam-se amplitudes térmicas muito baixas.	 
	 F.	 No clima temperado mediterrânico o período mais seco corresponde à estação mais quente.	 
	 G.	A amplitude térmica no clima tropical húmido é alta.		 
	 H.	 No clima equatorial a duração dos dias é sempre igual à das noites.	 
	 I.	 No clima desértico existe uma única estação do ano: quente e seca.	 
	 J.	 O norte do Canadá e o norte da Sibéria correspondem ao clima temperado marítimo.	 
3 	 Assinala com uma cruz as palavras corretas, de forma a tornar verdadeiras as afirmações seguintes.
	 A.	 O clima equatorial é   QUENTE
  TEMPERADO
e   CHUVOSO
  SECO
;
	 B.	 A precipitação é   RARA
  FREQUENTE
e ocorre todas as   MANHÃS
  TARDES
;
	 C.	 O estado de tempo é muito   DIFERENTE
  SEMELHANTE
de dia para dia e ao longo do ano;
	 D.	 As amplitudes térmicas são muito   ELEVADAS
  REDUZIDAS
;
	 E.	 Os dias e as noites têm   IGUAL
  DIFERENTE
duração ao longo do ano;
	 F.	 Nesta região, os raios solares são   MUITO
  POUCO
oblíquos, pelo que as temperaturas são sempre
		  ELEVADAS
  REDUZIDAS
;
	 G.	Neste clima todos os meses são   SECOS
  CHUVOSOS
;
	 H.	 Os climas desérticos registam temperaturas médias mensais   ELEVADAS
  REDUZIDAS
;
	 I.	A grande variação da temperatura ao longo do dia está na origem das   ELEVADAS
  REDUZIDASamplitudes térmicas diárias;
Ficha 18
F
V
F
F
F
V
F
V
V
F
X X
X X
X
X
X
X
X
X
X
X
  Unidade 4  O CLIMA  61
	 J.	 Este facto deve-se ao   REDUZIDO
  ELEVADO
efeito de estufa;
	 K.	 A precipitação é   REDUZIDA
  ELEVADA
ao longo de todo o ano;
	 L.	 O estado de tempo é muito   DIFERENTE
  SEMELHANTE
de dia para dia e ao longo do ano.
4 	 Após análise atenta dos gráficos, que representam locais do hemisfério norte, associa a cada um
deles, com as letras A ou B, as características a seguir apresentadas.
5 	 O gráfico termopluviométrico seguinte refere-se a um determinado clima.
	5.1	 Identifica o clima representado.
		
		
	5.2	 Quantos meses secos tem este gráfico?
		
		
		
Ficha 18
Equador
Temperatura/ºC Precipitação/mm
J F M A M J J A S O N D
50
40
30
20
10
0
180
170
160
150
140
130
120
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
J F M A M J J A S O N D
50
40
30
20
10
0
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
Temperatura/ºC Precipitação/mmA Temperatura/ºC Precipitação/mm
J F M A M J J A S O N D
50
40
30
20
10
0
180
170
160
150
140
130
120
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
B
	 1.	Quatro meses secos.			 
	 2.	Número reduzido de meses secos.	 
	 3.	Amplitude térmica anual reduzida.	 
	 4.	Precipitação anual elevada.		 
5.	Precipitação sobretudo no outono e no inverno.	 
6.	Tipo de clima temperado mediterrânico.	 
7.	Tipo de clima temperado marítimo.	 
8.	É o gráfico a que pertence o clima do mapa.	 
I
X
X
X
A
B
B
B
A
A
B
A
Tem 4 meses secos.
Clima tropical húmido.
62  Tema II  MEIO NATURAL
	5.3	 Calcula a amplitude térmica (aproximada) neste local.
	5.4	 Refere em que altura do ano ocorre mais precipitação.
		
6 	 Lê com atenção o texto que se segue.
	6.1	 Identifica o clima referido no texto.
		
	6.2	 Explica a frase sublinhada no texto.
		
		
		
		
	6.3	 Caracteriza este clima em termos de precipitação e de temperatura.
		
7 	 Indica uma característica importante de cada um dos climas seguintes.
	 A.	 Clima temperado marítimo —
	 B.		 Clima temperado mediterrânico —
	 C.	 Clima polar —
	 D.	 Clima tropical seco — 
			
Ficha 18
A Dinamarca fica no norte da Europa. Ali, os invernos são longos e rigoro-
sos, com noites muito compridas e dias curtos, pálidos e gelados. A neve cobre
a terra e os telhados, os rios gelam, os pássaros emigram para os países do Sul à
procura do Sol, as árvores perdem as suas folhas. Só os pinheiros continuam
verdes no meio das florestas geladas e despidas. Só eles, com os seus ramos
cobertos por agulhas duras e brilhantes, parecem vivos no meio do grande silên-
cio imóvel e branco.
Sophia de Mello Breyner Andresen, O Cavaleiro da Dinamarca
(adaptado)
Mar
do Norte
Mar
Báltico
Amesterdão
Berlim
VarsóviaALEMANHA
SUÉCIA
PAÍSES
BAIXOS POLÓNIA
DINAMARCA
RÚSSIA
Copenhaga
VarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviVarsóviVarsóviVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóVarsóVarsóVarsóVarsóVarsóVarsVarsVarsVarsVarsVarVarVaa
Clima subpolar.
As noites são muito compridas e os dias curtos, pálidos e gelados devido à diferente duração dos dias e das noites
verificada nos locais de maior latitude, o que implica um reduzido aquecimento e, por isso, os dias são frios.
Os dias são pálidos porque a obliquidade dos raios solares é muito grande, pelo que a quantidade de radiação
solar recebida é muito reduzida. Os invernos são longos porque esta situação se mantém por largos meses.
A temperatura é frequentemente baixa (invernos longos) e a precipitação ocorre muitas vezes sob a forma de neve.
A amplitude térmica é de aproximadamente 7 °C.
Nos meses de maio, junho, setembro e outubro.
Ausência de meses secos; baixa amplitude térmica; invernos moderados.
Verão longo, quente e seco; irregularidade da precipitação.
Temperatura permanentemente baixa; precipitação muito rara; elevada amplitude térmica anual.
             Duas estações, a estação seca é maior do que a húmida; temperatura elevada ao
longo do ano; fraca amplitude térmica anual.
  Unidade 4  O CLIMA  63
8 	 Observa o mapa seguinte, que localiza os principais desertos.
	8.1	 Refere o nome de dois dos principais desertos existentes no Mundo.
		
	8.2	 Assinala no mapa a localização desses desertos.
9 	 A partir das informações fornecidas, identifica os climas considerados.
	 CLIMA 1
	 •	As temperaturas muito baixas vão diminuindo com a altitude (gradiente térmico).
	 •	Durante o inverno, registam-se valores negativos. A temperatura raramente vai além dos 12 ºC.
	 •	Precipitação abundante ao longo de todo o ano, que ocorre normalmente sob a forma de neve.
	 O clima é .
	 CLIMA 2
	 •	A temperatura média do mês mais quente não atinge os 22 ºC e a média do mês mais frio é
sempre inferior a 0 ºC.
	 •	A amplitude térmica anual é muito elevada.
	 •	A precipitação é reduzida e é sobretudo de origem frontal. No inverno, ocorre quase sempre sob a
forma de neve. Chove mais no verão.
	 •	Estações do ano: o verão é relativamente quente, mas curto, e o inverno é muito frio e prolongado.
	 •	Localização: sobretudo no centro da Europa e da Ásia.
	 O clima é .
	 CLIMA 3
	 •	Tem influência marítima.
	 •	Os verões são frescos e temperados e a brisa marítima diminui as temperaturas.
	 •	Os invernos são suaves e a corrente quente do golfo ameniza as temperaturas.
	 •	Há reduzidas amplitudes térmicas.
	 •	Chove durante todo o ano, sobretudo no inverno.
	 O clima é .
Ficha 18
Realizei esta ficha em / / .
Equador
Desertos frios
Desertos quentes
0 4800 km
1 — deserto do Sara, 2 — deserto do Calaári, 3 — deserto Arábico, entre outros.
de alta montanha
temperado continental
temperado marítimo
2
31
64  Tema II  MEIO NATURAL
1 	 Observa as imagens e faz a sua legenda com a chave seguinte.
Ficha 19  Os biomas4
Unidade
Floresta boreal de coníferas
Tundra Floresta equatorial
Floresta caducifólia
Deserto
Savana
	A.  	B. 
	C.  	D. 
	E.  	F. 
Consulta as páginas 128 a 147
do teu manual.
A
C
E
B
D
F
Floresta boreal de coníferas
Deserto
Savana
Floresta equatorial
Tundra
Floresta caducifólia
  Unidade 4  O CLIMA  65
2 	 Refere em que climas se encontram as paisagens das imagens da questão anterior.
	
ClimaFotografia
A
B
C
D
E
F
3 	 Consulta o teu manual e faz corresponder cada animal aos respetivos biomas.
	
1
6
2
7
3
8
4
9
5
10
Elefante
Foca
Camelo
Cabra-montês
Girafa
Pinguim
Jaguar
Lontra
Tucano
Lobo
Animal Biomas
4 	 Faz corresponder cada espécie vegetal aos respetivos biomas (consulta as páginas 128 e 129
do teu manual).
Ficha 19
A.
F.
B.
G.
C.
H.
D.
I.
E.
J.
Salgueiro-do-ártico
Carvalho
Magnólia
Azinheira
Embondeiro
Figueira-da-índia
Pinheiro
Ébano
Eucalipto
Alfarrobeira
Espécies vegetais
1.
6.
2.
7.
3.
8.
4.
9.
5.
10.
Tundra
Savana
Floresta caducifólia
Floresta mediterrânica
Deserto
Pradaria
Floresta tropical
Floresta equatorial
Deserto gelado
Floresta boreal de coníferas
Biomas
Subpolar
Equatorial
Desértico quente
Subpolar/Polar
Tropical seco
Temperado marítimo
Savana
Deserto gelado
Deserto
Montanha
Savana
Deserto gelado
Floresta tropical
Floresta boreal de coníferas
Floresta equatorial
Floresta mediterrânica e caducifólia
A
E, C
B
J, D
F
—
I
H
—
G
66  Tema II  MEIO NATURAL
5 	 Lê com atenção o texto.
	5.1	 Identifica o bioma descrito no texto.
		
	5.2	 Enumera duas características deste ambiente.
		
		
	5.3	 Em que região do Mundo se poderia ter desenrolado a ação deste romance?
		
	5.4	 Estas regiões são agradáveis para se viver? Justifica a tua resposta.
		
		
		
		
Ficha 19
Realizei esta ficha em / / .
Abandonaram a última casa e entraram na floresta. Lá dentro chovia menos, mas caíam jorros
mais grossos. A chuva não conseguia trespassar o espesso teto vegetal. Acumulava-se nas folhas
e, quando os ramos cediam sob o peso, precipitava-se, aromatizada por todas as espécies.
Caminhavam lentamente por causa do lamaçal […].
[…] Apesar das palavras dos indígenas, semearam as primeiras sementes e não lhes levou
muito tempo a descobrir que a terra era fraca. As constantes chuvas lavavam-na de tal forma que
as plantas não recebiam o sustento necessário e morriam sem florescer, de debilidade, ou devoradas
pelos insetos.
Luís Sepúlveda, O Velho Que Lia Romances de Amor
(adaptado)
Floresta equatorial.
Vegetação muito densa, luxuriante, grande efeito de sombra, ausência de sub-bosque.
Na região junto ao equador (Amazónia).
Não. As condições são repulsivas, com elevada temperatura e humidade, solos sempre encharcados, difícil
circulação para o ser humano e efeito de sombra provocado pelas árvores.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resumos geografia climas
Resumos geografia climasResumos geografia climas
Resumos geografia climas
Goreti Carvalho
 
Ficha de trabalho sobre a pressão atmosférica
Ficha de trabalho sobre a pressão atmosféricaFicha de trabalho sobre a pressão atmosférica
Ficha de trabalho sobre a pressão atmosférica
Fátima Cunha Lopes
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
Ilda Bicacro
 
Precipitação
PrecipitaçãoPrecipitação
Precipitação
FilomenaJarmelo
 
Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2
Idalina Leite
 
Ficha De Trabalho - Clima Portugal E Mundo
Ficha De Trabalho - Clima Portugal E MundoFicha De Trabalho - Clima Portugal E Mundo
Ficha De Trabalho - Clima Portugal E Mundo
abarros
 
O estado do tempo - geografia
O estado do tempo - geografiaO estado do tempo - geografia
O estado do tempo - geografia
Catarina Sequeira
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
Carlamspc
 
Relevo mundial
Relevo mundialRelevo mundial
Relevo mundial
Paula Tomaz
 
CLIMARE
CLIMARECLIMARE
Ft climas temperados
Ft climas temperadosFt climas temperados
Ft climas temperados
GabrielCaetano35
 
A especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugalA especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugal
Linda Pereira
 
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitaçãoMassas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
elsaki72
 
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofesFicha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Linda Pereira
 
Ficha Informativa - Clima De Portugal
Ficha Informativa  - Clima De PortugalFicha Informativa  - Clima De Portugal
Ficha Informativa - Clima De Portugal
abarros
 
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
Carlos F. M. Costa
 
A Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalA Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em Portugal
Catarina Castro
 
4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
Ministério da Educação
 
3.Factores Climáticos
3.Factores Climáticos3.Factores Climáticos
3.Factores Climáticos
Mayjö .
 
Ficha de Avaliação n.º 4 - Correção
Ficha de Avaliação n.º 4 - CorreçãoFicha de Avaliação n.º 4 - Correção
Ficha de Avaliação n.º 4 - Correção
FilomenaJarmelo
 

Mais procurados (20)

Resumos geografia climas
Resumos geografia climasResumos geografia climas
Resumos geografia climas
 
Ficha de trabalho sobre a pressão atmosférica
Ficha de trabalho sobre a pressão atmosféricaFicha de trabalho sobre a pressão atmosférica
Ficha de trabalho sobre a pressão atmosférica
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
Precipitação
PrecipitaçãoPrecipitação
Precipitação
 
Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2
 
Ficha De Trabalho - Clima Portugal E Mundo
Ficha De Trabalho - Clima Portugal E MundoFicha De Trabalho - Clima Portugal E Mundo
Ficha De Trabalho - Clima Portugal E Mundo
 
O estado do tempo - geografia
O estado do tempo - geografiaO estado do tempo - geografia
O estado do tempo - geografia
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
 
Relevo mundial
Relevo mundialRelevo mundial
Relevo mundial
 
CLIMARE
CLIMARECLIMARE
CLIMARE
 
Ft climas temperados
Ft climas temperadosFt climas temperados
Ft climas temperados
 
A especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugalA especificidade do clima em portugal
A especificidade do clima em portugal
 
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitaçãoMassas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
 
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofesFicha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
 
Ficha Informativa - Clima De Portugal
Ficha Informativa  - Clima De PortugalFicha Informativa  - Clima De Portugal
Ficha Informativa - Clima De Portugal
 
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
O Meio Natural - O Relevo (Geografia 7º ano)
 
A Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalA Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em Portugal
 
4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
 
3.Factores Climáticos
3.Factores Climáticos3.Factores Climáticos
3.Factores Climáticos
 
Ficha de Avaliação n.º 4 - Correção
Ficha de Avaliação n.º 4 - CorreçãoFicha de Avaliação n.º 4 - Correção
Ficha de Avaliação n.º 4 - Correção
 

Destaque

Fichas 10 e_13
Fichas 10 e_13Fichas 10 e_13
Fichas 10 e_13
Geografias Geo
 
8ºano ficha1
8ºano ficha18ºano ficha1
8ºano ficha1
Geografias Geo
 
7ºano ficha1
7ºano ficha17ºano ficha1
7ºano ficha1
Geografias Geo
 
8ºano ficha6
8ºano ficha68ºano ficha6
8ºano ficha6
Geografias Geo
 
Trabalho pesquisa3 8ºano
Trabalho pesquisa3 8ºanoTrabalho pesquisa3 8ºano
Trabalho pesquisa3 8ºano
Geografias Geo
 
Trabalho pesquisa3 7ºano
Trabalho pesquisa3 7ºanoTrabalho pesquisa3 7ºano
Trabalho pesquisa3 7ºano
Geografias Geo
 
Países capitais europa
Países capitais europaPaíses capitais europa
Países capitais europa
Geografias Geo
 
Teste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da EuropaTeste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da Europa
geopesquisapan
 
Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3
Geografias Geo
 
Ge 8ºano ficha1
Ge 8ºano ficha1Ge 8ºano ficha1
Ge 8ºano ficha1
Geografias Geo
 
Ge 8ºano ficha2
Ge 8ºano ficha2Ge 8ºano ficha2
Ge 8ºano ficha2
Geografias Geo
 
Ge 9ºano ficha1
Ge 9ºano ficha1Ge 9ºano ficha1
Ge 9ºano ficha1
Geografias Geo
 
Fichas 4 e_5
Fichas 4 e_5Fichas 4 e_5
Fichas 4 e_5
Geografias Geo
 
Ge 7ºano ficha1
Ge 7ºano ficha1Ge 7ºano ficha1
Ge 7ºano ficha1
Geografias Geo
 
Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3
Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3
Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3
Geografias Geo
 
Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3
Geografias Geo
 
Dicas para estudar
Dicas para estudarDicas para estudar
Dicas para estudar
Geografias Geo
 
1º Teste 2
1º  Teste 21º  Teste 2
1º Teste 2
Mayjö .
 
Ficha UE
Ficha UEFicha UE
1º Teste 3
1º Teste 31º Teste 3
1º Teste 3
Mayjö .
 

Destaque (20)

Fichas 10 e_13
Fichas 10 e_13Fichas 10 e_13
Fichas 10 e_13
 
8ºano ficha1
8ºano ficha18ºano ficha1
8ºano ficha1
 
7ºano ficha1
7ºano ficha17ºano ficha1
7ºano ficha1
 
8ºano ficha6
8ºano ficha68ºano ficha6
8ºano ficha6
 
Trabalho pesquisa3 8ºano
Trabalho pesquisa3 8ºanoTrabalho pesquisa3 8ºano
Trabalho pesquisa3 8ºano
 
Trabalho pesquisa3 7ºano
Trabalho pesquisa3 7ºanoTrabalho pesquisa3 7ºano
Trabalho pesquisa3 7ºano
 
Países capitais europa
Países capitais europaPaíses capitais europa
Países capitais europa
 
Teste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da EuropaTeste UE e regiões da Europa
Teste UE e regiões da Europa
 
Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3
 
Ge 8ºano ficha1
Ge 8ºano ficha1Ge 8ºano ficha1
Ge 8ºano ficha1
 
Ge 8ºano ficha2
Ge 8ºano ficha2Ge 8ºano ficha2
Ge 8ºano ficha2
 
Ge 9ºano ficha1
Ge 9ºano ficha1Ge 9ºano ficha1
Ge 9ºano ficha1
 
Fichas 4 e_5
Fichas 4 e_5Fichas 4 e_5
Fichas 4 e_5
 
Ge 7ºano ficha1
Ge 7ºano ficha1Ge 7ºano ficha1
Ge 7ºano ficha1
 
Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3
Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3
Resumos contrastes de_desenvolvimento_teste_3
 
Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3Fichas 1 2_e_3
Fichas 1 2_e_3
 
Dicas para estudar
Dicas para estudarDicas para estudar
Dicas para estudar
 
1º Teste 2
1º  Teste 21º  Teste 2
1º Teste 2
 
Ficha UE
Ficha UEFicha UE
Ficha UE
 
1º Teste 3
1º Teste 31º Teste 3
1º Teste 3
 

Semelhante a Corre 17 a_19

Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
Stéfano Silveira
 
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: ClimasProf Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Deto - Geografia
 
170 4c98e3103814d
170 4c98e3103814d170 4c98e3103814d
170 4c98e3103814d
Rodrigo Duque de Oliveira
 
Atividades sobre climas
Atividades sobre climasAtividades sobre climas
Atividades sobre climas
Atividades Diversas Cláudia
 
TRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTAL
TRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTALTRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTAL
TRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTAL
Thaís Mara
 
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Karol Schmitz
 
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos ClimáticosLista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Rogério Bartilotti
 
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exerciciosGeografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
Delmacy Cruz Souza
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
Lilian Larroca
 
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdfTemperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
WilderclayMachado1
 
Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40
ProfMario De Mori
 
climas do brasil e seus respectivos biomas
climas do brasil e seus respectivos biomasclimas do brasil e seus respectivos biomas
climas do brasil e seus respectivos biomas
RodrigoSaraiva28
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Saulo Lucena
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Rogério Bartilotti
 
Climas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanoClimas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºano
nonofrias
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
RILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e clima
Professor
 
Climatologia (Parte 1)
Climatologia  (Parte 1)Climatologia  (Parte 1)
Climatologia (Parte 1)
Hidrologia UFC
 
Clima boletim de stem 2020:09
Clima boletim de stem 2020:09Clima boletim de stem 2020:09
Clima boletim de stem 2020:09
Berta Maria Vieira
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
Kelmmany Wesley
 

Semelhante a Corre 17 a_19 (20)

Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
 
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: ClimasProf Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
 
170 4c98e3103814d
170 4c98e3103814d170 4c98e3103814d
170 4c98e3103814d
 
Atividades sobre climas
Atividades sobre climasAtividades sobre climas
Atividades sobre climas
 
TRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTAL
TRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTALTRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTAL
TRANSUSTAINABLE HOUSE - ANÁLISE DE CONFORTO AMBIENTAL
 
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
 
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos ClimáticosLista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
 
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exerciciosGeografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
 
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdfTemperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
 
Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40
 
climas do brasil e seus respectivos biomas
climas do brasil e seus respectivos biomasclimas do brasil e seus respectivos biomas
climas do brasil e seus respectivos biomas
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
 
Climas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanoClimas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºano
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e clima
 
Climatologia (Parte 1)
Climatologia  (Parte 1)Climatologia  (Parte 1)
Climatologia (Parte 1)
 
Clima boletim de stem 2020:09
Clima boletim de stem 2020:09Clima boletim de stem 2020:09
Clima boletim de stem 2020:09
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
 

Mais de Geografias Geo

Fichas 27 a_30
Fichas 27 a_30Fichas 27 a_30
Fichas 27 a_30
Geografias Geo
 
Fichas 25 a_28
Fichas 25 a_28Fichas 25 a_28
Fichas 25 a_28
Geografias Geo
 
Fichas 4 a_7
Fichas 4 a_7Fichas 4 a_7
Fichas 4 a_7
Geografias Geo
 
Problemas de escala
Problemas de escalaProblemas de escala
Problemas de escala
Geografias Geo
 
Fichas 5 6_e_7
Fichas 5 6_e_7Fichas 5 6_e_7
Fichas 5 6_e_7
Geografias Geo
 
Correção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAno
Correção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAnoCorreção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAno
Correção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAno
Geografias Geo
 
Fichas 25 a_26
Fichas 25 a_26Fichas 25 a_26
Fichas 25 a_26
Geografias Geo
 
Fichas 19 a_21
Fichas 19 a_21Fichas 19 a_21
Fichas 19 a_21
Geografias Geo
 
Fichas 12 a_15
Fichas 12 a_15Fichas 12 a_15
Fichas 12 a_15
Geografias Geo
 
Fichas 18 a_20
Fichas 18 a_20Fichas 18 a_20
Fichas 18 a_20
Geografias Geo
 
Ficha informativa recursos naturais
Ficha informativa recursos naturaisFicha informativa recursos naturais
Ficha informativa recursos naturais
Geografias Geo
 
Fichas 16 a_18
Fichas 16 a_18Fichas 16 a_18
Fichas 16 a_18
Geografias Geo
 
Fichas 8 a_11
Fichas 8 a_11Fichas 8 a_11
Fichas 8 a_11
Geografias Geo
 
Clima factores clima_ficinfor_intro
Clima factores clima_ficinfor_introClima factores clima_ficinfor_intro
Clima factores clima_ficinfor_intro
Geografias Geo
 
Fichas 16 e_17
Fichas 16 e_17Fichas 16 e_17
Fichas 16 e_17
Geografias Geo
 
Fichas 10 a_13
Fichas 10 a_13Fichas 10 a_13
Fichas 10 a_13
Geografias Geo
 
Ge 9ºano ficha3
Ge 9ºano ficha3Ge 9ºano ficha3
Ge 9ºano ficha3
Geografias Geo
 
Fichas 6 e_7
Fichas 6 e_7Fichas 6 e_7
Fichas 6 e_7
Geografias Geo
 
Ge 7ºano ficha3
Ge 7ºano ficha3Ge 7ºano ficha3
Ge 7ºano ficha3
Geografias Geo
 
Fichas 8 11_a_15
Fichas 8 11_a_15Fichas 8 11_a_15
Fichas 8 11_a_15
Geografias Geo
 

Mais de Geografias Geo (20)

Fichas 27 a_30
Fichas 27 a_30Fichas 27 a_30
Fichas 27 a_30
 
Fichas 25 a_28
Fichas 25 a_28Fichas 25 a_28
Fichas 25 a_28
 
Fichas 4 a_7
Fichas 4 a_7Fichas 4 a_7
Fichas 4 a_7
 
Problemas de escala
Problemas de escalaProblemas de escala
Problemas de escala
 
Fichas 5 6_e_7
Fichas 5 6_e_7Fichas 5 6_e_7
Fichas 5 6_e_7
 
Correção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAno
Correção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAnoCorreção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAno
Correção da 1ª parte da ficha 4 do Caderno de Atividades - 7.ºAno
 
Fichas 25 a_26
Fichas 25 a_26Fichas 25 a_26
Fichas 25 a_26
 
Fichas 19 a_21
Fichas 19 a_21Fichas 19 a_21
Fichas 19 a_21
 
Fichas 12 a_15
Fichas 12 a_15Fichas 12 a_15
Fichas 12 a_15
 
Fichas 18 a_20
Fichas 18 a_20Fichas 18 a_20
Fichas 18 a_20
 
Ficha informativa recursos naturais
Ficha informativa recursos naturaisFicha informativa recursos naturais
Ficha informativa recursos naturais
 
Fichas 16 a_18
Fichas 16 a_18Fichas 16 a_18
Fichas 16 a_18
 
Fichas 8 a_11
Fichas 8 a_11Fichas 8 a_11
Fichas 8 a_11
 
Clima factores clima_ficinfor_intro
Clima factores clima_ficinfor_introClima factores clima_ficinfor_intro
Clima factores clima_ficinfor_intro
 
Fichas 16 e_17
Fichas 16 e_17Fichas 16 e_17
Fichas 16 e_17
 
Fichas 10 a_13
Fichas 10 a_13Fichas 10 a_13
Fichas 10 a_13
 
Ge 9ºano ficha3
Ge 9ºano ficha3Ge 9ºano ficha3
Ge 9ºano ficha3
 
Fichas 6 e_7
Fichas 6 e_7Fichas 6 e_7
Fichas 6 e_7
 
Ge 7ºano ficha3
Ge 7ºano ficha3Ge 7ºano ficha3
Ge 7ºano ficha3
 
Fichas 8 11_a_15
Fichas 8 11_a_15Fichas 8 11_a_15
Fichas 8 11_a_15
 

Último

Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 

Último (20)

Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 

Corre 17 a_19

  • 1.   Unidade 4  O CLIMA  57 Ficha 17  Elaborar um gráfico termopluviométrico4Unidade Consulta as páginas 126 e 127 do teu manual. 1 Preparação do gráfico. No papel milimétrico da figura estão traçados três eixos: • No eixo horizontal, estão colocadas as iniciais de cada um dos meses do ano. • No eixo vertical da esquerda, estão representados os valores da temperatura em graus Celsius (ºC). • No eixo vertical da direita, estão representados os valores da precipitação em milímetros (mm). 2 Representação dos dados. 2.1 Constrói o gráfico termopluviométrico relativo à estação meteorológica de Barcelona, de acordo com as seguintes orientações e os dados do quadro abaixo. Temperatura — Representa-se colocando um ponto no centro do mês à altura do respetivo valor, na escala das temperaturas. Uma vez marcados todos os meses, unem-se os pontos com uma linha vermelha. Precipitação — Representa-se através de uma coluna de cor azul para cada mês. A altura da coluna deve coincidir com o respetivo valor, na escala das precipitações. Considera agora os dados registados na estação meteorológica de Barcelona (latitude: 41º N; altitude: 12 metros), que devem ser colocados no título do gráfico, assim como o nome da estação meteorológica. 30 25 20 15 10 5 70 60 50 40 30 20 10 Precipitação mm Temperatura °C J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N DMês 9,5 10,3 12,3 14,6 17,7 21,5 24,3 24,3 21,6 17,6 13,5 10,3T (ºC) 30 40 53 45 54 40 30 47 83 77 54 49P (mm) Repara que P 5 2T
  • 2. 58  Tema II  MEIO NATURAL J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N DJ F M A M J J A S O N D 50 40 30 20 10 0 240 230 220 210 200 190 180 170 160 150 140 130 120 110 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 50 40 30 20 10 0 180 170 160 150 140 130 120 110 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 50 40 30 20 10 0 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 (Latitude 37° 29' N; Longitude 5° 96' O;Altitude 30 m) SEVILHA, Espanha Temperatura/ºC Precipitação/mm (Latitude 7° 26' N; Longitude 16° 40' O;Altitude 27 m) IBADAN, Nigéria Temperatura/ºC Precipitação/mm (Latitude 60° 24' N; Longitude 5° 19' E;Altitude 43 m) BERGEN, Noruega Temperatura/ºC Precipitação/mm 3 De acordo com o quadro e o gráfico termopluviométrico que construíste no exercício anterior, responde às questões. 3.1 Localiza Barcelona num mapa. 3.2 Refere o mês em que se registou a temperatura média mais elevada. 3.3 Refere o mês em que se registou a temperatura média mais baixa. 3.4 Calcula o valor da amplitude térmica anual. 3.5 Refere os meses do ano em que se registaram os máximos de precipitação. 3.6 Menciona os meses do ano em que se registaram os mínimos de precipitação. 3.7 Enumera os meses secos. 3.8 Classifica o clima de Barcelona. 3.9 Menciona outras duas regiões europeias que apresentam o tipo de clima anteriormente apontado. 4 Observa os gráficos termopluviométricos. 4.1 Refere o gráfico que representa um clima semelhante ao de Barcelona. 4.2 Identifica o tipo de clima representado no gráfico B. 4.3 Refere o número de meses secos do clima C. Ficha 17 Realizei esta ficha em / / . A B C Julho e agosto (24,3 °C). Janeiro (9,5 °C). 24,3 – 9,5 = 14,8 °C Setembro e outubro. Janeiro e julho (30 mm). Há 3 meses secos: junho, julho e agosto. Clima temperado mediterrânico. Todo o sul da Europa, junto à bacia do mar Mediterrâneo. É o gráfico A, de Sevilha. Clima temperado marítimo. Ibadan tem 4 meses secos.
  • 3.   Unidade 4  O CLIMA  59 Ficha 18  Os climas4Unidade 1 Observa a figura, que mostra a distribuição da temperatura por zonas. 1.1 Faz corresponder cada um dos seguintes climas às diferentes zonas climáticas. Zona climática Tipo de clima Equatorial Tropical seco Mediterrânico Continental Subpolar 1.2 Descreve como se processa a variação da temperatura com a latitude. 1.3 Explica por que razão existe esta diferença de temperatura nas diferentes latitudes. Consulta as páginas 128 a 137 do teu manual. Equador Trópico de Câncer Círculo Polar Ártico Círculo Polar Antártico Trópico de Capricórnio Zonas frias Zonas frias Zonas temperadas Zonas temperadas Zonas quentes Em termos gerais, à medida que aumenta a latitude, diminui a temperatura. Desta forma, as regiões perto do equador são as mais quentes, enquanto a região polar é a mais fria. Existe uma variação zonal das temperaturas com a latitude que é consequência da variabilidade da obliquidade dos raios solares e da diferente duração dos dias e das noites. Nas regiões próximas do equador os raios solares são pouco oblíquos e, por isso, aquecem mais, enquanto nas regiões polares são muito oblíquos, pelo que aquecem pouco. Em relação à duração dos dias e das noites, nas regiões equatoriais a duração dos dias é sempre igual à das noites, enquanto nas altas latitudes ocorrem enormes variações, chegando a ser noite ou dia ao longo de vários meses seguidos. Quente Quente Temperada Temperada Fria
  • 4. 60  Tema II  MEIO NATURAL 2 Classifica as frases seguintes como verdadeiras (V) ou falsas (F). A. No clima temperado continental, o período mais seco corresponde à estação mais quente. B. As chuvas convectivas são características das regiões mais quentes. C. As precipitações no clima polar são abundantes e ocorrem ao longo de todo o ano. D. O clima equatorial tem elevadas amplitudes térmicas anuais. E. No interior dos continentes verificam-se amplitudes térmicas muito baixas. F. No clima temperado mediterrânico o período mais seco corresponde à estação mais quente. G. A amplitude térmica no clima tropical húmido é alta. H. No clima equatorial a duração dos dias é sempre igual à das noites. I. No clima desértico existe uma única estação do ano: quente e seca. J. O norte do Canadá e o norte da Sibéria correspondem ao clima temperado marítimo. 3 Assinala com uma cruz as palavras corretas, de forma a tornar verdadeiras as afirmações seguintes. A. O clima equatorial é   QUENTE   TEMPERADO e   CHUVOSO   SECO ; B. A precipitação é   RARA   FREQUENTE e ocorre todas as   MANHÃS   TARDES ; C. O estado de tempo é muito   DIFERENTE   SEMELHANTE de dia para dia e ao longo do ano; D. As amplitudes térmicas são muito   ELEVADAS   REDUZIDAS ; E. Os dias e as noites têm   IGUAL   DIFERENTE duração ao longo do ano; F. Nesta região, os raios solares são   MUITO   POUCO oblíquos, pelo que as temperaturas são sempre   ELEVADAS   REDUZIDAS ; G. Neste clima todos os meses são   SECOS   CHUVOSOS ; H. Os climas desérticos registam temperaturas médias mensais   ELEVADAS   REDUZIDAS ; I. A grande variação da temperatura ao longo do dia está na origem das   ELEVADAS   REDUZIDASamplitudes térmicas diárias; Ficha 18 F V F F F V F V V F X X X X X X X X X X X X
  • 5.   Unidade 4  O CLIMA  61 J. Este facto deve-se ao   REDUZIDO   ELEVADO efeito de estufa; K. A precipitação é   REDUZIDA   ELEVADA ao longo de todo o ano; L. O estado de tempo é muito   DIFERENTE   SEMELHANTE de dia para dia e ao longo do ano. 4 Após análise atenta dos gráficos, que representam locais do hemisfério norte, associa a cada um deles, com as letras A ou B, as características a seguir apresentadas. 5 O gráfico termopluviométrico seguinte refere-se a um determinado clima. 5.1 Identifica o clima representado. 5.2 Quantos meses secos tem este gráfico? Ficha 18 Equador Temperatura/ºC Precipitação/mm J F M A M J J A S O N D 50 40 30 20 10 0 180 170 160 150 140 130 120 110 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 J F M A M J J A S O N D 50 40 30 20 10 0 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 Temperatura/ºC Precipitação/mmA Temperatura/ºC Precipitação/mm J F M A M J J A S O N D 50 40 30 20 10 0 180 170 160 150 140 130 120 110 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 B 1. Quatro meses secos. 2. Número reduzido de meses secos. 3. Amplitude térmica anual reduzida. 4. Precipitação anual elevada. 5. Precipitação sobretudo no outono e no inverno. 6. Tipo de clima temperado mediterrânico. 7. Tipo de clima temperado marítimo. 8. É o gráfico a que pertence o clima do mapa. I X X X A B B B A A B A Tem 4 meses secos. Clima tropical húmido.
  • 6. 62  Tema II  MEIO NATURAL 5.3 Calcula a amplitude térmica (aproximada) neste local. 5.4 Refere em que altura do ano ocorre mais precipitação. 6 Lê com atenção o texto que se segue. 6.1 Identifica o clima referido no texto. 6.2 Explica a frase sublinhada no texto. 6.3 Caracteriza este clima em termos de precipitação e de temperatura. 7 Indica uma característica importante de cada um dos climas seguintes. A. Clima temperado marítimo — B. Clima temperado mediterrânico — C. Clima polar — D. Clima tropical seco — Ficha 18 A Dinamarca fica no norte da Europa. Ali, os invernos são longos e rigoro- sos, com noites muito compridas e dias curtos, pálidos e gelados. A neve cobre a terra e os telhados, os rios gelam, os pássaros emigram para os países do Sul à procura do Sol, as árvores perdem as suas folhas. Só os pinheiros continuam verdes no meio das florestas geladas e despidas. Só eles, com os seus ramos cobertos por agulhas duras e brilhantes, parecem vivos no meio do grande silên- cio imóvel e branco. Sophia de Mello Breyner Andresen, O Cavaleiro da Dinamarca (adaptado) Mar do Norte Mar Báltico Amesterdão Berlim VarsóviaALEMANHA SUÉCIA PAÍSES BAIXOS POLÓNIA DINAMARCA RÚSSIA Copenhaga VarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviaVarsóviVarsóviVarsóviVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóvVarsóVarsóVarsóVarsóVarsóVarsóVarsVarsVarsVarsVarsVarVarVaa Clima subpolar. As noites são muito compridas e os dias curtos, pálidos e gelados devido à diferente duração dos dias e das noites verificada nos locais de maior latitude, o que implica um reduzido aquecimento e, por isso, os dias são frios. Os dias são pálidos porque a obliquidade dos raios solares é muito grande, pelo que a quantidade de radiação solar recebida é muito reduzida. Os invernos são longos porque esta situação se mantém por largos meses. A temperatura é frequentemente baixa (invernos longos) e a precipitação ocorre muitas vezes sob a forma de neve. A amplitude térmica é de aproximadamente 7 °C. Nos meses de maio, junho, setembro e outubro. Ausência de meses secos; baixa amplitude térmica; invernos moderados. Verão longo, quente e seco; irregularidade da precipitação. Temperatura permanentemente baixa; precipitação muito rara; elevada amplitude térmica anual.              Duas estações, a estação seca é maior do que a húmida; temperatura elevada ao longo do ano; fraca amplitude térmica anual.
  • 7.   Unidade 4  O CLIMA  63 8 Observa o mapa seguinte, que localiza os principais desertos. 8.1 Refere o nome de dois dos principais desertos existentes no Mundo. 8.2 Assinala no mapa a localização desses desertos. 9 A partir das informações fornecidas, identifica os climas considerados. CLIMA 1 • As temperaturas muito baixas vão diminuindo com a altitude (gradiente térmico). • Durante o inverno, registam-se valores negativos. A temperatura raramente vai além dos 12 ºC. • Precipitação abundante ao longo de todo o ano, que ocorre normalmente sob a forma de neve. O clima é . CLIMA 2 • A temperatura média do mês mais quente não atinge os 22 ºC e a média do mês mais frio é sempre inferior a 0 ºC. • A amplitude térmica anual é muito elevada. • A precipitação é reduzida e é sobretudo de origem frontal. No inverno, ocorre quase sempre sob a forma de neve. Chove mais no verão. • Estações do ano: o verão é relativamente quente, mas curto, e o inverno é muito frio e prolongado. • Localização: sobretudo no centro da Europa e da Ásia. O clima é . CLIMA 3 • Tem influência marítima. • Os verões são frescos e temperados e a brisa marítima diminui as temperaturas. • Os invernos são suaves e a corrente quente do golfo ameniza as temperaturas. • Há reduzidas amplitudes térmicas. • Chove durante todo o ano, sobretudo no inverno. O clima é . Ficha 18 Realizei esta ficha em / / . Equador Desertos frios Desertos quentes 0 4800 km 1 — deserto do Sara, 2 — deserto do Calaári, 3 — deserto Arábico, entre outros. de alta montanha temperado continental temperado marítimo 2 31
  • 8. 64  Tema II  MEIO NATURAL 1 Observa as imagens e faz a sua legenda com a chave seguinte. Ficha 19  Os biomas4 Unidade Floresta boreal de coníferas Tundra Floresta equatorial Floresta caducifólia Deserto Savana A.  B.  C.  D.  E.  F.  Consulta as páginas 128 a 147 do teu manual. A C E B D F Floresta boreal de coníferas Deserto Savana Floresta equatorial Tundra Floresta caducifólia
  • 9.   Unidade 4  O CLIMA  65 2 Refere em que climas se encontram as paisagens das imagens da questão anterior. ClimaFotografia A B C D E F 3 Consulta o teu manual e faz corresponder cada animal aos respetivos biomas. 1 6 2 7 3 8 4 9 5 10 Elefante Foca Camelo Cabra-montês Girafa Pinguim Jaguar Lontra Tucano Lobo Animal Biomas 4 Faz corresponder cada espécie vegetal aos respetivos biomas (consulta as páginas 128 e 129 do teu manual). Ficha 19 A. F. B. G. C. H. D. I. E. J. Salgueiro-do-ártico Carvalho Magnólia Azinheira Embondeiro Figueira-da-índia Pinheiro Ébano Eucalipto Alfarrobeira Espécies vegetais 1. 6. 2. 7. 3. 8. 4. 9. 5. 10. Tundra Savana Floresta caducifólia Floresta mediterrânica Deserto Pradaria Floresta tropical Floresta equatorial Deserto gelado Floresta boreal de coníferas Biomas Subpolar Equatorial Desértico quente Subpolar/Polar Tropical seco Temperado marítimo Savana Deserto gelado Deserto Montanha Savana Deserto gelado Floresta tropical Floresta boreal de coníferas Floresta equatorial Floresta mediterrânica e caducifólia A E, C B J, D F — I H — G
  • 10. 66  Tema II  MEIO NATURAL 5 Lê com atenção o texto. 5.1 Identifica o bioma descrito no texto. 5.2 Enumera duas características deste ambiente. 5.3 Em que região do Mundo se poderia ter desenrolado a ação deste romance? 5.4 Estas regiões são agradáveis para se viver? Justifica a tua resposta. Ficha 19 Realizei esta ficha em / / . Abandonaram a última casa e entraram na floresta. Lá dentro chovia menos, mas caíam jorros mais grossos. A chuva não conseguia trespassar o espesso teto vegetal. Acumulava-se nas folhas e, quando os ramos cediam sob o peso, precipitava-se, aromatizada por todas as espécies. Caminhavam lentamente por causa do lamaçal […]. […] Apesar das palavras dos indígenas, semearam as primeiras sementes e não lhes levou muito tempo a descobrir que a terra era fraca. As constantes chuvas lavavam-na de tal forma que as plantas não recebiam o sustento necessário e morriam sem florescer, de debilidade, ou devoradas pelos insetos. Luís Sepúlveda, O Velho Que Lia Romances de Amor (adaptado) Floresta equatorial. Vegetação muito densa, luxuriante, grande efeito de sombra, ausência de sub-bosque. Na região junto ao equador (Amazónia). Não. As condições são repulsivas, com elevada temperatura e humidade, solos sempre encharcados, difícil circulação para o ser humano e efeito de sombra provocado pelas árvores.