SlideShare uma empresa Scribd logo
Fundamentos daFundamentos da
ClimatologiaClimatologia
Proporções Terra-SolProporções Terra-Sol
Zonas TérmicasZonas Térmicas
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima
MOVIMENTO DE TRANSLAÇÃO
Movimentos da TerraMovimentos da Terra
As Estações do AnoAs Estações do Ano
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima
A camada de ozônio
é uma espécie de
capa composta por
gás ozônio (O3),
sendo responsável
por filtrar cerca de
95% dos raios
ultravioleta B (UVB)
emitidos pelo Sol
que atingem a
Terra.
Camadas da AtmosferaCamadas da Atmosfera
-TempoTempo é uma combinação passageira dos elementos
do clima.
- ClimaClima é a sucessão habitual dos tipos de tempo.
Tempo e ClimaTempo e Clima
São as CARACTERÍSTICASARACTERÍSTICAS do clima.
- radiação solar,
- temperatura do ar,
- umidade do ar,
- pressão atmosférica,
- velocidade e direção do vento,
- precipitação.
Esse conjunto de variáveis descreve as condiçõesEsse conjunto de variáveis descreve as condições
atmosféricas em um dado local e instante.atmosféricas em um dado local e instante.
Elementos do ClimaElementos do Clima
São os DETERMINANTESDETERMINANTES do clima.
- latitude,
- altitude,
- continentalidade/ maritimidade,
- tipo de corrente oceânica (fria ou quente),
- radiação solar (dia/noite)
A radiação solar pode ser tomada como elemento ou fator do clima, poisA radiação solar pode ser tomada como elemento ou fator do clima, pois
quando a radiação solar influencia a variação diária da temperatura do ar estaquando a radiação solar influencia a variação diária da temperatura do ar esta
se torna um fator do clima, mas não deixa de ser, por natureza um elementose torna um fator do clima, mas não deixa de ser, por natureza um elemento
do clima.do clima.
Fatores do ClimaFatores do ClimaO que DETERMINA o clima – são FATORESO que DETERMINA o clima – são FATORES
E CARACTERIZAR, ELEMENTOSE CARACTERIZAR, ELEMENTOS
PARA DEFINIR UM CLIMA
TENHO QUE ESPECIFICAR
ALTITUDE, LATITUDE E INCIDÊNCIA SOLAR
SE EU CITAR TEMPERATURA,UMIDADE E
PRESSÃO
TÔ FALANDO DE ELEMENTOS, COMO A
PRECIPITAÇÃO
Latitude e TemperaturasLatitude e Temperaturas
Altitude e Clima - OROGRAFIAAltitude e Clima - OROGRAFIA
Monte Kilimanjaro – Quênia - África
Campos do Jordão = 1.600 m – 04/05/12
08:00 = 11°C min 7° e max 11°
São Paulo = 800m – 04/05/12
08:00 = 15°C min 13° e max 24°
Altitude e ClimaAltitude e Clima
Referem-se ao afastamento de uma área em relação às grandes massa líquidas:
mares e oceanos. Quanto mais afastado do mar for um local, maior será a sua
continentalidade. A continentalidade aumenta a amplitude térmica (diária e anual)
de um lugar.
Maritimidade e ContinentalidadeMaritimidade e Continentalidade
Brisas e a MaritimidadeBrisas e a Maritimidade
LitorâneaLitorânea
É a força que o ar exerce sobre a superfície terrestre. Em geral,
ela é menor nos lugares mais altos e nas regiões quentes. A
altitude e a temperatura interferem na pressão atmosférica:
- altitude: Quanto menor a altitude maior o volume de gases
sobre a superfície, portanto maior pressão. Na mediada em que
a altitude é maior, menor pressão porque a densidade é menor.
- temperatura: ar aquecido sofre dilatação, tornando-se mais
leve e por isso, o ar ascende.
Pressão AtmosféricaPressão Atmosférica
É o ar em movimento. São as diferenças de pressão
atmosférica que explicam esse movimento, que ocorre
principalmente na horizontal, isto é, de uma área para outra.
Mas esse movimento também pode ser vertical, ou seja, da
superfície, onde o ar é mais aquecido, para as elevadas
altitudes
VentosVentos
É a água em suspensão no ar atmosférico. O ar tem uma
capacidade limite, quando atingido, fica saturado. O ar quente
tem maior capacidade de conter maior vapor de água do que
o ar frio. Quando o ar saturado enfrenta uma diminuição de
temperatura ele condensa originando o orvalho, as nuvens, a
neve, o nevoeiro e a chuva.
Umidade do ArUmidade do Ar
A chuva, a neve, a geada, o orvalho e o granizo, são formas de
precipitação. Todas resultam da condensação, fenômeno que
ocorre quando há resfriamento ou excesso de vapor de água.
Chuva de granizo
PrecipitaçãoPrecipitação
Massas de ar são porções da atmosfera que apresentam
características particulares de temperatura, pressão e umidade.
Massas de ArMassas de Ar
São cinco as principais massas de ar que interferemSão cinco as principais massas de ar que interferem
no clima brasileiro.no clima brasileiro.
•mEc (massa equatorial continental) – quente e úmida
•mTc (massa tropical continental) – quente e seca
•mEa (massa equatorial atlântica) – quente e úmida
•mTa (massa tropical atlântica) – quente e úmida
•mPa (massa polar atlântica) – fria e úmida no inverno
provoca frio e chuva no Sul e Sudeste; chuvas no
Nordeste (litoral e sertão) e friagem no Norte. No verão
provoca chuva.
Circulação Geral da AtmosferaCirculação Geral da Atmosfera
ZCIT – Zona deZCIT – Zona de
Convergência IntertropicalConvergência Intertropical
1 – Equatorial
2 – Tropical
3 – Tropical de Altitude
4 – Tropical Atlântico/Úmido
5 – Semi-Árido
6- Subtropical
Classificação de Arthur StrahlerClassificação de Arthur Strahler
-Inverno rigoroso
- chuvas distribuídas regularmente pelo ano
todo, com índices pluviométricos superiores
os 1.250 mm ao ano
-duas estações bens definidas: verão quente
e chuvoso; inverno seco.
-amplitude térmica oscilando entre 5°C e 6°C
-Quantidade de chuvas é de 1.500 mm ao
ano.
-2 estações bens definidas:verão quente e
chuvoso; inverno seco.
-temperatura mediana o no verão e baixa no
inverno.
-Temperaturas elevadas
-Chuvas escassas e irregulares, com uma
média anual inferior a 750mm.
-elevada temperatura e pequena amplitude
térmica, variando entre 24°C e 26°C
- Alta pluviosidade, com índices
pluviométricos superiores a 2.000 mm.
-2 estações bens definidas:verão quente e
chuvoso; inverno frio e com alta
pluviosidade.
Clima tropical
atlânticoClima equatorial
Clima tropical
tropical de altitude Semi-Árido
Subtropical
Clima tropical
atlântico
Clima equatorial Clima tropical tropical de altitude
Semi-Árido Subtropical
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima
POLARES – Ocorrem em latitudes extremas, próximo aos círculos polares Ártico e Antártico,
grande variação da duração do dia e da noite. Baixas temperaturas o ano todo, máxima de
10°C no verão.
TEMPERADOS – Apresentam as quatro estações bem definidas. Há diferenças entre os
locais próximos e os que estão longe do mar.
MEDITERRÂNEOS – Verões quentes e secos e invernos amenos e chuvosos. Chuvas de
outono e no inverno.
TROPICAIS – Quentes o ano inteiro; duas estações: verão chuvoso e inverno seco.
Apresentam variações em função da altitude, da maritimidade e da continentalidade.
EQUATORIAIS – Temperaturas elevadas e chuvas abundantes o ano todo, com pequena
amplitude térmica anual.
SUBTROPICAIS – Das médias latitudes onde começam a se delinear as quatro estações.
Chuvas bem distribuídas, verões quentes e invernos frios, com significativa amplitude
térmica anual.
ÁRIDOS – Extrema falta de umidade, elevadas amplitudes térmicas diária e sazonal.
Chuvas inferiores a 250mm. anuais.
SEMI-ÁRIDOS – São climas de transição. Chuvas escassas e irregulares. Encontrados tanto
nas regiões tropicais quanto nas zonas temperadas (onde apresentam invernos frios).
FENÔMENOS CLIMÁTICOS: El Niño e La Niña
FENÔMENOS CLIMÁTICOS: frente fria
FENÔMENOS CLIMÁTICOS: ilhas de calor
FENÔMENOS CLIMÁTICOS: inversão térmica
VERÃO – superfície aquecida INVERNO – superfície FRIA
FENÔMENOS CLIMÁTICOS: Monções
verão
inverno
Treino
1(UPE) A atmosfera terrestre não se encontra em repouso, mas, em
frequente dinamismo, que é materializado, sobretudo, pelos fluxos de
ar. Com relação a esse assunto, observe a figura a seguir:
Com base nas informações contidas na ilustração, analise as seguintes
afirmativas:
I. A região correspondente à ilustração encontra-se situada no
hemisfério sul da Terra.
II. A área indicada pela letra A é um anticiclone, no qual os ventos
são subsidentes e divergentes.
III. A área indicada pela letra B corresponde à zona de divergência
dos alísios austrais.
IV. Em áreas como a indicada pela letra B, o ar é ascendente,
resfria-se e pode formar nuvens mais ou menos desenvolvidas.
V. As áreas que ficam permanentemente sob a influência do
sistema atmosférico A correspondem, em geral, às superfícies
desérticas ou subdesérticas.
Estão CORRETAS
a) I e V. b) II e III. c) I, III e IV. d) II, IV e V. e) I, II, III e IV.
2- (UPE) Leia a frase a seguir: Mesmo um pequeno
aumento na temperatura da superfície oceânica pode
transformar mais perturbações tropicais em furacões,
além de tornar uma tempestade já em andamento mais
intensa e aumentar sua precipitação.
Sobre essa frase, analise as afirmativas a seguir:
I. Ela está incorretamente formulada, pois os furacões
independem da temperatura da superfície marinha.
II. Ela está incorreta, pois uma perturbação tropical não
pode evoluir para um furacão, exceto no hemisfério
meridional.
.
III. Ela está correta, pois os ciclones ou furacões tropicais
são fortemente influenciados pelas temperaturas da
superfície oceânica
IV. Ela está correta, porque o fato nela descrito aplica-se,
plenamente, à faixa tropical atlântica do Hemisfério
Norte.
V. Se realmente ocorrer o aquecimento global, poderá
acontecer um agravamento da intensidade dos ciclones
tropicais, logo a frase está correta.
Está CORRETO apenas o que se afirma em
a) I e II. b) III e V. c) III, IV e V. d) II. e) III.
3- Unicap
Com relação a este mapa, o que pode ou não ser dito?
0 – 0 Ele está mostrando, didaticamente, o mecanismo das monções
que atingem uma parcela considerável do planeta.
1 – 1 As anomalias térmicas observadas na superfície terrestre
acarretam o fenômeno climático denominado “El Niño”, que,
inclusive, atinge indiretamente o Brasil.
2 – 2 Quando o fenômeno representado se consuma, a parte
ocidental da América do Sul recebe pesados aguaceiros, a exemplo do
Peru e do Equador, enquanto as secas podem acontecer no Nordeste
brasileiro.
3 – 3 Os ventos que estão soprando do centro da ilustração para a
esquerda são vórtices ciclônicos responsáveis por tempo estável na
Oceania.
4 – 4 Quando o fenômeno representado se verifica, chove apenas
sobre a massa oceânica, mas são chuvas frontais de grande
4- (URCA) Marque a única assertiva que traz somente
fatores climáticos, isto é, aqueles que contribuem para
determinar as condições climáticas de uma região do
globo.
a) Correntes marítimas, temperatura do ar, umidade
relativa do ar e amplitude térmica.
b) Latitude, pressão altitude, hidrografia e massas de ar.
c) Altitude, massas de ar, maritimidade e latitude.
d) Hidrografia, correntes marítimas, latitude e pressão.
e) Temperatura do ar, umidade relativa do ar, insolação e
média térmica.
5- (UFPE) A construção de amplas áreas
urbanizadas na superfície terrestre acarretou
profundas alterações no quadro natural dos
sítios urbanos, como as que podemos verificar
na ilustração a seguir. Uma alteração
importante se deu exatamente no sistema
climático.
Os determinantes urbanos que implicam
alterações no clima local urbano são:
0-0) impermeabilização do solo.
1-1) utilização massiva de concreto.
2-2) alterações no albedo superficial.
3-3) modificações no teor de umidade do ar.
4-4) disposição de prédios, casas e avenidas.
6- (UFAL)
A figura mostra um problema ambiental que exige,
para a sua solução, mudanças no processo de
ocupação do espaço geográfico. A ocupação do solo e
as edificações precisam se adequar as exigências
ambientais que preservam a circulação do ar e
permitem maior reflexão dos raios solares, só assim
haverá a diminuição
a) do desmatamento.
b) da chuva ácida.
c) da ilha de calor urbano.
d) do acúmulo de lixo.
e) da poluição dos rios.
7- (PUC-RJ)
Levando-se em consideração a paisagem selecionada, a única
característica climática correta para a região destacada é:
a) alta amplitude térmica.
b) elevada evapotranspiração.
c) reduzida taxa de insolação.
d) inexistência de pluviosidade.
e) intensa umidade relativa do ar.
8- (UFLA) As colunas abaixo apresentam elementos
climáticos e fatores climáticos. Associe as duas
colunas.
Assinale a alternativa que apresenta a
sequência CORRETA.
a) 2 – 1 – 1 – 2 – 2
b) 1 – 1 – 2 – 1 – 1
c) 2 – 2 – 1 – 1 – 1
9-(UFRN) No dia 19 de junho de 2010, a cidade do Rio de Janeiro
amanheceu sob a influência de um forte nevoeiro, que dificultava
a visibilidade, interferindo no ritmo das atividades urbanas. O ar
quente permaneceu acima da camada de ar frio, que ficou retida
nas proximidades da superfície, favorecendo a concentração de
poluentes. O que foi vivenciado nesta cidade é um fenômeno
climático que pode ocorrer em qualquer época do ano, sendo
mais comum no inverno. Nessa época, as chuvas são mais raras,
dificultando, ainda mais, a dispersão dos poluentes, o que causa
um problema ambiental.
O fenômeno climático descrito no texto é conhecido como,
a) efeito estufa.
c) ilhas de calor.
c) inversão térmica.
10(UESPI) A figura a seguir está representando um
importante fenômeno climático. Assinale-o.
a) A formação de ciclones extratropicais.
b) A gênese das chuvas frontais.
c) A origem da Zona de Convergência Intertropical.
d) A dispersão de uma frente fria.
RECUPERAÇÃO
EMPREENDEDORISMO
TRABALHO – TEMA: O que é empreendedorismo e
atitude empreendedora.
ESTRUTURA: Papel pautado, capa, desenvolvimento
e referências
ENTREGA: 23/04/2018 ( NÃO SERÃO ACEITOS EM
DATAS POSTERIORES)
Exercício de Revisão

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
Blog do Prof. Elienai
 
Atmosfera terrestre - Geografia
Atmosfera terrestre - GeografiaAtmosfera terrestre - Geografia
Atmosfera terrestre - Geografia
Positivo e Sesi
 
Atmosfera, tempo e fatores climáticos
Atmosfera, tempo e fatores climáticosAtmosfera, tempo e fatores climáticos
Atmosfera, tempo e fatores climáticos
Professor
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
Roberta Sumar
 
1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima
ceama
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
karolpoa
 
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Yasmim Ribeiro
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
Carolina Corrêa
 
Geografia solstícios e equinócios
Geografia   solstícios e equinóciosGeografia   solstícios e equinócios
Geografia solstícios e equinócios
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Atmosfera camadas
Atmosfera camadasAtmosfera camadas
Atmosfera camadas
edsonluz
 
Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
Stéfano Silveira
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
André Luiz Marques
 
O Clima - 6º Ano (2016)
O Clima - 6º Ano (2016)O Clima - 6º Ano (2016)
O Clima - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
Relevo
RelevoRelevo
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Professor
 
Fatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticosFatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticos
ETEC de Barueri
 
Tectonica Placas
Tectonica PlacasTectonica Placas
Tectonica Placas
Sérgio Luiz
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
Guilherme Drumond
 
Clima E Climas Do Brasil Aula
Clima E Climas Do Brasil   AulaClima E Climas Do Brasil   Aula
Clima E Climas Do Brasil Aula
Luciano Pessanha
 
Evolução da atmosfera - contaminação e toxicidade
Evolução da atmosfera - contaminação e toxicidadeEvolução da atmosfera - contaminação e toxicidade
Evolução da atmosfera - contaminação e toxicidade
Rita Pereira
 

Mais procurados (20)

Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
 
Atmosfera terrestre - Geografia
Atmosfera terrestre - GeografiaAtmosfera terrestre - Geografia
Atmosfera terrestre - Geografia
 
Atmosfera, tempo e fatores climáticos
Atmosfera, tempo e fatores climáticosAtmosfera, tempo e fatores climáticos
Atmosfera, tempo e fatores climáticos
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
 
1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
 
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
 
Geografia solstícios e equinócios
Geografia   solstícios e equinóciosGeografia   solstícios e equinócios
Geografia solstícios e equinócios
 
Atmosfera camadas
Atmosfera camadasAtmosfera camadas
Atmosfera camadas
 
Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
O Clima - 6º Ano (2016)
O Clima - 6º Ano (2016)O Clima - 6º Ano (2016)
O Clima - 6º Ano (2016)
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Fatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticosFatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticos
 
Tectonica Placas
Tectonica PlacasTectonica Placas
Tectonica Placas
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
 
Clima E Climas Do Brasil Aula
Clima E Climas Do Brasil   AulaClima E Climas Do Brasil   Aula
Clima E Climas Do Brasil Aula
 
Evolução da atmosfera - contaminação e toxicidade
Evolução da atmosfera - contaminação e toxicidadeEvolução da atmosfera - contaminação e toxicidade
Evolução da atmosfera - contaminação e toxicidade
 

Semelhante a Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima

Climatologia geográfica
Climatologia geográficaClimatologia geográfica
Climatologia geográfica
Gustavo Silva de Souza
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
marcokiko84
 
Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2
Christie Freitas
 
6º ano unidade 6
6º ano unidade 6 6º ano unidade 6
6º ano unidade 6
Beth Pettersen
 
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e TempoUnidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Christie Freitas
 
3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt
SarahAlves89
 
Fundamentos da climatologia
Fundamentos da climatologiaFundamentos da climatologia
Fundamentos da climatologia
Beatriz Ramos
 
Clima
ClimaClima
Clima
LUIS ABREU
 
Aula 1 climatologia_parte_1_enviar
Aula 1 climatologia_parte_1_enviarAula 1 climatologia_parte_1_enviar
Aula 1 climatologia_parte_1_enviar
caduisolada
 
Clima
ClimaClima
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
Renato Brasil
 
Climatologia (Parte 1)
Climatologia  (Parte 1)Climatologia  (Parte 1)
Climatologia (Parte 1)
Hidrologia UFC
 
Tempo e Clima
Tempo e ClimaTempo e Clima
Tempo e Clima
ceama
 
Resumos geografia climas
Resumos geografia climasResumos geografia climas
Resumos geografia climas
Goreti Carvalho
 
06092018072941290.pdf
06092018072941290.pdf06092018072941290.pdf
06092018072941290.pdf
EdicarlosDourado
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
André Luiz Marques
 
1 ano clima
1 ano clima1 ano clima
1 ano clima
Geová da Silva
 
CLIMATOLOGIA.ppt
CLIMATOLOGIA.pptCLIMATOLOGIA.ppt
CLIMATOLOGIA.ppt
AlissonVinicius15
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
Lilian Larroca
 
Aula introdução a climatologia 1
Aula   introdução a climatologia 1Aula   introdução a climatologia 1
Aula introdução a climatologia 1
Omar Fürst
 

Semelhante a Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima (20)

Climatologia geográfica
Climatologia geográficaClimatologia geográfica
Climatologia geográfica
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
 
Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2
 
6º ano unidade 6
6º ano unidade 6 6º ano unidade 6
6º ano unidade 6
 
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e TempoUnidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
 
3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt
 
Fundamentos da climatologia
Fundamentos da climatologiaFundamentos da climatologia
Fundamentos da climatologia
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Aula 1 climatologia_parte_1_enviar
Aula 1 climatologia_parte_1_enviarAula 1 climatologia_parte_1_enviar
Aula 1 climatologia_parte_1_enviar
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
 
Climatologia (Parte 1)
Climatologia  (Parte 1)Climatologia  (Parte 1)
Climatologia (Parte 1)
 
Tempo e Clima
Tempo e ClimaTempo e Clima
Tempo e Clima
 
Resumos geografia climas
Resumos geografia climasResumos geografia climas
Resumos geografia climas
 
06092018072941290.pdf
06092018072941290.pdf06092018072941290.pdf
06092018072941290.pdf
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
 
1 ano clima
1 ano clima1 ano clima
1 ano clima
 
CLIMATOLOGIA.ppt
CLIMATOLOGIA.pptCLIMATOLOGIA.ppt
CLIMATOLOGIA.ppt
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
 
Aula introdução a climatologia 1
Aula   introdução a climatologia 1Aula   introdução a climatologia 1
Aula introdução a climatologia 1
 

Mais de Saulo Lucena

Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Saulo Lucena
 
Biogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientais
Biogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientaisBiogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientais
Biogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientais
Saulo Lucena
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Saulo Lucena
 
Genero e sexualidade - Aula Completa de Sociologia
Genero e sexualidade - Aula Completa de SociologiaGenero e sexualidade - Aula Completa de Sociologia
Genero e sexualidade - Aula Completa de Sociologia
Saulo Lucena
 
Geologia e geomorfologia - Aula e exercícios
Geologia e geomorfologia - Aula e exercíciosGeologia e geomorfologia - Aula e exercícios
Geologia e geomorfologia - Aula e exercícios
Saulo Lucena
 
Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.
Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.
Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.
Saulo Lucena
 
Espaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de Geografia
Espaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de GeografiaEspaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de Geografia
Espaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de Geografia
Saulo Lucena
 
Geopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo Lucena
Geopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo LucenaGeopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo Lucena
Geopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo Lucena
Saulo Lucena
 
Fundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completa
Fundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completaFundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completa
Fundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completa
Saulo Lucena
 
Tecnologia e educacao
Tecnologia e educacaoTecnologia e educacao
Tecnologia e educacao
Saulo Lucena
 

Mais de Saulo Lucena (10)

Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
Biogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientais
Biogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientaisBiogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientais
Biogeografia- biomas brasileiros e impactos ambientais
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
 
Genero e sexualidade - Aula Completa de Sociologia
Genero e sexualidade - Aula Completa de SociologiaGenero e sexualidade - Aula Completa de Sociologia
Genero e sexualidade - Aula Completa de Sociologia
 
Geologia e geomorfologia - Aula e exercícios
Geologia e geomorfologia - Aula e exercíciosGeologia e geomorfologia - Aula e exercícios
Geologia e geomorfologia - Aula e exercícios
 
Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.
Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.
Blocos e Globalização; Tipos de Blocos Econômicos.
 
Espaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de Geografia
Espaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de GeografiaEspaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de Geografia
Espaco global e a ordem mundial - Aula do prof. Saulo Lucena de Geografia
 
Geopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo Lucena
Geopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo LucenaGeopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo Lucena
Geopolitica global - Aula de Geografia do Prof. Saulo Lucena
 
Fundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completa
Fundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completaFundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completa
Fundamentos da cartografia - Saulo Lucena- Aula completa
 
Tecnologia e educacao
Tecnologia e educacaoTecnologia e educacao
Tecnologia e educacao
 

Último

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classificações do clima

  • 5. MOVIMENTO DE TRANSLAÇÃO Movimentos da TerraMovimentos da Terra
  • 6. As Estações do AnoAs Estações do Ano
  • 9. A camada de ozônio é uma espécie de capa composta por gás ozônio (O3), sendo responsável por filtrar cerca de 95% dos raios ultravioleta B (UVB) emitidos pelo Sol que atingem a Terra. Camadas da AtmosferaCamadas da Atmosfera
  • 10. -TempoTempo é uma combinação passageira dos elementos do clima. - ClimaClima é a sucessão habitual dos tipos de tempo. Tempo e ClimaTempo e Clima
  • 11. São as CARACTERÍSTICASARACTERÍSTICAS do clima. - radiação solar, - temperatura do ar, - umidade do ar, - pressão atmosférica, - velocidade e direção do vento, - precipitação. Esse conjunto de variáveis descreve as condiçõesEsse conjunto de variáveis descreve as condições atmosféricas em um dado local e instante.atmosféricas em um dado local e instante. Elementos do ClimaElementos do Clima
  • 12. São os DETERMINANTESDETERMINANTES do clima. - latitude, - altitude, - continentalidade/ maritimidade, - tipo de corrente oceânica (fria ou quente), - radiação solar (dia/noite) A radiação solar pode ser tomada como elemento ou fator do clima, poisA radiação solar pode ser tomada como elemento ou fator do clima, pois quando a radiação solar influencia a variação diária da temperatura do ar estaquando a radiação solar influencia a variação diária da temperatura do ar esta se torna um fator do clima, mas não deixa de ser, por natureza um elementose torna um fator do clima, mas não deixa de ser, por natureza um elemento do clima.do clima. Fatores do ClimaFatores do ClimaO que DETERMINA o clima – são FATORESO que DETERMINA o clima – são FATORES E CARACTERIZAR, ELEMENTOSE CARACTERIZAR, ELEMENTOS PARA DEFINIR UM CLIMA TENHO QUE ESPECIFICAR ALTITUDE, LATITUDE E INCIDÊNCIA SOLAR SE EU CITAR TEMPERATURA,UMIDADE E PRESSÃO TÔ FALANDO DE ELEMENTOS, COMO A PRECIPITAÇÃO
  • 14. Altitude e Clima - OROGRAFIAAltitude e Clima - OROGRAFIA Monte Kilimanjaro – Quênia - África
  • 15. Campos do Jordão = 1.600 m – 04/05/12 08:00 = 11°C min 7° e max 11° São Paulo = 800m – 04/05/12 08:00 = 15°C min 13° e max 24° Altitude e ClimaAltitude e Clima
  • 16. Referem-se ao afastamento de uma área em relação às grandes massa líquidas: mares e oceanos. Quanto mais afastado do mar for um local, maior será a sua continentalidade. A continentalidade aumenta a amplitude térmica (diária e anual) de um lugar. Maritimidade e ContinentalidadeMaritimidade e Continentalidade
  • 17. Brisas e a MaritimidadeBrisas e a Maritimidade LitorâneaLitorânea
  • 18. É a força que o ar exerce sobre a superfície terrestre. Em geral, ela é menor nos lugares mais altos e nas regiões quentes. A altitude e a temperatura interferem na pressão atmosférica: - altitude: Quanto menor a altitude maior o volume de gases sobre a superfície, portanto maior pressão. Na mediada em que a altitude é maior, menor pressão porque a densidade é menor. - temperatura: ar aquecido sofre dilatação, tornando-se mais leve e por isso, o ar ascende. Pressão AtmosféricaPressão Atmosférica
  • 19. É o ar em movimento. São as diferenças de pressão atmosférica que explicam esse movimento, que ocorre principalmente na horizontal, isto é, de uma área para outra. Mas esse movimento também pode ser vertical, ou seja, da superfície, onde o ar é mais aquecido, para as elevadas altitudes VentosVentos
  • 20. É a água em suspensão no ar atmosférico. O ar tem uma capacidade limite, quando atingido, fica saturado. O ar quente tem maior capacidade de conter maior vapor de água do que o ar frio. Quando o ar saturado enfrenta uma diminuição de temperatura ele condensa originando o orvalho, as nuvens, a neve, o nevoeiro e a chuva. Umidade do ArUmidade do Ar
  • 21. A chuva, a neve, a geada, o orvalho e o granizo, são formas de precipitação. Todas resultam da condensação, fenômeno que ocorre quando há resfriamento ou excesso de vapor de água. Chuva de granizo PrecipitaçãoPrecipitação
  • 22. Massas de ar são porções da atmosfera que apresentam características particulares de temperatura, pressão e umidade. Massas de ArMassas de Ar
  • 23. São cinco as principais massas de ar que interferemSão cinco as principais massas de ar que interferem no clima brasileiro.no clima brasileiro. •mEc (massa equatorial continental) – quente e úmida •mTc (massa tropical continental) – quente e seca •mEa (massa equatorial atlântica) – quente e úmida •mTa (massa tropical atlântica) – quente e úmida •mPa (massa polar atlântica) – fria e úmida no inverno provoca frio e chuva no Sul e Sudeste; chuvas no Nordeste (litoral e sertão) e friagem no Norte. No verão provoca chuva.
  • 24. Circulação Geral da AtmosferaCirculação Geral da Atmosfera
  • 25. ZCIT – Zona deZCIT – Zona de Convergência IntertropicalConvergência Intertropical
  • 26. 1 – Equatorial 2 – Tropical 3 – Tropical de Altitude 4 – Tropical Atlântico/Úmido 5 – Semi-Árido 6- Subtropical Classificação de Arthur StrahlerClassificação de Arthur Strahler
  • 27. -Inverno rigoroso - chuvas distribuídas regularmente pelo ano todo, com índices pluviométricos superiores os 1.250 mm ao ano -duas estações bens definidas: verão quente e chuvoso; inverno seco. -amplitude térmica oscilando entre 5°C e 6°C -Quantidade de chuvas é de 1.500 mm ao ano. -2 estações bens definidas:verão quente e chuvoso; inverno seco. -temperatura mediana o no verão e baixa no inverno. -Temperaturas elevadas -Chuvas escassas e irregulares, com uma média anual inferior a 750mm. -elevada temperatura e pequena amplitude térmica, variando entre 24°C e 26°C - Alta pluviosidade, com índices pluviométricos superiores a 2.000 mm. -2 estações bens definidas:verão quente e chuvoso; inverno frio e com alta pluviosidade. Clima tropical atlânticoClima equatorial Clima tropical tropical de altitude Semi-Árido Subtropical
  • 28. Clima tropical atlântico Clima equatorial Clima tropical tropical de altitude Semi-Árido Subtropical
  • 30. POLARES – Ocorrem em latitudes extremas, próximo aos círculos polares Ártico e Antártico, grande variação da duração do dia e da noite. Baixas temperaturas o ano todo, máxima de 10°C no verão. TEMPERADOS – Apresentam as quatro estações bem definidas. Há diferenças entre os locais próximos e os que estão longe do mar. MEDITERRÂNEOS – Verões quentes e secos e invernos amenos e chuvosos. Chuvas de outono e no inverno. TROPICAIS – Quentes o ano inteiro; duas estações: verão chuvoso e inverno seco. Apresentam variações em função da altitude, da maritimidade e da continentalidade. EQUATORIAIS – Temperaturas elevadas e chuvas abundantes o ano todo, com pequena amplitude térmica anual. SUBTROPICAIS – Das médias latitudes onde começam a se delinear as quatro estações. Chuvas bem distribuídas, verões quentes e invernos frios, com significativa amplitude térmica anual. ÁRIDOS – Extrema falta de umidade, elevadas amplitudes térmicas diária e sazonal. Chuvas inferiores a 250mm. anuais. SEMI-ÁRIDOS – São climas de transição. Chuvas escassas e irregulares. Encontrados tanto nas regiões tropicais quanto nas zonas temperadas (onde apresentam invernos frios).
  • 31. FENÔMENOS CLIMÁTICOS: El Niño e La Niña
  • 34. FENÔMENOS CLIMÁTICOS: inversão térmica VERÃO – superfície aquecida INVERNO – superfície FRIA
  • 36. Treino 1(UPE) A atmosfera terrestre não se encontra em repouso, mas, em frequente dinamismo, que é materializado, sobretudo, pelos fluxos de ar. Com relação a esse assunto, observe a figura a seguir: Com base nas informações contidas na ilustração, analise as seguintes afirmativas:
  • 37. I. A região correspondente à ilustração encontra-se situada no hemisfério sul da Terra. II. A área indicada pela letra A é um anticiclone, no qual os ventos são subsidentes e divergentes. III. A área indicada pela letra B corresponde à zona de divergência dos alísios austrais. IV. Em áreas como a indicada pela letra B, o ar é ascendente, resfria-se e pode formar nuvens mais ou menos desenvolvidas. V. As áreas que ficam permanentemente sob a influência do sistema atmosférico A correspondem, em geral, às superfícies desérticas ou subdesérticas. Estão CORRETAS a) I e V. b) II e III. c) I, III e IV. d) II, IV e V. e) I, II, III e IV.
  • 38. 2- (UPE) Leia a frase a seguir: Mesmo um pequeno aumento na temperatura da superfície oceânica pode transformar mais perturbações tropicais em furacões, além de tornar uma tempestade já em andamento mais intensa e aumentar sua precipitação. Sobre essa frase, analise as afirmativas a seguir: I. Ela está incorretamente formulada, pois os furacões independem da temperatura da superfície marinha. II. Ela está incorreta, pois uma perturbação tropical não pode evoluir para um furacão, exceto no hemisfério meridional. .
  • 39. III. Ela está correta, pois os ciclones ou furacões tropicais são fortemente influenciados pelas temperaturas da superfície oceânica IV. Ela está correta, porque o fato nela descrito aplica-se, plenamente, à faixa tropical atlântica do Hemisfério Norte. V. Se realmente ocorrer o aquecimento global, poderá acontecer um agravamento da intensidade dos ciclones tropicais, logo a frase está correta. Está CORRETO apenas o que se afirma em a) I e II. b) III e V. c) III, IV e V. d) II. e) III.
  • 41. Com relação a este mapa, o que pode ou não ser dito? 0 – 0 Ele está mostrando, didaticamente, o mecanismo das monções que atingem uma parcela considerável do planeta. 1 – 1 As anomalias térmicas observadas na superfície terrestre acarretam o fenômeno climático denominado “El Niño”, que, inclusive, atinge indiretamente o Brasil. 2 – 2 Quando o fenômeno representado se consuma, a parte ocidental da América do Sul recebe pesados aguaceiros, a exemplo do Peru e do Equador, enquanto as secas podem acontecer no Nordeste brasileiro. 3 – 3 Os ventos que estão soprando do centro da ilustração para a esquerda são vórtices ciclônicos responsáveis por tempo estável na Oceania. 4 – 4 Quando o fenômeno representado se verifica, chove apenas sobre a massa oceânica, mas são chuvas frontais de grande
  • 42. 4- (URCA) Marque a única assertiva que traz somente fatores climáticos, isto é, aqueles que contribuem para determinar as condições climáticas de uma região do globo. a) Correntes marítimas, temperatura do ar, umidade relativa do ar e amplitude térmica. b) Latitude, pressão altitude, hidrografia e massas de ar. c) Altitude, massas de ar, maritimidade e latitude. d) Hidrografia, correntes marítimas, latitude e pressão. e) Temperatura do ar, umidade relativa do ar, insolação e média térmica.
  • 43. 5- (UFPE) A construção de amplas áreas urbanizadas na superfície terrestre acarretou profundas alterações no quadro natural dos sítios urbanos, como as que podemos verificar na ilustração a seguir. Uma alteração importante se deu exatamente no sistema climático.
  • 44. Os determinantes urbanos que implicam alterações no clima local urbano são: 0-0) impermeabilização do solo. 1-1) utilização massiva de concreto. 2-2) alterações no albedo superficial. 3-3) modificações no teor de umidade do ar. 4-4) disposição de prédios, casas e avenidas.
  • 45. 6- (UFAL) A figura mostra um problema ambiental que exige, para a sua solução, mudanças no processo de ocupação do espaço geográfico. A ocupação do solo e as edificações precisam se adequar as exigências ambientais que preservam a circulação do ar e permitem maior reflexão dos raios solares, só assim haverá a diminuição
  • 46. a) do desmatamento. b) da chuva ácida. c) da ilha de calor urbano. d) do acúmulo de lixo. e) da poluição dos rios.
  • 47. 7- (PUC-RJ) Levando-se em consideração a paisagem selecionada, a única característica climática correta para a região destacada é: a) alta amplitude térmica. b) elevada evapotranspiração. c) reduzida taxa de insolação. d) inexistência de pluviosidade. e) intensa umidade relativa do ar.
  • 48. 8- (UFLA) As colunas abaixo apresentam elementos climáticos e fatores climáticos. Associe as duas colunas. Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA. a) 2 – 1 – 1 – 2 – 2 b) 1 – 1 – 2 – 1 – 1 c) 2 – 2 – 1 – 1 – 1
  • 49. 9-(UFRN) No dia 19 de junho de 2010, a cidade do Rio de Janeiro amanheceu sob a influência de um forte nevoeiro, que dificultava a visibilidade, interferindo no ritmo das atividades urbanas. O ar quente permaneceu acima da camada de ar frio, que ficou retida nas proximidades da superfície, favorecendo a concentração de poluentes. O que foi vivenciado nesta cidade é um fenômeno climático que pode ocorrer em qualquer época do ano, sendo mais comum no inverno. Nessa época, as chuvas são mais raras, dificultando, ainda mais, a dispersão dos poluentes, o que causa um problema ambiental. O fenômeno climático descrito no texto é conhecido como, a) efeito estufa. c) ilhas de calor. c) inversão térmica.
  • 50. 10(UESPI) A figura a seguir está representando um importante fenômeno climático. Assinale-o. a) A formação de ciclones extratropicais. b) A gênese das chuvas frontais. c) A origem da Zona de Convergência Intertropical. d) A dispersão de uma frente fria.
  • 51. RECUPERAÇÃO EMPREENDEDORISMO TRABALHO – TEMA: O que é empreendedorismo e atitude empreendedora. ESTRUTURA: Papel pautado, capa, desenvolvimento e referências ENTREGA: 23/04/2018 ( NÃO SERÃO ACEITOS EM DATAS POSTERIORES)