SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 68
Baixar para ler offline
Construtivismo Russo 
História e teoria da 
Arquitetura e Urbanismo IV 
Viviane Marques
Introdução 
• Depois da revolução de outubro, não veio a bonança. 
• 1917 e 1920 - as não consolidadas repúblicas socialistas soviéticas mergulharam 
numa dura Guerra Civil. 
• Com um pé no front da guerra civil e outro no ambiente cultural onde 
vanguardistas lutavam por uma revolução estética, fez-se uma geração que 
revolucionaria a arte.
Influência 
• Início de 1910, a Rússia - a influência das idéias de Marinetti. 
• Futurismo italiano: 
– Elogio da vida moderna 
– Retórica panfletária = Vanguarda estética. 
– Rússia - Superação total do passado e desejo de desenvolvimento de um país 
provinciano. 
• Artistas russos - cores próprias ao movimento.
Influência 
• Malevich - significativo nessa história. 
– Domínio das técnicas cubistas da colagem e da sobreposição dinâmica 
de pontos de vista, 
– Busca da autonomia da arte, 
– Cria o suprematismo, 
– Suprematismo = negava a representação fragmentada do cubo-futurismo. 
– Futurismo - último resquício mimético, esforço de formalizar a 
dinâmica mecanizada da vida moderna. 
– Pintura suprematista = formas puras, sem referências, 
– Acabava-se a ilusão da arte como reprodução da vida; 
– Arte que criava uma realidade própria e nova.
Kasimir Malevich
Kasimir Malevich, Kasemir Malevich, pintura “Suprematismo (branco sobre branco)”, 1918 
Óleo sobre tela, 97 x 70 cm. Stedelijk Museum, Amsterdam.
Influência 
• Vladimir Tatlin -1920: 
– Célebre obra construtivista, o Monumento à Terceira 
Internacional (ou Torre de Tatlin), 
– Projeto que era um misto de arquitetura, engenharia, 
instalação e escultura.
Vladimir Tatlin
Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 
Metal, wood, 500x300 cm. 
National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 
Metal, wood, 500x300 cm. 
National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 
Metal, wood, 500x300 cm. 
National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
Influência 
• A poesia de Maiakovski : 
– Recusava a dicção sentimental. 
– Explosão do lirismo habitual. 
– Empregava variados recursos, como as metáforas 
concretas e urbanas no lugar das figurações sentimentais 
do estado da alma. 
– Uso da diagramação dos versos. 
– Poema como um objeto construído. 
– Quebras de palavras a multiplicar sentidos pela 
fragmentação compositiva.
Vladimir Maiakovski
E Então Que Quereis?... (1927) 
Fiz ranger as folhas de jornal abrindo-lhes as pálpebras 
piscantes. 
E logo 
de cada fronteira distante 
subiu um cheiro de pólvora 
perseguindo-me até em casa. 
Nestes últimos vinte anos 
nada de novo há 
no rugir das tempestades. 
Não estamos alegres, é certo, 
mas também por que razão 
haveríamos de ficar tristes? 
O mar da história 
é agitado. 
As ameaças 
e as guerras 
havemos de atravessá-las, 
rompê-las ao meio, 
cortando-as 
como uma quilha corta 
as ondas.
Construtivismo 
• Base da revolução estética: 
– Recusa da mímese realista, iniciada pelo suprematismo. 
– Auto-reflexão sobre a arte como trabalho, oposta à concepção simbolista, 
segundo a qual o artista expressava sua mais secreta subjetividade e, através 
dela. 
– Busca de uma outra realidade, invisível e essencial. 
– Contra esse artista espiritual, os construtivistas propunham o artista-engenheiro. 
– Desprezava a expressão lírica. 
– Concentrava-se na tarefa da construção da obra – mais um objeto entre os 
objetos do mundo. 
• A revista LEF (Frente Esquerdista das Artes): 
– Publicação construtivista 
– Fase mais radical, era dirigida por Maiakovski e Lilia Brik, 
– Chegou a defender como programa universal a “factografia”, 
– Arte feita apenas de registros e reconstrução dos fatos presentes e dos 
elementos materiais do mundo.
Capa da Revista LEF - Frente Esquerdista das Artes
Construtivismo 
• Artistas : 
– Classificação de categoria profissional foi renegada por muitos 
– Dedicaram-se a construir “experiências” (a expressão é da época, evitando a 
idéia de “obra”) que expusessem sua “fatura” (expressão utilizada pelo crítico 
Chklovski para sublinhar a atenção dada aos procedimentos empregados na 
realização do trabalho, “a evidência de sua feitura” ). 
• Criação: 
– Atividade teórico-analítica, de pesquisa sobre os elementos formais das 
composições (linha, ponto etc.). 
– Emprego disseminado de elementos mecânicos na execução das experiências 
não se reduzia ao uso dos recursos de desenho técnico. 
– Escultura, além da organização geometrizante, os próprios materiais 
industriais serviam de matéria-prima.
Construtivismo 
• Termo “construção”, da política à estética, é percebida e assumida pelos 
construtivistas. 
• Ver a inspiração e o lirismo superados pelo artista-engenheiro: 
• Conhece e domina a fatura das “experiências” a ponto de poder calcular as 
reações dos espectadores. 
• Expondo o modo de construir os artefatos que nos sensibiliza, o 
construtivismo foi uma pedagogia para os sentidos. 
• Expressão de uma revolução que quer refazer o mundo e encerrar toda a 
alienação humana, trabalha expondo o modo como as coisas são feitas. 
• Os objetos construtivistas não são orgânicos: eles são feitos de fragmentos 
justapostos, pedaços do mundo que compõem um novo objeto. 
• Nega mesmo a função de representação do mundo – ou seja, nega a mais 
tradicional das funções definidoras da arte.
Construtivismo Russo 
• Desde 1920: 
– Delineado movimentos de vanguarda na Rússia, nas artes figurativas e no 
teatro, no cinema e na arquitetura. 
– Teoriza-se – Lançam conclamações e manifestos. 
– As primeiras ações da vanguarda arquitetônica se enquadram, no movimento 
construtivista, já florescente, das artes plásticas. 
– Projeta-se pelo puro amor à pesquisa. 
– Dificuldades políticas e econômicas, impediram o desenvolvimento de amplos 
programas construtivos. 
– Não há dinheiro para a execução. 
– Falta a contribuição técnica e produtiva de uma grande indústria, 
– Arquitetos modernos carecem de qualquer preparação profissional.
Arquitetura 
• Construtivismo: 
– Derruba todas as barreiras tradicionais entre as artes, 
– Os modelos formais dos novos arquitetos são as obras de Malevich, Tatlin, 
Pevsner e Gabo, 
– Enfrentam o problema da arquitetura, e não apenas no plano teórico. 
• Todas as correntes avançadas da arquitetura ocidental são tendencialmente 
socialistas, e a novidade de suas propostas formais está solidamente fundada 
sobres as possibilidades das técnicas modernas. 
• Mendelsohn constrói uma grande fábrica em Leningrado, 1925. 
• Le Corbusier projeta em 1929, a sede da União das Cooperativas em Moscou.
Kasemir Malevich, Composição suprematista, 1914 
Óleo sobre tela, 57 x 47cm, Moma, New York. USA.
Kasemir Malevich, Elementos fundamentasi do suprematisto, c. 1913 
Óleo sobre tela, 84 x 69,5 cm, Stedelijk Museum.Amsterdã
Naum Gabo, Construção Linear no Espaço nº1, 1943 
Acrílico com fio de nylon, 60cm, Phillips Collection
Naum Gabo, Monumento do Bijenkorf, 1954-1957, Rotterdam
Naum Gabo, Monumento do Bijenkorf, 1954-1957, Rotterdam
Erich Mendelsohn, Red Flag Textile Factory, 1925-1926
Erich Mendelsohn, Red Flag Textile Factory, 1925-1926
Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
Arquitetura 
• El Lizzitzky (1890-1941) 
– Arquiteto, pintor, artista gráfico e teórico, 
– É a ligação entre Suprematismo e Construtivismo. 
– Desenvolve também, uma febril atividade de relações públicas, viaja e 
está permanente contato com Gropius, Mies, Van Doesburg. 
– Seu grande projeto é uma internacional do Construtivismo, da qual a 
arquitetura russa, a única engrenada em uma revolução em 
andamento, deveria ser o centro coordenador e propulsor. 
• Malevich, 1923: 
– Entra no movimento, restringindo-o principalmente ao neoplasticismo 
holandês, que considera o movimento artístico ocidental mais válido. 
– Projeta a casa do futuro, o planita, que permitirá aos habitantes viver 
numa situação espacial pura e rigorosamente geométrica.
Kasimir Malevich , Houses of the Future Leningrad: Pilot's House, 1924. 
Pencil on paper, 31.1 x 43.9 cm, Moma, New York
Kasimir Malevich -Architecton "Gota“, 1927. 
Plaster, 57x26x36 cm. 
Museum of the Pompidou Centre, Paris.
Kasimir Malevich - Architecton "Beta". 1926. 
Plaster, 27x59.5x99.3 cm.
El Lissitsky, Tribuna de Lênin (1920)
El Lissitsky , Cloud Hanger, 1926
Racionalismo Ideológico 
• O ponto de partida - projeto de Tatlin para o Monumento à Terceira 
Internacional (1919). 
• Premissas do Construtivismo: 
– Indistinção das artes: è arquitetura, estrutura provisória, escultura 
construtivista em escala gigantesca; funcionalidade técnica e sistema 
de comunicação; expressividade simbólica do dinamismo ascendente 
da espiral inclinada (como a torre eiffel vista por Delaunay). 
• Grupo Asnova : Ladovsky, Melnikov, Vesnin,, Golosov e outros 
– Geometrismo, pois a geometria expressa o espírito racionalista da 
revolução, 
– Soluções formais extremamente ousadas (corpos salientes, estruturas 
à mostra, mecanismo estrutural à descoberto) pois a técnica que 
permite sua realização reflete a ética revolucionária. 
• A arquitetura do chamado Construtivismo soviético tinha, então, um 
programa extremamente renovador, que incluía: o uso e exposição dos 
novos materiais e técnicas, e as formas inovadoras, instáveis e 
desafiadoras, que não guardavam relação com as formas do passado 
recente.
Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 
Metal, wood, 500x300 cm. 
National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
Ivan Leonidov, Instituto Lênin, 1927
Ivan Leonidov, Instituto Lênin, 1927
Ivan Leonidov, Commissariat Building, 1934
Irmãos Vesnin, Projeto para o Palácio do Trabalho, Moscou. 1923
Irmãos Vesnin, Projeto para o Palácio do Trabalho, Moscou. 1923
Irmãos Vesnin, Projeto para o Palácio do Trabalho, Moscou. 1923
Irmãos Vesnin, Aleksandr Vesnin, Leonid Aleksandrovic Vesnin e Viktor Aleksandrovic Vesnin , Pravda Building, 1924
Irmãos Vesnin, Commissariat da 
Indústria Pesada, 1934
Arquitetura 
• A estética do Construtivismo pretende: 
– Todos os acréscimos que a rua da grande cidade traz à construção (placas, 
propagandas, relógios, alto-falantes e até elevadores internos) sejam incluídos 
como pontos de igual importância. 
– Numa sociedade revolucionária, as construções, com a precisão e os 
movimentos de suas formas, constituem o símbolo visível da edificação do 
socialismo. 
– A arquitetura tende a se tornar cenográfica e formalista, a responder a 
funções mais ideais e imaginárias do que reais. 
– Mendelsohn é particularmente importante 
– Construtivismo, que visa expressar nas formas arquitetônicas o ímpeto 
dinâmico da revolução, possui um forte componente expressionista. 
– Exatamente como fazia Mendelsohn para expressar na forma e conteúdo do 
edifício. 
– Uma das causa do limite é poder inserir a pesquisa arquitetônica num 
planejamento urbano concreto, que o novo regime ainda não tem condição de 
implantar. 
– Poderá fazê-lo apenas depois de 1928, no quadro da reorganização social da 
economia do pais (plano quinquenal).
Liubov Popova e Alexandre Vesnin, A Cidade do Futuro (maquete para «O Grande Teatro na Rua»), 1921
Liubov Popova e Alexandre Vesnin,, Cidadela do Capitalismo (maquete para «O Grande Teatro na Rua»), 1921
Konstantin Melnikov, Mercado Sucharev,1924-1925,Moscow
Konstantin Melnikov, House, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
Konstantin Melnikov, House, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
Konstantin Melnikov, House, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
Konstantin Melnikov, House, URSS Pavillion, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
Konstantin Melnikov, House, URSS Pavillion, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
Konstantin Melnikov, Rusakov Club,1927-1929,Moscow
Konstantin Melnikov, Rusakov Club,1927-1929,Moscow
Konstantin Melnikov, Gosplan Garage, 1934-1936,Moscow
Konstantin Melnikov, Gosplan Garage, 1934-1936,Moscow
Konstantin Melnikov, Gosplan Garage, 1934-1936,Moscow
Urbanismo 
• Diretrizes teóricas do Construtivismo no plano urbano são duas: 
– Converter a cidade em expressão do dinamismo revolucionário com as formas 
dos edifícios, a animação da vida do bairro, a vivacidade das soluções e 
comunicações visuais; 
– Transformar a relação entre a cidade e território, com a finalidade de anular o 
desnível entre o proletariado industrial urbano e o proletariado rural. 
– Exemplo deste caráter são os projetos de cidade linear de Ochitovich e 
Ginsburg. 
• O processo de urbanização da União Soviética, que acompanha a transformação 
da economia russa agrícola em economia industrial, é um dos grandes fatos 
históricos do século. 
• Mas ele se realizou quando os movimentos de vanguarda já haviam sido 
oficialmente proscritos e sufocados em 1932.
Esquema da Cidade Linear, 1930
Conclusão 
• Sucesso da vanguarda russa na Europa Ocidental: 
– Em 1925 - pavilhão soviético projetado por Melnikov para a Exposição 
Internacional das Artes Decorativas, em Paris, conquista o grande prêmio. 
• É enorme o interesse pelo extraordinário florescimento arquitetônico russo: se a 
arquitetura pretendia ser, e em certo sentido é, um processo revolucionário 
incipiente no próprio interior dos regimes burgueses, a arquitetura da revolução 
russa é o guia e o modelo ideal. 
• Seu prestígio é tal que, nos dois concursos anunciados em 1930 para o Teatro 
Estatal de Charkow e para o edifício do soviete em Moscou, participam todos os 
grandes nomes da arquitetura moderna européia. 
• Mas, justamente quando a arquitetura soviética está prestes a assumir a liderança 
da arquitetura mundial, a burocracia do partido conquista a supremacia, 
contrapõe à vanguarda revolucionária oportunistas acadêmicos como Jofan e 
Fomim, e consegue obter a condenação política da arte da revolução.
K. Melnikov, URSS Pavillion, 1925, Paris
K. Melnikov, URSS Pavillion, 1925, Paris
Conclusão 
• Em todos os ramos da arte era possível sentir a busca de novas formas que 
expressassem as novas realidades da vida soviética, caracterizada pela energia que 
provocavam as inovações. 
• Entretanto, nem todos compartilhavam deste entusiasmo; havia a preocupação de 
que tais experimentos, embora bem intencionados ideologicamente, não fossem 
compreendidos pelas massas. 
• Para o conservadorismo da intelliguêntsia, esta arte não tinha credenciais 
proletárias. 
• Nem Lenin, nem Lunatcharski haviam acreditado na criação de uma nova arte 
proletária, preferindo construí-la a partir do que de melhor existia no velho, o que 
permitia a diversidade cultural. 
• Quando a influência destes dois homens fortes declinou, as opções anteriores se 
fecharam e uma nova ordem monolítica começou a ser imposta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAna Barreiros
 
Aula 10 Expressionismo Abstrato
Aula 10  Expressionismo AbstratoAula 10  Expressionismo Abstrato
Aula 10 Expressionismo AbstratoAline Okumura
 
ARQ | Cenografia teatral
ARQ | Cenografia teatralARQ | Cenografia teatral
ARQ | Cenografia teatralEdison Ribeiro
 
HCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulho
HCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulhoHCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulho
HCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulhoJoaquim Moreira
 
História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte ContemporâneaAndrea Dressler
 
Fauvismo e Expressionismo
Fauvismo e ExpressionismoFauvismo e Expressionismo
Fauvismo e Expressionismojorgina8
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte modernaLú Carvalho
 
03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporânea03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporâneaVítor Santos
 

Mais procurados (20)

07 arte portuguesa
07 arte portuguesa07 arte portuguesa
07 arte portuguesa
 
As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xx
 
Aula 10 Expressionismo Abstrato
Aula 10  Expressionismo AbstratoAula 10  Expressionismo Abstrato
Aula 10 Expressionismo Abstrato
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
DES | Bauhaus
DES | BauhausDES | Bauhaus
DES | Bauhaus
 
De Stijl
De StijlDe Stijl
De Stijl
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
 
Suprematismo
SuprematismoSuprematismo
Suprematismo
 
Rococó
RococóRococó
Rococó
 
O mosaico
O mosaicoO mosaico
O mosaico
 
ARQ | Cenografia teatral
ARQ | Cenografia teatralARQ | Cenografia teatral
ARQ | Cenografia teatral
 
Cubismo
Cubismo Cubismo
Cubismo
 
HCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulho
HCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulhoHCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulho
HCA Módulo 10 - A arquitetura pós-modernista - 3 com - Vanessa mergulho
 
História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte Contemporânea
 
Fauvismo e Expressionismo
Fauvismo e ExpressionismoFauvismo e Expressionismo
Fauvismo e Expressionismo
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporânea03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporânea
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Futurismo artes
Futurismo artesFuturismo artes
Futurismo artes
 
movimentos de vanguarda
movimentos de vanguardamovimentos de vanguarda
movimentos de vanguarda
 

Semelhante a Construtivismo russo

Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismoAula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismoAline Okumura
 
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaHistória da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaRaphael Lanzillotte
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismogil_57z
 
Raizes do design editorial
Raizes do design editorialRaizes do design editorial
Raizes do design editorialHelena Jacob
 
Construtivismo - Escultura no Construtivismo
Construtivismo - Escultura no ConstrutivismoConstrutivismo - Escultura no Construtivismo
Construtivismo - Escultura no ConstrutivismoRoger Pimentel
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo RussoJoel Sousa
 
As vanguardas europeias / Cursinho Ave Palavra
As vanguardas europeias / Cursinho Ave PalavraAs vanguardas europeias / Cursinho Ave Palavra
As vanguardas europeias / Cursinho Ave PalavraCLEBER LUIS DAMACENO
 
HCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e EsculturaHCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e EsculturaMafalda Cardeira
 
Arte no século xx
Arte no século xxArte no século xx
Arte no século xxSchool
 
Raizes do design editorial
Raizes do design editorialRaizes do design editorial
Raizes do design editorialHelena Jacob
 

Semelhante a Construtivismo russo (20)

Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
 
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismoAula 8   Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
Aula 8 Suprematismo de Stij Construtivismo russo e decostrutivismo
 
Moscou 1910 1930
Moscou 1910 1930Moscou 1910 1930
Moscou 1910 1930
 
Op Art & Pop Art
Op Art & Pop ArtOp Art & Pop Art
Op Art & Pop Art
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Arte e literatura
Arte e literaturaArte e literatura
Arte e literatura
 
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaHistória da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Piet Mondrian
Piet MondrianPiet Mondrian
Piet Mondrian
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
23 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 202023 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 2020
 
Raizes do design editorial
Raizes do design editorialRaizes do design editorial
Raizes do design editorial
 
Construtivismo - Escultura no Construtivismo
Construtivismo - Escultura no ConstrutivismoConstrutivismo - Escultura no Construtivismo
Construtivismo - Escultura no Construtivismo
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
 
Construtivismo russo
Construtivismo russoConstrutivismo russo
Construtivismo russo
 
FUTURISMO
FUTURISMOFUTURISMO
FUTURISMO
 
As vanguardas europeias / Cursinho Ave Palavra
As vanguardas europeias / Cursinho Ave PalavraAs vanguardas europeias / Cursinho Ave Palavra
As vanguardas europeias / Cursinho Ave Palavra
 
HCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e EsculturaHCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
HCA Módulo 9 - Pintura e Escultura
 
Arte no século xx
Arte no século xxArte no século xx
Arte no século xx
 
Raizes do design editorial
Raizes do design editorialRaizes do design editorial
Raizes do design editorial
 

Mais de Viviane Marques

Introdução à arquitetura racinalista
Introdução à arquitetura racinalistaIntrodução à arquitetura racinalista
Introdução à arquitetura racinalistaViviane Marques
 
Análise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaAnálise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaViviane Marques
 
Início da arquitetura moderna
Início da arquitetura modernaInício da arquitetura moderna
Início da arquitetura modernaViviane Marques
 
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]
Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]
Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
Clássico e romântico [modo de compatibilidade]
Clássico e romântico [modo de compatibilidade]Clássico e romântico [modo de compatibilidade]
Clássico e romântico [modo de compatibilidade]Viviane Marques
 
Revista forma primeira edição
Revista forma   primeira ediçãoRevista forma   primeira edição
Revista forma primeira ediçãoViviane Marques
 
Revista forma contextualismo
Revista forma   contextualismoRevista forma   contextualismo
Revista forma contextualismoViviane Marques
 
Revista forma organicismo
Revista forma   organicismoRevista forma   organicismo
Revista forma organicismoViviane Marques
 

Mais de Viviane Marques (19)

Introdução à arquitetura racinalista
Introdução à arquitetura racinalistaIntrodução à arquitetura racinalista
Introdução à arquitetura racinalista
 
Análise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquiteturaAnálise da forma na arquitetura
Análise da forma na arquitetura
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Neoclássico
NeoclássicoNeoclássico
Neoclássico
 
Início da arquitetura moderna
Início da arquitetura modernaInício da arquitetura moderna
Início da arquitetura moderna
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]Arte na pré história [modo de compatibilidade]
Arte na pré história [modo de compatibilidade]
 
Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]
Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]
Arte na mesopotâmia [modo de compatibilidade]
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
 
Elementos visuais cor
Elementos visuais   corElementos visuais   cor
Elementos visuais cor
 
Espaço e expressão
Espaço e expressãoEspaço e expressão
Espaço e expressão
 
Clássico e romântico [modo de compatibilidade]
Clássico e romântico [modo de compatibilidade]Clássico e romântico [modo de compatibilidade]
Clássico e romântico [modo de compatibilidade]
 
Rococó
RococóRococó
Rococó
 
Maneirismo
ManeirismoManeirismo
Maneirismo
 
Revista forma primeira edição
Revista forma   primeira ediçãoRevista forma   primeira edição
Revista forma primeira edição
 
Revista forma
Revista formaRevista forma
Revista forma
 
Revista forma contextualismo
Revista forma   contextualismoRevista forma   contextualismo
Revista forma contextualismo
 
Revista forma organicismo
Revista forma   organicismoRevista forma   organicismo
Revista forma organicismo
 

Último

UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 

Último (20)

UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 

Construtivismo russo

  • 1. Construtivismo Russo História e teoria da Arquitetura e Urbanismo IV Viviane Marques
  • 2. Introdução • Depois da revolução de outubro, não veio a bonança. • 1917 e 1920 - as não consolidadas repúblicas socialistas soviéticas mergulharam numa dura Guerra Civil. • Com um pé no front da guerra civil e outro no ambiente cultural onde vanguardistas lutavam por uma revolução estética, fez-se uma geração que revolucionaria a arte.
  • 3. Influência • Início de 1910, a Rússia - a influência das idéias de Marinetti. • Futurismo italiano: – Elogio da vida moderna – Retórica panfletária = Vanguarda estética. – Rússia - Superação total do passado e desejo de desenvolvimento de um país provinciano. • Artistas russos - cores próprias ao movimento.
  • 4. Influência • Malevich - significativo nessa história. – Domínio das técnicas cubistas da colagem e da sobreposição dinâmica de pontos de vista, – Busca da autonomia da arte, – Cria o suprematismo, – Suprematismo = negava a representação fragmentada do cubo-futurismo. – Futurismo - último resquício mimético, esforço de formalizar a dinâmica mecanizada da vida moderna. – Pintura suprematista = formas puras, sem referências, – Acabava-se a ilusão da arte como reprodução da vida; – Arte que criava uma realidade própria e nova.
  • 6. Kasimir Malevich, Kasemir Malevich, pintura “Suprematismo (branco sobre branco)”, 1918 Óleo sobre tela, 97 x 70 cm. Stedelijk Museum, Amsterdam.
  • 7. Influência • Vladimir Tatlin -1920: – Célebre obra construtivista, o Monumento à Terceira Internacional (ou Torre de Tatlin), – Projeto que era um misto de arquitetura, engenharia, instalação e escultura.
  • 9. Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 Metal, wood, 500x300 cm. National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
  • 10. Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 Metal, wood, 500x300 cm. National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
  • 11. Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 Metal, wood, 500x300 cm. National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
  • 12. Influência • A poesia de Maiakovski : – Recusava a dicção sentimental. – Explosão do lirismo habitual. – Empregava variados recursos, como as metáforas concretas e urbanas no lugar das figurações sentimentais do estado da alma. – Uso da diagramação dos versos. – Poema como um objeto construído. – Quebras de palavras a multiplicar sentidos pela fragmentação compositiva.
  • 14. E Então Que Quereis?... (1927) Fiz ranger as folhas de jornal abrindo-lhes as pálpebras piscantes. E logo de cada fronteira distante subiu um cheiro de pólvora perseguindo-me até em casa. Nestes últimos vinte anos nada de novo há no rugir das tempestades. Não estamos alegres, é certo, mas também por que razão haveríamos de ficar tristes? O mar da história é agitado. As ameaças e as guerras havemos de atravessá-las, rompê-las ao meio, cortando-as como uma quilha corta as ondas.
  • 15. Construtivismo • Base da revolução estética: – Recusa da mímese realista, iniciada pelo suprematismo. – Auto-reflexão sobre a arte como trabalho, oposta à concepção simbolista, segundo a qual o artista expressava sua mais secreta subjetividade e, através dela. – Busca de uma outra realidade, invisível e essencial. – Contra esse artista espiritual, os construtivistas propunham o artista-engenheiro. – Desprezava a expressão lírica. – Concentrava-se na tarefa da construção da obra – mais um objeto entre os objetos do mundo. • A revista LEF (Frente Esquerdista das Artes): – Publicação construtivista – Fase mais radical, era dirigida por Maiakovski e Lilia Brik, – Chegou a defender como programa universal a “factografia”, – Arte feita apenas de registros e reconstrução dos fatos presentes e dos elementos materiais do mundo.
  • 16. Capa da Revista LEF - Frente Esquerdista das Artes
  • 17. Construtivismo • Artistas : – Classificação de categoria profissional foi renegada por muitos – Dedicaram-se a construir “experiências” (a expressão é da época, evitando a idéia de “obra”) que expusessem sua “fatura” (expressão utilizada pelo crítico Chklovski para sublinhar a atenção dada aos procedimentos empregados na realização do trabalho, “a evidência de sua feitura” ). • Criação: – Atividade teórico-analítica, de pesquisa sobre os elementos formais das composições (linha, ponto etc.). – Emprego disseminado de elementos mecânicos na execução das experiências não se reduzia ao uso dos recursos de desenho técnico. – Escultura, além da organização geometrizante, os próprios materiais industriais serviam de matéria-prima.
  • 18. Construtivismo • Termo “construção”, da política à estética, é percebida e assumida pelos construtivistas. • Ver a inspiração e o lirismo superados pelo artista-engenheiro: • Conhece e domina a fatura das “experiências” a ponto de poder calcular as reações dos espectadores. • Expondo o modo de construir os artefatos que nos sensibiliza, o construtivismo foi uma pedagogia para os sentidos. • Expressão de uma revolução que quer refazer o mundo e encerrar toda a alienação humana, trabalha expondo o modo como as coisas são feitas. • Os objetos construtivistas não são orgânicos: eles são feitos de fragmentos justapostos, pedaços do mundo que compõem um novo objeto. • Nega mesmo a função de representação do mundo – ou seja, nega a mais tradicional das funções definidoras da arte.
  • 19. Construtivismo Russo • Desde 1920: – Delineado movimentos de vanguarda na Rússia, nas artes figurativas e no teatro, no cinema e na arquitetura. – Teoriza-se – Lançam conclamações e manifestos. – As primeiras ações da vanguarda arquitetônica se enquadram, no movimento construtivista, já florescente, das artes plásticas. – Projeta-se pelo puro amor à pesquisa. – Dificuldades políticas e econômicas, impediram o desenvolvimento de amplos programas construtivos. – Não há dinheiro para a execução. – Falta a contribuição técnica e produtiva de uma grande indústria, – Arquitetos modernos carecem de qualquer preparação profissional.
  • 20. Arquitetura • Construtivismo: – Derruba todas as barreiras tradicionais entre as artes, – Os modelos formais dos novos arquitetos são as obras de Malevich, Tatlin, Pevsner e Gabo, – Enfrentam o problema da arquitetura, e não apenas no plano teórico. • Todas as correntes avançadas da arquitetura ocidental são tendencialmente socialistas, e a novidade de suas propostas formais está solidamente fundada sobres as possibilidades das técnicas modernas. • Mendelsohn constrói uma grande fábrica em Leningrado, 1925. • Le Corbusier projeta em 1929, a sede da União das Cooperativas em Moscou.
  • 21. Kasemir Malevich, Composição suprematista, 1914 Óleo sobre tela, 57 x 47cm, Moma, New York. USA.
  • 22. Kasemir Malevich, Elementos fundamentasi do suprematisto, c. 1913 Óleo sobre tela, 84 x 69,5 cm, Stedelijk Museum.Amsterdã
  • 23. Naum Gabo, Construção Linear no Espaço nº1, 1943 Acrílico com fio de nylon, 60cm, Phillips Collection
  • 24. Naum Gabo, Monumento do Bijenkorf, 1954-1957, Rotterdam
  • 25. Naum Gabo, Monumento do Bijenkorf, 1954-1957, Rotterdam
  • 26. Erich Mendelsohn, Red Flag Textile Factory, 1925-1926
  • 27. Erich Mendelsohn, Red Flag Textile Factory, 1925-1926
  • 28. Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
  • 29. Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
  • 30. Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
  • 31. Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
  • 32. Le Corbusier, União das Cooperativas, Centrosoyuz Building, 1929-36, Moscow, Russia
  • 33. Arquitetura • El Lizzitzky (1890-1941) – Arquiteto, pintor, artista gráfico e teórico, – É a ligação entre Suprematismo e Construtivismo. – Desenvolve também, uma febril atividade de relações públicas, viaja e está permanente contato com Gropius, Mies, Van Doesburg. – Seu grande projeto é uma internacional do Construtivismo, da qual a arquitetura russa, a única engrenada em uma revolução em andamento, deveria ser o centro coordenador e propulsor. • Malevich, 1923: – Entra no movimento, restringindo-o principalmente ao neoplasticismo holandês, que considera o movimento artístico ocidental mais válido. – Projeta a casa do futuro, o planita, que permitirá aos habitantes viver numa situação espacial pura e rigorosamente geométrica.
  • 34. Kasimir Malevich , Houses of the Future Leningrad: Pilot's House, 1924. Pencil on paper, 31.1 x 43.9 cm, Moma, New York
  • 35. Kasimir Malevich -Architecton "Gota“, 1927. Plaster, 57x26x36 cm. Museum of the Pompidou Centre, Paris.
  • 36. Kasimir Malevich - Architecton "Beta". 1926. Plaster, 27x59.5x99.3 cm.
  • 37. El Lissitsky, Tribuna de Lênin (1920)
  • 38. El Lissitsky , Cloud Hanger, 1926
  • 39. Racionalismo Ideológico • O ponto de partida - projeto de Tatlin para o Monumento à Terceira Internacional (1919). • Premissas do Construtivismo: – Indistinção das artes: è arquitetura, estrutura provisória, escultura construtivista em escala gigantesca; funcionalidade técnica e sistema de comunicação; expressividade simbólica do dinamismo ascendente da espiral inclinada (como a torre eiffel vista por Delaunay). • Grupo Asnova : Ladovsky, Melnikov, Vesnin,, Golosov e outros – Geometrismo, pois a geometria expressa o espírito racionalista da revolução, – Soluções formais extremamente ousadas (corpos salientes, estruturas à mostra, mecanismo estrutural à descoberto) pois a técnica que permite sua realização reflete a ética revolucionária. • A arquitetura do chamado Construtivismo soviético tinha, então, um programa extremamente renovador, que incluía: o uso e exposição dos novos materiais e técnicas, e as formas inovadoras, instáveis e desafiadoras, que não guardavam relação com as formas do passado recente.
  • 40. Wladimir Tatlin - Modelo para o Monumento À Terceira Internacional, 1919-1920 Metal, wood, 500x300 cm. National Museum of Modern Art, Centre George Pompidou,
  • 41. Ivan Leonidov, Instituto Lênin, 1927
  • 42. Ivan Leonidov, Instituto Lênin, 1927
  • 43. Ivan Leonidov, Commissariat Building, 1934
  • 44. Irmãos Vesnin, Projeto para o Palácio do Trabalho, Moscou. 1923
  • 45. Irmãos Vesnin, Projeto para o Palácio do Trabalho, Moscou. 1923
  • 46. Irmãos Vesnin, Projeto para o Palácio do Trabalho, Moscou. 1923
  • 47. Irmãos Vesnin, Aleksandr Vesnin, Leonid Aleksandrovic Vesnin e Viktor Aleksandrovic Vesnin , Pravda Building, 1924
  • 48. Irmãos Vesnin, Commissariat da Indústria Pesada, 1934
  • 49. Arquitetura • A estética do Construtivismo pretende: – Todos os acréscimos que a rua da grande cidade traz à construção (placas, propagandas, relógios, alto-falantes e até elevadores internos) sejam incluídos como pontos de igual importância. – Numa sociedade revolucionária, as construções, com a precisão e os movimentos de suas formas, constituem o símbolo visível da edificação do socialismo. – A arquitetura tende a se tornar cenográfica e formalista, a responder a funções mais ideais e imaginárias do que reais. – Mendelsohn é particularmente importante – Construtivismo, que visa expressar nas formas arquitetônicas o ímpeto dinâmico da revolução, possui um forte componente expressionista. – Exatamente como fazia Mendelsohn para expressar na forma e conteúdo do edifício. – Uma das causa do limite é poder inserir a pesquisa arquitetônica num planejamento urbano concreto, que o novo regime ainda não tem condição de implantar. – Poderá fazê-lo apenas depois de 1928, no quadro da reorganização social da economia do pais (plano quinquenal).
  • 50. Liubov Popova e Alexandre Vesnin, A Cidade do Futuro (maquete para «O Grande Teatro na Rua»), 1921
  • 51. Liubov Popova e Alexandre Vesnin,, Cidadela do Capitalismo (maquete para «O Grande Teatro na Rua»), 1921
  • 52. Konstantin Melnikov, Mercado Sucharev,1924-1925,Moscow
  • 53. Konstantin Melnikov, House, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
  • 54. Konstantin Melnikov, House, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
  • 55. Konstantin Melnikov, House, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
  • 56. Konstantin Melnikov, House, URSS Pavillion, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
  • 57. Konstantin Melnikov, House, URSS Pavillion, 1927-1929, Krivoarbatsky Lane, Moscow
  • 58. Konstantin Melnikov, Rusakov Club,1927-1929,Moscow
  • 59. Konstantin Melnikov, Rusakov Club,1927-1929,Moscow
  • 60. Konstantin Melnikov, Gosplan Garage, 1934-1936,Moscow
  • 61. Konstantin Melnikov, Gosplan Garage, 1934-1936,Moscow
  • 62. Konstantin Melnikov, Gosplan Garage, 1934-1936,Moscow
  • 63. Urbanismo • Diretrizes teóricas do Construtivismo no plano urbano são duas: – Converter a cidade em expressão do dinamismo revolucionário com as formas dos edifícios, a animação da vida do bairro, a vivacidade das soluções e comunicações visuais; – Transformar a relação entre a cidade e território, com a finalidade de anular o desnível entre o proletariado industrial urbano e o proletariado rural. – Exemplo deste caráter são os projetos de cidade linear de Ochitovich e Ginsburg. • O processo de urbanização da União Soviética, que acompanha a transformação da economia russa agrícola em economia industrial, é um dos grandes fatos históricos do século. • Mas ele se realizou quando os movimentos de vanguarda já haviam sido oficialmente proscritos e sufocados em 1932.
  • 64. Esquema da Cidade Linear, 1930
  • 65. Conclusão • Sucesso da vanguarda russa na Europa Ocidental: – Em 1925 - pavilhão soviético projetado por Melnikov para a Exposição Internacional das Artes Decorativas, em Paris, conquista o grande prêmio. • É enorme o interesse pelo extraordinário florescimento arquitetônico russo: se a arquitetura pretendia ser, e em certo sentido é, um processo revolucionário incipiente no próprio interior dos regimes burgueses, a arquitetura da revolução russa é o guia e o modelo ideal. • Seu prestígio é tal que, nos dois concursos anunciados em 1930 para o Teatro Estatal de Charkow e para o edifício do soviete em Moscou, participam todos os grandes nomes da arquitetura moderna européia. • Mas, justamente quando a arquitetura soviética está prestes a assumir a liderança da arquitetura mundial, a burocracia do partido conquista a supremacia, contrapõe à vanguarda revolucionária oportunistas acadêmicos como Jofan e Fomim, e consegue obter a condenação política da arte da revolução.
  • 66. K. Melnikov, URSS Pavillion, 1925, Paris
  • 67. K. Melnikov, URSS Pavillion, 1925, Paris
  • 68. Conclusão • Em todos os ramos da arte era possível sentir a busca de novas formas que expressassem as novas realidades da vida soviética, caracterizada pela energia que provocavam as inovações. • Entretanto, nem todos compartilhavam deste entusiasmo; havia a preocupação de que tais experimentos, embora bem intencionados ideologicamente, não fossem compreendidos pelas massas. • Para o conservadorismo da intelliguêntsia, esta arte não tinha credenciais proletárias. • Nem Lenin, nem Lunatcharski haviam acreditado na criação de uma nova arte proletária, preferindo construí-la a partir do que de melhor existia no velho, o que permitia a diversidade cultural. • Quando a influência destes dois homens fortes declinou, as opções anteriores se fecharam e uma nova ordem monolítica começou a ser imposta.