SlideShare uma empresa Scribd logo
“O Impacto dos Acidentes de
Trânsito no Sistema de Saúde”
MINISTÉRIO DA SAÚDE
26 de abril de 2017
71,1% da população brasileira* procura o SUS para atendimento
Cerca de 150 milhões de pessoas dependem exclusivamente do SUS
3,9 bilhões de procedimentos ambulatoriais (2016)
Maior sistema público de transplantes de órgãos do mundo:
24,9 mil transplantes/ano
98% do mercado de vacinas é movimentado pelo SUS:
300 milhões de doses/ano para combater mais de 20 doenças
1,3 bilhão de consultas/atendimentos (2016)
O Sistema Público de Saúde no Brasil - SUS
*Brasil possuía 200,4 milhões de habitantes em 2013 (Fonte: IBGE)
15% da Receita Corrente Líquida
da União é aplicada na saúde;
Setor Saúde representa 8% do
PIB nacional
Em 2013, os gastos públicos
responderam por 45% do
financiamento da saúde.
O setor privado por 55%.
R$ 115,3 bilhões no orçamento de 2017
Para ações e serviços públicos de saúde
45%55%
Fonte: 2010 a 2013 – IBGE / 2014 e 2015 – SIOPS
Frota de veículos no Brasil: 2004 a 2016
Fonte: Renavam/Ministério das Cidades/Denatran
0
10000000
20000000
30000000
40000000
50000000
60000000
70000000
80000000
90000000
100000000
2004200520062007200820092010201120122013201420152016
Hegemonia do transporte
individual privado
Cerca 1 veículo para cada 2 habitantes
Veículos terrestres em 2016: 93,8 milhões
Morte
prematura
Incapacidade
em idade produtiva
Sobrecarga da
demanda pelos
serviços de saúde
Impactos na saúde das pessoas
Aumento
dos custos
assistenciais
Acidentes de trânsito
1,2 milhões de óbitos no Brasil em 2014
43,7 mil mortes por acidente de trânsito
Maioria dos óbitos na faixa etária entre 20 e 39 anos
35% dos óbitos registrados são na região Sudeste, seguida
pela região Nordeste com 30%
Fonte Ministério Saúde/BR.
Mortes prematuras
28% das mortes por causa externa são por
acidentes de transporte, é a segunda principal
causa, atrás apenas das agressões.
Taxa de mortalidade por acidente
de transporte terrestre (ATT)
Taxas de mortalidade padronizadas por sexo e idade (por 100 mil habitantes).
2000-2002 2012-2014
Fonte: Ministério da Saúde
Taxa de mortalidade por acidente de transporte terrestre (ATT)
Fonte: Ministério da - Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).
0.0
5.0
10.0
15.0
20.0
25.0
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
Taxademortalidade(x100milhab.)
Anos
ATT Motociclista Ocupante Pedestre
O risco de morte aumentou 313,3% para motociclistas,
Para pedestres houve redução 30,2%
Entre 2000 - 2014
176 mil internações por acidentes no
trânsito registradas no SUS em 2014,
54% eram motociclistas.
Fonte Ministério Saúde/BR.
Serviços de saúde
sobrecarregados
26% dos atendimentos em urgência
masculinos e 18,5 % femininos foram
devidos a acidentes de trânsito em 2014.
Atendimentos urgência e emergência
Capitais e Distrito Federal, 2014
0.0
15.0
30.0
45.0
%
Masculino Feminino
Total: 36.046 19.890
23,5% das internações por acidentes de trânsito,
entre 2000 e 2013, apresentaram diagnóstico
sugestivo de sequela física em homens de
20 a 29 anos, a maioria pedestres e
motociclistas.
Fonte Ministério Saúde/BR.
Incapacidade em
idade produtiva
1,7 milhões de internações por acidentes de
trânsito foram registradas de 2000 a 2013.
As principais sequelas são amputação e
traumatismo crânio encefálico.
Rodovias Federais
170 mil acidentes em 2014
8 mil mortes e 100 mil feridos
R$ 40 bilhões é a estimativa de custos com
internações, danos pessoais e materiais nas
rodovias brasileiras (federais, estaduais e
municipais)
Fonte Ministério Saúde/BR.
Aumento dos custos
assistenciais
Impacto na previdência social
Motociclista
52%
Pedestre
23%
Ocupantes
13%
Ciclista
4% Outros ATT
8%
Acidentes geram alto impacto no SUS
2014
Condição da vítima Milhão R$
Motociclista 126,1
Pedestre 56,0
Ocupantes 31,4
Ciclista 10,4
Outros Acidentes Trânsito 20,2
Acidentes Trânsito total 244,1
Legislação rígida como medida de prevenção
1997: Código de Trânsito Brasileiro -
lei federal
Lei nº 11.705 de 2008 (Lei “Seca”):
Estabelece alcoolemia zero
“Lei da cadeirinha”: Resolução 277
Contran regulamenta o transporte de
crianças até 10 anos.
Lei nº 12.971 de 2014: Aumento do valor
das multas para infrações gravíssimas
2014: Emenda Constitucional 82 - Inclui o
§ 10 ao art. 144 da Constituição Federal,
para disciplinar a segurança viária. Cria a
carreira de agentes de trânsito.
Lei nº 12.760 de 2012: “Nova Lei Seca” :
amplia a identificação de sinais
sugestivos de embriaguez : vídeos,
testemunhas...
Lei 13.281/2016: aumento do valor de
todas as categorias de multas.
4
3,1
3,5
3,1
3
3,3
2,1
0,3 0,3 0,3 0,3 0,3 0,3 0,3
2
1,6
1,8
1,6
1,5
1,7
1,1
0
0,5
1
1,5
2
2,5
3
3,5
4
4,5
2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Masculino
Feminino
Ambos
Evolução da prevalência de consumo abusivo de álcool, segundo sexo
Operação Lei Seca Nova Lei Seca
Lei Seca efetiva
VIGITEL, 2007-2013
Ações do Ministério
da Saúde
Promoção de comportamentos e
ambientes seguros e saudáveis
Monitoramento da ocorrência de
acidentes e violências
Apoio ao desenvolvimento de
estudos e pesquisas
Capacitação de recursos humanos
Ampliação do atendimento pré-
hospitalar
Assistência às vítimas
Formação e educação permanente
Alimentação adequada e saudável
Práticas corporais e atividades físicas
Enfrentamento ao uso do tabaco e de seus
derivados
Enfrentamento do uso abusivo de álcool e
de outras drogas
Promoção da mobilidade segura
Promoção da cultura da paz e dos direitos
humanos
Promoção do desenvolvimento sustentávelRede de Atenção às Urgências e Emergências
Samu 192
UPA 24 horas
SOS Emergências
Atenção Domiciliar
Linha de Cuidado ao Trauma
Promoção da Saúde e
Atenção às Urgências e Emergências
Presidente Michel Temer anunciou
renovação da frota do SAMU para todo país
340 ambulâncias substituídas
19 estados contemplados
77% da população coberta pelo SAMU
192
R$ 1 bilhão investidos em custeio,
em 2016
Aperfeiçoamento do sistema de informações;
Intervenções focadas nos fatores de risco de ordem
comportamental ou grupo de vítimas prioritários
Álcool e direção
Velocidade excessiva ou inadequada
Outros fatores de risco ou grupo de vítimas prioritários:
motociclista, pedestre e ciclista.
Atendimento às vítimas
1º curso EAD em 2016. 2ª edição já prevista 2017.
Criado em 2010 para subsidiar gestores no fortalecimento de políticas de prevenção
de lesões e mortes no trânsito por meio da qualificação, planejamento,
monitoramento, acompanhamento e avaliação das ações.
R$ 82 milhões de reais investidos no Programa
Vida no Trânsito
Ações
Metodologia do programa nas cidades
8498 8210 8065 7575 7843
5681
0
1000
2000
3000
4000
5000
6000
7000
8000
9000
2010 2011 2012 2013 2014 2015*
Redução de 33% no número de óbitos nos municípios
que executam o vida no trânsito entre 2010 a 2015*
Fonte: SIM/DATASUS/MS
* 2015 – dados preliminares
Todas as capitais, Campinas e Guarulhos/SP, Foz do Iguaçu e São José dos Pinhais/PR
Ministério das Cidades
Ações de mobilização social
Semana Nacional de Trânsito, Dia Mundial
Sem Carro, Maio Amarelo
Campanhas publicitárias
Carnaval, prevenção de acidentes,
motoristas profissionais
Instituições parceiras do Pacto Nacional
Empresas privadas de diversos setores,
órgãos públicos, associações
Ação permanente nas redes sociais
com interação e engajamento
Campanha RODOVIDA
Ministério da Justiça
Mobilização nacional intersetorial
Realizada desde 2011
Operações intensivas e integradas com diversos órgãos:
Policias, Ministério da Saúde, das Cidades e do Transporte.
Realizada em períodos de férias, carnaval e semana santa.
Objetivo
Reduzir a violência e mortes por acidentes de trânsito nos
períodos de grande fluxo.
Resultados desde 2011
Redução de 40% de óbitos, 38 % acidentes graves e 43%
de feridos em acidentes de trânsito em relação às
projeções para 2017.
Fiscalização de Motocicletas
Fiscalização de Velocidade
e Ultrapassagem
Fiscalização de Alcoolemia
Ministério
da Justiça
2ª Conferência Global de alto nível
sobre segurança no trânsito
Mais de 2.000 participantes
52 Ministros de Estados dos cinco
continentes.
Resulta na Declaração de Brasília,
posteriormente acolhida
e reforçadas na Assembleia Mundial
da Saúde e Assembleia Geral das
Nações Unidas em 2016.
Brasília, 18-19 Novembro de 2015
SAÚDE
Mais destaque para o pré/pós
traumas, notificações, padronização,
coleta e sistematização de dados,
indicadores.
Escopo se estende para além do
trauma e explicita a relação das
DCNTs com políticas de trânsito/
transporte.
SUSTENTABILIDADE
Forte influência da Agenda 2030.
Desenvolvimento urbano e o
transporte público recebem menção
e atenção privilegiadas.
Declaração de Brasília
PAÍSES EM
DESENVOLVIMENTO
Externam mais seus anseios e
necessidades.
As diretrizes políticas do Brasil
influenciaram para consagrar
linhas de interlocuções.
EQUIDADE
Ênfase em elementos associados
com as desigualdades
socioeconômicas: equidade,
inclusão, direitos e destaques
à condição dos segmentos mais
vulneráveis.
Menção inédita, explícita e direta nas
metas do tema da segurança viária, em
pelo menos duas passagens destacadas.
Objetivo 3 – Assegurar uma vida saudável e
promover o bem estar para todos, em todas as
idades.
Meta 3.6 - Até 2020, reduzir pela metade
as mortes e as lesões no mundo por ATT.
Objetivo 11 - Tornar as cidades e os
assentamentos humanos inclusivos, seguros,
resilientes e sustentáveis.
Meta 11.2 - Até 2030, proporcionar o acesso
a sistemas de transporte seguros, acessíveis,
sustentáveis e a preço acessível para todos,
Melhorando a segurança viária por meio da
expansão dos transportes públicos, com especial
atenção para as necessidades das pessoas
em situação de vulnerabilidade, mulheres,
crianças, pessoas com deficiência e idosos.
Agenda Internacional
0.2
0.4
0.6
0.8
1.0
1.2
1.4
1.6
1.8
2.0
2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020
5 milhões de vidas salvas
Aumento projetado caso não haja ações
Redução projetada
caso haja ações
Mortesnotrânsito(Milhões) METAS MUNDIAIS DA DÉCADA 2011-2020:
REDUÇÃO DE 50% NOS ÓBITOS EM RELAÇÃO A 2010
Obrigado!
Antônio Carlos Nardi
Secretário Executivo
antonio.nardi@saude.gov.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...
Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...
Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...
Anselmo Coutinho
 
A mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviária
A mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviáriaA mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviária
A mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviária
Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave
 
Acidentes de trânsito
Acidentes de trânsitoAcidentes de trânsito
Acidentes de trânsito
Nilton Goulart
 
Análise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ Apresentação
Análise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ ApresentaçãoAnálise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ Apresentação
Análise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ Apresentação
Luis Neto
 
Comandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suave
Comandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suaveComandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suave
Comandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suave
Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave
 
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsitoGoverno Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Ministério da Saúde
 
Cartilha transito
Cartilha transitoCartilha transito
Cartilha transito
Daia Dizielle
 
Propostas do brasil para a Década de Segurança no Trânsito
Propostas do brasil para a Década de Segurança no TrânsitoPropostas do brasil para a Década de Segurança no Trânsito
Propostas do brasil para a Década de Segurança no Trânsito
SERGET | Mobilidade Viária
 
Forfeit Fiemglab - Apresentação
Forfeit Fiemglab - ApresentaçãoForfeit Fiemglab - Apresentação
Forfeit Fiemglab - Apresentação
Wave Connections
 
IDECAN Exercícios
IDECAN ExercíciosIDECAN Exercícios
IDECAN Exercícios
EstrategiaConc
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
Miguel Novais
 
Questões IDECAN Prof. Margos Girão
Questões IDECAN Prof.  Margos GirãoQuestões IDECAN Prof.  Margos Girão
Questões IDECAN Prof. Margos Girão
Marcos Girão
 
Palestra de Acessibilidade - Ipem MG
Palestra de Acessibilidade - Ipem MGPalestra de Acessibilidade - Ipem MG
Palestra de Acessibilidade - Ipem MG
liviamurta
 
Contexto das Empresas de Transporte no Brasil
Contexto das Empresas de Transporte no BrasilContexto das Empresas de Transporte no Brasil
Contexto das Empresas de Transporte no Brasil
Andre Dantas
 
Plenária da Cidade de Jaboatão dos Guararapes
Plenária da Cidade de Jaboatão dos GuararapesPlenária da Cidade de Jaboatão dos Guararapes
Plenária da Cidade de Jaboatão dos Guararapes
Jamildo Melo
 
Slide bprv apresentacao
Slide bprv apresentacaoSlide bprv apresentacao
Slide bprv apresentacao
DiogoNascimento44
 
Impactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsito
Impactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsitoImpactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsito
Impactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsito
Chico Macena
 
Custos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Custos do Transporte Público por Ônibus no BrasilCustos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Custos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Andre Dantas
 
Mobilidade Urbana nas médias cidades
Mobilidade Urbana nas médias cidadesMobilidade Urbana nas médias cidades
Mobilidade Urbana nas médias cidades
Andre Dantas
 

Mais procurados (19)

Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...
Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...
Evolução dos índices gerais de acidentes de trânsito e dos custos de atendime...
 
A mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviária
A mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviáriaA mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviária
A mobilidade em bicicleta e a sinistralidade rodoviária
 
Acidentes de trânsito
Acidentes de trânsitoAcidentes de trânsito
Acidentes de trânsito
 
Análise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ Apresentação
Análise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ ApresentaçãoAnálise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ Apresentação
Análise dos Padrões de Mobilidade - Município de Sintra_ Apresentação
 
Comandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suave
Comandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suaveComandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suave
Comandante da PSP de Aveiro dedica estudo à mobilidade suave
 
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsitoGoverno Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
 
Cartilha transito
Cartilha transitoCartilha transito
Cartilha transito
 
Propostas do brasil para a Década de Segurança no Trânsito
Propostas do brasil para a Década de Segurança no TrânsitoPropostas do brasil para a Década de Segurança no Trânsito
Propostas do brasil para a Década de Segurança no Trânsito
 
Forfeit Fiemglab - Apresentação
Forfeit Fiemglab - ApresentaçãoForfeit Fiemglab - Apresentação
Forfeit Fiemglab - Apresentação
 
IDECAN Exercícios
IDECAN ExercíciosIDECAN Exercícios
IDECAN Exercícios
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Questões IDECAN Prof. Margos Girão
Questões IDECAN Prof.  Margos GirãoQuestões IDECAN Prof.  Margos Girão
Questões IDECAN Prof. Margos Girão
 
Palestra de Acessibilidade - Ipem MG
Palestra de Acessibilidade - Ipem MGPalestra de Acessibilidade - Ipem MG
Palestra de Acessibilidade - Ipem MG
 
Contexto das Empresas de Transporte no Brasil
Contexto das Empresas de Transporte no BrasilContexto das Empresas de Transporte no Brasil
Contexto das Empresas de Transporte no Brasil
 
Plenária da Cidade de Jaboatão dos Guararapes
Plenária da Cidade de Jaboatão dos GuararapesPlenária da Cidade de Jaboatão dos Guararapes
Plenária da Cidade de Jaboatão dos Guararapes
 
Slide bprv apresentacao
Slide bprv apresentacaoSlide bprv apresentacao
Slide bprv apresentacao
 
Impactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsito
Impactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsitoImpactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsito
Impactos da municipalização e capacitação dos agentes de trânsito
 
Custos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Custos do Transporte Público por Ônibus no BrasilCustos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
Custos do Transporte Público por Ônibus no Brasil
 
Mobilidade Urbana nas médias cidades
Mobilidade Urbana nas médias cidadesMobilidade Urbana nas médias cidades
Mobilidade Urbana nas médias cidades
 

Semelhante a CONASS Debate – Dia 26/04: Antônio Carlos F. Nardi

Análise de Políticas Públicas Acidentes com Motocicletas
Análise de Políticas Públicas Acidentes com MotocicletasAnálise de Políticas Públicas Acidentes com Motocicletas
Análise de Políticas Públicas Acidentes com Motocicletas
Paul Nobre
 
Mapa da Violência no Trânsito 2012
Mapa da Violência no Trânsito 2012Mapa da Violência no Trânsito 2012
Mapa da Violência no Trânsito 2012
covisamaua
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento SocialApresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
PDDI RMVA
 
Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020
Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020
Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020
Roberta Soares
 
Anuário 2015 de Acidentes em vias de Fortaleza
Anuário 2015 de Acidentes em vias de FortalezaAnuário 2015 de Acidentes em vias de Fortaleza
Anuário 2015 de Acidentes em vias de Fortaleza
Anderson Carvalho
 
ApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptx
ApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptxApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptx
ApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptx
eriksilva4587
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre Medici
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre MediciO Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre Medici
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre Medici
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)
Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)
Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)
SERGET | Mobilidade Viária
 
Acidente banner
Acidente bannerAcidente banner
Acidente banner
Alex Andrade
 
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIARVigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Jussara Belavinha
Jussara BelavinhaJussara Belavinha
Jussara Belavinha
DetranRS
 
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel LisbôaQuimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Oncoguia
 
Palestra I Encontro Violência e SaúDe Slide Share
Palestra I Encontro Violência e SaúDe Slide SharePalestra I Encontro Violência e SaúDe Slide Share
Palestra I Encontro Violência e SaúDe Slide Share
Paul Nobre
 
Estatísticas de transito 2012 - 13 - Minas Gerais (MG)
Estatísticas de transito 2012  - 13 - Minas Gerais (MG)Estatísticas de transito 2012  - 13 - Minas Gerais (MG)
Estatísticas de transito 2012 - 13 - Minas Gerais (MG)
EasySonho
 
Plano municipal da dengue 2014 2015
Plano municipal da dengue 2014 2015Plano municipal da dengue 2014 2015
Plano municipal da dengue 2014 2015
Rogerio Catanese
 
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
1º série reda cem - 10.13
1º série   reda cem -  10.131º série   reda cem -  10.13
1º série reda cem - 10.13
MatheusMesquitaMelo
 
22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx
22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx
22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx
JoelmaAlves49
 
Linha cuidado trauma_rue
Linha cuidado trauma_rueLinha cuidado trauma_rue
Linha cuidado trauma_rue
Marcelo Monte de Sousa Melo
 
Evento FTQB_Apresentação Floripa Cidadã
Evento FTQB_Apresentação Floripa CidadãEvento FTQB_Apresentação Floripa Cidadã
Evento FTQB_Apresentação Floripa Cidadã
Floripa Te Quero Bem
 

Semelhante a CONASS Debate – Dia 26/04: Antônio Carlos F. Nardi (20)

Análise de Políticas Públicas Acidentes com Motocicletas
Análise de Políticas Públicas Acidentes com MotocicletasAnálise de Políticas Públicas Acidentes com Motocicletas
Análise de Políticas Públicas Acidentes com Motocicletas
 
Mapa da Violência no Trânsito 2012
Mapa da Violência no Trânsito 2012Mapa da Violência no Trânsito 2012
Mapa da Violência no Trânsito 2012
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento SocialApresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
 
Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020
Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020
Ipea Impactos SocioEconomico_Transito2020
 
Anuário 2015 de Acidentes em vias de Fortaleza
Anuário 2015 de Acidentes em vias de FortalezaAnuário 2015 de Acidentes em vias de Fortaleza
Anuário 2015 de Acidentes em vias de Fortaleza
 
ApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptx
ApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptxApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptx
ApresentacaoCTP_DETRANPE_PanoramaAcidentesatualizada 28112016.pptx
 
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre Medici
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre MediciO Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre Medici
O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - Andre Medici
 
Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)
Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)
Estratégias de Segurança Rodoviária (BID)
 
Acidente banner
Acidente bannerAcidente banner
Acidente banner
 
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIARVigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
 
Jussara Belavinha
Jussara BelavinhaJussara Belavinha
Jussara Belavinha
 
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel LisbôaQuimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
 
Palestra I Encontro Violência e SaúDe Slide Share
Palestra I Encontro Violência e SaúDe Slide SharePalestra I Encontro Violência e SaúDe Slide Share
Palestra I Encontro Violência e SaúDe Slide Share
 
Estatísticas de transito 2012 - 13 - Minas Gerais (MG)
Estatísticas de transito 2012  - 13 - Minas Gerais (MG)Estatísticas de transito 2012  - 13 - Minas Gerais (MG)
Estatísticas de transito 2012 - 13 - Minas Gerais (MG)
 
Plano municipal da dengue 2014 2015
Plano municipal da dengue 2014 2015Plano municipal da dengue 2014 2015
Plano municipal da dengue 2014 2015
 
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
 
1º série reda cem - 10.13
1º série   reda cem -  10.131º série   reda cem -  10.13
1º série reda cem - 10.13
 
22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx
22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx
22152615-cartilha-enfrentamento-da-violencia-contra-pessoa-idosa.pptx
 
Linha cuidado trauma_rue
Linha cuidado trauma_rueLinha cuidado trauma_rue
Linha cuidado trauma_rue
 
Evento FTQB_Apresentação Floripa Cidadã
Evento FTQB_Apresentação Floripa CidadãEvento FTQB_Apresentação Floripa Cidadã
Evento FTQB_Apresentação Floripa Cidadã
 

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS

Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do SulModelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - ROPIMENTEIRAS DO OESTE - RO
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e HipertensãoJornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APSA Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DFEstratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de DiabetesPor um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no BrasilO pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à SaúdeNotas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Ministério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APSMinistério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APS
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS (20)

Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do SulModelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
 
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
 
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
 
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
 
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - ROPIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
 
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
 
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
 
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
 
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
 
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
 
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e HipertensãoJornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
 
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APSA Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
 
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DFEstratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
 
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
 
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de DiabetesPor um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
 
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no BrasilO pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
 
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à SaúdeNotas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
 
Ministério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APSMinistério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APS
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
 

CONASS Debate – Dia 26/04: Antônio Carlos F. Nardi

  • 1. “O Impacto dos Acidentes de Trânsito no Sistema de Saúde” MINISTÉRIO DA SAÚDE 26 de abril de 2017
  • 2. 71,1% da população brasileira* procura o SUS para atendimento Cerca de 150 milhões de pessoas dependem exclusivamente do SUS 3,9 bilhões de procedimentos ambulatoriais (2016) Maior sistema público de transplantes de órgãos do mundo: 24,9 mil transplantes/ano 98% do mercado de vacinas é movimentado pelo SUS: 300 milhões de doses/ano para combater mais de 20 doenças 1,3 bilhão de consultas/atendimentos (2016) O Sistema Público de Saúde no Brasil - SUS *Brasil possuía 200,4 milhões de habitantes em 2013 (Fonte: IBGE)
  • 3. 15% da Receita Corrente Líquida da União é aplicada na saúde; Setor Saúde representa 8% do PIB nacional Em 2013, os gastos públicos responderam por 45% do financiamento da saúde. O setor privado por 55%. R$ 115,3 bilhões no orçamento de 2017 Para ações e serviços públicos de saúde 45%55% Fonte: 2010 a 2013 – IBGE / 2014 e 2015 – SIOPS
  • 4. Frota de veículos no Brasil: 2004 a 2016 Fonte: Renavam/Ministério das Cidades/Denatran 0 10000000 20000000 30000000 40000000 50000000 60000000 70000000 80000000 90000000 100000000 2004200520062007200820092010201120122013201420152016 Hegemonia do transporte individual privado Cerca 1 veículo para cada 2 habitantes Veículos terrestres em 2016: 93,8 milhões
  • 5. Morte prematura Incapacidade em idade produtiva Sobrecarga da demanda pelos serviços de saúde Impactos na saúde das pessoas Aumento dos custos assistenciais Acidentes de trânsito
  • 6. 1,2 milhões de óbitos no Brasil em 2014 43,7 mil mortes por acidente de trânsito Maioria dos óbitos na faixa etária entre 20 e 39 anos 35% dos óbitos registrados são na região Sudeste, seguida pela região Nordeste com 30% Fonte Ministério Saúde/BR. Mortes prematuras 28% das mortes por causa externa são por acidentes de transporte, é a segunda principal causa, atrás apenas das agressões.
  • 7. Taxa de mortalidade por acidente de transporte terrestre (ATT) Taxas de mortalidade padronizadas por sexo e idade (por 100 mil habitantes). 2000-2002 2012-2014 Fonte: Ministério da Saúde
  • 8. Taxa de mortalidade por acidente de transporte terrestre (ATT) Fonte: Ministério da - Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). 0.0 5.0 10.0 15.0 20.0 25.0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Taxademortalidade(x100milhab.) Anos ATT Motociclista Ocupante Pedestre O risco de morte aumentou 313,3% para motociclistas, Para pedestres houve redução 30,2% Entre 2000 - 2014
  • 9. 176 mil internações por acidentes no trânsito registradas no SUS em 2014, 54% eram motociclistas. Fonte Ministério Saúde/BR. Serviços de saúde sobrecarregados 26% dos atendimentos em urgência masculinos e 18,5 % femininos foram devidos a acidentes de trânsito em 2014.
  • 10. Atendimentos urgência e emergência Capitais e Distrito Federal, 2014 0.0 15.0 30.0 45.0 % Masculino Feminino Total: 36.046 19.890
  • 11. 23,5% das internações por acidentes de trânsito, entre 2000 e 2013, apresentaram diagnóstico sugestivo de sequela física em homens de 20 a 29 anos, a maioria pedestres e motociclistas. Fonte Ministério Saúde/BR. Incapacidade em idade produtiva 1,7 milhões de internações por acidentes de trânsito foram registradas de 2000 a 2013. As principais sequelas são amputação e traumatismo crânio encefálico.
  • 12. Rodovias Federais 170 mil acidentes em 2014 8 mil mortes e 100 mil feridos R$ 40 bilhões é a estimativa de custos com internações, danos pessoais e materiais nas rodovias brasileiras (federais, estaduais e municipais) Fonte Ministério Saúde/BR. Aumento dos custos assistenciais Impacto na previdência social
  • 13. Motociclista 52% Pedestre 23% Ocupantes 13% Ciclista 4% Outros ATT 8% Acidentes geram alto impacto no SUS 2014 Condição da vítima Milhão R$ Motociclista 126,1 Pedestre 56,0 Ocupantes 31,4 Ciclista 10,4 Outros Acidentes Trânsito 20,2 Acidentes Trânsito total 244,1
  • 14. Legislação rígida como medida de prevenção 1997: Código de Trânsito Brasileiro - lei federal Lei nº 11.705 de 2008 (Lei “Seca”): Estabelece alcoolemia zero “Lei da cadeirinha”: Resolução 277 Contran regulamenta o transporte de crianças até 10 anos. Lei nº 12.971 de 2014: Aumento do valor das multas para infrações gravíssimas 2014: Emenda Constitucional 82 - Inclui o § 10 ao art. 144 da Constituição Federal, para disciplinar a segurança viária. Cria a carreira de agentes de trânsito. Lei nº 12.760 de 2012: “Nova Lei Seca” : amplia a identificação de sinais sugestivos de embriaguez : vídeos, testemunhas... Lei 13.281/2016: aumento do valor de todas as categorias de multas.
  • 15. 4 3,1 3,5 3,1 3 3,3 2,1 0,3 0,3 0,3 0,3 0,3 0,3 0,3 2 1,6 1,8 1,6 1,5 1,7 1,1 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Masculino Feminino Ambos Evolução da prevalência de consumo abusivo de álcool, segundo sexo Operação Lei Seca Nova Lei Seca Lei Seca efetiva VIGITEL, 2007-2013
  • 17. Promoção de comportamentos e ambientes seguros e saudáveis Monitoramento da ocorrência de acidentes e violências Apoio ao desenvolvimento de estudos e pesquisas Capacitação de recursos humanos Ampliação do atendimento pré- hospitalar Assistência às vítimas Formação e educação permanente Alimentação adequada e saudável Práticas corporais e atividades físicas Enfrentamento ao uso do tabaco e de seus derivados Enfrentamento do uso abusivo de álcool e de outras drogas Promoção da mobilidade segura Promoção da cultura da paz e dos direitos humanos Promoção do desenvolvimento sustentávelRede de Atenção às Urgências e Emergências Samu 192 UPA 24 horas SOS Emergências Atenção Domiciliar Linha de Cuidado ao Trauma Promoção da Saúde e Atenção às Urgências e Emergências
  • 18. Presidente Michel Temer anunciou renovação da frota do SAMU para todo país 340 ambulâncias substituídas 19 estados contemplados 77% da população coberta pelo SAMU 192 R$ 1 bilhão investidos em custeio, em 2016
  • 19. Aperfeiçoamento do sistema de informações; Intervenções focadas nos fatores de risco de ordem comportamental ou grupo de vítimas prioritários Álcool e direção Velocidade excessiva ou inadequada Outros fatores de risco ou grupo de vítimas prioritários: motociclista, pedestre e ciclista. Atendimento às vítimas 1º curso EAD em 2016. 2ª edição já prevista 2017. Criado em 2010 para subsidiar gestores no fortalecimento de políticas de prevenção de lesões e mortes no trânsito por meio da qualificação, planejamento, monitoramento, acompanhamento e avaliação das ações. R$ 82 milhões de reais investidos no Programa Vida no Trânsito Ações
  • 20. Metodologia do programa nas cidades
  • 21. 8498 8210 8065 7575 7843 5681 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 8000 9000 2010 2011 2012 2013 2014 2015* Redução de 33% no número de óbitos nos municípios que executam o vida no trânsito entre 2010 a 2015* Fonte: SIM/DATASUS/MS * 2015 – dados preliminares Todas as capitais, Campinas e Guarulhos/SP, Foz do Iguaçu e São José dos Pinhais/PR
  • 22. Ministério das Cidades Ações de mobilização social Semana Nacional de Trânsito, Dia Mundial Sem Carro, Maio Amarelo Campanhas publicitárias Carnaval, prevenção de acidentes, motoristas profissionais Instituições parceiras do Pacto Nacional Empresas privadas de diversos setores, órgãos públicos, associações Ação permanente nas redes sociais com interação e engajamento
  • 23. Campanha RODOVIDA Ministério da Justiça Mobilização nacional intersetorial Realizada desde 2011 Operações intensivas e integradas com diversos órgãos: Policias, Ministério da Saúde, das Cidades e do Transporte. Realizada em períodos de férias, carnaval e semana santa. Objetivo Reduzir a violência e mortes por acidentes de trânsito nos períodos de grande fluxo. Resultados desde 2011 Redução de 40% de óbitos, 38 % acidentes graves e 43% de feridos em acidentes de trânsito em relação às projeções para 2017.
  • 24. Fiscalização de Motocicletas Fiscalização de Velocidade e Ultrapassagem Fiscalização de Alcoolemia Ministério da Justiça
  • 25. 2ª Conferência Global de alto nível sobre segurança no trânsito Mais de 2.000 participantes 52 Ministros de Estados dos cinco continentes. Resulta na Declaração de Brasília, posteriormente acolhida e reforçadas na Assembleia Mundial da Saúde e Assembleia Geral das Nações Unidas em 2016. Brasília, 18-19 Novembro de 2015
  • 26. SAÚDE Mais destaque para o pré/pós traumas, notificações, padronização, coleta e sistematização de dados, indicadores. Escopo se estende para além do trauma e explicita a relação das DCNTs com políticas de trânsito/ transporte. SUSTENTABILIDADE Forte influência da Agenda 2030. Desenvolvimento urbano e o transporte público recebem menção e atenção privilegiadas. Declaração de Brasília PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO Externam mais seus anseios e necessidades. As diretrizes políticas do Brasil influenciaram para consagrar linhas de interlocuções. EQUIDADE Ênfase em elementos associados com as desigualdades socioeconômicas: equidade, inclusão, direitos e destaques à condição dos segmentos mais vulneráveis.
  • 27. Menção inédita, explícita e direta nas metas do tema da segurança viária, em pelo menos duas passagens destacadas. Objetivo 3 – Assegurar uma vida saudável e promover o bem estar para todos, em todas as idades. Meta 3.6 - Até 2020, reduzir pela metade as mortes e as lesões no mundo por ATT. Objetivo 11 - Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Meta 11.2 - Até 2030, proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis, sustentáveis e a preço acessível para todos, Melhorando a segurança viária por meio da expansão dos transportes públicos, com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos. Agenda Internacional
  • 28. 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 1.2 1.4 1.6 1.8 2.0 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 5 milhões de vidas salvas Aumento projetado caso não haja ações Redução projetada caso haja ações Mortesnotrânsito(Milhões) METAS MUNDIAIS DA DÉCADA 2011-2020: REDUÇÃO DE 50% NOS ÓBITOS EM RELAÇÃO A 2010
  • 29. Obrigado! Antônio Carlos Nardi Secretário Executivo antonio.nardi@saude.gov.br