SlideShare uma empresa Scribd logo
Como a pré-construção influencia o
desempenho dos datacenters
Em um segmento onde desempenho é a palavra chave e o custo de uma falha pode inviabilizar o
negócio, o desenvolvimento de um datacenter deve ser pensado desde a etapa de pré-construção,
que inclui gerenciamento de projetos, plano de gestão da qualidade, formação de preços e
prazos, análise de logística e construtibilidade, engenharia de valor, sustentabilidade e
certificações. Serão apresentados os cases de três dos maiores datacenters do País.
Agenda
- Como a Racional Engenharia está inserida no contexto de DC no Brasil;
- Quais os problemas de desempenho relativos à Construção de Data Centers;
- Ciclo de vida e fluxo de trabalho em projetos;
- Pré-Construção – Conceito e Resultados esperados;
- Modalidades de Contratação e Precificação;
- CASE: 1
- CASE: 2
- CASE: 3
- CASE: Performance comparada;
- Conclusão e Considerações Finais;
Somos uma das principais empresas de engenharia e
construção do setor privado B2B no Brasil
Mais de
9 milhões m²
construídos
Portfólio com mais de
600 obras em todo
território brasileiro
10 Data Centers construidos no Brasil
somando mais de 200 Mil m²
Mercados de atuação
Industrial Shopping Centers &
Varejo
Edificações Ciências e
Tecnologia
Infraestrutura
Datacenters
Centro Tecnológico Itaú
Mogi Mirim – SP
Datacenter Telefônica Vivo
Santana de Parnaíba – SP
Datacenter BM&F BOVESPA
Santana de Parnaíba – SP
Datacenter Tivit
Rio Janeiro – RJ
Datacenter TIM
Santo André – SP
Datacenter Bradesco
Osasco– SP
O que causa problemas de desempenho
na construção de um Datacenter?
Experiência em 550 certificações Tier
em 65 diferentes países
• Falhas na integração entre os diferentes sistemas;
• Comissionamento deficiente ou com prazo insuficiente;
• Mudança de projetos;
• Substituição de materiais sem Engenharia de Valor;
• Falta de alinhamento durante a construção;
• Problemas de performance dos contratados.
Fonte: Avoiding Data Center Construction Problems. Keith Klesner, 2014. Uptime Institute Journal.
Por que esses problemas acontecem?
• Processo de controle de mudanças deficiente;
• Falta de conhecimento da Operação por parte dos representantes do Cliente;
• Equipe do Projeto inexperiente;
• Falta de alinhamento entre participantes do Projeto;
• Falta de supervisão durante a construção;
• Ausência de empresa independente para verificação dos sistemas;
• Engenharia de Valor sem visão sistêmica – Engenharia de Custo;
• Falhas no processo de contratação, levando a problemas futuros com os
requisitos de qualidade, prazo e custo;
• Definição de prazo insuficiente para comissionamento, ou redução do
mesmo para acomodar atrasos de obra.
Fonte: Avoiding Data Center Construction Problems. Keith Klesner, 2014. Uptime Institute Journal.
Soluções propostas pelo Uptime Institute
CAUSADORES DE PROBLEMAS: SOLUÇÕES PROPOSTAS PARA OS PROBLEMAS:
• Escolha dos parceiros errados;
• Prazo insuficiente para projeto,
planejamento e
comissionamento;
• Elaboração de contratos em
que divergem os interesses do
Cliente e Contratado;
• Engenharia de Valor sem uma
análise detalhada do projeto.
• Escolha correta dos parceiros;
• Formas de contratos que
incentivem o team approach;
• Contratação de CQP para
projetos e Engenharia de Valor;
• Contratação de empresa
independente para verificação e
comissionamento.
Fonte: Avoiding Data Center Construction Problems. Keith Klesner, 2014. Uptime Institute Journal.
Ciclo de Vida de um projeto (PMBoK® - PMI)
Quanto maior a integração do conhecimento e experiência em Engenharia e Construção,
principalmente no inicio do ciclo de vida do Projeto, mais eficiente será o investimento na sua
implantação – melhor desempenho.
Fluxo de trabalho de projetos
A pré-construção, seguida da construção, prevê a aplicação de conhecimento em E&C que apoiará o
cliente desde a definição do programa de necessidades visando adequação ao CAPEX, menor OPEX e
maior eficiência.
Entregas de uma Pré-construção
Conceituação
 Benchmarking
 Apoio no
Programa de
Necessidades
 Apoio na
definição dos
diferenciais
competitivos
Desenvolvimento
 Construtibilidade
 Contribuição no
Design
 Apoio nas
Aprovações
 Orçamentação
 Planejamento
 Cadeia Produtiva
 Planejamento do
Comissionamento
Implantação
 Construção
 Planejamento
 Controle
 Qualidade
 Gestão Riscos
 Comissionamento
das etapas
Construtivas
Comissionamento
 Testes e Certificações
Operação
 Garantias
Ciclo de Vida
Entregas
Valor
Agregado
Pré-Construção Construção
• Apoio na definição dos diferenciais competitivos
• Adequação ao CAPEX
• Menor custo operacional
• Construtibilidade
• Eficiência energética
• Confiabilidade e Disponibilidade
Resultados esperados de uma pré-construção
• Maior integração entre Projetos e Construção = Construtibilidade;
• O projeto é concebido levando-se em conta os métodos construtivos que
irão atender as premissas de prazo, custo e qualidade esperados;
• Incorpora-se no projeto conceitos de lean construction;
• Utilização da plataforma BIM 5D (Desejável);
• O planejamento e orçamento da obra ocorre de forma iterativa junto ao
desenvolvimento do projeto, trazendo agilidade para percepção e correção
de desvios;
• Aumenta a adaptabilidade a mudanças de escopo, custo e prazo;
• Redução de Ordens de Modificação, pois espera-se uma maior clareza
quanto ao programa do Projeto e maior construtibilidade dos projetos;
• Disponibilidade e Confiabilidade.
Modalidades de Contratação e Precificação
 General Contractor (GC)
 Construction Management at Risk (CM@Risk)
 Design-Build (D&B)
MODALIDADE
Cliente
Projetos e
Consultoria
General
Contractor
Gerenciador
Subempreiteiro
Arquitetura
General Contractor (GC)
Subempreiteiro
Risco
Cliente
Modalidades de Contratação e Precificação
 General Contractor (GC)
 Construction Management at Risk (CM@Risk)
 Design-Build (D&B)
MODALIDADE
Cliente
Arquitetura CM@Risk
Projetos e
Consultoria
Subempreiteiro Subempreiteiro
Construction Manager At Risk (CM@Risk)
Risco
Cliente
Modalidades de Contratação e Precificação
 General Contractor (GC)
 Construction Management at Risk (CM@Risk)
 Design-Build (D&B)
MODALIDADE
Design-Builder (D&B)
Cliente
Design-Builder
Projetos de
Engenharia
Consultores Subempreiteiro
Arquitetura
Conceitual
Gerenciador
Subempreiteiro
Risco
Cliente
Modalidades de Contratação e Precificação
 General Contractor (GC)
 Construction Management at Risk (CM@Risk)
 Design-Build (D&B)
MODALIDADE
 Empreitada (Lump Sum)
 Administração
 Formas Mistas
REGIME DE PRECIFICAÇÃO
Preço Global
Preço Unitário
Pura (Cost Plus)
Preço Máximo Garantido
Preço Alvo
Risco
Cliente
Cases
Case 1
Modelo Contratual: CM@Risk (Construction Management at Risk)
Forma de Precificação: PMG (Preço Máximo Garantido)
• Construtora como líder da Pré-Construção e Construção
• PMG é confirmado com os projetos executivos 80%
Modalidade Contratual: General Contractor
Forma de Precificação: Empreitada Global
• Construtora tem o papel de main contractor da etapa de construção;
• Equipamentos comprados pelo cliente e instalação coordenada pela construtora.
Case 2
Case 3
Modalidade Contratual: General Contractor
Forma de Precificação: Empreitada Parcial
• Instaladoras diretamente contratadas e administradas pelo Cliente/Gerenciadora.
• Equipamentos e instalação contratados pelo cliente, com apoio da construtora.
• Indicadores
– Ordens de Modificação:
• Quantidade em relação ao valor contratado;
• Proporção (%) do valor do contrato;
– Impacto das OMs no valor final;
– Performance no prazo de entrega.
Performance nas modalidades Contratuais
Performance nas modalidades Contratuais
- Empreendimentos implantados com
Engenharia aplicada desde a Pré-Construção
têm melhor desempenho;
• Escolha da modalidade de contratação;
• Integração;
• Engenharia de Valor;
• Construtibilidade;
• Gestão de Riscos;
Conclusão e Considerações Finais
Perguntas?
Obrigado!
Anderson Garcia
Gerente de Desenvolvimento de Negocios
anderson.garcia@racional.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade iii gestao de projetos
Atividade iii gestao de projetosAtividade iii gestao de projetos
Atividade iii gestao de projetos
Selma Bianca
 

Mais procurados (19)

Trabalho gestão de projetos
Trabalho gestão de projetosTrabalho gestão de projetos
Trabalho gestão de projetos
 
Atividade iii gestao de projetos
Atividade iii gestao de projetosAtividade iii gestao de projetos
Atividade iii gestao de projetos
 
Gerencia da qualidade
Gerencia da qualidadeGerencia da qualidade
Gerencia da qualidade
 
Quality assurance e a hitória da falta de qualidade
Quality assurance e a hitória da falta de qualidadeQuality assurance e a hitória da falta de qualidade
Quality assurance e a hitória da falta de qualidade
 
Apresentação | Gestão de QA | Modelo Human driven | Qualidade de software | ...
Apresentação | Gestão de QA |  Modelo Human driven | Qualidade de software | ...Apresentação | Gestão de QA |  Modelo Human driven | Qualidade de software | ...
Apresentação | Gestão de QA | Modelo Human driven | Qualidade de software | ...
 
Modelo de estrutura_do_plano_de_gerencia
Modelo de estrutura_do_plano_de_gerenciaModelo de estrutura_do_plano_de_gerencia
Modelo de estrutura_do_plano_de_gerencia
 
Droneway: Software para Controle de Drones
Droneway: Software para Controle de DronesDroneway: Software para Controle de Drones
Droneway: Software para Controle de Drones
 
Projeto E-Carga
Projeto E-CargaProjeto E-Carga
Projeto E-Carga
 
Planejamento e Gerenciamento da Construção Civil
Planejamento e Gerenciamento da Construção CivilPlanejamento e Gerenciamento da Construção Civil
Planejamento e Gerenciamento da Construção Civil
 
Projeto de reforma escritório Flamar
Projeto de reforma escritório FlamarProjeto de reforma escritório Flamar
Projeto de reforma escritório Flamar
 
Caderno_VOXXEL_PDF
Caderno_VOXXEL_PDFCaderno_VOXXEL_PDF
Caderno_VOXXEL_PDF
 
ECOMASJOR
ECOMASJORECOMASJOR
ECOMASJOR
 
Gestão do Escopo do Projeto
Gestão do Escopo do ProjetoGestão do Escopo do Projeto
Gestão do Escopo do Projeto
 
Projeto Integração
Projeto IntegraçãoProjeto Integração
Projeto Integração
 
Projeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Projeto Imperatriz - Levantamento FotogramétricoProjeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
Projeto Imperatriz - Levantamento Fotogramétrico
 
Projeto Kasa
Projeto KasaProjeto Kasa
Projeto Kasa
 
Novo Celular
Novo CelularNovo Celular
Novo Celular
 
Pmbok5 escopo (2)
Pmbok5   escopo (2)Pmbok5   escopo (2)
Pmbok5 escopo (2)
 
CV_Neander Alessandro da Silva PaulaRev1
CV_Neander Alessandro da Silva PaulaRev1CV_Neander Alessandro da Silva PaulaRev1
CV_Neander Alessandro da Silva PaulaRev1
 

Semelhante a Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson Garcia

Introdução a construtibilidade parte 1
Introdução a construtibilidade   parte 1Introdução a construtibilidade   parte 1
Introdução a construtibilidade parte 1
Alexandre Lyra
 
Conceitos gerais de GP
Conceitos gerais de GPConceitos gerais de GP
Conceitos gerais de GP
joao87vidal
 
Apresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptx
Apresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptxApresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptx
Apresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptx
EderLima38
 

Semelhante a Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson Garcia (20)

Introdução a construtibilidade parte 1
Introdução a construtibilidade   parte 1Introdução a construtibilidade   parte 1
Introdução a construtibilidade parte 1
 
Introdução a construtibilidade parte 1
Introdução a construtibilidade   parte 1Introdução a construtibilidade   parte 1
Introdução a construtibilidade parte 1
 
Conceitos gerais de GP
Conceitos gerais de GPConceitos gerais de GP
Conceitos gerais de GP
 
PDP FINAL.ppt
PDP  FINAL.pptPDP  FINAL.ppt
PDP FINAL.ppt
 
Teste
TesteTeste
Teste
 
Apresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptx
Apresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptxApresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptx
Apresentação - USOS do BIM - parte Eder.pptx
 
Aula 01 - A importância do planejamento.pptx
Aula 01  - A importância do planejamento.pptxAula 01  - A importância do planejamento.pptx
Aula 01 - A importância do planejamento.pptx
 
Gestão de Projetos
Gestão de ProjetosGestão de Projetos
Gestão de Projetos
 
Gestão de Empreiteiros na Construção Civil - FEICON 2012
Gestão de Empreiteiros na Construção Civil - FEICON 2012Gestão de Empreiteiros na Construção Civil - FEICON 2012
Gestão de Empreiteiros na Construção Civil - FEICON 2012
 
Pmi Global 2008 Portfolio
Pmi Global 2008 PortfolioPmi Global 2008 Portfolio
Pmi Global 2008 Portfolio
 
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
 
Pmbok qualidadde
Pmbok qualidaddePmbok qualidadde
Pmbok qualidadde
 
Gestão de Custos em Projetos Complexos
Gestão de Custos em Projetos ComplexosGestão de Custos em Projetos Complexos
Gestão de Custos em Projetos Complexos
 
PEDALA RIO VERDE
PEDALA RIO VERDE PEDALA RIO VERDE
PEDALA RIO VERDE
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetos
 
Administração de Contratos e Gestão de Pleitos
Administração de Contratos e Gestão de PleitosAdministração de Contratos e Gestão de Pleitos
Administração de Contratos e Gestão de Pleitos
 
Linha Ágil: Integração de Agilidade e Disciplina em uma Organização CMMI nível 2
Linha Ágil: Integração de Agilidade e Disciplina em uma Organização CMMI nível 2Linha Ágil: Integração de Agilidade e Disciplina em uma Organização CMMI nível 2
Linha Ágil: Integração de Agilidade e Disciplina em uma Organização CMMI nível 2
 
Como melhorar a Qualidade da Obra?
Como melhorar a Qualidade da Obra?Como melhorar a Qualidade da Obra?
Como melhorar a Qualidade da Obra?
 
Seminario Riscos 2006 - Vladimir
Seminario Riscos 2006 - VladimirSeminario Riscos 2006 - Vladimir
Seminario Riscos 2006 - Vladimir
 
Implantação Software Contas a Receber
Implantação Software Contas a ReceberImplantação Software Contas a Receber
Implantação Software Contas a Receber
 

Último

018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
Renandantas16
 
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdfCRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 

Último (6)

018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
 
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
 
GLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto Economico
GLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto EconomicoGLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto Economico
GLP ou GPT? A revolução Ozempic - O Impacto Economico
 
7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf
7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf
7 hábitos das pessoas altamente eficazes EMERSON EDUARDO RODRIGUES.pdf
 
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdfCRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
CRC e CRM - A Dupla Perfeita Para Atrair e Fidelizar Pacientes.pdf
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 

Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson Garcia

  • 1.
  • 2. Como a pré-construção influencia o desempenho dos datacenters Em um segmento onde desempenho é a palavra chave e o custo de uma falha pode inviabilizar o negócio, o desenvolvimento de um datacenter deve ser pensado desde a etapa de pré-construção, que inclui gerenciamento de projetos, plano de gestão da qualidade, formação de preços e prazos, análise de logística e construtibilidade, engenharia de valor, sustentabilidade e certificações. Serão apresentados os cases de três dos maiores datacenters do País.
  • 3. Agenda - Como a Racional Engenharia está inserida no contexto de DC no Brasil; - Quais os problemas de desempenho relativos à Construção de Data Centers; - Ciclo de vida e fluxo de trabalho em projetos; - Pré-Construção – Conceito e Resultados esperados; - Modalidades de Contratação e Precificação; - CASE: 1 - CASE: 2 - CASE: 3 - CASE: Performance comparada; - Conclusão e Considerações Finais;
  • 4. Somos uma das principais empresas de engenharia e construção do setor privado B2B no Brasil Mais de 9 milhões m² construídos Portfólio com mais de 600 obras em todo território brasileiro 10 Data Centers construidos no Brasil somando mais de 200 Mil m²
  • 5. Mercados de atuação Industrial Shopping Centers & Varejo Edificações Ciências e Tecnologia Infraestrutura
  • 6. Datacenters Centro Tecnológico Itaú Mogi Mirim – SP Datacenter Telefônica Vivo Santana de Parnaíba – SP Datacenter BM&F BOVESPA Santana de Parnaíba – SP Datacenter Tivit Rio Janeiro – RJ Datacenter TIM Santo André – SP Datacenter Bradesco Osasco– SP
  • 7. O que causa problemas de desempenho na construção de um Datacenter? Experiência em 550 certificações Tier em 65 diferentes países • Falhas na integração entre os diferentes sistemas; • Comissionamento deficiente ou com prazo insuficiente; • Mudança de projetos; • Substituição de materiais sem Engenharia de Valor; • Falta de alinhamento durante a construção; • Problemas de performance dos contratados. Fonte: Avoiding Data Center Construction Problems. Keith Klesner, 2014. Uptime Institute Journal.
  • 8. Por que esses problemas acontecem? • Processo de controle de mudanças deficiente; • Falta de conhecimento da Operação por parte dos representantes do Cliente; • Equipe do Projeto inexperiente; • Falta de alinhamento entre participantes do Projeto; • Falta de supervisão durante a construção; • Ausência de empresa independente para verificação dos sistemas; • Engenharia de Valor sem visão sistêmica – Engenharia de Custo; • Falhas no processo de contratação, levando a problemas futuros com os requisitos de qualidade, prazo e custo; • Definição de prazo insuficiente para comissionamento, ou redução do mesmo para acomodar atrasos de obra. Fonte: Avoiding Data Center Construction Problems. Keith Klesner, 2014. Uptime Institute Journal.
  • 9. Soluções propostas pelo Uptime Institute CAUSADORES DE PROBLEMAS: SOLUÇÕES PROPOSTAS PARA OS PROBLEMAS: • Escolha dos parceiros errados; • Prazo insuficiente para projeto, planejamento e comissionamento; • Elaboração de contratos em que divergem os interesses do Cliente e Contratado; • Engenharia de Valor sem uma análise detalhada do projeto. • Escolha correta dos parceiros; • Formas de contratos que incentivem o team approach; • Contratação de CQP para projetos e Engenharia de Valor; • Contratação de empresa independente para verificação e comissionamento. Fonte: Avoiding Data Center Construction Problems. Keith Klesner, 2014. Uptime Institute Journal.
  • 10. Ciclo de Vida de um projeto (PMBoK® - PMI)
  • 11. Quanto maior a integração do conhecimento e experiência em Engenharia e Construção, principalmente no inicio do ciclo de vida do Projeto, mais eficiente será o investimento na sua implantação – melhor desempenho. Fluxo de trabalho de projetos
  • 12. A pré-construção, seguida da construção, prevê a aplicação de conhecimento em E&C que apoiará o cliente desde a definição do programa de necessidades visando adequação ao CAPEX, menor OPEX e maior eficiência. Entregas de uma Pré-construção Conceituação  Benchmarking  Apoio no Programa de Necessidades  Apoio na definição dos diferenciais competitivos Desenvolvimento  Construtibilidade  Contribuição no Design  Apoio nas Aprovações  Orçamentação  Planejamento  Cadeia Produtiva  Planejamento do Comissionamento Implantação  Construção  Planejamento  Controle  Qualidade  Gestão Riscos  Comissionamento das etapas Construtivas Comissionamento  Testes e Certificações Operação  Garantias Ciclo de Vida Entregas Valor Agregado Pré-Construção Construção • Apoio na definição dos diferenciais competitivos • Adequação ao CAPEX • Menor custo operacional • Construtibilidade • Eficiência energética • Confiabilidade e Disponibilidade
  • 13. Resultados esperados de uma pré-construção • Maior integração entre Projetos e Construção = Construtibilidade; • O projeto é concebido levando-se em conta os métodos construtivos que irão atender as premissas de prazo, custo e qualidade esperados; • Incorpora-se no projeto conceitos de lean construction; • Utilização da plataforma BIM 5D (Desejável); • O planejamento e orçamento da obra ocorre de forma iterativa junto ao desenvolvimento do projeto, trazendo agilidade para percepção e correção de desvios; • Aumenta a adaptabilidade a mudanças de escopo, custo e prazo; • Redução de Ordens de Modificação, pois espera-se uma maior clareza quanto ao programa do Projeto e maior construtibilidade dos projetos; • Disponibilidade e Confiabilidade.
  • 14. Modalidades de Contratação e Precificação  General Contractor (GC)  Construction Management at Risk (CM@Risk)  Design-Build (D&B) MODALIDADE Cliente Projetos e Consultoria General Contractor Gerenciador Subempreiteiro Arquitetura General Contractor (GC) Subempreiteiro Risco Cliente
  • 15. Modalidades de Contratação e Precificação  General Contractor (GC)  Construction Management at Risk (CM@Risk)  Design-Build (D&B) MODALIDADE Cliente Arquitetura CM@Risk Projetos e Consultoria Subempreiteiro Subempreiteiro Construction Manager At Risk (CM@Risk) Risco Cliente
  • 16. Modalidades de Contratação e Precificação  General Contractor (GC)  Construction Management at Risk (CM@Risk)  Design-Build (D&B) MODALIDADE Design-Builder (D&B) Cliente Design-Builder Projetos de Engenharia Consultores Subempreiteiro Arquitetura Conceitual Gerenciador Subempreiteiro Risco Cliente
  • 17. Modalidades de Contratação e Precificação  General Contractor (GC)  Construction Management at Risk (CM@Risk)  Design-Build (D&B) MODALIDADE  Empreitada (Lump Sum)  Administração  Formas Mistas REGIME DE PRECIFICAÇÃO Preço Global Preço Unitário Pura (Cost Plus) Preço Máximo Garantido Preço Alvo Risco Cliente
  • 18. Cases
  • 19. Case 1 Modelo Contratual: CM@Risk (Construction Management at Risk) Forma de Precificação: PMG (Preço Máximo Garantido) • Construtora como líder da Pré-Construção e Construção • PMG é confirmado com os projetos executivos 80%
  • 20. Modalidade Contratual: General Contractor Forma de Precificação: Empreitada Global • Construtora tem o papel de main contractor da etapa de construção; • Equipamentos comprados pelo cliente e instalação coordenada pela construtora. Case 2
  • 21. Case 3 Modalidade Contratual: General Contractor Forma de Precificação: Empreitada Parcial • Instaladoras diretamente contratadas e administradas pelo Cliente/Gerenciadora. • Equipamentos e instalação contratados pelo cliente, com apoio da construtora.
  • 22. • Indicadores – Ordens de Modificação: • Quantidade em relação ao valor contratado; • Proporção (%) do valor do contrato; – Impacto das OMs no valor final; – Performance no prazo de entrega. Performance nas modalidades Contratuais
  • 24. - Empreendimentos implantados com Engenharia aplicada desde a Pré-Construção têm melhor desempenho; • Escolha da modalidade de contratação; • Integração; • Engenharia de Valor; • Construtibilidade; • Gestão de Riscos; Conclusão e Considerações Finais
  • 26. Obrigado! Anderson Garcia Gerente de Desenvolvimento de Negocios anderson.garcia@racional.com