Estudo de viabilidade

540 visualizações

Publicada em

Abordagem sobre a importância do estudo de viabilidade de um projeto de software

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
540
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo de viabilidade

  1. 1. P R O F . F E R N A N D O G O D Ó Y Estudo de Viabilidade
  2. 2. Estudo de Viabilidade O estudo de viabilidade é uma etapa do projeto que deve ser iniciada logo após o levantamento de requisitos funcionais e não funcionais. Geralmente esta etapa é subestimada e não lhe é dada a importância necessária, algumas vezes por negligência outra vezes por pressa em atender o cliente.
  3. 3. Estudo de Viabilidade O que poucos sabem é que, ao pular esta etapa, detalhes importantes sobre o projeto como por exemplo, alinhar as expectativas do cliente com a capacidade técnica do time de desenvolvimento são deixadas de lado, o que na maioria das vezes, gera algum tipo de dor de cabeça ou surpresas durante o andamento do projeto
  4. 4. Estudo de Viabilidade O estudo compreende 3 etapas cruciais sendo: Viabilidade Técnica; Viabilidade Econômica ; Viabilidade Legal. Esta etapas servem como base para uma tomada de decisão sobre do andamento de projeto e ao pular qualquer que seja das etapas, assume-se um risco que em algumas vezes tende a levar ao fracasso ou prejuízo do projeto.
  5. 5. Viabilidade Técnica Visa avaliar a função, desempenho e limitações que um software terá dentro de uma empresa, com isso é possível identificar se o sistema proposto atenderá ou não as necessidades do cliente.
  6. 6. Viabilidade Técnica Citada por muitos como a mais difícil a se fazer, uma vez que, a função do sistema pode acabar ficando um pouco vaga quando o cliente não sabe exatamente o que quer, com isso desempenho e limitações são feitos por meio de previsões, o que em alguns casos, pode-se comprometer módulos do sistema ou até mesmo o sistema inteiro, não se obtendo o resultado esperado ao final.
  7. 7. Viabilidade Técnica Em alguns casos por não se conseguir identificar exatamente o que o cliente deseja, acaba-se optando pelo modelo de ciclo de vida espiral e combinando ele. o modelo de prototipação, caindo em um loop infinito, tornando assim o projeto um fracasso, uma vez que, nunca se consegue chegar a um produto final.
  8. 8. Viabilidade Técnica Para algumas pessoas o cenário citado não chega a ser um problema e a palavra fracasso chega a soar forte, pois tem-se em mente que atender o cliente seja o suficiente para se ter um projeto de sucesso. Se levar em conta o conceito de projeto, onde este deve ter inicio, meio e fim, no cenário anterior não chegasse nunca ao fim do projeto, portanto, sim, o projeto fracassou.
  9. 9. Viabilidade Econômica O objetivo é o levantamento de custos e impactos econômicos que o software terá dentro da empresa. Por exemplo, avaliar se a equipe de desenvolvimento possui o conhecimento necessário da linguagem de programação, se será necessária aquisição de alguma licença em especial tanto para o desenvolvimento ou para a implantação do sistema dentro da empresa, custos com hardware, pessoal capacitado, ou seja, nesta etapa tende-se a avaliar todo e qualquer custo que ocorrerá tanto no desenvolvimento quanto na implantação do sistema, levando-se em consideração sempre o custo benefício.
  10. 10. Viabilidade Econômica Um grave erro que vejo em empresas de pequeno e médio porte é o clássico erro de não se obter a devida licença do Microsoft Windows. Imagine você, com um projeto em andamento, onde seu lucro ficou com uma margem apertada somente para não perder o cliente e “sem querer”, seu maior concorrente descobre que você sequer se preocupou em adquirir a licença do Microsoft Windows para as máquinas de desenvolvimento.
  11. 11. Viabilidade Econômica Portanto, o objetivo final desta etapa é provar ao cliente que o investimento que ele esta fazendo terá lucro ou benefícios para a empresa, bem como, garantir que o projeto não irá correr riscos desnecessários, uma vez que, se isto não for comprovando o projeto pode morrer nesta etapa mesmo.
  12. 12. Viabilidade Legal O objetivo passa a ser identificar aspectos legais do sistema. Para isto deve-se estar atento a leis federais, estaduais e municipais para que nenhuma delas seja infringida.
  13. 13. Viabilidade Legal É importante lembrar que, caso a empresa que utilize seu software passe por uma fiscalização e seja encontrada algum tipo de irregularidade, como por exemplo, você foi contratado para desenvolver um sistema para um supermercado e quando você estava fazendo o levantamento de requisitos o cliente diz que precisaria de um controle “a parte” para entradas e saídas, e que este controle seja feito fora do controle fiscal.
  14. 14. Viabilidade Legal Nesta hora, muitas vezes para alimentar seu ego e provar que você pode fazer tudo ou até mesmo por impulso, acaba-se dizendo que não terá problemas para se implementar tal funcionalidade e que não será nada difícil, ao final este controle “a parte” acaba sendo implementado.
  15. 15. Viabilidade Legal No caso desta empresa sofrer uma fiscalização e que seja detectado este controle “a parte” o responsável pelo desenvolvimento do software acaba respondendo como cúmplice por sonegação de impostos e pode enriquecer seu currículo com alguns anos de cadeia.
  16. 16. Referências Sommerville, Ian.Engenharia de Software, 8ª Edição. Addison Wesley Editora, 2007. https://fernandogodoy.wordpress.com/2011/05/01/3%C2%AA-etapa- tcc-estudo-de-viabilidade

×